Os Catorze "Pecados Mortais" do Catolicismo Romano

"Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor." [Romanos 6:23]


Recursos úteis para sua maior compreensão

As Igrejas Cristãs Estão Abrindo as Portas Para o Anticristo


Título do Livro 2


Título do Livro 3

A Igreja Católica Romana e seu papa fizeram novamente algo que se desvia drasticamente das Escrituras. No mais novo pronunciamento do Vaticano, o Papa Bento XVI dobrou o número de "pecados mortais" ao adicionar sete novos pecados à lista original de orgulho, inveja, glutonaria, cobiça, luxúria, ira e preguiça. Os novos acréscimos incluem poluir o ambiente, engenharia genética, riquezas obscenas, uso de drogas, aborto, pedofilia e causar injustiça social.

A doutrina católica tradicional divide os pecados em mortais e veniais e afirma que os pecados mortais, se não houver arrependimento, levam ao castigo eterno. Mas como nosso subtítulo declara, a Bíblia diz que o castigo para o pecado (singular) é a morte espiritual eterna. Isto significa que do ponto de vista de Deus, os chamados "pecados veniais" não são diferentes dos "pecados mortais" em relação ao castigo:

"Eis que todas as almas são minhas; como o é a alma do pai, assim também a alma do filho é minha: a alma que pecar, essa morrerá." [Ezequiel 18:4; ênfase adicionada].

Observe que detalhes específicos nem graus são mencionados — apenas um fato é claramente declarado: Todo aquele que pecar, morrerá! E sabemos a partir dos ensinamentos de Jesus Cristo no Novo Testamento que o castigo final para o pecado é a condenação eterna.

O que muitos não entendem é que um único desvio da perfeição exigida pela santidade e justiça de Deus é PECADO!

Então, quanto mais rápido colocarmos este fato em nossas cabeças melhor! Você e eu, juntos com todos mais neste planeta somos pecadores porque nenhum de nós é perfeito. Da mesma forma que contar uma mentira nos transforma em mentirosos, cometer um pecado bem pequenininho nos torna pecadores e nos coloca sob a sentença de Deus de morte eterna.

"Alienam-se os ímpios desde a madre; andam errados desde que nasceram, falando mentiras." [Salmos 58:3].

Contudo, nossa intenção não é entrar em uma discussão sobre pecado e perdão, porque esse tópico já foi abordado em um artigo anterior:

"Pecado e Perdão", em http://www.espada.eti.br/p191.asp

Por isso, vamos examinar mais de perto a mais recente lista de pecados mortais emitida por Roma e observar alguns aspectos que revelam a direção para onde a igreja está levando seus aderentes fiéis.

Em primeiro lugar, o "novo" pecado de poluir o ambiente levanta pelo menos uma pergunta teológica importante como também outras preocupações sobre o óbvio alinhamento com a agenda ambientalista do movimento "verde" da Nova Ordem Mundial atualmente sendo implementada por governos em todo o mundo. Uma vez que a Bíblia não menciona o assunto de poluição diretamente, nem mesmo em princípio, com que autoridade ou com autoridade de quem o papa recebeu a mensagem que isto agora é um pecado? O problema ocorre há séculos, então por que tão de repente ele se tornou um pecado e por que não era pecado no ano passado? Será se Deus mudou de idéia e avisou o papa para que ele pudesse dar o recado?

"Porque eu, o SENHOR, não mudo; por isso vós, ó filhos de Jacó, não sois consumidos." [Malaquias 3:6; ênfase adicionada].

"Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente." [Hebreus 13:8].

"Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação." [Tiago 1:17].

Tudo o que Deus quer que Seu povo saiba sobre pecado e salvação já está contido nas páginas da Bíblia. E todo aquele que ousar adicionar ou retirar qualquer coisa sobre este assunto (papas, profetas da Igreja Mórmon, corpo governante das Testemunhas de Jeová, etc.) serão julgados com severidade:

"Não acrescentareis à palavra que vos mando, nem diminuireis dela, para que guardeis os mandamentos do SENHOR vosso Deus, que eu vos mando." [Deuteronômio 4:2; ênfase adicionada].

"Tudo o que eu te ordeno, observarás para fazer; nada lhe acrescentarás nem diminuirás." [Deuteronômio 12:32; ênfase adicionada].

"Toda a Palavra de Deus é pura; escudo é para os que confiam nele. Nada acrescentes às suas palavras, para que não te repreenda e sejas achado mentiroso." [Provérbios 30:5-6; ênfase adicionada].

"Assim diz o SENHOR: Põe-te no átrio da casa do SENHOR e dize a todas as cidades de Judá, que vêm adorar na casa do SENHOR, todas as palavras que te mandei que lhes dissesses; não omitas nenhuma palavra." [Jeremias 26:2 ênfase adicionada].

"Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro; e, se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte do livro da vida, e da cidade santa, e das coisas que estão escritas neste livro." [Apocalipse 22:18-19; ênfase adicionada].

Em relação ao novo pecado de "riquezas obscenas", devemos perguntar em que ponto a riqueza se torna obscena? Quem ou o que determina esse ponto e sobre que autoridade isto se baseia? Um repórter de um programa de notícias da rede ABC, o "Nightline" (em 10 de março de 2008), aproveitou a oportunidade enquanto discutiam a lista de pecados adicionais para dar uma alfinetada na opulência e grande riqueza da própria Igreja Católica! Afinal, quem tem telhado de vidro não deve atirar pedras nos outros!

Depois vem o pecado de "causar injustiça social". Quem definirá o que significa e qual o ponto preciso em que isso será violado? Quem fará o mesmo para as riquezas obscenas e para a poluição do meio ambiente? Resposta: A Igreja Católica Romana com base em sua própria autoridade e não na da Palavra de Deus.

E a engenharia genética? Embora seja verdade que brincar com a natureza tem o potencial para grandes erros éticos e morais, será que é necessário jogar fora o bebê com a água declarando que todo o campo de estudo deve ser condenado? Novamente o Vaticano assume autoridade sobre um princípio que não é tratado na Bíblia.

E em relação ao "uso de drogas", presume-se que isto esteja relacionado ao uso ilegal — algo que concordamos que é definitivamente comportamento pecaminoso. Mas você pode apostar que a Igreja Católica Romana não irá incluir nesta lista o abuso de álcool! Qual é a diferença essencial? A não ser que as estatísticas tenham mudado drasticamente nos últimos anos, o abuso de álcool continua no topo da lista no que concerne às perdas financeiras para as empresas. Diz-se que as empresas americanas têm hoje aproximadamente $134 bilhões em perdas de produtividade a cada ano. Alcoólatras e pessoas com problemas com bebida faltam de 4 a 8 vezes mais do que os funcionários que não têm esse problema. Quando vão trabalhar, os que abusam de substâncias são 33% menos produtivos. Além disso, até 40% das fatalidades industriais podem ser ligadas ao abuso de álcool. Entre 38 e 50% de todas as reclamações trabalhistas estão relacionadas ao abuso do álcool. Por que, então, este problema não deveria ser qualificado como tão pecaminoso quanto o abuso de outros tipos de drogas? Este é apenas um exemplo de como a Igreja Católica Romana falha na condenação de pecados.

Um exemplo perfeito da igreja católica romana não fazer o suficiente, na realidade, fazer muito pouco e tarde demais é a pedofilia — o abuso sexual de crianças. Porque como muitos sabem, houve um escândalo mundial sobre os padres católicos molestarem crianças nos últimos anos e ainda assim, o papa, só agora decidiu que tal comportamento é um pecado mortal! Novamente precisamos fazer uma pergunta óbvia: por que não era considerado pecado mortal no passado?

Finalmente, chegamos ao pecado do aborto. Embora seja notório que na vasta maioria dos casos, o aborto não é nada mais de que assassinato legalizado, há alguns casos — como terminar com a vida do bebê de forma a salvar a vida da mãe — quando não é pecado. É matar sim, mas não é assassinato, porque as Escrituras fazem distinção entre as duas coisas. O mandamento de Deus "Não matarás" claramente se refere à uma proibição contra o assassinato pois, em muitas circunstâncias Ele direcionou o Exército de Israel a matar homens, mulheres, e crianças. O rei Davi, também, instruiu seus homens a matarem pessoas específicas sem sofrer reprovação de Deus. Por isso, neste caso, como em muitos outros, o Vaticano vai além do que é ensinado na Bíblia.

Por isto, gostaríamos de dizer para os bons católicos em todo o mundo que não somos seus inimigos e grandemente nos aborrece que haja uma tão grande ambigüidade por parte de sua liderança espiritual. Eles estão literalmente inventando regras conforme a necessidade (o que sempre fizeram ao longo dos séculos) de forma a manter as pessoas em um estado perpétuo de medo e servidão. É por isso que o Senhor Jesus Cristo teve isto a dizer sobre os fariseus, o equivalente na era neotestamentária da hierarquia papal e seus sacerdotes:

"Em vão, porém, me honram, ensinando doutrinas que são mandamentos de homens." [Marcos 7:7].

Ele também disse algo referente à autoridade sacerdotal que você precisa considerar:

"E a ninguém na terra chameis vosso pai, porque um só é o vosso Pai, o qual está nos céus." [Mateus 23:9].

O amor a Jesus Cristo é o que impulsiona o cristão a obedecer aos Seus mandamentos, enquanto que incutir medo é o modo característico do sacerdócio operar! Sempre que homens pecadores se colocam em uma posição de exercer autoridade espiritual ilimitada sobre os outros, eles sempre tomam passos para assegurar que esse poder permaneça intacto. A ameaça de excomunhão/condenação eterna para qualquer um que ousar questionar essa autoridade continua a ser uma arma excelente! (Os católicos romanos com certeza não são os únicos a cometerem esse erro, pois os mórmons têm o mesmo problema.)

Todos os que verdadeiramente colocaram sua fé no sangue derramado de Jesus Cristo para salvá-los do castigo do pecado, foram perdoados por Deus Pai e nunca serão colocados no que o sistema jurídico chama de "ameaça de novo julgamento". Esse fato maravilhoso acaba completamente com a "Espada de Dâmocles" que a hierarquia religiosa quer segurar sobre a sua cabeça de forma a mantê-lo cativo e amedrontado aos caprichos dela.

O caso em questão envolve a necessidade de arrependimento dos chamados pecados mortais se alguém quiser entrar no céu quando morrer. Essa exigência repetitiva, junto com o Confessionário e uma miríade de outras cargas relacionadas que não encontram absolutamente base alguma nas Escrituras, são tornadas nulas e inválidas em Jesus Cristo! Arrepender-se de seus pecados é uma parte necessária do novo nascimento, mas no que se refere à salvação eterna, o arrependimento é exigido uma única vez. Daí em diante, os pecados que um cristão vier a cometer (certamente vamos continuar a pecar) são cometidos contra um Pai Celestial e não contra o Juiz Supremo do Universo. O arrependimento será necessário para que permaneçamos caminhando em comunhão perfeita com nosso Salvador, mas nossos fracassos em assim o fazer, não têm impacto algum em nossa posição em Cristo. A diferença é devido ao fato de que o castigo é punição para filhos desobedientes, não condenação eterna!

"Porque o Senhor corrige o que ama, e açoita a qualquer que recebe por filho." [Hebreus 12:6].

Então, ponha de lado qualquer animosidade ou desconfiança que possa ter sobre esta mensagem e pergunte a si mesmo se você realmente confia em qualquer outro que não seja Jesus Cristo para criar as regras sobre se você irá para o céu ou não quando morrer. Você realmente acredita que qualquer mortal ou grupo de homens deveria ter esse tipo de autoridade? Posso assegurar que a Bíblia claramente ensina que não! Por isso, amorosamente o encorajo a estudar as Escrituras do Novo Testamento e pedir a orientação do Espírito Santo enquanto você tenta discernir a verdade.

"E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará." [João 8:32].



Se você nunca colocou sua confiança em Jesus Cristo como Salvador, mas entendeu que ele é real e que o fim dos tempos está próximo, e quer receber o Dom Gratuito da Vida Eterna, pode fazer isso agora, na privacidade do seu lar. Após confiar em Jesus Cristo como seu Salvador, você nasce de novo espiritualmente e passa a ter a certeza da vida eterna nos céus, como se já estivesse lá. Assim, pode ter a certeza de que o Reino do Anticristo não o tocará espiritualmente. Se quiser saber como nascer de novo, vá para nossa Página da Salvação agora.

Esperamos que este ministério seja uma bênção em sua vida. Nosso propósito é educar e advertir as pessoas, para que vejam a vindoura Nova Ordem Mundial, o Reino do Anticristo, nas notícias do dia-a-dia.

Fale conosco direcionando sua mensagem a um dos membros da equipe de voluntários.

Se desejar visitar o site "The Cutting Edge", clique aqui http://www.cuttingedge.org

Que Deus o abençoe.

Autor: Pr. Ron Riffe
Tradução: Renata Martins de Rezende dos Santos
Revisado por: http://www.TextoExato.com
Data da publicação: 19/4/2008
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/p296.asp