Um Tiro Diante da Proa

"Quem diz a multidão que eu sou?" [Lucas 9:18b].


Recursos úteis para sua maior compreensão

As Igrejas Cristãs Estão Abrindo as Portas Para o Anticristo


Título do Livro 2


Título do Livro 3

Há muito tempo que é uma prática comum dos navios de guerra disparar um tiro à frente, ou "diante da proa", de um navio suspeito para chamar sua atenção e demonstrar a disposição de entrar em batalha contra ele. Embora a intenção do Senhor no incidente que vamos discutir não seja considerada uma ameaça, ele definitivamente foi planejado para chamar a atenção de alguns sacerdotes que estavam se tornando hostis em relação a Ele. Eles seriam confrontados com um dever sacerdotal que, até onde podemos determinar na Bíblia, não tinha sido exercido na maior parte daqueles últimos 850 anos. (Provavelmente, eles ficariam com cara de tontos, tentando determinar os procedimentos que deveriam seguir!).

"E aproximou-se dele um leproso que, rogando-lhe, e pondo-se de joelhos diante dele, lhe dizia: Se queres, bem podes limpar-me. E Jesus, movido de grande compaixão, estendeu a mão, e tocou-o, e disse-lhe: Quero, sê limpo. E, tendo ele dito isto, logo a lepra desapareceu, e ficou limpo. E, advertindo-o severamente, logo o despediu. E disse-lhe: Olha, não digas nada a ninguém; porém vai, mostra-te ao sacerdote, e oferece pela tua purificação o que Moisés determinou, para lhes servir de testemunho. Mas, tendo ele saído, começou a apregoar muitas coisas, e a divulgar o que acontecera; de sorte que Jesus já não podia entrar publicamente na cidade, mas conservava-se fora em lugares desertos; e de todas as partes iam ter com ele." [Marcos 1:40-45].

Este fato ocorreu bem no início do ministério do Senhor em Israel. Por volta daquele tempo, João Batista havia preparado o caminho para o Messias, pregando o arrependimento dos pecados e exortando o povo para a expectativa de Sua chegada. Então, depois de ser batizado por João no rio Jordão, o Senhor começou a demonstrar Suas credenciais messiânicas, ensinando e operando milagres estupendos. Mas, à medida que Ele percorria o interior do país, multidões de pessoas começaram a segui-lo por toda a parte, ansiosas por verem mais demonstrações de milagres — de modo que, na realidade, elas rapidamente se tornaram um obstáculo — e esse "fator incômodo" continuou ao longo do ministério terreal de Jesus Cristo.

É por isto que o Senhor advertiu o homem leproso a não contar para ninguém e apresentar-se ao sacerdote que estivesse de plantão no Templo naquele momento. Na Lei Mosaica, um leproso, ao ser curado da lepra, deveria pedir que um sacerdote o examinasse à procura dos sinais da doença e, se nenhum sinal fosse encontrado, o sacerdote faria um pronunciamento religioso de que a doença tinha sido curada. O propósito principal seria servir como um testemunho a todos os sacerdotes que o Messias tinha chegado.

Sabemos que um dos sinais messiânicos para Israel era que os leprosos seriam curados porque o Senhor incluiu isso em sua resposta a João Batista. Depois de ser lançado na prisão pelo rei Herodes, João ficou desanimado porque suas expectativas (como as dos demais judeus) sobre o que o Messias faria quando chegasse obviamente não estavam acontecendo. A crença deles era que o Messias organizaria um exército e os livraria dos odiados romanos, mas quando isso não aconteceu, muitos daqueles que tinham Lhe dado as boas-vindas como o Messias ficaram desiludidos. Portanto, João enviou alguns de seus discípulos para perguntarem a Jesus de forma bem clara e direta se Ele era o Messias.

"E João, ouvindo no cárcere falar dos feitos de Cristo, enviou dois dos seus discípulos, a dizer-lhe: És tu aquele que havia de vir, ou esperamos outro? E Jesus, respondendo, disse-lhes: Ide, e anunciai a João as coisas que ouvis e vedes: Os cegos veem, e os coxos andam; os leprosos são limpos, e os surdos ouvem; os mortos são ressuscitados, e aos pobres é anunciado o evangelho." [Mateus 11:2-5].

Sabemos que João tinha proclamado que Jesus era o Messias, por causa da declaração que fez imediatamente antes de batizá-Lo:

"No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo." [João 1:29].

Mas, por causa de uma natureza humana caída e depravada, a fé de João vacilou quando ele ficou na expectativa de receber uma sentença de morte das mãos de Herodes. O Senhor, porém, gentilmente o confortou, instruindo os discípulos de João a voltarem e contarem sobre os milagres que viram e o que as pessoas estavam dizendo sobre eles.

Todavia, apesar dessa prova dramática e irrefutável que Ele era o Messias de Israel, a vasta maioria das pessoas permaneceu não convencida e não convertida! Grandes multidões O seguiram para todos os lugares e escutaram atentamente todas as Suas palavras, ansiosos pela próxima demonstração de poder milagroso. Mas o ponto que não queremos perder é que essas coisas de fato não podem mudar o coração humano! Não importa quão poderosa e persuasiva a evidência possa ser (e naquele momento ela não poderia ter sido maior!), aqueles que estão espiritualmente mortos não podem ser trazidos à vida pelo simples convencimento de que necessitam de salvação. Nem quando os homens tiveram o privilégio de ouvir dos lábios do próprio Deus as inspiradas pregações e ver Suas sobrenaturais demonstrações de poder — ainda assim a narrativa bíblica indica que só uma pequena parte deles respondeu com uma fé salvadora.

Quando eu era um cristão jovem, sempre me perguntava por que o Senhor simplesmente não chegava até eles e dizia que Ele era Deus. Mas, com o passar do tempo, finalmente aprendi que Ele fez isso diversas vezes! As sete declarações "Eu sou", encontradas no Evangelho de João, são os principais exemplos das declarações que afirmam Sua deidade, mas como os judeus esperavam um Messias humano, concluíram que Ele era apenas um desequilibrado ou blasfemo por fazer aquelas afirmações. Até mesmo um dos mais íntimos dos apóstolos só acreditou que Ele era mesmo Deus em carne depois da ressurreição! (Tomé, em João 20:28).

O que estou tentando dizer é o seguinte: Depois de serem confrontadas pelo Deus encarnado, ouvirem o maior pregador que já viveu neste mundo, e testemunhado demonstrações milagrosas do poder sobrenatural que autenticava Suas mensagens, a condição espiritual da maioria das pessoas permaneceu inalterada! Os israelitas no Monte Sinai servem como um exemplo clássico desse princípio. Deus falou com uma voz poderosa com todos (Êxodo 19:9) e eles viram coisas milagrosas acontecerem no monte (Êxodo 19:16-19), mas com o passar do tempo, somente alguns poucos demonstraram a realidade que seus corações tinham sido transformados como resultado daquela experiência. Esse tipo de comportamento continuou ao longo da história de Israel, quando, em muitas ocasiões, apenas um "remanescente" permaneceu fiel a Deus (1 Reis 19:18).

A fé pessoal desses poucos era superior a de todos os outros? Se queremos dizer por "superior" que era diferente, então sim, era! Mas a pergunta de um milhão de dólares é por quê? A resposta pode ser uma surpresa para alguns:

"Porque pela graça que me é dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém; antes, pense com moderação, conforme a medida da fé que Deus repartiu a cada um." [Romanos 12:3; ênfase adicionada].

"E para que sejamos livres de homens dissolutos e maus; porque a fé não é de todos." [2 Tessalonicenses 3:2; ênfase adicionada].

Avance a fita quinze séculos para frente e encontramos o Messias se apresentando a Israel. A atmosfera de carnaval que seguiu todo Seu ministério certamente não foi surpresa, pois Ele sabia como a natureza humana reagiria às demonstrações de milagres. Embora a maioria das pessoas que O seguiam professasse serem Seus discípulos, chegou um ponto em que elas se tornaram um incômodo.

Então, o que aconteceu foi o resultado do conhecimento divino de Jesus Cristo em relação àqueles que Deus tinha dado a Ele:

"Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora." [João 6:37; ênfase adicionada].

Em outra ocasião Ele teve o seguinte a dizer àqueles que não Lhe pertenciam:

"E Jesus andava passeando no templo, no alpendre de Salomão. Rodearam-no, pois, os judeus, e disseram-lhe: Até quando terás a nossa alma suspensa? Se tu és o Cristo, dize-no-lo abertamente. Respondeu-lhes Jesus: Já vo-lo tenho dito, e não o credes. As obras que eu faço, em nome de meu Pai, essas testificam de mim. Mas vós não credes porque não sois das minhas ovelhas, como já vo-lo tenho dito. As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu conheço-as, e elas me seguem; e dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão. Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebatá-las da mão de meu Pai." [João 10:23-29; ênfase adicionada].

Como havia naquele momento muitos bodes no meio das ovelhas (ou joio no meio do trigo), o Senhor decidiu que era hora de "limpar a casa!" Assim, Ele confrontou a multidão com um ensino que tinha a intenção de escandalizá-la:

"Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim tem a vida eterna. Eu sou o pão da vida. Vossos pais comeram o maná no deserto, e morreram. Este é o pão que desce do céu, para que o que dele comer não morra. Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá para sempre; e o pão que eu der é a minha carne, que eu darei pela vida do mundo. Disputavam, pois, os judeus entre si, dizendo: Como nos pode dar este a sua carne a comer? Jesus, pois, lhes disse: Na verdade, na verdade vos digo que, se não comerdes a carne do Filho do homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis vida em vós mesmos. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia. Porque a minha carne verdadeiramente é comida, e o meu sangue verdadeiramente é bebida. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele. Assim como o Pai, que vive, me enviou, e eu vivo pelo Pai, assim, quem de mim se alimenta, também viverá por mim. Assim como o Pai, que vive, me enviou, e eu vivo pelo Pai, assim, quem de mim se alimenta, também viverá por mim. Este é o pão que desceu do céu; não é o caso de vossos pais, que comeram o maná e morreram; quem comer este pão viverá para sempre. Ele disse estas coisas na sinagoga, ensinando em Cafarnaum." [João 6:47-59].

A reação daqueles judeus que O seguiam no que se refere a comer a carne e beber o sangue era semelhante a encontrar um rato morto na tina do ponche! Mas a repulsa deles era exatamente a resposta que o Senhor pretendia:

"Muitos, pois, dos seus discípulos, ouvindo isto, disseram: Duro é este discurso; quem o pode ouvir? Sabendo, pois, Jesus em si mesmo que os seus discípulos murmuravam disto, disse-lhes: Isto escandaliza-vos? Que seria, pois, se vísseis subir o Filho do homem para onde primeiro estava? O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos disse são espírito e vida. Mas há alguns de vós que não creem. Porque bem sabia Jesus, desde o princípio, quem eram os que não criam, e quem era o que o havia de entregar. E dizia: Por isso eu vos disse que ninguém pode vir a mim, se por meu Pai não lhe for concedido. Desde então muitos dos seus discípulos tornaram para trás, e já não andavam com ele." [João 6:60-66; ênfase adicionada].

Entretanto, observe que alguns poucos fiéis permaneceram! Quando questionados se também queriam se retirar, Pedro respondeu por todos eles com as seguintes palavras:

"Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna. E nós temos crido e conhecido que tu és o Cristo, o Filho do Deus vivente." [João 6:68-69].

Veja, esses homens (e mulheres) não ficaram escandalizados pelo que o Senhor disse e permaneceram com Jesus Cristo porque tinham sido capacitados por Deus, o Pai, para agirem assim. Eles se firmaram em Jesus Cristo por causa da profunda e permanente fé que Deus tinha colocado neles. Os milagres que eles testemunharam somente fortaleceram essa fé — mas não formavam a base para ela.

A vida e ministério de Jesus Cristo servem como um "tiro diante da proa" para todos nós. É uma advertência e um modo de escapatória. Você se renderá ao poder infinitamente superior de Cristo, ou tolamente ignorará a advertência e arcará no fim com as consequências?

Seguir um pregador cegamente por causa do seu carisma pessoal ou a popularidade dos "planos e programas" de sua igreja é semelhante à atitude da multidão de incrédulos que seguia o Senhor. Aquelas pessoas se divertiam por causa das exterioridades que emocionavam os sentidos de sua carne não regenerada. Entretanto, quando foram confrontadas com algo que parecia ser contrário às suas "posições denominacionais", elas literalmente viraram as costas para Deus, o Filho, e se afastaram.

"Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me." [Mateus 16:24; ênfase adicionada].

Você ama a mensagem da cruz de Cristo e confia seu destino eterno aos cuidados Dele? Ou está tentando "fazer o melhor que pode?" Meu amigo o melhor dia que você tiver nesta terra em termos do que pode fazer pessoalmente, jamais poderá ser considerado suficiente para realizar a obra da sua salvação! Faça a si mesmo um favor e acorde para o fato que só Deus pode salvar pecadores como nós. Atenda ao "tiro diante da proa" do Senhor e peça-lhe para perdoá-lo e salvar sua alma eterna. Minha oração é que você faça isso.

Esteja avisado que o relógio de Deus ainda está fazendo o tique-taque, mas o dia está se aproximando rapidamente quando Ele separará Suas ovelhas de todos aqueles que não Lhe pertencem.



Se você nunca colocou sua confiança em Jesus Cristo como Salvador, mas entendeu que ele é real e que o fim dos tempos está próximo, e quer receber o Dom Gratuito da Vida Eterna, pode fazer isso agora, na privacidade do seu lar. Após confiar em Jesus Cristo como seu Salvador, você nasce de novo espiritualmente e passa a ter a certeza da vida eterna nos céus, como se já estivesse lá. Assim, pode ter a certeza de que o Reino do Anticristo não o tocará espiritualmente. Se quiser saber como nascer de novo, vá para nossa Página da Salvação agora.

Esperamos que este ministério seja uma bênção em sua vida. Nosso propósito é educar e advertir as pessoas, para que vejam a vindoura Nova Ordem Mundial, o Reino do Anticristo, nas notícias do dia a dia.

Fale conosco direcionando sua mensagem a um dos membros da equipe de voluntários.

Se desejar visitar o site "The Cutting Edge", clique aqui http://www.cuttingedge.org

Que Deus o abençoe.

Autor: Pr. Ron Riffe
Tradução: Lucas M. Miranda
Data da publicação: 30/8/2009
Revisão: http://www.TextoExato.com
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/p316.asp