Deus Deseja Que Seus Eleitos Sejam Salvos, Santificados e Separados

Os Fuzileiros Navais formam tropas pequenas, mas os homens são altamente motivados, treinados, corajosos, capacitados e estão prontos para enfrentar qualquer missão difícil. O Exército também quer que suas tropas estejam bem treinadas e capacitadas. Alguns paralelos com a vida cristã

Recursos úteis para sua maior compreensão

As Igrejas Cristãs Estão Abrindo as Portas Para o Anticristo


Título do Livro 2


Título do Livro 3

O caráter cristão não se forma de repente, desenvolve-se por meio das provações e tribulações da vida que nosso Deus soberano permite que experimentemos. Romanos 8:28 é um verso precioso das Escrituras e recomendamos muito que, se você ainda não o memorizou, que faça isso. O texto diz:

"E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito."

O verso não diz que todas as coisas são boas em si mesmas, mas que todas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus. Em outras palavras, todas as coisas que ocorrem na vida de um cristão genuíno — independente se as consideramos boas ou más — tomadas como um todo, são no fim para nosso bem. Para ilustrar a questão, permita-me fazer uma pergunta. Alguma vez você já conheceu alguém que passou pelo treinamento militar básico e expressou o sentimento que gostou da experiência? Quase quarenta anos atrás, ingressei na Força Aérea e passei por um treinamento que, pelos padrões do Exército e da Marinha, era considerado um "acampamento de escoteiros" — mas posso assegurar a você que não apreciei nem um minuto dele! Logicamente, minha satisfação pessoal não era um dos propósitos do programa. Tudo nas várias semanas que passei ali destinava-se a erradicar o eu, a desenvolver o conceito de equipe, a promover a disciplina e a desenvolver o caráter pessoal. Fazendo um retrospecto, preciso admitir que a experiência foi proveitosa para mim. Não apreciei quando raparam a minha cabeça! Naquele tempo eu já tinha os cabelos curtos, mas mesmo assim eles tosquiaram tudo. Lembro-me de um rapaz da Califórnia que era "a vida da turma" — falava sem parar e tinha a cabeça cheia de tranças (a moda "Afro" ainda não tinha aparecido) — antes de se sentar na cadeira do barbeiro. Quando saiu de lá, parecia um pintinho todo molhado e estava totalmente calado. Entretanto, nenhum de nós tinha mesmo muita vontade de falar, porque tínhamos recebido a mesma dose de humildade.

Não posso deixar de ver esta vida do cristão como um "treinamento básico" para o resto da eternidade. Enquanto estamos aqui na terra, estamos sendo moldados na imagem de Jesus Cristo e nosso galardão estará baseado em quanto progresso fizemos. Como alguém já observou, os capitães dos grandes navios não recebem treinamento em lagos de águas tranqüilas. Para poderem lidar com as situações que enfrentarão, precisam realmente experimentar as tempestades e aprender com elas. O mesmo é verdade na vida. Deus nos fortalece por meio das provações e testes, exatamente como um soldado é robustecido pelo treinamento árduo. Portanto, procure se lembrar disso na próxima vez que algo desagradável atingir você ou sua família. Reivindique Romanos 8:28 como um verso para sua vida e descanse nessa promessa constantemente, pois Deus usará as circunstâncias para seu bem final.

Uma vez que Deus conceda vida espiritual a um de Seus filhos eleitos por meio da regeneração e habilite-os a crer, a resposta deles de arrependimento e crença inicia um processo muito importante chamado santificação. Esse termo significa ser dedicado, ou separado, para o serviço de Deus e não é um evento que ocorre apenas uma vez; é um processo contínuo e continuará enquanto vivermos nestes corpos mortais. Exatamente como os sargentos fazem os soldados suportarem o esforço físico e o estresse programado, de modo a robustecê-los e treiná-los, Deus usa a própria vida para nos levar à oração e ao estudo da Bíblia — o que, por sua vez, promove crescimento espiritual positivo e progresso na santificação final que será obtida quando recebermos nossos corpos glorificados no arrebatamento. Somente quando estivermos diante da presença bendita do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo é que estaremos completamente separados para Seu serviço e livres para sempre do pecado. No entanto, até que esse dia maravilhoso chegue, estaremos envolvidos nos altos e baixos da vida, lutando contra (1) o mundo, (2) a carne, e (3) o Maligno. 1 João 2:15-17 fala sobre isso:

"Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre."

  1. O que significa "o mundo"?
  2. O que significa "a carne"?
  3. O que significa "o Maligno"?

O termo "mundo", conforme usado nesse contexto, refere-se às atitudes e ações malignas que estão por trás deste sistema mundano. É a típica mentalidade dos homens não-regenerados, que estão espiritualmente cegos. Envolve uma filosofia que "Você só vive uma vez, de modo que aproveite o máximo que puder" — (citando um comercial de cerveja de alguns anos atrás) Opera no princípio do "Faça aos outros antes que façam a você!" "Suba o máximo que puder e divirta-se o máximo que puder, pois é assim que as coisas são e quem não faz isso é um trouxa!" Reflete plenamente a natureza caída e depravada das massas, que a Bíblia chama de:

A "carne" — as atitudes e ações que ocorrem fora do lado espiritual da natureza regenerada do cristão. Essas coisas pecaminosas que fazemos e pensamos, que são o resultado de "fazer o que vem naturalmente". Uma ilustração já bem repetida, mas que é muito boa é a do índio que foi salvo, e vários meses depois de sua conversão, teve uma conversa com um pregador. Quando o pastor lhe perguntou como estavam seus progressos na vida espiritual, o índio respondeu: "Dentro de mim existem dois cachorros brigando — um branco e outro preto." O pregador então perguntou: "Qual deles vence a briga?" A resposta foi: "Aquele que eu alimento melhor!". Quando alimentamos nossa carne com pensamentos, imagens e sons impuros ou impróprios, não estamos fazendo progressos na busca da santificação. Somente quando pedimos a ajuda de Deus na luta contra nossa natureza pecaminosa é que conseguiremos vencê-la, e isso não é fácil.

O Maligno — é o anjo caído que a Bíblia chama de Satanás, que foi o maior e mais poderoso anjo que Deus criou. Seu nome original era "Lúcifer" — ou o "portador da luz" e, aparentemente, estava logo abaixo de Deus em poder e posição nos céus. No entanto, por razões que a Bíblia não explica, Deus permitiu que ele se rebelasse, por causa do orgulho. Encontramos a alusão a isso em Isaías 14:12-17, onde Lúcifer diz claramente "serei como o Altíssimo" [verso 14]. O exercício rebelde da sua própria vontade, em rebelião à vontade de Deus, trouxe a realidade do pecado à existência pela primeira vez. Pecado é qualquer coisa que deixe de atingir os padrões de Deus e Satanás é o "autor" dele. Sua atitude rebelde está sendo manifestada no mundo hoje por meio das vidas dos homens pecadores — o produto da sua sedução para fazer Eva quebrar a única proibição de Deus no Jardim do Éden. Ao se rebelarem contra a ordem de Deus e comerem do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal, Adão e Eva pecaram e sua natureza espiritual morreu imediatamente. A natureza física deles iniciou o processo da morte e todos os seus filhos daquele dia em diante nasceram mortos espiritualmente e condenados a morrer fisicamente um dia. As conseqüências do pecado ainda estão conosco, e mesmo os cristãos nascidos de novo precisam conviver com elas diariamente.

Sim, o mundo, a carne e o Maligno são minas terrestres que precisamos evitar ao caminharmos na jornada de nossas vidas e uma das medidas defensivas que Deus nos fornece chama-se "separação". Os soldados provavelmente não pisarão nas minas terrestres quando fizerem um esforço consciente de ficar longe delas. Quando amadurecemos até um ponto em que compreendemos nossas fraquezas, é menos provável que cedamos a elas e sejamos feridos — evitando esse comportamento e as pessoas envolvidas nelas. Brincar de "roleta russa" com o pecado é uma tolice muito grande e um modo seguro de ser ferido. Se você fizesse parte de uma tropa, gostaria de ter como companheiro outro soldado que insistisse em caminhar por um campo minado? Amigo ou não, suspeito que você procuraria evitá-lo a todo o custo, pois o comportamento dele poderia acarretar a morte de ambos. A mesma coisa deve ser verdadeira para um crente no que se refere aos seus amigos e conhecidos. É a intimidade do relacionamento que está em questão, não a amizade propriamente. Deus espera que sejamos amigáveis, mas também espera que permaneçamos isolados, para não sermos envolvidos no comportamento pecaminoso dos outros. Manter relacionamentos adequados com aqueles que estão à nossa volta freqüentemente envolve muito tato e um testemunho coerente. Eles precisam compreender que existem certas coisas que simplesmente não fazemos, mas ao mesmo tempo não fazer daquilo algo muito importante à custa deles. O Senhor Jesus Cristo freqüentemente misturou-se com os incrédulos e, tanto quanto sabemos, a única repreensão severa que fez foi direcionada aos fariseus — os hipócritas religiosos daquele tempo. Mantenha os amigos incrédulos (não-salvos, não-regenerados) a certa distância e não se aproxime demais, porque se você participar em suas atividades pecaminosas, será tão culpado quanto eles. Você também deve manter exatamente a mesma atitude com relação ao comportamento pecaminoso dos amigos cristãos. O pecado deles ainda é pecado e uma atitude negligente com relação a ele é contagiosa.

Exatamente da mesma forma como as Forças Armadas tentam instilar e manter um espírito de corpo entre as tropas, os cristãos precisam descansar na promessa de Romanos 8:28 e perceber que todas as lutas da vida são planejadas para nosso bem final. Sim, elas são "planejadas"! Nosso Deus soberano utiliza as experiências do dia-a-dia da vida para nos disciplinar e moldar, fazendo de nós soldados capazes de enfrentar a fúria e sobreviver na guerra espiritual. É verdadeiramente trágico que tantos cristãos professos hoje aparentemente nunca tenham aprendido esse conceito básico. Deus tem bênçãos a conceder que estão além da nossa capacidade de compreensão, mas muitos de nós as perdem completamente porque estão tão preocupados consigo mesmos que não separam um tempo para buscar compreender o quadro grande da vontade de Deus para nós. O único princípio enfatizado continuamente no Novo Testamento é que precisamos morrer para nós mesmos e buscar o bem dos outros. Os soldados em combate que cometem o erro de "procurar ser o número um", geralmente não sobrevivem por muito tempo e também acabam provocando a morte dos outros. O trabalho de equipe e uma abordagem unificada para vencer a batalha é essencial para o sucesso, pois envolve "dar cobertura para o outro" e fazer tudo o que for necessário para garantir a vitória. Freqüentemente, isso envolve sacrifício pessoal e a necessidade de renúncia para o benefício do grupo. A falta de disposição de fazer isso por parte de um único indivíduo enfraquece seriamente a eficiência da tropa, pois uma corrente não é mais forte que seu elo mais fraco. Se aquele que estiver de guarda durante a noite adormecer, pode potencialmente expor toda a tropa e essa é, portanto, uma infração grave que pode até ser punida com a morte. Essa é uma regra de bom senso compreendida por todos, mas o egoísmo sempre tentará o indivíduo tolo e descuidado a correr o risco. No entanto, espera-se que a severidade da pena pela infração acabe dissuadindo aqueles que possam ter essa idéia. De forma similar, os cristãos precisam permanecer constantemente alertas aos "ardis do Diabo" e soar o alarme se discernirem sua presença. Os outros podem não gostar de serem despertados de um sono profundo, mas uma pequena dose de prevenção é melhor que muito remédio depois para sarar.

Sua vida cristã exibe caráter pessoal e disciplina espiritual? Você é um bom soldado de Jesus Cristo? Se não pode honestamente dizer que possua essas características essenciais, exorto-o a admitir essas falhas diante do Senhor e buscar a ajuda Dele para desenvolvê-las. Isso envolverá a experiência de coisas desagradáveis e a dor de negar a si mesmo, mas o resultado final será análogo a um recruta recém-alistado tornar-se um soldado real — alguém em quem se pode confiar quando as coisas se tornam realmente difíceis. O resto de nós pode confiar em você?


Se você recebeu Jesus Cristo como seu Salvador pessoal, mas vive uma vida espiritual morna, precisa pedir perdão e renovar seus compromissos. Ele o perdoará imediatamente e encherá seu coração com a alegria do Espírito Santo de Deus. Em seguida, você precisa iniciar uma vida diária de comunhão, com oração e estudo da Bíblia.

Se você nunca colocou sua confiança em Jesus Cristo como Salvador, mas entendeu que ele é real e que o fim dos tempos está próximo, e quer receber o Dom Gratuito da Vida Eterna, pode fazer isso agora, na privacidade do seu lar. Após confiar em Jesus Cristo como seu Salvador, você nasce de novo espiritualmente e passa a ter a certeza da vida eterna nos céus, como se já estivesse lá. Assim, pode ter a certeza de que o Reino do Anticristo não o tocará espiritualmente. Se quiser saber como nascer de novo, vá para nossa Página da Salvação agora.

Esperamos que este ministério seja uma bênção em sua vida. Nosso propósito é educar e advertir as pessoas, para que vejam a vindoura Nova Ordem Mundial, o Reino do Anticristo, nas notícias do dia-a-dia.

Fale conosco direcionando sua mensagem a um dos membros da equipe de voluntários.

Se desejar visitar o site "The Cutting Edge", dê um clique aqui: http://www.cuttingedge.org

Que Deus o abençoe.

Autor: Pr. Ron Riffe
Data da publicação: 31/10/2001
Patrocinado por: J. M. B. S. — Curitiba / PR
Revisão: http://www.TextoExato.com
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/p167.asp