Os Illuminati e o Conselho das Relações Exteriores (CFR)

(Transcrição de uma apresentação feita por Myron Fagan em 1967)


Recursos úteis para sua maior compreensão

Título do Livro 1


Título do Livro 2


Título do Livro 3

Parte 1

[O áudio original pode ser ouvido em http://www.apfn.org/audio/fagan-one.mp3].

Como e por que as Nações Unidas são o ponto crucial da grande conspiração para destruir a soberania dos Estados Unidos e escravizar o povo americano dentro de uma ditadura global da ONU é um mistério totalmente desconhecido para a vasta maioria da população. A razão para essa falta de conscientização a respeito do terrível perigo para nosso país e para todo o mundo livre é simples. Os cérebros que estão por trás dessa grande conspiração têm o controle absoluto de toda a nossa mídia de comunicação de massa, especialmente da televisão, do rádio, da imprensa e da indústria do cinema em Hollywood. Todos sabemos que nosso Departamento de Estado, o Pentágono e a Casa Branca proclamaram enfaticamente que têm o direito e o poder de administrar as notícias, e nos dizer não a verdade, mas aquilo em que querem que acreditemos. Eles tomaram esse poder por ordens de seus mestres da grande conspiração e o objetivo é fazer uma lavagem cerebral nas pessoas para que aceitem a falsa isca da paz para transformar os Estados Unidos em uma unidade escravizada no governo mundial das Nações Unidas.

Primeiro de tudo, tenha em mente que a assim-chamada ação política da ONU na Coréia, em que os Estados Unidos lutaram e em que 150.000 de nossos filhos morreram ou ficaram mutilados, foi parte do plano; exatamente como a guerra não-declarada pelo Congresso no Vietnã, em que nossos filhos estão morrendo é parte do plano; exatamente como o plano contra a Rodésia e a África do Sul em que nossos filhos estarão morrendo é parte do plano da ONU. Entretanto, a coisa vitalmente importante para todos os americanos saber, todas vocês, mães dos rapazes que morreram na Coréia e que agora estão morrendo no Vietnã, é que nossos assim-chamados líderes em Washington, que elegemos para proteger nosso país e nossa constituição, são os traidores e que por trás deles está um grupo comparativamente pequeno de homens cujo único objetivo é escravizar toda a humanidade em seu plano satânico de criar um governo global.

Agora, de modo a dar a vocês um quadro claro desse plano satânico, irei para o início dele, para meados do século XVIII e citarei os nomes dos homens que colocaram esse plano em ação e depois trarei vocês de volta até o presente — a situação atual desse plano. Agora, permitam-me esclarecer o significado da expressão "ele é um progressista". Os inimigos, isto é, os conspiradores globais, tomaram essa palavra "progressista" para encobrir suas atividades. Soa tão inocente e tão humanitário ser um progressista. Bem, certifique-se que a pessoa que chama a si mesma de progressista, ou que é descrita como um progressista, não é na verdade um "vermelho". [NT: Aqui, o termo usado no original é "liberal", mas nos EUA a palavra é usada para indicar alguém que tem inclinações esquerdistas; ela não tem qualquer relação com o Liberalismo no sentido econômico, como é melhor compreendida no Brasil. Por esse motivo, preferi usar o termo "progressista".]

Agora, então, esse plano satânico foi lançado nos anos 1760 quando veio à existência com o nome "Illuminati". Esses Illuminati foram organizados por certo Adam Weishaupt, um judeu que se converteu ao catolicismo e tornou-se um sacerdote católico e depois, instigado pela recém-organizada Casa de Rothschild, tornou-se um desertor e organizou os Illuminati. Naturalmente, os Rothschilds financiaram a operação, e todas as guerras desde então, começando com a Revolução Francesa, foram promovidas pelos Illuminati, operando sob vários nomes e disfarces. Digo sob vários nomes e disfarces porque após os Illuminati serem expostos e se tornarem notórios, Weishaupt e seus co-conspiradores começaram a operar sob vários outros nomes. Nos Estados Unidos, imediatamente após a Primeira Guerra Mundial, eles organizaram aquilo que chamaram de Conselho das Relações Exteriores, comumente referido como CFR (Council on Foreign Relations), e esse CFR é na verdade os Illuminati nos Estados Unidos. A hierarquia, os cérebros que estão no controle do CFR, em grande parte, descendem dos conspiradores originais, mas para esconder esse fato, a maioria deles mudou seus nomes de família originais por nomes que soam como americanos. Por exemplo, o verdadeiro nome dos Dillons, Clarence e Douglas Dillon (um Secretário do Departamento do Tesouro dos EUA), é Laposky. Voltarei a esse assunto posteriormente.

Existe um esquema similar dos Illuminati na Inglaterra que opera sob o nome de Royal Institute of International Affairs. Existem organizações secretas similares dos Illuminati na França, na Alemanha e em outros países, operando com diferentes nomes, e todas essas organizações, incluindo o CFR, continuamente fundam numerosas subsidiárias ou organizações de fachada que são infiltradas em todas as fases dos negócios dos vários países. Mas, durante todo o tempo, as operações dessas organizações foram e são planejadas e controladas pelos banqueiros internacionalistas, e eles, por sua vez, são controlados pelos Rothschilds.

Os detalhes de como eles criaram o CFR nos EUA e as organizações congêneres em outros países são extensos demais para citar nesta apresentação.

Um ramo da família Rothschild financiou Napoleão Bonaparte; outro ramo financiou a Grã-Bretanha, a Alemanha e outros países durante as Guerras Napoleônicas.

Imediatamente após as Guerras Napoleônicas, os Illuminati assumiram que todas as nações estavam tão destituídas e tão cansadas das guerras que estariam contentes com qualquer solução, de modo que as marionetes dos Rothschilds organizaram aquilo que chamaram de Congresso de Viena e, naquele encontro, tentaram criar a primeira Liga das Nações, sua primeira tentativa de um governo mundial, na teoria que todas as cabeças coroadas dos governos europeus estavam tão profundamente endividadas com eles que, querendo ou não, serviriam como suas marionetes. Mas o czar da Rússia sentiu o fedor do plano e o torpedeou completamente. Enfurecido, Nathan Rothschild, que era então o cabeça da dinastia, jurou que algum dia ele, ou seus descendentes, destruiriam o czar e toda sua família, e seus descendentes cumpriram essa exata ameaça em 1917. Neste ponto, tenha em mente que os Illuminati não foram organizados para operar no curto prazo. Normalmente, um conspirador de qualquer tipo entra em uma conspiração com a expectativa de alcançar seu objetivo durante sua própria vida. Mas esse não era o caso com os Illuminati. É verdade que eles esperavam atingir seu objetivo durante sua vida, mas parafraseando "O programa precisa continuar", os Illuminati operam com um prazo muito longo em vista. Se isso tomará dezenas de anos, ou até mesmo séculos, eles dedicaram seus descendentes para manter a panela fervendo até que a conspiração seja alcançada.

Agora, vamos voltar ao nascimento dos Illuminati. Adam Weishaupt era um jesuíta e professor de Lei Canônica na Universidade Engelstock, quando renegou o cristianismo e aderiu à conspiração luciferiana. Foi em 1770 que os emprestadores de dinheiro profissionais, a então recém-organizada Casa de Rothschild, o conquistaram para revisar e modernizar os antigos Protocolos do Sionismo, que desde a abertura, foi projetado para dar à Sinagoga de Satanás, assim nomeada por Jesus Cristo, o domínio mundial final para que eles possam impor a ideologia luciferiana sobre aquilo que restasse da raça humana após o cataclismo social final por uso do despotismo satânico. Weishaupt completou sua tarefa em 1 de maio de 1776. Agora você sabe por que 1 de maio é o grande dia em todos os países comunistas até hoje. Esse foi o dia em que Weishaupt completou seu plano e organizou oficialmente os Illuminati para colocar o plano em execução. Esse plano requeria a destruição de todos os governos e das religiões existentes. Esse objetivo seria alcançado dividindo as massas, a quem Weishaupt chamava de goyim, ou gado humano, em campos opostos em números cada vez maiores de questões políticas, sociais, econômicas e outras — as mesmas condições que temos em nosso país atualmente. Os lados opostos eram então armados e incidentes eram provocados para fazê-los lutar e se enfraquecer, destruindo assim gradualmente os governos nacionais e as instituições religiosas. Repito, são as mesmas condições que vemos no mundo hoje.

Neste ponto, permitam-me enfatizar um aspecto primordial dos planos dos Illuminati. Quando e se o projeto deles para o controle mundial, os Protocolos dos Sábios de Sião, fossem descobertos e expostos, eles iriam erradicar todos os judeus da face da Terra para afastar as suspeitas de si mesmos. Se você acha que isso é absurdo demais, tenha em mente que eles permitiram a ascensão de Hitler, ele próprio um socialista "progressista", que foi financiado pelos corruptos Kennedy, os Warburg, e os Rothschilds, para incinerar 600.000 judeus.

Agora, exatamente por que os conspiradores escolheram a palavra "Illuminati" para sua organização satânica? O próprio Weishaupt dizia que a palavra era derivada de Lúcifer e significa "aquele que tem a luz". Usando a mentira que seu objetivo era produzir um governo global para habilitar aqueles com capacidade mental a governar o mundo e evitar todas as guerras no futuro. Em resumo, usando as palavras "paz na Terra", como sua isca, exatamente como aquela mesma isca "paz" foi usada pelos conspiradores em 1945 para forçar as Nações Unidas sobre nós, Weishaupt, financiado, repito, pelos Rothschilds, recrutou cerca de 2.000 seguidores pagos. Eles incluíam os homens mais inteligentes no campo das artes e da literatura, educação, ciências, finanças, e da indústria. Ele então estabeleceu Lojas do Grande Oriente, lojas maçônicas para serem os quartéis-generais deles e repito, em tudo isso ele estava agindo sob as ordens da Casa de Rothschild. Os principais aspectos do plano de operação de Weishaupt requeria de seus Illuminati para fazer as seguintes coisas para ajudá-los a atingir seus propósitos:

1. Usar suborno monetário e sexual para obter o controle de homens que ocupavam posições de destaque nos vários níveis de todos os governos e em outros campos de ação. Uma vez que pessoas influentes caíssem nas mentiras, enganos e tentações dos Illuminati, eram então mantidas escravizadas pela aplicação de formas políticas de chantagem, ameaças de ruína financeira, exposição ao público e ameaças fiscais, e até morte para eles e para os membros de suas famílias.

Você consegue ver quantas altas autoridades no nosso governo atual em Washington são controladas exatamente dessa forma pelo CFR? Você percebe quantos homossexuais no Departamento de Estado, no Pentágono, nas agências federais, e até mesmo na Casa Branca são controlados dessa forma?

2. Os Illuminati e todas as faculdades e universidades deveriam identificar os alunos que possuíssem excepcionais capacidades mentais, que pertencessem às famílias de boa estirpe, com inclinações internacionalistas, e recomendá-los para treinamento especial em internacionalismo. Esse treinamento seria fornecido concedendo-se bolsas para os alunos selecionados.

Isso lhe dá uma idéia do que significa uma "Bolsa Acadêmicos Rhodes"? Significa doutrinação para aceitar a idéia que somente um governo global pode colocar fim às guerras e conflitos recorrentes entre as nações. Foi assim que as Nações Unidas foram vendidas para o povo americano.

Um dos Acadêmicos Rhodes mais notáveis que temos em nosso país é o senador William Fulbright, algumas vezes chamado de "half-bright". Todo seu histórico de como ele vota atesta que ele está ligado aos Illuminati. Todos esses acadêmicos deveriam primeiro ser persuadidos e depois convencidos que homens de talento e cérebro especial têm o direito de governar aqueles que são menos talentosos com o fundamento que as massas não sabem o que é melhor para elas sob o ponto de vista físico, mental, e espiritual. Além da Bolsa Acadêmicos Rhodes e outros programas similares, existem hoje três escolas especiais dos Illuminati localizadas em Gordonstown, na Escócia, em Salem, na Alemanha e em Annavrighta, na Grécia. Essas três são conhecidas, mas existem outras que são mantidas secretas. O príncipe Phillip, marido da rainha Elizabeth II, da Grã-Bretanha, foi educado em Gordonstown por insistência de Lord Louis Mountbatten, seu tio, um parente dos Rothschilds, que tornou-se Almirante da Esquadra da Grã-Bretanha após o fim da Segunda Guerra Mundial.

3. Todas as pessoas influentes enredadas a ficar sob o controle dos Illuminati, mais os alunos que tinham sido especialmente educados e treinados, seriam usados como agentes e colocados por trás dos bastidores de todos os governos como especialistas para que assessorassem os executivos de alto escalão a adotarem as políticas que no longo prazo serviriam aos planos secretos da conspiração do governo global dos Illuminati e produzir a destruição dos governos e das religiões que eles foram eleitos ou designados para servir.

Vocês sabem quando desses homens operam no nosso governo neste exato momento? Rusk, McNamara, Hubert Humphrey, Fulbright, Keekle, e muitos outros.

4. Talvez a diretiva mais vital no plano de Weishaupt era a de obter o controle absoluto da imprensa, que naquele tempo era o único meio de comunicação de massa, para distribuir informações ao público para que todas as notícias e informações pudessem ser enviesadas para que as massas fossem convencidas que um governo mundial é a única solução para nossos muitos e variados problemas.

Vocês sabem a quem pertence e quem controla nossa mídia de comunicação de massa? Vou dizer a vocês. Praticamente todos os estúdios de cinema em Hollywood pertencem aos Lehmans; Kuhn, Loeb and Company; Goldman-Sachs e outros banqueiros internacionalistas. Todas as redes nacionais de rádio e os canais de televisão do país pertencem e são controlados por esses mesmos banqueiros internacionalistas. O mesmo é verdadeiro a respeito de cada cadeia de jornais metropolitanos e as revistas, também os serviços das agências de notícias, como Associated Press, United Press, International, etc. Os supostos presidentes de todas essas mídias são meramente fachadas para os banqueiros internacionalistas, que por sua vez compõem a hierarquia do CFR, os Illuminati atuais nos Estados Unidos da América.

Agora você pode compreender por que o agente Sylvester, da Pentagon Press, proclamou sem pejo algum que o governo tem o direito de mentir para a população? O que ele realmente quis dizer foi que nosso governo controlado pelo CFR tem o poder de mentir e de se fazer acreditar pelo povo americano que sofreu uma lavagem cerebral.

Vamos agora voltar para os primeiros dias dos Illuminati. Como a Grã-Bretanha e a França eram as duas maiores potências mundiais nos anos finais do século XVIII, Weishaupt ordenou que os Illuminati fomentassem as guerras coloniais, incluindo a Guerra Revolucionária, para enfraquecer o Império Britânico e organizar o início da Revolução Francesa para 1789. Entretanto, em 1784, um verdadeiro ato de Deus colocou nas mãos do governo da Bavária a posse da evidência que provava a existência dos Illuminati e essa evidência poderia ter salvo a França, se o governo francês não tivesse se recusado a acreditar nela. Eis aqui como o ato de Deus aconteceu. Foi em 1784 que Weishaupt emitiu suas ordens para a Revolução Francesa. Um escritor alemão, chamado Zweig, colocou o plano na forma de um livro. Ele continha toda a história dos Illuminati e os planos de Weishaupt. Uma cópia desse livro foi enviada aos Iluministas na França, que estavam sob a liderança de Robespierre, a quem Weishaupt tinha delegado a ação de fomentar a Revolução Francesa. O mensageiro foi atingido e morto por um raio ao cavalgar por Rawleston, no caminho entre Frankfurt e Paris. A polícia encontrou os documentos subversivos junto ao corpo do mensageiro e os entregou às autoridades competentes. Após um cuidadoso estudo do plano, o governo da Bavária ordenou que a polícia fizesse uma batida nas recém-organizadas Lojas do Grande Oriente, de Weishaupt, e nas residências de seus colegas mais influentes. Todas as evidências adicionais assim descobertas convenceram as autoridades que os documentos eram cópias genuínas da conspiração pela qual os Illuminati planejavam usar guerras e revoluções para estabelecer um governo global; os poderes do qual eles, chefiados pelos Rothschilds, pretendiam usurpar assim que ele fosse estabelecido, exatamente como o plano das Nações Unidas hoje em dia.

Em 1785, o governo da Bavária colocou na ilegalidade os Illuminati e fechou as Lojas do Grande Oriente. Em 1786, eles publicaram todos os detalhes da conspiração. O título em inglês dessa publicação é The Original Writings of the Order and the Sect of the Illuminati (Os Escritos Originais da Ordem e da Seita dos Illuminati). Cópias de toda a conspiração foram enviadas a todos os chefes da igreja e de estado na Europa. Mas o poder dos Illuminati, que era na verdade o poder dos Rothschilds, era tão grande que essa advertência foi ignorada. Mesmo assim, Illuminati tornou-se uma palavra feia e a organização foi colocada na ilegalidade.

Ao mesmo tempo, Weishaupt ordenou que os Iluministas se infiltrassem nas lojas da Maçonaria Azul e formassem suas próprias sociedades secretas dentro de todas as sociedades secretas. Somente os maçons que se provavam internacionalistas e aqueles cuja conduta provava que eles tinham desertado de Deus eram iniciados nos Illuminati. Daí para frente, os conspiradores vestiram a capa da filantropia e do humanitarismo para ocultar suas atividades revolucionárias e subversivas. De modo a se infiltrar nas lojas maçônicas na Grã-Bretanha, Weishaupt convidou John Robinson para vir à Europa. Robinson era um maçom de alto grau no Rito Escocês. Ele era professor de filosofia natural na Universidade de Edimburgo e Secretário da Sociedade Real de Edimburgo. Robinson não aceitou a mentira que o objetivo dos Illuminati era criar uma ditadura benevolente, mas guardou suas reações para si mesmo tão bem que lhe foi confiada uma cópia da conspiração revisada de Weishaupt para estudar e guardar em lugar seguro. De qualquer modo, como os chefes de estado e da igreja na França foram levados a ignorar as advertências, a revolução irrompeu em 1789, conforme planejado por Weishaupt. De modo a alertar os outros governos do perigo que corriam, em 1789, Robinson publicou um livro intitulado Proof of a Conspiracy to Destroy All Governments and Religions (Provas de uma Conspiração Para Destruir Todos os Governos e as Religiões), mas suas advertências foram ignoradas, exatamente como o povo norte-americano tem ignorado todas as advertências a respeito das Nações Unidas e do Conselho das Relações Exteriores (CRF).


Parte 2

[O áudio original pode ser ouvido em http://www.apfn.org/audio/fagan-two.mp3].

Agora, aqui está uma coisa que irá chocar e muito provavelmente deixar indignados muitos de vocês, mas existem provas documentais que Thomas Jefferson e Alexander Hamilton tornaram-se alunos de Weishaupt. Jefferson foi um dos principais defensores de Weishaupt quando ele foi colocado na ilegalidade pelo seu governo e foi Jefferson quem infiltrou os Illuminati nas então recém-organizadas lojas do Rito Escocês na Nova Inglaterra. Aqui está a prova:

Em 1789, John Robinson advertiu todos os líderes maçons nos EUA que os Illuminati tinham se infiltrado em suas lojas e, em 19 de julho de 1789, David Pappen, presidente da Universidade de Harvard, fez a mesma advertência para a classe de formandos em uma aula sobre como a influência do Iluminismo estava crescendo na política e na religião nos EUA. Juntando-se a isso, John Quincy Adams, que tinha organizado as lojas maçônicas da Nova Inglaterra, também fez suas advertências. Ele escreveu três cartas para o coronel William L. Stone, um maçom de grau elevado, nas quais revelava como Thomas Jefferson estava usando as lojas maçônicas para propósitos iluministas e subversivos. Essas três cartas estão arquivadas na Biblioteca da Praça Whittenburg, em Filadélfia. Em resumo, Jefferson, o fundador do Partido Democrata, era membro dos Illuminati, o que pelo menos parcialmente explica a condição atual do partido e, com a infiltração do Partido Republicano, não temos absolutamente nada de patriotismo americano leal hoje.

A desastrosa rejeição pelo czar da Rússia no Congresso de Viena de modo algum destruiu a conspiração dos Illuminati. Ela meramente os forçou a adotar uma nova estratégia, percebendo que a idéia de um mundo unificado estava, por enquanto, morta. Os Rothschilds decidiram que para manter o plano vivo eles teriam de aumentar seu controle sobre o sistema monetário das nações européias.

Anteriormente, por meio de um artifício, o resultado da Batalha de Waterloo tinha sido falsificado. Rothschild espalhou a notícia da vitória de Napoleão, o que precipitou um terrível pânico no mercado acionário na Inglaterra. As ações caíram até praticamente zero e Nathan Rothschild comprou todas elas por alguns centavos para cada dólar de valor original. Isso lhe deu controle completo da economia da Grã-Bretanha e, virtualmente, de toda a Europa. Assim, imediatamente após o tiro do Congresso em Viena sair pela culatra, Rothschild forçou a Grã-Bretanha a criar um novo Banco da Inglaterra, sobre o qual ele tinha controle absoluto, exatamente como mais tarde, por meio de Jacob Schiff, ele planejou a criação da Lei da Federal Reserve, o que deu à Casa de Rothschild um controle secreto da economia nos Estados Unidos. Mas agora, por um momento, vamos mergulhar nas atividades dos Illuminati nos Estados Unidos.

Em 1826, certo capitão William Morgan decidiu que era seu dever informar todos os maçons e o público em geral qual era a prova completa com relação aos Illuminati, seus planos secretos, os objetivos pretendidos, e também revelar as identidades dos cérebros que estavam por trás da conspiração. Os Illuminati imediatamente julgaram o capitão Morgan à revelia e o condenaram por traição. Eles ordenaram que certo Richard Howard, um Iluminista inglês, executasse a sentença no traidor. Morgan foi avisado e tentou fugir para o Canadá, mas Howard o alcançou na fronteira, perto das Cataratas de Niágara, para ser exato, onde ele o assassinou. Isso foi confirmado em uma declaração sob juramento feita em Nova York por certo Avery Allen, que tinha ouvido Howard apresentar seu relatório da execução em um encontro dos Cavaleiros Templários em Saint John's Hall, em Nova York. Ele também contou como os preparativos foram feitos para enviar Howard de navio para a Inglaterra. Esse depoimento de Allen está registrado nos Arquivos jurídicos da cidade de Nova York. Poucos maçons e pouquíssimas pessoas do público em geral sabem que a reprovação geral por causa desse incidente de assassinato provocou a decisão de quase metade de todos os maçons da jurisdição norte dos Estados Unidos a se desligarem. Cópias das minutas da reunião realizada para discutir o assunto ainda existem em mãos seguras e todo esse segredo enfatiza o poder dos cérebros dos Illuminati para evitar que esses eventos terríveis da história sejam ensinados nas escolas.

No início dos anos 1850, os Illuminati realizaram um encontro secreto em Nova York, no qual discursou um Iluminista britânico chamado Wright. Os participantes ficaram sabendo que os Illuminati estavam organizando a união dos grupos niilistas e ateístas com todos os outros grupos subversivos em um grupo internacional que seria conhecido como comunistas. Essa foi a primeira vez que a palavra "comunista" foi usada e ela deveria ser a arma suprema e a palavra terrível para assustar o mundo inteiro e levar a população aterrorizada para dentro do esquema do governo mundial único dos Illuminati. Esse esquema, o comunismo, deveria ser usado para permitir que os Illuminati fomentassem futuras guerras e revoluções. Clinton Roosevelt, um antecessor direto de Franklin Roosevelt, Horace Greeley, e Charles Dana, os principais editores de jornais daquele tempo foram designados para presidir um comitê para angariar fundos para o novo empreendimento. Logicamente, a maior parte dos fundos foi fornecida pelos Rothschilds, e esse fundo foi usado para financiar Karl Marx e Engels, quando eles escreveram O Capital e o Manifesto Comunista, em Soho, na Inglaterra. E isso revela claramente que o comunismo não é uma assim-chamada ideologia, mas uma arma secreta, um bicho-papão, para servir aos propósitos dos Illuminati.

Weishaupt morreu em 1830, mas antes de sua morte, preparou uma versão revisada da velha conspiração, os Illuminati, que sob vários apelidos, iriam organizar, financiar, dirigir e controlar todas as organizações e grupos internacionais, colocando seus agentes em posições executivas na liderança. Nos Estados Unidos, temos Woodrow Wilson, Franklin Roosevelt, John Kennedy, Johnson, Rusk, McNamara, Fulbright, etc., como exemplos primordiais.

Além disso, enquanto Karl Marx estava escrevendo o Manifesto Comunista sob a direção de um grupo de Iluministas, o professor Karl Ritter, da Universidade de Frankfurt, estava escrevendo a antítese sob a direção de outro grupo. A idéia era que aqueles que dirigem a conspiração geral poderiam usar as diferenças naquelas duas assim-chamadas ideologias para permitir que eles dividissem membros cada vez maiores da população em campos opostos para que eles pudessem ser armados e depois passarem por uma lavagem cerebral para que lutassem e se destruíssem. E, particularmente, destruir todas as instituições políticas e religiosas. O trabalho que Ritter iniciou foi continuado após sua morte e completado pelo assim-chamado filósofo alemão Friedrich Wilhelm Nietzsche, que fundou o nietzcheísmo. O nietzcheísmo foi mais tarde transformado em fascismo, depois em nazismo, e foi usado para fomentar a Primeira e a Segunda Guerra Mundial.

Em 1834, o líder revolucionário italiano Giuseppe Mazzini foi selecionado pelos Illuminati para dirigir o programa revolucionário em todo o mundo. Ele serviu nessa capacidade até sua morte, em 1872, mas alguns anos antes de morrer, Mazzini tinha atraído um general norte-americano chamado Albert Pike para os Illuminati. Pike estava fascinado pela idéia de um governo mundial e, posteriormente, tornou-se o chefe dessa conspiração luciferiana. Entre 1859 e 1871, Pike elaborou um projeto militar para três guerras mundiais e várias revoluções em todo o mundo, o que ele considerava que faria avançar a conspiração para seu estágio final no século XX. Novamente, preciso lembrá-los que esses conspiradores nunca estavam preocupados com o sucesso imediato. Eles também operavam com uma visão de muito longo prazo. Pike realizou a maior parte de seu trabalho em sua cidade de Little Rock, no Arkansas. Mas alguns anos mais tarde, quando as Lojas do Grande Oriente dos Illuminati tornaram-se suspeitas e passaram a ser repudiadas por causa das atividades revolucionárias de Mazzini na Europa, Pike organizou aquilo que chamou de Novo e Reformado Rito Paladiano. Ele criou três Supremos Conselhos: um em Charleston, na Carolina do Sul, um em Roma, na Itália, e um terceiro em Berlin, na Alemanha. Ele fez Mazzini estabelecer 23 conselhos subordinados em locais estratégicos em todo o mundo. Esses conselhos têm sido os quartéis-generais secretos do movimento revolucionário mundial desde então.

Muito antes de Marconi inventar o rádio, os cientistas dos Illuminati tinham descoberto os meios para Pike e os chefes de seus conselhos se comunicarem secretamente. Foi a descoberta desse segredo que permitiu aos oficiais da Inteligência compreenderem como incidentes aparentemente não relacionados, como o assassinato do príncipe austríaco na Sérvia, ocorriam simultaneamente em todo o mundo, transformando-se em guerras ou em revoluções.

O plano de Pike era simples e se provou eficiente. Ele propunha que o comunismo, o nazismo, o sionismo político e outros movimentos internacionais fossem organizados e usados para fomentar três guerras mundiais e pelo menos duas grandes revoluções.

A Primeira Guerra Mundial deveria ser travada para permitir que os Illuminati destruíssem o czarismo na Rússia, como Rothschild jurou fazer após o czar torpedear seu esquema no Congresso de Viena, e para transformar a Rússia em uma fortaleza do comunismo ateísta. As divergências provocadas pelos agentes dos Illuminati entre os impérios britânico e alemão seriam usadas para fomentar essa guerra. Após a guerra terminar, o comunismo deveria ser fortalecido e usado para destruir os outros governos e enfraquecer as religiões.

A Segunda Guerra Mundial, quando e se necessária, deveria ser fomentada usando-se as controvérsias entre os fascistas e os sionistas políticos, e aqui deve ser observado que Hitler foi financiado por Krupp, os Warburgs, os Rothschilds e outros banqueiros internacionalistas e que a matança dos supostos 600.000 judeus por Hitler não incomodou nem um pouco os internacionalistas judeus. Essa matança foi necessária para criar o ódio mundial contra o povo alemão e assim levar a guerra contra eles. Em resumo, essa Segunda Guerra Mundial deveria ser lutada para destruir o nazismo e aumentar o poder do sionismo político para que o Estado de Israel pudesse ser criado na Palestina.

Durante essa Segunda Guerra Mundial, o comunismo internacionalista deveria ser fortalecido até que se igualasse em força com o da cristandade unida. Quando ele alcançasse esse ponto, deveria ser contido e mantido em xeque até que fosse requerido para o cataclismo social final. Como sabemos agora, Roosevelt, Churchill e Stalin, colocaram essa exata política em vigor e Truman, Eisenhower, Kennedy, e Johnson continuaram essa mesma política.

A Terceira Guerra Mundial deverá ser fomentada usando-se as assim-chamadas controvérsias, atiçadas pelos agentes dos Illuminati, operando sob um novo nome qualquer, como estão agora para acontecer entre os sionistas políticos e os líderes do mundo islâmico. Essa guerra deverá ser dirigida de tal maneira que todo o Islã e o sionismo político (Israel) se destruirão um ao outro enquanto que, ao mesmo tempo, os países restantes, cada vez mais divididos nessa questão, serão forçados a lutar até um estado de total exaustão física, mental, espiritual e econômica.

Agora, pode qualquer pessoa que pense um pouco duvidar que a intriga que está ocorrendo no Oriente Médio e no Extremo Oriente destina-se a realizar esse objetivo satânico? O próprio Pike previu tudo isso em uma declaração que fez a Mazzini, em 15 de agosto de 1871. Pike afirmou que, após a Terceira Guerra Mundial terminar, aqueles que aspirarem ao domínio mundial inquestionável provocarão o maior cataclismo social que o mundo já viu. Citando suas próprias palavras tiradas de uma carta que ele escreveu a Mazzini, carta essa que está agora catalogada no Museu Britânico, em Londres, na Inglaterra:

"Soltaremos os niilistas e os ateístas e provocaremos um grande cataclismo social que, em todo seu horror, mostrará claramente para todos os povos os efeitos do absoluto ateísmo: as origens da selvageria e da mais sangrenta agitação. Então, em toda a parte, as pessoas serão forçadas a se defender da minoria de revolucionários e exterminará esses que destroem a civilização, e as multidões, desiludidas com o cristianismo, e cujos espíritos estarão a partir daquele momento sem direção e sem liderança e ansiosas por um ideal, mas sem o conhecimento de para onde enviar sua adoração, receberão a verdadeira luz por meio da manifestação universal da pura doutrina de Lúcifer, trazida finalmente para o conhecimento do público. Uma manifestação que resultará de um movimento reacionário geral que seguirá a destruição do cristianismo e do ateísmo, ambos conquistados e exterminados ao mesmo tempo."

Quando Mazzini morreu, em 1872, Pike fez de outro líder revolucionário, Adrian Lemmy, seu sucessor. Lemmy, por sua vez, foi sucedido por Lênin, Trotsky e depois por Stalin. As atividades revolucionárias de todos esses homens foram financiadas por banqueiros internacionalistas britânicos, franceses, alemães e americanos; todos eles dominados pela Casa de Rothschild. Devemos acreditar que os banqueiros internacionais de hoje, como os cambistas nos tempos de Cristo, são somente os instrumentos ou agentes da grande conspiração, mas na verdade eles são os cérebros que estão por trás de toda ela. Embora o público em geral tenha sofrido uma lavagem cerebral por meio de toda a mídia de comunicação de massa para acreditar que o comunismo é um movimento dos assim-chamados trabalhadores, a realidade é que os oficiais da Inteligência americana e britânica têm evidências documentais autênticas que progressistas internacionais, operando por meio de suas casas bancárias internacionais, particularmente a Casa de Rothschild, financiam ambos os lados em todas as guerras e revoluções desde 1776.

Aqueles que hoje formam a conspiração (o CFR nos Estados Unidos) dirigem nossos governos, a quem eles mantêm endividados e pagando juros, por meio de métodos como o Sistema da Federal Reserve, para lutar em guerras, como a do Vietnã (uma guerra criada pelas Nações Unidas) de modo a fazer avançar os planos dos Illuminati, de Albert Pike, de levar o mundo até aquele estágio da conspiração quando o comunismo ateísta e toda a cristandade poderão ser forçados a uma Terceira Guerra Mundial total dentro de cada país restante, bem como em uma escala internacional.

O quartel-general dessa grande conspiração no fim dos anos 1700 estava em Frankfurt, na Alemanha, onde a Casa de Rothschild tinha sido fundada por Mayer Amschel, que adotou o nome Rothschild e ligou-se com outros financistas internacionais que tinham literalmente vendido a alma ao diabo. Após a exposição pelo governo da Bavária em 1786, os conspiradores mudaram seu quartel-general para a Suíça, e depois para Londres. Desde a Segunda Guerra Mundial (após a morte de Jacob Schiff, o garoto dos Rothschilds na América), o quartel-general do ramo americano está no Edifício Harold Pratt, na cidade de Nova York, e os Rockefellers, originalmente os protegidos de Schiff, assumiram a manipulação das finanças na América para os Illuminati.

Nas fases finais da conspiração, o governo global consistirá de um rei-ditador, o líder das Nações Unidas, o CFR e alguns bilionários, economistas e cientistas, que provaram sua devoção à grande conspiração. Todos os outros deverão ser integrados em um vasto conglomerado de humanidade miscigenada, na verdade escravos.

Agora, permitam-me mostrar como nosso governo federal e o povo americano têm sido sugados para dentro do plano de conquista para a formação do governo global da grande conspiração dos Illuminati. Sempre tenha em mente que as Nações Unidas foram criadas para se tornarem o lar para essa assim-chamada conspiração esquerdista do governo global.

As verdadeiras bases do plano da conquista dos Estados Unidos foram lançadas durante o período da Guerra Civil. Não que Weishaupt e os primeiros cérebros tenham alguma vez negligenciado o Novo Mundo. Como indiquei anteriormente, Weishaupt tinha seus agentes plantados aqui já durante a Guerra Revolucionária, mas George Washington se opôs a eles.

Foi durante a Guerra Civil que os conspiradores lançaram seus primeiros esforços concretos. Sabemos que Judah Benjamim, o principal assessor de Jefferson Davies, era um agente dos Rothschilds. Também sabemos que havia agentes dos Rothschilds plantados no gabinete de Abraham Lincoln, que tentaram convencê-lo a entrar em um acordo financeiro com a Casa de Rothschild. Mas, o velho Abe percebeu o esquema e o rejeitou prontamente, incorrendo assim no ódio mortal dos Rothschilds, do mesmo modo que o czar da Rússia, quando torpedeou a primeira Liga das Nações no Congresso de Viena. A investigação do assassinato de Lincoln revelou que o assassino Booth era membro de um grupo conspiratório secreto. Como havia diversos altos funcionários importantes do governo envolvidos, o nome do grupo nunca foi revelado e tornou-se um mistério, exatamente como o assassinato de John Kennedy ainda é um mistério. Mas tenho a certeza que não continuará sendo um mistério por muito tempo. De qualquer forma, o fim da Guerra Civil destruiu temporariamente todas as chances da Casa de Rothschild de colocar suas garras no nosso sistema monetário, como eles tinham conseguido fazer na Grã-Bretanha e em outros países na Europa. Digo temporariamente porque os Rothschilds e os cérebros da conspiração nunca desistem, de modo que tiveram de iniciar da estaca zero, mas não perderam tempo em recomeçar.

Logo após a Guerra Civil, um jovem imigrante chamado Jacob H. Schiff desembarcou em Nova York. Jacob era um rapaz que recebeu uma missão da Casa de Rothschild. Ele era filho de um rabino e nasceu em uma das casas de Rothschild em Frankfurt, na Alemanha. Falarei em detalhes da sua formação. O ponto importante era que Rothschild reconheceu nele não somente o potencial para ser um mago das finanças, mas, mais importante, também viu nele as qualidades maquiavélicas latentes que poderiam, como de fato aconteceu, torná-lo um funcionário inestimável para a grande conspiração do mundo global. Após um período relativamente pequeno de treinamento no Banco dos Rothschilds em Londres, Jacob partiu para a América com instruções de comprar participação acionária em uma casa bancária que deveria ser o trampolim para obter o controle do sistema financeiro nos Estados Unidos. Na verdade, Jacob veio para cá para executar quatro tarefas específicas:

  1. A mais importante: obter o controle do sistema financeiro da América.

  2. Encontrar homens desejáveis, que por um preço, estariam dispostos a servir como patetas e marionetes para a grande conspiração e promovê-los para os altos cargos no governo federal, no Congresso, na Suprema Corte e em todas as agências federais.

  3. Criar conflitos entre os grupos minoritários em todo o país, particularmente entre brancos e negros.

  4. Criar um movimento para destruir a religião nos Estados Unidos, sendo o cristianismo o alvo principal.

Parte 3

[O áudio original pode ser ouvido em http://www.apfn.org/audio/fagan-three.mp3].

Mencionei anteriormente que Jacob Schiff veio aos EUA com ordens dos Rothschilds para cumprir quatro diretivas específicas. A primeira e mais importante era obter o controle do sistema financeiro dos Estados Unidos. Vamos rastrear os passos de Schiff para cumprir essa diretiva. Como uma primeira etapa, ele teve de adquirir participação acionária em uma casa bancária, mas tinha de ser o tipo de casa que ele pudesse controlar e moldar completamente para o objetivo principal de enredar o sistema monetário dos EUA. Após fazer uma pesquisa cuidadosa, Jacob comprou uma participação societária em uma firma chamada Kuhn and Loeb. Como Schiff, Kuhn e Loeb eram imigrantes alemães dos guetos judeus. Eles chegaram aos EUA em meados dos anos 1840 e ambos iniciaram suas carreiras profissionais como mascates itinerantes. No início dos anos 1850, ambos uniram seus interesses e abriram um armazém em Lafayette, Indiana, com o nome "Kuhn and Loeb", para atender os colonos que viajavam em direção ao oeste em suas carroças cobertas. Nos anos que se seguiram, eles abriram lojas similares em Cincinnati e em Saint Louis. Em seguida, eles adicionaram o serviço de penhor em suas atividades comerciais. Daí, começar a emprestar dinheiro a juros foi um passo curto e rápido.

Ao tempo em que Schiff entrou no cenário, Kuhn and Loeb era uma firma privada bem conhecida e foi nessa firma que Jacob entrou como sócio. Logo em seguida, Schiff casou-se com a filha de Loeb, Teresa, depois comprou a participação de Kuhn e transferiu a firma para New York, modificando o nome para Kuhn, Loeb and Company — International Bankers, sendo Jacob Schiff, agente dos Rothschilds, ostensivamente o único proprietário. Durante toda a sua carreira, essa mistura de Judas com Maquiavel, o primeiro cardeal da grande conspiração dos Illuminati na América, posou como um grande filantropo e um homem de grande santidade, a política usual de disfarce usada pelos Illuminati.

Como afirmei anteriormente, um grande passo inicial da conspiração seria enlaçar o sistema financeiro norte-americano. Para alcançar esse objetivo, Schiff teve de obter a total cooperação dos grandes personagens de então na atividade bancária nos Estados Unidos, e isso era algo mais fácil de dizer do que fazer. Já naqueles dias, Wall Street era o centro do mercado financeiro e J. P. Morgan era seu ditador. Em seguida, vinham os Drexels, e os Biddles, de Filadélfia. Todos os outros financistas, grandes e pequenos, dançavam de acordo com a música tocada por essas três casas, mas particularmente de Morgan. Todos esses três eram potentados orgulhosos, esnobes e arrogantes.

Nos primeiros anos, eles viram o homenzinho de suíças vindo dos guetos alemães com profundo desprezo, mas Jacob soube como superar isso. Ele lançou alguns ossos dos Rothschilds para eles. Esses ossos eram a distribuição nos Estados Unidos das desejadas emissões de ações e títulos europeus. Em seguida, ele descobriu que tinha uma arma ainda mais potente em suas mãos:

Foi nas décadas após a Guerra Civil Americana que as indústrias começaram a florescer. Havia grandes estradas de ferro a construir. As indústrias petrolífera, de mineração, siderúrgica, e têxtil estavam se expandindo rapidamente. Tudo isso requeria um vasto financiamento, e grande parte desse financiamento tinha de vir do exterior. Isso significava a Casa de Rothschilds e foi aqui que Schiff entrou. Ele jogou de forma muito engenhosa. Ele se tornou o santo padroeiro de John D. Rockefeller, Edward R. Harriman, e Andrew Carnegie. Ele financiou a Standard Oil Company para Rockefeller, o império das estradas de ferro para Harriman, e o império da siderurgia para Carnegie. Mas, em vez de abocanhar todas as outras indústrias para Kuhn, Loeb and Company, ele abriu as portas da Casa de Rothschild para Morgan, Biddle e Drexel. Por sua vez, Rothschild preparou a abertura de filiais em Londres, Paris, e em outras cidades européias para esses três, mas sempre em parcerias com os subordinados de Rothschild e Rothschild deixava bem claro para todos esses homens que Schiff seria o chefe deles em Nova York.

Assim, na virada do século, Schiff tinha um rígido controle sobre toda a fraternidade bancária em Wall Street, que então, com a ajuda de Schiff, incluía os Lehman Brothers, Goldman-Sachs, e outros banqueiros internacionalistas que eram chefiados por homens escolhidos pelos Rothschilds. Em resumo, isso significava o controle dos poderes financeiros do país e ele estava então pronto para o passo gigante seguinte — enredar de todo o sistema monetário nacional norte-americano.

Agora, sob a Constituição americana, todo o controle do sistema monetário está delegado unicamente ao Congresso. O próximo passo importante de Schiff seria seduzir o Congresso a trair esse edito constitucional, entregando esse controle para a hierarquia da grande conspiração dos Illuminati. De modo a legalizar essa entrega e assim tornar a população impotente para resistir a ela, seria necessário fazer com que o Congresso aprovasse uma legislação especial. Para obter isso, Schiff teria de infiltrar seus patetas e marionetes em ambas as casas do Congresso. Essas marionetes deveriam ser poderosas o suficiente para fazerem o Congresso aprovar a toque de caixa, sem muita análise e obstrução, a legislação desejada. Igualmente, ou até mais importante, ele teria de plantar um pateta na Casa Branca, um presidente sem integridade e sem escrúpulos, que sancionasse a legislação e a colocasse em vigor. Para conseguir isso, ele tinha de obter o controle do Partido Republicano ou do Partido Democrata. O Partido Democrata era o mais vulnerável, pois era o mais faminto dos dois partidos. Exceto por Grover Cleveland, os Democratas não tinham conseguido colocar um de seus homens na Casa Branca desde a Guerra Civil. Existiam duas razões para isso:

1. Pobreza do Partido.

2. Havia consideravelmente mais eleitores com mentalidade republicana do que democrata.

A questão da pobreza não era um grande problema, mas o problema dos eleitores era uma história diferente. Porém, como mencionei anteriormente, Schiff era um sujeito esperto. Aqui está o método atroz e assassino que ele empregou para solucionar esse problema dos eleitores. A solução dele enfatiza como os banqueiros internacionalistas judeus se preocupam pouco com seus próprios irmãos de sangue.

Subitamente, por volta de 1890, irrompeu uma série de pogrons na Rússia. Muitos milhares de judeus inocentes, homens, mulheres e crianças foram mortos pelos cossacos e pelos outros camponeses. Pogrons similares, com matanças similares de judeus inocentes, ocorreram na Polônia, na Romênia e na Bulgária. Todos esses pogrons foram fomentados pelos agentes dos Rothschilds. Como resultado, os aterrorizados refugiados judeus de todos esses países fugiram em massa para os Estados Unidos e isso continuou por mais duas ou três décadas porque os pogrons foram contínuos durante todos aqueles anos. Todos aqueles refugiados foram auxiliados pelos comitês humanitários característicos formados por Schiff, os Rothschilds e todos os seus afiliados.

Em sua maioria, os refugiados desembarcavam no porto de Nova York, mas os comitês humanitários Schiff-Rothschild encontraram meios de espalhar muitos deles para outras grandes cidades, como Chicago, Boston, Filadélfia, Detroit, Los Angeles, etc. Todos eles foram rapidamente transformados em "cidadãos naturalizados" e instruídos a votar nos candidatos Democratas. Assim, todos desse assim-chamado grupo minoritário tornaram-se sólidos eleitores democratas em suas comunidades e eram controlados e manipulados pelos seus assim-chamados benfeitores. E, logo após a virada para o século XX, eles se tornaram fatores vitais na vida política do país. Esse foi um dos métodos que Schiff empregou para plantar homens como Nelson Aldrich no Senado, e Woodrow Wilson na Casa Branca.

Neste ponto, permitam-se lembrá-los de outra atribuição importante que foi dada a Schiff quando ele foi enviado aos Estados Unidos. Eu me refiro à tarefa de destruir a unidade do povo americano por meio da criação de lutas entre os grupos minoritários e raciais. Por meio dos refugiados judeus fugidos dos pogrons que chegaram à América, Schiff estava criando um grupo minoritário pronto para esse propósito. Mas ele não podia depender do povo judeu como um todo, atemorizado pelos pogrons, para criar a violência necessária para destruir a unidade do povo americano. No entanto, já existia na América um grupo minoritário pronto para ser usado, embora ainda estivesse adormecido — os negros — que podiam ser provocados a fazerem as passeatas, distúrbios de rua, saques, assassinatos, diversos outros tipos de delitos — bastava incitá-los e agitá-los. Juntos, esses dois grupos minoritários, corretamente manobrados, poderiam ser usados para criar exatamente o tipo de conflito na América que os Illuminati precisavam para atingir seus objetivos.

Assim, ao mesmo tempo em que Schiff e seus co-conspiradores estavam delineando seus planos para enredar nosso sistema financeiro, também estavam aperfeiçoando os planos para atacar o incauto povo americano com uma agitação racial explosiva e aterrorizante que despedaçaria a população em facções de ódio e que criaria o caos por todo o país, especialmente em todos os campi das faculdades e universidades; todos protegidos pelas decisões de Earl Warren e nossos assim-chamados líderes em Washington. Logicamente, aperfeiçoar esses planos requereu tempo e uma organização infinitamente paciente.

[Nota explicativa adicionada: John Kennedy, durante deu mandato como presidente dos Estados Unidos, tornou-se um cristão. Em sua tentativa de se "arrepender", ele tentou informar o povo deste país (pelo menos duas vezes) que o Gabinete da Presidência estava sendo manipulado pelos Illuminati/CFR. Ao mesmo tempo, ele colocou um basta no "empréstimo" de Notas da Federal Reserve do Banco da Federal Reserve e começou a emitir as Notas dos Estados Unidos (que não pagavam juros) a crédito dos Estados Unidos. Foi a emissão das Notas que fez John Kennedy ser assassinado.

Após fazer o Juramento do Cargo, Lyndon B. Johnson parou de emitir as Notas dos Estados Unidos e voltou a emprestar as Notas do Banco da Federal Reserve (que eram emprestadas ao povo americano à taxa de juros de 17%). [As Notas dos EUA, que eram emitidas durante a administração John F. Kennedy, eram da série de 1963, que tinham um selo "vermelho" na face da Nota.].

Agora, para remover todas as dúvidas, separarei alguns momentos para mostrar a prova documental desse plano de conflito racial. Primeiro de tudo, eles tiveram de criar os líderes e as organizações para atrair milhões de ingênuos, tanto judeus quando negros, que participariam das passeatas, perpetrariam os distúrbios de rua, os saques, e os delitos. Assim, em 1909, Schiff, os Lehmans, e outros conspiradores, organizaram e criaram a "Associação Nacional Para o Progresso das Pessoas de Cor", conhecida como NAACP. Os presidentes, diretores e conselhos jurídicos da NAACP eram sempre "homens brancos e judeus", indicados por Schiff e esse é o caso até o dia de hoje.

Então, em 1913, o grupo de Schiff organizou a Liga Antidifamação da B'nai B'rith, comumente conhecida como ADL para servir como a gestapo e os capangas para toda a grande conspiração. Hoje, a sinistra ADL mantém mais de 2.000 agências em todas as partes do país, assessora e controla completamente toda ação da NAACP ou da Liga Urbana, de todas as outras assim-chamadas organizações dos direitos civis dos negros por todo o país, incluindo líderes como Martin "Lúcifer" King, Stokely Carmichael, Bernard Rustin, e outros do mesmo tipo. Além disso, a Liga Antidifamação adquiriu controle absoluto dos orçamentos de publicidade de muitas lojas de departamentos, redes de hotéis, de indústrias patrocinadoras de programas de rádio e da televisão, e também das agências de publicidade, de modo a controlar praticamente toda a mídia de comunicação de massa e forçar todos os jornais leais a enviesar e falsificar as notícias e a incitar ainda mais e ao mesmo tempo criar simpatia pelos delitos e pela violência das turbas de negros. Aqui está a prova documental do início do plano deliberado deles de fomentar os negros em todas as ações delituosas.

Por volta de 1910, certo Israel Zangwill escreveu uma peça intitulada The Melting Pot. Era pura propaganda para incitar os negros e os judeus, pois a peça supostamente mostrava como o povo americano estava discriminando e perseguindo os judeus e os negros. Naquele tempo parece que ninguém percebeu que era uma peça de propaganda, pois ela foi muito bem escrita. A propaganda estava bem disfarçada no entretenimento muito bom e a peça fez muito sucesso na Broadway.

Agora, naqueles dias, o legendário Diamond Jim Brady costumava oferecer um banquete no famoso restaurante Delmonico, em Nova York, após a estréia de uma peça de sucesso. Ele ofereceu a festa para o elenco de The Melting Pot, seu autor, seu produtor e algumas personalidades escolhidas da Broadway. Naquele tempo eu já tinha alcançado certo sucesso nos teatros da Broadway e fui convidado para a festa. Lá, conheci George Bernard Shaw e um escritor judeu chamado Israel Cohen. Zangwill, Shaw e Cohen eram aqueles que criaram a Sociedade Fabiana na Inglaterra, e tinham trabalhado de perto com um judeu de Frankfurt chamado Mordecai, que tinha mudado seu nome para Karl Marx. Lembre-se, porém, que naquele tempo tanto o marxismo quanto o comunismo estavam apenas começando e ninguém prestava muita atenção a eles, e ninguém suspeitava da propaganda nos escritos daqueles três homens realmente brilhantes.

Naquele banquete, Israel Cohen me disse que estava se dedicando a escrever um livro que seria uma continuação para The Melting Pot, de Zangwill. O título de seu livro seria A Racial Program for the 20th Century (Um Programa Racial Para o Século XX). Naquele tempo, eu estava completamente absorvido em meu trabalho como dramaturgo e, embora o título fosse significativo, não compreendi seu real objetivo e também não fiquei interessado em ler o livro. Mas ele subitamente me atingiu com a força de uma bomba de hidrogênio quando recebi o recorte de um jornal de uma matéria publicada pelo Evening Star, de Washington, em maio de 1957. Aquela matéria era uma reimpressão tintim por tintim do seguinte excerto do livro de Israel Cohen, A Racial Program for the 20th Century e dizia o seguinte:

"Precisamos entender que a arma mais poderosa do nosso partido é a tensão racial. Propondo para as consciências das pessoas de pele escura que há séculos elas estão sendo oprimidas pelos brancos, podemos movê-las para o programa do Partido Comunista. Na América, nosso objetivo será a vitória sutil. Enquanto inflamarmos a minoria negra contra os brancos, instilaremos nos brancos um sentimento de culpa pela exploração que fizeram com os negros. Ajudaremos os negros a ascenderem à proeminência em todos os setores da vida, nas profissões, e no mundo dos esportes e do entretenimento. Com esse prestígio, os negros poderão se casar inter-racialmente com os brancos e iniciar um processo que entregará a América para nossa causa."

Este mesmo excerto entrou nos registros do Congresso em 7 de junho de 1957 pelo representante Thomas G. Abernethy.

Assim, a autenticidade dessa passagem no livro de Cohen ficou totalmente estabelecida. Mas a questão que restava em minha cabeça era se ela representava a política oficial ou o plano do Partido Comunista ou apenas uma expressão particular do próprio Cohen. Portanto, procurei mais provas e a encontrei em um panfleto oficial publicado em 1935 pelo Partido Comunista de Nova York. O título desse panfleto era "The Negroes in a Soviet America" (Os Negros em uma América Soviética). Ele exortava os negros a se rebelar, formar um estado soviético no sul e solicitar admissão à União Soviética. Ele continha a firme promessa que essa revolta seria apoiada por todos os "vermelhos" americanos e os assim-chamados "progressistas". Na página 38, ele prometia que um governo soviético conferiria maiores benefícios aos negros do que aos brancos e, novamente, esse panfleto comunista oficial prometia que, estou citando aqui, "qualquer ato de discriminação ou preconceito contra um negro se tornará um crime dentro da lei revolucionária". Essa afirmação provava que o excerto no livro de Israel Cohen, publicado em 1913, era um edito oficial do Partido Comunista e diretamente de acordo com o modelo dos Illuminati para a revolução mundial feita por Weishaupt e, mais tarde, por Albert Pike.

Agora, há somente uma questão e essa é provar que o regime comunista é diretamente controlado pelos cérebros da grande conspiração, o americano Jacob Schiff e os Rothschilds de Londres. Daqui a pouco, fornecerei a prova que removerá até a dúvida remota que o Partido Comunista, como o conhecemos, foi criado por esses cérebros (capitalistas, queira notar), que Schiff, os Warburgs, e os Rothschilds planejaram e financiaram toda a Revolução Russa, o assassinato do czar e de sua família, e que Lênin, Trotsky e Stalin receberam suas ordens diretamente de Schiff e os outros capitalistas contra os quais eles supostamente estavam lutando.

Agora você pode ver por que o vil Earl Warren e os igualmente vis juízes da Suprema Corte tomaram aquela infame e traidora decisão contra a segregação, em 1954? Foi para ajudar e apoiar o plano de conspiração dos Illuminati de criar tensão e conflito entre negros e brancos. Você pode ver por que o mesmo Earl Warren tomou sua decisão de proibir as orações cristãs e os cânticos de Natal cristãos nas escolas públicas? Foi para destruir o cristianismo. Você pode ver por que Eisenhower, a despeito de todas as proibições da Constituição, enviou tropas federais para os estados do Sul para impor a decisão contra a segregação? Por que Kennedy fez a mesma coisa? E pode você ver por que Johnson e 66 senadores, apesar dos protestos de 90% da população, votaram a favor do Tratado Consular, que abriu nosso país para os espiões e sabotadores russos? Todos esses 66 senadores são os Benedict Arnolds do século XX.

Depende de vocês e de todo o povo americano forçar o Congresso, nossos servidores eleitos, a levar esses traidores a julgamento e impedimentos e que, quando a culpa for provada, que recebam a punição prescrita para os traidores que ajudam e apóiam nossos inimigos. E isso inclui a imposição de rígidas investigações do Congresso ao CFR e a todas as suas fachadas, como a ADL, a NAACP, SNIC e instrumentos dos Illuminati, como Martin "Lúcifer" King. Essas investigações desmascararão completamente todos os líderes em Washington e os Illuminati e todas as suas afiliações e afiliados como traidores que estão executando o plano Illuminati. Ela desmascarará totalmente as Nações Unidas como o ponto crucial objetivado por todo o plano e forçará o Congresso a remover os EUA das Nações Unidas, e expulsar a ONU dos EUA. Na verdade, isso destruirá a ONU e todo o plano.

Antes de encerrar esta parte, gostaria de reiterar e enfatizar um ponto vital que peço que vocês nunca esqueçam se desejam salvar o país para seus filhos e para os filhos de seus filhos. Aqui está o ponto. Todo ato inconstitucional e ilícito cometido por Woodrow Wilson, por Franklin Roosevelt, por Truman, Eisenhower e Kennedy e que estão agora sendo cometidos por Johnson está exatamente de acordo com os planos de séculos atrás dos conspiradores dos Illuminati delineados por Weishaupt e Albert Pike. Cada decisão maligna tomada pelos traidores Earl Warren e seus igualmente traidores juízes da Suprema Corte estava diretamente de acordo com o que o plano dos Illuminati requeria. Que toda a traição perpetrada por nosso Departamento de Estado, sob a chefia de Rusk e, anteriormente, por John Foster Dulles e por Marshall, também toda a traição cometida por McNamara e seus predecessores está diretamente de acordo com o mesmo projeto dos Illuminati de tomarem o controle do mundo. Além disso, a surpreendente traição de vários membros do nosso Congresso, especialmente os 66 senadores que assinaram o Tratado Consular, foi cometida por ordens dos Illuminati.


Parte 4

[O áudio original pode ser ouvido em http://www.apfn.org/audio/fagan-four.mp3].

Agora, voltarei para o assunto de como Jacob Schiff enredou nosso sistema monetário e as ações traiçoeiras que se seguiram. Esta parte também revelará o controle de Schiff-Rothschild não somente sobre Karl Marx, mas também sobre Lênin, Trotsky e Stalin, que criaram a Revolução Russa e o Partido Comunista.

Foi em 1908 que Schiff decidiu que tinha chegado a hora para a captura do nosso sistema monetário. Seus principais auxiliares nessa captura foram o coronel Edward Mandell House, cuja carreira inteira foi a de um executivo-chefe e mensageiro para Schiff, como mostraremos; Bernard Barouk e Herbert Lehman. No outono daquele ano, eles se reuniram em um conclave secreto no Clube de Caça da Ilha Jekyll, que pertencia a J. P. Morgan, na Ilha Jekyll, no litoral do Estado da Geórgia. Entre os presentes estavam J. P. Morgan, John B. Rockefeller, o coronel House, o senador Nelson Aldrich, Schiff, Stillman e Vandlelip, do New York National City Bank, W. e J. Seligman, Eugene Myer, Bernard Barouk, Herbert Lehman e Paul Warburg. Em resumo, todos os banqueiros internacionais na América. Todos eles membros da hierarquia da grande conspiração dos Illuminati.

Uma semana mais tarde, eles apareceram com o que chamaram de Sistema da Federal Reserve. O senador Aldrich foi o pateta e marionete que iria fazer a legislação seguir a toque de caixa pelo Congresso, mas eles adiaram a tramitação por uma razão bem forte: eles teriam primeiro de plantar um de seus homens, um pateta e marionete obediente na Casa Branca, que sancionasse a legislação da Federal Reserve e a colocasse em vigor. Eles sabiam que mesmo o Senado aprovasse a legislação por unanimidade, o recém-eleito presidente Taft prontamente a vetaria. Portanto, eles decidiram esperar.

Em 1912, o homem deles, Woodrow Wilson, foi eleito presidente. Imediatamente após Wilson ser empossado, o senador Aldrich fez tramitar a toque de caixa a legislação da Federal Reserve pelas duas casas do Congresso, e o presidente Wilson imediatamente a sancionou. Esse horrendo ato de traição foi cometido em 23 de dezembro de 1913, dois dias antes do Natal, quando todos os membros do Congresso estavam fora de Washington, exceto alguns representantes cuidadosamente escolhidos e três senadores também escolhidos com cuidado. Quão horrendamente traidor foi aquele ato? Vou dizer a vocês. Nossos Pais Fundadores conheciam muito bem o poder do dinheiro. Eles sabiam que qualquer um que tivesse esse poder estaria com o destino da nação em suas mãos. Portanto, com todo o cuidado, eles guardaram esse poder quando colocaram na Constituição que somente o Congresso, os representantes eleitos do povo, teria esse poder. A linguagem constitucional neste ponto é breve, concisa e específica, definida no Artigo 1, Seção 8 e Parágrafo 5, que define as responsabilidades e poderes do Congresso, e cito aqui: "cunhar a moeda, regular o valor dela e das moedas estrangeiras, e o padrão de pesos e medidas." Mas naquele dia inesquecível de infâmia, 23 de dezembro de 1913, os homens que a população enviou para Washington para resguardar nossos interesses, os representantes (deputados), senadores e o presidente Woodrow Wilson, entregaram o destino da nossa nação nas mãos de dois estrangeiros que vieram da Europa Oriental: Jacob Schiff e Paul Warburg. Warburg era um imigrante recente que veio aqui por ordens de Rothschild e com o propósito expresso de redigir o projeto da maligna legislação da Federal Reserve.

Agora, a vasta maioria do povo americano pensa que o Sistema da Federal Reserve é uma agência do governo dos Estados Unidos. Isso é positivamente falso. Todas as ações dos bancos da Federal Reserve pertencem aos bancos participantes e os donos desses bancos são todos membros da hierarquia da grande conspiração dos Illuminati, conhecida hoje como CFR.

Os detalhes desse ato de traição, em que muitos americanos traidores participaram, são longos demais para este relatório; mas todos os detalhes estão disponíveis em um livro intitulado The Federal Reserve Conspiracy, escrito por Eustace Mullins. Nesse livro, Mullins conta toda a terrível história e a confirma com documentação inquestionável. Além do fato de ser uma história verdadeiramente chocante e fascinante dessa grande traição, todo americano deveria ler esse livro como uma matéria de vital inteligência para o tempo quando todo o povo americano finalmente acordará e esmagará toda a conspiração e, com a ajuda de Deus, esse despertamento certamente ocorrerá.

Agora, se vocês pensam que esses estrangeiros e seus co-conspiradores, que por acidente nasceram americanos, estariam contentes apenas com o controle do nosso sistema monetário, terão outro choque muito triste. O Sistema da Federal Reserve deu aos conspiradores o controle completo sobre nosso sistema monetário, mas de modo algum tocou na renda da população, pois a Constituição positivamente proíbe aquilo que hoje é conhecido como o imposto de retenção de 20% ou mais. Todavia, o modelo dos Illuminati para a escravização do mundo todo prevê o confisco de toda a propriedade privada e o controle de poder individual de obter renda. Isso, e Karl Marx enfatizou essa questão em seu projeto comunista, tinha de ser realizado por um imposto de renda gradual e progressivo. Como mencionei anteriormente, essa tributação não podia ser licitamente imposta sobre o povo norte-americano, pois é sucinta e expressamente proibida na Constituição. Assim, somente uma emenda constitucional poderia dar ao governo federal esse poder confiscatório.

Bem, esse não era um problema intransponível para nossos planejadores maquiavélicos. Os mesmos líderes eleitos em ambas as casas do Congresso e o mesmo presidente Woodrow Wilson, que sancionou a infame legislação que criou a Federal Reserve, emendaram a Constituição para tornar o imposto de renda federal, conhecido como a Décima Sexta Emenda, a lei no país. Ambas são ilegais sob nossa Constituição. Em resumo, os mesmos traidores assinaram as duas traições: a Lei da Federal Reserve e a Décima Sexta Emenda. Entretanto, parece que ninguém nunca percebeu que a Décima Sexta Emenda foi criada para roubar, repito, para roubar, a renda das pessoas por meio do imposto de renda.

Os planejadores não usaram plenamente a possibilidade até a Segunda Guerra Mundial, quando o "grande humanitário" Franklin Roosevelt aplicou um tributo de retenção de 20% em todos os baixos salários e de até 90% nos rendimentos mais altos. Ah, é claro, ele prometeu que aquilo seria somente durante a guerra, mas o que é a promessa de um charlatão que, em 1940, ao concorrer pelo seu terceiro mandato, ficava sempre repetindo: "Digo outra vez, novamente, e mais uma vez: nunca enviarei os rapazes americanos para lutarem em solo estrangeiro." Lembre-se que ele estava proclamando essa frase ao mesmo tempo em que já estava planejando mergulhar o país na Segunda Guerra Mundial, atiçando os japoneses a fazerem aquele ataque furtivo a Pearl Harbor, para lhe dar um pretexto.

Antes que eu me esqueça, permitam-me lembrá-los que aquele outro charlatão chamado Woodrow Wilson usou exatamente a mesma promessa de campanha em 1916. A promessa dele era: "Reeleja o homem que manterá seus filhos fora da guerra." Exatamente a mesma fórmula, exatamente a mesma promessa. Mas lembrem-se do que Al Johnson costumava dizer: "Vocês ainda não viram nada". Aquela Décima Sexta Emenda do imposto de renda tinha o objetivo de confiscar e roubar os rendimentos do povo comum, de vocês e de mim. Ela não tinha o objetivo de tocar na renda absurdamente alta da turma dos Illuminati, os Rockefellers, os Carnegie, os Lehman e todos os outros conspiradores.

Assim, juntos, com a Décima Sexta Emenda, eles criaram o que chamaram de "fundações isentas de impostos", o que permitiu aos conspiradores transformar suas imensas riquezas nas assim-chamadas "fundações" e evitar o pagamento de virtualmente qualquer imposto de renda. A desculpa era que a receita das "fundações isentas de impostos" seria dedicada à filantropia humanitária. Destarte, temos agora várias fundações: Rockefeller, o Fundo Carnegie, o Fundo Dowman, a Fundação Ford, a Fundação Mellon, e centenas de fundações isentas de impostos similares.

Que tipo de filantropia essas fundações promovem? Bem, elas financiam todos os grupos dos direitos civis que estão criando o caos e agitações em todo o país. Elas financiam tipos como Martin "Lúcifer" King. A Fundação Ford financia o Centro Para o Estudo das Instituições Democráticas, em Santa Barbara, comumente referido como Moscou do Ocidente, e que é presidido pelo Menino Maravilha Hutchen, Walter Ruther, Erwin Cahnam e outros do mesmo tipo.

Em resumo, as "fundações isentas de impostos" financiam aqueles que estão fazendo o trabalho para a grande conspiração dos Illuminati. E, para quem são as centenas de bilhões de dólares que eles confiscam todos os anos dos rendimentos do povo comum, de vocês e de mim? Bem, existe aquela desculpa de "ajuda aos países estrangeiros", que dá bilhões para o comunista Tito, mais centenas de aviões de presente, muitos dos quais foram entregues a Fidel Castro, mais o custo do treinamento de pilotos de países comunistas para que possam melhor abater nossos aviões. Bilhões para a comunista Polônia. Bilhões para a Índia. Bilhões para Sukarno [ditador da Indonésia]. Bilhões para outros inimigos dos Estados Unidos. Isto é o que a traiçoeira aprovação rápida e sem análise profunda da Décima Sexta Emenda fez para nosso país e para o povo americano, para você e para mim, para seus filhos e para os filhos de seus filhos.

Nosso governo federal controlado pelos Illuminati pode conceder "status de isenção de impostos" a todas as fundações e organizações pró-comunistas e pró-governo mundial único, como o "Fundo Para a República". Mas se você ou se uma organização patriótica falar alto demais em defesa dos valores americanos, o governo pode aterrorizá-lo e intimidá-lo, encontrando uma vírgula errada na sua declaração de imposto de renda e ameaçando-o com penalidades, multas e até prisão. Os historiadores no futuro se perguntarão como o povo americano pôde ter sido tão ingênuo e tão estúpido para ter permitido esses atos audaciosos e descarados de traição, como a Lei da Federal Reserve e a Décima Sexta Emenda Constitucional. Bem, o povo não foi ingênuo e também não é estúpido. A resposta é que a população acreditou nos homens que foram eleitos para proteger nosso país e nosso povo e não teve a menor suspeita a respeito das duas traições até que elas já tivessem sido perpetradas.

Foi a mídia de comunicação de massa, controlada pelos Illuminati, que manteve e ainda mantém nosso povo ingênuo e estúpido e sem conhecimento da traição que está sendo cometida. Agora, a grande questão é: Quando o povo acordará e fará com os traidores de hoje aquilo que George Washington e nossos Pais Fundadores teriam feito a Benedict Arnold? Na verdade, a traição de Benedict Arnold foi pequena em comparação com os traidores atuais em Washington. Agora, vamos voltar aos eventos que seguiram o estupro da nossa Constituição pela aprovação da Lei da Federal Reserve e a Décima Sexta Emenda. Estava o presidente Wilson totalmente sob o controle deles?

Os cérebros da grande conspiração colocaram em ação seus próximos passos, que eles esperavam seriam os finais para alcançar o governo global. O primeiro desses passos foi a Primeira Guerra Mundial. Por que a guerra? Simples, a desculpa para um governo mundial único era que ele supostamente garantiria a paz. A única coisa que pode fazer a população clamar pela paz é a guerra. A guerra traz o caos, destruição e a exaustão, tanto para o país vencedor quanto para o perdedor. Ela traz ruína econômica a ambos. Mais importante, ela destrói a vida dos rapazes que estão na flor da idade. Para os pais entristecidos e de coração partido, que ficam sem nada, exceto com as lembranças de seus filhos queridos, a paz torna-se desejável custe o que custar, e é esse sentimento que os conspiradores exploram para garantir o sucesso de seu plano satânico.

Em todo o século XIX, de 1814 até 1914, o mundo como um todo esteve em paz. Guerras como a Franco-Prussiana, a Guerra Civil Americana, a Guerra Russo-Japonesa, podiam todas ser chamadas de "distúrbios locais", que não afetaram o resto do mundo. Todos os grandes países eram prósperos e seus povos ferrenhamente nacionalistas e orgulhosos de sua soberania. Era profundamente impensável que os povos francês e alemão estariam dispostos a viver sob um "governo mundial único". O mesmo pode ser dito dos turcos, dos russos, dos chineses, ou dos japoneses. Ainda mais impensável era que o Kaiser Guilherme, ou Francisco José, da Áustria, ou o Czar Nicolau, ou qualquer outro monarca estaria disposto a humildemente entregar seu trono para um governo mundial único. Mas tenha em mente que o povo em todos os países é o poder real e a guerra era única coisa que poderia fazer os povos anelarem e clamarem pela paz, garantindo um governo mundial único. Mas essa teria de ser uma guerra pavorosa e terrivelmente devastadora. Não poderia ser um distúrbio localizado entre apenas dois países; teria de ser uma guerra mundial. Nem um grande país seria deixado intocado pelos horrores e pela devastação dessa guerra. O clamor pela paz teria de ser geral, de todo o mundo.

Na verdade, esse foi o formato criado pelos Illuminati e por Nathan Rothschild na virada para o século XX. Eles primeiro manobraram toda a Europa para as Guerras Napoleônicas, depois realizou-se o Congresso de Viena, que eles, e particularmente Rothschild, planejaram transformar em uma Liga das Nações, que seria o lar para o governo global deles, exatamente como a atual Nações Unidas foi criada para ser o lar para o governo global. De qualquer modo, esse foi o formato que a Casa de Rothschild e Jacob Schiff decidiram empregar para alcançar seu objetivo em 1914. Logicamente, eles sabiam que o mesmo formato tinha fracassado em 1814; mas chegaram à conclusão que isso tinha acontecido somente porque o czar da Rússia tinha torpedeado o esquema. Bem, os conspiradores atuais de 1914 iriam eliminar essa mosca no ungüento. Eles garantiriam que após a Guerra Mundial que estavam conspirando para provocar, não haveria mais um czar na Rússia para atrapalhar os planos.

Vou agora mostrar como eles conseguiram dar o primeiro passo para iniciar uma guerra mundial. A história registra que a Primeira Guerra Mundial foi precipitada por um incidente trivial, o tipo de incidente que tanto Weishaupt quanto Albert Pike tinham incorporado em seus planos. Esse incidente foi o assassinato de um arquiduque austríaco, organizado pelos cérebros dos Illuminati. A guerra ocorreu em seguida. Ela envolveu a Alemanha, Áustria, Hungria e seus aliados, chamados de "Potências do Eixo", contra a França, Grã-Bretanha, e Rússia, chamados de "Aliados". Somente os Estados Unidos não ficaram envolvidos nos dois primeiros anos.

Por volta de 1917, os conspiradores tinham alcançado seu objetivo principal, toda a Europa estava em um estado de destituição. Todos os povos estavam cansados e clamavam pela paz e o resultado também estava totalmente definido. A guerra terminaria assim que os Estados Unidos entrassem na guerra ao lado dos aliados e isso foi definido para acontecer após a reeleição do presidente Wilson. Após isso, poderia haver somente um resultado, a vitória completa dos aliados. Para confirmar totalmente minha afirmação que muito antes de 1917, a conspiração chefiada nos EUA por Jacob Schiff, tinha tudo arranjado para colocar os EUA naquela guerra, citarei a prova:

Quando Wilson estava em campanha para sua reeleição, em 1916, seu principal apelo era: "Reeleja o homem que manterá seus filhos fora da guerra." Mas durante a mesma campanha, o Partido Republicano acusou publicamente Wilson de há muito tempo ter se comprometido a colocar o país na guerra. Eles diziam que se ele fosse derrotado, realizaria esse ato nos meses finais de seu mandato; mas se reeleito, aguardaria até após o início do segundo mandato. Mas naquele tempo, o povo americano olhava para Wilson como um "homem de Deus". Bem, Wilson foi reeleito e, de acordo com o planejamento dos conspiradores, colocou os EUA na guerra em 1917. Ele usou o afundamento do navio Lusitânia como uma desculpa; um afundamento que também foi pré-planejado. Roosevelt, também um "homem de Deus" aos olhos do povo americano, seguiu a mesma técnica em 1941, quando usou o pré-planejado ataque a Pearl Harbor como desculpa para fazer o país entrar na Segunda Guerra Mundial.

Agora, exatamente como os conspiradores planejaram, a vitória para os aliados eliminaria todos os monarcas das nações derrotadas e deixaria seus povos sem líderes, confusos, desorientados e perfeitamente condicionados para o governo mundial único. A grande conspiração planejada se seguiria, mas ainda havia um obstáculo, o mesmo obstáculo que tinha atrapalhado os Illuminati e os Rothschilds naquele "encontro de paz" chamado Congresso de Viena, após as Guerras Napoleônicas. A Rússia estaria no lado dos vencedores desta vez, como esteve em 1814 e, portanto, o czar estaria seguramente sentado em seu trono. Aqui, é pertinente observar que a Rússia, sob o regime czarista, era o único país no qual os Illuminati nunca tinham conseguido fazer progressos, nem tinham os Rothschilds conseguido infiltrar seus interesses bancários, de modo que seria mais difícil do que nunca lidar com um czar vencedor. Mesmo se ele pudesse ser atraído para a assim-chamada Liga das Nações, era tido como certo que ele nunca aceitaria um governo mundial único.

Assim, antes mesmo da deflagração da Primeira Guerra Mundial, os conspiradores estavam planejando cumprir o juramento de Nathan Rothschild, feito em 1814, de destruir o czar e também matar todos os possíveis herdeiros ao trono, e isso teria de ser feito antes do fim da guerra. Os bolchevistas russos seriam os instrumentos deles nesse plano específico. A partir da virada para o século XX, os líderes bolchevistas eram Nikolai Lênin, Leon Trotsky e, mais tarde, Joseph Stalin. Logicamente, esses não eram seus nomes verdadeiros. Antes da deflagração da Guerra, o quartel-general de Lênin estava em Paris, após o início da guerra ele se refugiou na Suíça. O quartel-general de Trotsky estava na parte baixa de East Side, em Nova York, que era habitado em grande parte por judeus russos refugiados. Tanto Lênin quanto Trotsky tinham barbas suíças e eram descuidados com a aparência. Naquele tempo, essa era uma marca registrada dos bolchevistas. Ambos viviam bem, porém nenhum deles tinha uma ocupação regular. Nenhum deles tinha meios visíveis de sustento, mas ambos sempre tinham muito dinheiro. Todos esses mistérios foram solucionados em 1917. Desde o início da guerra, estranhos e misteriosos acontecimentos estavam ocorrendo em Nova York. Noite após noite, Trotsky entrava e saía furtivamente da mansão de Jacob Schiff e, nas madrugadas daquelas mesmas noites, havia um ajuntamento de homens vagabundos e valentões na parte baixa do East Side, em Nova York. Todos eles eram refugiados russos no quartel-general de Trotsky e todos estavam passando por algum tipo misterioso de processo de treinamento que estava totalmente envolto em mistério. Ninguém falava do assunto, embora tenha vazado que Schiff estava financiando todas as atividades de Trotsky.

Então, subitamente, Trotsky desapareceu, bem como aproximadamente 300 de seus valentões treinados. Na verdade, eles estavam em alto mar, em um navio fretado por Schiff, indo em direção a um encontro com Lênin e sua gangue na Suíça. Também naquele navio estavam 20 milhões de dólares em ouro (valores da época); os 20 milhões de dólares foram fornecidos para financiar os bolchevistas a tomarem o poder na Rússia. Antes da chegada de Trotsky, Lênin preparou uma festa em seu refúgio na Suíça. Homens de posição muito importante de todo o mundo foram convidados para aquela festa. Entre eles estavam o misterioso coronel Edward Mandell House, o mentor e amigo íntimo do presidente Wilson, e mais importante, mensageiro especial e confidencial de Schiff. Outro dos convidados esperados era Warburg, da Casa Bancária Warburg, da Alemanha, que estava financiando o Kaiser e a quem o Kaiser tinha recompensado tornando-o chefe da Polícia Secreta Alemã. Além desses, havia os Rothschilds de Londres e de Paris, também Lithenoth, Kakonavich e Stalin (que era então o líder de uma gangue que assaltava trens e bancos). Stalin era conhecido como o "Jesse James dos Urais".

Aqui, preciso lembrá-los que a Inglaterra e a França estavam então em uma guerra contra a Alemanha e que em 3 de fevereiro de 1917, o presidente Wilson tinha rompido as relações diplomáticas com a Alemanha. Portanto, Warburg, o coronel House, os Rothschilds e todos os outros eram inimigos, mas logicamente, a Suíça era um terreno neutro onde inimigos podiam se encontrar e ser bons amigos, especialmente se tivessem algum esquema em comum. Essa festa de Lênin quase foi estragada por um incidente imprevisto. O navio fretado por Schiff foi interceptado e mantido em custódia por um navio de guerra britânico. Schiff, porém, rapidamente enviou instruções ao presidente Wilson para que ordenasse que os britânicos liberassem o navio intacto com os homens valentões de Trotsky e todo o ouro. Wilson obedeceu. Ele advertiu o governo britânico que se eles se recusassem a liberar o navio, os Estados Unidos não entrariam na guerra em abril, como ele tinha prometido fielmente um ano antes. Os britânicos deram ouvidos à advertência. Trotsky chegou à Suíça e a festa de Lênin aconteceu como tinha sido planejada. Mas eles ainda enfrentavam aquilo que ordinariamente teria sido o obstáculo intransponível de fazer o bando de terroristas de Lênin e Trotsky cruzar a fronteira e entrar na Rússia. Bem, é aqui que entrou o Irmão Warburg, chefe da Polícia Secreta Alemã. Ele colocou todos aqueles homens em vagões de carga selados e tomou todas as providências necessárias para que eles pudessem entrar secretamente na Rússia. O resto é história. A Revolução Russa ocorreu e todos os membros da família real dos Romanoff foram assassinados.

Agora, meu principal objetivo é estabelecer sem deixar dúvidas que o comunismo é uma parte integrante da grande conspiração dos Illuminati para a escravização de todo o mundo. Que o assim-chamado comunismo é meramente a arma e o bicho-papão criado por eles para aterrorizar os povos em todo o mundo e que a conquista da Rússia e a criação do comunismo foi, em grande parte, organizada por Schiff e por outros banqueiros internacionais na cidade de Nova York. Uma história fantástica? Sim. Alguns podem até se recusar a acreditar nela. Bem, para o benefício de qualquer Tomé duvidoso, provarei essa história lembrando que apenas alguns anos atrás, Charlie Knickerbocker, um colunista de um dos jornais de Hearst, publicou uma entrevista com John Schiff, neto de Jacob Schiff, em que o jovem Schiff confirmou toda a história e citou o valor que o velho Jacob ofereceu como contribuição: 20 milhões de dólares.


Parte 5

[O áudio original pode ser ouvido em http://www.apfn.org/audio/fagan-five.mp3].

Se alguém ainda tem qualquer dúvida remota que toda a ameaça do comunismo foi criada pelos cérebros da grande conspiração bem aqui na nossa própria cidade de Nova York, citarei o seguinte fato histórico. Todos os registros mostram que quando Lênin e Trotsky planejaram a captura da Rússia, eles operaram como líderes do Partido Bolchevique. Agora, bolchevismo é uma palavra puramente russa. Os cérebros perceberam que o bolchevismo nunca poderia ser vendido como uma ideologia para ninguém mais, exceto para o povo russo. Assim, em abril de 1918, Jacob Schiff despachou o coronel House para Moscou com ordens para Lênin, Trotsky e Stalin mudarem o nome de seu regime para Partido Comunista e adotarem o Manifesto Comunista, de Karl Marx, como a constituição do Partido Comunista. Lênin, Trotsky e Stalin obedeceram e foi naquele ano de 1918 que o Partido Comunista e a ameaça do comunismo vieram a existir. Tudo isso é confirmado no Webster's Collegiate Dictionary, Quinta Edição.

Em resumo, o comunismo foi criado pelos capitalistas. Assim, até 11 de novembro de 1918, todo o diabólico plano dos conspiradores funcionou perfeitamente. Todas as grandes nações, incluindo os Estados Unidos, estavam cansadas da guerra, devastadas, e chorando por seus mortos. A paz era o grande desejo universal. Assim, quando foi proposta por Wilson a criação de uma Liga das Nações para garantir a paz, todas as grandes nações, sem um czar russo para ficar no caminho, pularam para dentro do vagão, sem nem ao menos se dar ao trabalho de ler o texto em letras miúdas naquela apólice de seguros. Isto é, todas as nações menos uma: os Estados Unidos, a mesma nação que Schiff e seus conspiradores menos esperavam que fosse estorvar e esse foi o erro fatal deles naquele plano inicial. Veja: quando Schiff plantou Woodrow Wilson na Casa Branca, os conspiradores assumiram que tinham os Estados Unidos no bolso. A imagem pública de Wilson como um grande humanitário tinha sido criada. Ele tornou-se estabelecido como um homem de Deus aos olhos do povo americano. Havia todo o tipo de razão para os conspiradores acreditarem que ele facilmente convenceria o Congresso a comprar a idéia da Liga das Nações, de olhos fechados, exatamente como o Congresso em 1945 comprou as Nações Unidas de olhos fechados. Mas havia um homem no Senado em 1918 que percebeu o esquema, exatamente como o czar russo tinha feito em 1814. Era um homem de grande estatura política, quase tão grande quanto a de Teddy Roosevelt e tão astuto quanto ele... Ele era altamente respeitado e tinha a confiança de todos os membros de ambas as casas do Congresso e do povo americano. O nome desse grande patriota era Henry Cabot Lodge; não a falsificação de hoje, que se chama Henry Cabot Lodge Junior, até que ele foi exposto. Lodge desmascarou totalmente o presidente Wilson e manteve os Estados Unidos fora da Liga das Nações.

[Nota Explicativa Adicionada: logo após isso, os Illuminati criaram a Décima Sétima Emenda para eliminar os senadores indicados pelas legislaturas dos vários estados da União. Ao mesmo tempo em que os Illuminati controlam a imprensa, agora controlam a eleição dos senadores. Os Illuminati/CFR tinham pouco ou nenhum poder sobre as legislaturas individuais dos vários estados ou de seus senadores indicados antes da retificação da Décima Sétima Emenda. Embora a Décima Sétima Emenda supostamente emende o método de colocar senadores no Senado americano, ela nunca foi ratificada de acordo com a última sentença do Artigo V da Constituição dos Estados Unidos. Dois estados, New Jersey e Utah, voltaram contra a proposição e nove outros estados nunca a colocaram em votação. Enquanto que os estados de New Jersey e Utah expressamente se recusaram a abrir mão de seu sufrágio no Senado, enquanto os outros nove estados que não votaram nunca deram seu consentimento expresso, a proposição para a Décima Sétima Emenda não obteve a votação unânime requerida para sua aprovação. Além disso, a resolução que criou a proposição não foi aprovada no Senado com votação unânime, e como aqueles senadores daquele tempo eram "indicados" pelas legislaturas de seus estados, esses votos "contrários" ou falta de votação foram feitos em nome de seus respectivos estados.].

Aqui, torna-se de grande interesse conhecer a real razão para o fracasso da Liga das Nações de Wilson. Como mencionei anteriormente, Schiff foi enviado aos Estados Unidos para realizar quatro tarefas específicas:

  1. A mais importante: obter o controle do sistema financeiro da América.

  2. Como delineado no plano original dos Illuminati de Weishaupt, encontrar homens desejáveis, que por um preço, estariam dispostos a servir como patetas e marionetes para a grande conspiração e promovê-los para os altos cargos no governo federal, no Congresso, na Suprema Corte e em todas as agências federais, como o Departamento de Estado, o Pentágono, o Departamento do Tesouro, etc.

  3. Destruir a unidade do povo americano, criando conflitos entre os grupos minoritários em todo o país, particularmente entre brancos e negros, como delineado no livro de Israel Cohen.

  4. Criar um movimento para destruir a religião nos Estados Unidos, sendo o cristianismo o alvo, ou a vítima principal.

Além disso, ele foi fortemente lembrado da diretiva imperativa do plano dos Illuminati para obter o controle total de mídia de comunicação de massa para ser usada para fazer a lavagem cerebral na população para que ela creia e aceite todas as manobras da grande conspiração. Schiff foi advertido que somente o controle da imprensa, que naquele tempo era nossa única mídia de comunicação de massa, permitiria que ele destruísse a unidade do povo americano.

Agora, então, Schiff e seus co-conspiradores criaram a NAACP (Associação Nacional para o Progresso das Pessoas de Cor) em 1909, e em 1913, ele criou a Liga Antidifamação da B'nai B'rith; ambas deveriam criar o conflito necessário, mas nos anos iniciais, a ADL operava de forma muito tímida. Talvez por medo de uma ação similar a um pogrom por um povo americano despertado e enraivecido e o NAACP estava praticamente inativo porque sua liderança de brancos não tinha percebido que teria de criar líderes aguerridos, como Martin "Lúcifer" King para então agitar a até então completamente satisfeita massa de negros.

Além disso, ele, Schiff, estava ocupado desenvolvendo e infiltrando seus patetas e marionetes para servirem em todos os altos cargos no governo em Washington e no trabalho de obter o controle do nosso sistema financeiro e a criação da Décima Sexta Emenda [que instituiu o Imposto de Renda Progressivo]. Ele também estava muito atarefado organizando o plano para a conquista da Rússia. Em resumo, ele foi mantido tão ocupado com todas essas tarefas que negligenciou completamente a tarefa suprema de obter o controle total da mídia de comunicação de massa. Essa negligência foi a causa direta para o fracasso de Wilson de atrair os Estados Unidos para a Liga das Nações porque quando Wilson decidiu ir até o povo para superar a oposição do Senado controlado por Lodge, apesar de sua reputação estabelecida, porém falsa, de ser um grande humanitário, ele achou-se diante de um povo solidamente unido e de uma imprensa leal cuja única ideologia era "americanismo" e a defesa do modo de vida americano. Naquele tempo, devido à inépcia e ineficácia da Liga Antidifamação e da NAACP, não havia grupos minoritários organizados; não havia problemas com os negros, nem os assim-chamados problemas anti-semitas para exercer influência do pensamento da população. Não havia esquerdistas, direitistas, nem quaisquer preconceitos para engenhosas explorações. Assim, o apelo de Wilson por uma Liga das Nações caiu em ouvidos surdos. Esse foi o fim de Woodrow Wilson; o grande humanitário dos conspiradores. Ele abandonou rapidamente sua cruzada e retornou a Washington, onde pouco tempo depois morreu como um imbecil, com a mente totalmente afetada pela sífilis. Esse foi o fim da Liga das Nações como o corredor para o governo mundial único.

Logicamente, esse fracasso foi uma terrível decepção para os cérebros da conspiração dos Illuminati, mas eles não ficaram desanimados. Como enfatizei anteriormente, esses nossos inimigos nunca desistem; eles simplesmente decidiram se reorganizar e tentar novamente a partir da estaca zero. Mas agora, Schiff já estava muito velho e lento. Ele sabia disso. Ele sabia que a conspiração precisava de uma liderança mais jovem e mais ativa. Assim, seguindo suas ordens, o coronel House e Bernard Barouk organizaram e criaram aquilo que chamaram de Conselho das Relações Exteriores (CFR, de Council on Foreign Relations), o novo nome com o qual os Illuminati continuariam a operar nos Estados Unidos. A hierarquia, oficiais e diretores do CFR, é composta principalmente dos descendentes dos Illuminati originais; muitos dos quais abandonaram seus antigos nomes de família e adotaram novos nomes americanizados. Como um exemplo, temos Dillon, que foi Secretário do Tesouro dos Estados Unidos, cujo nome original era Laposky. Outro exemplo é Pauley, presidente do canal de televisão CBS, cujo verdadeiro nome é Palinsky. O número de membros do CFR é de aproximadamente 1.000 indivíduos e inclui os presidentes de virtualmente todos os impérios industriais na América, como Blough, presidente da US Steel Corporation; Rockefeller, o rei da indústria do petróleo; Henry Ford II, e assim por diante. E, é claro, todos os banqueiros internacionais. Além disso, os presidentes das fundações isentas de impostos ocupam cargos de liderança ou são membros ativos do CFR. Em resumo, todos os homens que forneceram o dinheiro e a influência para eleger os presidentes dos Estados Unidos, escolhidos pelo CFR, os congressistas, senadores, e aqueles que decidem as indicações dos vários Secretários de Estado, Secretários do Tesouro, de todas as agências federais importantes são membros do CFR, e são membros realmente muito obedientes.

Agora, apenas para solidificar esse fato, mencionarei os nomes de alguns dos presidentes dos Estados Unidos que foram membros do CFR: Franklin Roosevelt, Herbert Hoover, Dwight D. Eisenhower, John Kennedy. Outros que foram considerados para a presidência são Thomas E. Dewey, Adlai Stevenson, Nixon, e o vice-presidente de uma subsidiária do CFR, Barry Goldwater. Entre os membros importantes do gabinete de várias administrações temos John Foster Dulles, Allen Dulles, Cordell Hull, John J. MacLeod, Morganthau, Clarence Dillon, Rusk, McNamara, e apenas para enfatizar a cor vermelha do CFR, temos como membros homens com Alger Hiss, Ralph Bunche, Posvolsky, Harry Dexter White (nome real Weiss), Owen Lattimore, Phillip Jaffey, etc. Simultaneamente, eles estavam colocando milhares de homossexuais e outros personagens negros e maleáveis em todas as agências federais, da Casa Branca para baixo. Vocês se lembram dos grandes amigos de Johnson, Jenkins e Bobby Baker?

Agora, existiam muitas tarefas que o novo CFR tinha de realizar. Elas requeriam muita ajuda. Assim a primeira tarefa deles foi criar várias subsidiárias a quem atribuíram objetivos especiais. Não posso citar todas as subsidiárias neste relatório, mas as seguintes são algumas: A Foreign Policy Association (FPA), o World Affairs Council (WAC), o Business Advisory Council (BAC), a notória ADA (Americans for Democratic Action), virtualmente presidida por Walter Ruther, o notório 13-13 em Chicago. Barry Goldwater era, e sem dúvida ainda é, o vice-presidente de uma das subsidiárias do CFR. Além disso, o CFR criou comitês especiais em todos os estados da União a quem eles atribuíram as várias operações estaduais.

Simultaneamente, os Rothschilds criaram grupos de controle similares ao CFR na Inglaterra, na França, na Alemanha e em outros países para controlar as condições mundiais e cooperar com o CFR para produzir outra guerra mundial. Mas a primeira e mais importante tarefa do CFR era obter o controle completo da nossa mídia de comunicação de massa. O controle da imprensa foi atribuído a Rockefeller. Assim, Henry Luce, que morreu recentemente, foi financiado para criar diversas revistas nacionais, entre elas, Life, Time, Fortune, e outras, que publicam a "União Soviética" na América. Os Rockefellers também financiaram direta ou indiretamente os irmãos Cole, a revista Look, e uma cadeia de jornais. Eles também financiaram um homem chamado Samuel Newhouse para comprar e construir uma cadeia de jornais em todo o país. E o falecido Eugene Myer, um dos fundadores do CFR, comprou o Washington Post, a revista Newsweek, a Weekly Magazine, e outras publicações. Ao mesmo tempo, o CFR começou a desenvolver e a nutrir uma nova safra de colunistas e editorialistas debochados, como Walter Lippman, Drew Pearson, os Aslops, Herbert Matthews, Erwin Canham, e outros do mesmo tipo, que se chamavam a si mesmos de "progressistas", que proclamavam que "americanismo" é "isolacionismo", que o isolacionismo é o caminho para as guerras, que o anticomunismo é anti-semitismo e racismo. Tudo isso levou tempo, é claro, mas hoje, toda nossa imprensa, exceto alguns poucos jornais locais de cidades pequenas e semanários publicados por organizações patrióticas, são completamente controlados por patetas e marionetes do CFR, e assim eles finalmente conseguiram nos dividir em uma nação formada por facções que se digladiam, lutam e se odeiam. Agora, se você ainda se pergunta sobre essas notícias tendenciosas e mentiras descaradas que lê no seu jornal, agora tem a resposta. Aos Lehmans, Goldman-Sachs, Kuhn-Loebs, e Warburgs, o CFR atribuiu a tarefa de obter o controle da indústria do cinema, Hollywood, o rádio e a televisão, e acredite, eles conseguiram. Se você ainda se pergunta sobre a estranha propaganda transmitida por Ed Murrow e outros do mesmo tipo, você agora tem a resposta. Se você se pergunta sobre toda a obscenidade, sexo, pornografia e filmes com casamento misto que você assiste no cinema e na televisão (todos os quais estão corrompendo moralmente nossa juventude), agora tem a resposta. A história completa da captura da mídia de comunicação de massa é longa demais para incluir nesta gravação.

Agora, para refrescar sua memória, vamos voltar por um momento. O fracasso de Wilson tinha acabado com todas as chances de transformar aquela Liga das Nações na esperança dos conspiradores de ter uma casa para o governo mundial único, de modo que o plano de Jacob Schiff teve de ser totalmente refeito e eles então organizaram o CFR. Também sabemos o sucesso que o CFR teve na tarefa de fazer a lavagem cerebral e de destruir a unidade do povo americano. Mas como foi o caso com o plano de Schiff, o clímax e a criação da nova casa para o governo mundial único deles requeria outra guerra mundial. Uma guerra que seria ainda mais horrível e mais devastadora que a Primeira Guerra Mundial de modo a fazer os povos do mundo novamente clamarem pela paz, e por um meio de terminar com todas as guerras. Mas o CFR percebeu que o pós-guerra teria de ser mais cuidadosamente planejado para que não houvesse escapatória da nova cilada do governo global — outra Liga das Nações que emergiria da nova guerra: a armadilha nós agora conhecemos como Nações Unidas. E eles usaram uma estratégia perfeita para garantir que ninguém escaparia. Aqui está como eles fizeram.

Em 1943, no meio da guerra, eles prepararam a estrutura para as Nações Unidas e ela foi entregue a Roosevelt e ao nosso Departamento de Estado para vir à luz pelas mãos de Alger Hiss, Posvolsky, Dalton, Trumbull e outros traidores americanos, tornando assim todo o esquema um bebê dos Estados Unidos. Então, para fixar nossa paternidade, a cidade de Nova York se tornaria o berçário da monstruosidade. Depois disso, dificilmente poderíamos sair de uma organização que nós mesmos criamos. Foi assim que os conspiradores planejaram que funcionaria e assim tem sido até aqui. O "progressista" Rockefeller doou o terreno para a construção do edifício das Nações Unidas.

A Carta das Nações Unidas foi escrita por Alger Hiss, Posvolsky, Dalton, Trumbull, e outros patetas e marionetes do CFR. Uma fajuta Conferência da ONU foi organizada em San Francisco, em 1945. Representantes de cinqüenta países se reuniram ali e prontamente assinaram a Carta e, o desprezível traidor, Alger Hiss, tomou um avião para Washington e orgulhosamente apresentou aquela Carta ao Senado, e o Senado, eleito pelo nosso povo para resguardar nossa segurança, assinou a Carta sem nem ao menos lê-la direito. A pergunta é: "Quantos dos nossos senadores eram já naquele tempo traidores, patetas e marionetes do CFR?" Foi assim que o povo aceitou a Organização das Nações Unidas com um santo dos santos. E o já citado traidor juiz da Suprema Corte, Earl Warren, virtualmente destrói nossa Constituição ao basear suas decisões na Carta das Nações Unidas, tornando-a assim virtualmente a lei do país.

However, for all the dirty work that had to be done to solidify the UN, the new housing of the one-world plot, they still required the aid of our leaders in Washington. So now I will emphasize the fiendish cleverness of the CFR masterminds. To the vast majority of the American people, our foreign policy for many years has been a complete enigma. Most of us simply can't understand why this great nation is seemingly floundering so helplessly in the art of diplomacy. We can't understand why our leaders are seemingly so confused and bewildered in all their dealings with Moscow, France, and other nations and with the UN. We always hear them proclaiming that in view of our overwhelming economic and military superiority we must always lead from strength. Yet, at all the summit meetings and conferences they cringe and stammer, and stutter, and so to speak come out with their tails between their hind legs. We can't understand the foreign aid to Tito an avowed enemy, to Poland an avowed enemy, to all the avowed Communists nations. We can't understand why the expenditure of hundreds of billions of dollars has failed to slow down, let alone stop, the march of commUNism. We are perplexed by the seeming ineptness of the state department, the defense department, the CIA, the USIA, of all our federal agencies. ** traduzir ##

Para a vasta maioria do povo americano, por muitos anos, a política externa tem sido um completo enigma. Não podemos entender o poder de veto de nossos inimigos. Não podemos compreender como o gasto de centenas bilhões de dólares não foi suficiente para deter a marcha do comunismo. A aparente inépcia do Departamento de Estado, do Departamento de Defesa, da CIA, da USIA e de todas as agências federais nos deixa perplexos.

Continuamente, temos ficado admirados, chocados, enraivecidos e confusos com os erros que o Departamento de Estados, a CIA e a USIA cometeram em Berlim, na Coréia, no Laos, em Katanga, em Cuba, no Vietnã, erros que sempre favoreceram o inimigo, nunca os Estados Unidos. De acordo com a lei das probabilidades, eles deveriam ter cometido pelo menos um ou dois erros que nos beneficiassem, mas isso nunca aconteceu. Qual é a resposta? A resposta é o CFR e o papel exercido por suas subsidiárias, seus patetas e marionetes em Washington. O controle completo da nossa política externa é a chave para o sucesso de todo o plano da ordem mundial dos Illuminati. Aqui está prova adicional.

Anteriormente, provei que Schiff e sua turma tinham financiado a conquista da Rússia por Lênin, Trotsky e Stalin e modelado o regime comunista para se tornar seu instrumento principal para manter o mundo em agitação e finalmente aterrorizar a todos para buscarmos a paz em um governo mundial único da ONU. Mas os conspiradores sabiam que a "turma de Moscou" não poderia se tornar esse instrumento até e a não ser que todo o mundo aceitasse o regime comunista como um legítimo governo de direito da Rússia. Somente uma coisa poderia fazer isso: o reconhecimento por parte dos Estados Unidos. Os conspiradores imaginaram que todo o mundo seguiria nossa liderança, de modo que tentaram induzir os presidentes Harding, Coolidge e Hoover a fazer esse reconhecimento. Mas todos os três recusaram. Como resultado, no fim dos anos 1920, o regime de Stalin estava em grande aperto. Apesar de todos os expurgos e controles da polícia secreta, o povo russo estava se tornando cada vez mais resistente. É uma matéria de registro, admitida por Lipdenoff, que durante os anos 1931 e 1932, Stalin e toda sua turma estavam sempre com as malas arrumadas e prontos para embarcar em um avião a qualquer momento.

Então, em novembro de 1932, os conspiradores alcançaram seu maior triunfo. Eles colocaram na Casa Branca um homem engenhoso, inescrupuloso e sem um pingo de consciência: Franklin Roosevelt. Esse traidor e charlatão virou a maré para eles. Sem nem mesmo pedir o consentimento do Congresso, ele ilicitamente proclamou o reconhecimento para o regime de Stalin. Isso funcionou. E, exatamente como os conspiradores tinham previsto, todo o mundo seguiu nossa liderança. Automaticamente, isso silenciou o crescente movimento de resistência do povo russo e automaticamente lançou a maior ameaça que o mundo civilizado já viu. O resto é bem conhecido demais e não precisa ser repetido.

Sabemos como Roosevelt e seu traidor Departamento de Estado continuaram fortalecendo a ameaça comunista bem aqui no nosso país e assim por todo o mundo. Sabemos como ele perpetrou aquela atrocidade em Pearl Harbor para ter uma desculpa para nos colocar na Segunda Guerra Mundial. Sabemos tudo sobre seus encontros secretos com Stalin, em Yalta, e como ele, com a ajuda de Eisenhower, entregou os Balcãs e Berlim para os russos. E, por último, mas não menos importante, sabemos que o Benedict Arnold do século XX não somente nos arrastou para aquele novo corredor, as Nações Unidas e o governo mundial, mas na verdade esquematizou todos os preparativos para colocá-la dentro de nosso país. Em resumo, no dia em que Roosevelt entrou na Casa Branca, os conspiradores do CFR recuperaram o controle completo sobre a máquina diplomática da política externa e estabeleceram firmemente as Nações Unidas como a casa para o governo mundial dos Illuminati.

Desejo enfatizar outro ponto muito vital. Que o fracasso da Liga das Nações do presidente Wilson fez Schiff e sua turma compreenderem que o controle apenas do Partido Democrata não era suficiente. É verdade que eles podiam criar uma crise durante uma Administração Republicana, como fizeram em 1929, quando a Federal Reserve provocou a quebra da Bolsa de Valores e a depressão, o que colocaria outro pateta e marionete democrata de volta na Casa Branca. Mas eles perceberam que uma interrupção de quatro anos em seu controle da nossa política externa poderia atrapalhar o progresso da conspiração. A interrupção poderia até mesmo destruir toda a estratégia, como quase aconteceu antes de Roosevelt salvá-la, ao reconhecer o regime de Stalin.

Portanto, após esse fracasso de Wilson, eles começaram a formular planos para alcançar o controle de ambos os partidos nacionais. Mas isso representava um problema: mão de obra. Eles precisavam de patetas e marionetes no Partido Republicano, e mais patetas no Partido Democrata e, como o controle apenas do homem na Casa Branca não seria suficiente, eles teriam de fornecer a esse homem patetas e marionetes treinados para todo o seu gabinete. Homens para chefiar o Departamento de Estado, o Departamento do Tesouro, o Pentágono, a CIA, a USIA, etc. Em resumo, cada membro dos vários gabinetes teria de ser um instrumento escolhido do CFR, como Rusk, McNamara, bem como todos os subsecretários e assistentes. Isso daria aos conspiradores o controle absoluto de todas as nossas políticas, tanto internas quanto externas, sendo estas as mais importantes. Esse curso de ação requereria um reservatório de patetas e marionetes treinados, prontos para as mudanças administrativas e para todas as outras exigências. Esses patetas e marionetes teriam de ser necessariamente homens de projeção nacional, estimados pelo povo, mas teriam de ser homens sem honra, sem escrúpulos e sem consciência. Esses homens teriam de ser vulneráveis a chantagens. É desnecessário enfatizar o sucesso que o CFR alcançou. O imortal senador Joseph McCarthy revelou plenamente que existem milhares desses riscos de segurança em todas as agências federais. Scott MacLeod desmascarou milhares mais e vocês sabem o preço que Ortega teve de pagar, e ainda está pagando, por ter exposto diante de um Comitê do Senado os traidores no Departamento de Estado e vocês sabem que os homens no Departamento de Estado, que entregaram Cuba para Fidel Castro, não somente foram protegidos, mas foram promovidos.


Parte 6

[O áudio original pode ser ouvido em http://www.apfn.org/audio/fagan-six.mp3].

Agora, vamos voltar para a questão crucial de todo o plano do governo mundial e as manobras necessárias para criar outra Liga das Nações para servir de abrigo para esse governo. Como já mencionei, os conspiradores sabiam que somente outra guerra mundial seria vital para o sucesso do plano deles. Mas, teria de ser uma guerra mundial tão terrível que fizesse os povos do mundo clamar pela criação de algum tipo de organização mundial que pudesse garantir uma paz duradoura. Mas como essa guerra seria produzida? Todas as nações européias estavam em paz. Nenhum país tinha disputas com seus vizinhos e os patetas e marionetes em Moscou certamente não se atreveriam a iniciar uma guerra. Até mesmo Stalin percebia que isso significaria a derrubada de seu regime, a não ser que o sentimento de patriotismo colocasse o povo russo atrás dele.

Mas os conspiradores precisavam de uma guerra. Eles tinham de encontrar ou criar algum tipo de incidente para iniciá-la. Eles encontraram isso em um homenzinho repulsivo e de aparência ordinária chamado Adolf Hitler. Hitler, um pobre pintor de casas austríaco, tinha sido um cabo no Exército alemão. Ele fez da derrota da Alemanha um caso de indignação pessoal. Ele começou a fazer discursos demagógicos sobre isso em Munique, explorando a indignação popular. Ele começou a falar sobre a restauração da grandeza do Império Alemão e o poder do soldado alemão. Ele advogava a restauração das antigas forças armadas alemãs para serem usadas para conquistar o mundo inteiro. Estranhamente, Hitler, sendo um homem pequeno, podia fazer discursos demagógicos, explorando as emoções e os sentimentos do povo e ele tinha realmente certo tipo de magnetismo. Mas as novas autoridades na Alemanha não queriam outra guerra e eles prontamente colocaram o desagradável pintor de paredes austríaco em uma cela na prisão.

Aha! Ele era o homem, decidiram os conspiradores, que, se apropriadamente direcionado e financiado, poderia ser a chave para outra guerra mundial. Assim, enquanto ele estava na prisão, eles fizeram Rudolph Hess e Goering escreverem um livro que chamaram de Minha Luta e atribuíram a autoria a Hitler, exatamente como Lipdenoff escreveu Missão em Moscou e atribuiu a autoria a Joseph Davies, então embaixador norte-americano na Rússia e um pateta e marionete do CFR. Em Minha Luta, o pseudo-autor Hitler delineava seus ressentimentos e como restauraria o povo alemão à sua grandeza anterior. Os conspiradores então providenciaram para que o livro tivesse uma ampla circulação na Alemanha, de modo a colocar uma massa de fanáticos atrás de Hitler. Quando Hitler foi libertado da prisão (o que também foi providenciado pelos conspiradores), eles começaram a prepará-lo e a financiá-lo para viajar para outras regiões da Alemanha e fazer seus discursos demagógicos. Ele logo ajuntou um crescente número de seguidores entre outros veteranos de guerra, que se propagaram pela massa, que começou a ver nele um salvador para a Alemanha. Então veio sua liderança daquilo que ele chamava de "seu exército dos camisas marrons" e a marcha em Berlim. Isso requereu um grande suporte financeiro, mas os Rothschilds, os Warburgs e outros dos conspiradores forneceram todo o dinheiro necessário. Gradualmente, Hitler tornou-se o ídolo do povo alemão e eles então derrubaram o governo de Von Hindenburg e Hitler tornou-se o novo führer. Mas isso ainda não era razão para a guerra. O resto do mundo observou a ascensão de Hitler, mas não via razão para interferir naquilo que era claramente uma situação interna dentro da Alemanha. Certamente, nenhuma outra nação sentia que havia uma razão para outra guerra contra a Alemanha e o povo alemão não estava ainda incitado o suficiente em um frenesi para cometer qualquer ato contra as nações vizinhas; nem mesmo contra a França, que levasse a outra guerra. Os conspiradores perceberam que teriam de criar esse frenesi; um frenesi que fizesse o povo alemão a atirar a cautela para o vento e, no tempo certo, aterrorizar todo o mundo. A propósito, Minha Luta foi na verdade uma continuação do livro de Karl Marx, Um Mundo Sem os Judeus.

Os conspiradores subitamente se lembraram como a turma de Schiff-Rothschild tinha planejado os pogrons na Rússia, que mataram muitos milhares de judeus e criaram um ódio mundial contra a Rússia, de modo que decidiram usar esse mesmo truque inescrupuloso para inflamar o povo alemão, liderado por Hitler, a um ódio assassino contra os judeus. Agora, é verdade que o povo alemão nunca teve qualquer afeição pelos judeus, mas eles também não tinham um ódio profundo por eles. Essa aversão teria de ser fabricada, de modo que Hitler iria criá-la. Essa idéia mais do que agradou a Hitler. Ele viu nela a fórmula para torná-lo o "homem-deus" do povo alemão.

Assim, engenhosamente inspirado e dirigido por seus assessores financeiros, os Warburgs, os Rothschilds, e todos os cérebros dos Illuminati, ele acusou os judeus pelo odioso Tratado de Versalhes e pela ruína financeira que ocorreu após a guerra. O resto é história. Sabemos tudo sobre os campos de concentração de Hitler e a incineração de centenas de milhares de judeus. Não seis milhões, mas também não os seiscentos mil afirmado pelos conspiradores, mas foi um número bem grande. Aqui, permitam-me reiterar o quão pouco os banqueiros internacionalistas, os Rothschilds, os Schiff, os Lehmans, os Warburgs, Barouchs, se preocupam com seus irmãos raciais que foram as vítimas de seus esquemas malignos. Para eles, a matança de várias centenas de milhares de judeus inocentes por Hitler não incomodou nem um pouco. Eles consideraram aquilo um sacrifício necessário para levar adiante seu plano de um governo mundial, exatamente como a matança de muitos milhões nas guerras que se seguiram foi um sacrifício necessário. E aqui está outro detalhe repugnante sobre esses campos de concentração. Muitos dos soldados que serviam como executores naqueles campos tinham anteriormente sido enviados para a Rússia para aprender as artes da tortura e da brutalização, de modo a aumentar os horrores das atrocidades.

Tudo isso criou um ódio mundial pelo povo alemão, mas ainda não fornecia uma desculpa para a guerra. Portanto, Hitler foi incitado a exigir os Sudetos; e você lembra como Chamberlain e os diplomatas da Tchecoslováquia e da França cederam àquela exigência. Isso levou Hitler a fazer outras exigências, reivindicando territórios na Polônia e na França e essas exigências foram rejeitadas. Em seguida, veio o pacto com Stalin. Hitler tinha vociferado seu ódio contra o comunismo. Ah! O quanto ele incitava o ódio contra o comunismo, mas na realidade o nazismo era uma forma de socialismo e o comunismo, na verdade, é socialismo. Mas Hitler desconsiderou tudo isso. Ele entrou em um pacto com Stalin para atacarem e dividirem a Polônia. Enquanto Stalin invadiu uma parte da Polônia (pelo que ele nunca foi acusado — os cérebros dos Illuminati tomaram as providências para que isso não acontecesse) — Hitler lançou uma blitzkrieg contra a Polônia pelo lado ocidental. Os conspiradores finalmente tiveram sua nova guerra mundial e que guerra terrível ela foi!

Em 1945, os conspiradores finalmente obtiveram as Nações Unidas; seu novo abrigo para o governo mundial. E, de forma realmente admirável, todo o povo americano saudou essa maligna organização como um "santo dos santos". Mesmo após todos os verdadeiros fatos sobre como a ONU foi criada terem sido revelados, o povo americano continuou a adorar aquela maligna organização. Mesmo após Alger Hiss ter sido desmascarado como um espião soviético e um traidor, o povo americano continuou a acreditar na ONU. Mesmo após eu ter revelado publicamente o acordo secreto entre Hiss e Mulatoff para que um russo sempre fosse o chefe do Secretariado Militar e, portanto, o verdadeiro mestre da ONU, a maioria o povo americano continuou a acreditar que a ONU não podia fazer nada de errado. Mesmo após Trig D. Lee, o primeiro secretário-geral da ONU confirmar esse acordo Hiss-Mulatoff em seu livro For The Cause of Peace, a vasta maioria do nosso povo recusou-se a perder a fé na ONU. Mesmo após a verdade sobre a Guerra da Coréia ser revelada, sobre o general russo Vasialia receber uma licença da ONU para que pudesse assumir o comando dos norte-coreanos e dos chineses vermelhos que estavam combatendo a suposta ação policial da ONU, sob as ordens do nosso general McArthur, que, por ordem da ONU, foi demitido pelo pusilânime presidente Truman para evitar que vencesse aquela guerra, nosso povo ainda acreditou na ONU, a despeito de 150.000 de nossos filhos que foram mortos e ficaram mutilados naquela guerra. O povo continuou a considerar a ONU como um meio seguro para a paz, mesmo após ter sido revelado em 1951 que a ONU (usando soldados americanos sob o comando da ONU e sob a bandeira da ONU) mancomunada com nosso traidor Departamento de Estado e o Pentágono tinha invadido muitas cidadezinhas na Califórnia e no Texas para aperfeiçoar o plano para uma total captura do nosso país. A maior parte do nosso povo desconsiderou isso e continuou acreditando que a ONU é o "santo dos santos".

Você sabia que a Carta da ONU foi escrita pelo traidor Alger Hiss, Mulatoff e Vyshinsky? Que Hiss e Mulatoff tinham definido naquele acordo secreto que o chefe militar da ONU sempre seria um russo indicado por Moscou? Você sabia que em seu encontro secreto em Yalta, Roosevelt e Stalin, seguindo as ordens dos Illuminati operando por meio do CFR, decidiram que a ONU deveria ser colocada em solo norte-americano? Você sabia que a maior parte da Carta da ONU foi copiada intacta, palavra por palavra, do Manifesto Comunista, de Karl Marx e da assim-chamada Constituição Russa? Você sabia que os dois únicos senadores que votaram contra a Carta da ONU a tinham lido? Você sabia que desde que a ONU foi fundada, a escravização comunista cresceu de duzentos e cinqüenta milhões para um bilhão? Você sabia que desde que a ONU foi fundada para garantir a paz houve pelo menos vinte guerras importantes incitadas pela ONU, exatamente como eles incitaram a guerra contra a pequena Rodésia? Você sabia que sob a configuração da ONU, o contribuinte norte-americano tem sido forçado a arcar com déficits do Tesouro da ONU de muitos milhões de dólares por causa da recusa da Rússia de pagar sua parte? Você sabia que a ONU nunca aprovou uma resolução condenando a Rússia e seus satélites, mas sempre condena nossos aliados? Você sabia que J. Edgar Hoover disse: "A vasta maioria dos membros das delegações comunistas na ONU é de agentes da espionagem? E agora, 66 senadores votaram a favor do Tratado Consular para abrir todo nosso país para espiões e sabotadores russos. Você sabia que a ONU ajuda a conquista do mundo pela Rússia impedindo o mundo livre de tomar qualquer ação que seja, exceto debater cada nova agressão na Assembléia Geral da ONU? Você sabia que quando houve a Guerra da Coréia, sessenta países faziam parte da ONU, porém 95% das forças da ONU eram formadas por tropas norte-americanas e praticamente 100% dos custos eram pagos pelos contribuintes norte-americanos?

Certamente você sabia que a política da ONU durante as guerras da Coréia e do Vietnã era evitar que vencêssemos aquelas guerras. Você sabia que todos os planos de batalha do general McArthur tinham de passar primeiro pela ONU e serem encaminhados a Vasialia, comandante dos norte-coreanos e dos chineses vermelhos, e que quaisquer guerras futuras lutadas por nossos filhos sob a bandeira da ONU teriam de ser lutadas por nossos filhos sob o controle do Conselho de Segurança da ONU? Você sabia que a ONU nunca fez nada com relação aos 80 mil soldados russos da Mongólia que ocupam a Hungria?

Onde estava a ONU quando os combatentes da liberdade húngaros foram massacrados pelos russos? Você sabia que a ONU e seu Exército de paz entregaram o Congo para os comunistas? Você sabia que a força de paz da ONU foi usada para esmagar, estuprar e matar os brancos anticomunistas em Katanga? Você sabia que a ONU assistiu e não fez nada quando a China vermelha invadiu o Laos e o Vietnã? Que ela não fez nada quando Nehru invadiu Goa e outros territórios portugueses? Você sabia que a ONU foi diretamente responsável pela ajuda dada a Fidel Castro? Que ela não faz absolutamente nada acerca dos muitos milhares de jovens cubanos que são enviados à Rússia para receber doutrinação comunista?

Você sabia que Adlai Stevenson disse: "O mundo livre precisa esperar perder mais e mais decisões na ONU". Você sabia que a ONU proclama abertamente que seu principal objetivo é um governo único, o que significa leis globais, uma Corte Internacional de Justiça, forças militares mundiais, escolas mundiais e uma igreja mundial, em que o cristianismo será proibido?

Você sabia que uma legislação da ONU foi aprovada para desarmar todos os cidadãos norte-americanos e transferir nossas forças armadas para a ONU? Essa legislação foi assinada secretamente pelo santo John Kennedy, em 1961. Você percebe como isso se encaixa no Artigo 47, parágrafo 3 da Carta da ONU, que diz e cito aqui: "O comitê militar da ONU será responsável, por meio do Conselho de Segurança, pela direção estratégica de todas as forças armadas colocadas à disposição do Conselho de Segurança" e quando e se todas as nossas forças armadas forem transferidas para a ONU, nossos filhos serão forçados a servir e a morrer sob o comando da ONU em todo o mundo. Isso acontecerá, a não ser que lutemos para tirar os EUA da ONU.

Você sabia que o congressista James B. Hutt apresentou um projeto de lei para tirar os EUA da ONU e uma resolução para impedir nosso presidente de nos forçar a apoiarmos os embargos da ONU contra a Rodésia? Muitas pessoas de todo o país estão escrevendo para seus representantes do Congresso para que apóiem o projeto de lei e a resolução de Hutt. Cinqüenta congressistas, liderados por Schweiker e Moorhead, da Pensilvânia, apresentaram um projeto de lei para transferir imediatamente todas as nossas forças armadas para a ONU. Você pode imaginar uma traição tão descarada? O seu congressista é um desses cinqüenta traidores? Procure saber e tome uma medida imediata contra ele e ajude o congressista Hutt.

Você sabia que o Conselho Nacional de Igrejas aprovou uma resolução em San Francisco, que diz que os Estados Unidos logo terão de subordinar sua vontade à ONU e que todos os cidadãos norte-americanos precisam estar preparados para aceitá-la? Sua igreja participa do Conselho Nacional de Igrejas? Em conexão com isso, tenha em mente que Deus nunca é mencionado na Carta da ONU e que as reuniões ali nunca são abertas com uma oração.

Os criadores da ONU estipularam de antemão que não deveria haver uma menção a Deus ou a Jesus Cristo na Carta da ONU e em sua sede. Seu pastor apóia isto? Procure saber! Além disso, você sabia que a grande maioria das nações que participam da ONU é anticristã e que a ONU é uma organização totalmente profana, por ordens de seus criadores, os Illuminati do CFR? Você já ouviu o suficiente da verdade das Nações Unidas dos Illuminati? Você quer deixar seus filhos e seu precioso país à mercê maligna das Nações Unidas dos Illuminati? Escreva, envie telegramas, ou telefone para seus representantes e seus senadores no Congresso dizendo-lhes que precisam apoiar o projeto de lei do congressista Hutt para tirar os EUA da ONU e tirar a ONU dos Estados Unidos. Faça isto hoje, agora, antes que esqueça! É a única salvação para seus filhos e para nosso país.

Agora, tenho uma mensagem mais vital a fazer. Como disse anteriormente, uma das quatro tarefas específicas que Rothschild deu a Jacob Schiff era criar um movimento para destruir a religião nos Estados Unidos, sendo o cristianismo o alvo principal. Por uma razão muito óbvia, a Liga Antidifamação não se atreveria a fazer isso porque essa tentativa criaria o mais terrível banho de sangue na história mundial, não somente para a ADL e os conspiradores, mas para os milhões de judeus inocentes. Schiff entregou essa tarefa para Rockefeller por outra razão específica: a destruição do cristianismo somente poderia ser realizada por aqueles que foram incumbidos de preservá-lo — pelos pastores, os clérigos.

Para iniciar, John D. Rockefeller escolheu um jovem, um suposto ministro cristão, de nome Dr. Harry F. Ward, ou Reverendo Ward. Naquele tempo, ele lecionava religião no Seminário Teológico União. Rockefeller descobriu um Judas muito bem disposto naquele reverendo e, portanto, em 1907, ofereceu financiamento para ele criar a Fundação Metodista de Serviço Social, e o trabalho de Ward era ensinar a rapazes brilhantes a se tornarem supostos ministros de Cristo e colocá-los como pastores de igrejas. Ao mesmo tempo em que ensinava-os a se tornarem ministros, o reverendo Ward também lhes ensinava como sutil e engenhosamente pregar para sua congregação que toda a história de Cristo era um mito e lançar dúvidas sobre a divindade de Cristo; a lançar dúvidas sobre a virgindade de Maria; em resumo, a lançar dúvidas sobre o cristianismo como um todo. Não seria um ataque direto, mas muito dele seria feito por engenhosa insinuação que seria aplicada, em particular, aos jovens na Escola Dominical. Lembre-se da frase de Lênin: "Dêem-me apenas uma geração de moços e transformarei o mundo inteiro." Então, em 1908, a Fundação Metodista de Serviço Social, que a propósito, foi a primeira organização de fachada comunista da América, mudou seu nome para Conselho Federal de Igrejas. Por volta de 1950, o Conselho Federal de Igrejas estava se tornando muito suspeito; portanto, eles mudaram seu nome para Conselho Nacional de Igrejas. Preciso dizer mais sobre como esse Conselho Nacional de Igrejas está deliberadamente destruindo a fé no cristianismo? Acho que não, mas direi isto a vocês: Se você é membro de uma congregação cujo pastor e denominação participam dessa organização "judas", você e suas ofertas estão ajudando o plano dos Illuminati de destruir o cristianismo e sua fé em Deus e em Jesus Cristo, de modo que você está deliberadamente colocando seus filhos para serem doutrinados com a descrença em Deus e na igreja, de modo que eles poderão facilmente se transformar em ateístas. Procure descobrir imediatamente se sua igreja participa do Conselho Nacional de Igrejas e, por amor a Deus e por amor a seus filhos, se ela participa, desligue-se dela imediatamente. Entretanto, permitam-me adverti-los que o mesmo processo de destruição da religião foi infiltrado em outras denominações. Vocês viram a passeata "Negro on Selma" e outras desse tipo, viram como as turbas de negros são lideradas e incentivadas por ministros (e até padres e freiras católicos) que marcham junto com eles. Na verdade, a Igreja Mórmon é a única que conheço que está livre desse tipo de infiltração dos "Judas". Mas, é claro que existem muitas igrejas individuais e pastores que são honestos e sinceros. Descubra uma igreja assim para você e para seus filhos.

A propósito, esse mesmo reverendo Harry J. Ward também foi um dos fundadores da ACLU (American Civil Liberties Union), uma organização notoriamente pró-comunista. Ele foi o presidente dela de 1920 a 1940. Ele também foi co-fundador da Liga Americana Contra a Guerra e o Fascismo, que sob a liderança de Browder, tornou-se o Partido Comunista dos Estados Unidos. Em resumo, toda a carreira de Ward exala o odor do comunismo e ele foi identificado como um membro do Partido Comunista. Ele morreu como um traidor imoral tanto de sua igreja quanto de seu país, e esse foi o homem que John D. Rockefeller escolheu e financiou para destruir a religião cristã na América, de acordo com as ordens dadas a Schiff pelos Rothschilds.

Em conclusão, tenho isto a dizer. Vocês provavelmente estão familiarizados com a história de como o Dr. Frankenstein criou um monstro para fazer sua vontade de matar suas vítimas escolhidas, mas como, no fim, o monstro virou-se contra seu criador, Frankenstein, e o destruiu. Bem, os Illuminati/CFR criaram um monstro chamado Organização das Nações Unidas, que com o suporte dos grupos minoritários, dos negros agitados, da traidora mídia de comunicação de massa e dos traidores em Washington, foi criado para destruir o povo americano. Sabemos tudo sobre esse monstro marinho de muitas cabeças e conhecemos os nomes daqueles que o criaram. Conhecemos todos os nomes deles e prevejo que um lindo dia o povo americano despertará totalmente e fará esse monstro destruir seu criador. É verdade que maioria do nosso povo ainda está sofrendo o processo de lavagem cerebral, está sendo enganado e iludido pela imprensa traidora, pela televisão, pelo rádio e pelos traidores em Washington, mas certamente agora o suficiente é conhecido acerca da ONU para classificar essa organização como uma cascavel venenosa e mortal no nosso meio.

Minha única pergunta é: "O que será necessário para fazer nosso povo acordar para a prova final?" Talvez esta gravação (e a transcrição dela) ajudem. Cem mil, ou um milhão de cópias desta gravação (ou da transcrição dela) podem fazer isto. Oro a Deus para que isto aconteça. E oro que esta gravação (e a transcrição dela) inspirem vocês, todos vocês, a espalharem esta história para todos os cidadãos leais na sua comunidade. Você pode fazer isso reproduzindo-a (ou lendo-a) em grupos de estudo reunidos em suas casas, nas reuniões na Legião Americana, a VFW, a DAR, e outros grupos cívicos, e em clubes femininos, especialmente de mulheres que têm as vidas de seus filhos em risco. Com esta gravação (e a transcrição dela), forneço a vocês a arma que poderá destruir o monstro. Pelo amor a Deus, pelo amor ao seu país, e pelo amor aos seus filhos, use-a! Faça uma cópia dela chegar a cada lar neste país.

Autor: Myron Fagan
Data da publicação: 22/2/2006
Patrocinado por: L. O. G. — Rio de Janeiro / RJ
Revisão: http://www.TextoExato.com
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/fagan.asp