Colapso Iminente: O Que o Profeta Jeremias Disse Sobre o Reino de Judá Aplica-se Igualmente à Nossa Sociedade Hoje

Autor: Jeremy James, junho de 2012.

"Não creram os reis da terra, nem todos os moradores do mundo, que entrasse o adversário e o inimigo pelas portas de Jerusalém." [Lamentações 4:12].

O Ocidente não está com medo, mas deveria estar. Seus inimigos satânicos, tanto internos quanto externos, estão trabalhando com afinco para solapar e destruir as nações há mais de um século. O progresso deles foi rápido nos anos recentes e a evidência está claramente visível para todos que queiram ver.

Nos países ocidentais, a população sempre assumiu que Deus estava do seu lado. Como nações em grande parte cristãs, com um forte comprometimento com os valores bíblicos, essa suposição pode ter sido válida no passado, mas não é mais hoje.

Se examinarmos os escritos do profeta Jeremias, veremos que as condições espirituais e morais hoje são virtualmente idênticas às que existiam em Judá quando Jerusalém foi destruída, no ano 586 AC. O profeta não estava falando sobre nós, mas revelou em termos dramáticos, e até assustadores, a terrível retribuição que o Senhor derrama sobre uma nação que deliberada e flagrantemente se afasta Dele e se volta para outros deuses.

Deus não faz acepção de pessoas. Nenhuma nação está isenta de Seu julgamento se persistir em se rebelar contra as leis e preceitos simples que Deus nos deu. Isto, por sua vez, pode ser rastreado à uma descarada negligência acerca da própria existência de Deus:

"Porventura esquece-se a virgem dos seus enfeites, ou a noiva dos seus adornos? Todavia o meu povo se esqueceu de mim por inumeráveis dias." [Jeremias 2:32].

Os Pastores

Como no antigo reino de Judá, a deterioração teve início entre os líderes religiosos:

"Porque os pastores se embruteceram, e não buscaram ao SENHOR; por isso não prosperaram, e todos os seus rebanhos se espalharam." [Jeremias 10:21].

Em vez de se alimentarem com a Palavra de Deus e pregarem essa palavra para suas congregações, em toda sua pureza, eles falharam nesse encargo e permitiram que o vinho azedasse:

"Muitos pastores destruíram a minha vinha, pisaram o meu campo; tornaram em desolado deserto o meu campo desejado." [Jeremias 12:10].

Em vez de pregarem a Palavra verdadeiramente, eles causaram confusão e descrença, falando aquilo que estava em seus próprios corações — embora em muitos casos com sinceridade — e fizeram o rebanho confiar no homem, em vez de em Deus:

"Ai dos pastores que destroem e dispersam as ovelhas do meu pasto, diz o SENHOR." [Jeremias 23:1].

"Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Não deis ouvidos às palavras dos profetas, que entre vós profetizam; fazem-vos desvanecer; falam da visão do seu coração, não da boca do SENHOR." [Jeremias 23:16].

Eles olharam para seus próprios corações e pregaram suas próprias opiniões sobre a verdade. Seus sonhos e visões tomaram precedência sobre a Palavra de Deus:

"Eis que eu sou contra os que profetizam sonhos mentirosos, diz o SENHOR, e os contam, e fazem errar o meu povo com as suas mentiras e com as suas leviandades; pois eu não os enviei, nem lhes dei ordem; e não trouxeram proveito algum a este povo, diz o SENHOR." [Jeremias 23:32].

"E disse-me o SENHOR: Os profetas profetizam falsamente no meu nome; nunca os enviei, nem lhes dei ordem, nem lhes falei; visão falsa, e adivinhação, e vaidade, e o engano do seu coração é o que eles vos profetizam." [Jeremias 14:14].

Um número grande demais estava preocupado principalmente com as coisas materiais e não tinha convicção real em como serviam ao Senhor. Ele tinham estilo, mas não substância e não possuiam desejo genuíno algum de confrontar o inimigo:

"Portanto darei suas mulheres a outros, e os seus campos a novos possuidores; porque desde o menor até ao maior, cada um deles se dá à avareza; desde o profeta até ao sacerdote, cada um deles usa de falsidade." [Jeremias 8:10].

"Maldito aquele que fizer a obra do Senhor fraudulosamente; e maldito aquele que retém a sua espada do sangue." [Jeremias 48:10].

A População

Infelizmente, como no antigo reino de Judá, as nações ocidentais têm hoje os pastores que merecem:

"Os profetas profetizam falsamente, e os sacerdotes dominam pelas mãos deles, e o meu povo assim o deseja; mas que fareis ao fim disto?" [Jeremias 5:31].

As pessoas também não se interessam muito pela Palavra de Deus:

"A quem falarei e testemunharei, para que ouça? Eis que os seus ouvidos estão incircuncisos, e não podem ouvir; eis que a palavra do SENHOR é para eles coisa vergonhosa, e não gostam dela." [Jeremias 6:10].

"Todo o homem é embrutecido no seu conhecimento; envergonha-se todo o fundidor da sua imagem de escultura; porque sua imagem fundida é mentira, e nelas não há espírito." [Jeremias 10:14].

Mas, o pior é que eles se afastaram do Senhor e se recusam a conhecê-Lo. Consequentemente:

"Deveras o meu povo está louco, já não me conhece; são filhos néscios, e não entendidos; são sábios para fazer mal, mas não sabem fazer o bem." [Jeremias 4:22].

"Negaram ao SENHOR, e disseram: Não é ele; nem mal nos sobrevirá, nem veremos espada nem fome." [Jeremias 5:12].

"E ainda que digam: Vive o SENHOR, de certo falsamente juram." [Jeremias 5:2]

Sem possuirem a capacidade de distinguir claramente entre o bem e o mal, suas ações abomináveis não produzem senso algum de culpa ou de vergonha:

"Porventura envergonham-se de cometer abominação? Pelo contrário, de maneira nenhuma se envergonham, nem tampouco sabem que coisa é envergonhar-se; portanto cairão entre os que caem; no tempo em que eu os visitar, tropeçarão, diz o SENHOR." [Jeremias 6:15].

"E lhes dirás: Esta é a nação que não deu ouvidos à voz do SENHOR seu Deus e não aceitou a correção; já pereceu a verdade, e foi cortada da sua boca." [Jeremias 7:28].

Embora tenham recebido muitas advertências e sido exortados repetidamente a serem obedientes aos preceitos e estatutos do Senhor, eles não quiseram dar ouvidos:

"Mas não ouviram, nem inclinaram os seus ouvidos, antes andaram cada um conforme o propósito do seu coração malvado; por isso trouxe sobre eles todas as palavras desta aliança que lhes mandei que cumprissem, porém não cumpriram." [Jeremias 11:8].

Adultério Generalizado

A imaginação do homem mediano hoje está voltada principalmente para as fantasias sexuais. O povo no reino de Judá também gastava grande parte de seu tempo em prazeres sexuais e em pensamentos lascivos:

"Como cavalos bem fartos, levantam-se pela manhã, rinchando cada um à mulher do seu próximo." [Jeremias 5:8].

Eles também transformaram suas fantasias em realidade:

"Porquanto fizeram loucura em Israel, e cometeram adultério com as mulheres dos seus vizinhos, e anunciaram falsamente, em meu nome uma palavra, que não lhes mandei, e eu o sei e sou testemunha disso, diz o SENHOR." [Jeremias 29:23].

"Já vi as tuas abominações, e os teus adultérios, e os teus rinchos, e a enormidade da tua prostituição sobre os outeiros no campo; ai de ti, Jerusalém! Até quando ainda não te purificarás?" [Jeremias 13:27].

"Como, vendo isto, te perdoaria? Teus filhos me deixam a mim e juram pelos que não são deuses; quando os fartei, então adulteraram, e em casa de meretrizes se ajuntaram em bandos." [Jeremias 5:7].

"Porque a terra está cheia de adúlteros, e a terra chora por causa da maldição; os pastos do deserto se secam; porque a sua carreira é má, e a sua força não é reta." [Jeremias 23:10].

"Nos profetas de Samaria bem vi loucura; profetizavam da parte de Baal, e faziam errar o meu povo Israel. Mas nos profetas de Jerusalém vejo uma coisa horrenda: cometem adultérios, e andam com falsidade, e fortalecem as mãos dos malfeitores, para que não se convertam da sua maldade; eles têm-se tornado para mim como Sodoma, e os seus moradores como Gomorra." [Jeremias 23:13-14].

Idolatria Generalizada

Tendo virado as costas para Deus, eles começaram a adorar falsos deuses e a se envolver naquilo que hoje chamamos de práticas de Nova Era:

"Houve alguma nação que trocasse os seus deuses, ainda que não fossem deuses? Todavia o meu povo trocou a sua glória por aquilo que é de nenhum proveito. Espantai-vos disto, ó céus, e horrorizai-vos! Ficai verdadeiramente desolados, diz o SENHOR." [Jeremias 2:11-12].

"Porventura furtareis, e matareis, e adulterareis, e jurareis falsamente, e queimareis incenso a Baal, e andareis após outros deuses que não conhecestes, e então vireis, e vos poreis diante de mim nesta casa, que se chama pelo meu nome, e direis: Fomos libertados para fazermos todas estas abominações? É pois esta casa, que se chama pelo meu nome, uma caverna de salteadores aos vossos olhos? Eis que eu, eu mesmo, vi isto, diz o SENHOR." [Jeremias 7:9-11].

Baal é Satanás, o príncipe deste mundo. Ele também é o deus-sol, conhecido por vários nomes em diferentes civilizações. Os anjos caídos que o servem são descritos muitas vezes na Bíblia como "o exército do céu". Quando o julgamento vier, os ossos daqueles que serviram aos anjos caídos serão revirados, como esterco sobre a face da terra:

"Naquele tempo, diz o SENHOR, tirarão para fora das suas sepulturas os ossos dos reis de Judá, e os ossos dos seus príncipes, e os ossos dos sacerdotes, e os ossos dos profetas, e os ossos dos habitantes de Jerusalém; e expô-los-ão ao sol, e à lua, e a todo o exército do céu, a quem tinham amado, e a quem tinham servido, e após quem tinham ido, e a quem tinham buscado e diante de quem se tinham prostrado; não serão recolhidos nem sepultados; serão como esterco sobre a face da terra." [Jeremias 8:1-2].

Aqueles que não forem mortos serão levados cativos a Babilônia:

"E vós não deis ouvidos aos vossos profetas, e aos vossos adivinhos, e aos vossos sonhos, e aos vossos agoureiros, e aos vossos encantadores, que vos falam, dizendo: Não servireis ao rei de Babilônia. Porque mentiras vos profetizam, para vos mandarem para longe da vossa terra, e para que eu vos expulse dela, e pereçais." [Jeremias 27:9-10].

A idolatria deles tinha dois elementos que eram particularmente ofensivos ao Senhor: o primeiro era a adoração a uma deusa, o que é encontrado hoje no movimento de Nova Era e na adoração mariana praticada no Catolicismo Romano:

"Os filhos apanham a lenha, e os pais acendem o fogo, e as mulheres preparam a massa, para fazerem bolos à rainha dos céus, e oferecem libações a outros deuses, para me provocarem à ira." [Jeremias 7:18].

"Assim diz o SENHOR dos Exércitos, Deus de Israel: Vós vistes todo o mal que fiz vir sobre Jerusalém, e sobre todas as cidades de Judá; e eis que elas são hoje uma desolação, e ninguém habita nelas; por causa da maldade que fizeram, para me irarem, indo queimar incenso, e servir a deuses estranhos, que nunca conheceram, nem eles, nem vós, nem vossos pais. E eu vos enviei todos os meus servos, os profetas, madrugando e enviando a dizer: Ora, não façais esta coisa abominável que odeio... Porque queimastes incenso, e porque pecastes contra o SENHOR, e não obedecestes à voz do Senhor, e na sua lei, e nos seus testemunhos não andastes, por isso vos sucedeu este mal, como se vê neste dia." [Jeremias 44:2-4,23].

A outra forma de idolatria, que era extremamente ofensiva ao Senhor, era o sacrifício de crianças. Naqueles dias, uma criança recém-nascida era levada até a grande estátua de bronze de Moloque — outra face de Satanás — no Vale de Hinon e lançada viva na fornalha. O equivalente moderno disto é o aborto, em que um bebê nascituro é primeiro assassinado e depois queimado.

"Até nas orlas dos teus vestidos se achou o sangue das almas dos inocentes e necessitados; não cavei para achar, pois se vê em todas estas coisas." [Jeremias 2:34].

"Porque os filhos de Judá fizeram o que era mau aos meus olhos, diz o SENHOR; puseram as suas abominações na casa que se chama pelo meu nome, para contaminá-la. E edificaram os altos de Tofete, que está no Vale do Filho de Hinom, para queimarem no fogo a seus filhos e a suas filhas, o que nunca ordenei, nem me subiu ao coração." [Jeremias 7:30-31].

"Porquanto me deixaram e alienaram este lugar, e nele queimaram incenso a outros deuses, que nunca conheceram, nem eles nem seus pais, nem os reis de Judá; e encheram este lugar de sangue de inocentes. Porque edificaram os altos de Baal, para queimarem seus filhos no fogo em holocaustos a Baal; o que nunca lhes ordenei, nem falei, nem me veio ao pensamento." [Jeremias 19:4-5].

É necessário estudar a Palavra de Deus em sua totalidade para apreciar a natureza intensamente ofensiva da idolatria aos olhos de Deus. Em Jeremias 44:4 ela é descrita como "esta coisa abominável que odeio". O Capítulo 3 destaca a terrível traição que a idolatria envolve:

"Deveras, como a mulher se aparta aleivosamente do seu marido, assim aleivosamente te houveste comigo, ó casa de Israel, diz o SENHOR." [Jeremias 3:20].

O Senhor Propõe o Arrependimento

Por meio de Seu servo Jeremias, o Senhor chamou os filhos de Israel ao arrependimento, mas eles não quiseram ouvir. Em uma ocasião, Deus até instruiu Jeremias a convocar os líderes e anciãos da nação ao Vale de Hinom e ali proferir um poderoso sermão sobre a condição de afastamento em que eles se encontravam e as terríveis consequências para toda a nação se eles não se arrependessem e retornassem aos caminhos do Senhor. Como um auxílio visual, o Senhor mandou que Jeremias levasse um vaso de cerâmica consigo e, ao fim do discurso, quebrasse o vaso em pedaços, como uma demonstração de quão súbita, feroz e decisivamente o castigo seria aplicado:

"Então quebrarás a botija à vista dos homens que forem contigo. E dir-lhes-ás: Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Deste modo quebrarei eu a este povo, e a esta cidade, como se quebra o vaso do oleiro, que não pode mais refazer-se, e os enterrarão em Tofete, porque não haverá mais lugar para os enterrar." [Jeremias 19:10-11]

"Assim diz o SENHOR: Ponde-vos nos caminhos, e vede, e perguntai pelas veredas antigas, qual é o bom caminho, e andai por ele; e achareis descanso para as vossas almas; mas eles dizem: Não andaremos nele." [Jeremias 6:16].

"Mas não me deram ouvidos, nem inclinaram os seus ouvidos, mas endureceram a sua cerviz, e fizeram pior do que seus pais." [Jeremias 7:26].

"Eu escutei e ouvi; não falam o que é reto, ninguém há que se arrependa da sua maldade, dizendo: Que fiz eu? Cada um se desvia na sua carreira, como um cavalo que arremete com ímpeto na batalha." [Jeremias 8:6].

Um número muito grande de cristãos professos hoje é exatamente assim, afirmando inocência com as palavras "Que fiz eu?".

Jeremias fez estas advertências ao longo de muitos anos, mas ninguém quis ouvir. Ele foi vituperado por seus esforços e acusado de pessimismo impatriótico, de solapar a moral da população e até de incitá-la à traição. Ele foi surrado, maltratado e lançado no calabouço. O tratamento que ele recebeu refletiu a atitude geral entre o povo, uma recusa perversa e obstinada em reconhecer sua terrível condição espiritual e sua depravação moral.

O Senhor Adverte Sobre as Consequências

Ao chamar o povo ao arrependimento, o Senhor advertiu que a iniquidade e a rebelião contínuas teriam consequências terríveis:

"Circuncidai-vos ao SENHOR, e tirai os prepúcios do vosso coração, ó homens de Judá e habitantes de Jerusalém, para que o meu furor não venha a sair como fogo, e arda de modo que não haja quem o apague, por causa da malícia das vossas obras." [Jeremias 4:4].

"Deixaria eu de castigar por estas coisas, diz o SENHOR, ou não se vingaria a minha alma de uma nação como esta?" [Jeremias 5:9].

"Portanto assim diz o Senhor DEUS: Eis que a minha ira e o meu furor se derramarão sobre este lugar, sobre os homens e sobre os animais, e sobre as árvores do campo, e sobre os frutos da terra; e acender-se-á, e não se apagará." [Jeremias 7:20].

"Por isso um leão do bosque os feriu, um lobo dos desertos os assolará; um leopardo vigia contra as suas cidades; qualquer que sair delas será despedaçado; porque as suas transgressões se avolumam, multiplicaram-se as suas apostasias." [Jeremias 5:6].

O Senhor Proíbe Jeremias de Orar Pelo Reino de Judá

Com toda essa infidelidade, apostasia e a idolatria, era difícil encontrar um único indivíduo em Jerusalém que ainda servisse ao Senhor. Jeremias foi instruído a confirmar isto por si mesmo, saindo pelas ruas da cidade e tentando encontrar um único homem que ainda buscasse a verdade:

"Dai voltas às ruas de Jerusalém, e vede agora; e informai-vos, e buscai pelas suas praças, a ver se achais alguém, ou se há homem que pratique a justiça ou busque a verdade; e eu lhe perdoarei." [Jeremias 5:1].

A condição espiritual do povo era tão alarmante, sua apostasia tão severa, que o Senhor ordenou que Jeremias não mais orasse por ele:

"Tu, pois, não ores por este povo, nem levantes por ele clamor ou oração, nem me supliques, porque eu não te ouvirei." [Jeremias 7:16].

O fato de Deus não permitir que o profeta interceda mais é realmente um sinal da terrível condição espiritual e moral em que o povo caiu. O próprio Deus afasta qualquer sugestão que isso possa ser devido a alguma leviandade no próprio Jeremias, quando diz:

"Disse-me, porém, o SENHOR: Ainda que Moisés e Samuel se pusessem diante de mim, não estaria a minha alma com este povo; lança-os de diante da minha face, e saiam." [Jeremias 15:1].

Além disso, quando o julgamento fosse derramado, como foi, Deus não daria ouvidos aos gritos da população, quando ela finalmente se voltasse para Deus, em busca de proteção:

"Tu, pois, não ores por este povo, nem levantes por ele clamor nem oração; porque não os ouvirei no tempo em que eles clamarem a mim, por causa do seu mal." [Jeremias 11:14].

"E fá-los-ei em pedaços atirando uns contra os outros, e juntamente os pais com os filhos, diz o SENHOR; não perdoarei, nem pouparei, nem terei deles compaixão, para que não os destrua." [Jeremias 13:14].

O Povo Confiava em Sua Própria Força

A tragédia vindoura parecerá ainda mais terrível porque poderia ter sido facilmente evitada. Mas, o povo acreditava em sua própria força:

"Assim diz o SENHOR: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do SENHOR!" [Jeremias 17:5].

Pela boca de Seu servo Jeremias, o Senhor exortou o povo a examinar a si mesmo e perguntar o que essa força tinha realmente feito por ele:

"Se te fatigas correndo com homens que vão a pé, como poderás competir com os cavalos? Se tão-somente numa terra de paz estás confiado, como farás na enchente do Jordão?" [Jeremias 12:5].

Em um tempo de paz, quando essa suposta força deveria realizar grandes coisas, eles apenas conseguiam fazer aquilo que precisava ser feito — eles tinham de se afadigar apenas para permanecer onde estavam. O que então fariam quando a guerra viesse, quando a paz fosse feita em pedaços e eles precisassem enfrentar seus inimigos?

A situação deles era lamentável, porém eles agiam como se fossem invencíveis. A grande tragédia é que um remédio completo e perfeito estava à disposição, desde que eles reconhecessem sua doença e a necessidade que tinham de um médico.

"Porventura não há bálsamo em Gileade? Ou não há lá médico? Por que, pois, não se realizou a cura da filha do meu povo?" [Jeremias 8:22].

Estas estão entre as palavras mais tocantes emt toda a Bíblia. A região de Gileade era bem conhecida por seus unguentos e loções terapêuticas, bem como pelos médicos especializados em sua aplicação. Esta misericórdia restauradora estava prontamente disponível para todos que precisassem dela. Lamentavelmente, os filhos de Israel, que sofriam de uma doença espiritual correspondente, persistiam em rejeitar o bálsamo do Senhor:

"Por que, pois, se desvia este povo de Jerusalém com uma apostasia tão contínua? Persiste no engano, não quer voltar." [Jeremias 8:5].

A Mensagem para Nós Hoje

Mesmo entre os cristãos professos, poucos aceitariam que esta avaliação profundamente deprimente feita por Jeremias da condição espiritual do povo de Judá é igualmente aplicável à nossa própria nação. Um número menor ainda concluiria que exatamente o mesmo julgamento aterrorizador é certo e está para acontecer. De fato, para muitos, isto dificilmente parece possível:

"Não creram os reis da terra, nem todos os moradores do mundo, que entrasse o adversário e o inimigo pelas portas de Jerusalém." [Lamentações 4:12].

Vamos realizar uma auditoria de onde estamos hoje:

Pastores:

Somente uma minúscula porcentagem de igrejas cristãs hoje prega toda a Palavra de Deus. A maioria já abandonou a tradução fidedigna de João Ferreira de Almeida (Revista e Corrigida ou Corrigida e Fiel) em favor das traduções modernas, que solapam a defesa das doutrinas fundamentais da fé cristã. A maioria das igrejas é isenta de impostos, o que significa que elas aceitam dinheiro do governo em troca do silêncio em questões políticas, mesmo quando o silêncio está em conflito com o mandado bíblico de repreendermos o mal.

Muitos pastores são homossexuais, adúlteros, divorciados, maçons ou veem regularmente pornografia na Internet. Um grande número de pastores prega o Evangelho da Prosperidade ou um evangelho social (ambos os quais não têm poder algum de salvar). Muitos também ensinam filosofia motivacional, positiva, auto-estima, não julgue ninguém, não existe o inferno, etc., em vez de o Evangelho puro.

Virtualmente, nenhum deles condena o pecado de forma veemente e regular. Esta falha é particularmente aguda com relação ao aborto e às perversões sexuais. O temor a Deus é raramente mencionado. A maioria ensina a Evolução de uma forma ou de outra, e também rejeita a inerrância e a verdade literal da Bíblia.

Além disso, a maioria ensina que a igreja substituiu Israel nas promessas da aliança de Deus e, como resultado, tem pouca ou nenhuma compreensão das profecias bíblicas. Muitos apoiam a prática da ioga, a contemplação espiritual e uma variedade de práticas místicas e de Nova Era. A maioria tem um perfil ecumênico, o que significa que eles deliberadamente enfatizam certos elementos da Palavra de Deus à custa de outros, e reduzem o Evangelho para se encaixar em uma fórmula interdenominacional e interfé.

Eles se recusam a reconhecer sua verdadeira condição espiritual. Além disso, quando questionados, eles reagem dizendo exatamente o mesmo que o povo de Judá no tempo de Jeremias — "O que fiz?"

Cristãos Professos:

Poucos cristãos professos descrevem a si mesmos como "nascidos de novo", onde esse termo tem o mesmo significado que tinha para seus avós. Muitos admitem não terem um relacionamento pessoal com Jesus Cristo. Poucos leem ou estudam a Bíblia regularmente. Muitos não conseguem dar uma descrição biblicamente exata do Evangelho. A memorização das Escrituras é virtualmente desconhecida e muitos são profundamente ignorantes do Velho Testamento.

A maioria acredita na Teoria da Evolução e rejeita os valores morais imutáveis encontrados na Bíblia, em favor de normas de comportamento determinadas pela cultura moderna. Uma porcentagem considerável de seu tempo livre é gasta na busca de coisas que não somente deixam de honrar a Deus, mas que na verdade estão em conflito com os padrões bíblicos, como, por exemplo, assistir a programas de televisão carregados de violência e sensualidade, ou ouvir música Rock.

A maioria acredita que um Deus justo e santo nunca condenaria alguém ao inferno e que quase todos serão salvos eventualmente, até mesmo aqueles que nunca ouviram o Evangelho. Para a maioria, é muito mais importante ser uma ótima pessoa do que viver de forma piedosa diante de Deus.

E eles ainda dizem: "O que fiz?"

A Sociedade Cristã:

Os EUA tiveram no passado uma sociedade cristã, mas isto não é mais verdadeiro hoje. Além disso, a proporção de cristãos (ou dos que professam serem cristãos) não mais se esforça para projetar os valores bíblicos em sua comunidade. Eles permitiram que a oração fosse removida das escolas públicas e que os Dez Mandamentos e outras evidências dos valores cristãos fossem removidos dos lugares públicos. Além disso, eles toleram e praticam o aborto.

Eles permitiram que as principais instituições do Estado fossem controladas ou capturadas completamente pelos maçons, ateístas, marxistas, e membros do Movimento de Nova Era. Ele permitiram maior proteção para as tradições espirituais dos muçulmanos do que as dos cristãos. Eles fizeram todos os esforços para atender às exigências dos outros grupos, com sério prejuízo para seu próprio grupo. Cada vez mais, o termo "cristão" é usado para incluir católicos romanos e os mórmons. Os cristãos também ignoraram por muito tempo a terrível ameaça que a feitiçaria e o satanismo representam para sua sociedade.

Além disso, eles não fazem nada quando outros cristãos são penalizados pelo Estado por professarem e proclamarem os valores bíblicos.

E eles ainda dizem: "O que fiz?"

Idolatria e Adultério:

Desde sua fundação, a nação norte-americana foi fortemente influenciada pela Maçonaria, porém a maior parte da população permaneceu fiel à Bíblia. Mas, esse comprometimento se enfraqueceu com o passar do tempo e passou por uma mudança radical nos anos 1950s e 1960s, até que foi finalmente abandonado em 1973, quando os cristãos daquele país aceitaram a legalização do aborto — o assassinato dos bebês nascituros — por uma Suprema Corte controlada pelos maçons. Como resultado, cerca de um milhão de crianças é abortada todos os anos nos EUA para a conveniência social e econômica de suas mães, muitas das quais são cristãs professas. Baal é o deus de Washington DC e os valores da nação são os valores de Baal.

O cristão americano mediano passou a pensar em Cristo como um profeta, em vez de a segunda pessoa da Trindade. O iminente retorno de Jesus Cristo tem sido em grande parte esquecido e as igrejas assumiram sobre si a tarefa de trazerem o reino de Deus.

A nação é controlada pela seita luciferiana da Maçonaria, que por sua vez cooptou muitos outros grupos anticristãos para ajudá-la na subversão — marxistas, eugenistas, ambientalistas, feministas, humanistas, aderentes da Nova Era, etc. A Igreja Católica Romana, principalmente por meio da Ordem dos Jesuítas, foi muito bem-sucedida nos últimos cem anos em infiltrar e solapar as igrejas cristãs evangélicas e em subverter e corromper o processo político, até o ponto em que hoje controla a Suprema Corte.

A promiscuidade e as perversões sexuais estão desmedidas na sociedade hoje. O estupro de crianças é comum; a sodomia é considerada um direito e a instituição cristã do casamento foi aviltada por redefinições jurídicas que incluem parceria e casamento entre pessoas do mesmo sexo. As indústrias da pornografia e da prostituição estão florescendo e a circulação clandestina dos filmes snuff (que retratam estupros, torturas e homicídios reais sendo praticados diante das câmeras) está agora bem-estabelecida.

Conclusão

Não é necessário estender esta auditoria da sociedade nestes últimos dias para incluir a corrupção no governo, das autoridades estaduais e federais, das grandes empresas, ou do sistema financeiro, para não mencionar os cartéis de drogas, os sindicatos do crime e outros grupos ilícitos e imorais. A situação no nível de raiz popular é mais do que suficiente para mostrar que nossa sociedade hoje é tão decadente e depravada quanto a sociedade do reino de Judá no tempo do profeta Jeremias.

É possível que somente 1% da população hoje seja formada por cristãos verdadeiros e tementes a Deus? Somente o Senhor sabe a resposta. Mas, se isto fosse verdade, então certamente veríamos 2-3 milhões de pessoas protestando vigorosamente e em alta voz contra as indústrias do aborto e da pornografia, somente para mencionar duas das mais evidentes.

Você pode ouvi-los? Não.

Eu também não.

O Senhor vai poupar esta nação, se menos de 1% de seus cidadãos são crentes verdadeiros? Até aqui Ele tem feito isto, mas por quanto tempo continuará? Jeremias pregou suas mensagens de advertência de uma catástrofe iminente durante 40 anos. Até aqui, já se passaram 40 anos desde que a Suprema Corte dos EUA legalizou o aborto no país. A não ser que uma proporção significativa da população se arrependa, se humilhe e volte novamente para o Senhor, o tempo parece que está praticamente esgotado.

E eles ainda dizem: "O que fiz?"



Autor: Jeremy James, artigo em http://www.zephaniah.eu
Transferido para a área pública em 21/7/2015
Data da publicação: 6/10/2013
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/jeremias.asp