O Cavaleiro Montado Sobre o Cavalo Branco: As Projeções da Deagel e as Escolhas de Vacinas

Autor: Jeremy James, Irlanda, 4/8/2021.

Em um estudo anterior, intitulado "O Julgamento dos Sete Selos no Livro do Apocalipse", chamamos a atenção para a etimologia da palavra grega para "arco", na passagem que descreve a chegada do cavaleiro montado sobre o cavalo branco:

O julgamento inicial dos selos envia, em sucessão, quatro cavaleiros. O primeiro selo apresenta um cavaleiro montado sobre um cavalo branco, que carrega um arco nas mãos:

"E olhei, e eis um cavalo branco; e o que estava assentado sobre ele tinha um arco; e foi-lhe dada uma coroa, e saiu vitorioso, e para vencer." [Apocalipse 6:2].

Virtualmente todas as traduções referem-se somente ao "arco", mas como a palavra grega no original é toxon [G5115 na Concordância de Strong), a tradução deveria dizer "arco e flexas". O arqueiro na guerra grega sempre estava armado com um arco e um conjunto de flexas, nunca com um arco somente. Além disso, os gregos normalmente aplicavam veneno na ponta das flexas, de modo a torná-las mais letais no campo de batalha. A palavra "tóxico" vem diretamente de toxikon, uma flexa que foi embebida em veneno.

Alguns comentaristas lutaram com o significado do "arco" nesta passagem, pois, sozinho, o arco dificilmente se qualifica como uma arma. Entretanto, o contexto implica que todos os quatro cavaleiros portam armas mortais. É por isto que eles são retratados como ameaças mortais para a humanidade.

O equivalente moderno da "flexa embebida em veneno", sugeriríamos, é uma vacina, ou uma seringa com veneno. Se tomarmos esta interpretação, então é muito mais fácil compreender como um líder mundial poderia usar esse tipo de dispositivo para iniciar uma campanha de conquista. O "cavalo branco", por outro lado, pode parecer simbolizar intenções pacíficas. Desse modo, pelo menos inicialmente, o trabalho mortal dele não despertará suspeitas.

Também deve ser observado que toda vacina é aplicada por uma pessoa vestida com um uniforme, ou avental branco... Pela primeira vez na história, Satanás tem uma oportunidade de infligir danos físicos sérios em toda a humanidade.

Veremos agora mais de perto esta passagem profética com referência às projeções populacionais da Deagel que discutimos no estudo anterior, "A Obra de Satanás: O Planejado Colapso da Cristandade". A planilha da Deagel apresenta uma previsão populacional para todos os países no mundo para o ano de 2025. Naquele estudo, mostramos que a redução drástica na população predita na planilha é desproporcional — de fato, é massacrante — em países com uma herança cristã.

Isto levanta uma importante questão: Se o programa de vacinação contra a Covid tem o objetivo de alcançar essa redução drástica, então como ela visará um conjunto de países, ao mesmo tempo que deixa o restante em grande parte sem serem afetados?

A Pergunta Que Precisamos Responder

Tem sido sugerido que a resposta pode depender da proporção da população de cada país que concorda em ser inoculada. Assim, de acordo com essa hipótese, os países-alvos teriam uma alta taxa de aceitação, enquanto que uma porcentagem significativa da população de países não-alvo permaneceria sem ser vacinada.

Dado o poder da mídia nos países-alvos (de acordo com as Tabelas A e B a seguir) e o uso intenso de propaganda subversiva pelos seus respectivos governos, poderá ser possível alcançar esse resultado. Mas, esta não é uma explicação satisfatória. Há evidência, por exemplo, que a taxa de aceitação da vacina, até esta data, em muitos países que não estão previstos para terem sua população reduzida é tão alta quanto a de vários países que estão.

Os Três Grupos da Deagel

A Tabela A (na página seguinte) apresenta os países no principal grupo-alvo ("Cristandade"). Eles estão na previsão para terem uma extraordinária redução populacional de 53% — em torno de 470 milhões. A atual taxa de aceitação da vacina nesses países, em geral, é de 57%. Isto parece apoiar a explicação da "aceitação da vacina", mas precisamos olhar um pouco mais.

A Tabela B (na página 5) mostra os países no segundo grupo-alvo, isto é, aqueles que não têm uma herança cristã, mas que são atores importantes no campo da inovação tecnológica — Japão, Coreia do Sul, Taiwan, Singapura e Israel. Em 22%, a redução populacional proposta para esses países não é tão severa quanto a do grupo-alvo principal, mas mesmo assim é horrível. Em 40%, a taxa de aceitação da vacina até aqui para esse grupo também é significativamente menor do que a do grupo-alvo principal. Isto, mais uma vez, parece apoiar a explicação da "taxa de aceitação".

O segundo grupo-alvo é constituído por qualquer economia industrial avançada que não esteja ainda incluída no grupo-alvo principal. A Nova Ordem Mundial introduzirá controles rígidos sobre todas as inovações tecnológicas, desse modo garantindo que nenhum armamento ou outros dispositivos possam ser desenvolvidos que possam ameaçar a fortaleza totalitária que o plano da Elite imporá sobre toda a Terra.

A Tabela C (na pág. 6) deve ser um chamado para despertar para o mundo inteiro. A população deste grupo é cinco vezes a da Tabela A e Tabela B combinadas, mas a projeção é que ela caia em "somente" 73 milhões. Compare isto com a queda projetada para os outros grupos — 515 milhões! Esta é uma diferença de sete vezes mais. Assim, se o programa de vacinação contra a Covid foi o instrumento planejado para realizar o vindouro genocídio, então isso impactará 35 vezes mais destrutivamente a Cristandade do que os países comunistas e o bloco comercial asiático. Esta disparidade chocante não pode ser explicada unicamente por referência à aceitação da vacina.

A China Comunista e a Iniciativa da Rota da Seda

A Iniciativa Cinturão e Rota, conhecida em chinês e antigamente em inglês como "Um Cinturão, uma Rota", é uma estratégia de desenvolvimento da infra-estrutura global adotada pelo governo chinês em 2013 para investir em aproximadamente 70 países e organizações internacionais. Ela é considerada um aspecto central da... política externa do líder chinês Xi Jinping, que originalmente anunciou a estratégia como "Cinturão Econômico da Rota da Seda" durante uma visita oficial ao Casaquistão, em setembro de 2013.

"Cinturão" é uma abreviação para "Cinturão Econômico da Rota da Seda", referindo-se às rotas terrestres propostas e transporte ferroviário pela Ásia Central (onde não existe mar), ao longo das famosas rotas comerciais das regiões ocidentais; enquanto que "rota" é uma abreviação para a "Rota da Seda Marítima do Século 21", referindo-se às rotas marítimas no Indo-Pacífico, passando pelo Sudeste Asiático até o Sul da Ásia, o Oriente Médio e África. Exemplos de investimentos em infra-estrutura da Iniciativa Cinturão e Rota incluem portos, arranha-céus, estradas de ferro, rodovias, aeroportos, represas e túneis ferroviários." [Fonte: Wikipedia].

Os países que não mostram alterações (ou virtualmente nenhuma alteração) na população entre 2020 e 2025 são a chave para entendermos. Apresentamos no Apêndice A todos os países — 23 no total — que (com a população atual de pelo menos um milhão) não sofrerão redução alguma. Quando conferimos para ver quais vacinas para a Covid são aprovadas para uso nesses países, descobrimos que todos, exceto quatro, têm acesso a uma vacina que não é aprovada para uso nos países listados na Tabela A ou Tabela B.

Embora a aceitação da vacina possa ser um fator para explicar por que é esperado que alguns países sofrerão um severo declínio populacional e outros não, o principal fator, acreditamos, é a variedade de vacina que está sendo utilizada.

Muitos dos nossos leitores poderão ficar surpresos ao saber que 21 vacinas para a Covid foram aprovadas para uso geral — veja o Apêndice B. Assumimos que essas vacinas foram autorizadas formal ou informalmente, pela Organização Mundial de Saúde.

Entretanto — e é aqui que o assunto torna-se muito sinistro — virtualmente todos os países designados para uma redução significativa na população por volta de 2025 estão restringidos a apenas quatro dessas 21 vacinas (veja as Tabelas A1 e B1 a seguir). Nós as chamamos de "Quatro Grandes" — Pfizer, Moderna, AstraZeneca e Johnson & Johnsona.

Somente a Ucrânia, Canadá, Japão e Taiwan — dos países designados para redução populacional — têm uma opção fora das Quatro Grandes.

O Componente Letal

À luz do cenário da Deagel e suas implicações devastadores para a humanidade, precisamos perguntar se as vacinas das Quatro Grandes contêm um componente letal que está ausente das outras 17 opções? Parece que sim.

Um cético poderia argumentar que, se esse fosse o caso, então os alvos de redução de população para a Ucrânia e Canadá (Tabela A) ou Japão e Taiwan (Tabela B) não seriam alcançáveis (dado que uma boa proporção da população receberia uma variedade não-letal). Conforme se vê, a opção de vacina para o Canadá, além das Quatro Grandes, é Covidshield, uma fórmula da AstraZeneca produzida na Índia. Essa, aparentemente, é também a única opção disponível neste momento na Ucrânia. A opção japonesa, Tekeda, é na realidade uma formulação local da Moderna, enquanto que a opção 'de fora' em Taiwan (MVC — Cov1901 produzida pela Medigen) é exclusiva para Taiwan. Nem um outro país a está usando.

Assim, dos 27 países na lista de redução populacional (Tabelas A e B), 23 estão restritos às Quatro Grandes, enquanto que as outras 4 têm opções que são ou ilusórias, suspeitas, ou uma cópia de uma vacina das Quatro Grandes.

Embora a variedade da vacina pareça ser o fator-chave de distinção entre as duas listas (Tabelas A+B versus Tabela C), não devemos perder de vista o papel que a taxa de aceitação, ou as vacinas de "reforço" (segunda dose) exercerão. A imposição bem-sucedida desse programa por meio da coerção infindável e a ameaça de isolamento imposto, quarentena, privação social e perda do emprego está permindo às autoridades em alguns países recomendar que a população receba mais de duas doses da vacina. Israel acaba de se tornar o primeiro país em que uma terceira dose (reforço do reforço) é necessária, neste caso para pessoas acima de 60 anos.

A não ser que as populações dos países listados nas Tabelas A e B despertem para o fato que agora estão em uma tirania médica e que seus próprios governos — que prometeram protegê-las — são parte dessa tirania, elas serão destruídas. É realmente simples assim. Os governantes das trevas deste mundo, que são liderados por Satanás, estão certamente decididos a tomar a oportunidade e usar qualquer força que seja necessária para levar o plano até a conclusão. Por enquanto, elas virtualmente não enfrentaram oposição alguma, em grande parte por que os cidadãos dos países envolvidos não têm ideia que malícia desta magnitude está sendo direcionada contra elas.

Conclusão

Neste estudo, estamos propondo, em conjunção com o anterior, que:

  1. As projeções da Deagel têm um propósito estratégico e militar e devem ser encaradas com seriedade;

  2. A aguda divisão entre Tabela A+B e Tabela C tem um propósito militar estratégico;

  3. O programa mundial de vacina para a Covid é uma capa (um disfarce) para aplicar uma vacina fatal ou prejudicial para a população de uma lista selecionada de países (aqueles na Tabela A+B);

  4. Os países na Tabela C se tornarão o novo eixo da economia mundial, centrado na Iniciativa Cinturão e Rota, que está em desenvolvimento há pelo menos 20 anos;

  5. As vacinas produzidas pelas Quatro Grandes são especialmente perigosas e devem ser evitadas. (Não estamos sugerindo que as outras 17 são seguras.)

Mortes e Problema Causados pelas Vacinas Até Aqui

Existem evidências consideráveis que as vacinas das Quatro Grandes já estão causando sérios problemas. Estima-se que pelo menos 50.000 pessoas nos EUA morreram semanas depois de receberem a vacina e mais de 600.000 já sofreram danos, muitas vezes danos sérios. O último número é quase certamente uma subestimativa, pois um número muito grande de danos causados pelas vacinas não é reportado.

Existem também estatísticas alarmantes de mortes e danos físicos relacionados com as vacinas para a Grã-Bretanha e Europa. Todos esses países são mercados cativos para as Grandes Quatro. A situação caótica no Hospital Universitário de Sligo (Irlanda) — no mês de agosto! — pode ser uma amostra do que está por vir (veja o Apêndice C).

Alguém pode se perguntar se taxas de óbitos e de danos físicos similares estão sendo reportadas nos países da Tabela C. Duvidamos muito. Mesmo se as autoridades nesses países não mantenham um banco de dados similar ao VAERS que existe nos Estados Unidos, a pessoa poderia esperar encontrar relatos pessoais on-line perturbadores de danos físicos causados pelas vacinas, feitos por cidadãos desses países, similiares aos que estão sendo reportados pelos cidadãos que sofreram danos causados pelas vacinas nos países das Tabelas A+B. Mas, este não parece ser o caso. Se um grande número de russos estivesse sendo prejudicado pela vacina Sputnik V, já deveríamos ter ouvido a respeito disso por volta do tempo atual.

Para aqueles que não têm compreensão da profecia bíblica, a possibilidade que um programa genocida traumático desse tipo possa estar para acontecer é difícil demais para aceitar. Para eles, os Quatro Cavaleiros do Apocalipse são, na melhor das hipóteses, símbolos religiosos interessantes. As lições da história os prepararam somente para situações que envolvem conflito direto face-a-face, não um ataque mundial invisível, em que um lado solapa secretamente e aniquila o outro.

A vasta maioria dos cristãos professos escolheu ver os eventos mundiais por meio dos olhos dos incrédulos. Se eles tivessem aceitado o que Deus diz em Sua Palavra e acreditado naquilo que Ele escreveu para nosso benefício no livro do Apocalipse — e em muitas outras partes da Bíblica — saberiam que os governantes das trevas deste mundo estão atarefados, preparando um evento devastador no fim dos tempos. Como cristãos fiéis e verdadeiros, eles teriam observado diligentemente os sinais que a hora fatídica se aproxima, comparando escritura com escritura e discernindo dentro do fluxo e refluxo dos assuntos humanos a força sinistra que um dia se manifestará como o Anticristo.

Não podemos dizer com certeza que o programa de vacina da Covid colocará em cena o cavaleiro montado sobre o cavalo branco. Talvez sim. Tudo depende de como o mundo responderá à ameaça chocante que está enfrentando agora. Se as massas continuarem a acreditar em todas as mentiras, a zombar dos Dez Mandamentos, a buscar "normalidade" a qualquer preço e a injetar em seus corpos e em suas crianças vacinas experimentais, então o caos social e uma ditadura mundial são inevitáveis.

Entretanto, o Senhor Deus é incrivelmente misericordioso. Apesar da grande evidência que as cidades na planície de Sodoma estavam maduras para a destruição, Ele permitiu que Abraão "negociasse os termos" com Ele. Isto nos deu a maravilhosa sequência de 50, 45, 40, 30, 20, 10. Deus até enviou dois de seus santos anjos para conduzir Ló e sua família, pelas mãos, até um local de segurança.

Sim, pelas mãos!

"Ele, porém, demorava-se, e aqueles homens lhe pegaram pela mão, e pela mão de sua mulher e de suas duas filhas, sendo-lhe o SENHOR misericordioso, e tiraram-no, e puseram-no fora da cidade." [Gênesis 19:16].

Para mim, este é um dos versos mais preciosos na Bíblia. O Senhor é muito misericordioso e o grande dia da Sua ira dificilmente começará antes que TODAS as possíveis soluções tenham sido experimentadas.


Apêndice A

Países Sem Alteração na População Projetada para 2025 pela Deagel

[Países com uma população de um milhão ou mais, e uma previsão de população que quase não muda]

19 dos 23 países na lista têm uma escolha de vacina fora das "Quatro Grandes" = Moderna, Pfizer, Johnson & Johnson e AstraZeneca.


Apêndice B

Lista das vacinas para a Covid que foram aprovadas, autorizadas, licenciadas, receberam autorização para uso emergencial, ou foram disponibilizadas para uso fora dos testes clínicos por qualquer meio, por uma agência reguladora, uma autoridade nacional, ou outra entidade: Fonte: https://covid19.trackvaccines.org/

Solicitação Especial

Incentivamos os leitores frequentes a baixarem os estudos disponíveis neste website para cópia de segurança e consulta futura. Eles poderão não estar disponíveis para sempre. Estamos entrando rapidamente em um tempo em que materiais deste tipo somente poderão ser obtidos via correio eletrônico. Os leitores que desejarem ser incluídos em uma lista para correspondência futura são bem-vindos a me contactar em jeremypauljames@gmail.com. Não é necessário fornecer o nome, apenas um endereço eletrônico.


Autor: Jeremy James, artigo em http://www.zephaniah.eu
Data da publicação: 19/8/2021
A Espada do Espírito: https://www.espada.eti.br/Apocalipse/deagel-2.htm