Escolha uma cor para o fundo:  

Iniciado o Condicionamento Para a Aceitação do Uso das Armas Nucleares

Recursos úteis para sua maior compreensão

Título do Livro 1


Título do Livro 2


Título do Livro 3

O uso de armas nucleares é uma verdadeira Caixa de Pandora, que poderá ser aberta em breve.

A Nova Ordem Mundial está chegando! Você está preparado?

Compreendendo o que realmente é essa Nova Ordem Mundial, e como está sendo implementada gradualmente, você poderá ver o progresso dela nas notícias do dia-a-dia!!

Aprenda a proteger a si mesmo e aos seus amados!

Após ler nossos artigos, você nunca mais verá as notícias da mesma forma

Agora você está com a
"THE CUTTING EDGE"

Desde o lançamento das bombas atômicas sobre Hiroshima e Nagasaki para finalizar a Segunda Guerra Mundial, os líderes de todos os países aceitaram o fato que uma enorme linha vermelha tinha sido traçada no chão e que nunca ninguém deveria ultrapassar; essa linha foi traçada para que nenhum líder se atreva a ser o primeiro a usar as armas nucleares novamente. Essa linha vermelha serviu bem ao mundo, mantendo o gênio nuclear dentro da garrafa, embora as ogivas nucleares e os mísseis que as transportam tenham se tornado cada vez mais sofisticados.

Durante todo o período de quarenta anos da Guerra Fria, essa linha vermelha nunca foi ultrapassada. Mesmo quando as forças americanas e russas estiveram lutando em outros países, nenhuma delas pensou em utilizar o armamento nuclear, por temor que a guerra se alastrasse de modo que as superpotências terminassem se enfrentando com armas nucleares.

Em diversas ocasiões, as forças russas e americanas enfrentaram-se, e a população mundial literalmente prendeu a respiração, aguardando que as bombas nucleares começassem a cair. Os dois principais eventos que vêm à mente são a Crise dos Mísseis em Cuba e a Guerra do Yom Kippur, em 1973.

A Rússia e os EUA conseguiram se confrontar durante quarenta anos difíceis enquanto criavam uma força nuclear de alta tecnologia. No entanto, nenhum dos dois lados esteve disposto a ultrapassar a grande linha vermelha.

Entretanto, a Bíblia diz que as armas de destruição em massa serão usadas no fim dos tempos, tanto antes quanto após o início do período de sete anos da Tribulação. Vamos revisar essas profecias, pois o cumprimento delas parece estar diante de nós.

Armas Nucleares Usadas Antes do Aparecimento do Anticristo

"E mostrarei prodígios no céu, e na terra, sangue e fogo, e colunas de fumaça. O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes que venha o grande e terrível dia do SENHOR." [Joel 2:30-31].

Essa é uma descrição perfeita da guerra nuclear. As explosões atômicas certamente produzem "prodígios no céu e fogo". Na verdade, a bola de fogo produzida por uma ogiva nuclear no local em que é detonada tem uma temperatura mais elevada que a superfície do sol. As explosões nucleares lançam poeira e outras partículas na atmosfera, tornando a lua vermelha e algumas vezes obscurecendo o sol. Além disso, o armamento nuclear produz "colunas de fumaça" branca na vertical que sobem por centenas de metros no ar.

Desde o advento do armamento nuclear, os eruditos bíblicos estão absolutamente convencidos que essa descrição encaixa-se perfeitamente com as conseqüências do uso da bomba atômica. No entanto, o mais importante é que o tempo profetizado para isso ocorrer requer um exame atento. Observe que essa guerra nuclear ocorrerá "antes que venha o grande e terrível dia do SENHOR". Em outras palavras, a guerra nuclear provavelmente ocorrerá antes de o Anticristo aparecer na cena mundial, pois seu aparecimento inicia "o grande e terrível dia do SENHOR".

Para ver esse fato, precisamos apenas ler Apocalipse 6:1, que descreve o início dos julgamentos de Deus. O que a maioria das pessoas não entende é que o aparecimento do Anticristo é o início do julgamento. Essa passagem em Joel parece indicar que a guerra nuclear ocorrerá "antes" do aparecimento do Anticristo.

O próximo capítulo de Joel nos diz onde essa guerra nuclear ocorrerá. Veja:

"Porque, eis que naqueles dias, e naquele tempo, em que removerei o cativeiro de Judá e de Jerusalém." [Joel 3:1].

A história registra a data específica em que essa profecia foi cumprida: 15 de maio de 1948, quando Israel voltou à sua terra como uma nação. Você pode escrever "Cumpriu-se em 15/5/1948" nas margens de sua Bíblia.

Agora, Deus nos diz o que fará após Israel retornar à sua terra: "Congregarei todas as nações, e as farei descer ao vale de Jeosafá; e ali com elas entrarei em juízo, por causa do meu povo, e da minha herança, Israel, a quem elas espalharam entre as nações e repartiram a minha terra." [Joel 3:2].

O termo "vale de Jeosafá" significa o Oriente Médio. Assim, Deus está dizendo que começará a trazer todas as nações do mundo ao Oriente Médio para o julgamento. Não é exatamente isso o que está acontecendo nas notícias do dia-a-dia?

Deus então nos diz que forma seu julgamento terá. Deus usou muitas formas de julgamento na história; usou o dilúvio global, fogo, enxofre e gafanhotos, para citar apenas alguns. Entretanto, Deus pretende usar a guerra entre as nações no Oriente Médio para executar esse julgamento, como revela em Joel 3:9-10:

"Proclamai isto entre os gentios; preparai a guerra, suscitai os fortes; cheguem-se, subam todos os homens de guerra. Forjai espadas das vossas enxadas, e lanças das vossas foices; diga o fraco: Eu sou forte."

Novamente, não é exatamente o que estamos vendo nas notícias do dia-a-dia? Muitas nações estão deslocando suas forças armadas para o Oriente Médio, incluindo todas as principais nações.

Jerusalém Terá um Papel Muito Importante Nessas Guerras Finais

Em Zacarias 12, Deus diz que transformará Jerusalém na localização mais importante na Terra no fim dos tempos:

"Eis que eu farei de Jerusalém um copo de tremor para todos os povos em redor, e também para Judá, durante o cerco contra Jerusalém. E acontecerá naquele dia que farei de Jerusalém uma pedra pesada para todos os povos; todos os que a carregarem certamente serão despedaçados; e ajuntar-se-ão contra ela todo o povo da terra." [Zacarias 12:2-3].

Novamente, essa profecia parece leitura do jornal do dia! Todos os dias encontramos notícias de conflitos entre árabes e israelenses. Os palestinos estão atacando Israel diariamente, homens-bomba suicidas estão infligindo carnificina entre homens, mulheres e crianças inocentes que estão nos centros comerciais, ou comendo em uma pizzaria. Ultimamente, as Forças Israelenses de Defesa estão contra-atacando, invadindo as áreas palestinas de onde os ataques foram realizados.

A Síria, o Irã, o Iraque e o Egito todos tiveram sua vez em fomentar o terror contra Israel, ou em ameaçar com guerra se suas exigências não fossem atendidas. A milícia terrorista Hezbolá, ultimamente apoiada pela Síria, transformou-se de grupo terrorista para praticamente um exército regular, e está concentrada na fronteira do Líbano, ao norte de Israel.

Os EUA estão agora liderando uma coalizão internacional contra o terrorismo e estão agrupando suas forças no Afeganistão. A Rússia transformou-se subitamente de inimiga em aliada e está oferecendo apoio ao plano do presidente Bush contra Osama Bin Laden, mas de acordo com os informes da Inteligência, também disse a Bush que ele pode usar armas nucleares e bombas de nêutrons!

Ao voltarmos ao assunto da importância que Jerusalém assumirá nos últimos dias, vemos profecias ainda mais chocantes. Deus diz:

"Naquele dia, diz o SENHOR, ferirei de espanto a todos os cavalos, e de loucura os que montam neles; mas sobre a casa de Judá abrirei os meus olhos, e ferirei de cegueira a todos os cavalos dos povos." [Zacarias 12:4].

Durante essas muitas guerras contra Jerusalém, Deus olhará com favor a cidade e seus habitantes e fará alguma forma de loucura vir sobre os soldados dos exércitos agressores para que Jerusalém seja salva. Somente podemos lembrar a profecia em Daniel 12:1, que diz:

"E naquele tempo se levantará Miguel, o grande príncipe, que se levanta a favor dos filhos do teu povo, e haverá um tempo de angústia, qual nunca houve, desde que houve nação até àquele tempo; mas naquele tempo livrar-se-á o teu povo, todo aquele que for achado escrito no livro."

Na profecia bíblica, quando um ser angélico se "levanta" é porque está entrando em ação. Quando tal ser é mostrado "sentado", significa que a situação está sob controle. Assim, a figura aqui é que a situação concernente a Israel estará saindo de controle, de modo que Miguel, o anjo guardião de Israel, precisará se "levantar" para defendê-lo de seus inimigos. Devido a essa proteção angélica, Jerusalém estará adequadamente defendida.

Deus também detalha como defenderá Jerusalém:

"Naquele dia porei os governadores de Judá como um braseiro ardente no meio da lenha, e como um facho de fogo entre gavelas; e à direita e à esquerda consumirão a todos os povos em redor, e Jerusalém será habitada outra vez no seu lugar, em Jerusalém." [Zacarias 12:6].

Em Israel atualmente, a maioria dos autores e repórteres seculares estão absolutamente desesperados com relação à atual luta contra os palestinos. O autor israelense Barry Chamish intitulou um de seus artigos, "Israel Está em Chamas e Não Terá Muito Tempo de Vida". Obviamente, Chamish não crê nas Escrituras hebraicas, porque Israel nunca será derrotado e certamente nunca será destruído. Deus deixa essa questão bem clara. Veja:

"Naquele dia o SENHOR protegerá os habitantes de Jerusalém; e o mais fraco dentre eles naquele dia será como Davi, e a casa de Davi será como Deus, como o anjo do SENHOR diante deles. E acontecerá naquele dia, que procurarei destruir todas as nações que vierem contra Jerusalém." [Zacarias 12:8-9].

Deus parece dizer que deliberadamente fará os exércitos estrangeiros virem contra Jerusalém apenas para que possa destruí-los. Realmente, acreditamos que tal seja o caso. Deus está usando Jerusalém como uma bigorna contra a qual ele baterá nas nações agressoras até levá-las à submissão, no julgamento divino. Agora que os EUA estão deslocando suas poderosas forças armadas, equipadas com armamento de alta tecnologia, para as proximidades do Afeganistão, lembre-se que a nação-chave no Oriente Médio é Israel; não os poderosos EUA, mas Israel. Os EUA nem mesmo são mencionados nas profecias do fim dos tempos no Oriente Médio, mas Israel é literalmente a bigorna e Deus está punindo as nações por causa do modo como trataram os judeus nos últimos 3.000 anos.

Os EUA vão desaparecer na tela de radar do fim dos tempos, mas o pequeno Israel dominará a cena.

Muito Condicionamento Para o Uso de Armas Nucleares

Essas informações nos levam de volta ao nosso principal assunto: O presidente norte-americano George W. Bush está sendo incentivado a cruzar essa enorme linha vermelha e usar armas nucleares contra o Taleban no Afeganistão! Veja:

Resumo da Notícia: "A Opção Nuclear", por Cal Thomas, Jewish World Review, 2/11/2001, http://www.NewsAndOpinion.com.

"O Subsecretário da Defesa Paul Wolfowitz disse ao The London Telegraph na semana passada que a Grã-Bretanha e os EUA devem esperar um ataque em larga escala com armas químicas e biológicas contra alvos civis pelo grupo terrorista de Osama Bin Laden. O objetivo, disse Wolfowitz, é provocar dezenas de milhares de mortes."

Se essa previsão estiver baseada em inteligência sólida, o presidente Bush deve considerar imitar seu antecessor, Harry Truman, e empregar o uso de pelo menos armas nucleares táticas contra o Taleban se concluir que tal arma possa produzir melhores resultados que a atual campanha de bombardeio. Se esta é uma guerra, por que não usar todos os recursos disponíveis?

Esse é o mesmo Subsecretário Paul Wolfowitz que em 13 de setembro, apenas dois dias após o ataque ao World Trade Center, disse: "A América usará todas as armas em seu arsenal". Logicamente, a palavra "todas" inclui as armas nucleares, desse modo dando-nos uma excelente visão das intenções finais dos nossos governantes. Agora, é possível que o presidente pretenda usar as armas nucleares contra o Taleban, ultrapassando assim aquela enorme linha vermelha? O mundo está há mais de 56 anos sem ver o uso das armas nucleares, mas Deus pode estar agindo para fazer os líderes nacionais usarem essas armas nestes últimos dias.

Quando vi essa citação do subsecretário Paul Wolfowitz em 13 de setembro, ergui-me imediatamente da cadeira, pois conhecia essa profecia em Joel 2, que fala sobe o uso de armas nucleares no Oriente Médio, e estava imaginando exatamente como esse uso ocorreria. Acredito que estejamos vendo as profecias bíblicas serem sistematicamente cumpridas nas notícias do dia-a-dia!

Cal Thomas então descreve como o Taleban é formado por fanáticos religiosos, similar ao fanatismo dos japoneses durante a Segunda Guerra Mundial e como os japoneses planejaram o uso de todos os meios possíveis de matar cada soldado americano quando ocorresse a invasão ao Japão. Quando o presidente Truman usou armas nucleares contra o Japão, encerrou a guerra sem precisar invadir fisicamente, e justificou dizendo que estava salvando as vidas de dezenas de milhares de soldados americanos.

Thomas compara a guerra e a situação atuais no Afeganistão com as que o presidente Truman enfrentou quando decidiu usar a bomba atômica. Certamente, as forças americanas estão enfrentando um inimigo muito difícil em um terreno inóspito. Na verdade, os generais do Pentágono sabem muito bem que as tropas russas de elite não conseguiram derrotar os afegãos em uma campanha militar que durou vários anos. As tropas americanas de elite não são significativamente melhores que as russas; no entanto, os generais americanos parecem ter um senso de confiança que contradiz a força dos fatos.

Nas semanas e dias após os ataques de 11 de setembro, cheguei à conclusão que o presidente Bush pode estar planejando usar as armas de destruição em massa. Cheguei a essa conclusão com base em dois fatores:

Primeiro, o Subsecretário Wolfowitz disse claramente que a América usaria "todas" as armas em seu arsenal. Ele poderia também ter dito, "A América usará armas convencionais e armas de destruição em massa". Wolfowitz também não tem a "língua solta"; é considerado um dos cinco assessores mais importantes do presidente Bush. Após ele fazer essa declaração, ninguém no governo Bush tentou fazer uma "clarificação".

Segundo, descobri que o inverno no Afeganistão começa no final de outubro ou no início de novembro. Portanto, se as forças americanas estivessem planejando vencer essa guerra usando armas convencionais, precisariam invadir imediatamente, pois a cada dia o inverno rigoroso se aproxima mais, e a neve de até seis metros fecha totalmente a região montanhosa no interior do país.

No entanto, inexplicavelmente, o presidente Bush dedicou seu precioso tempo construindo sua coalizão internacional contra o terrorismo. Quando as forças americanas iniciaram o ataque, quase trinta dias depois, a neve já estava caindo em algumas regiões do Afeganistão. À medida que os dias foram transcorrendo, tive a terrível impressão que o motivo pelo qual o presidente Bush estava perdendo tempo precioso para iniciar o ataque é que estava planejando usar armas não-convencionais. Não pode haver outra conclusão lógica para explicar por que Bush não estava demonstrando pressa para iniciar a guerra. Essa conclusão pessoal foi corroborada pelos comentários de Wolfowitz.

Se o presidente Bush realmente usar armas nucleares contra o Afeganistão, então a Caixa de Pandora estará sendo aberta e escancarada. Outros países que possuem as armas nucleares poderão achar que agora estão livres para usar suas próprias armas não-convencionais. Assim, o Iraque poderá lançar um ataque a Israel usando armas químicas, biológicas e nucleares. A Rússia poderia se sentir livre para utilizar armas nucleares ou bombas de nêutrons contra os muçulmanos rebeldes na Chechênia. A Índia poderia se sentir livre para atacar o Paquistão com armas nucleares.

Mas, mais importante, Israel poderia se sentir livre para usar as armas de destruição em massa contra os palestinos. No artigo N1123 "Israel Threatens To Use Neutron Bomb" (não-traduzido), chamamos sua atenção para o fato que em Obadias 15-18, Deus prediz a total destruição da Casa de Esaú. Como os palestinos são a Casa de Esaú, essa profecia prediz a total aniquilação deles. Desde o início de novembro de 2000, as Forças Israelenses de Defesa estão tomando todos os passos necessários para realizar esse ataque: já ergueram cercas em volta das cidades palestinas e, em alguns casos, cavaram enormes valas antitanque em volta das cercas. Essa separação física garantiria que, quando o tempo para a destruição chegar, as FID poderão rápida e eficientemente reter todos os palestinos em suas cidades e ao mesmo tempo manter todos os judeus fora das zonas-alvo. Entretanto, como Obadias especifica que os palestinos serão destruídos por um "fogo", os israelenses poderão usar a "Bomba de Combustão Aérea", em vez de uma arma nuclear ou a bomba de nêutrons. Discutimos essa possibilidade no artigo N1422, "A Vindoura Aniquilação do Povo Palestino", que inclui uma animação gráfica que demonstra os efeitos dessa bomba.

Se os EUA usarem bombas nucleares ou de nêutrons contra o Afeganistão, todas as forças poderão emergir do Inferno. Todo o Oriente Médio poderá explodir de tal maneira com a guerra nuclear que faria Joel 2:30-31 ser cumprido literalmente. "E mostrarei prodígios no céu, e na terra, sangue e fogo, e colunas de fumaça. O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes que venha o grande e terrível dia do SENHOR."

Acredito que seja altamente provável que essa proposta para que Bush utilize armas nucleares no Afeganistão possa ser a primeira etapa em uma campanha muito eficiente de condicionamento chamada "Plano das Seis Etapas Para a Mudança do Comportamento" [Leia os detalhes completos sobre o funcionamento desse plano insidioso no artigo N1055]. Esse plano para mudança gradual opera assim:

O Plano das Seis Etapas para a Mudança de Comportamento

Etapa 1. Alguma prática tão ofensiva que nem deveria ser discutida em público é defendida por um especialista respeitado em um fórum respeitável.

Etapa 2. A princípio, o público fica chocado, depois indignado.

Etapa 3. Entretanto, o simples fato de tal coisa ter sido debatida em público torna-se o assunto do debate.

Etapa 4. No processo, a repetição prolongada do assunto chocante em discussão gradualmente vai anulando seu efeito.

Etapa 5. As pessoas não ficam mais chocadas com o assunto.

Etapa 6. Não mais indignadas, as pessoas começam a debater posições para moderar o extremo, ou aceitam a premissa, procurando, os modos de atingi-la.

Esse método insidioso de mudar as mais profundas atitudes das pessoas está sendo direcionado com sucesso sobre a população. Milhões de pessoas estão mudando de atitude em uma grande variedade de assuntos. Essa mudança é essencial para alcançar a Nova Ordem Mundial.

O artigo de Cal Thomas pode representar a Etapa 1 desse Plano de Seis Etapas Para a Mudança do Comportamento! Se esse for o caso, podemos especular quais serão as demais etapas.

Etapa 2. A princípio, o público fica chocado, depois indignado — Poderemos ver outras pessoas com algum senso comum contra-atacarem a proposta. Poderemos ver Thomas e alguns de seus detratores serem entrevistados na televisão. Ele poderá até mesmo ser massacrado no debate pelos seus oponentes.

Etapa 3. No entanto, o simples fato de tal coisa ter sido debatida publicamente torna-se o assunto do debate. Em outras palavras, o foco do debate muda ligeiramente. Em vez de se aterem aos fatos, prós e contras, os debatedores começarão a falar sobre como é maravilhoso poderem discutir o assunto. Adicionalmente, muito ar quente será gasto no debate sobre questões que não são relevantes ao assunto, mas que servem somente para obscurecer o assunto real e confundir as mentes dos ouvintes medianos.

Etapa 4. No processo, a repetição prolongada do assunto chocante em discussão gradualmente vai anulando seu efeito. Essa etapa é a mais importante de todas. A repetição do assunto controverso é absolutamente necessária. Na realidade, a repetição é tão importante que os agentes da mudança estarão dispostos até a serem massacrados pelos seus oponentes no debate, apenas para que a repetição avance.

Etapa 5. As pessoas não ficam mais chocadas com o assunto. A repetição alcançou seu resultado desejado; as pessoas não estão mais chocadas pelo assunto controverso. Agora, estão preparadas para receber o golpe final.

Etapa 6. Não mais indignadas, as pessoas começam a debater posições para moderar o extremo, ou aceitam a premissa, procurando os modos de alcançá-la. Neste momento, algum "gênio" entra em cena e oferece uma "contemporização". O assunto controverso será permitido, mas somente sob "rígidos controles". Os opositores do assunto controverso se dirigirão aos seus seguidores e lhes dirão que, se não aceitarem a contemporização, perderão por uma margem maior, e o assunto controverso será praticado ainda mais do que permitido pela contemporização. Os agentes da mudança resmungarão e lamentarão publicamente, mas em particular, estão exultantes, pois sabem que, uma vez que a porta que proibia o assunto for aberta só um pouquinho, não demorará muito para a prática seja liberada com pouca ou nenhuma restrição.

Foi exatamente assim que a Batalha do Aborto foi perdida. No início dos anos 1960, os agentes da mudança começaram a argumentar que o aborto deveria ser permitido sob todas as circunstâncias. Os oponentes argumentaram que o aborto era uma forma de homicídio e não deveria ser permitido em hipótese alguma. Depois de certo tempo, alguém entrou em cena e propôs uma contemporização. O aborto seria legalizado, mas somente sob circunstâncias muito especiais; seria permitido apenas para salvar a vida da mãe, ou em casos de incesto ou de estupro.

Os defensores apertavam suas mãos, queixando-se publicamente que as mulheres mereciam algo melhor, mas aquilo era o melhor que pôde ser obtido. Privadamente, todavia, estavam exultantes, porque sabiam que tinham acabado de forçar a porta apenas um pouquinho; sabiam que o tempo estava do seu lado agora, e seria apenas uma questão de tempo para poderem escancarar a porta, permitindo o aborto irrestrito sempre que desejado pela mulher.

Os líderes da oposição, enquanto isso, não desconfiavam do que tinham acabado de fazer. Publicamente, estavam satisfeitos, dizendo que tinham conseguido evitar um cenário muito pior. Em vez de concordar com o aborto totalmente livre, limitaram o dano a apenas um número muito restrito de casos em que o aborto poderia ser realizado. Esses líderes não perceberam que tinham acabado de aceitar uma derrota adiada.

Se o artigo provocativo de Cal Thomas foi a primeira ação para colocar em marcha o Plano das Seis Etapas Para a Mudança do Comportamento, devemos esperar ver mais pessoas defendendo essa proposta. O debate será iniciado.

E, se o presidente Bush utilizar armas nucleares contra o Taleban, o gênio demoníaco dessa arma estará realmente fora da garrafa. Joel 2:30-31 tornar-se-á realidade:

"E mostrarei prodígios no céu, e na terra, sangue e fogo, e colunas de fumaça. O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes que venha o grande e terrível dia do SENHOR."



Você está preparado espiritualmente? Sua família está preparada? Você está protegendo seus amados da forma adequada? Esta é a razão deste ministério, fazê-lo compreender os perigos iminentes e depois ajudá-lo a criar estratégias para advertir e proteger seus amados. Após estar bem treinado, você também pode usar seu conhecimento como um modo de abrir a porta de discussão com uma pessoa que ainda não conheça o plano da salvação. Já pude fazer isso muitas vezes e vi pessoas receberem Jesus Cristo em seus corações. Estes tempos difíceis em que vivemos também são tempos em que podemos anunciar Jesus Cristo a muitas pessoas.

Se você recebeu Jesus Cristo como seu Salvador pessoal, mas vive uma vida espiritual morna, precisa pedir perdão e renovar seus compromissos. Ele o perdoará imediatamente e encherá seu coração com a alegria do Espírito Santo de Deus. Em seguida, você precisa iniciar uma vida diária de comunhão, com oração e estudo da Bíblia.

Se você nunca colocou sua confiança em Jesus Cristo como Salvador, mas entendeu que ele é real e que o fim dos tempos está próximo, e quer receber o Dom Gratuito da Vida Eterna, pode fazer isso agora, na privacidade do seu lar. Após confiar em Jesus Cristo como seu Salvador, você nasce de novo espiritualmente e passa a ter a certeza da vida eterna nos céus, como se já estivesse lá. Assim, pode ter a certeza de que o Reino do Anticristo não o tocará espiritualmente. Se quiser saber como nascer de novo, vá para nossa Página da Salvação agora.

Esperamos que este ministério seja uma bênção em sua vida. Nosso propósito é educar e advertir as pessoas, para que vejam a vindoura Nova Ordem Mundial, o Reino do Anticristo, nas notícias do dia-a-dia.

Fale conosco direcionando sua mensagem a um dos membros da equipe de voluntários.

Se desejar visitar o site "The Cutting Edge", dê um clique aqui: http://www.cuttingedge.org

Que Deus o abençoe.

Data da publicação: 20/11/2001
Patrocinado por: S. F. F. C. — Vargem Grande Paulista / SP
Revisão: http://www.TextoExato.com
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/n1572.asp