Escolha uma cor para o fundo:  

A Próxima Guerra Árabe-Israelense Está Extremamente Próxima — Parte 2 de 2

Recursos úteis para sua maior compreensão

Título do Livro 1


Título do Livro 2


Título do Livro 3

O provável cenário nuclear nessa guerra planejada. Não existe honra entre ladrões; uma vez que os exércitos árabes terminem de aniquilar Israel, o plano deles é aniquilar a população palestina! Prepare-se para outra crise do petróleo e uma onda de ataques terroristas contra as grandes cidades.

A Nova Ordem Mundial está chegando! Você está preparado?

Compreendendo o que realmente é essa Nova Ordem Mundial, e como está sendo implementada gradualmente, você poderá ver o progresso dela nas notícias do dia-a-dia!!

Aprenda a proteger a si mesmo e aos seus amados!

Após ler nossos artigos, você nunca mais verá as notícias da mesma forma.

Agora você está na
"THE CUTTING EDGE"


Resumo da notícia: "1997: A Próxima Guerra Árabe-Israelense, por Emanuel A. Winston, Analista e Comentarista Sobre o Oriente Médio, The Jewish Press, 31/1/1997 volume XLVII, No. 5, págs. 43 e 53:

Na Parte 1, abordamos o plano básico de iniciar outra guerra contra Israel, a sexta guerra, de acordo com nossos cálculos, para aniquilar totalmente o Estado judaico. Os líderes árabes da Síria, Iraque, Irã e Egito concluíram que Israel está singularmente exposto a um ataque agora, e permanecerá assim vulnerável por um breve período de tempo. Nós o encorajamos a ler esse chocante artigo e ver como Israel parece estar vulnerável e perceber que a principal razão pela qual está tão vulnerável é a recém-criada Autoridade Palestina, liderada por Yasser Arafat.

Nossa fonte para essas informações foi o artigo referido da The Jewish Press, mas as informações deles foram coletadas da Inteligência Americana!! Com data de 10/12/1996, compilado e pesquisado pelo Grupo de Trabalho Sobre Terrorismo e Guerra Não-Convencional da Câmara dos Representantes (Deputados) do Congresso Americano, esse relatório da Inteligência intitula-se "Tratando o Novo Ciclo da Luta Árabe-Israelense".

O plano prevê que essa guerra inicie com um levante dos palestinos, liderados pela Força Policial paramilitar palestina, que está fortemente armada. Essa polícia lutará com metralhadoras, com mísseis antitanque e terra-ar disparados a partir do ombro de um soldado. Ela implantará bombas nas principais estradas e entroncamentos e tentará impedir que as forças da reserva civil do exército israelense possam chegar às suas bases ou quartéis.

Os palestinos também vão tentar criar uma batalha feroz para forçar o deslocamento dos blindados israelenses para o centro do país, desguarnecendo as fronteiras. Neste ponto, a Síria e o Egito dispararão seus mísseis Scud contra Israel, possivelmente equipados com diversas armas convencionais e não-convencionais. As armas não-convencionais são as nucleares, biológicas e químicas. Portanto, Israel enfrentará o mais sério e mortal ataque em sua história moderna. Como desta vez os árabes estão equipados com armamentos de fabricação ocidental (européia) e com táticas ocidentais, e como novamente terão uma tremenda superioridade numérica, acreditam que possam destruir Israel.

Voltemos agora para o documento real da Câmara dos Deputados em que esse artigo do The Jewish Press se baseou. Fazemos isso porque o texto original oferece maiores detalhes não mencionados pelo artigo do The Jewish Press, informações que são cruciais para entendermos quão séria e planejada é essa guerra. Enfatizaremos primeiro a questão da participação dos palestinos. Veja o que diz a sinopse da Inteligência Americana:

"No fim de setembro [de 1996], o fator palestino foi adicionado às preparações conjuntas quando a Autoridade Palestina (AP) assinou um importante acordo militar com a Síria. Significativamente, esse acordo é entre a AP — não a OLP — e a Síria, comprometendo explicitamente as forças palestinas nos territórios. A essência do acordo é que as forças 'policiais' palestinas e outros elementos armados (as organizações terroristas) 'incendeiem' o interior de Israel... A Inteligência síria e palestina estabeleceram uma seção de ligação formada por oficiais graduados da Inteligência, com bases em Beirute, Damasco e Gaza. Em contrapartida, a Síria fornecerá armamentos e treinamento avançado para as unidades da OLP nos campos de refugiados no sul do Líbano — unidades desarmadas como parte dos acordos Israel-Líbano."

{Nota: Você vê como os árabes flagrantemente desrespeitam qualquer 'acordo' que façam com Israel? Aqui, concordaram em desarmar as forças da OLP no Líbano, somente para aceitar agora rearmá-las por meio da Síria.}

"Enquanto isso, os preparativos da OLP para uma guerra iminente são evidentes. Em Gaza, Arafat ordenou a construção acelerada de um bunker de comando pessoal, com quatro andares de profundidade. Além disso, a OLP está construindo rapidamente em Gaza uma cadeia de centros de comando, e arsenais — todos subterrâneos e bem fortificados para suportar o bombardeio israelense. Os serviços de segurança da AP estão também acumulando grande quantidade de armamento antitanque e antiaéreo, incluindo mísseis, embora sejam proibidos pelos Acordos de Paz de Oslo."

Vamos parar aqui por um momento e perguntar por que confiamos em qualquer coisa que os árabes "prometam" durante as negociações de um 'acordo'? Esses árabes vêem um acordo da mesma forma como os comunistas viam. O outro lado deve cumprir o acordo à risca, enquanto os árabes nunca esperam cumprir a parte deles. Em vez disso, simplesmente usam o tempo sem conflito para preparar o próximo golpe. Eles mentem e enganam, esperando em breve lançar o golpe final.

Se o plano de batalha seguir conforme previsto, os exércitos árabes terão uma grande dívida de gratidão com os palestinos, pois terão cumprido bem sua missão de atrair as forças israelenses que estão nas fronteiras e em impedir que as forças da reserva civil israelenses cheguem aos quartéis, e causando enormes baixas iniciais entre os militares e a população civil de Israel.

Como isso será verdadeiro, se o plano árabe conseguir destruir Israel, então poderemos ficar surpresos ao descobrir que os árabes não pensam em honrar os palestinos, nem mesmo agradecer a eles; em vez disso, descobrimos que planejam virar-se contra seus irmãos palestinos e aniquilá-los! Vamos agora retornar ao artigo da The Jewish Press:

"O plano árabe realmente prevê a aniquilação do Estado judaico, mas há outro alvo. Os palestinos são um espinho odiado na maior parte do mundo árabe. Embora os ditadores árabes usem os palestinos como uma frente terrorista para recuperar seu orgulho ferido pelas derrotas sofridas nos campos de batalha, nunca lhes permitiram fixar-se como cidadãos em seus países. Sabem que uma vez que aquele povo inteligente e belicoso tenha um Estado funcional, podem e vão causar estragos no mundo árabe. Constantemente estarão exigindo dinheiro, e fazendo chantagens, como no passado. Portanto, durante essa guerra vindoura, os dois alvos são os judeus e os palestinos."

O que você acha disso? Essa parte do plano é muito reveladora, pois mostra exatamente que tipo de gente são os árabes. Eles não são guiados por nenhum tipo de princípio nobre. Odeiam os judeus por causa do ódio racial que existe entre eles há 4.000 anos, e odeiam-se uns aos outros um pouco menos do que odeiam os judeus. Deus bem descreveu os árabes originalmente, há 4.000 anos, no início da formação de suas nações.

Em Gênesis 16:9-12, vemos que os povos árabes originaram-se da união sexual entre Abraão e sua escrava Hagar. Essa concepção pecaminosa produziu um filho, que Hagar chamou de Ismael, conforme a instrução recebida do anjo do Senhor, que lhe apareceu no deserto. Ismael significa "Deus ouve". Muitos árabes consideram Ismael seu antepassado e a Palestina sua terra (confira Gênesis 17:20 e 25:12-18). [Ryrenias Study Bible, Gênesis 16:11].

O anjo então descreveu as características pessoais de Ismael e da nação árabe que surgiria a partir dele. Deus descreveu os árabes de uma maneira precisa em toda a história, quando descreveu como seria Ismael:

"Eis que concebeste, e darás à luz um filho, e chamará o seu nome Ismael, porquanto o SENHOR ouviu a tua aflição. E ele será homem feroz, e a sua mão será contra todos, e a mão de todos contra ele; e habitará diante da face de todos os seus irmãos." [Gênesis 16:11-12].

Isso não descreve os árabes perfeitamente, tanto atualmente, quanto na história antiga? Eles realmente são indomáveis e suas ações parecem incompreensíveis e sem lógica para os ocidentais. Quando não estão odiando os judeus ou o mundo ocidental, lançam seu veneno uns contra os outros!

Agora, vamos retornar ao artigo para ver como os árabes palestinos podem ser mortos por seus irmãos árabes, uma vez que o odiado Estado judeu seja aniquilado. Lembre-se, as forças paramilitares palestinas deverão sofrer pesadas baixas na luta contra o exército de Israel, perdas que deverão chegar perto da aniquilação. Portanto, o único 'alvo' deixado para morrer é a população civil palestina, especialmente os idosos, mulheres e crianças:

Estamos citando novamente o artigo do The Jewish Press, pág. 53. "Da mesma forma como Saddam Hussein procurou destruir os curdos e os iranianos, assim também os palestinos serão mortos por seus irmãos, tanto ao leste quanto ao oeste do rio Jordão. Arafat já deve saber algo disso, pois está construindo bunkers subterrâneos de concreto, com quatro andares de profundidade.".

Assim, temos a possibilidade que a verdadeira aniquilação dos palestinos, conforme predito em diversas passagens nas Escrituras [veja o artigo N1025, "Ore Por Israel — A Guerra Está Próxima"] poderá realmente vir dos outros Estados árabes, como a Síria, Iraque e Irã, em vez de Israel!! Mas, independente de como ocorra, a aniquilação total dos palestinos, a 'casa de Esaú' — ocorrerá, porque o Senhor Deus da Bíblia pronunciou julgamento contra eles. [Veja na Parte 1 um estudo mais completo desses versos aplicáveis.].

Entretanto, a passagem em Obadias parece indicar que a destruição da 'casa de Esaú', os palestinos, virá pela mão de Israel, não pela mão dos árabes:

"E a casa de Jacó será fogo, e a casa de José uma chama, e a casa de Esaú palha; e se acenderão contra eles, e os consumirão; e ninguém mais restará da casa de Esaú, porque o SENHOR o falou."

Quando você coloca a casa de Jacó junto com a casa de José, tem a completa e moderna nação de Israel; portanto, Deus parece estar dizendo aqui que uma chama se formará na nação de Israel e explodirá subitamente, consumindo totalmente a 'casa de Esaú', os palestinos.

Agora, o relatório do Serviço de Inteligência Americano enfoca o "fator nuclear" nessa guerra. Ao ler o relatório, fiquei totalmente convencido que Deus precisará exercer seu poder em favor de Israel, pois a situação realmente parece muito sombria. O pequeno Israel está com seu pescoço na guilhotina. Antes de ler esse relatório da Inteligência, pensava que somente Israel tinha armas nucleares. Agora, compreendo que os árabes também têm. Vamos revisar os detalhes desse relatório do Serviço de Inteligência.

"O fator nuclear tornou-se um elemento crucial no Oriente Médio. O Irã tem armas nucleares, da mesma forma que o Paquistão. Os líderes em Teerã estão convencidos que as numerosas ogivas adquiridas da antiga Ásia Central soviética sejam operacionais... Além disso, existem indicações de um acordo paquistanês, com o consentimento chinês, de 'contribuir' para a dissuasão, ou deterrência nuclear islâmica. Além disso, ninguém duvida que o Paquistão tenha armas nucleares operacionais."

"Os árabes têm uma doutrina nuclear bem definida. Já no fim dos anos 70, os sírios introduziram o princípio doutrinário que, como Israel não pode suportar alguns poucos ataques nucleares, enquanto que o mundo muçulmano pode resistir a um ataque maciço, o fator nuclear é basicamente irrelevante enquanto os líderes árabes puderem manter suas posições em uma situação nuclear estratégica arriscada. Embora Teerã e Damasco estejam dispostos a arriscar ficando na beira desse precipício, Jerusalém não pode se dar ao luxo de errar — Israel não sobreviveria como país viável após o ataque de apenas algumas poucas ogivas nucleares de que o Irã dispõe. Portanto, a mera existência de uma ameaça nuclear crível (além dos arsenais conhecidos de armas químicas e biológicas) na realidade neutraliza o 'fator de deterrência' de Israel ao mínimo para o período estrategicamente crucial da guerra — o tempo em que o governo de Israel vacila na decisão sobre como reagir ao ultimato nuclear e à guerra súbita. Além disso, Washington relutará em mobilizar as forçar norte-americanas sob condições de possível exposição às armas nucleares, químicas e biológicas... Assim, os árabes e iranianos também podem dissuadir uma proteção americana a Israel."

Esse é o raciocínio e o plano de guerra árabe. Eles receberam armas nucleares de duas fontes: das ex-repúblicas árabes da URSS, e do Paquistão, que desenvolveu a bomba nuclear em cooperação com os execráveis chineses. Você verá como esse raciocínio árabe será utilizado no Cenário de Guerra, mostrado em seguida. No entanto, acho interessante que os árabes estejam colocando uma grande fé na "possibilidade" que Israel vacile e não esteja ciente que os árabes têm toda a guerra planejada. Acho muita ingenuidade eles pensarem que Israel não compreenda que esteja prestes a ser atacado, e esteja surpreso que os árabes planejam lançar uma 'guerra súbita'. Mas, certamente, as forças norte-americanas não serão envolvidas, os árabes crêem, porque os EUA estão sendo liderados pelo "Herói de Guerra", o Presidente Clinton, estaremos cambaleando sob um recém-imposto Embargo do Petróleo, e seremos advertidos por ataques terroristas contra nossas grandes cidades.

Esse é o raciocínio árabe, e acho que podemos encontrar nele as sementes para o total desastre para as forças árabes. Lembre-se, Deus está em controle aqui, até a ponto de confundir as mentes dos líderes e dos soldados árabes. Além disso, Deus já disse que os palestinos serão consumidos por uma chama de fogo, que sairá de Israel; já anunciou a total destruição de Damasco, a capital síria; já anunciou a destruição do Egito e da Jordânia. O cenário parece estar agora preparado para esses juízos.

Além disso, como dissemos anteriormente, os planejadores da Nova Ordem Mundial há muito tempo já basearam o aparecimento do Anticristo no fato que Israel sobreviverá a essa Terceira Guerra Mundial. Quando o Anticristo aparecer, tentará persuadir o mundo inteiro que é o Messias, mas tentará especificamente 'cumprir' as profecias do Antigo Testamento referentes ao Messias, que os judeus ortodoxos estão esperando. Na verdade, os judeus ortodoxos evitarão reconhecer que o Anticristo é o Messias até que o vejam 'cumprindo' todas as profecias messiânicas. Portanto, se os árabes vencerem essa guerra e aniquilarem Israel, o plano da Nova Ordem Mundial ficaria totalmente afetado e as profecias de Deus deixariam de serem cumpridas, provando-se falsas. Essa guerra será muitíssimo interessante, pois já sabemos qual será o resultado!

Agora, vamos retornar ao relatório do Serviço de Inteligência da Câmara dos Deputados do Congresso Americano:

"A questão nuclear não é acadêmica, teórica ou especulativa. Nos últimos dias de novembro, Teerã 'determinou' que Israel já colocou seus mísseis em 'prontidão atômica'... Teerã fez isso em parte com base nos dados da Inteligência (fotografias e interceptação de satélite) obtidas na Rússia e na Ásia Central. Com base nesses 'dados', Teerã tomou as 'contramedidas apropriadas'."

Acho extremamente interessante que os autores americanos desse relatório da Inteligência colocaram as palavras "determinou" e "dados" entre aspas. Isso me leva a concluir que talvez, não creiam que os "dados" que a Rússia forneceu sejam verdadeiros; talvez esses "dados" sejam falsificados, informações falsas destinadas a enganar os iranianos e seus aliados árabes. Lembre-se, a Rússia sempre foi um soldado leal na luta para implantar a Nova Ordem Mundial. Portanto, os russos poderiam estar apenas seguindo um roteiro, da mesma forma como os EUA, a Europa, e talvez Israel, estejam seguindo o mesmo roteiro. Os únicos que não estão seguindo o roteiro são os pobres árabes, marcados para a destruição antes da implementação da Nova Ordem Mundial.

Acredito que Deus esteja levando os árabes a um erro de cálculo fatal que resultará na total destruição deles, em cumprimento à profecia bíblica. Na Parte 1, revisamos essa profecia; para nossos propósitos aqui, gostaria apenas de revisar alguns princípios bíblicos gerais que Deus definiu para os povos ímpios que planejam a destruição do ungido de Deus, como Israel realmente é hoje:

"O ímpio maquina contra o justo, e contra ele range os dentes. O SENHOR se rirá dele, pois vê que vem chegando o seu dia. Os ímpios puxaram da espada e armaram o arco, para derrubarem o pobre e necessitado, e para matarem os de reta conduta. Porém a sua espada lhes entrará no coração, e os seus arcos se quebrarão." [Salmo 37:12-15].

"Porém a sua espada lhes entrará no coração, e os seus arcos se quebrarão" é a advertência que os árabes deveriam ouvir, mais todas as advertências contidas na Parte 1.

"Eis que ele está com dores de perversidade; concebeu trabalhos, e produziu mentiras. Cavou um poço e o fez fundo, e caiu na cova que fez." [Salmo 7:14-16].

Leia e releia essa passagem atentamente, pois é a essência do que acontecerá com os árabes durante a guerra. Não somente estão lutando contra a proteção de Deus a Israel nestes últimos dias, conforme delineamos na Parte 1, mas também estão pecando, planejando a destruição de uma nação que só quer viver em paz, que nunca iniciou hostilidades, exceto como um ato de prevenção, e estabeleceu a única democracia no Oriente Médio. Portanto, o princípio geral de Deus, nas Escrituras referidas, é verdadeiro. Os árabes prepararam uma cova para os israelenses caírem; em vez disso, Deus livrará Israel e fará com que os árabes caiam na cova que criaram.

Agora, vamos ler o "Cenário de Guerra" do relatório da Câmara dos Deputados:

A Síria tem um plano de contingência para uma grande guerra.

"O primeiro passo será uma provocação lançada a partir do Líbano — um ataque 'libanês' contra um alvo estratégico israelense e/ou um ataque terrorista espetacular no centro de Israel. Conforme planejado, tal provocação instigará uma grande 'resposta' israelense no Líbano. Devido à natureza do posicionamento das tropas no sul do Líbano, muitos soldados sírios morrerão no ataque retaliatório de Israel, e Damasco ficará em uma posição de considerar as ações israelenses uma agressão inaceitável e uma ameaça."

"Os sírios terão então a 'justificativa para retaliar', disparando uma salva de mísseis SSM contra as cidades israelenses e contra as principais instalações militares. Enquanto isso, em solidariedade às vítimas palestinas... a 'polícia' de 50.000 homens da OLP e 'auxiliares' iniciarão uma maciça intifada e uma onda de terrorismo. Juntas, essas atividades serão suficientes para impedir um posicionamento tempestivo das reservas israelense no Golan... Além disso, a crescente pressão no mundo árabe/islâmico para que todos os governos e povos se unam na Guerra Santa ou enfrentem levantes populares por causa da posição antiislâmica, provavelmente motivará os governos do Egito e da Jordânia a participarem da guerra, para não correrem o risco de serem derrubados pela população enfurecida. Enquanto isso, liderados pela Arábia Saudita, o mundo muçulmano decretará um Embargo do Petróleo. Existem terroristas islâmicos suficientes em todo o Ocidente para iniciar uma onda de terrorismo na Europa e nos EUA, de forma a dissuadir, ou retardar uma ajuda norte-americana a Israel."

Não são notícias espetaculares? Além de termos de passar por uma guerra planejada no Oriente Médio, teremos de pagar pelo embargo do petróleo e suportar ataques terroristas pelos militantes islâmicos. Se o Irã recebeu artefatos nucleares das antigas repúblicas árabes soviéticas, não poderia fornecer alguns deles aos grupos terroristas? Se isso acontecer, as cidades norte-americanas e européias ficarão vulneráveis! Vejamos, qual dos livros de Tom Clancy mostra esse cenário como enredo? Acho que é Sum of All Fears, em que terroristas árabes explodem o estádio Mile High, em Denver, durante uma partida de futebol americano. Também já fomos suficientemente advertidos por outras mídias [como documentários na televisão] que não ficaremos muito surpresos se esse tipo de terrorismo nuclear realmente ocorrer.

Será nesse tempo que outras 'crises' fabricadas ocorrerão? Poderemos ter a planejada crise nuclear entre as duas Coréias? Poderemos ter grandes agitações planejadas em nossas cidades? A Califórnia poderá ser abalada por grandes terremotos? Os árabes poderão novamente estourar seus campos de petróleo, conforme previsto no livro The Armageddon Script [leia a resenha], de Peter Lemesurier? Nosso presidente aparecerá na televisão, em rede nacional, para explicar que "precisará" suspender nossas liberdades civis e nossas proteções constitucionais, para poder lidar com essa série sem precedentes de crises simultâneas? Temos que esperar e ver, ficando alertas e vigilantes o tempo todo.

Agora que esse relatório da Inteligência Americana fez um bom trabalho de descrever o cenário planejado para a guerra entre todo o mundo árabe contra o pequeno Israel, a questão é: "Quando?" Embora não saibamos o tempo exato, podemos dizer que essa guerra ocorrerá quando o calendário de Deus estiver perfeitamente situado no fim da Época da Graça da Igreja, e no início do ano da vingança de Deus. [Isaías 61:2] Quando você vir os palestinos sendo aniquilados, saberá que Obadias 15-18 está sendo cumprido diante dos seus olhos, e que o aparecimento do Anticristo deverá ocorrer em seguida!

A questão agora é: Israel cairá na cilada tão cuidadosamente armada e planejada pelos árabes, ou Deus fará os árabes caírem na própria armadilha que prepararam? Deus intervirá nesta guerra, para dar a Israel a vitória, contra todas as probabilidades, dando assim a glória a Deus? Já vimos as Escrituras em que Deus prometeu fazer exatamente isto. Tudo o que podemos fazer é vigiar, orar por Israel, e para que o nome de Deus e seu onipotente poder receba toda a glória.

Reitero o que disse anteriormente: Os planejadores da Nova Ordem Mundial esperam que Israel sobreviva a essa guerra planejada e que os árabes sejam aniquilados. Os planos para o Anticristo é que apareça no meio do pó, da fumaça e da destruição causada por essa Terceira Guerra Mundial, operando sinais e maravilhas, para enganar os habitantes do mundo. O Plano da Nova Ordem Mundial prevê que o Anticristo esforce-se especialmente para enganar os judeus ortodoxos, levando-os a acreditar que é o Messias esperado. Obviamente, se Israel fosse destruído, o Anticristo teria de alterar totalmente esse plano. Portanto, os árabes estão sendo levados a uma engenhosa cilada, exatamente quando pensam que eles é que estão armando a cilada!

Você pode ter a certeza que o plano de Deus para Israel e para o fim dos tempos não será frustrado ou impedido de se cumprir. Todas as palavras que saíram da boca de Deus serão cumpridas exatamente. Se você é um cristão nascido de novo, não precisa temer nada. Israel como nação não precisa temer a destruição, embora possa sofrer pesadas perdas. Se você conhece a Jesus como seu Salvador pessoal, ou se é um judeu preocupado com a sobrevivência de Israel, pode descansar na certeza da proteção de Deus, conforme o Salmo 91. Leia-o atentamente, até sentir conforto para a sua alma.



Você está preparado espiritualmente? Sua família está preparada? Você está protegendo seus amados da forma adequada? Esta é a razão deste ministério, fazê-lo compreender os perigos iminentes e depois ajudá-lo a criar estratégias para admoestar e proteger seus amados. Após estar bem treinado, você também pode usar seu conhecimento como um modo de abrir a porta de discussão com uma pessoa que ainda não conheça o plano da salvação. Já pude fazer isso muitas vezes e vi pessoas receberem Jesus Cristo em seus corações. Estes tempos difíceis em que vivemos também são tempos em que podemos anunciar Jesus Cristo a muitas pessoas.

Se você recebeu Jesus Cristo como seu Salvador pessoal, mas vive uma vida espiritual morna, precisa pedir perdão e renovar seus compromissos. Ele o perdoará imediatamente e encherá seu coração com a alegria do Espírito Santo de Deus. Em seguida, você precisa iniciar uma vida diária de comunhão, com oração e estudo da Bíblia.

Se você nunca colocou sua confiança em Jesus Cristo como Salvador, mas entendeu que ele é real e que o fim dos tempos está próximo, e quer receber o Dom Gratuito da Vida Eterna, pode fazer isso agora, na privacidade do seu lar. Após confiar em Jesus Cristo como seu Salvador, você nasce de novo espiritualmente e passa a ter a certeza da vida eterna nos céus, como se já estivesse lá. Assim, pode ter a certeza de que o Reino do Anticristo não o tocará espiritualmente. Se quiser saber como nascer de novo, vá para nossa Página da Salvação agora.

Esperamos que este ministério seja uma bênção em sua vida. Nosso propósito é educar e admoestar as pessoas, para que vejam a vindoura Nova Ordem Mundial, o Reino do Anticristo, nas notícias do dia-a-dia.

Fale conosco direcionando sua mensagem a um dos membros da equipe de voluntários.

Se desejar visitar o site "The Cutting Edge", dê um clique aqui: http://www.cuttingedge.org

Que Deus o abençoe.

Data de publicação: 7/4/2001
Patrocinado por: S. F. F. C. — Vargem Grande Paulista / SP
Revisão: A. F. e http://www.TextoExato.com
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/n1057.asp