O Salmo 83 e a Futura Onda de Ataques Contra Israel

Autor: Jeremy James, maio de 2011.

A Bíblia tem inúmeras profecias relacionadas com o futuro de Israel, muitas das quais ainda precisam ser cumpridas. O Salmo 83 é uma dessas profecias. O salmo descreve um tempo que todas as nações que estão em volta de Israel — cada uma das quais é agora islâmica — conspirarão conjuntamente para destrui-lo.

Tanto o Alcorão (a vontade registrada de Alá) e o Hadith (os dizeres de Maomé) exigem a subjugação ou morte de todos os judeus (e, a propósito, dos cristãos também). Sabemos que os eventos descritos no salmo ainda não alcançaram sua plena expressão profética porque os ataques anteriores de alianças islâmicas contra Israel (em 1948, 1967 e 1973) não incluíram alguns dos inimigos modernos mencionados no salmo, notavelmente a Turquia, o Irã e os Estados do Golfo Pérsico. O texto do Salmo 83 é mostrado aqui:

1. Ó Deus, não estejas em silêncio; não te cales, nem te aquietes, ó Deus,
2. Porque eis que teus inimigos fazem tumulto, e os que te odeiam levantaram a cabeça.
3. Tomaram astuto conselho contra o teu povo, e consultaram contra os teus escondidos.
4. Disseram: Vinde, e desarraiguemo-los para que não sejam nação, nem haja mais memória do nome de Israel.
5. Porque consultaram juntos e unânimes; eles se unem contra ti:
6. As tendas de Edom, e dos ismaelitas, de Moabe, e dos agarenos,
7. De Gebal, e de Amom, e de Amaleque, a Filístia, com os moradores de Tiro;
8. Também a Assíria se ajuntou com eles; foram ajudar aos filhos de Ló. (Selá.)
9. Faze-lhes como aos midianitas; como a Sísera, como a Jabim na ribeira de Quisom;
10. Os quais pereceram em Endor; tornaram-se como estrume para a terra.
11. Faze aos seus nobres como a Orebe, e como a Zeebe; e a todos os seus príncipes, como a Zebá e como a Salmuna,
12. Que disseram: Tomemos para nós as casas de Deus em possessão.
13. Deus meu, faze-os como um tufão, como a aresta diante do vento.
14. Como o fogo que queima um bosque, e como a chama que incendeia as brenhas,
15. Assim os persegue com a tua tempestade, e os assombra com o teu torvelinho.
16. Encham-se de vergonha as suas faces, para que busquem o teu nome, SENHOR.
17. Confundam-se e assombrem-se perpetuamente; envergonhem-se, e pereçam,
18. Para que saibam que tu, a quem só pertence o nome de SENHOR, és o Altíssimo sobre toda a terra.

A tabela a seguir nos dá um amostra da confrontação que está prevista e as entidades políticas que estão agora conspirando para destruirem a minúscula nação de Israel:

Antiga Nação Citada no Salmo 83
Nação Moderna Correspondente
Inimigo Moderno Jurado
1 As tendas de Edom, e dos ismaelitas, de Moabe, e dos agarenos. Edomitas
Descendentes de Esaú, irmão de Jacó. Também chamado Edom (significa Vermelho, Ruivo); trocou seu direito de primogenitura por um prato de lentilhas. O território deles era conhecido como Idumeia nos tempos romanos. O equivalente moderno é o sudoeste da Jordânia e parte do Deserto de Negueve.
Irmandade Muçulmana.
Certos grupos palestinos.
2 As tendas de Edom, e dos ismaelitas, de Moabe, e dos agarenos. Ismaelitas
Descendentes de Ismael, filho de Abraão com Agar e meio-irmão de Isaque. Mais ou menos equivalente ao moderno povo árabe e, especificamente, com o povo da Arábia Saudita.
A seita Wahabi do Islã.
3 As tendas de Edom, e dos ismaelitas, de Moabe, e dos agarenos. Moabitas
Descendantes de Moabe, filho de Ló com sua filha mais velha. Ocupavam o território ao leste do Mar Morto, aproximadamente equivalente à região central da Jordânia.
Irmandade Muçulmana.
Grupos palestinos.
4 As tendas de Edom, e dos ismaelitas, de Moabe, e dos agarenos. Agarenos
Uma possível referência ao povo de Agar, a concubina egípcia de Abraão. Pode ser uma referência ao Egito moderno.
Irmandade Muçulmana.
5 De Gebal, e de Amom, e de Amaleque, a Filístia, com os moradores de Tiro. Gebal
Uma cidade costeira ao norte de Beirute, conhecida pelos gregos como Biblos. Equivalente ao norte do Líbano.
Hezbolá.
Grupos palestinos.
6 De Gebal, e de Amom, e de Amaleque, a Filístia, com os moradores de Tiro. Amonitas Descendantes de Amom, filho de Ló com sua filha mais nova. Ocupavam o território ao leste do rio Jordão, mais ou menos no norte da Jordânia. Irmandade Muçulmana.
Grupos palestinos.
7 De Gebal, e de Amom, e de Amaleque, a Filístia, com os moradores de Tiro. Amalequitas
Uma tribo antiga; acredita-se que incorporavam os descendentes de Amaleque, neto de Esaú. Ocupavam o território que ia desde o Sinai, no moderno Egito, até o sul da Jordânia e, possivelmente, parte do norte da Arábia.
Fraternidade Muçulmana.
Seita Wahabi do Islã.
8 De Gebal, e de Amom, e de Amaleque, a Filístia, com os moradores de Tiro. Filisteus
Um povo antigo que ocupava a faixa costeira ao sul do moderno Israel, o que inclui a cidade de Gaza.
Hamas.
Fatah.
Irmandade Muçulmana.
9 De Gebal, e de Amom, e de Amaleque, a Filístia, com os moradores de Tiro. Tiro
Cidade fenícia no litoral do Líbano.
Hezbolá
Grupos palestinos.
10 Também a Assíria se ajuntou com eles; foram ajudar aos filhos de Ló. Assírios
Em sua expansão máxima, o Império Assírio incluiu grande parte do território conhecido hoje como Iraque, Síria, Líbano, Jordânia, norte do Egito, a região ocidental do Irã, o leste da Turquia, o norte da Arábia e os Estados do Golfo Pérsico.
Irmandade Muçulmana.
Regime Iraniano.
Hezbolá.
Hamas.
Jihad Islâmica.
Islâmicos Turcos.

Todos os grupos na coluna da direita acima estão dedicados à destruição do moderno Estado de Israel e com a conquista de seu território. Eles são os equivalentes modernos dos inimigos de Israel descritos no Salmo 83: "Que disseram: Vinde, e desarraiguemo-los para que não sejam nação, nem haja mais memória do nome de Israel."

A crescente cooperação entre os inimigos de Israel, bem como o considerável aumento de seus respectivos poderios militares, parecem destinados a produzir, em bem pouco tempo, os eventos descritos no Salmo 83.

Como o Senhor descreve Sua resposta? Ele disse repetidamente que a terra de Israel, "as casas de Deus", pertencem a Ele somente. Como Seu povo escolhido, embora sejam uma casa rebelde, os judeus receberam a permissão de se estabelecerem ali e de tratarem aquela terra como sua própria terra. Deus deixa bem claro que nenhum outro povo ou nação tem esse direito. Em geral, os árabes e os povos islâmicos têm terras e riquezas muito mais do que suficientesl O Senhor foi muito generoso com eles, mas mesmo assim eles não estão satisfeitos. Consequentemente, eles trarão a ira de Deus sobre si mesmos, ao tentarem obter essa pequena faixa de terra e acrescentá-la aos vastos territórios que já possuem, mas que em grande parte negligenciam.

Observe também que a Palavra de Deus inclui a seguinte notável afirmação: "os que te odeiam levantaram a cabeça". Isto torna bem claro que o deus do Islã não é o Deus da Bíblia.

O salmista pede que o Senhor trate os inimigos de Israel como nos tempos passados: "Confundam-se e assombrem-se perpetuamente; envergonhem-se, e pereçam, para que saibam que tu, a quem só pertence o nome de SENHOR, és o Altíssimo sobre toda a terra."

O salmista se refere a Zebá e Salmuna, dois reis dos midianitas, que se vangloriaram que tomariam posse das casas de Deus. Gideão os perseguiu com seu exército. No caminho, ele pediu que o povo da cidade de Sucote fornecesse víveres para seu exército, mas eles se recusaram, dizendo que Gideão ainda tinha de subjugar Zebá e Salmuna. A implicação aqui, ao que parece, era que a ambição de Gideão excedia sua autoridade. Ele jurou que iria perseguir seus inimigos, mas que depois de executar Zebá e Salmuna, retornaria para punir o povo de Sucote por sua arrogância — o que ele fez:

"E tomou os anciãos daquela cidade, e os espinhos do deserto, e os abrolhos; e com eles ensinou aos homens de Sucote." [Juízes 8:16].

Os moradores de Penuel, que deram a Gideão a mesma resposta que o povo de Sucote, sofreram uma punição ainda mais severa, pois ao retornar, Gideão derrubou a torre e matou os homens da cidade.

A Bíblia menciona que, quando Zebá e Salmuna foram capturados e executados por seus crimes, Gideão tomou os ornamentos que estavam em volta dos pescoços de seus camelos. A Concordância de Strong, H7720, diz que a palavra hebraica que foi traduzida como "ornamentos" significa liberalmente "pequenas luas", que são similares às luas crescentes que são vistas hoje em todo o mundo islâmico. A lua crescente, que representa o deus da lua Alá, é provavelmente o principal símbolo da Jihad e do poder islâmico no mundo hoje. Gideão destruiu os mesmos representantes da entidade espiritual que agora energiza o Islã.

Gideão prefigura Cristo Jesus e a obra incrível que Ele fará quando retornar.

Entre as nações do mundo hoje, muitos são como os moradores de Sucote e Penuel. Eles demonstram má vontade com relação à Israel e omitem qualquer menção a favor de Israel em suas orações, se é que oram. Eles acreditam que a ambição de Israel excede sua autoridade, mas ao fazerem isso, esquecem-se que o Senhor é soberano, que Ele honra as Suas promessas e que Sua Palavra prevalecerá. O que as Escrituras estão nos dizendo é que aqueles que persistem em seguir a mesma atitude com relação a Israel, como fizeram os moradores de Sucote e Penuel, também terão de prestar contas.

Nesta época de grande apostasia e enganação, não existe terreno neutro. A promessa que o Senhor fez a Abraão nunca foi rescindida: "Abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarem aos que te amaldiçoarem." [Gênesis 12:3].

Israel é o foco de tudo o que está acontecendo no mundo hoje. Satanás está decidido a destruir essa nação e, ao fazer isso, provar que Deus errou. Ele acha que se conseguir fazer isso, então Deus não terá mais o direito moral de condená-lo ao lago de fogo.

Se você ainda não veio a Cristo e, em verdadeiro arrependimento, o aceitou como seu Senhor e Salvador, então eu o convido a refletir humildemente sobre seu relacionamento com o Criador, "o Altíssimo sobre toda a terra" e pedir que Ele o guie na direção certa neste tempo fatídico.



Autor: Jeremy James, artigo em http://www.zephaniah.eu
Data da publicação: 6/5/2013
Transferido para a área pública em 12/2/2015
Patrocinado por: Tiago Dias — RO
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/salmo83.asp