O Jejum: Maior Pressão na Oração

Autor: William Schnoebelen, 2012.

Muitos responderam ao nosso chamado para ORAR por nossa nação como nunca antes, durante este tempo crucial na história do nosso país. Todo intercessor dedicado — e conhecemos muitos — louvado seja o Senhor — PRECISA se revestir com orações persistentes de arrependimento, com coração contrito e com jejum. O intercessor que porta essas armas espirituais traz as forças dos céus para a batalha, para obter a vitória e estorvar os planos do Maligno. Embora a maioria dos fiéis cristãos conheça um pouco sobre o jejum, aqui examinaremos as Escrituras e compartilharemos o que significa jejuar e como somos chamados a interceder desta forma dinâmica.

Para iniciar, a primeira vez que a ideia de jejuar aparece explicitamente na Bíblia é somente em Juízes 20:26:

"Então todos os filhos de Israel, e todo o povo, subiram, e vieram a Betel e choraram, e estiveram ali perante o SENHOR, e jejuaram aquele dia até à tarde; e ofereceram holocaustos e ofertas pacíficas perante o SENHOR."

O significado aqui indica claramente arrependimento. Israel estava sendo derrotado por que ninguém estava levando a sério os mandamentos do Senhor Deus. Após aquele dia de jejum e adoração, o Senhor os abençoou com a vitória! Em 1Samuel 7:6, um padrão similar de jejum e arrependimento é apresentado, como também vemos em Neemias, Esdras e Ester:

"E congregaram-se em Mizpá, e tiraram água, e a derramaram perante o SENHOR, e jejuaram aquele dia, e disseram ali: Pecamos contra o SENHOR. E julgava Samuel os filhos de Israel em Mizpá." [1 Samuel 7:6].

A palavra hebraica usada nessas passagens é tsuwm. Ela é derivada de uma palavra que significa "tapar a boca". Outro termo usado reflete a atitude necessária durante o Dia da Expiação: Anah Nephesh (Levítico 16:29). Isto significa "afligir a alma". Esta é uma referência antiga em que o jejum está implícito, porém não é referenciado explicitamente.

Também vemos em Salmos 69:10 que o jejum pode ser usado para castigar a alma. O sentido aqui é de disciplinar nossas almas, afligindo-as. É provavelmente daí que vem a prática de "afligir nossas almas" com o jejum no Yom Kippur (o Dia do Perdão) (Levítico 16:28-30). Como o corpo fica enfraquecido durante o jejum (Salmos 109:24), o relacionamento da alma com o Espírito Santo torna-se mais agudo e atento durante um período de jejum. Logicamente, não há base bíblica para o jejum até o ponto da morte, ou perto disso. PERMITA-ME DIZER ISTO NOVAMENTE: Nunca alguém deve jejuar até o ponto da morte, ou próximo da morte!

"Quando chorei, e castiguei com jejum a minha alma, isto se me tornou em afrontas." [Salmos 69:10].

"De jejuar estão enfraquecidos os meus joelhos, e a minha carne emagrece." [Salmos 109:24].

Na Bíblia e nos tempos antigos, vemos o jejum associado com atos de piedade pessoal, ou o reconhecimento de eventos desastrosos. O jejum era praticado durante tempos de luto e de arrependimento. Mesmo hoje na sociedade secular, as pessoas que estão de luto frequentemente não comem muito, ou alguém precisa vir e incentivá-las a comer alguma coisa. Como fiéis cristãos, precisamos reconhecer que o jejum é um componente crítico da luta espiritual contra as forças das trevas.

Muitos estão familiarizados com a passagem em Isaías 58, que coloca a ideia de afligir a alma E a guerra espiritual em agudo foco:

"Seria este o jejum que eu escolheria, que o homem um dia aflija a sua alma, que incline a sua cabeça como o junco, e estenda debaixo de si saco e cinza? Chamarias tu a isto jejum e dia aprazível ao SENHOR? Porventura não é este o jejum que escolhi, que soltes as ligaduras da impiedade, que desfaças as ataduras do jugo e que deixes livres os oprimidos, e despedaces todo o jugo? Porventura não é também que repartas o teu pão com o faminto, e recolhas em casa os pobres abandonados; e, quando vires o nu, o cubras, e não te escondas da tua carne? Então romperá a tua luz como a alva, e a tua cura apressadamente brotará, e a tua justiça irá adiante de ti, e a glória do SENHOR será a tua retaguarda."

Ajudar os oprimidos a ganharem a liberdade é uma importante razão para o jejum. Esta é a uma verdadeira ferramenta de PODER em nosso arsenal de guerra espiritual! O Evangelho de Mateus (17:21) ecoa isto fortemente quando Jesus diz a respeito do jejum e libertação: "Mas esta casta de demônios não se expulsa senão pela oração e pelo jejum.". Muitas vezes, pessoas telefonam para nós e dizem que tentaram a libertação de alguém, mas que isto não funcionou. Perguntamos se elas jejuaram pelo indivíduo e, na maior parte das vezes, ficamos sabendo que não jejuaram. Quando elas repensam suas estratégias e fazem algum tipo de jejum junto com suas intercessões, a liberação e a libertação ocorrem.

Alerta aos guerreiros na oração: Lembre-se que a tradução NVI (Nova Versão Internacional) e muitas outras traduções apóstatas omitem a palavra "jejum", porque o Maligno não quer que os fiéis cristãos conheçam o poder do jejum na libertação das pessoas. Não é absolutamente maligno que um comitê de tradução da Bíblia decida deixar algo tão importante assim de fora?

No fim dos anos 1980, quando comecei o ministério de libertação, trabalhei com uma mulher muito perturbada, que — apesar de já ser convertida — nunca conseguia obter a vitória. Trabalhei com ela durante várias semanas por meio de um centro cristão de aconselhamento (eles não tinham conseguido ajudá-la e me chamaram). Comecei a interceder por ela em oração e a aconselhá-la. Durante aquele período, uma semana antes de um novo encontro que teríamos para oração, eu estava retornando de uma viagem que fiz para comparecer a uma gravação do programa Clube 700 na televisão. Orei muito por aquela mulher durante o longo voo de retorno e o Espírito Santo me motivou a jejuar. O tempo da viagem foi de quase nove horas, incluindo a espera para as conexões.

Por volta do tempo em que cheguei em casa, o Espírito Santo já tinha me mostrado a solução para livrar aquela mulher. Ela estava escondendo o fato que fizera um aborto durante sua adolescência. Como ela não tinha confessado aquele pecado diante de Deus — não conseguia obter a liberdade no Messias. Em um inspirador encontro de oração com ela após o Espírito Santo ter me motivado a jejuar, ela ficou LIVRE! Sei que isto foi, em parte, por que fui obediente e jejuei.

Outro encontro em 2003 requereu jejum e guerra espiritual quando fui forçado a confrontar o anjo da morte. Relatei isto em meu livro Romancing Death, mas permita-me apenas dizer aqui que uma presença maligna muito palpável tinha se estabelecido em meu apartamento. Por mais que eu orasse, a presença maligna não se afastava, mesmo após vários dias. Finalmente, fui levado a jejuar e continuei a orar, até mesmo por horas certa vez. ENTÃO, o poder da morte e do mal foi quebrado!

O jejum também pode ser usado para abrir nossos olhos espirituais para verdades mais profundas. Isto aconteceu com Cornélio, em Atos 10:30. Como resultado, ele recebeu uma visitação angélica que levou à salvação de sua família e catalisou a propagação do Evangelho entre os gentios! Outros exemplos incluem jejum antes de decisões espirituais importantes. Os apóstolos fizeram isto antes de escolherem e comissionarem Barnabé e Saulo:.

"E disse Cornélio: Há quatro dias estava eu em jejum até esta hora, orando em minha casa à hora nona." [Atos 10:3].

"E, servindo eles ao Senhor, e jejuando, disse o Espírito Santo: Apartai-me a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado. Então, jejuando e orando, e pondo sobre eles as mãos, os despediram. E assim estes, enviados pelo Espírito Santo, desceram a Selêucia e dali navegaram para Chipre." [Atos 13:2-4].

Isto também aconteceu comigo. Quando eu era novo no ministério, alguns colegas me disseram para usar versões da Bíblia diferentes da King James Version. Eles diziam: "— Esta tradução é melhor, mais próxima do texto em grego, etc". Aqueles homens eram ministros experientes e eu ainda era um novato. Dei ouvidos a eles e comprei uma versão mais moderna, a ASV (American Standard Version). Mas, quando eu a usava para ministrar em casos de libertação, os demônios literalmente riam dela. Aquilo que deixou perturbado, de modo que jejuei e orei, em busca de uma resposta. Literalmente, no mesmo dia, recebi confirmação que a Versão Autorizada do Rei Tiago era (e é) a Palavra de Deus inerrante! Desde então, tenho adotado esta posição e ensinado o poder espiritual e a confiabilidade do texto da KJV! Incontáveis sessões de oração e libertações de vitórias confirmam essa decisão.

Como exatamente o jejum funciona? A Bíblia não nos diz; ela apenas nos diz para jejuar. Permita-me sugerir algumas ideias sobre isto para incentivá-lo a praticar essa poderosa modalidade de guerra espiritual.

A parte mais prática do jejum é a liberação de maior tempo para nós. Preparar as refeições, ou sair para comer em um restaurante consome tempo e energia, várias vezes ao dia. Em vez de gastar tempo no preparo das refeições, comer, lavar a louça, ou sair para fazer refeições fora de casa, o tempo pode ser usado para estudar a Bíblia, orar ou louvar. O horário livre do almoço pode ser usado para caminhar no parque, interceder, ler a Bíblia ou uma literatura devocional.

Em segundo lugar, o jejum o leva mais para perto do céu: ele o PURIFICA. Muitos reportam que se sentem espiritualmente mais leves ou mais sintonizados à voz do Espírito Santo durante e após um período de jejum. Parece que o jejum acalma a mente, de modo que a pessoa fica mais atenta para ouvir a voz mansa e delicada do Pai Celestial.

Em terceiro lugar, e MUITO importante, independente do tipo de jejum que você faça — ou por quanto tempo você jejue — uma coisa é certa: Seu corpo queimará um pouco de gordura. Por que isto é importante?

Se você fizer um estudo profundo na Lei Mosaica, descobrirá algumas coisas interessantes a respeito da gordura. A gordura é parte das melhores ofertas. É por isto que o Senhor aprovou a oferta de Abel (Gênesis 4:4). Esta é a primeira vez que a gordura é mencionada nas Escrituras! Como você deve saber a partir da Lei da Primeira Menção, a primeira menção é altamente significativa para delinearmos o significado mais profundo de uma palavra. A gordura — por alguma razão — é importante na economia divina do céu.

 "E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura; e atentou o SENHOR para Abel e para a sua oferta." [Gênesus 4:4].

A partir das Escrituras podemos ver que a gordura de uma oferta é usada nos ritos mais sagrados do antigo sacerdócio levítico, como por exemplo na consagração de Arão como sumo sacerdote (Êxodo 29:13,22) e na oferta pacífica (Levítico 3:3), bem como na oferta de expiação pelo pecado de um sacerdote (Levítico 4:1-9) para citar apenas algumas. Mas, você pode perguntar, o que isto tem que ver conosco hoje?

Lembre-se — se somos crentes em Cristo Jesus — somos templo do Espírito Santo! Quando comemos, "queimamos" as calorias que recebemos dos alimentos para manter nossos corpos em atividade. Cientificamente, uma caloria é uma unidade de medida de calor. Mas, quando jejuamos, estamos queimando nossa gordura (uma oferta muitíssimo agradável a Deus) sobre o "altar" do nosso templo! Este é um símbolo poderoso — porém, é muito mais do que simbólico.

Falando cientificamente por um momento, a gordura é a forma mais densa de energia alimentar — a que contém mais calorias por bocado. Quando "queimamos gordura" por meio do jejum sobre o altar do nosso templo e ORAMOS, liberamos enormes quantidades de energia espiritual focada ao Todo Poderoso, a favor das pessoas a serem salvas e libertadas. Como isto funciona?

Veja o seguinte, todas as emoções que temos são essencialmente armazenadas no nosso corpo como substâncias químicas. Essas emoções são em parte espiritual e em parte físicas. Por exemplo, a ira e o medo estão relacionadas como hormônios do estresse como adrenalina e cortisol. O amor está relacionado com a feniletilamina, uma anfetamina natural, bem como com a dopamina e a norepinefrina.

Essas substâncias químicas circulam dentro de nosso corpo e, se não as colocarmos para fora por meio de exercícios físicos, elas ficarão passando pelo nosso fígado. É função do fígado processar todas essas substâncias químicas, porém hoje em dia, a maioria das pessoas tem seu fígado sobrecarregado, porque temos de processar toxinas que eram desconhecidas dos nossos antepassados, que viveram séculos atrás! Como o fígado não consegue lidar com toda essa sobrecarga, ele cria células de gordura e armazena nelas as substâncias químicas tóxicas ligadas às emoções.

O que isto tem que ver com oração e jejum? Quando você jejua, dá ao seu fígado um bom descanso! Como ele não tem de processar uma refeição, pode se concentrar em começar a se livrar de todas as substâncias químicas relacionadas com o estresse e que suas células de gordura queimam. Assim, quando jejua, a fragrância da sua oferta de gordura sobe até o céu e você coloca de lado todas as suas antigas toxinas emocionais (estresses) sobre o altar da Cruz. Isto é uma forma de morrer para seu velho homem, a carne (neste caso, de uma forma bem literal!).

Este é, no mínimo, um modo poderoso de lançar suas ansiedades sobre o Senhor (1 Pedro 5:7)!

Portanto, como a gordura é (biologicamente) uma forma pura e bastante intensa de energia, quando a queimamos durante um jejum, a Bíblia indica que o Pai Celestial sente o cheiro suave (Gênesis 8:21) e libera forças celestiais que podem libertar as pessoas ou quebrar as correntes sobre as cidades e nações.

O jejum foca as partes mais elevadas da alma em direção ao céu. Mas, não como ocorre na morte. Ao contrário, é quando seu corpo é liberado rapidamente do trabalho de digerir os alimentos e todo o trabalho associado que a mente (parte de sua alma) é liberada para focar melhor nas coisas do céu. Isto traz uma clareza tranquilizadora à alma e que é inestimável para nossa vida de oração e de intercessão.

A Bíblia não é específica a respeito de todos os detalhes do jejum. Entretanto, como o dia na Bíblia (de acordo com Gênesis 1:5) tem início no momento do pôr do sol, eu normalmente jejuo após o jantar de um dia até o jantar do dia seguinte. O jejum, SE SUA SAÚDE PERMITIR, não deve incluir nada, exceto água. No Judaísmo, até hoje, a maioria dos judeus devotos não bebe nem água no jejum de um dia como o Yom Kippur (Dia da Expiação). Isto por causa da tradução da palavra mencionada acima (tsuwm — tapar a boca). Não estou certo sobre o quão saudável isto seria para a maioria das pessoas, por causa da quantidade de toxinas acumuladas e à má qualidade da nutrição nos tempos modernos, mas muitas pessoas poderiam experimentar o jejum absoluto por um dia. Não aconselho a prolongar este tipo de jejum por mais de um dia.

Muitas pessoas não conseguem jejuar à base de água somente por razões médicas e NÃO EXISTE condenação nisto! Faça aquilo que você puder. O Pai Celestial vê a intenção do coração. Além disso, as mulheres grávidas, lactantes, crianças e idosos não devem jejuar.

Uma forma ligeiramente menos severa de jejum seria beber apenas água e sucos de frutas ou de legumes (como cenoura, beterraba, couve, inhame, etc.), ou talvez tomar uma sopa de legumes. Algumas pessoas com problemas com a taxa de glicose no sangue poderiam experimentar isto por um dia, atentando para os níveis de glicose durante o período de jejum. Os sucos de frutas e/ou legumes devem, provavelmente, fornecer a glicose necessária. Mas, qualquer um que tenha problemas com diabetes deve conversar com um profissional da área de saúde antes de praticar o jejum.

Alguns instrutores da Bíblia promovem jejuns mais longos (3-7 dias, etc.) e, se você realmente se sente motivado a fazer isso, converse com um profissional da área de saúde primeiro. Neste dias atuais, a maioria das pessoas não possui uma saúde tão boa que lhes permita tolerar esse tipo de jejum prolongado muito bem, mesmo se ele parecer espiritualmente eficaz. Nossa saúde hoje não é tão boa quanto a das pessoas nos tempos antigos. Esta deve ser uma questão entre você, o Espírito Santo e também seu médico.

Frequentemente sugiro que as pessoas façam o que é chamado de Jejum de Daniel. Isto é aquilo que vemos o jovem profeta praticar em Daniel 1:8-15. Ele e seus companheiros hebreus recusaram a comida da mesa do rei, pois sabiam que ela não era limpa de acordo com a Lei Mosaica. Assim, eles comeram legumes (provavelmente na forma de sopas). Se você comer apenas legumes por alguns dias, isto é um jejum menos severo, mas ainda é muito poderoso! Em minha caminhada pessoal com o Espírito Santo, tenho sido levado há algum tempo a fazer do Jejum de Daniel um estilo de vida. Mas, simplesmente por que eu pratico isto, não significa que você precisa também praticar. Isto é algo entre você e o Espírito Santo.

Outra alternativa, que é benéfica para a maioria das pessoas, e também espiritualmente útil, é jejuar desde o fim do jantar de um dia até o horário do almoço do dia seguinte. Por exemplo, isto poderia ser desde as 19h00min de um dia até o meio-dia do dia seguinte. Este seria um período de 17 horas de jejum e pode ser um modo mais fácil para iniciar a prática do jejum.

Sugerimos jejuar um dia por semana. Você ficará admirado em ver como este ato de submissão em oração pode produzir um salto em sua vida espiritual e ministério! Isto garantidamente aumentará o fogo do Espírito Santo dentro do seu coração e com toda a certeza fará aumentar seu zelo por santidade e pureza! As bênçãos de uma comunhão mais profunda e íntima com o Pai Celestial por meio de Seu Filho e do Espírito Santo podem também trazer discernimento, maravilhas milagrosas, salvação e liberação em sua vida e nas vidas de outros. Durante estes tempos finais, em que enfrentamos tantos desafios, o jejum fornece um modo de fortalecer o poder espiritual na sua vida, igreja e ministério! Quem não precisa mais disto hoje? Se houve um tempo em que precisamos de oração e jejum, esse tempo é agora!

Bênçãos e paz sobre você! Ore por um genuíno reavivamento e por nossa nação. — William Schnoebelen



Autor: William Schnoebelen, artigo em http://www.withoneaccord.org
Data da publicação: 17/5/2017
Transferido para a área pública em 8/12/2019
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/jejum.asp