Escolha uma cor para o fundo:  

Análise do Filme "A Lenda do Tesouro Perdido": A Herança Maçônica dos EUA, de Acordo com a Perspectiva dos Pais Fundadores — Parte 2

Recursos úteis para sua maior compreensão

Título do Livro 1


Título do Livro 2


Título do Livro 3

Na Parte 1, examinamos a fachada exterior — o enredo básico do filme. Agora, começaremos a examinar as camadas mais profundas de significado. Você ficará surpreso com as revelações inseridas no enredo e com os símbolos mostrados.

Parte 2 — Estudando as Camadas Mais Profundas — "Conhecendo o Resto da História".

A Nova Ordem Mundial está chegando! Você está preparado?

Compreendendo o que realmente é essa Nova Ordem Mundial, e como está sendo implementada gradualmente, você poderá ver o progresso dela nas notícias do dia-a-dia!!

Aprenda a proteger a si mesmo e aos seus amados!

Após ler nossos artigos, você nunca mais verá as notícias da mesma forma.

Agora você está na
"THE CUTTING EDGE"


Introdução

O espectador mediano de "A Lenda do Tesouro Perdido" nunca passará além da visão superficial do enredo básico. Para essas pessoas, o filme é apenas uma boa diversão com muita ação e alguns símbolos estranhos. Os leitores deste site, porém, verão muito significado embutido no enredo e nas imagens. Você precisa apenas assistir com atenção, com discernimento, para ver esse "tesouro" oculto. Assisti a esse filme três vezes e fiz anotações durante a última vez.

Entretanto, desde o início, vamos lembrar aos nossos leitores que compreendemos que muitas partes desse filme são ficção, enquanto outras são historicamente corretas. Por exemplo, a explicação dada a respeito do verso da nota de um dólar americano é historicamente correta, mas o simbolismo sofisticado que aparece no verso da Declaração de Independência é ficção. Entretanto, a pessoa que escreveu o enredo para esse simbolismo na ficção conhecia a Maçonaria e o satanismo muito bem. Embora a realidade possa ser que não exista nada no verso da Declaração de Independência, os símbolos mostrados nesse relato fictício são símbolos ocultistas reais e com significado oculto também real.

Neste artigo, examinaremos os seguintes assuntos:

  1. Construir extensos sistemas de túneis e/ou construções subterrâneas.

  2. Usar sistemas sofisticados de criptografia, incluindo cifras e pistas cuidadosamente construídas e combinadas com enigmas.

  3. Usar sistemas sofisticados de tinta que desapareciam após secar e/ou somente poderiam ser vistos sob certas circunstâncias.

A Sociedade Secreta dos Cavaleiros Templários

Bem no início do filme "A Lenda do Tesouro Perdido", somos informados que cavaleiros combatentes descobriram um tesouro debaixo do Templo de Salomão durante as primeiras cruzadas. Uma cena no filme mostra um pequeno grupo de cavaleiros levantando entusiasmados suas espadas no ar simultaneamente, como se estivessem jurando proteger o tesouro. Cenas posteriores nos dizem que a Maçonaria surgiu a partir dos Cavaleiros Templários. Essa informação é totalmente correta e consistente com as revelações de John J. Robinson, em seu livro Born of Blood: The Lost Secrets of Freemasonry, um livro que citamos no artigo N1165, "Fontes Satânicas Afirmam Que os Cavaleiros Templários Eram Satânicos! Mais Evidência Que a Maçonaria Também Seja Satânica". Incentivamos você a ler esse artigo com atenção, pois lança muita luz sobre as verdadeiras origens da Maçonaria.

Embora "A Lenda do Tesouro Perdido" represente os Cavaleiros Templários de uma forma inocente — chegando o ponto de mostrar o menino Ben Gates sendo "iniciado" na Ordem, a realidade é que esse grupo não era inocente, mas profundamente satânico. No entanto, não acredite só porque estou dizendo, veja o que diz um historiador secular:

"Bafomé: O ídolo na forma de bode dos Templários... Algumas autoridades dizem que Bafomé era uma cabeça monstruosa, outros que era um demônio na forma de um bode... Uma figura panteísta e mágica do Absoluto. A tocha colocada entre os dois chifres representa a inteligência equilibrada da tríada. A cabeça do bode é sintética e une algumas características do cachorro, do touro, e do jumento... As mãos são humanas... elas fazem o sinal do esoterismo em cima e embaixo, para transmitir mistério aos iniciados... e apontam para dois crescentes lunares... A parte inferior do corpo está coberta... O ventre do bode tem escamas... O bode tem seios femininos... Em sua testa, entre os chifres e abaixo da tocha, está o sinal do microcosmo, ou o pentáculo, com uma ponta na ascendente... " [Encyclopedia of Occultism, Lewis Spence, copyright 1959, publicada originalmente em 1920].

Uma vez que você perceba que a sociedade secreta dos Cavaleiros Templários adora o satânico deus na forma de bode chamado Bafomé, então as antigas acusações que eles participavam em sacrifício humano e abomináveis atividades homossexuais tornam-se totalmente críveis. Veja como um satanista explica a adoração a Bafomé:

Eliphas
Duas Formas do Bafomé

"O símbolo de Bafomé foi usado pelos Cavaleiros Templários para representar Satanás e é representado pelo símbolo da direita nesta gravura. Bafomé representa os poderes das trevas combinados com a fertilidade regenerativa do bode. Em sua forma 'pura', o pentáculo — o símbolo à esquerda na gravura — é mostrado envolvendo a figura de um homem nos cinco pontos de uma estrela — três pontos para cima e dois para baixo, simbolizando a natureza espiritual do homem." [Templo de Satanás, em http://www.geocities.com/SoHo/Lofts/6877/].

"No satanismo, o pentáculo também é usado, mas como o satanismo representa os instintos carnais do homem, ou o oposto da natureza espiritual, o pentáculo é invertido para acomodar perfeitamente a cabeça do bode — seus chifres representando a dualidade, erguidos para cima em desafio, os três outros pontos invertidos, ou a trindade negada. (Símbolo à direita) As letras hebraicas em volta do círculo exterior do símbolo, que é originário dos ensinos mágicos da Cabala, dizem Leviatã, a serpente das águas do abismo, e estão identificadas com Satanás. Essas letras correspondem com os cinco pontos da estrela invertida." [Ibidem].

Veja como outro satanista, Anton LaVey, o autor da Bíblia Satânica, discute os Cavaleiros Templários:

"Bafomé — adorado pelos Templários como um símbolo de Satanás." [pág. 58].

Esta citação deve fazer calar todos aqueles que tentam dizer que os Cavaleiros Templários não adoravam Satanás realmente, e que todas as afirmações que eles adoravam a Bafomé foram fabricadas, ou obtidas mediante tortura. Todos os maçons devem instantaneamente atentar e tomar nota, pois glorificam e honram os Cavaleiros Templários e os defendem grandemente. [Morals and Dogma, Albert Pike, capítulo XXX, págs. 814-24].

Veja agora o que diz a autora cristã Dra. Cathy Burns:

"Os Cavaleiros Templários... tinham sido os mestres do engano, especialistas em duplicidade, parecendo servir a Cristo na superfície ao mesmo tempo em que adoravam a Lúcifer em seus ritos interiores. Essa honra vai a ponto de darem à ordem maçônica para os meninos e rapazes o nome de "Ordem DeMolay"; Jacques DeMolay era o líder bissexual dos Cavaleiros Templários quando eles foram atacados e destruídos pelo rei francês Felipe IV, o Belo". [Hidden Secrets of the Eastern Star, Dra. Cathy Burns, págs. 127-130].

Mais uma vez, a realidade de um assunto encontra-se na direção totalmente oposta para a qual a mídia de massa faz o telespectador olhar. [Leia o artigo N1558] Quando os roteiristas de "A Lenda do Tesouro Perdido" dizem aos espectadores que a Maçonaria foi criada pelos Cavaleiros Templários, a pessoa informada e com discernimento imediatamente reconhece que a Maçonaria está sendo declarada satânica; além disso, como também é historicamente verdade que tantos dos pais fundadores dos Estados Unidos da América eram maçons, é então verdade que os EUA têm uma história ímpia, um lado oposto da moeda que nos diz que grande parte da herança nacional americana era temente a Deus. A realidade é que a herança nacional americana é como uma moeda — tem dois lados. Um lado realmente era temente a Deus, mas o outro lado era maligno. Essa é a absoluta verdade.

Antes de deixarmos esse assunto da adoração ao Bafomé pelos Cavaleiros Templários, vamos examinar mais um aspecto: Essa adoração a Bafomé foi usada poderosamente para conjurar demônios a esta dimensão por meio de rituais de Magia Negra realizados por um mago poderoso. Como mostra esta gravura, o maçom de Grau 33 Eliphas Levi, acaba de fazer um demônio — o espírito maligno 'Apolônio de Tiana' — entrar nesta dimensão por meio da leitura do ritual que está em sua mão; observe a figura completa de Bafomé na parede, no lado esquerdo da gravura. Permita que o autor maçom Manly P. Hall descreva Bafomé na conjuração de espíritos malignos para esta dimensão terreal:

"A magia cerimonial é a arte antiga de invocar e controlar espíritos pela aplicação científica de certa fórmula. Um mago em vestes santificadas e carregando uma varinha com inscrições em hieróglifos, poderia, pelo poder investido em certas palavras e símbolos, controlar os habitantes invisíveis dos elementos e do mundo astral... Totalmente convencido que suas escrituras sancionavam isso, muitos cabalistas medievais dedicaram suas vidas à prática da magia cerimonial. O transcendentalismo dos cabalistas está fundado sobre a fórmula antiga e mágica do rei Salomão, que há muito tempo é considerado pelos judeus como o príncipe dos magos cerimoniais." [Manly P. Hall, The Secret Teachings of All The Ages, pág. CI).

Como você pode ver, os maçons e outros ocultistas prontamente admitem que os Cavaleiros Templários adoravam Bafomé; agora você sabe o que esse tipo de adoração envolve e exatamente que tipo de satanistas eles eram. Poucas pessoas percebem durante esse filme que, quando o jovem Ben Gates foi "iniciado" como um Cavaleiro Templário, estava se colocando sob o ocultismo deles e estava aderindo a uma sociedade que praticava a bissexualidade. Quantas crianças das escolas públicas que estão assistindo a esse filme ficarão predispostas a ingressar na Maçonaria mais tarde em suas vidas e a participar na Ordem dos Cavaleiros Templários?

Como os roteiristas desse filme informam que a Maçonaria derivou dos Cavaleiros Templários, precisamos informá-lo do elo ausente na trajetória histórica — a Rosa-cruz — uma sociedade secreta organizada no século XIV como uma imitação falsificada do cristianismo. Essa sociedade "reinterpretou misticamente" a maioria dos dogmas do genuíno cristianismo, incluindo muitos de seus símbolos. Sem compreender como a Sociedade Rosa-Cruz forma um elo crítico entre os Cavaleiros Templários e a Maçonaria moderna (fundada em 1717), você não compreenderá corretamente certas partes de "A Lenda do Tesouro Perdido", tais como:

  1. Como os maçons estavam tão preocupados com sua segurança particular que desenvolveram técnicas de construções subterrâneas, criando incríveis sistemas de túneis e enormes construções subterrâneas, como passagens secretas, depósitos ocultos, e outras medidas de segurança que escondiam todas suas atividades dos olhos dos "vulgares", isto é, das pessoas que não pertenciam à Maçonaria e, especialmente, das autoridades temporais e eclesiásticas hostis.

  2. Como a Maçonaria no tempo da Revolução Americana conseguiu comandar tal elevada liderança e recursos governamentais para construir as elaboradas construções subterrâneas e túneis, o sofisticado sistema de criptografia e o incrivelmente intrincado simbolismo retratado no verso da Declaração de Independência.

Maçonaria e Sociedade Rosa-Cruz

Precisamos voltar ao livro de John J. Robinson, Born in Blood, para apanhar esse relato histórico, ao começarmos a responder à Questão 1, acima:

Examinando cuidadosamente os ensinos maçônicos, seus rituais e a origem da linguagem, Robinson concluiu que, "quando o papa Clemente IV conspirou com o rei francês Felipe, em 1313, para prender, interrogar e aniquilar os Cavaleiros Templários, alguns templários franceses escaparam. Além disso, os templários em outros países, especialmente na Grã-Bretanha, puderam escapar da operação de perseguição. Eles se dirigiram à Escócia, pois o rei escocês se recusou a impor a bula papal contra os templários. Aceitando outros templários em sua nova ordem secreta, e muito temerosos de traição, eles evoluíram para a forma de Maçonaria que existe hoje. A ênfase tradicional de sociedade secreta em sinais e apertos de mão e a guarda de segredos faz muito sentido, pois as vidas deles estavam literalmente em risco." [págs. 150-1].

Finalmente, em 1717, os maçons sentiram-se seguros o suficiente para estabelecer lojas publicamente.

Durante grande parte dessa era tenebrosa (1313-1717), os Cavaleiros Templários tiveram literalmente de se esconder para preservar suas vidas. A Igreja Católica Romana queria aniquilar totalmente a ordem e pressionava todos os governos na Europa e nas ilhas britânicas para executarem seus éditos assassinos. Até mesmo na Escócia, onde o rei recusou a pressão do Vaticano, esses templários/maçons não podiam se sentir totalmente seguros. Eles sabiam das intrigas que existiam nos palácios; sabiam que, a qualquer momento, o rei amigo poderia morrer ou ser assassinado, e ser substituído por um rei contrário à ordem, que cumpriria os desejos de Roma.

Além disso, quando Roma punha seus tentáculos em uma pessoa, não apenas a matava, mas a torturava também. Na verdade, quando os verdugos de um rei não conseguiam extrair uma "confissão" de uma vítima, os verdugos do Vaticano eram requisitados. Afinal, todos sabiam que os verdugos do papa eram os melhores do mundo! [Born in Blood: The Lost Secrets of Masonry, John J. Robinson, pág. 148].

De modo a se protegerem da matança e das torturas de dissidentes religiosos, os príncipes na Europa, principalmente na Alemanha atual, criaram um cristianismo falsificado chamado Rosa-cruz, e ajuntaram-se política e militarmente. Embora as raízes exatas da Rosa-cruz tenham sido escondidas cuidadosamente, os historiadores apontam para um livro obscuro intitulado O Casamento Químico de Christian Rosencreutz, escrito originalmente em 1459 e traduzido para o inglês em 1690. Esse livro é a lenda-chave fundamental para a sociedade secreta luciferiana, a Rosa-Cruz. Veja como um rosa-cruz explica a importância-chave desse livro para o ocultista praticante.

"'O Casamento Químico' é um dos símbolos arquétipos da transformação Alquímica. Existem muitas obras sobre esse assunto, de muitos místicos e autores posteriores. Manly Hall dedicou um capítulo inteiro a esse livro em Secrets Teachings of All Ages... 'O Casamento Químico' é a base para os rituais de iniciação criados pelos rosa-cruzes. Ele representa a união da pessoa, o espírito e a sociedade." [Philosophical Research Society, Publications Department].

Ao tempo em que Martinho Lutero afixou suas "95 Teses" na porta de uma igreja católica romana, escritas para o arcebispo de Mainz, os príncipes rosa-cruzes alemães possuíam os músculos militares e políticos para enfrentar Roma. À medida que o Vaticano se tornou repressivo, ameaçando a vida de Lutero, ele fugiu e buscou proteção junto aos príncipes rosa-cruzes alemães. Ninguém conseguiu provar que Lutero tornou-se um rosa-cruz, mas ele certamente desenvolveu o símbolo aqui em que uma cruz cristã aparece no centro de uma rosa rosa-cruz de cinco pétalas. [Nota: Algumas vezes, os rosa-cruzes usam uma flor de sete pétalas, mas na maioria das vezes usam o padrão de cinco pétalas.].

Como mencionei anteriormente, a doutrina rosa-cruz foi desenvolvida como uma imitação falsificada do cristianismo, em que os principais dogmas da fé foram misticamente reinterpretados. Na verdade, muito da rosa-cruz foi adaptado do catolicismo romano, a mesma religião que os príncipes alemães temiam e odiavam. Veja um vínculo muito importante na rosa-cruz entre a busca pelo Santo Graal e a Virgem Maria:

"O Graal e a Rosa: duas fontes de sabedoria que fluem uma ao lado da outra, algumas vezes entrando no mesmo canal e fluindo juntas, algumas vezes separando-se para levar a diferentes e encantados caminhos da alma... O Graal... é certamente um dos supremos símbolos da busca por absolutos — verdade, sabedoria, cura, união com o Além — para sair da tradição dos mistérios ocidentais... Mas é com a medieval e especificamente cristã encarnação do Graal que estamos preocupados aqui — como o cálice em que um pouco do sangue sagrado de Cristo foi guardado e que foi usado na primeira grande celebração dos mistérios cristãos da Eucaristia. Aqui já vemos aspectos do nosso tema que serão mais tarde reafirmados nos mistérios da alquimia e sua subseqüente importância para a iluminação rosa-cruz. Desde o início, o Graal foi o vaso que continha um pouco da divindade de Deus e a própria incorporação do vinho na imagem da Eucaristia... é a própria incorporação dessa transubstanciação nos mistério da Eucaristia. Na intensidade da interpretação cristã, é também o ventre de Maria, em que a semente divina é transmutada no corpo do menino Cristo... Com efeito, Maria tornou-se o Graal vivo, um vaso em que o sangue e a essência do Cristo estão ambos contidos... No espectro completo do simbolismo medieval, Maria é a Rainha dos Céus... O símbolo supremo dela é a rosa — Rosa do Mundo, Rosa Alquímica. Ela é a Rainha do Santíssimo Jardim das Rosas em que o Graal está escondido." [The Rosicrucian Enlightnment, págs. 27-28].

Lembre-se desse resumo sobre a Busca Pelo Santo Graal, porque retornaremos a esse assunto na Parte 3.

Na Europa, os príncipes rosa-cruzes não somente protegeram Martinho Lutero, mas mantiveram a Igreja Católica à distância, protegendo o direito do homem comum de praticar essa religião. Entretanto, nas terras que não estavam sob o domínio militar dos príncipes rosa-cruzes, os maçons e os rosa-cruzes estavam ameaçados a todo o momento de cada dia com prisão, tortura e morte cruel nas mãos do rei da terra, que estava sob o controle de Roma. Para se protegerem, os membros das sociedades secretas criaram e passaram a usar apertos de mão e símbolos secretos, mensagens criptografadas, túneis e até construções subterrâneas para se manterem protegidos de Roma. Portanto, todos os segredos, os extensos túneis e construções subterrâneas mostrados em "A Lenda do Tesouro Perdido" são inteiramente corretos. Para preservar sua integridade física, os maçons na Europa desenvolveram essas artes.

2) Como a Maçonaria durante a Revolução Americana conseguiu comandar tamanha liderança e tantos recursos governamentais.

A Iluminação Rosa-Cruz alastrou-se também pela Inglaterra. No livro citado anteriormente, The Rosicrucian Enlightenment (pág. XI), ficamos sabendo que um dos maiores rosa-cruzes na Inglaterra foi John Dee (1527-1628), que foi assessor e astrólogo da rainha Elizabeth I (Magic Symbols, pág. 142). No entanto, o rosa-cruz mais importante de todos os tempos foi Sir Francis Bacon, que serviu no reinado de Elizabeth I no cargo equivalente a Ministro das Relações Exteriores e que serviu ao rei Jaime I como Procurador Geral. Os maçons dão a Sir Francis Bacon o crédito de ser a fonte principal da Maçonaria, criando-a a partir da Sociedade Rosa-Cruz. (Manly P. Hall, The Secret Teachings of All The Ages, pág. LXXVIII).

Após muito estudo sobre esse assunto, cheguei à conclusão que Sir Francis Bacon sentiu a necessidade de recriar as doutrinas rosa-cruzes em Maçonaria porque acreditava que a Sociedade Rosa-Cruz era claramente "cristã" e nunca conseguiria unir com sucesso todas as religiões do mundo sob o planejado Cristo maçônico (o Anticristo). Portanto, ele criou a Maçonaria, mais secularizada, aproveitando muita coisa da doutrina pagã da Sociedade Rosa-Cruz. Hoje, a Maçonaria está unindo o mundo, somente porque é neutra o suficiente para ser adaptada a todas as religiões do mundo.

De acordo com literatura maçônica antigamente secreta, Sir Francis Bacon criou o conceito em conjunto com a rainha Elizabeth I, que o governo britânico deveria empregar todo seu poder e recursos para criar a América do Norte como uma "Nova Atlântida" ocultista, que moveria o mundo para a cobiçada "Nova Ordem Mundial". Veja como a autora iluminista Elizabeth Van Buren explica os planos ocultos da Grã-Bretanha para a América, observando os cargos de alto escalão que essas autoridades ocupavam:

"... Henry Adams tinha vindo em 1638 às praias deste Admirável Mundo Novo. Ele era membro da secreta Sociedade do Dragão... e foi um dos fundadores da Nova Inglaterra. Ele foi o antepassado de dois presidentes dos Estados Unidos, John Adams, o segundo presidente, e John Quincy Adams, o sexto presidente. A Sociedade do Dragão, à qual John Adams pertencia pode ter sido afiliada aos rosa-cruzes. Já vimos que a Serpente ou Dragão simbolizava a Sabedoria... Sir Francis Bacon tinha formado, com a ajuda de sua sociedade secreta — composta pelos mais extraordinários intelectuais da Inglaterra, França, Alemanha e Holanda — os planos para a colonização do hemisfério ocidental. Eles passaram discretamente a palavra que, aqui os homens poderiam escapar das injustiças políticas e da intolerância religiosa que os afetava como praga na Europa... Entre aqueles que vieram para as praias distantes da América estavam muitos representantes da Ordem da Busca, como Manly Hall designa a Irmandade, entre eles rosa-cruzes, alquimistas, cabalistas e místicos. Os colonos franceses, ingleses e holandeses que se estabeleceram na costa leste do continente foram doutrinados com os princípios de democracia e tolerância religiosa pela Irmandade."

"O plano para a Nova Ordem Mundial estava em andamento... Não pode haver dúvidas que os Iluminados tiveram uma mão na formação da nova nação. Thomas Paine, George Washington, Benjamim Franklin, Thomas Jefferson, John Adams e inúmeros outros que estiveram envolvidos na assinatura da Declaração de Independência eram todos maçons, ou membros de alguma outra seita. Os projetos do Grande Selo dos Estados Unidos... indicam que eles foram inspirados por pessoas com conhecimento esotérico." [Elizabeth Van Buren, The Secret of the Illuminati, págs. 142-44].

Observe que tanto a Sociedade Rosa-Cruz quanto a Maçonaria controlavam os membros de mais alto escalão do governo da Grã-Bretanha, Europa e dos EUA — e isso desde o tempo de Sir Francis Bacon, de 1580 em diante. Essa realidade significa que enormes recursos do governo fluíram para criar criptografia elaborada, desenhos e métodos de ocultação. Portanto, quando o filme "A Lenda do Tesouro Perdido" mostra o elaboradíssimo sistema de codificação, formado por uma pista que leva a outra, e outra, e outra, pode ter a certeza de que era exatamente assim que os maçons daquele tempo agiam.

Quando você vê que a pista principal estava a bordo de um navio mercante chamado Charlotte e que o capitão do navio pagou com sua vida para proteger o barril em que a pista estava escondida, a Maçonaria daquele tempo comandava o poder e a autoridade do Estado para colocar aquele cachimbo de sepiolita a bordo do Charlotte e ordenar que o capitão o protegesse com a própria vida.

Quando "A Lenda do Tesouro Perdido" mostra um desenho muito elaborado no verso da Declaração de Independência, que apareceria ou não, dependendo da cor das lentes por meio das quais a pessoa olhasse, os maçons possuíam os recursos do Estado para contratar esse tipo de artista especializado que podia desenhar esse tipo de símbolo. Além disso, os Serviços de Inteligência daquele tempo não somente protegiam os segredos do Estado com criptografia sofisticada, mas também usavam uma tinta de escrever que desaparecia quando secava.

Portanto, criar um enredo de ficção em que aparecem criptografia sofisticada, tintas que desaparecem ao secar, e desenhos incrivelmente difíceis é totalmente lógico.

Agora, vamos avançar para a Parte 3, em que discutiremos os seguintes interessantíssimos assuntos relacionados com "A Lenda do Tesouro Perdido":

Conclusão — Condicionamento Para o "Grande"

Consideramos este filme simplesmente como mais uma situação em que segredos que foram cuidadosamente mantidos dentro das sociedades secretas durante vários séculos estão agora subitamente sendo mostrados para um público menos informado e mais em sintonia com os valores e atitudes do ocultismo. Como o objetivo do Anticristo é restaurar a adoração a Lúcifer na prática pública, não devemos estar surpresos ao vermos um segredo ocultista após o outro, e um símbolo ocultista após o outro, subitamente sendo revelados ao público. Veja o plano satânico para o Anticristo (o Grande) restaurar os mistérios luciferianos na adoração pública:

"... a Fraternidade Maçônica... é... o lar dos mistérios e o assento da iniciação... É uma organização muito mais ocultista do que pode ser notado e destina-se a ser a escola de treinamento para os vindouros ocultistas avançados... Quando o Grande vier com seus discípulos e iniciados, teremos a restauração dos mistérios..." [Alice Bailey, Externalization of the Hierarchy, pág. 511].

Em outras palavras, o Grande, o Anticristo, restaurará os mistérios antigos, que as lojas maçônicas preservaram durante os últimos séculos, como sua religião da Nova Ordem Mundial.

Agora, veja como a autora ocultista Alice Bailey expressa essa verdade de forma mais sucinta:

"Não há dúvida, portanto, que a obra a ser feita em familiarizar o público geral com a natureza dos mistérios é de fundamental importância neste tempo. Esses mistérios serão restaurados para a expressão exterior por meio da igreja e da fraternidade maçônica... Quando o Grande vier com seus discípulos e iniciados, teremos... a restauração dos mistérios e a apresentação exotérica deles como conseqüência da primeira iniciação." [Ibidem, pág. 514].

Você compreendeu? No fim do período preparatório que levará à Nova Ordem Mundial, os maçons tomarão a liderança em "familiarizar o público geral com a natureza dos mistérios"!

Não é exatamente o que "A Lenda do Tesouro Perdido" está fazendo? Não somente está familiarizando os adultos com os mistérios maçônicos ocultos, mas as crianças também; uma vez que a censura é livre, muitas crianças estarão assistindo a esse filme. Alguns assinantes nos contactaram para dizer que, quando foram assistir a esse filme, ficaram chocados ao verem ônibus escolares no pátio de estacionamento trazendo dezenas de crianças das escolas públicas.

Verdadeiramente, chegou o tempo de familiarizar o público com os símbolos maçônicos e ocultistas, porque a hora em que o Anticristo aparecerá está se tornando muito próxima.

Dê um clique aqui para ler a Parte 3



Você está preparado espiritualmente? Sua família está preparada? Você está protegendo seus amados da forma adequada? Esta é a razão deste ministério, fazê-lo compreender os perigos iminentes e depois ajudá-lo a criar estratégias para advertir e proteger seus amados. Após estar bem treinado, você também pode usar seu conhecimento como um modo de abrir a porta de discussão com uma pessoa que ainda não conheça o plano da salvação. Já pude fazer isso muitas vezes e vi pessoas receberem Jesus Cristo em seus corações. Estes tempos difíceis em que vivemos também são tempos em que podemos anunciar Jesus Cristo a muitas pessoas.

Se você recebeu Jesus Cristo como seu Salvador pessoal, mas vive uma vida espiritual morna, precisa pedir perdão e renovar seus compromissos. Ele o perdoará imediatamente e encherá seu coração com a alegria do Espírito Santo de Deus. Em seguida, você precisa iniciar uma vida diária de comunhão, com oração e estudo da Bíblia.

Se você nunca colocou sua confiança em Jesus Cristo como Salvador, mas entendeu que ele é real e que o fim dos tempos está próximo, e quer receber o Dom Gratuito da Vida Eterna, pode fazer isso agora, na privacidade do seu lar. Após confiar em Jesus Cristo como seu Salvador, você nasce de novo espiritualmente e passa a ter a certeza da vida eterna nos céus, como se já estivesse lá. Assim, pode ter a certeza de que o Reino do Anticristo não o tocará espiritualmente. Se quiser saber como nascer de novo, vá para nossa Página da Salvação agora.

Esperamos que este ministério seja uma bênção em sua vida. Nosso propósito é educar e advertir as pessoas, para que vejam a vindoura Nova Ordem Mundial, o Reino do Anticristo, nas notícias do dia-a-dia.

Fale conosco direcionando sua mensagem a um dos membros da equipe de voluntários.

Se desejar visitar o site "The Cutting Edge", dê um clique aqui: http://www.cuttingedge.org

Que Deus o abençoe.

Data de publicação: 25/1/2005
Revisão: A. F. e http://www.TextoExato.com
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/n1983.asp