Riquezas e Responsabilidades

O que a Palavra de Deus diz sobre os pregadores que promovem em seus ouvintes o desejo de ser rico?


Recursos úteis para sua maior compreensão

As Igrejas Cristãs Estão Abrindo as Portas Para o Anticristo


Título do Livro 2


Título do Livro 3

No capítulo 6 da primeira epistola a Timóteo, o apóstolo Paulo apresenta o seguinte discurso (baseado na premissa dos escravos cristãos serem obedientes aos seus donos):

"… Isto ensina e exorta. Se alguém ensina alguma outra doutrina, e se não conforma com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo, e com a doutrina que é segundo a piedade, é soberbo, e nada sabe, mas delira acerca de questões e contendas de palavras, das quais nascem invejas, porfias, blasfêmias, ruins suspeitas, contendas de homens corruptos de entendimento, e privados da verdade, cuidando que a piedade seja causa de ganho; aparta-te dos tais. Mas é grande ganho a piedade com contentamento. Porque nada trouxemos para este mundo, e manifesto é que nada podemos levar dele. Tendo, porém, sustento, e com que nos cobrirmos, estejamos com isso contentes. Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína. Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores." [1 Timóteo 6:2-10; ênfase adicionada].

Depois, uns poucos versos adiante, ele faz recomendações adicionais aos cristãos que Deus julgou apropriado abençoar com as riquezas deste mundo:

"Manda aos ricos deste mundo que não sejam altivos, nem ponham a esperança na incerteza das riquezas, mas em Deus, que abundantemente nos dá todas as coisas para delas gozarmos; que façam bem, enriqueçam em boas obras, repartam de boa mente, e sejam comunicáveis; que entesourem para si mesmos um bom fundamento para o futuro, para que possam alcançar a vida eterna." [1 Timóteo 6:17-19; ênfase adicionada].

Portanto, a primeira coisa que precisamos compreender é que aqueles que dizem que "o dinheiro é a raiz de todos os males" estão citando incorretamente as Escrituras! O amor ao dinheiro é o problema — não o dinheiro em si. Ter fundos suficientes para suprir as necessidades é uma grande benção de Deus, porém erramos grosseiramente se demonstramos insatisfação com o nível de Sua provisão ao desejarmos sermos ricos!! Nosso Deus Soberano não dá a cada um de nós o mesmo "capital operacional", como podemos observar na seguinte parábola:

"Porque isto é também como um homem que, partindo para fora da terra, chamou os seus servos, e entregou-lhes os seus bens. E a um deu cinco talentos, e a outro dois, e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade, e ausentou-se logo para longe." [Mateus 25:14-15].

Em termos de dinheiro na época do Novo Testamento, um "talento" equivalia a 6.000 denários — uma soma considerável, quando consideramos que um denário era o salário de um dia de um trabalhador comum. Então, a um dos servos foi confiada a responsabilidade por um único talento, a outro o dobro da quantia, e ao terceiro cinco vezes mais do que ao primeiro. Observe o critério utilizado para definir a quantia dada — "a cada um segundo a sua capacidade". Em outras palavras, o mestre tinha plena consciência do nível relativo de competência de seus servos e investiu neles de forma coerente com a capacidade de cada um — com a expectativa razoável de que eles administrassem sabiamente o dinheiro e lhe trouxessem lucro.

A aplicação dessa parábola aos cristãos é óbvia: nosso Senhor possui um conhecimento infinito sobre nossas forças e fraquezas e designa tarefas com base em nossa disposição para servir. Muitos fiéis possuem habilidades dadas por Deus muito além de sua determinação de utilizá-las e, portanto, sua participação geral na causa de Cristo é muito inferior ao que poderia ser. Infelizmente, muitos desses mesmos irmãos freqüentemente passam suas vidas "na ponta do lápis", com dificuldades para equilibrar suas finanças porque Deus não responde às suas orações por dinheiro! Por quê? Freqüentemente por causa do seguinte:

"Cobiçais, e nada tendes; matais, e sois invejosos, e nada podeis alcançar; combateis e guerreais, e nada tendes, porque não pedis. Pedis, e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites." [Tiago 4:2-3; ênfase adicionada].

O primeiro texto que escrevi na seção Artigos Pastorais, O Segredo Melhor Guardado na Bíblia, tratava do assunto da mordomia. Naquele artigo, procurei mostrar que devemos primeiro aprender a dar se desejamos receber! Então, quando de fato recebermos, não será sempre algo de natureza material. Como alguém pode atribuir um valor monetário à saúde perfeita ou a uma noite restauradora de sono? Ouçam-me, amigos: em nenhum lugar Deus fez uma promessa aos cristãos de que poderíamos ficar ricos orando por isso ou seguindo algum tipo de fórmula. Charlatões iníquos continuam a desviar muitas ovelhas ensinando-as a cobrar promessas que Deus fez a Israel no Antigo Testamento — promessas referentes a bênçãos materiais que eram condicionais. A obediência trouxe bênçãos, mas a desobediência trouxe o julgamento. E nem sequer uma dessas promessas condicionais foi feita à igreja no Novo Testamento.

Nosso Deus Soberano permite que cada um de Seus filhos ganhe dinheiro no nível que Ele escolher. Quando eu era jovem, aprendi da forma difícil que os gastos continuariam a exceder a receita enquanto eu insistisse em trapacear Deus naquilo que lhe era devido. O "dízimo" cobrado dos judeus no Antigo Testamento, no final das contas, se aproximava de 15% de sua renda total. Antes que você levante uma objeção, deixe-me dizer que o dízimo não é requerido dos cristãos. Mas por que deveríamos pensar que Deus ficaria satisfeito com algo menor — especialmente se somos capazes de oferecer?

Quase posso ouvir as lamúrias de muitos dos que acabaram de ler isso e rejeitam inflexivelmente a premissa! "Mas, mas... mas não posso suportar isso", eles dizem! Amado, a questão é que você não pode deixar de fazer isso. Deus irá "receber Sua parte" de um jeito ou de outro, e a razão básica por que tantos fiéis são forçados a amargar uma existência miserável é por causa de sua má mordomia (ou, mais freqüentemente, da falta de mordomia).

Eu me contorço quando vejo congregações recorrerem a quermesses, lavagem de carros e uma miríade de outras tentativas de aumentar a receita, quando a verdade é que elas não têm fé suficiente para praticar uma mordomia adequada. Ademais, quando conseguem aumentar um pouco a receita, geralmente gastam o dinheiro em projetos totalmente desnecessários, como os "Centros de Convivência Familiar", etc., e acabam negligenciando os missionários que poderiam fazer um bom uso desse dinheiro na propagação da mensagem do Evangelho aos confins da Terra.

Então, a minha pergunta é esta: Quando você vai parar de ouvir aqueles que fazem ofertas falsas de conquistas materiais (freqüentemente colocando seus próprios bolsos no processo) e começará a tratar Deus com o respeito que um mordomo deve exibir?

"Além disso, requer-se dos despenseiros que cada um se ache fiel." [1 Coríntios 4:2].

Como mencionei no artigo O Segredo Melhor Guardado na Bíblia, um mordomo dos tempos do Antigo Testamento vivia essencialmente no mesmo estilo de vida que seu patrão. Enquanto cuidasse adequadamente dos bens do patrão, ele desfrutava de uma vida confortável. Porém, se fosse considerado infiel, era dispensado ou colocado para executar as tarefas de um servo comum.

Alguns dos que lêem isto foram reduzidos a viver das migalhas que caem da mesa do Mestre, pois têm sido infiéis. A única forma de você ser restabelecido na posição de mordomo é determinar que por fé fará o máximo que puder com o que tem. Mas esteja ciente de que não há como você se sentar e fazer um orçamento no que se refere a uma boa mordomia — porque os números não vão fechar no final! Deus espera que demos primeiro e dependamos Dele para estender o que sobrar para atender às nossas necessidades. Isso requer fé e um desejo de agradá-Lo em todas as coisas. A atitude deve coincidir com a ação, porque fazer a coisa certa da forma errada não lhe valerá nada.

"Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria." [2 Coríntios 9:7].

Então, você vai pescar ou cortar a isca? Se você anda reclamando que é difícil ganhar a vida, as chances de você ser o culpado são grandes. Muito embora seja tomada do Antigo Testamento, a seguinte passagem é uma excelente explicação do princípio que está por trás do problema:

"Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas. [Malaquias 3:8; ênfase adicionada].

Exatamente quando você acha que o máximo do sacrifício pessoal envolve doar cerca de 10%, esteja ciente que as ofertas eram voluntárias — no valor ou acima do dízimo requerido! "Ah, você só pode estar brincando!" Não, estou falando muito sério e tentando chamar sua atenção.

Eu poderia citar literalmente centenas de fiéis que conheci ao longo dos anos (muitos dos quais já morreram) que dariam testemunho do fato de que Deus abençoa aqueles que agem corretamente com Ele.

"Fui moço, e agora sou velho; mas nunca vi desamparado o justo, nem a sua semente a mendigar o pão." [Salmos 37:25].

Se você realmente é um filho de Deus, posso indicar com total segurança que, por pior que estejam suas finanças — você não foi levado a esmolar pela sua próxima refeição. A assistência governamental, os sopões ou a intervenção providencial evitarão que você precise implorar de porta em porta. Deus ainda cuida dos Seus, porém Suas bênçãos abundam para aqueles que doam seu tempo, talentos e tesouros para Sua obra. Eu lhe instigo a orar sobre esse assunto e a dar o primeiro passo de fé devolvendo a Ele uma boa parte daquilo que Ele está permitindo que você usufrua. Como um filho da graça, tudo o que você possui pertence a Ele. Sei por experiência pessoal que o quanto antes você compreender esse fato e começar a praticar uma boa mordomia, melhor será para você — tanto financeira quanto espiritualmente.



Se você nunca colocou sua confiança em Jesus Cristo como Salvador, mas entendeu que ele é real e que o fim dos tempos está próximo, e quer receber o Dom Gratuito da Vida Eterna, pode fazer isso agora, na privacidade do seu lar. Após confiar em Jesus Cristo como seu Salvador, você nasce de novo espiritualmente e passa a ter a certeza da vida eterna nos céus, como se já estivesse lá. Assim, pode ter a certeza de que o Reino do Anticristo não o tocará espiritualmente. Se quiser saber como nascer de novo, vá para nossa Página da Salvação agora.

Esperamos que este ministério seja uma bênção em sua vida. Nosso propósito é educar e advertir as pessoas, para que vejam a vindoura Nova Ordem Mundial, o Reino do Anticristo, nas notícias do dia-a-dia.

Fale conosco direcionando sua mensagem a um dos membros da equipe de voluntários.

Se desejar visitar o site "The Cutting Edge", clique aqui http://www.cuttingedge.org

Que Deus o abençoe.

Autor: Pr. Ron Riffe
Tradução: Eduardo Perez Neto
Data da publicação: 20/10/2004
Patrocinado por: Antônio Pantaglione — Catanduva / SP
Revisão: http://www.TextoExato.com
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/p229.asp