Os Estranhos Círculos de Baal em Torno de um Colégio Batista Americano

Autor: Jeremy James, 27/2/2018.

A Palavra de Deus refere-se repetidamente à imaginação do homem e sua tenebrosa propensão para o mal. Por volta de 2.400 AC, nosso Pai Celestial destruiu virtualmente toda a vida na Terra por causa do seguinte: "E viu o SENHOR que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente." [Gênesis 6:5].

Uma razão por que as trevas deste mundo não são tão óbvias para a maioria dos cristãos é o conforto físico que tantos ainda usufruem. Apesar da degradação espiritual prevalecente ao nosso redor, a igreja professa continua a enfocar somente as ilhas microscópicas de justiça e retidão e ignora a grande impiedade em que nossa civilização está imersa. Cristo referiu-se a isto no livro do Apocalipse, quando dirigiu-se à igreja de Laodiceia. A severa repreensão que Ele faz, aplica-se não somente à igreja local de Laodiceia daquele tempo, mas também à fase final da história da igreja em que nós agora vivemos:

"Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu; aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; e roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas." [Apocalipse 3:17-18].

A cegueira nesta questão é muito real. Como a maioria dos pastores e ministros sofre desse mal, a presença visível dele é, em grande parte, ignorada. Como o Senhor pode curar uma doença se os próprios pastores se recusam a reconhecer que padecem dela? Quando o cego Bartimeu se aproximou de Jesus com suas súplicas em alta voz, o Senhor lhe perguntou o que ele desejava. Poderíamos pensar que isto era algo óbvio e que nem precisaria ser perguntado, mas Cristo quis que o homem declarasse que era cego. Somente então Ele o curou.

A igreja hoje está decidida a se esconder de sua própria cegueira. Seus líderes caminham com enorme confiança em si mesmos, fingindo discernir a vontade de Deus, ao mesmo tempo que vergonhosamente ignoram os mandamentos claramente apresentados em Sua Palavra.

A Irlanda está prestes a realizar um referendo — um plebiscito nacional ou votação popular — para decidir se, sob certas circunstâncias, crianças nascituras devem ou não ser assassinadas. Apesar da óbvia obscenidade moral e espiritual que está sendo empurrada goela abaixo do povo irlandês por um governo corrupto, os ministros e pastores "cristãos" estão, em geral, completamente calados!

Em agosto de 2017, escrevi para 124 ministros e pastores de igrejas bíblicas na Irlanda, oferecendo-me para organizar um seminário de um dia em Dublin, onde os líderes da igreja poderiam discutir e acertar os detalhes de uma campanha para resistir àquilo que o governo estava tentando fazer. Somente três responderam.

Escrevi recentemente outra vez para os mesmos ministros e pastores — presbiterianos, evangélicos, metodistas, batistas, pentecostais, nazarenos — repetindo a oferta. Quantos responderam? Nem um.

Ab-rogação da Responsabilidade

A partir de numerosas inquirições que fizemos, sabemos que nenhuma iniciativa de qualquer tipo está sendo planejada pela igreja na Irlanda para lidar seriamente com a ameaça da legalização do aborto por conveniência no país. Não importa para esses pastores e ministros que um sistema similar ao que existe na Grã-Bretanha poderá em breve ser implementado neste país se o Oitavo Aditamento — que garante direitos iguais à mãe e à sua criança nascitura — for repelido. Na Grã-Bretanha, crianças no estágio final da gravidez são rotineiramente mortas no ventre de suas mães, se um exame detectar que elas são portadoras da Sindrome de Down ou de alguma outra deficiência debilitante.

É exatamente como Jesus disse: "...e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu." A maioria dos ministros e pastores na Irlanda está cega para o fato que eles colocaram para fora Cristo, travaram a porta e agora seguem um ídolo criado segundo suas próprias imaginações.

Lobos Devoradores

Esta introdução pode parecer desconectada do título deste ensaio, mas a situação no Colégio Batista Americano em Nashville, no estado americano do Tennessee, e a situação na Irlanda são ambas partes da mesma cegueira. Aqueles que preferem não ver são tão "cegos" quanto aqueles que não podem ver. A doença é tão séria que precisamos nos perguntar se o ministério em ambos os lados do Atlântico inclui números substanciais de pastores e pregadores sem qualquer fidelidade à igreja, indivíduos que foram colocados ali pelo Maligno para solapar o Cristianismo bíblico e fazer avançar os objetivos do Ecumenismo, a "unidade" e a Nova Ordem Mundial.

A Igreja de Roma disse muito tempo atrás que iria fazer exatamente isto! Há várias gerações que os jesuítas treinam seus agentes para servirem como pastores batistas e pregadores evangélicos impecáveis. Por meio dessa duplicidade bem-aperfeiçoada, eles conseguiram se infiltrar nas igrejas bíblicas e tomar o controle de incontáveis posições de influência. É por esta razão que aparentemente bem-fundamentados líderes de igrejas bíblicas podem subitamente começar a defender o espírito e as falsas doutrinas do romanismo.

Como líderes dentro da igreja de Cristo, eles são como "lobos devoradores" a dirigirem seus rebanhos incautos em qualquer direção que quiserem e introduzir todos os tipos de práticas para promoverem uma mentalidade ecumênica — o Curso Alfa, o Caminho de Emaús, a espiritualidade contemplatva, a presença eucarística, os ensinos dos assim chamados Pais da Igreja, a oração e a reflexão místicas e ascéticas, hinos e serviços interfé, rituais sentimentais, o evangelho social, as traduções fajutas da Bíblia, e assim por diante.

O Colégio Batista Americano

A descrição da Wikipedia sobre o Colégio Batista Americano diz:

Centro Mundial Batista:

"Dedicado em 1989, o Centro Mundial Batista foi construído como uma Sede Internacional Oficial de alto padrão para a Convenção Batista Nacional dos EUA. Ele é o primeiro edifício deste tipo erigido pela convenção. O Centro Mundial Batista está localizado no lado sul do campus [de Nashville], no sítio original do antigo Centro Nacional de Treinamento Missionário Batista. Ele abriga os escritórios administrativos da Convenção Batista Nacional dos EUA e é usado pelo Colégio Batista Americano para espaço de salas de aula, eventos, oficinas e o salão de jantar do campus. O santuário é grande o suficiente para abrigar a Reunião da Junta Anual no Inverno, da Convenção Batista Nacional dos EUA, bem como aulas e grandes conferências e convocações do colégio."

Nossa análise mostra que o edifício de alto padrão, construído de forma especial, que eles mencionam, está cercado por uma série de círculos de Baal, incluindo 9 círculos em que ambos os obeliscos no conjunto têm pelo menos 12 metros de altura. Na verdade, seis deles estão entre os trinta obeliscos mais altos na América do Norte.

Tabela A abaixo lista os círculos que identificamos, onde o centro em todo caso é o edifício de alto padrão ocupado pelo Colégio Batista Americano em Nashville, Tennessee. Ele é formado por 13 círculos concêntricos ("ou anéis de largura de uma milha") definidos por uma parte de obeliscos ao longo de suas circunferências.

Tabela A

Os 13 Círculos de Baal em Torno do Colégio Batista de Nashville

Isto Poderia Acontecer por Acaso?

Isto poderia acontecer por acaso? Para responder a esta pergunta, precisamos saber quantos obeliscos de tamanho significativo estão espalhados pelos EUA e sul do Canadá. No Apêndice A listamos os obeliscos que sabidamente têm 12 metros de altura, ou mais. Eles foram identificados via websites especializados em geografia, como waymarking.com e www.geograph.com, bem como páginas de memoriais de guerra e páginas que listam os monumentos notáveis em cada estado.

A área geográfica total que estamos considerando está a leste das Montanhas Rochosas e forma um círculo com um raio de aproximadamente 500 milhas (800 km) em torno de Nashville. Isto significa que há espaço para aproximadamente 500 "anéis da largura de uma milha" [Nossos ensaios anteriores mostram que cada um desses "anéis", ou "círculos" babilônios, tem um perímetro de uma milha de largura.] Portanto, a probabilidade que cada anel tenha um obelisco de pelo menos 12 metros de altura é de 1 em 5. (Existem cerca de uma centena de obeliscos desse tamanho a leste das Montanhas Rochosas.) Portanto, a probabilidade que o Colégio Batista Americano tivesse 9 desses anéis é 59 (5 elevado à nona potência), ou aproximadamente 1 em 2 milhões.

Então, tudo isto aconteceu por acaso? É claro que não. Mas, ainda há mais.

A fotografia do Colégio Batista Americano mostrada na primeira página deste ensaio é a mesma exibida na página oficial na Internet (http://www.abcnash.edu/). Ela parece inocente, não? Mas, por que a árvore está obscurecendo parte do edifício?

Não existem outras fotos na página que mostrem o edifício completo. Na verdade, as fotos do edifício não são fáceis de encontrar na Internet. Entretanto, se formos para o serviço Google 'Streetview' e fizermos um passeio pelo campus, podemos ver o que a foto na página teve a intenção de esconder:

Ah, sim, outro obelisco! E não apenas um obelisco no terreno do campus, mas um obelisco situado exatamente no centro do edifício. Ele parece ter 24 metros de altura, ou talvez até mais.

Em toda nossa pesquisa sobre o mundo ocultista e bizarro dos obeliscos e das estranhas pessoas que os constróem, nunca encontramos um exemplo igual a este. É necessária muita arrogância para colocar um obelisco dentro de um edifício público! O quanto mais, então, quando o edifício está supostamente dedicado ao serviço cristão? Isto foi claramente feito com a intenção de blasfemar do Senhor Deus.

Onde estão os cristãos bíblicos nos EUA hoje? Não passou pela cabeça de ninguém que este edifício, com seu obelisco idólatra, era uma abominação?

Os Círculos de Baal em Nashville

Diagrama que mostra Nashville como o "Sol" no centro do "Sistema Solar", em torno do qual os deuses orbitam, em obediência submissiva ao Mestre Celestial deles. Se isto parece similar ao sistema solar, conforme representado nos mapas nas salas de aula, isto por que o sistema solar é, ele mesmo, simplesmente uma ficção babilônia baseada nos Círculos de Baal. Na realidade, a Terra é plana e estacionária e milhares de vezes maior do que o sol — exatamente como a Bíblia ensina. Isto significa que o assim chamado sistema solar não existe! Ele não é nada mais que uma ímpia enganação criada pela Elite babilônia para atacar a Palavra de Deus e destruir a confiança da humanidade na Bíblia. Como resultado, a maioria das pessoas hoje acredita em muitas das mentiras sobre "o espaço sideral", "civilizações de extraterrestres", "outras formas de vida" e a possibilidade de existência de "outros planetas similares à Terra". Isto tudo é parte da grande engação do fim dos tempos. As mesmas pessoas que constróem os Círculos de Baal também criaram a NASA. O deus deles é Apolo (que também é conhecido como Osíris, Hélio, Baal, etc.)

A Adoração a Baal

A adoração a Baal nos tempos bíblicos envolvia o corte e preparação de um mastro (ou poste) de madeira, também chamado de madeiro, erigindo-o no centro de uma área ou bosque sagrado, e decorando-o com um revestimento prateado ou dourado, junto com outros tipos de ornamentações:

"Os que se santificam, e se purificam para entrar nos jardins após uma deusa que está no meio, os que comem da carne de porco, e da abominação, e do rato, esses todos serão consumidos, diz o Senhor." [Isaías 66:17; Almeida Revisada, Imprensa Bíblica].

A palavra "árvore" na KJV não aparece no hebraico original, mas foi adicionada pelos tradutores, conforme indicado pelo uso do itálico. Eles estão corretos em usar essa interpretação, embora isto também poderia referenciar um ídolo de pedra.

Observe a palavra "meio" no verso de Isaías (sublinhado). A palavra para "meio" em hebraico é tâvek (H8432). A Concordância de Strong a define como segue:

H8432 tâvek, taw'-vek; de uma raiz não usada, com o significado de separar; uma bissecção, isto é (por implicação) o centro: (Strong).

O ídolo ficava no meio do bosque. Como tal, ele ocupava o centro, que é um conceito-chave na religião babilônia. Lúcifer, o deus-sol, sempre quer ocupar o centro.

A Palavra de Deus descreve para nosso benefício, no livro de Jeremias, o modo como esse ídolo era preparado:

"Porque os costumes dos povos são vaidade; pois corta-se do bosque um madeiro, obra das mãos do artífice, feita com machado; com prata e com ouro o enfeitam, com pregos e com martelos o firmam, para que não se mova. São como a palmeira, obra torneada, porém não podem falar; certamente são levados, porquanto não podem andar. Não tenhais receio deles, pois não podem fazer mal, nem tampouco têm poder de fazer bem... Mas eles todos se embruteceram e tornaram-se loucos; ensino de vaidade é o madeiro. Trazem prata batida de Társis e ouro de Ufaz, trabalho do artífice, e das mãos do fundidor; fazem suas roupas de azul e púrpura; obra de peritos são todos eles... Todo o homem é embrutecido no seu conhecimento; envergonha-se todo o fundidor da sua imagem de escultura; porque sua imagem fundida é mentira, e nelas não há espírito. Vaidade são, obra de enganos: no tempo da sua visitação virão a perecer." [Jeremias 10:3-5, 8-9, 14-15].

A palavra "madeiro" (sublinhada) deve ser observada. [Strong H6085 — 'ets] Gesenius a define do seguinte modo:

O madeiro é equivalente ao que entendemos hoje como um obelisco, ou pilar sagrado. Os pagãos acreditavam que faziam contato com os deuses por meio da adoração a esse ídolo, criado por suas próprias mãos. Os sacerdotes do antigo Egito envolviam-se nessa prática em grande estilo, uma prática que é perpetuada hoje por meio da religião da Maçonaria. Os membros dos graus inferiores parecem ter apenas uma compreensão superficial do que o obelisco realmente significa, mas aqueles que estão nos graus mais altos sabem melhor.

"Então edificou Salomão um alto a Quemós, a abominação dos moabitas, sobre o monte que está diante de Jerusalém, e a Moloque, a abominação dos filhos de Amom." [1 Reis 11:7].

O obelisco é um símbolo fálico que representa o sol e o órgão genital masculino. Ele é, em essência, uma celebração obscena de Lúcifer e de seu poder sobrenatural. O deus também é conhecido como Osíris, Apolo, ou Hélio, e os pagãos acreditavam que as emanações divinas banhavam a humanidade, do mesmo modo como os raios do sol iluminam a Terra. Assim, a Maçonaria é um culto solar dedicado à adoração e veneração do deus-sol, Osíris.

As Obras Infrutíferas das Trevas

A Palavra de Deus condena esta falsa religião — "as obras infrutíferas das trevas" — e exorta todos os cristãos nascidos de novo a fazerem o mesmo. Edmond Ronayne, que pela graça de Deus escapou das garras da Maçonaria, condenou essas obras idólatras como segue:

"... o apóstolo Paulo, aludindo a esta mesma adoração fálica, fala a respeito dela em termos da mais alta reprovação, quando aconselha os cristãos efésios a 'não terem comunicação com as obras infrutuosas das trevas, mas antes condená-las' (Efésios 5:11-12). Todavia, apesar disto, os ministros das nossas igrejas — aqueles que afirmam terem sido comissionados pelo Senhor Jesus Cristo, para pregar o evangelho da graça de Deus e trazer os homens das trevas para a luz, os próprios representantes daquele mesmo apóstolo Paulo — esses homens vão para aqueles covis tenebrosos de infâmia e pecado, chamados de lojas maçônicas, juntam-se ao mesmíssimo Baal-Peor, jurando solenemente manter e apoiar a ímpia filosofia religiosa da qual ela forma uma parte importante, usam a influência que possuem para induzir outros a seguirem seus exemplos e, quando questionados sobre o assunto por qualquer membro de suas congregações, dão uma resposta arrogante e desafiadora, ou então mentem para ocultar sua iniquidade." [The Master's Carpet, pág. 328].

Como mestre venerável de uma loja maçônica influente em Chicago, Ronayne deve ter visto e conhecido muitos daqueles assim chamados ministros e pastores cristãos participarem dos encontros e rituais maçônicos. Eles pregavam a Cristo na igreja, mas secretamente adoravam a Baal.

Ele escreveu nos anos 1870, porém esta prática maligna continua até hoje. É por isto que a Convenção Batista do Sul dos EUA é uma organização corrupta. Ela é controlada pelos assim chamados grandes mestres da Maçonaria, homens dissimulados e oblíquos que fingem amar o Senhor e Seu Filho, Cristo Jesus, mas que secretamente servem e adoram a Baal.

Portanto, não é maravilha que uma das instituições mais importantes para promover o verdadeiro Cristianismo bíblico nos EUA mostre descaradamente, em seu centro, um ídolo maciço a Baal, ou que isto esteja localizado no centro de uma série de Círculos Concêntricos de Baal.

"Não Tenhais Receio Deles"

Apesar de toda sua esperteza, o Maligno não tem poder sobre os cristãos verdadeiros. Ele pode criar tantos círculos sagazes que quiser, erigir tantos obeliscos gigantescos que desejar, mas eles não farão diferença alguma! O cristão verdadeiro está protegido de toda essa impiedade. Lembre-se das palavras de Jeremias que citamos no subtítulo acima: "São como a palmeira, obra torneada, porém não podem falar; certamente são levados, porquanto não podem andar. Não tenhais receio deles, pois não podem fazer mal, nem tampouco têm poder de fazer bem." [Jeremias 10:5].

Expondo essas obscenidades, estamos também expondo a tenebrosa duplicidade que está por trás delas, as verdadeiras intenções daqueles que professam crer na Palavra de Deus, mas que são, na realidade, servos juramentados de Baal. A não ser que possamos reconhecer esses "lobos devoradores" e discernir o plano venenoso deles, seremos levados cada vez mais na grande enganação do fim dos tempos que culminará, talvez mais cedo do que imaginamos, na chegada do Anticristo.

Aqueles que servem a Baal são indiferentes à malignidade do aborto. Afinal, o derramamento de sangue inocente é um importante componente na adoração a Moloque, que é apenas outro nome para Baal.

O povo irlandês ajoelhou-se diante de Baal e de seus servos terreais em 2001, quando consentiu com a construção de um gigantesco obelisco de Baal em sua capital, Dublin, o assim chamado Millennium Spire — um dos mais altos mastros erigidos a Baal no mundo. Os irlandeses deram outro passo importante no caminho das trevas quando votaram a favor do casamento de pessoas do mesmo sexo, em 2015. Agora, eles parecem preparados para condenar dezenas de milhares de crianças nascituras à morte por conveniência social.

O obelisco não pode fazer mal nem bem. Mas, onde quer que eles sejam encontrados, podemos saber que os servos de Baal estão insinuantemente proclamando sua supremacia, sua confederação secreta e sua determinação de solapar e destruir o Cristianismo.

Conclusão

Não há modo de abordar um tópico como este e não sentir o peso da Escritura em nossos corações e mentes. As advertências bíblicas soam alto em nossos ouvidos. O deus deste mundo está em rebelião contra o Senhor Deus de Israel e contra Seu Filho, Cristo Jesus de Nazaré. Ele usa os ardis mais ímpios, mais tortuosos, mais enganosos e mais blasfemos para alcançar seus propósitos. Seus seguidores babilônios não somente estão dispostos a servi-lo e a perpetuar o sistema de adoração que ele usa desde os tempos antigos para colocar a humanidade cada vez mais sob a influência do seu encantamento. Eles continuarão a produzir esses ídolos pagãos, talvez mais abertamente do que nunca antes. Podemos esperar que mais e mais obeliscos e pirâmides sejam instalados em locais públicos nos anos futuros, junto com outros símbolos e representações da religião do antigo Egito.

Os seguidores dele, que se ocultaram tão bem por tanto tempo, parecem estar anunciando sua filosofia — e sua tenebrosa ambição — com mais vigor e audácia do que nunca antes. Algumas semanas atrás, os maçons na Grã-Bretanha publicaram anúncios de página inteira nos principais jornais do país — The Times, The Guardian e The Telegraph — para declarar que não irão mais tolerar críticas à sua fraternidade.

A advertência deles foi bem clara: "Já basta!" Ela dizia em parte: "A Grande Loja Unida da Inglatera acredita que a presente má representação grosseira de seus mais de 200.000 membros é uma forma de discriminação. Pura e simples. Devemos aos nossos membros esta tomada de posição, para que eles não tenham de se sentir estigmatizados. Nenhuma outra organização permitiria isto e nós também não iremos permitir." [Fonte: http://freemasonrytoday.com/ugle-sgc/ugle/enough-is-enough]

Agora sabemos o que esperar. Não somente irá o Cristianismo bíblico verdadeiro continuar a ser atacado e solapado, a partir de dentro, por falsos ministros e pastores, talvez com mais zelo e sagacidade do que nunca antes, mas os grandes mestres e magos de alto escalão que controlam os tesouros da Babilônia criarão vários meios de retratar os cristãos bíblicos como provedores de ódio, preconceito e intolerância.



Apêndice A

Tabela dos Mais Altos Obeliscos nos EUA e no Sul do Canadá

Os números em vermelho indicam os obeliscos que aparecem nos Círculos de Baal de Nashville.



Autor: Jeremy James, artigo em http://www.zephaniah.eu
Data da publicação: 6/3/2018
Transferido para a área pública em 24/4/2020
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/colegio.asp