Escolha uma cor para o fundo:  

A Arábia Saudita Pode Ter Caído nas Mãos de Grupos Islâmicos Mais Radicais

Recursos úteis para sua maior compreensão

Título do Livro 1


Título do Livro 2


Título do Livro 3

"Ou estão conosco, ou serão considerados hostis", anunciou o presidente Bush. Essa declaração pode significar que a Arábia Saudita será considerada um estado hostil, transformando a guerra contra o terrorismo em uma guerra entre o Ocidente e o Islã. Além disso, a recente transferência da família real para a Suíça parece indicar que a Arábia Saudita, um país anteriormente considerado como moderado, esteja sob a ameaça de cair nas mãos dos grupos islâmicos radicais.

A Nova Ordem Mundial está chegando! Você está preparado?

Compreendendo o que realmente é essa Nova Ordem Mundial, e como está sendo implementada gradualmente, você poderá ver o progresso dela nas notícias do dia-a-dia!!

Aprenda a proteger a si mesmo e aos seus amados!

Após ler nossos artigos, você nunca mais verá as notícias da mesma forma

Agora você está com a
"THE CUTTING EDGE"

Resumo da Notícia: "A Arábia Saudita Retira o Apoio à Ofensiva Americana Antiterrorismo — Após um Possível Golpe Palaciano", DEBKA-file, 22/9/2001, www.debka.com.

"Os EUA adiaram o início de sua ofensiva contra o Afeganistão e Osama Bin Laden, em retaliação aos ataques terroristas em Nova York e Washington, devido à dramática reviravolta do apoio árabe no Oriente Médio, informam as fontes da DEBKAfile no Golfo e em Washington. Na noite de sábado, ficou claro que os eventos em Riad foram o golpe de misericórdia nos esforços do Secretário de Estado americano Colin Powell de criar uma frente árabe para apoiar a guerra mundial do governo Bush contra o terrorismo. O motivo da saída silenciosa do rei Fahd da Arábia Saudita, seguido por um grande séquito real... é, conforme acreditam nossas fontes mais confiáveis, uma revolução palaciana detonada por divergências na família real quanto ao apoio à ofensiva norte-americana contra o Afeganistão, a rede de terror de Osama Bin Laden e outros alvos suspeitos. O rei Fahd e sua facção Sudeiri, incluindo o Ministro da Defesa Sultan, eram a favor de permitir que os EUA estacionassem suas tropas de assalto em bases avançadas no solo saudita; o conservador e religioso príncipe herdeiro Abdullah, que governa o reino desde que o rei Fahd adoeceu, teve a opinião mais forte, apoiado pelo sistema religioso."

"Apoiado pelo sistema religioso". Lembre-se dessa frase!

De uma só vez, os EUA perderam diversos trunfos diplomáticos, religiosos, militares e econômicos estratégicos que podem provocar o tipo de desastre que o plano original dos Illuminati prevê para produzir o Anticristo! Consideremos essas perdas estratégicas segundo as categorias relacionadas acima, e na ordem em que aparecem:

Perdas Estratégicas Diplomáticas: Desde o início de seu contra-ataque a Osama Bin Laden em resposta ao ataque ao World Trade Canter e ao Pentágono, o presidente Bush deixou bem claro a quem está atacando e a quem NÃO está atacando. Bush disse que atacará somente os militantes islâmicos extremistas que planejaram e perpetraram os ataques em 11 de setembro.

Bush afirmou claramente que não está atacando os elementos "pacíficos" do islamismo tradicional, enfatizando que a verdadeira face do Islã é paz e co-existência. Portanto, Bush esperava trazer à sua causa o alinhamento normal dos estados árabes tradicionalmente aliados dos EUA. A principal dessas nações é a Arábia Saudita, a quem os EUA protegeram em 1990-1, durante a Guerra do Golfo. Os estrategistas na época enfatizaram que se a coalizão mundial liderada pelos EUA e a Grã-Bretanha não tivesse agido da maneira como agiu, o Iraque teria feito da Arábia Saudita sua próxima vítima. As forças iraquianas estavam posicionadas na fronteira saudita, de modo que essa linha de raciocínio parece correta.

A perda da Arábia Saudita do nosso lado para o lado do inimigo é absolutamente ENORME! Imediatamente, Osama Bin Laden e sua causa radical do Islã contra o Ocidente parecerão repentinamente legítimos aos olhos de milhões de islamitas no mundo todo. Repentinamente, esse afastamento do Ocidente ameaça nossa relação estratégica com o Egito, um dos pivôs da diplomacia americana no Oriente Médio. Mesmo antes desse "Golpe Palaciano" em 18 de setembro, o presidente Mubarak, do Egito, estava sinalizando a Washington que não se sentia à vontade em participar da guerra global de Bush contra o terrorismo.

A Síria, o Irã e o Iraque inicialmente sinalizaram que se uniriam aos esforços de Bush; entretanto, agora que a dócil e meiga Arábia Saudita traçou uma linha na areia contra qualquer ataque direto do Ocidente às forças muçulmanas, nenhum dos ditadores desses países pode pagar o preço de parecer mais receptivo ao Ocidente do que a Arábia Saudita. Assim, a Arábia Saudita possivelmente radicalizou todo o mundo muçulmano, e está ameaçando atrair todos os governos muçulmanos à órbita radical.

Perdas Estratégicas Religiosas: Em seu discurso de 20 de setembro, o presidente Bush enfatizou que não iria guerrear contra o Islã, mas apenas contra seus elementos radicais. Bush estava extremamente confiante que o extremismo radical do Islã, personificado por Osama Bin Laden, não era uma força poderosa na região. Bush parecia sentir que nenhum governo árabe ou muçulmano da região seria ameaçado pelo elemento radical dentro de sua respectiva população.

No entanto, o relato da DEBKAfile estipulou de forma bastante clara que essa virada na Arábia Saudita foi tramada pelo príncipe coroado Abdullah, que agiu em terreno religioso e com o apoio dos líderes religiosos. Em outras palavras, o príncipe coroado sabia o quão radical sua população realmente é, e como ela teria reagido com puro ódio assim que visse os aviões americanos e ingleses matando outros muçulmanos e operando a partir de bases aéreas na Arábia Saudita.

Além disso, se existe uma proporção tão grande de radicais muçulmanos na população saudita que o príncipe coroado se viu forçado a recusar apoio ao Ocidente, você pode apostar até o seu último centavo que todos os países na região estão sentindo a agitação em suas próprias populações radicais. Assim que as bombas começarem a cair, até mesmo os mais fiéis aliados árabes dos EUA no Oriente Médio estarão tão ameaçados que também poderão cair.

Quase que do dia para a noite, os principais países islâmicos do Oriente Médio poderão se voltar contra o Ocidente, de forma que essa guerra ao terrorismo se transformará em uma guerra do Ocidente contra o Islã. A guerra religiosa que Bush disse que não está tentando começar ou travar poderá se tornar realidade. Já dissemos anteriormente em outros artigos, e repetimos agora: os Illuminati decidiram há muito tempo que todos os muçulmanos devem ser aniquilados, porque estão tão profundamente enraizados no monoteísmo de sua religião que nunca poderiam aceitar as afirmações do Cristo da Nova Era, o Anticristo bíblico.

Podemos estar testemunhando o início de uma batalha épica: as potências do Ocidente versus o Islã.

Há muito tempo eles declararam guerra contra os ocidentais.

Perdas Estratégicas Militares: Os EUA e a Grã-Bretanha poderão perder tanto apoio nos países a partir dos quais os aviões decolariam que podem até mesmo perder suas bases militares nesses países aliados. Os EUA poderão descobrir que as únicas plataformas confiáveis para seus aviões são os porta-aviões. Dado o novo armamento antinavios que os chineses forneceram ao Irã, podemos considerar que nem mesmo os porta-aviões estarão seguros.

Os países no Oriente Médio em que existem bases aéreas norte-americanas, e a partir das quais os EUA planejam lançar os ataques contra o Afeganistão são:

Turquia: Esse governo pró-ocidental colocou todas suas bases aéreas à disposição das forças ocidentais. Conforme informamos no artigo N1409, "O Governo Pró-Ocidente da Turquia Deverá Cair — O Cumprimento das Profecias Parece Requerer Isso", a Turquia será uma das nações que enviarão tropas para a invasão de Israel, predita em Ezequiel 38-39. Assim sendo, o atual governo turco pró-ocidente deverá cair em breve nas mãos dos militantes islâmicos. Talvez eles se levantem para derrubar o atual governo quando virem aviões ocidentais atacando os guerrilheiros islâmicos a partir das bases turcas.

A DEBKAfile informou que os aviões norte-americanos já estão partindo da base aérea Príncipe Sultan, na Arábia Saudita, para as bases na Turquia:

"Alguns dos caças, que estavam baseados na Arábia Saudita, foram transferidos para Incerlik, a grande base aérea no sul da Turquia, após o governo de Ankara ter disponibilizado todas suas bases para o empenho de guerra norte-americano..." [Ibidem].

Conforme dissemos em artigos anteriores, há tempos que a KGB atua ativamente na Turquia, tentando desestabilizar o governo pró-Ocidente e substituí-lo por um governo de militância islâmica [conheça os detalhes lendo o artigo N1409, referido anteriormente]. Precisamos observar de perto a Turquia, pois quando seu governo pró-Ocidente cair e for substituído por um governo de militância islâmica, a profecia bíblica estará sendo cumprida bem diante dos nossos olhos, nas notícias do dia-a-dia. Atualmente, a Turquia é a única nação relacionada na profecia bíblica de Ezequiel 38-39 que ainda não está na órbita árabe-russa.

Kuwait: Este país está tão solidamente na órbita americana, graças à libertação em 1990-91 na Guerra do Golfo, que é simplesmente inconcebível que se volte contra os EUA. Mesmo assim, quando a "bomba" da militância islâmica explodir na sua população, quem pode saber se ele sairá ou não da aliança ocidental?

Bahrein: Aviões e cargueiros norte-americanos transportando suprimentos usarão o Bahrein. Esse pequeno país parece seguro na órbita ocidental, pelo menos por enquanto.

Omã: Este pequeno país está permitindo que as forças aéreas ocidentais operem a partir de sua base aérea em Muscat, na extremidade nordeste. O Omã faz fronteira com o Iêmen, cuja população está repleta de aderentes militantes islâmicos. Lembre-se, foi em um porto iemenita que o destróier USS Cole foi atacado. As forças iemenitas estão ativamente massacrando os cristãos já há algum tempo.

Assim sendo, você sabe que a população do Omã é formada por uma grande porcentagem de militantes islâmicos. Observe esse país, pois ele poderá ser arrastado pela enxurrada do fanatismo islâmico.

Emirados Árabes Unidos: Este país minúsculo, que tem fronteira com o Omã e com a Arábia Saudita, está permitindo que as forças ocidentais utilizem sua base em Abu Dhabi. Esse pequeno país pode ter militantes muçulmanos suficientes dentro de suas fronteiras para que seu governo caia.

Paquistão: Este país está absolutamente REPLETO de militantes islâmicos que já protestaram energicamente contra a guerra de Bush contra o Afeganistão por causa do terrorismo. Os muçulmanos em protesto já encheram as ruas de Islamabad, até mesmo queimando fotografias do presidente Bush. Se a ditadura militar pró-Ocidente do Paquistão cair nas mãos dos militantes islâmicos, as potenciais perdas militares serão assustadoras, pois o Paquistão possui capacidade bélica nuclear. O primeiro alvo que os oficiais de um novo governo de militância islâmica iriam querer atacar com o armamento nuclear seria preferivelmente Israel. A transferência dessas unidades paquistanesas com capacidade nuclear para as forças que lutam contra Israel poderia começar imediatamente.

Perdas Estratégicas Econômicas: A Arábia Saudita é a maior produtora mundial de petróleo; assim sendo, sempre foi a força dominante da OPEP. Caso se torne antiocidente, você pode ter certeza que o preço do petróleo subirá. Se militantes islâmicos tomarem algum dos menores países da OPEP citados, o choque do petróleo provavelmente será usado neste conflito vindouro. Até o presidente da Venezuela agora é um militante comunista pró-Castro, com maior tendência de ficar ao lado da Arábia Saudita.

No mínimo, prepare-se para uma alta exorbitante no preço do petróleo, agravando ainda mais a recessão econômica. Veremos um retorno da recessão de 1972-3, provocada pelo embargo do petróleo que a OPEP impôs após a vitória de Israel na Guerra do Yom Kippur, em 1973.

Os Illuminati planejam que o período de treze semanas de problemas, guerras, pânico e tumultos urbanos que atormentarão tanto os povos do mundo que aceitarão o Anticristo, inclua um embargo do petróleo da OPEP. Esteja pronto para isso e não se surpreenda quando ocorrer. O cenário mais provável é que tal embargo inicie assim que a guerra começar seriamente entre Israel e seus vizinhos árabes.

Conclusão

Quando o príncipe Abdullah mudou a postura pró-Ocidente do governo saudita, essa foi uma enorme mudança e as implicações serão igualmente enormes. O primeiro visitante estrangeiro que o príncipe recebeu após o assim chamado "golpe palaciano" não foi ninguém menos que Yasser Arafat, o líder terrorista palestino de grande renome. Arafat estava provavelmente atrás de dinheiro e de apoio. Ele deve acreditar que a Arábia Saudita possa influenciar os EUA, por meio da OPEP, forçando-os a pressionar Israel a fazer concessões aos palestinos.

É bem possível que essa tremenda mudança no governo da Arábia Saudita seja a primeira indicação de uma inundação de militantismo islâmico que em breve derrubará a maioria dos demais estados da região. Caso isso ocorra, você pode apostar seu último centavo que o Ocidente será repentinamente confrontado por estados muçulmanos tão radicais que não temerão a morte até o seu último homem em sua Guerra Santa contra o Grande Satã do Ocidente.

Neste ponto, o Iluminismo ocidental terá apenas duas opções: virar e sair da região ou aniquilar estados islâmicos inteiros com armamento não-convencional superior: armas nucleares, bombas de nêutrons, armas químicas e biológicas. Nesse ponto, o plano dos Illuminati de erradicar mais de um bilhão de muçulmanos começará a ser colocado em prática.

Além disso, o mundo se encontrará então diante das ameaças mortais dos julgamentos de Deus. Veja:

"E mostrarei prodígios no céu, e na terra, sangue e fogo, e colunas de fumaça. O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor." [Joel 2:30-31].

Observe que a cena ocorre no Oriente Médio, nas nações ao redor de Israel. Observe também que essa é uma descrição perfeita dos efeitos da explosão de uma bomba nuclear.

"Proclamai isto entre os gentios; preparai a guerra, suscitai os fortes; cheguem-se, subam todos os homens de guerra. Forjai espadas das vossas enxadas, e lanças das vossas foices; diga o fraco: Eu sou forte. Ajuntai-vos, e vinde, todos os gentios em redor, e congregai-vos. Ó SENHOR, faze descer ali os teus fortes; Suscitem-se os gentios, e subam ao vale de Jeosafá; pois ali me assentarei para julgar todos os gentios em redor. Lançai a foice, porque já está madura a seara; vinde, descei, porque o lagar está cheio, e os vasos dos lagares transbordam, porque a sua malícia é grande. Multidões, multidões no vale da decisão; porque o dia do SENHOR está perto, no vale da decisão." [Joel 3:9-14].

"Multidões no vale da decisão", no "vale de Jeosafá", que é um termo genérico para o Oriente Médio. A hora parece mais próxima do que nunca. Observe Israel, pois é a chave para os eventos mundiais do fim dos tempos.



Você está preparado espiritualmente? Sua família está preparada? Você está protegendo seus amados da forma adequada? Esta é a razão deste ministério, fazê-lo compreender os perigos iminentes e depois ajudá-lo a criar estratégias para advertir e proteger seus amados. Após estar bem treinado, você também pode usar seu conhecimento como um modo de abrir a porta de discussão com uma pessoa que ainda não conheça o plano da salvação. Já pude fazer isso muitas vezes e vi pessoas receberem Jesus Cristo em seus corações. Estes tempos difíceis em que vivemos também são tempos em que podemos anunciar Jesus Cristo a muitas pessoas.

Se você recebeu Jesus Cristo como seu Salvador pessoal, mas vive uma vida espiritual morna, precisa pedir perdão e renovar seus compromissos. Ele o perdoará imediatamente e encherá seu coração com a alegria do Espírito Santo de Deus. Em seguida, você precisa iniciar uma vida diária de comunhão, com oração e estudo da Bíblia.

Se você nunca colocou sua confiança em Jesus Cristo como Salvador, mas entendeu que ele é real e que o fim dos tempos está próximo, e quer receber o Dom Gratuito da Vida Eterna, pode fazer isso agora, na privacidade do seu lar. Após confiar em Jesus Cristo como seu Salvador, você nasce de novo espiritualmente e passa a ter a certeza da vida eterna nos céus, como se já estivesse lá. Assim, pode ter a certeza de que o Reino do Anticristo não o tocará espiritualmente. Se quiser saber como nascer de novo, vá para nossa Página da Salvação agora.

Esperamos que este ministério seja uma bênção em sua vida. Nosso propósito é educar e advertir as pessoas, para que vejam a vindoura Nova Ordem Mundial, o Reino do Anticristo, nas notícias do dia-a-dia.

Fale conosco direcionando sua mensagem a um dos membros da equipe de voluntários.

Se desejar visitar o site "The Cutting Edge", dê um clique aqui: http://www.cuttingedge.org

Que Deus o abençoe.

Tradução: Eduardo Perez Neto
Data da publicação: 6/10/2001
Patrocinado por: J. S. L. e M. R. D. S. L. — Sorocaba / SP
Revisão: http://www.TextoExato.com
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/n1546.asp