Manejando Corretamente a Palavra da Verdade

"Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade." [2 Timóteo 2:15].

Recursos úteis para sua maior compreensão

As Igrejas Cristãs Estão Abrindo as Portas Para o Anticristo


Título do Livro 2


Título do Livro 3

Entre outras coisas, os jornalistas são instruídos a sempre fazerem cinco perguntas (quem, o que, quando, onde, por quê?), de modo que suas matérias reflitam exatamente os fatos apresentados. Esse princípio é vitalmente importante de se ter em mente sempre que estudamos a Palavra de Deus. Precisamos comparar as Escrituras com as Escrituras e evitar tirar algo de seu contexto.

Não se deixe enganar — a Bíblia pode ser facilmente distorcida para suportar falsas doutrinas.

Se você precisa de alguma prova para essa afirmação, apenas olhe para a cristandade hoje! Entre aqueles que professam a Jesus Cristo como Senhor e Salvador existem tantas doutrinas conflitantes quanto existem denominações e seitas. Todos afirmam que têm o "'mercado cercado" sobre a verdade doutrinária, mas obviamente todos não podem estar corretos ao mesmo tempo. Assim, onde é que isso nos deixa? O fato triste é que milhões estão nas garras da enganação demoníaca e alegremente ignorantes de seu estado de perigo. Hordas de pregadores apóstatas estão construindo seus fã-clubes em torno de seu carisma pessoal e em sua capacidade de persuadir — com muitos santos genuínos caindo vítimas de sua lábia de vendas.

"Falando disto, como em todas as suas epístolas, entre as quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem, e igualmente as outras Escrituras, para sua própria perdição." [2 Pedro 3:16; ênfase adicionada].

"Mas os homens maus e enganadores irão de mal para pior, enganando e sendo enganados." [2 Timóteo 3:13; ênfase adicionada].

Entretanto, com a ajuda do Espírito Santo que habita neles, os crentes genuínos podem discernir a verdade se verdadeiramente a buscarem:

"E a unção que vós recebestes dele, fica em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a sua unção vos ensina todas as coisas, e é verdadeira, e não é mentira, como ela vos ensinou, assim nele permanecereis." [1 João 2:27].

Mas um grande obstáculo que enfrentamos ao manejar bem a Palavra da Verdade é nosso próprio idioma! Não sou nenhum especialista em lingüística, e o mesmo tipo de problema pode na verdade existir em todos os outros idiomas, mas parece que nossa "língua materna" é especialmente fácil de ser mal interpretada. Duas pessoas freqüentemente lêem as mesmas palavras e terminam com visões diametralmente opostas daquilo que está escrito. Por exemplo, uso com freqüência esta frase de uma cantiga infantil para ilustrar o ponto: "Maria teve um carneirinho..." No mínimo, existem quatro modos totalmente diferentes em que essa frase pode ser interpretada, embora algumas sejam ridículas. (1) Em algum tempo no passado Maria possuiu um carneirinho — o filhote de uma ovelha, ou (2) Ela deu à luz a um carneirinho, ou (3) A frase é uma hipérbole, indicando a natureza preciosa de um "carneiro" de seu bebê, ou (4) Ela comeu carneiro no jantar. Devem ainda existir mais interpretações! Vê o que quero dizer?

Entretanto, a próxima linha da cantiga diz, "... sua lã era branca como a neve..." Ah! O contexto estreita as possibilidades consideravelmente e, com a adição da próxima linha, "... e para toda a parte que Maria ia, o carneiro a seguia.", o senso comum deve limitar a interpretação à primeira possibilidade. Mas, e se várias pessoas inflexivelmente insistirem que Maria "comeu carneiro no jantar"? Sim, sei que isto é forçar os limites da ilustração, mas fique comigo.

Um exemplo clássico desse princípio na Escrituras encontra-se em Atos 2:38, em que Pedro diz, "Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo." Concentrando-se na palavra "para" e considerando que ela significa "de modo a receber", os católico romanos e alguns dentro das fileiras do protestantismo são inflexíveis em admitir que a pessoa precisa ser batizada de modo a obter a remissão dos pecados! Por outro lado, a maioria dos cristãos evangélicos conservadores (eu inclusive) compreende que o 'para' nesse caso significa 'por causa da' ou 'com referência a" à remissão dos pecados. Assim sendo, quem está certo e quem está errado? É óbvio que o nosso idioma admite uma dupla interpretação aqui e esse fato é lastimável. Para determinar além da dúvida aquilo que está realmente sendo dito, é preciso "manejar corretamente" a Palavra da verdade", prestando atenção ao contexto e fazendo as cinco perguntas mencionadas anteriormente. A Escritura precisa ser comparada com a Escritura e todas as conclusões precisam se encaixar com o todo das Escrituras. Em outras palavras, a Palavra de Deus não se contradiz quando é interpretada corretamente. Se parece existir uma contradição entre duas ou mais passagens, o melhor que devemos fazer é buscar a ajuda e instrução do Espírito Santo!

Primeiro e mais importante de tudo, a preponderância das Escrituras ensina que a salvação é pela graça de Deus, mais nada! Em segundo lugar, a palavra grega traduzida por "para" em Atos 2:38 é eis — uma preposição indefinida de referência e é freqüentemente traduzida como "para" em todo o Novo Testamento — indicando claramente sua função de referência.

"Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie." [Efésios 2:8-9; ênfase adicionada].

O que a palavra grega ergon, traduzida como "obras" significa? A Concordância de Strong diz o seguinte:

ergon, er'-gon; de uma primária (mas obsoleta) ergo (trabalhar); esforço (como um esforço ou ocupação); por implicação um ato: obra, trabalho, algo a ser feito. (ênfase minha)

"Obras" no sentido mais amplo indica qualquer ato ou trabalho de nossa parte. No entanto, no contexto de Efésios 2:8-9 (e outras passagens), o termo refere-se especificamente aos atos, trabalhos, etc. que alguns erroneamente acreditam que os ajudam a obter a salvação. O apóstolo Paulo também fala sobre essa heresia na epístola a Tito:

"Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo." [Tito 3:5; ênfase adicionada].

Novamente, a palavra "obras" é a tradução da palavra grega ergon. Além disso, interessantissimamente, também encontramos nesse verso a frase "lavagem da regeneração" — um exemplo em que linguagem figurativa é incorretamente considerada por alguns como uma referência ao batismo. A regeneração — nascer de novo — "lava" o pecado do indivíduo, tornando seu histórico limpo diante de Deus — não as águas do batismo, embora Atos 22:16 seja outro verso que parece sugerir que isso é o que ocorre!

"E agora por que te deténs? Levanta-te, e batiza-te, e lava os teus pecados, invocando o nome do Senhor." [Atos 22:16].

Nesse caso em particular, o erudito em grego Kenneth Wuest traduz a palavra "invocando" no pretérito imperfeito "tendo previamente invocado". E essa interpretação é consistente com a seqüência que encontramos após a conversão de Saulo (Paulo):

"E Ananias foi, e entrou na casa e, impondo-lhe as mãos, disse: Irmão Saulo, o SENHOR Jesus, que te apareceu no caminho por onde vinhas, me enviou, para que tornes a ver e sejas cheio do Espírito Santo." [Atos 9:17].

Paulo recebeu o Espírito Santo no caminho de Damasco, quando nasceu de novo. Ele ficou cheio do Espírito Santo mais tarde, quando foi batizado.

Essa mesma seqüência da salvação primeiro e batismo depois também é vista em Atos 10.

"E, dizendo Pedro ainda estas palavras, caiu o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a palavra. E os fiéis que eram da circuncisão, todos quantos tinham vindo com Pedro, maravilharam-se de que o dom do Espírito Santo se derramasse também sobre os gentios. Porque os ouviam falar línguas, e magnificar a Deus. Respondeu, então, Pedro: Pode alguém porventura recusar a água, para que não sejam batizados estes, que também receberam como nós o Espírito Santo?" [Atos 10:44-47; ênfase adicionada].

Para essas pessoas, o batismo veio claramente após o recebimento do Espírito Santo. Quando o Espírito Santo toma residência, o indivíduo nasce de novo, ponto final! Assim, queremos enfatizar que o batismo é um passo importante de obediência à ordem do Senhor, mas não salva!

Eu poderia me estender mais, porém meu objetivo principal aqui não é discutir a "regeneração pelo batismo". Essa falsa doutrina (como todas as outras) surgiu com alguém que trouxe uma noção pré-concebida à Palavra de Deus e então procurou "textos de prova" para suportar essa idéia. Quando tais coisas são feitas, o princípio que as Escrituras não contradizem as Escrituras é sempre violado.

Outra ilustração de "manejar incorretamente a Palavra da verdade" envolve os pregadores que erroneamente aplicam princípios e preceitos do Antigo Testamento. Um caso em vista é a multidão do "nomeie e reivindique" que foi enganada a acreditar que Deus os fará ricos se eles tiverem fé o suficiente. Essa promessa foi feita aos judeus no Antigo Testamento e dependia da obediência deles. Ela não é reiterada no Novo Testamento e, portanto, não tem aplicação alguma aos cristãos que vivem na época da igreja.

Há, então, aquela palavrinha "todos", que continua a causar problemas com interpretação. Considere o seguinte:

"Porque, assim como todos morrem em Adão, assim também todos serão vivificados em Cristo." [1 Coríntios 15:22].

Nesse caso em particular, ambos "todos" significam "todos sem exceção" — em outras palavras, todos sem exceção morreram em Adão, mas a segunda comparação pode ser (e é por alguns) erradamente interpretada como se ensinasse uma salvação universal. O segundo "todos" é modificado pela necessidade de estar "em Cristo" e refere-se a 100% daqueles salvos por Jesus Cristo — não todos os homens em toda a parte.

Em seguida, temos:

"Um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos vós." [Efésios 4:6].

Usada por aqueles que erroneamente ensinam a paternidade universal de Deus e a irmandade dos homens, a primeira frase diz realmente que Deus é o Pai de todos. Assim, como sabemos que ela realmente não pode significar que Deus é o Pai de todos os homens em toda a parte? Porque quando consultamos as Escrituras como um todo, aprendemos o princípio que uma pessoa precisa nascer na família de Deus por meio do novo nascimento para que Deus se torne nosso Pai Celestial. Esse princípio maior dita um significado de, "... Pai de (nós) todos..." referindo-se, é claro, a Paulo e aos cristãos em Éfeso, a quem ele estava se dirigindo.

Ainda outra ilustração encontra-se neste verso:

"De maneira que as minhas prisões em Cristo foram manifestas por toda a guarda pretoriana, e por todos os demais lugares." [Filipenses 1:13].

Devemos compreender que as cadeias de Paulo foram manifestas em todo o mundo? "Todos os demais lugares" poderia certamente ser interpretado como se significasse isso. No entanto, o bom senso nos diz que "todos" neste caso é relativo e, no máximo, pode se referir somente àqueles que souberam do confinamento de Paulo.

"Que já chegou a vós, como também está em todo o mundo; e já vai frutificando, como também entre vós, desde o dia em que ouvistes e conhecestes a graça de Deus em verdade." [Colossenses 1:6].

Foi a mensagem do evangelho pregada em todo o mundo naquele tempo? Não, tomado em seu contexto, isto está dizendo que todos os judeus na dispersão dentro do alcance do Império Romano ouviram a mensagem. Esse era o "mundo" conhecido daqueles dias.

Há então o seguinte, que ainda causa muita discussão entre os irmãos:

"Que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade." [1 Timóteo 2:4].

Primeiro e antes de tudo, precisamos reconhecer o fato que se Deus quisesse que todos os homens em toda a parte fossem salvos, então todos seriam salvos.

"Mas, se ele resolveu alguma coisa, quem então o desviará? O que a sua alma quiser, isso fará." [Jó 23:13; ênfase adicionada].

A palavra grega traduzida como "quer" em 1 Timóteo 2:4 na verdade significa "prefere, ou deseja". Mas mesmo sendo esse o caso, Deus realmente prefere ou deseja que, sem exceção, todos os homens, em toda a parte sejam salvos? Por mais sem coração que isso possa soar e independente de como isso viola sua "zona de conforto" — preciso insistir que esse não é o caso. Ali o "todos" significa "todos sem distinção" — não "todos sem exceção" — e refere-se aos judeus e gentios da mesma forma. Assim, se você puder colocar de lado a opinião pré-concebida e pensar sobre ela da forma mais objetiva possível, acredito que verá que se Deus realmente desejasse que todos os homens (sem exceção) — Seu Espírito Santo os perseguiria até a morte! Mas sabemos que isso não acontece por causa do seguinte:

"Mas Deus se afastou, e os abandonou a que servissem ao exército do céu, como está escrito no livro dos profetas: Porventura me oferecestes vítimas e sacrifícios no deserto por quarenta anos, ó casa de Israel?" [Atos 7:42].

"Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza." [Romanos 1:26; ênfase adicionada].

"E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm." [Romanos 1:28; ênfase adicionada].

"E, como Janes e Jambres resistiram a Moisés, assim também estes resistem à verdade, sendo homens corruptos de entendimento e réprobos quanto à fé." [2 Timóteo 3:8; ênfase adicionada].

Não vemos nessas passagens que o "todos" não pode significar todos sem exceção?

Deus deseja que representantes de todos os grupos étnicos e grupos de homens que a Bíblia classifica como judeus e gentios — todos sem distinção — sejam salvos e a história tem mostrado que esse é o caso. A escolha original de Israel por Deus foi agora ampliada para incluir todas as nações e grupos étnicos na Terra. Entretanto, não é intenção Dele salvar todos da raça humana caída — apenas alguns!

"Porque, vede, irmãos, a vossa vocação, que não são muitos os sábios segundo a carne, nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que são chamados." [1 Coríntios 1:26; ênfase adicionada].

Assim, insistir que o desejo de Deus é salvar a todos, em toda a parte, e sem exceção, simplesmente não tem base nas Escrituras. Mas e 2 Pedro 3:9, alguns de vocês provavelmente estão perguntando? Bem, vamos tentar manejar bem a Palavra da verdade e ver:

"O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se." [2 Pedro 3:9].

Para quem a longanimidade de Deus está dirigida? Para conosco. Então, em seguida, precisamos descobrir a quem esse "conosco" se refere. Bem, os seguintes versos nos dizem que essa epístola foi escrita pelo apóstolo Pedro para os cristãos:

"Simão Pedro, servo e apóstolo de Jesus Cristo, aos que conosco alcançaram fé igualmente preciosa pela justiça do nosso Deus e Salvador Jesus Cristo." [2 Pedro 1:1].

"Amados, escrevo-vos agora esta segunda carta, em ambas as quais desperto com exortação o vosso ânimo sincero." [2 Pedro 3:1].

Portanto, o "conosco" inclui Pedro e os irmãos para quem ele estava escrevendo. Agora que estabelecemos a identidade do "conosco", a quem o restante da sentença de 2 Pedro 3:9 se refere? É a toda a humanidade, como muitos insistem hoje?

O respeitável comentarista Matthew Henry teve isso a dizer sobre o verso em questão:

"O que os homens chamam de retardo é na verdade longanimidade, e isso para conosco; é dando mais tempo para seu próprio povo que eles possam trazer glórias a Deus, aperfeiçoando-se na preparação para o céu; porque Deus não deseja que qualquer um desses pereça, mas que todos venham ao arrependimento..." (ênfase minha)

Encontramos esse mesmo ponto de vista refletido por Jay P. Green Sr. em seu Pocket Interlinear New Testament, onde ele traduz 2 Pedro 3:9 assim:

"O Senhor não é lento com relação à promessa como alguns consideram, mas é longânimo em relação a nós, não tendo proposto que qualquer um de nós pereça, mas que todos venhamos ao arrependimento." (ênfase minha)

Assim, quem está certo e quem está errado em todos esses exemplos? Eu gostaria de poder de lhe dar uma resposta "escrita em granito", mas Deus achou apropriado deixar Sua Palavra aberta à interpretação pessoal. Se o intento Dele fosse diferente, Ele poderia ter dado Sua Palavra à humanidade escrita em terminologia jurídica. Mas isso teria resultado em uma biblioteca em vez de a Bíblia que temos agora! Quando a ênfase está em eliminar a possibilidade de quaisquer "brechas", é necessário tomar muito cuidado para garantir que o texto seja redigido de tal modo que não possa ser distorcido para significar uma coisa diferente. Infelizmente, a concisão é geralmente sempre sacrificada no processo — conforme demonstrado pela extensão da maioria dos documentos jurídicos.

Acredito que o simples fato de Deus nos deixar interpretar o que está sendo dito prova algo que explorei em um artigo anterior, intitulado "É a Posse de uma Bíblia Necessária Para a Salvação", em http://www.cuttingedge.org/articles/p207.htm (não traduzido).

Meus amigos, a salvação é recebida pela fé como a de uma criança, ou não é recebida absolutamente:

"Mas Jesus, chamando-os para si, disse: Deixai vir a mim os meninos, e não os impeçais, porque dos tais é o reino de Deus. Em verdade vos digo que, qualquer que não receber o reino de Deus como menino, não entrará nele." [Lucas 18:16-17; ênfase adicionada].

Quantas crianças compreendem as diferenças teológicas que causam tanta queimação no peito de nós, adultos? O ponto é que Deus salva e um diploma em teologia não é necessário! O conhecimento e a fé não são mutuamente exclusivos — mas certamente não são sinônimos! O vínculo oculto entre o gnosticismo e o conhecimento continua a estrangular a cristandade porque muitos que professam a Cristo hoje exibem uma tendência de tornar o conhecimento um fator muito importante na salvação de uma alma. O que quero dizer é que eles tentam "educar" as pessoas a vir a Cristo por meio da lógica e da razão (para não mencionar a pressão psicológica) — o que é algo que não pode ser feito legitimamente.

"Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus. Porque está escrito: Destruirei a sabedoria dos sábios, e aniquilarei a inteligência dos inteligentes. Onde está o sábio? Onde está o escriba? Onde está o inquiridor deste século? Porventura não tornou Deus louca a sabedoria deste mundo? Visto como na sabedoria de Deus o mundo não conheceu a Deus pela sua sabedoria, aprouve a Deus salvar os crentes pela loucura da pregação." [1 Coríntios 1:18-21].

Falsas profissões de fé são freqüentemente o resultado quando essas táticas são empregadas e nunca devemos permitir que Satanás tenha essa porta aberta, porque ele sempre a explorará, para semear joio entre o trigo!

"Não deis lugar ao diabo." [Efésios 4:27].

A simplicidade da mensagem do evangelho é enfatizada pelo apóstolo Paulo no primeiro capítulo de 1 Coríntios. E esse intento casa-se perfeitamente com a fé como a de uma criança. O Espírito Santo fala ao coração do indivíduo eleito por meio da mensagem sobrenatural e o atrai a um conhecimento salvífico de Jesus Cristo. Muitas crianças de quatro ou cinco anos (e até menores) vêm ao Salvador sem que qualquer adulto as estimule a isso, por que quando elas ouvem o Evangelho, ele convence seus pequenos corações — puxando-os com os cordões do amor para seu Pai Celestial. E o mesmo precisa ser verdadeiro com relação aos adultos que vêm a Cristo. Quando a mensagem simples é pregada e o Espírito Santo faz sua obra no coração, o objetivo é que todos reconheçam o poder sobrenatural envolvido, e todos louvem e honrem a Jesus Cristo — não tolos pregadores que recorrem à oratória e a métodos sem base nas Escrituras.

Assim, nossa oração é que o povo de Deus maneje bem a Palavra da Verdade", de tal modo a agradá-Lo.



Se você nunca colocou sua confiança em Jesus Cristo como Salvador, mas entendeu que ele é real e que o fim dos tempos está próximo, e quer receber o Dom Gratuito da Vida Eterna, pode fazer isso agora, na privacidade do seu lar. Após confiar em Jesus Cristo como seu Salvador, você nasce de novo espiritualmente e passa a ter a certeza da vida eterna nos céus, como se já estivesse lá. Assim, pode ter a certeza de que o Reino do Anticristo não o tocará espiritualmente. Se quiser saber como nascer de novo, vá para nossa Página da Salvação agora.

Esperamos que este ministério seja uma bênção em sua vida. Nosso propósito é educar e advertir as pessoas, para que vejam a vindoura Nova Ordem Mundial, o Reino do Anticristo, nas notícias do dia-a-dia.

Fale conosco direcionando sua mensagem a um dos membros da equipe de voluntários.

Se desejar visitar o site "The Cutting Edge", clique aqui http://www.cuttingedge.org

Que Deus o abençoe.

Autor: Pr. Ron Riffe
Data da publicação: 12/1/2005
Patrocinado por: D. M. — Inglaterra
Texto revisado por: V. D. M. — Campo Grande / MS e http://www.TextoExato.com
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/p235.asp