Um Pastor Experiente e Conservador Opina a Respeito da Segurança das Vacinas Contra a Covid

Autor: Jeremy James, Irlanda, 30/8/2021.

Talvez alguns leitores tenham visto uma extensa notificação que o pastor David Cloud enviou via correio eletrônico, no último dia 25 de agosto, a respeito das vacinas contra a Covid. O pastor Cloud tem um ministério on-line de discernimento chamado Way of Life Literature e uma revista mensal chamada O Timothy. Ele também é autor de muitos livros e livretos sobre o Cristianismo bíblico. Há muito tempo que ele desfruta a reputação de ser um sólido defensor conservador do ensino batista fundamentalista e comunica-se regularmente com uma rede grande de pastores e pregadores em todo o mundo.

Normalmente, não fazemos comentários sobre a posição adotada por pastores individuais. Entretanto, neste caso, somos obrigados a dar atenção à notificação do pastor Cloud, pois ele levanta questões de profunda preocupação para muitos cristãos neste tempo atual, porém de um modo que, em nossa opinião, não é imparcial e nem objetivo.

A notificação dele pode ser encontrada em: https://www.wayoflife.org/reports/a_word_about_covid_vaccines.php.

Um Resumo da Opinião Dele

Poderíamos resumir a opinião dele da seguinte forma:

"Os cristãos que estão preocupados com a segurança das vacinas contra a Covid estão confiando em afirmações feitas por um número muito pequeno de especialistas na área médica. Existem também na Internet muitos indivíduos ranzinzas e profetas do Apocalipse, que fazem pronunciamentos audaciosos com base em pouca, ou quase nenhuma evidência. Os relatos de efeitos adversos das vacinas não são provas de uma conexão causal. Como mais de 170 milhões de americanos já tomaram a vacina, podermos esperar que vários milhares morram ao longo dos meses seguintes por razões que não têm nada que ver com a vacina. O próprio vírus pode ser fatal e sei de várias pessoas que morreram de Covid, ao mesmo tempo que não conheço pessoalmente um único caso em que uma pessoa sofreu um efeito colateral sério após tomar a vacina. A Covid é uma doença perigosa e já ceifou quatro milhões de vidas em todo o mundo. O CDC e as companhias farmacêuticas certamente não são perfeitas, mas estão comercializando em boa fé um produto que atenuará o risco de morrer de Covid. De acordo com um membro do corpo docente da Escola de Medicina de Harvard, a vacina mRNA é 'incrivelmente segura'. Não estou advogando contra ou a favor da vacina, mas peço que os cristãos coloquem de lado seus temores e examinem as evidências. Tomei a vacina para poder viajar para o exterior sem precisar passar por períodos de quarentena."

Acreditamos que este é um resumo generoso das argumentações feitas pelo pastor Cloud. Ele pode não ter a entonação condescendente que observamos na maior parte da narrativa — leia o texto dele e julgue você mesmo — mas, o resumo contém a essência daquilo que ele diz.

Declararemos aqui, de forma resumida, nossa própria posição sobre as vacinas contra a Covid. Isso poderá ajudar o leitor a avaliar melhor os argumentos e as evidências que apresentaremos um pouco mais tarde:

"A 'pandemia' da Covid foi grandemente exagerada. As estatísticas mostram que ela não é fatal para 99,8% daqueles que são infectados pela doença. Ela não é mais perigosa ou mais contagiosa do que a gripe Influenza. Embora tenham aparecido algumas declarações na Internet e na mídia sociais com relação à possível toxicidade das vacinas, de longe o nível mais alto de promoção do medo veio de nossos governos e da mídia. Eles convenceram o público que a Covid é uma doença terrível. As autoridades estão usando esse nível alto e sustentado de temor para promover uma vacina experimental, ao mesmo tempo que suprimiram todas as discussões de formas alternativas, baratas e altamente eficazes de tratamento. O público está altamente preocupado que nossos governos estejam fazendo tudo o que as companhias farmacêuticas exigem. Isto, por sua vez, despertou sérias preocupações sobre a objetividade e exatidão daquilo que está sendo dito para nós a respeito da segurança das vacinas. Esta é uma crise de confiança. Pior ainda, a resposta totalitária de nossos governos é um sinal perturbador que a Covi e as vacinas são parte de uma agenda política muito mais ampla. As vacinas podem ser prejudiciais por projeto. Não sabemos com certeza. Elas podem ser eficazes, mas também não sabemos disso. O que sabemos, porém, é que elas são experimentais, que usam tecnologia altamente inovadora, que não foram testadas em animais, e que seus efeitos de longo prazo são completamente desconhecidos. O risco de danos físicos com essas vacinas excede em muitas ordens de magnitude os supostos benefícios."

Como você pode ver, não estamos adotando uma posição extremista. Estamos fazendo simplesmente o que o pastor Cloud sugeriu — examinar as evidências. Estamos preocupados com aquilo que descobrimos e achamos que cabe a nós, como estudantes da Palavra de Deus, declarar nossa posição da forma mais clara possível.

Técnicas Persuasivas

Antes de examinarmos as muitas sérias deficiências na apresentação do pastor Cloud, gostaríamos de chamar sua atenção para algumas das técnicas que ele está usando para desacreditar a "oposição". A partir da entonação dele, é claro que qualquer um que discorde é visto, não como um correspondente sincero, mas como um adversário, alguém que precisa ser colocado em seu devido lugar. Ele retrata as preocupações de milhares de fiéis cristãos como peculiarmente excêntricas. Em certo momento, ele se refere aos "cristãos professos que não estão equipados espiritual e biblicamente para lidar com um problema relativamente pequeno." Ele adota essa atitude condescendente desde o início e depois passa a caracterizar seus imaginados oponentes como "exageradamente orientados em direção ao frenesi conspiratório". Eles são mostrados como tolos simplórios, que engoliram "charlatanismo irracional" e "conspirações efêmeras de fogo-fátuo".

Se esses fiéis cristãos estiverem perturbados por um "problema relativamente pequeno", como ele afirma, então eles precisam estar gravemente deficientes em conhecimento bíblico. Eles estão claramente em falta por negligenciarem a Palavra de Deus e por permitirem a si mesmos tornarem-se indevidamente preocupados com um produto medicinal que não poderia de modo algum prejudicar a eles ou às suas famílias. Nunca passa pela cabeça do pastor Cloud que essas preocupações são genuínas, que esses fiéis cristãos estão procurando direção e orientação, e que esperam ser referenciados de uma maneira cristã e tratados com respeito.

A técnica que o pastor Cloud está usando é bem conhecida dos jornalistas profissionais e famosos, que escrevem para múltiplos veículos de imprensa. Para vencer um argumento, retrate o outro lado como idiotas e incautos, que estão desperdiçando o tempo das pessoas, ou como extremistas e criadores de problemas que se distanciaram da Palavra de Deus. Nunca sugira nem por um momento que o argumento deles possa merecer alguma consideração séria.

Depois que tenha sido mostrado que essas pessoas infelizes são deficientes, por terem uma inteligência inferior, os argumentos delas tornam-se prontamente alvos de ridicularização. Em vez de examinar as evidências mais contundentes, o autor pode enfocar, em vez disso, em exemplos bizarros que esses indivíduos simplórios acreditam. Deste modo, ele pode jogar na lata do lixo a posição deles, ao mesmo tempo que parece realizar um serviço caritativo. Se os leitores dele aceitaram essa premissa — que esses idiotas ingênuos deveriam ser expostos por aquilo que são — os leitores serão conduzidos por sua retórica.

Gostaríamos de pensar que muitos dos leitores regulares do pastor Cloud são capazes de ver que ele está sendo grosseiramente injusto em seu tratamento aos fiéis que têm grandes reservas a respeito da segurança da segurança das vacinas contra a Covid.

A Base Moral Elevada

Ele também tomou o cuidado de adotar uma base moral elevada em todo o tempo e até implicou que seu conhecimento da Palavra de Deus era muito superior ao da maioria dos fiéis cristãos. Se eles somente aplicassem mais tempo ao estudo bíblico, ele afirmou, esses indivíduos perturbados eventualmente veriam tudo de forma tão clara quanto ele vê.

Comentaremos mais na seção seguinte as técnicas que o pastor Cloud utilizou para influenciar seus leitores, para denegrir seus oponentes e reduzir a "um problema relativamente pequeno" as preocupações que muitos fiéis cristãos sinceros e tementes a Deus sentem em seus corações.

Isto nos trás ao cerne deste nosso ensaio. Nas seções seguintes, mostraremos quantas questões substantivas foram tratadas de forma superficial, ou ignoradas pelo pastor Cloud em sua discussão sobre as vacinas contra a Covid. Ao fazer isso, ele não estava claramente restrito por falta de espaço, pois uma proporção significativa de seu ensaio é dedicada à discussão do estudo bíblico e questões relacionadas.

Dados do VAERS

Vamos iniciar com o tratamento dele aos dados reportados para o banco de dados do VAERS (Vaccine Adverse Event Reporting System, ou Sistema de Notificaçção de Eventos Adversos das Vacinas). Ele concorda com o CDC quando diz que os dados do VAERS não podem ser usados para imputar causalidade e apontar para "a importância de distinguir entre associação e causalidade ao olhar para os registros de mortes após tomar a vacina". Ele então leva isso a um novo nível quando, mais tarde, desconsidera totalmente os dados do VAERS. Na opinião dele, ninguém tem o direito de citar os dados do VAERS como um indicador que as vacinas da Covid podem ser inseguras. Como mencionado anteriormente, ele defende a posição que a segurança das vacinas é inquestionável quando cita com aprovação um membro do corpo docente da Escola de Medicina de Harvard, que disse que a vacina mRNA é "incrivelmente segura". Ele também afirma, sem prova, que a maior parte dessas supostas vítimas da vacina morreram de causas não relacionadas.

As Mentiras da Pfizer

Muito antes de lançar sua vacina contra a Covid, a Pfizer sabia que os potenciais efeitos colaterais eram seriamente debilitantes e potencialmente fatais.

Excerto de nosso estudo Uma Experiência Mundial com Vacinas Usando Cobaias Humanas, publicado em 13/12/2020:

A FDA e a profissão médica estão bem cientes dos sérios efeitos colaterais que provavelmente se manifestarão após as vacinas serem aplicadas. A grande mídia não informará o público que, em uma apresentação feita pela FDA em 22/10/2020, um slide mostrou a lista preliminar dos "possíveis" efeitos colaterais:

Incentivamos nossos leitores a examinarem a lista com muita atenção, pois, francamente, ela é horrível. Todos esses "resultados de eventos adversos" são muito sérios. Alguns resultarão em morte ou uma vida inteira de doença crônica e debilidade. Logicamente, não podemos saber quantos daqueles que receberem as vacinas sofrerão com um desses "possíveis" resultados, mas o simples fato que a FDA está informando sua equipe técnica para prever efeitos adversos dessa severidade sugere que a proporção da população que será afetada não será trivial.

Se somente uma pessoa em cada mil sofrer um desses efeitos, então 320.000 americanos — homens, mulheres e crianças saudáveis — morrerão ou ficarão incapacitados permanentemente pela vacina.

O pastor Cloud está claramente errado ao desconsiderar os dados do VAERS. Se alguém comparar coisa com coisa — como devemos fazer — descobriremos que o número de mortes no VAERS que são atribuídos à vacina contra a Covid são pelo menos 20 vezes maiores do que o número atribuído aos outros tipos de vacina. Apresentamos as razões para isso no Apêndice A. Foram necessárias cerca de 4,4 bilhões de doses para vacinas "comuns" para causar um número de 3.000 mortes relacionadas com vacinas, porém somente 200 milhões de doses da vacina contra a Covid para causar o mesmo número de mortes.

Consentimento Informado

Você pode pesquisar em vão pelo termo "consentimento informado" no exame "imparcial" do pastor Cloud. A verdade é que, em um ensaio que tem o propósito de apresentar as vacinas contra a Covid como "incrivelmente seguras" e "um assunto relativamente pequeno", a noção de consentimento informado é redundante. Afinal, o CDC e seus aliados sabem o que é bom para nós e podemos confiar que colocarão nossos interesses acima de seus lucros — pelo menos é nisso que o pastor Cloud quer que acreditemos.

Tratamentos Alternativos

Ele minimiza grandemente a disponibilidade e eficácia dos modos alternativos de tratamento, como a Invermectina, Hidroxicloroquina e Vitamina C intravenosa. Eles são mencionados somente de passagem. Que algo de tanta importância seja visto superficialmente é difícil de compreender. Os leitores escreveram para ele, pedindo palavras de conforto, porém ele deixa de explicar que existem modos seguros e eficazes de tratamento. Ele também deixa de mencionar que tanto a indústria farmacêutica e os governos suprimiram agressivamente informações vitais sobre essas alternativas e até tomaram medidas para limitar a disponibilidade delas. Isto somente é prova que a indústria e as agências reguladoras (CDC e FDA), que são controladas pela indústria, não são confiáveis. Os leitores dele sabem que confiança é a questão central no que se refere às vacinas. Se nem os fabricantes nem as agências reguladoras são confiáveis, então que confiança podemos colocar em suas afirmações sem confirmação? Eles certamente devem estar se perguntando como um pastor astuto e bem informado deixou de ver isso.

Coerção

As questões da coerção do governo e da propaganda da mídia também são ignoradas. Se existem alternativas seguras e eficazes, por que as autoridades estão fazendo tudo o que podem para pressionar e persuadir o público a tomar a vacina? E, se a vacina é eficaz, então por que todos deveriam ser obrigados a tomá-la? Afinal, os "não vacinados" não devem representar ameaça alguma para aqueles que têm a proteção da vacina. A assim chamada vacina é agora compulsória em muitas empresas e órgãos públicos, incluindo nas forças armadas, com penalidades severas para aqueles que se recusam a tomá-la.

Vergonhosamente, o pastor Cloud finge que esta atmosfera de intimidação não existe, que esta agenda mais ampla — que tem sérias implicações nacionais — não deve ser tomada como prova adicional que as autoridades estão agindo de forma descuidada e irresponsável. Como pode alguém discutir a segurança da vacina contra a Covid sem referência aos métodos autoritários e regimentais que estão sendo usados para impor sua aceitação? A partir disso, podemos ver por que muitos cristãos não conseguem acreditar nas frágeis "evidências" médicas que estão sendo usadas para promover essas vacinas.

Os governos estão restringindo as liberdades básicas, como o direito de entrar em lojas e restaurantes, ou o direito de viajar, a não ser que os cidadãos concordem em tomar a vacina e "mereçam" receber um Passaporte de Vacinação. Esta é uma tática claramente repulsiva. Ela mostra o verdadeiro propósito que está por trás da agenda de vacina da Covid — a imposição de controle social autoritário e um novo modo de governança.

O pastor Cloud parece não ver problemas com isto. Ele até admite que tomou a vacina de modo a conseguir viajar sem a necessidade de passar tempo em quarentena. ("Novamente, não estou orientando ninguém a tomar ou não tomar as vacinas. Tomei uma das vacinas de modo a permitir as viagens sem a necessidade de passar por quarentena.")

Falta de Especialização Independente

Não há análise independente do que essas vacinas estão fazendo, de como funcionam, ou que efeitos podem ter em nossa saúde no longo prazo. Os únicos "especialistas" no campo e as únicas vozes que temos permissão de ouvir, são as dos indivíduos empregados ou aprovados pela indústria! Se eles estão mentindo, ou retendo informações importantes, não temos modo de saber, até que um dano inimaginável tenha sido feito. O pastor Cloud quer que seus leitores coloquem sua confiança nesses indivíduos, ignorem a chocante ausência de objetividade científica e confirmação independente em suas operações lucrativas e acreditem, na ausência de qualquer evidência discernível, que as vacinas contra a Covid são "incrivelmente seguras".

A Palavra de Deus nos diz para examinar todas as coisas e reter aquilo que for bom (1 Tessalonicenses 5:21). Ela nos pede que observemos e estejamos acautelados dos estratagemas do Maligno e não "ignoremos seus ardís" (2 Coríntios 2:11). Também somos informados que "O prudente prevê o mal, e esconde-se; mas os simples passam e acabam pagando." [Provérbios 22:3]. Os leitores do pastor Cloud estão fazendo um esforço genuíno para prever o mal, mas o pastor não terá nada que ver com isso. Ao contrário, ele parece depreciar as preocupações deles e até os acusa de deixar de obedecer a Palavra de Deus.

Vacinas Experimentais

As vacinas contra a Covid nunca foram testadas em animais. Isto é algo inaudito! Como é possível injetar milhões de pessoas com um produto cujos efeitos não são conhecidos, nem mesmo em animais? Podem ser necessários até dez anos para testar plenamente uma nova vacina, porém o pastor Cloud encara com leviandade o fato que esses produtos experimentais estão em conflito com todos os protocolos científicos conhecidos. Regras e procedimentos bem estabelecidos não mais se aplicam. A indústria farmacêutica está criando suas próprias regras e descartando os passos rudimentares que têm o objetivo de nos proteger de danos potenciais.

Um estudante sério da Palavra de Deus não deveria apoiar esse tipo de atitude irresponsável e gananciosa. O Senhor nos disse para sermos prudentes como as serpentes. Isso significa que devemos nos familiarizar com os truques e ardis do Maligno. A Palavra de Deus nos diz que: "Balança enganosa é abominação para o SENHOR, mas o peso justo é o seu prazer." [Provérbios 11:1]. Quando a indústria farmacêutica ignora, ou trata com desdém os padrões científicos rígidos — os pesos e medidas — que deveriam se aplicar, ela está cometendo uma abominação diante do Senhor.

Deveríamos nos preocupar? É claro que sim!

Excerto:

"Como podem tantos cristãos americanos não se preocupar que estejam cometendo um dos maiores pecados de omissão do nosso século? Os fatos relevantes podem ser negados somente por meio de uma cegueira que é ela mesma pecaminosa. Para a maioria das pessoas, as vacinas contra a Covid-19 não representam uma ameaça maior para a saúde do que outras prescrições ou procedimentos médicos, porém elas claramente salvam vidas. O papa Francisco disse que ser vacinado 'é um ato de amor', não para nós mesmos, mas para os vulneráveis. É necessário um razão forte para não se preocupar com os outros por esse meio de prevenção." — Terrance Klein, artigo em America, The Jesuit Review, 25/8/2021.

E Nossas Crianças?

O pastor Cloud está indiferente ao mal que essas vacinas podem infligir em nossas crianças? Esta é uma nova tecnologia poderosa, que opera no nível genético. Em um mundo onde contaminantes ambientais microscópicos sabidamente afetam a fertilidade, todo "ataque" ao nosso corpo precisa ser cuidadosamente examinado. Nós simplesmente não sabemos como esses soros genéticos experimentais afetarão a fertilidade humana. Alguns cientistas já advertiram que, dada a natureza recente da tecnologia, o risco é muito real, porém a indústria não publicou estudos científicos para mostrar que isso foi apropriadamente tratado.

Considere, por exemplo, uma situação em que as proteínas de pico se acumulam nos ovários. A presença delas afetará o processo de fertilização? A fertilização é uma série incrivelmente complicada de etapas bioquímicas. Se o corpo da mulher detectar alguma coisa incomum no processo, não permitirá que este chegue até a conclusão. Desse modo, o corpo evita que sérias deformidades se desenvolvam no óvulo fertilizado. Já sabemos que as vacinas causam um aumento de oito vezes mais nos abortos espontâneos no primeiro trimestre da gravidez, de modo que o impacto dessas proteínas de pico na fertilidade é muito real.

Estes são fatos — fatos alarmantes — que o pastor Cloud achou adequado ignorar.

Deus manda que protejamos e cuidemos de nossas famílias. Isto não é uma sugestão, ou uma orientação, mas uma obrigação vinculante. "Mas, se alguém não tem cuidado dos seus, e principalmente dos da sua família, negou a fé, e é pior do que o infiel." [1 Timóteo 5:8].

Os cristãos que não estão fazendo essas perguntas e exigindo respostas apoiadas por provas científicas convincentes estão violando o mandamento em 1 Timóteo 5:8.

As Vacinas Contra a Covid Não São Vacinas

Para evitar confusão, geralmente referenciamos este produto como uma vacina, mas ele não é uma vacina no verdadeiro sentido da palavra. Ao contrário, é uma terapia baseada em genes que usa nanotecnologia para penetrar na parede da célula e inserir uma sequência genética de RNA que estimula a célula a produzir uma proteína de assinatura encontrada no vírus da Covid-19. O sistema imunológico da pessoa deve identificar essa proteína de pico como evidência que o vírus entrou no corpo. Ele deve então produzir anticorpos para atacar e matar o vírus.

Uma vacina verdadeira não funciona deste modo. Ela não interfere com a atividade celular no nível genético. Em vez disso, ela introduz no tecido muscular uma versão viva atenuada do vírus, ou casca viral desativada. Em ambos os casos, o sistema imunológico do corpo detectará o intruso (inofensivo) e reconhecerá que, em seu estado ativado, ele poderia fazer mal ao corpo. Ele então produz um novo conjunto de anticorpos para lidar com esse intruso específico, se algum dia ele aparecer novamente.

As pessoas que recebem as vacinas contra a Covid não estão sendo informadas disso. Elas não compreendem que estão sendo tratadas com um tipo completamente novo de tecnologia, uma tecnologia que nunca foi usada com sucesso, nem mesmo em animais. As pessoas não estão sendo informadas que o produto é experimental, que ainda está passando por testes e que os seres humanos são agora os porquinhos-da-índia que a indústria está usando para testar seu produto. As pessoas não estão sendo informadas que a indústria confirmou que a "vacina" não previne a infecção pelo vírus da Covid, ou a transmissão do vírus para outros. As companhias farmacêuticas somente afirmam que, se a pessoa se tornar infectada, o produto delas reduzirá o impacto sintomático do vírus.

O pastor Cloud ignora tudo isto. Pior ainda, ele trata com desdém uma pessoa que escreveu para ele e referiu-se ao fato que muitos dos animais usados nesses testes anteriores e mal-sucedidos morreram logo após terem recebido a "vacina".

"Estou vendo que esta é a ocasião para engolir charlatanismo irracional e conspirações efêmeras de fogo-fátuo."

Ocorre que os animais morreram de ADE (aprimoramento dependente de anticorpos). O pastor não aceita que as vacinas possam ter causado ADE ("Não acredito que a vacina cause aprimoramento dependente de anticorpos (ADE) da doença.") Ele não oferece evidências científicas para apoiar essa crença. Infelizmente, ele espera que o leitor aceite essa crença dele, junto com várias outras que aparecem em seu ensaio, como se elas tivessem peso de evidência. Na prática, ele está dizendo: "Confie em mim, sou um pastor."

Mas, isto simplesmente não é bom o suficiente! Vamos considerar as palavras de um especialista real no campo, o Dr. Robert Malone, que contribuiu para o desenvolvimento da vacina de mRNA.

O Aprimoramento Dependente de Anticorpos

Por volta do fim de julho, em uma entrevista realizada por Steve Bannon, em Real America's Voice, o Dr. Malone disse o seguinte: (Nota: um titre é a concentração de um anticorpo):

"Os titres nos vacinados são realmente mais altos do que nos não vacinados. O que isto significa?... Isto é precisamente o que alguém veria se o aprimoramento dependente de anticorpos (ADE) acontecesse. O que é aprimoramento dependente de anticorpos? Resumidamente, é quando a vacina faz o vírus se tornar mais infeccioso do que aconteceria na ausência de vacinação. Ele faz o vírus se replicar em níveis mais altos... Este é o pior pesadelo de um vacinologista. Isto aconteceu com o vírus sincicial respiratório, nos anos 1960s, e causou mais mortes de crianças entre aqueles que receberam a vacina do que nos não-vacinados... e aconteceu com virtualmente todos os outros programa de desenvolvimento de vacina de coranavírus, certamente em humanos, conhecido na história. É sobre isto que vacinologistas como eu estão advertindo desde o início — o risco de aprimoramento dependente de anticorpos.

Quando alguém da estatura dele soa uma advertência como esta, uma advertência baseada em evidências e princípios científicos sólidos, nós realmente devemos dar ouvidos. Ele pode estar enganado, mas quais são as implicações para a humanidade se ele estiver correto? Não é todo dia que ouvimos um especialista na área médica usar uma expressão como "o pior pesadelo de um vacinologista".

Outras Questões de Preocupação

Existem outras questões de preocupação na notificação do pastor Cloud em que não nos aprofundaremos neste momento. Elas incluem a falha dele em considerar a censura que enrijeceu a discussão cristã e honesta das vacinas, o modo sinistro como a indústria farmacêutica evitou toda a responsabilidade pelo dano que está sendo causado por suas vacinas, o controle antiético exercido pela indústria sobre o CDC e a FDA, o plano de requerer doses adicionais (ou sazonais) da vacina, de modo a reter o status de "vacinado", as propostas do CDC de estabelecer uma rede de quarentena nacional (conhecida como "zonas verdes") para os "não vacinados" e a falta surpreendente de evidências que as vacinas forneçam alguma proteção!

Sobreviventes do Holocausto

Os sobreviventes judeus do Holocausto, junto com suas famílias, estão plenamente cientes da pavorosa ameaça representada pelo programa de vacina da Covid. Em uma carta aberta para a Agência Médica Europeia, datada de 25/8/2021, eles exigiram o fim imediato do programa, que eles chamam de "experiência médica ímpia na humanidade". [Veja o Apêndice B].

Conclusão

Em um campo, temos aqueles que afirmam que a vacina é terapêutica e completamente segura. Eles incluem o CDC, o Dr. Anthony Fauci, Franklin Graham, David Cloud, o papa católico e a Ordem dos Jesuítas. O conselho deles é totalmente enviesado a favor de um lado.

No outro campo, temos aqueles que pesam as evidências científicas da melhor forma como podem, que examinam os dados do VAERS e relatórios relacionados de reações adversas, e que dão cuidadosa atenção, com muita oração, às advertências feitas por importantes especialistas. Eles estão respondendo como a Palavra de Deus requer: "Não havendo sábios conselhos, o povo cai, mas na multidão de conselhos há segurança." [Provérbios 11:14].

"Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado." [Tiago 4:17].


Apêndice A

Os dados do VAERS mostram claramente que as vacinas contra a Covid são potencialmente muito mais prejudiciais do que as outras.

As vacinas aprovadas para uso rotineiro nos EUA foram planejadas para tratar as seguintes doenças: varicela, difteria, gripe Influenza, hepatite A, hepatite B, Hib (Haemophilus influenzae B), HPV (papilomavírus humano), sarampo, doenças meningocócicas, caxumba, doenças pneumocócicas, pólio (poliomielite), rotavírus, rubéola, herpes-zóster, tétano e coqueluche.

Muitas dessas vacinas são dadas na infância, de acordo com um calendário de vacinação que chega até os 18 anos. Muitos adultos também recebem vacinas para se proteger contra a gripe Influenza e herpes-zóster. Além disso, os adultos que viajam para fora dos EUA algumas vezes recebem vacinas para proteção contra certas doenças tropicais.

O calendário de imunização de adultos recomendado para os EUA é mostrado na página seguinte. A partir dele, podemos ver que milhões de americanos estão recebendo diversas vacinas ao longo de suas vidas adultas. A vacina contra a gripe Influenza é a mais comum.

A segunda tabela na página seguinte mostra as vacinas contra a gripe Influenza aplicadas nos EUA entre 2008 e 2021. Durante este período, mais de 1,9 bilhões de doses foram aplicadas.

A escala recomendada de imunização na infância é apresentada abaixo. Isto foi consideravelmente expandido desde 1986. Um relatório da Children's Health Defense (veja o anexo desse Apêndice) comparou as escalas para 1986 e 2019 respectivamente e descobriu que "No início dos anos 1980s, as crianças recebiam três vacinas para sete doenças — duas vacinas conjugadas (difteria-tétano-coqueluche e sarampo-caxumba-rubéola) e uma vacina para pólio — totalizando duas dezenas de doses até os 18 anos... Hoje, a escala de vacinação para as crianças requer quase 70 doses até os 18 anos, para 16 doenças."

As estatísticas nacionais para os EUA mostram que cerca de 25% da população tem menos de 18 anos. Cerca de 90% deles participam no programa de vacinação na infância do CDC. Usando esses números e tomando 50 como o número médio recomendado de doses na infância durante esse período, podemos calcular o número total estimado de doses de vacina aplicadas em pessoas com menos de 18 anos entre os anos de 2007 e 2019:

310 milhões x 25% x 90% x 50 x (13/18) = 2,518 bilhões.

Se adicionarmos esses números (doses da vacina contra a gripe Influenza dadas a adultos no período de 2007-2019 e doses de infância dadas às pessoas com menos de 18 anos ao longo do mesmo período), chegamos a 4,4 bilhões de doses (1,9 mais 2,5). Precisamos agora pegar o número de mortes relacionadas com vacinas associadas com esse número e compará-lo com a relação mortes/dose para a vacina contra a Covid.

O diagrama abaixo mostra o número de mortes relacionadas com vacinas reportadas para o VAERS a cada ano, começando em 2007.

Entre 2007 e o início do programa de vacinação contra a Covid em 1/12/2020, o número total de mortes reportados para o VAERS foi de 3.001. Quantas "picadas" foram necessárias para produzir esse número de mortes? Como já mostramos, o número excede 4,4 bilhões de "picadas".

Por volta de 13/4/2021, cerca de 122 milhões de americanos tinham recebido pelo menos uma dose da vacina contra a Covid. Desses, 75 milhões tinham recebido a vacinação completa (as duas doses recomendadas). Assim, cerca de 200 milhões de "picadas" (injeções/doses) estão associadas com 3.005 mortes relacionadas com a vacina contra a Covid reportadas para o VAERS.

O número de mortes em cada caso é quase o mesmo (cerca de 3.000), mas o número de picadas da vacina contra a Covid necessárias para produzir esse resultado foi mais de 20 vezes menor! Isto mostra que as vacinas contra a Covid são pelo menos vinte vezes mais prejudiciais do que outras vacinas. É difícil questionar esse número, pois estamos comparando coisas iguais, mortes reportadas ao VAERS e doses totais em um grupo com mortes reportadas ao VAERS e doses totais em outro grupo.

Anexo ao Apêndice A

"No início dos anos 1980s, as crianças recebiam três vacinas para sete doenças — duas vacinas conjugadas (difteria-tétano-coqueluche e sarampo-caxumba-rubéola) e uma vacina contra a pólio — totalizando duas dúzias de doses até os 18 anos. Na década seguinte ao ano de 1989 (iniciando logo após a implementação de NCVIA), o CDC incluiu múltiplas doses de várias outras vacinas no calendário de vacinação durante a infância, incluindo a vacina para Haemophilus influenzae B (Hib), hepatite B (no dia do nascimento) e varicela, bem como uma vacina contra rotavírus (retirada um ano depois de sua introdução). Em seguida, na primeira década dos anos 2000s, o CDC recomendou um lote ainda maior de novas vacinas, indo atrás não apenas das crianças, mas também dos adolescentes e adultos: hepatite A, HPV, conjugada para meningococos, conjugada para pneumococos, rotavírus (outra vez) e herpes-zóster, junto com um reforço para tétano-difteria-coqueluche e uma maciça expansão das recomendações de vacina contra a Influenza para todas as idades. No presente, a escala de vacinas na infância requer quase setenta doses até os 18 anos para dezesseis doenças." —

https://childrenshealthdefense.org/child-health-topics/known-culprit/vaccines-culprit/cdc-recommended-vaccine-schedule-1986-vs-2019/


Apêndice B

Carta aberta enviada à Agência Médica Europeia por sobreviventes do Holocausto e suas famílias, exigindo o fim imediato do programa de vacinação contra a Covid, que eles chamam de "experiência médica ímpia".

EMA
Mrs. Emer Cooke
Domenico Scarlattilaan 6
1083 HS Amsterdam — Holanda.

25 de agosto de 2021.

PAREM COM O HOLOCAUSTO

Senhoras e Senhores,

Nós, sobreviventes das atrocidades cometidas contra a humanidade durante a Segunda Guerra Mundial, sentimos a obrigação de seguir nossa consciência e escrever esta carta.

É óbvio para nós que outro holocausto de maior magnitude está ocorrendo diante de nossos olhos. A maior parte da população mundial ainda não entende o que está acontecendo, pois a magnitude de um crime organizado tal como este está além da abrangência de sua experiência. Nós, porém, entendemos. Nós nos lembramos do nome Josef Mengele. Alguns de nós têm memórias pessoais. Experimentamos um déjà vu que é tão horrível que nos levantamos para blindar nossos pobres colegas humanos. Os inocentes ameaçados agora incluem as crianças e até os bebês.

Em apenas quatro meses, as vacinas contra a Covid-19 mataram mais pessoas do que todas as vacinas disponíveis combinadas desde meados de 1997 até o fim de 2013 — um período de 15 anos e seis meses. Além disso, as pessoas mais afetadas estão entre 18 e 64 anos de idade — o grupo que não estava nas estatísticas da Covid.

Pedimos que vocês parem imediatamente com esta experiência médica ímpia sobre a humanidade

Aquilo que vocês chamam de "vacinação" contra SARS-Cov-2 é, na verdade, uma intromissão blasfema na natureza. Nunca antes a imunização do mundo foi realizada inserindo mRNA sintético no corpo humano. Esta é uma experiência médica à qual o Código de Nuremberg precisa ser aplicado. Os dez princípios éticos nesse documento representam um código fundamental de ética médica que foi formulado durante o Julgamento dos Médicos de Nuremberg, para garantir que nunca mais seres humanos sejam submetidos a experiências e procedimentos médicos involuntários.

Princípio 1 do Código de Nuremberg:

(a) O consentimento voluntário do paciente humano é absolutamente essencial. Isto significa que a pessoa envolvida tenha a capacidade legal de dar consentimento; deve ter o direito de exercer o livre poder de escolha, sem a intervenção de qualquer elemento de força, fraude, engodo, pressão ou outra forma posterior de restrição ou coerção; e deva ter conhecimento suficiente e compreensão dos elementos do assunto envolvido para habilitá-la a tomar uma decisão esclarecida e com entendimento. (b) Este último elemento requer que antes da aceitação de uma decisão afirmativa pelo paciente experimental, deve ser informado para ele a natureza, duração e propósito da experiência; o método e meios pelos quais ela será realizada; todas as inconveniências e riscos que podem ser esperados; e os efeitos sobre sua saúde ou sobre sua pessoa que poderão advir de sua participação na experiência.

(c) O dever e responsabilidade por determinar a qualidade do consentimento está sobre cada indivíduo que iniciar, dirigir ou se envolver na experiência. Este é um dever e responsabilidade pessoais que não podem ser delegados para outros impunemente.

Re. (a): Não há questão de uma livre decisão. A mídia de massa propaga temor e pânico e usa a regra de propaganda de Goebbels de repetir as mentiras até que a população comece a acreditar nelas. Durante anos agora, eles estão propondo o ostracismo dos não vacinados. Se 80 anos atrás os judeus foram demonizados como propagadores de doenças infecciosas, hoje são os não vacinados que estão sendo acusados de propagar o vírus. Integridade física, liberdade de viajar, liberdade de trabalhar, toda a coexistência foi tirada da população, de modo a forçar a vacinação sobre ela. As crianças estão sendo atraídas para receberem a vacinação contra o julgamento de seus pais.

Re (b): Os 22 terríveis efeitos colaterais já listados na autorização para uso emergencial da FDA não foram revelados para aqueles que receberam o teste experimental. Listamos esses efeitos abaixo, para o benefício do público.

Por definição, nunca houve consentimento informado. Enquanto isso, milhares de efeitos colaterais foram registrados em diversos bancos de dados e podem ser consultados. Embora os assim chamados números de casos sejam divulgados em intervalos de 30 minutos por toda a mídia de massa, não há qualquer menção dos sérios efeitos colaterais adversos, nem como e onde os efeitos colaterais devem ser informados. Tanto quanto é do nosso conhecimento, até os danos registrados foram excluídos em grande escala em todos os bancos de dados.

O Princípio 6 do Código de Nuremberg requer: O grau de risco a ser tomado nunca deve exceder aquele determinado pela importância humanitária do problema a ser solucionado pela experiência.

A "vacinação" contra a Covid provou ser mais perigosa do que a Covid para aproximadamente 99% de todos os humanos. Como documentado pela Universidade John Hopkins, em um estudo com 48.000 crianças, as crianças têm risco zero com o vírus. Seus próprios dados mostram que as crianças que não estão em risco algum com o vírus tiveram ataques cardíacos logo após a vacinação; mais de 15.000 sofreram eventos adversos — incluindo mais de 900 eventos sérios. Pelo menos 16 adolescentes morreram após a vacinação nos EUA. Como vocês estão cientes, apenas 1% estão sendo reportados. E os números estão aumentando rapidamente enquanto escrevemos. E isto é de seu conhecimento.

Princípio 10 do Código: Durante o período de tempo da experiência, o cientista responsável precisa estar preparado para finalizá-la em qualquer estágio, se tiver causa provável para acreditar, no exercício da boa fé, habilidade superior e julgamento cuidadoso que são exigidos dele, que uma continuação da experiência provavelmente resultará em danos físicos, deficiência ou morte da pessoa que passa pela experiência.

Segundo se diz, cerca de 52% da população mundial já recebeu pelo menos uma dose da vacina. A revelação honesta do número verdadeiro de feridos, terminalmente feridos com "vacinas", bem como o número de mortos em todo o mundo já deveria ter sido feita há muito tempo. Eles são milhões. Forneçam para nós agora os números verdadeiros de mortes causadas pela vacina contra a Covid.

Quantas mortes serão suficientes para despertar sua consciência?

Efeitos adversos conhecidos pela FDA antes da aprovação emergencial:

Assinado

Sobreviventes de Campos de Concentração, seus filhos, netos, incluindo pessoas de boa vontade e consciência:

Ressalva:

Os dados pessoais dos Sobreviventes do Holocausto e seus familiares poderão ser fornecidos para fins de autenticação após uma requisição oficial. Em uma carta aberta, os dados não serão publicados, para a proteção dos signatários contra represálias.

Pela mesma razão, o contato conosco é possível somente via correio eletrônico: trust-in-humanity@pm.me.

Fonte: https://viruswaarheid.nl/belangrijk/stop-holocaust/

Solicitação Especial

Incentivamos os leitores frequentes a baixarem os estudos disponíveis neste website para cópia de segurança e consulta futura. Eles poderão não estar disponíveis para sempre. Estamos entrando rapidamente em um tempo em que materiais deste tipo somente poderão ser obtidos via correio eletrônico. Os leitores que desejarem ser incluídos em uma lista para correspondência futura são bem-vindos a me contactar em jeremypauljames@gmail.com. Não é necessário fornecer o nome, apenas um endereço eletrônico.


Autor: Jeremy James, artigo em http://www.zephaniah.eu
Data da publicação: 10/9/2021
A Espada do Espírito: https://www.espada.eti.br/Apocalipse/vacinas-6.htm