Como Saber Quando a Igreja Emergente Mostra Sinais de Emergir em sua Igreja?

Autor: Roger Oakland.

O mundo está mudando. Assim também a igreja evangélica está mudando. Houve um tempo — não no passado tão distante — em que a Bíblia era considerada a Palavra de Deus pela maioria dos cristãos evangélicos. Agora que estamos no terceiro milênio e em uma era pós-moderna e pós-cristã, o termo evangélico pode significar quase qualquer coisa.

O que aconteceu? Por que isto está acontecendo e qual é o futuro para o Cristianismo de corrente dominante?

Nos últimos anos, tenho sido convidado a falar em conferências em todo o mundo sobre as tendências atuais que estão impactando o Cristianismo. Após essas apresentações, sou abordado por cristãos de muitas heranças denominacionais diferentes. Muitos expressam preocupações com o que está acontecendo em suas igrejas, perturbados com as novas direções que suas igrejas estão seguindo. Embora eles nem sempre consigam discernir o que está errado, muitos me dizem que tentaram expressar suas preocupações aos seus pastores e oficiais da igreja. Em quase todos os casos, eles ouviram como resposta que tinham uma escolha a fazer: seguir o novo programa ou pedir desligamento da igreja.

Este movimento em direção a um Cristianismo reinventado (uma forma destinada a "alcançar as pessoas") parece ter chegado para ficar por aqui por um longo tempo; ele não é apenas uma moda passageira. Frequentemente, irmãos em Cristo preocupados me pedem para fornecer uma explicação, para ajudá-los a compreender aquilo que estão encontrando. Eles querem saber por que essas mudanças estão ocorrendo e o que se pode esperar do futuro. Eles também querem saber se algo pode ser feito para deter essa maré. É por esta razão que estou escrevendo este comentário — para fornecer uma compreensão bíblica sobre a Igreja Emergente e para onde ela está caminhando no futuro.

O Evangelho Segundo as Escrituras

Em toda a história da igreja, várias tendências apareceram e depois desapareceram. Embora a cultura mude de um lugar para outro, o Cristianismo bíblico sempre esteve baseado na mensagem central da Bíblia, que é o evangelho de Jesus Cristo e a mensagem nunca muda.

Essa mensagem do evangelho é quem é Jesus Cristo, e o que Ele fez. Uma criança pode compreender a mensagem do evangelho. Essa mensagem proclama que a vida aqui na Terra é finita e que a vida após a morte é eterna. A boa notícia é que podemos ser salvos de nossos pecados se nos arrependermos e simplesmente pedirmos perdão e seguirmos a Cristo.

Como respondemos à mensagem do evangelho durante o tempo que temos na Terra determina onde passaremos a eternidade — nos céus ou no inferno. Jesus Cristo, o Criador do universo, forneceu um caminho e o único caminho para podermos passar a eternidade com Ele. É uma questão de tomar uma decisão pessoal de aceitar ou não o plano que Ele forneceu para nós.

O adversário de Deus não quer que a humanidade compreenda a simples mensagem do evangelho. O plano dele é enganar o mundo. Se ele conseguir cegar as pessoas para a mensagem do evangelho, ou convencê-las que elas creem no evangelho quando de fato não creem, o plano dele foi bem-sucedido. Ao longo de toda a história, incontáveis bilhões foram enganados, rejeitando a verdade, ou acreditando que já acreditam na verdade, quando na realidade foram enganados.

O Evangelho Segundo o Pós-Modernismo

Os tempos mudam! Entretanto, o evangelho sempre precisa permanecer o mesmo, independente das transformações que ocorram no mundo. Estamos agora vivendo na Era Pós-Moderna. Em uma tentativa sincera de alcançar a geração pós-moderna com o evangelho, parece que muitos cristãos tornaram-se pós-modernos em seu modo de pensar.

Talvez o termo pós-moderno seja novo para você. Vamos examinar o que ele significa. Primeiro, a Era Moderna foi caracterizada por um tempo de pensamento racional baseado na observação factual. Muitos afirmam que a Era Moderna terminou em meados dos anos 1900s.

A mentalidade pós-moderna move-se além do racional e do factual para o experimental e o místico. Em outras palavras, no passado era possível conhecer o certo do errado e o preto do branco. Na Era Pós-Moderna todas as coisas são relativas ao observador. O que pode ser certo para você pode ser errado para outro; não existe a verdade absoluta. A única coisa absoluta é que não existem absolutos.

Vivemos agora em um tempo na história que é caracterizado como pós-moderno. Os professores nas universidades ensinam os estudantes que não existe o certo e o errado e que todas as coisas são relativas. A mensagem do evangelho para a mentalidade pós-moderna é extremamente dogmática e arrogante. Eles dizem que é necessário encontrar um evangelho mais moderado que possa ser aceito pelas massas.

Muitos líderes de igrejas estão agora procurando modos de alcançar a geração pós-moderna. Eles acreditam que possam encontrar os métodos apropriados para isso sem modificar a mensagem. Entretanto, em sua tentativa de alcançar a geração pós-moderna, eles próprios se tornaram pós-modernos e mudaram a mensagem. Como o evangelho está fixado nas Escrituras, ele não pode mudar, a não ser, é claro, que se torne outro evangelho. Acredito que isto é o que está acontecendo na Igreja Emergente.

Ele Não Veio

Muitos observaram que desde a virada do milênio, as igrejas mudaram de posição a respeito da profecia bíblica e da segunda vinda de Jesus Cristo. Muitas igrejas deixaram de crer no retorno de Jesus Cristo. A partir dos anos 1960s, houve um entusiasmo com o retorno iminente de Jesus Cristo. O povo cristão estava entusiasmado com a profecia bíblica e podia ver os sinais que Jesus desceria dos céus a qualquer momento para Sua noiva, a igreja.

O ano 2000 foi de particular importância. Como Jesus não apareceu, parece que muitos ficaram desapontados. "Talvez Ele tenha adiado Sua vinda", alguns disseram. Outros estão dizendo que talvez Ele não venha, pelo menos não do modo como nos disseram que Ele viria. Eles estão agora convencidos que precisamos nos ocupar em construir o Reino Dele aqui na Terra por "todos os esforços humanos que sejam necessários".

O Evangelho do Reino

Um dos principais indicadores que algo mudou pode ser visto no modo como o futuro é compreendido. Em vez de proclamar urgentemente o evangelho segundo as Escrituras e acreditar que o tempo para fazer isto é curto, a ênfase agora mudou. Os "sinais dos tempos" não são mais significativos. O brado de guerra é muito diferente. Uma grande ênfase entre os evangélicos é a ideia que o mundo pode ser radicalmente melhorado por meio dos programas sociais.

Este conceito, embora possa parecer bom à primeira vista, tem implicações bíblicas muito sérias. Segundo as Escrituras, não haverá reino de Deus até que o Rei esteja presente. A união de todos os esforços humanos ainda ficará longe de trazer a utopia. Na verdade, de acordo com as Escrituras, os homens caídos nos levarão cada vez mais longe na estrada para uma sociedade de desespero e impiedade, exatamente como o mundo era nos dias de Noé. Assim, essa visão "orientada por propósitos" de estabelecer uma utopia global pode ser um plano, mas é orientada pelo raciocínio humanista e não é dirigida pelo Espírito Santo. Obviamente, é bom fazer o bem aos outros, mas toda a bondade que possamos fazer não será suficiente. Os pastores e os líderes das igrejas que se envolvem nesses programas orientados pelo homem podem normalmente ser identificados por certas características:

Formação Espiritual e Transformação

Uma grande parte daquilo que acabo de descrever fornece uma fórmula para uma estultificação do Cristianismo, o que pavimenta a estrada para uma apostasia que somente se intensificará cada vez mais no futuro. Essa tendência de afastamento da autoridade da Palavra de Deus para uma forma reinventada de Cristianismo está avançando por todas as denominações evangélicas como uma avalanche. Poucos mestres da Bíblia viram a aproximação dessa avalanche. Agora que ela está acontecendo, poucos reconhecem que ela aconteceu.

Entretanto, existe outra peça importante do quebra-cabeças que precisa ser identificada para que compreendamos o que está emergindo na Igreja Emergente. Embora o Cristianismo bíblico tenha sido estultificado e a luz da Palavra de Deus tenha sido diminuída, outra avalanche de enganação está em curso e é igualmente devastadora.

Isto é melhor descrito pela substituição da Palavra de Deus por experiências que a Palavra de Deus proíbe. O melhor modo de compreender esse processo é lembrar o que aconteceu durante a Idade Média quando a Bíblia tornou-se um livro proibido. Até que os reformadores traduzissem a Bíblia para a linguagem do homem comum, as pessoas viveram nas trevas. Quando a luz da Palavra de Deus se tornou disponível, o evangelho segundo as Escrituras foi novamente compreendido.

Esta tendência, que está ocorrendo hoje, mostra-nos que a história está no processo de se repetir. À medida que a Palavra de Deus torna-se cada vez menos importante, o crescimento das experiências místicas está alarmante e essas experiências estão sendo apresentadas para convencer os incautos que Cristianismo é sentir, tocar, cheirar e ver Deus. A mentalidade pós-moderna é o ambiente perfeito para o patrocínio daquilo que é chamado de "formação espiritual". Esse ensino sugere que existem vários caminhos e modos de se aproximar de Deus. Os proponentes da formação espiritual ensinam erroneamente que qualquer um pode praticar esses rituais místicos e encontrar Deus em seu interior. Ter um relacionamento com Jesus Cristo não é um pré-requisito.

Esses ensinos, embora na verdade enraizados na sabedoria antiga (o ocultismo), foram apresentados para a Cristandade pós-Novo Testamento e não são encontrados na Palavra de Deus. O Movimento da Formação Espiritual está baseado nas experiências promovidas pelos monges do deserto e por místicos católicos romanos — esses místicos incentivam o uso de rituais e práticas que, se realizados, supostamente levam o praticante mais para perto de Deus (ou o levam à presença de Deus). A premissa é que se alguém ficar em silêncio ou entrar em um local sagrado, então a mente será esvaziada das distrações e a voz de Deus poderá ser ouvida. Na verdade, essas práticas hipnóticas e no estilo de mantras levaram os monges a estados alterados de consciência. Os métodos que eles usaram são os mesmos que os budistas e hindus usam como modo de se comunicar com o mundo espiritual.

Esses métodos são perigosos e não são aprovados na Bíblia — Deus não nos dá instruções para fazemos isso. Ao revés, Ele nos adverte severamente a respeito da adivinhação, que é a prática de um ritual ou método de modo a obter informações de uma fonte espiritual. Embora os proponentes da formação espiritual (como Richard Foster) digam que esses métodos mostrem que o Espírito Santo está fazendo algo novo para renovar o Cristianismo, sugiro a você que o que está acontecendo não é novo e nem é produzido pelo Espírito Santo.

O Movimento da Formação Espiritual está sendo amplamente promovido nas faculdades teológicas e nos seminários como o mais moderno e melhor modo de se tornar um líder espiritual nos tempos atuais. Essas ideias são depois exportadas dos seminários para as igrejas pelos alunos graduados, que foram preparados para levarem o Cristianismo para um novo nível de iluminação.

Essas práticas contemplativas estão sendo promovidas por líderes emergentes como Brian McLaren, Robert Webber, Dallas Willard e outros. Editoras como NavPress, InterVarsity e Zondervan estão inundando o mercado com livros que promovem as práticas contemplativas baseadas no misticismo oriental. Os pastores e líderes de igrejas leem esses livros e depois promovem as ideias como se fossem a resposta das Escrituras para que os cristãos se aproximem de Deus.

Sinais Que a Igreja Emergente Está Emergindo

Existem sinais de advertência específicos que são sintomáticos que uma igreja possa estar seguindo na estrada emergente/contemplativa. Em alguns casos, o pastor pode não estar ciente que está nesse caminho e pode também não compreender onde a estrada termina.

Aqui estão alguns sinais de alerta:

O Que o Futuro Reserva?

Se a Igreja Emergente continuar a se desenvolver no ritmo atual, o Cristianismo evangélico da corrente dominante será reinventado e o Evangelho de Jesus Cristo, segundo as Escrituras, será considerado estreito e restritivo demais. Em outras palavras, o caminho estreito para o céu, que Jesus proclamou, será eventualmente abandonado e substituído por um caminho mais largo, que adota as práticas experimentais pagãs. Chamo essa forma de Cristianismo reinventado e reimaginado que está se desenvolvendo de "Babilonianismo Cristão".

Essa nova forma de Cristianismo substituirá a fé bíblica por uma fé que diz que o homem pode estabelecer o reino de Deus aqui na Terra. A Palavra se tornará secundária em um sistema de obras orientado pelas experiências.

Um padrão ecumênico em direção à unidade com Roma se tornará mais aparente. Aqueles que se recusarem a aderir a essa direção serão considerados indivíduos rabugentos e que precisam ser repreendidos. Aqueles que se posicionarem pela fé bíblica serão considerados obstruções para a espiritualidade mundial única que está sendo promovida como resposta para a paz.

O melhor modo de estar preparado para aquilo que virá é obter uma compreensão do que está acontecendo agora. Embora não existam muitos que pareçam discernir a tendência que está em curso, existem alguns que estão alertas. Sem a Bíblia e o Espírito Santo como nossos guias, as trevas vindouras serão massacrantes. Entretanto, a luz da Palavra de Deus penetra as trevas e existem aqueles que estão sendo libertos da enganação e veem o que está ocorrendo.

Estou convencido que estamos vendo a apostasia ocorrer, exatamente como as Escrituras nos advertiram. Isto significa que a tendência atual provavelmente não desaparecerá. Precisamos continuar a proclamar a verdade no meio da enganação, e fazer isso com amor no coração. Como o apóstolo Paulo escreveu a Timóteo:

"E ao servo do Senhor não convém contender, mas sim, ser manso para com todos, apto para ensinar, sofredor; instruindo com mansidão os que resistem, a ver se porventura Deus lhes dará arrependimento para conhecerem a verdade, e tornarem a despertar, desprendendo-se dos laços do diabo, em que à vontade dele estão presos." [2 Timóteo 2:24-26].

Ainda existem pastores e igrejas que estão dedicados na proclamação da verdade. Descubra onde eles estão e ofereça-lhes apoio. Se você mora em uma cidade onde parece não existir bons pastores e igrejas, procure materiais oferecidos por ministérios cristãos sólidos e realize estudos bíblicos em seu próprio lar. E continue atento! Nosso Senhor virá em breve.

Leia também:

O Movimento da Igreja Emergente É uma Corrupção do Cristianismo Bíblico

"Cristianismo Emergente — Partes 1 e 2"

"A Oração Contemplativa — Espíritos Enganadores e Doutrinas de Demônios".



Autor: Roger Oakland, artigo em http://www.Spiritual-Research-Network.com
Revisão: http://www.TextoExato.net
Data da publicação: 21/12/2012
Transferido para a área pública em 23/12/2013
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/sintomas.asp