Eventos Globalistas em 2013:

Calendário dos Eventos Planejados Para a Transformação Mundial

Forcing Change, Volume 6, Edição 12.

O propósito deste calendário é ajudar os leitores a compreender melhor a abrangência e a extensão da transformação mundial. Este calendário lista as datas e locais e fornece informações contextuais que o ajudarão a compreender os movimentos e agendas que estão em curso atualmente.

De início, deve-se observar que este calendário fornece somente uma rápida visão geral daquilo que está sendo planejado. A cada ano, centenas de outros encontros e eventos ocorrem na cena internacional — no sistema das Nações Unidas, na comunidade global de segurança, em entidades regionais como a União Europeia, nas estruturas econômicas e bancárias internacionais e nos campos da tecnologia, educação e religião. O ano de 2013 não será diferente. Por exemplo, o G20, que ocorrerá em setembro, terá mais de 40 encontros pré-cúpula que ocorrerão em 2013, somente dentro do programa da presidência russa.

Como um todo, este calendário o ajudará a compreender os programas e ações que estão no horizonte imediato; ele é um alerta neste início de 2013.

2013: Ano Internacional da ONU para a Cooperação pela Água.
Onde: Global.

A Organização das Nações Unidas declarou que 2013 será o Ano Internacional de Cooperação pela Água. Portanto, uma ênfase na governança global da água será incluída nos encontros e foros relevantes da ONU sobre o meio ambiente e os educadores globais serão orientados a enfatizarem a importância da água como um problema internacional. Como parte dos esforços para promover o tema, o dia 22 de março foi declarado como Dia Mundial da Água. Em seguida, no segundo trimestre do ano, uma conferência de uma semana de duração ocorrerá em Estocolmo, na Suécia, a para tratar a cooperação internacional envolvendo a água.

7-11 de Janeiro / 5-9 de Maio: Governança Global 2022.
Onde: Pequim, China e Washington DC, EUA.

Estes dois eventos — um realizado em Pequim e o outro em Washington — são parte de um projeto maior conhecido como Governança Global 2022, que procura identificar os atores, fatores e cenários com relação à gestão internacional em três áreas fundamentais: governança da energia global, governança da segurança cibernética global e governança sobre o desenvolvimento global. O objetivo: descobrir as tendências que moldarão a criação de uma nova ordem global, dentro de aproximadamente dez anos no futuro.

Trabalhando para esses eventos e após, conforme o projeto continuar, 24 participantes — da Alemanha, da China e dos EUA — foram selecionados por um comitê diretor de acadêmicos de alto nível, altos representantes de centros de estudos e debates e personalidades governamentais. Esses 24 "Estudiosos do GG2022" também vêm das fileiras da academia, de influentes centros de estudos e debates e das agências dos governos.

8-10 de Janeiro: Conferência Anual da ONU Sobre a Água.
Onde: Saragoça, Espanha.

Esta conferência da ONU é parte do Ano Internacional de Cooperação pela Água, e tem o objetivo de definir o tom temático. Um aspecto importante desse evento é a declarada correlação entre a governança global da água e o documento central do Encontro da Terra realizado em 1992 no Rio de Janeiro, a Agenda 21.

10 de Janeiro: Conferência Ponto de Decisão na Ásia.
Onde: Washington, DC, EUA.

O Fundo Carnegie para a Paz Internacional está promovendo uma conferência de um dia sobre o crescimento da Ásia e como isso se relaciona com a "ordem global em transformação". Como o Fundo explica, "o crescimento da China e da Índia como grandes potências mundiais promete testar a ordem global estabelecida nas décadas vindouras. Se a história serve como indicação, Pequim, Nova Délhi e Washington podem todos ter diferentes visões para esse novo sistema internacional". As discussões no painel ocorrerão com esse tema maior em vista, junto com painéis sobre Segurança Regional, Segurança no Espaço e Busca pela Segurança Energética.

9-11 de Janeiro: As Agências da ONU Estão Adaptadas para o Século 21?
Onde: Viena, Áustria.

Patrocinada pelo Conselho Acadêmico Sobre o Sistema das Nações Unidas (ACUNS, de Academic Council on the United Nations System), essa conferência analisará diversas preocupações das Nações Unidas — incluindo desafios nucleares, o crescimento do Sul Global, a gestão internacional do conhecimento e como trazer os jovens para dentro do aprisco da ONU.

A ACUNS é uma organização acadêmica de suporte e pesquisa dedicada a expandir a governança global por meio da família de agências, escritórios e programas das Nações Unidas.

14-15 de Janeiro: Oficinas de Barcelona Sobre a Governança Global.
Onde: Barcelona, Espanha.

Os participantes nesta oficina de dois dias de duração estudarão como a governança internacional "pode ser a mais eficaz possível em solucionar os problemas globais." As questões a serem exploradas são: "Qual é o desempenho das instituições globais?.... Como os líderes das instituições de governança global são escolhidos?... Como essas organizações são estruturadas?"

Os conferencistas confirmados incluem Javier Solana (ex-Secretário Geral da OTAN e Alto Representante da UE) e Narcis Serra (ex-ministro da Defesa da Espanha).

23-27 de Janeiro: Encontro Anual do Foro Econômico Mundial.
Onde: Davos-Klosters, Suíça.

De acordo com o Foro Econômico Mundial, ele é "a principal comunidade global de líderes empresariais, políticos, intelectuais e outros líderes da sociedade que estão comprometidos com a melhoria da situação mundial".

Há vários anos que o Foro Econômico Mundial é um evento internacional de grande importância, reunindo os principais líderes mundiais com executivos de grandes empresas transnacionais, líderes do sistema financeiro e visionários sociais. Portanto, o que acontece no Foro Econômico Mundial reverbera por todos os círculos econômicos e políticos durante vários meses (e até anos) após o fim do encontro.

A lista dos parceiros estratégicos corporativos do Foro Econômico Mundial de 2013 é extensa, incluindo Visa, Bank of America, Siemens, Barclays, Goldman Sachs, Credit Suisse, J. P. Morgan, Deutsche Bank, Google, Microsoft, Prudential, e Morgan Stanley.

Eventos regionais do Foro Econômico Mundial estão planejados para diferentes partes do mundo durante todo o ano de 2013:

28-31 de Janeiro: Governança do Sistema Terra.
Onde: Tóquio, Japão.

A ser realizado na Sede da Universidade das Nações Unidas, em Tóquio, esse encontro é parte de um projeto atual sobre desenvolvimento das estruturas políticas, científicas e tecnológicas necessárias para criar e manter a "Governança do Sistema Terra". Para este fim, seis áreas focais serão discutidas:

  1. Arquitetura da Governança do Sistema Terra no Século 21: Isto inclui os sistemas políticos globais, como a "criação de uma organização para o meio ambiente mundial", governança regional e redes nacionais-regionais-globais.

  2. Arquiteturas da Governança do Clima e da Energia: Como as questões do clima e da energia podem ser combinadas nas "arquiteturas de governança do clima da próxima geração", incluindo transferências de tecnologia do carbono e programas de segurança clima/energia. Provavelmente, esquemas de tributação global por emissões de carbono serão incluídos nesta seção.

  3. O Nexo Entre Arquitetura e os Outros Aspectos na Governança do Sistema Terra. Cinco aspectos serão examinados — Alocação e Acesso, Operação, Prestação de Contas e Adaptação. Aqui, o sistema mais amplo das normas e instituições sociais, parcerias privadas e modelos socio-ecológicos serão examinados no relacionamento com a Governança dos Sistemas Terra e sua implementação.

  4. Dinâmicas Políticas: Os participantes explorarão "os agentes emergentes na governança do sistema Terra", incluindo o papel dos blocos políticos regionais e como os grupos científicos podem influenciar o cenário político.

  5. Desafios Metodológicos: Três grupos serão investigados — a comunidade das ciências sociais, cientistas naturais e engenheiros — com um foco em como as tecnologias para a modelagem global podem ser usadas para habilitar essas três profissões no desenvolvimento de uma abordagem colaborativa para a gestão global.

  6. Segurança Nuclear e Governança Pós-Desastres.

Iniciado em 2009, o Projeto Governança do Sistema Terra é um esforço conjunto entre o Conselho Internacional das Ciências Sociais, o Conselho Internacional para a Ciência, e a Universidade da ONU. Na criação desse projeto, quatro áreas de atividades foram identificadas para a gestão internacional: 1) Sistema Global da Água, 2) Sistema Global dos Alimentos, 3) Sistema Global do Clima, 4) Sistema Econômico Global.

2-9 de Fevereiro: Semana da Harmonia Interfé Mundial.
Onde: Global.

A Semana da Harmonia Interfé Mundial (WIHW) é um programa oficial da ONU que foi influenciado pela campanha Palavra Comum, um diálogo interreligioso que ocorreu em 2007 entre líderes cristãos e islâmicos. Em 23 de setembro de 2010, o rei Abdullah II, da Jordânia, propôs a ideia de uma Semana da Harmonia Interfé durante a Assembleia-Geral da ONU. A proposta foi adotada por unanimidade e a primeira semana de fevereiro foi reservada para esse programa interfé. Múltiplos eventos deverão ocorrer durante a Semana da Harmonia Interfé Mundial de 2013. Aqui estão dois (outros serão anunciados à medida que nos aproximarmos da semana designada):

  1. Refeições interfé, palestras e exibições, oficinas e encontros ocorrerão na Academia Ma'din, em Malappuram, Índia, durante a Semana da Harmonia.

  2. Um festival cultural interfé ocorrerá em Khanewal, no Paquistão.

5-6 de Fevereiro: Recuperando a Governança Global: Possibilidades para um Mundo de Incertezas.
Onde: Waterloo, Ontário, Canadá.

Este evento representa muitas conferências acadêmicas similares que ocorrem a cada ano. Esta conferência em particular é patrocinada pela publicação Canadian Foreign Policy Journal e está sendo preparada como uma oportunidade acadêmica para os acadêmicos explorarem "inovações na governança global", incluindo o lado econômico da equação, "acesso aos bens comuns globais (ar, mar, espaço, ciberespaço)" e a identificação das forças e fraquezas na atual ordem mundial. De interesse especial são as projeções esperadas durante esse evento, que explorarão como a governança global poderá ser dentro de 20 ou 30 anos, e como isso poderá impactar a gestão regional e internacional.

8-10 de Fevereiro: Pregação Nacional Sobre o Aquecimento Global.
Onde: Estados Unidos da América.

O fim de semana de 10-12 de fevereiro foi reservado como um tempo para os líderes religiosos nos EUA falarem sobre a mudança climática. Centenas de pastores e professores de diferentes religiões pregarão sermões sobre o aquecimento global, sobre a necessidade de mudanças de comportamento e de valores e o desejo por uma resposta mundial unida para interromper a "mudança climática". A organização que coordena essa campanha política e religiosa é a Interfaith Power and Light (Energia e Luz Interfé).

26-27 de Fevereiro: Foro Global da Aliança das Civilizações das Nações Unidas.
Onde: Viena, Áustria.

Este é o Quinto Foro Global da Aliança das Civilizações da ONU, uma iniciativa das Nações Unidas com o objetivo de "construir a vontade política coletiva" e "mobilizar ação conjunta" dentro da esfera do pluralismo cultural e religioso, do pluralismo político e da democracia e o crescente desenvolvimento de novas normas sociais e éticas globais. Os pontos focais são educação, juventude, mídia e migração, pois cada uma dessas áreas — corretamente administradas — energizará a transformação global. O tema para o foro de Viena é "Liderança Responsável em Diversidade e Diálogo".

4-6 de Março: Tornando-se Global 2013.
Onde: Dubai, Emirados Árabes Unidos.

Tornando-se Global é uma série de eventos internacionais promovidos pelo Conselho Britânico. Atraindo autoridades que definem políticas, acadêmicos e especialistas em educação, os eventos examinarão como a educação está mudando como parte do cenário internacional. A série de eventos deste ano, realizada em Dubai, examinará como a educação pode ser sistematizada no nível global, o papel da educação superior em "amoldar" o poder e a diplomacia cultural, e como os centros de disseminação da pesquisa global podem contribuir para "as agendas da comunidade local, nacional e global".

11-12 de Março: O Futuro Que Precisamos — A Sociedade Civil Democratizando as Nações Unidas.
Onde: São Paulo, SP, Brasil.

"O Futuro Que Precisamos" é uma conferência promovida pelo Foro para a Governança Democrática Global, uma organização sediada em Quebec que surgiu em resposta favorável à Comissão Sobre Governança Global, suportada pela ONU. Desde 1998, o Foro para a Governança Democrátia Global realiza conferências e oficinas em todo o mundo, promovendo ideias democráticas globais — um Parlamento Mundial, tributação internacional, segurança coletiva, governança ambiental planetária e a Lei Internacional. Tudo isto está no centro do programa do Foro, e se revela em suas sessões de definições de estratégias e por meio da capacitação de organizações não governamentais (ONGs) de mente similar, particularmente grupos da "sociedade civil" baseados no Hemisfério Sul (América Latina, África, Oriente Médio e Sudeste Asiático). O evento de 2013, em São Paulo, procurará fortalecer o papel das sociedades civis (ONGs) em seu trabalho de influenciar as Nações Unidas e moldar a governança democrática global.

14-16 de Março: Saúde Global — Inovação, Implementação, Impacto.
Onde: Washington, DC, EUA.

Esta conferência buscará o planejamento da saúde coletiva internacional, em nome de superar os problemas de saúde globais. De acordo com a literatura da conferência, "existe uma necessidade de guiar o futuro da saúde global por meio da ação". Mais de 1.000 profissionais se envolverão em questões como "Justiça da Saúde Global" e direitos humanos, interconectividade das políticas dos governos, educação e pesquisa em saúde global, desafios culturais, treinamento de uma força de trabalho global em serviços de saúde, financiamento para a saúde global e o papel da tecnologia em um sistema de saúde orientado globalmente.

15-19 de Março: Governança e Sustentabilidade: Preocupações Locais, Desafios Globais — Sociedade Americana para a Administração Pública — Conferência Anual de 2013.
Onde: New Orleans, LA, EUA.

A Sociedade Americana para a Administração Pública (ASPA, de American Society for Public Administration) é a maior associação de administração pública nos EUA e está em operação desde 1939. Ela trabalha com pesquisadores, professores e outros indivíduos envolvidos nos campos profissional e acadêmico da administração pública. Em 2013, o encontro anual da ASPA assumirá uma abordagem internacional: Governança global e seu impacto na administração social, econômica e ambiental — desde pensar globalmente e agir localmente. De acordo com a ASPA, "esta conferência considerará se alcançamos, se excedemos, ou não, os limites de nosso estado democrático, as implicações de governança desses desafios e os efeitos dessas questões na administração pública e nas políticas públicas."

26-30 de Março: Foro Social Mundial.
Onde: Túnis, Tunísia.

O Foro Social Mundial é o evento de mais alta importância para a esquerda global progressista. Ele é um significativo ajuntamento de políticos de esquerda, líderes do ambientalismo, ativistas sociais e internacionalistas. De muitas formas, o Foro Social Mundial é o evento de definição de tendências para o socialismo internacional. A escolha do local para o FSM em Túnis não foi um acidente, pois a Primavera Árabe teve início na Tunísia e os organizadores do foro escolheram essa cidade para o propósito de criar conexões mais profundas com esses "novos atores sociais mundiais".

3-6 de Abril: Política de Difusão Internacional — Dimensões Regionais e Globais.
Onde: San Francisco, CA, EUA.

Esta é a conferência anual da Associação de Estudos Internacionais, um órgão acadêmico global que conecta professores, profissionais e estudantes de todo o mundo. Como outros importantes eventos da Associação, este explorará um amplo intervalo de tópicos interrelacionados: o papel da Lei Internacional, ações militares globais e política externa, conceitos evolutivos de soberania, a "política da crise econômica", a teoria e prática das organizações internacionais, e mais.

Conferências como o encontro anual da Associação de Estudos Internacionais não são "de fazer tremer o chão", no sentido de criar políticas ou definir a direção política global. Mas, esses tipos de encontros são importantes por que permitem discussões interdisciplinares, energizam novos líderes em projeção e permitem que autoridades que definem as políticas interajam com acadêmicos à medida que definem como será a "ordem global".

12-13 de Abril: Transformando a Face da Governança Global: Instituições na Ordem Jurídica Internacional.
Onde: Oxford, Grã-Bretanha.

Muitas conferências e oficinas sobre governança global são realizadas anualmente no nível das universidades. Este evento, que será realizado na Universidade de Oxford, é organizado pelo braço britânico da Associação do Direito Internacional. Ela explorará o desenvolvimento e os papéis em mutação dos sistemas judiciais globais, o Tribunal Penal Internacional, a natureza da lei mundial e a polícia internacional, leis ambientais globais e como as Nações Unidas e outros órgãos globais facilitam uma ordem jurídica mundial. A principal conferencista será Patricia O’Brien, sub-secretária-geral para Assuntos Jurídicos das Nações Unidas.

29-30 de Abril: União Europeia e as Potências Emergentes.
Onde: Parlamento Europeu, Bruxelas, Bélgica.

Patrocinada por proeminentes universidades e instituições europeias, esta conferência — que ocorrerá no Parlamento Europeu — examinará o papel da União Europeia no contexto de um sistema de governança global mutável, imprevisível e que está em expansão. Quatro áreas de pesquisa serão enfocadas: 1) Governança econômica global e a região europeia; 2) Governança do meio ambiente e energética global; 3) Segurança global e o aparecimento de potências emergentes; 4) Desafios e oportunidades internacionais na construção do Império da Lei e da democracia global.

Os participantes virão de todo o bloco europeu, junto com especialistas em políticas da América do Norte.

13-14 de Junho: Iniciativa Global de Clinton.
Onde: Chicago, IL, EUA.

Iniciada pelo ex-presidente americano Bill Clinton em 2005, a Iniciativa Global de Clinton (CGI) é um evento anual de primeira linha, que reúne líderes importantes de todo o mundo. De acordo com a literatura da CGI, "Os encontros anuais já reuniram mais de 150 chefes de Estado, 20 laureados pelo Prêmio Nobel, e centenas de importantes presidentes-executivos, presidentes de fundações e de ONGs, grandes filantropos e membros da mídia."

O propósito da CGI é reunir esses líderes em torno de uma mesa, discutir os problemas nacionais e globais, e depois fazer com que se comprometam com um plano tangível de ações que ajude a solucionar os problemas discutidos. Criação de empregos, capacitação para o trabalho e acesso a capitais, ocorrem realmente por meio dos esforços da CGI — especialmente no que se refere à "energia verde" e ao desenvolvimento das crianças. Entretanto, por baixo de muito do que a CGI faz, existe a noção que os problemas globais requerem um provedor de soluções globais, e que isso pode ocorrer por meio de um esforço conjunto de combinar o grande governo com as grandes empresas.

15-16 de Junho: Congresso Internacional Futuro Global 2045.
Onde: Nova York, NY, EUA.

O projeto Futuro Global 2045 foi lançado no ano passado em Moscou. Seu propósito é reunir os principais filósofos, sociólogos, pensadores e futuristas técnicos com o objetivo de mapear a evolução da humanidade para uma nova era planetária — uma transição global transumanista.

Algumas das 59 personalidades que fazem parte desse projeto incluem:

Devido à reconhecida estatura dos participantes do GF2045, as conclusões e sugestões desse congresso deverão repercutir muito dentro da comunidade internacional.

17-19 de Junho: Liderança na Governança Global: Encontro Anual de 2013 do ACUNS.
Onde: Lund, Suécia.

O Conselho Acadêmico Sobre o Sistema das Nações Unidas (ACUNS) realizará seu encontro anual em Lund, Suécia, com o tema: Liderança na Governança Global. ACUNS é uma organização acadêmica destinada a promover a governança global por meio da família de agências e programas das Nações Unidas. Ela tem Status Consultivo de Categoria 1 junto ao ECOSOC (Conselho Econômico e Social das Nações Unidas), está credenciada junto à UNESCO e tem status de ONG Afiliada junto ao Departamento de Informações Públicas da ONU.

19-21 de Junho: Transformação em um Clima em Mutação.
Onde: Oslo, Noruega.

Reunindo especialistas em definição de políticas, cientistas, atores da sociedade civil e atores governamentais, este evento examinará a mudança climática como "a perfeita tempestade que levará a impactos sociais e ecológicos sem precedentes". Portanto, este foro busca abertamente novas abordagens em termos de pensamento transformacional total, incluindo os seguintes: A Economia da Transformação, a Política da Transformação, Transformação Técnica, Transformação Urbana, Transformação Baseada na Comunidade, Transformação Social-Ecológica, e a Transformação de Valores, Normas e Cosmovisões.

27-29 de Junho: Simpósio Internacional do IEEE Sobre Tecnologia e Sociedade.
Onde: Toronto, Ontário, Canadá.

Promovido pelo Instituto de Engenheiros Elétricos e Eletrônicos, este foro internacional explorará o que significa viver em um "ambiente inteligente" — um mundo integrado com câmeras em miniatura, dispositivos de armazenamento de dados que podem ser usados na roupa, redes elétricas inteligentes, estradas inteligentes e "pessoas inteligentes" expandidas, completas com sensores e microcircuitos.

Compreendendo que esse "Admirável Mundo Novo" está amadurecendo rapidamente, a conferência tratará a luta com a transformação da sociedade em uma rede integrada globalmente de "coisas inteligentes" e "pessoas inteligentes".

2-4 de Julho: Conferência Pessoas e o Planeta: Transformando o Futuro.
Onde: Melbourne, Austrália.

Tratando o assunto da sustentabilidade global como um pacote completo — economia, ecologia, política e cultura — este evento reunirá líderes do governo, de ONGs e da academia em torno de uma mesa com algumas grandes ideias na cabeça: "O que significa ser responsável pelo futuro do nosso planeta? O que deve ser feito? para debaterem como devemos agir agora para trabalhar com vistas a um futuro imaginado."

Entretanto, a conferência não é um evento isolado. Ela está sendo trabalhada dentro de uma estrutura mais ampla das Nações Unidas, o que inclui as recomendações do Programa Cidades Compactas Globais da ONU, e a campanha Hábitat da ONU: Cidades de Mudanças. A Visão Mundial Austrália é um dos principais patrocinadores.

19-21 de Julho: Futuro Mundial 2013 — Explorando o Próximo Horizonte.
Onde: Chicago, IL, EUA.

Esta é a conferência anual da Sociedade do Futuro Mundial, uma organização com representação internacional dedicada aos estudos do futuro do mundo e o progresso rumo a uma comunidade mundial. Uma ampla variedade de tópicos será explorada durante o evento, incluindo questões ambientais e climáticas, os sistemas monetário e econômico no futuro, tecnologia, ciência e temas de governança global. Parte da conferência incluirá "Palestras do Século 22", uma série de apresentações especiais direcionadas para a modelagem e previsão de cenários para a governança global na virada para o próximo século.

24-27 de Julho: Encontro do Conselho do Movimento Federalista Mundial.
Onde: Nova York, NY, EUA.

O Movimento Federalista Mundial (WFM, de World Federalist Movement) é uma organização guarda-chuva especificamente voltada para o suporte e criação de um governo mundial federal. Em 2012, o WFM realizou seu congresso global em Winnipeg, Manitoba, Canadá e, em 2013, o Conselho do WFM — sua liderança de mais alto nível — se reunirá em Nova York. Com base no que transpareceu em Winnipeg, que definiu o tom para o WFM nos próximos cinco anos, dois itens provavelmente serão deliberados com grande detalhes: 1) O trabalho atual de fortalecer a Campanha de uma Assembleia Parlamentar das Nações Unidas — uma tentativa de formular um Parlamento Mundial operacional; 2) O Compromisso de avançar o Manifesto por uma Democracia Global, um texto curto que afirma o desejo por um sistema global de governança baseado em princípios democráticos. [NT: Para saber mais sobre o Movimento Federalista Mundial, leia o artigo Definindo a Agenda Internacional — Compreendendo o Quadro Grande: O Movimento Federalista Mundial.]

11-14 de Agosto: Na Diversidade Está Nossa Força — Conferência Conectar, da Rede Interfé da América do Norte.
Onde: Toronto, Ontário, Canadá.

"Na Diversidade Está Nossa Força" é o tema e título da "Conferência Conectar", da Rede Interfé da América do Norte. Os tópicos de discussão esperados incluem "interfé e ecologia", temas de justiça social, envolvimento interfé com as estruturas cívicas, avançando além da tolerância, os desafios da desigualdade religiosa e respostas interfé para a globalização.

A Rede Interfé da América do Norte é uma das organizações interfé mais ativas que operam na América do Norte e tem parcerias com 56 grupos interfé municipais, regionais e nacionais.

26 de Agosto a 2 de Setembro: Homem Queimado (ou Homem em Chamas).
Onde: Black Rock City, Nevada, EUA.

Há vários anos que o festival do Homem Queimado atrai dezenas de milhares de participantes para o árido Deserto da Rocha Preta, na região norte do estado de Nevada (cerca de 50 mil participaram em 2012 — veja a figura da cidade a seguir).

Da noite para o dia, uma cidade formada por tendas e barracas é levantada sobre a areia. Essa cidade, conhecida como Cidade da Rocha Preta, é construída no formato de uma gigantesca letra "C" em torno de uma figura enorme: O Homem em Chamas. Construída de madeira, essa efígie humana de 12 metros de altura é o ponto focal para a celebração que ocorre em um fim de semana. No fim da semana, o Homem é ritualmente incendiado, seguido pela queima do Templo no domingo. Esse "templo" é um enorme santuário construído com o tema da Queima em mente. Em 2009, o tema foi Evolução; em 2010, "Metrópolis"; em 2011, "Ritos de Passagem"; e, em 2012, foi "Fertilidade".

Mas, do que se trata exatamente o "Homem Queimado"? É um festival da inclusividade — um ajuntamento de pessoas de todos os segmentos sociais, com uma abordagem decididamente boêmia. Artesãos de todos os tipos criam esculturas singulares e outros trabalhos artísticos no deserto e acampamentos temáticos independentes são organizados de acordo com os gostos dos grupos participantes; tudo, desde "cura interior" até jogos de bola para os Guardiões da Terra. O aventureirismo sexual e todos os tipos de estilos de vida alternativos são aceitos. O uso de roupas é opcional. É uma semana de rituais e de cerimônias pagãs, com festas e libertinagem. Ninguém é considerado espectador, todos devem participar da construção do "novo mundo".

O Homem Queimado é considerado uma "placa de Petri para o pós-modernismo" e define um tipo de padrão cultural para os EUA. "Queimas" regionais e eventos derivados estão agora ocorrendo em várias partes do mundo.

Nota: A primeira fotografia abaixo é o "Homem" em seu pedestal durante a semana da queima. No sábado, no fim da semana, o Homem é destruído e lançado ao chão. A segunda imagem é uma foto aérea da cidade da Rocha Preta, a comunidade das barracas que surge em volta do Homem.

1-6 de Setembro: Semana Mundial da Água.
Onde: Estocolmo, Suécia.

Organizada pela Parceria Global da Água, junto com o Fundo Mundial para a Natureza e o Conselho Empresarial Mundial para o Desenvolvimento Sustentável, esta conferência de uma semana de duração trabalhará para despertar a conscientização para a cooperação global pela água. Ela "identificará problemas na educação, diplomacia, bem como gestão da água entre fronteiras, financiamento, estruturas jurídicas nacionais e internacionais, e vinculações com os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, da ONU. Ela também fornecerá uma oportunidade para capitalizar o ímpeto criado na Conferência Sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), das Nações Unidas..." A segurança regional e global da água, gestão transnacional da água e o papel da água como parte dos recursos globais comuns serão discutidos.

A Semana Mundial da Água é o evento no topo da pirâmide para o Ano Internacional de Cooperação pela Água, da ONU.

5-6 de Setembro: Cimeira do G20.
Onde: São Petersburgo, Rússia.

Pela primeira vez na história do G20, a Rússia presidirá este importante encontro de representantes de 19 países mais a União Europeia. Ao contrário do G8, que enfoca os chefes de Estado, o G20 gira em torno dos presidentes de bancos centrais, ministros da fazenda e líderes dos governos. É um encontro das elites financeiras, bancária e políticas do mundo.

O foco em 2013 estará na criação da estrutura financeira global, reforma das instituições internacionais, fortalecimento das regulações financeiras internacionais, comércio multilateral e estratégias globais para o crescimento dos níveis de emprego. A infraestrutura da energia e "economias verdes", dois componentes interrelacionados da agenda global de desenvolvimento, serão discutidos. O papel do Fundo Monetário Internacional, do Banco Mundial, do Banco das Compensações Internacionais e dos bancos regionais de desenvolvimento, em relacionamento com a economia integrada globalmente também será discutido. Acredita-se que haverá discussões sobre o status das moedas de reserva internacional. Comentando sobre o desempenho e influência do G20, John Kirton, do Grupo de Pesquisa do G20 escreveu o seguinte:

"Os encontros de cúpula do G20 estão transformando mais amplamente a própria arquitetura da governança global, criando as instituições das quais o mundo depende. Eles levantaram os recursos e reformaram a proporção de votação no FMI e no Banco Mundial — tarefas que esses órgãos tentaram, porém fracassaram repetidamente em conseguir fazer por conta própria. Além disso, em um mundo em que a regulação financeira internacional se tornou uma peça central, o G20 criou o terceiro pilar do sistema de Bretton Woods, na forma da Junta de Estabilidade Financeira, agora dominada pelo G20."

Mantenha seus olhos no G20 à medida que a economia mundial continuar a enfrentar problemas em 2013.

21 de Setembro: Dia Internacional da Paz.
Onde: Global.

Instituído pelas Nações Unidas, o Dia Internacional da Paz tem o objetivo de promover a co-existência pacífica entre as nações. Todas as principais religiões participam nesse evento anual com cerimônias da paz, celebrações, rituais e meditação a favor da harmonia mundial.

De acordo com a página na Internet do Dia Internacional da Paz, "Desde sua criação, o Dia da Paz marca nosso progresso pessoal e planetário em direção à paz. Ele cresceu para incluir milhões de pessoas, em todas as partes do mundo e, a cada ano, eventos são organizados para comemorar e celebrar esse dia. Os eventos variam em escala, desde reuniões privadas até concertos e foros para o público, em que centenas de milhares de pessoas participam."

Associada com o Dia Internacional da Paz está a Vigília da Paz, que reúne uma "dimensão espiritual" de raiz popular ao projeto do Dia Internacional da Paz. Essa vigília é apoiada por diversas organizações religiosas, incluindo a Sociedade Etérea (hindu), a Igreja da Cientologia, Um Curso em Milagres (Nova Era), Na Luz (um grupo interfé hindu/muçulmano), o Templo Yun Lin (budista) e o Comitê Central Menonita (uma denominação evangélica).

Outubro (data ainda não divulgada): Foro Mundial da Cultura Espiritual.
Onde: Astana, Casaquistão.

Em 2010, cerca de 700 participantes de todo o mundo reuniram-se em Astana para discutirem o desenvolvimento de uma "cultura espiritual" mundial no contexto da harmonia global social e espiritual, com o objetivo de criarem um foro espiritual global em 2013 que envolva "uma fraternidade espiritual".

Esse foro, uma "mesa redonda espiritual" que recebe o apoio do governo do Casaquistão, está agora programado para ocorrer no Palácio da Paz e da Reconciliação, em Astana, uma pirâmide de 77 metros de altura dedicada à ordem mundial e à unidade espiritual global. De acordo com o informe divulgado à imprensa pelo organizador, o objetivo de longo prazo do Foro de 2013 é "alcançar e sustentar um ESTADO DE PAZ MUNDIAL estável — portanto, é necessário estabelecer a base científica e organizacional para uma HARMONIA MUNDIAL social global." (maiúsculas no original).

Dezembro (data ainda não divulgada): Conferência Internacional dos Presidentes dos Supremos Tribunais do Mundo.
Onde: Lucknow, Índia.

Esta é a décima quarta Conferência Internacional de Juízes-Presidentes de Supremas Cortes e tem o objetivo de incentivar os juízes, oficiais dos tribunais e a comunidade jurídica a usarem e implementarem o Direito Internacional e colocá-lo como um padrão reconhecido para as nações e para os indivíduos. De acordo com a literatura da conferência, "... existe a necessidade urgente de mudanças na governança global, para impor a Lei Internacional e fortalecer a Corte Internacional de Justiça como um Tribunal Mundial com uma jurisdição mais ampla. As reuniões anuais anteriores dos juízes-presidentes de Supremas Cortes tiveram como temas centrais a imposição da Lei Internacional e do governo global, e incluíram aproximadamente 500 juízes-presidentes, juízes e chefes de Estados.

Um aspecto singular desse evento é que ele é promovido pela Escola Cidade Montessori, em Lucknow — a "maior escola de pupilos em uma única cidade", com mais de 44 mil alunos. A escola promove fortemente a cidadania mundial e o governo mundial e, enquanto a Conferência dos Juízes-Presidentes estiver sendo realizada, os estudantes farão uma petição para que os líderes judiciais considerem a Lei Internacional como um modo de proteger as crianças do planeta.

14-21 de Dezembro: Décima Terceira Sessão do Parlamento Mundial Provisório.
Onde: Lucknow, Índia.

A Associação Parlamento e Constituição do Mundo (WCPA, de World Constitution and Parliament Association) realizará sua décima terceira sessão do Parlamento Mundial Provisório que busca detalhar e avançar a ideia de um único governo mundial e uma constituição mundial. Espera-se que a WCPA explore diversos conceitos interrelacionados: democracia global, uma revisão da Carta das Nações Unidas, e uma união federal mundial por meio de uma Constituição da Terra, com força de lei.

Embora a WCPA seja relativamente desconhecida no Ocidente (ela é uma derivação da comunidade Federalista Mundial), a organização ganhou a atenção dos líderes e pensadores de partes do mundo em desenvolvimento.



Fonte: Forcing Change, Edição 12, Volume 6.
Data da publicação: 7/1/2013
Transferido para a área pública em 12/10/2013
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/fc-12-2012.asp