Simão Mago: O Protótipo do Falso Convertido

"Portanto, pelos seus frutos os conhecereis." [Mateus 7:20].


Recursos úteis para sua maior compreensão

As Igrejas Cristãs Estão Abrindo as Portas Para o Anticristo


Título do Livro 2


Título do Livro 3

No capítulo 8 do livro dos Atos, temos um relato muito interessante do homem normalmente chamado de "Simão Mago". Ele nos é apresentado por Lucas, o "médico amado", o autor humano do livro Atos dos Apóstolos. A partir do verso 5, lemos o seguinte:

"E, descendo Filipe à cidade de Samaria lhes pregava a Cristo. E as multidões unanimemente prestavam atenção ao que Filipe dizia, porque ouviam e viam os sinais que ele fazia; pois que os espíritos imundos saíam de muitos que os tinham, clamando em alta voz; e muitos paralíticos e coxos eram curados. E havia grande alegria naquela cidade."

"E estava ali um certo homem, chamado Simão, que anteriormente exercera naquela cidade a arte mágica, e tinha iludido o povo de Samaria, dizendo que era uma grande personagem; ao qual todos atendiam, desde o menor até ao maior, dizendo: Este é a grande virtude de Deus. E atendiam-no, porque já desde muito tempo os havia iludido com artes mágicas. Mas, como cressem em Filipe, que lhes pregava acerca do reino de Deus, e do nome de Jesus Cristo, se batizavam, tanto homens como mulheres. E creu até o próprio Simão; e, sendo batizado, ficou de contínuo com Filipe; e, vendo os sinais e as grandes maravilhas que se faziam, estava atônito."

Lucas informa que Simão exercera anteriormente a "arte mágica" e sabemos, a partir dessa descrição, que ele tinha conexão com os magos babilônios. Os magos eram uma seita secreta de "homens sábios" que encontramos na Babilônia ao tempo do profeta Daniel e também eram membros do grupo que visitou o menino Jesus, seguindo a "estrela de Belém". Eles eram conhecidos como seguidores de uma seita chamada Zoroastrismo, e praticavam a astrologia, a adivinhação e outras práticas ocultistas numerosas demais para mencionar, e eram, portanto, ocultistas. (Apenas como observação, acho fascinante que Deus tenha usado esses instrumentos do Diabo para oferecer ouro, incenso e mirra como presentes ao "menino Jesus" — presentes caros que propiciaram os meios para José e Maria fugirem para o Egito com o bebê quando o rei Herodes tentou matá-lo!) Esses magos consideravam-se "adeptos", ou especialistas, no campo das artes mágicas e, aparentemente, criam que existiam diversos níveis desse conhecimento — levando até aos "mestres elevados". Muitas das religiões do mundo consideram Jesus Cristo como um mestre elevado no mesmo plano que Maomé, Buda, Confúcio, Visnu, etc., mas apesar disso apenas um homem, e não o próprio Deus em forma de homem.

Lendo comentários e dicionários bíblicos referentes a Simão, vemos que na verdade ele se mostrava ao povo de Samaria como se fosse uma deidade! Uma ex-prostituta chamada Helena era sua assistente constante, e sua assim chamada "primeira idéia divina", enquanto o povo de Samaria e de Roma (posteriormente) o considerava como um deus. Achamos essa alusão nos versos 9 e 10. Assim, o ponto que quero deixar claro é que Simão conhecia melhor o plano e o programa do Diabo que o homem comum nas ruas. Isso nos ajuda a compreender sua profunda admiração quando Filipe veio à cidade e começou a operar milagres por meio do poder do poder do Espírito Santo, que fazia a magia de Simão parecer amadorismo; julgando por suas ações subseqüentes, parece que ele concluiu que Filipe era um adepto mais avançado do que ele — talvez até um mestre elevado! Observe que o verso 13 diz "creu até o próprio Simão" — isto é, ele aderiu, acreditou e confiou no ensino de Filipe..." A tradução aqui sugere que Simão obviamente creu no ensino de Filipe, mas não na salvação em Jesus Cristo. Observe que após ser batizado, ele "ficou de contínuo com Filipe; e, vendo os sinais e as grandes maravilhas que se faziam, estava atônito.".

Agora, se terminássemos a história neste ponto, sem dúvida muitos diriam que, como Simão creu e foi batizado, ele tornou-se um cristão (e, a despeito da evidência em contrário, alguns ainda acreditam nisso). No entanto, essa inferência está baseada em uma evidência incompleta — e extremamente duvidosa, em vista dos eventos posteriores. Na verdade, se olharmos para os relatos do ministério terreal do Senhor, encontramos diversas ocasiões em que Ele curou as pessoas, restaurou a visão aos cegos, ressuscitou os mortos, e realizou muitos outros milagres. No entanto, se lermos atentamente os relatos, em muitos desses casos, não há nenhuma menção que a salvação individual foi obtida; no entanto, muitos pastores rotineiramente insistem em espiritualizar e dizer que as pessoas também foram salvas! Bem, essa é uma conclusão baseada em uma total falta de evidência e não deveria ser adotada. Somente Deus sabe se aquelas pessoas também foram salvas ou não e, se não é mencionado especificamente, não devemos fazer acréscimos à Palavra de Deus!

Voltando a Simão, e acompanhando a narrativa nos versos 14 até 24:

"Os apóstolos, pois, que estavam em Jerusalém, ouvindo que Samaria recebera a palavra de Deus, enviaram para lá Pedro e João. Os quais, tendo descido, oraram por eles para que recebessem o Espírito Santo (Porque sobre nenhum deles tinha ainda descido; mas somente eram batizados em nome do Senhor Jesus). Então lhes impuseram as mãos, e receberam o Espírito Santo. E Simão, vendo que pela imposição das mãos dos apóstolos era dado o Espírito Santo, lhes ofereceu dinheiro, Dizendo: Dai-me também a mim esse poder, para que aquele sobre quem eu puser as mãos receba o Espírito Santo. Mas disse-lhe Pedro: O teu dinheiro seja contigo para perdição, pois cuidaste que o dom de Deus se alcança por dinheiro. Tu não tens parte nem sorte nesta palavra, porque o teu coração não é reto diante de Deus. Arrepende-te, pois, dessa tua iniqüidade, e ora a Deus, para que porventura te seja perdoado o pensamento do teu coração; Pois vejo que estás em fel de amargura, e em laço de iniqüidade. Respondendo, porém, Simão, disse: Orai vós por mim ao Senhor, para que nada do que dissestes venha sobre mim."

Quando Simão observou os apóstolos impondo as mãos sobre os crentes para que recebessem o Espírito Santo, suas verdadeiras intenções vieram à tona imediatamente. Shazam! Aquilo era magia poderosa e ele também precisava tê-la; custasse o preço que custasse! Assim, ele fez um grande erro e tentou oferecer dinheiro em troca do "segredo" daquela capacidade sobrenatural. Como sempre acontecia, Pedro foi o primeiro a falar. E ele disse exatamente aquilo que Simão precisava ouvir! Sem hesitação, ele disse a Simão que poderia pegar seu dinheiro e ir para o inferno! A maioria dos pastores receia em adotar essa interpretação, mas basicamente foi isso que Pedro lhe disse. Assim, por que Pedro faz essa repreensão tão condenatória — que nos deixa literalmente admirados? Evidentemente, o Espírito Santo o motivou a proferir aquela repreensão, pois Simão Mago não era um cristão genuíno e suas ações provavam isso. Observe atentamente que não há indicação que Simão arrependeu-se de suas ações ou intenções. Sua única resposta foi um pedido para que eles orassem a Deus para que nada daquilo que Pedro disse viesse sobre ele. Essa é a última vez que ouvimos de Simão nas Escrituras.

A história secular registra por meio de vários autores e historiadores da época, que Simão e sua assistente Helena, partiram para Roma, onde ele continuou a praticar suas artes mágicas e fundou uma seita. Essas ações parecem naturais de quem tenha sido salvo realmente? Alguns podem dizer, com base no verso 13, em que lemos que "Simão creu". As Escrituras não dizem, em Marcos 16:16, que "quem crer e for batizado será salvo"? Simão creu e foi batizado, de modo que como dizemos que ele não era salvo? Bem, para os principiantes, precisamos deixar claro que a crença precisa ter um objeto e, no caso dos cristãos genuínos, esse objeto é Jesus Cristo. Simão creu — mas o objeto da sua fé não foi Jesus Cristo, conforme ficou evidenciado por suas ações e pela severa repreensão de Pedro. O objeto de sua fé aparentemente foi o ensino e os milagres de Filipe, como indicado no verso 13 — e esse tipo de crença não salva uma alma.

Em Mateus 7:15-23, o Senhor faz alguns comentários contundentes sobre os falsos profetas e dá instruções sobre como podemos detectar esses impostores, mas essas instruções também se aplicam àqueles que não são cristãos genuínos. Começando no verso 15, lemos:

"Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores. Por seus frutos os conhecereis. Porventura colhem-se uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos? Assim, toda a árvore boa produz bons frutos, e toda a árvore má produz frutos maus. Não pode a árvore boa dar maus frutos; nem a árvore má dar frutos bons. Toda a árvore que não dá bom fruto corta-se e lança-se no fogo. Portanto, pelos seus frutos os conhecereis. Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade."

Aqui o Senhor nos diz como detectar os falsos profetas, ou também qualquer profissão de fé que não seja genuína. Um filho de Deus, realmente nascido de novo tem o Espírito Santo residindo dentro dele e é impossível de esconder! Em algum grau, mesmo no cristão mais carnal e desviado, a presença do Espírito Santo se manifestará na forma de amor, alegria, paz, longanimidade, etc. — todos os quais são o "fruto do Espírito" mencionado em Gálatas 5:22. A macieira produz maçãs e o Espírito Santo produz "fruto" na vida dos seus filhos. A conclusão óbvia que precisamos tirar daqui é que "se não há fruto — é porque não há raiz!" Se observarmos as vidas daqueles que dizem serem líderes cristãos, ou simples cristãos ouvintes "que sentam nos bancos" e não pudermos discernir a presença do Espírito Santo, precisamos ter muita cautela com eles. Certamente, podemos estar enganados na nossa avaliação espiritual dos outros, de modo que não devemos nos colocar na posição de juízes das outras pessoas, mas ao mesmo tempo a Palavra de Deus nos ensina a discernir essas questões. Em outras palavras, não receba alguém como irmão ou irmã em Cristo e estabeleça uma relação de confiança com eles, com base unicamente na profissão de fé que fazem. Algumas pessoas professam a Cristo erradamente e pensam que são salvas, enquanto outras fazem isso falsamente, por razões que normalmente envolvem ganho pessoal (como aparentemente foi o caso com Simão).

Deus nos deu um cérebro e espera que façamos bom uso dele! 1 João 4:1-3 diz o seguinte:

"AMADOS, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo. Nisto conhecereis o Espírito de Deus: Todo o espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; E todo o espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há de vir, e eis que já está no mundo."

Como os registros seculares das atividades de Simão são superficiais, para dizer o mínimo, não sabemos exatamente quanta vergonha ele trouxe ao nome de Cristo, mas temos certeza que foi uma quantidade considerável. A Bíblia nos diz como ele foi bem sucedido em conquistar a atenção dos samaritanos e parece que conseguiu fazer a mesma coisa em Roma. No entanto, a diferença foi que em Roma, ele mais ou menos se encondeu atrás de uma máscara de pseudocristianismo, o que tornou sua magia ainda mais sórdida. O Diabo sabe o que está fazendo e é um especialista em usar a natureza humana contrá nós mesmos. Sua principal arma é a enganação e sempre que puder utilizar uma de suas "toupeiras" para alastrar falsos ensinos ou causar desordem no corpo de Cristo, ele alcançou seus objetivos — provocar Deus! Nossa responsabilidade como cristãos é estar alertas contra aqueles que são lobos disfarçados de ovelhas e fazer tudo o que pudermos para evitá-los, e alertar os outros crentes. As ovelhas estão indefesas sob a melhor das circunstâncias, mas certamente não queremos ajudar os lobos, agindo de forma mais estúpida do que realmente somos.

Agora, voltando ao texto em Mateus 7, quero enfatizar que precisamos estar sempre de guarda contra o que chamo de "pregadores bem-sucedidos". Você sabe o tipo ao qual estou me referindo — aqueles grandes evangelistas, que são constantemente requisitados, ou que pastoreiam igrejas com milhares de membros (mas também algumas menores). Geralmente são chamados de "pastores titulares" porque têm grandes equipes de outros pastores e ministros, responsáveis pelas atividades rotineiras da igreja. Normalmente, recebem polpudos salários e são considerados como os homens (e agora também mulheres!) mais respeitáveis em suas comunidades. Todo mundo fala bem deles e suas congregações "os amam até a morte" Você percebe que aquilo que acabo de descrever tornou-se a posição ideal almejada pela maioria dos pastores hoje em dia? Grandes congregações, grandes entradas e uma multiplicidade de programas para todos os membros da família — mais números sempre crescentes de batismos atestam o sucesso dos ministros do evangelho! Vamos lá, admita — você sempre pensou dessa forma. Certo?

Mas, e se eu lhe disesse que a probabilidade é muita alta que um número significativo desses indivíduos sejam clones de Simão Mago e, na operação de suas "mágicas" são tão contrários à causa de Cristo quanto era Simão? Heresia, você diz? Posso lhe mostrar que um pastor (ou qualquer outro cristão) que realize seu trabalho no poder do Espírito Santo será literalmente odiado pelo mundo e não receberá tapinhas nas costas? Leia o que o Senhor teve a dizer em João 15:19:

"Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu, mas porque não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por isso é que o mundo vos odeia."

Assim, quando vejo qualquer crente professo — especialmente pastor — recebendo as boas-vindas, com amizades com o mundo não-salvo em torno dele, imediatamente fico muito desconfiado, e você também deveria ficar! Mas não me entenda mal, pois não estou dizendo que todo pastor de igreja grande, e que seja muito requisitado, seja falso e seja um instrumento do Diabo.

O que estou dizendo é que muitos deles são! "Pelos seus frutos os conhecereis." A filosofia neo-evangélica dos "métodos" invadiu a vasta maioria das igrejas como uma onda gigante. Em nome do evangelismo, as igrejas tornaram-se centros de entretenimento para garantir que as grandes multidões sejam atraídas para "ouvir o evangelho". Em seguida, essas igrejas provêem a carne em toda oportunidade, em um esforço de fazer as multidões voltar. A adoração formal a Deus foi abandonada e substituída pelos "serviços contemporâneos de adoração" — em que as pessoas são encorajadas a vestir roupas esportivas confortáveis para que os visitantes (os perdidos) sintam-se à vontade e queiram voltar.

A música do mundo foi adotada porque "o pessoal jovem" gosta dela e é mais familiar e menos formal para os visitantes. O satanista Anton LaVey acertou em cheio no que se refere ao uso da música Rock com letras cristãs nas igrejas. Leia com atenção: "Muitas igrejas, inclusive algumas das maiores congregações, têm a música mais sensual, com palmas — também satanicamente inspirada. Afinal, o Diabo sempre teve as melhores melodias." [A Bíblia Satânica, pág. 49] Obrigado, Anton, nós mesmos não poderíamos ter dito melhor!

Que Deus nos ajude!! Um serviço de adoração, por definição, deveria ter o único propósito de adorar ao Deus Todo-Poderoso e expressar nosso amor e gratidão a Ele. O pastor — com base nas ações dos pastores da igreja primitiva — deve pregar um sermão que desafie e que eleve a congregação, com o sincero desejo que ajudará as pessoas a enfrentar os problemas que terão na semana entrante. O sermão também tem o propósito de educar o povo na Palavra de Deus, para que haja crescimento espiritual. Novamente, reitero que o propósito de um serviço de adoração deve ser de nós para Deus — oferecendo o que temos de melhor e, de forma reverente, agradecer a Ele por todos os Seus benefícios. A música que oferecemos como louvor deve ser da mais alta qualidade e as palavras de acompanhamento devem ser espiritualmente similares à qualidade da música. Nosso traje e nosso comportamento também devem estar de acordo com o privilégio solene, porém alegre, que temos de poder nos reunir para a adoração. Todos deveríamos lembrar que estamos na presença do Rei dos reis e Senhor dos senhores quando participamos de um serviço em Sua honra.

Assim, com esses pensamentos em mente, como você acha que Deus vê nossas desculpas para uma adoração relaxada, descontraída e com música mundana? Você teria a audácia de comparecer diante do trono nos céus e apresentar-se diante de Jesus Cristo vestindo calças jeans e uma camiseta, se tem roupas melhores e mais formais em seu guarda-roupa? Talvez você não perceba isso, mas está demonstrando desrespeito a Deus quando sua "adoração" é oferecida com esse tipo de atitude. Pense nisso!

Os pastores infectados pelo vírus neo-evangélico são os principais culpados por essa revoltante degradação, que procura satisfazer a carne. Em vez de manter os padrões de adoração que tinham uma base bíblica e séculos de precedentes antes deles, optaram por métodos que sabem que produzem resultados. Há um ditado que diz: "Nada produz tanto sucesso quanto o próprio sucesso." As pessoas vão naturalmente para onde há luz e calor — para onde há ação. A natureza humana é altamente previsível e é por isso que os vendedores estudam truques psicológicos que comprovadamente funcionam. Além disso, é um fato bem conhecido que o entretenimento (em todas as suas formas) atrai e mantém a atenção do público. Portanto, foi somente um passo para que os homens adotassem técnicas comprovadas de vendas para anunciar a Cristo! Lembra-se de como Simão atraiu e mantinha a atenção dos samaritanos? Os "Simões" modernos estão envolvidos na mesma atividade — cativando as pessoas de todas as formas possíveis, pois a natureza humana diz que os próprios números atuam como um ímã para mais pessoas.

Mas não devemos mesmo usar todos os meios disponíveis para fazer as pessoas ouvirem a mensagem do evangelho? Permita-me responder a essa pergunta fazendo outra: Você pode me mostrar na Bíblia pelo menos um exemplo em que o Senhor ou algum de seus discípulos fizeram isso? A coisa mais próxima que encontrará é que o Senhor enviou "batedores" na frente Dele às cidades e aldeias de Israel para proclamar que o Messias estava chegando. A mensagem sobrenatural do evangelho dirigida pelo poder do Espírito Santo sempre atrai aqueles que Deus quer que ouçam a mensagem.

Os métodos de Simão garantem absolutamente uma colheita abundante de joio no meio do trigo!

Em geral, as igrejas atualmente estão compromissadas com planos, programas e métodos — mas pouco com o Espírito Santo, conforme evidenciado pela contínua rotatividade dos membros em algumas, e decréscimo em outras. A mensagem de Deus está sendo substituída pelos métodos do homem.

Se você participa de uma igreja, vai com a expectativa de dar ou de receber? Se está dentro da média, provavelmente admitirá querer "receber uma bênção". Entretanto, a mensagem do Senhor é que mais bem-aventurada coisa é dar do que receber. Quando entramos em um serviço de adoração, devemos ter o propósito de render graças e louvor a Deus por todo Seu amor e por Suas bênçãos sem medida — para não mencionar nossas ofertas financeiras em proporção com aquilo que Ele nos tem dado. Não devemos ir ao serviço para receber gratificação carnal por meio de um sermão cuidadosamente preparado, que objetiva produzir uma resposta emocional das pessoas, nem por uma extravagância musical com dança ou batidas dos pés no chão! Nossas casas de adoração estão se degradando devido ao uso de métodos para agradar a multidão e a falta de um reavivamento genuíno, enviado pelos céus, e promovido pelo Espírito Santo entre o povo de Deus, é um lembrete constante desse fato.

Como pai e agora avô, aprendi que a maioria das crianças gosta de doces! Se eu lhes oferecer a opção de escolher o que querem em uma refeição, a sobremesa provavelmente será a primeira prioridade. Essa pequena característica da natureza humana nos faz rir, mas é um fato soberbo compreender que nunca superamos esse desejo pelo prazer. Se puder escolher, a vasta maioria de nós sempre optará por aquilo que dê satisfação, em vez de escolher o trabalho e as dificuldades. Os "Simões" deste mundo sabem disso, e lenta e furtivamente incorporaram as "coisas agradáveis" do cristianismo em uma mistura de fervor evangelístico que agrada as multidões, música e programas "para todos os membros da família". Qual cristão genuíno não fica emocionado ao ver almas serem salvas para Cristo? Quem não gosta de uma música que mexa com a alma? Quem não gosta de participar de atividades cristãs na igreja local?

No entanto, você já observou que a maior parte do Novo Testamento dedica-se à instrução doutrinária e à ética dos santos e não ao evangelismo? A música, quase nunca é mencionada no Novo Testamento e, embora seja uma parte importante do serviço de adoração, e sejamos instruídos a entoar cânticos espirituais, cantando ao Senhor com graça no nosso coração, não recebe ênfase principal. Os programas para todos os membros da família são também uma estratégia iniciada no século XX e era desconhecida até então. O que estou tentando dizer? Muito simples, a maioria das igrejas hoje está se especializando em sobremesas e não está oferecendo carne nem legumes. O treinamento do povo de Deus em doutrina e na vida santificada, mais história da igreja cristã — recebe prioridade muito baixa, se é que chega a ser ministrado! O estudo sério da Bíblia, livro por livro, versículo por versículo, é raro de ser visto, e mesmo nos casos em que é enfatizado, a maioria dos pastores evita certas doutrinas e as passagens difíceis das Escrituras.

Por quê? Porque são doutrinas controversas e podem fazer alguém pensar em mudanças! "Ah, mas não devemos ofender ninguém, pois algumas pessoas podem não voltar mais". O jogo dos números é a principal preocupação e os pastores estão hipnotizados por ele. A maioria de vocês que se senta nos bancos ficaria absolutamente surpresa se soubesse o medo que seu pastor tem de perder o emprego. O rabo está abanando o cachorro, pessoal, e muitos de vocês estão raquíticos espiritualmente por causa disso.

E você, amigo? É um joio falso ou um trigo genuíno?


Se você recebeu Jesus Cristo como seu Salvador pessoal, mas vive uma vida espiritual morna, precisa pedir perdão e renovar seus compromissos. Ele o perdoará imediatamente e encherá seu coração com a alegria do Espírito Santo de Deus. Em seguida, você precisa iniciar uma vida diária de comunhão, com oração e estudo da Bíblia.

Se você nunca colocou sua confiança em Jesus Cristo como Salvador, mas entendeu que ele é real e que o fim dos tempos está próximo, e quer receber o Dom Gratuito da Vida Eterna, pode fazer isso agora, na privacidade do seu lar. Após confiar em Jesus Cristo como seu Salvador, você nasce de novo espiritualmente e passa a ter a certeza da vida eterna nos céus, como se já estivesse lá. Assim, pode ter a certeza de que o Reino do Anticristo não o tocará espiritualmente. Se quiser saber como nascer de novo, vá para nossa Página da Salvação agora.

Esperamos que este ministério seja uma bênção em sua vida. Nosso propósito é educar e advertir as pessoas, para que vejam a vindoura Nova Ordem Mundial, o Reino do Anticristo, nas notícias do dia-a-dia.

Fale conosco direcionando sua mensagem a um dos membros da equipe de voluntários.

Se desejar visitar o site "The Cutting Edge", dê um clique aqui: http://www.cuttingedge.org

Que Deus o abençoe.

Autor: Pr. Ron Riffe
Data da publicação: 16/6/2001
Patrocinado por: Luiz Eduardo — Niterói RJ
Revisão: http://www.TextoExato.com
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/p150.asp