Escolha uma cor para o fundo:  

Israel Fica à Beira da Guerra Total Após Ataques Terroristas Sem Precedentes

Recursos úteis para sua maior compreensão

Título do Livro 1


Título do Livro 2


Título do Livro 3

Israel poderá ser o país que abrirá a segunda frente na guerra contra o terrorismo. Examinamos diversos cenários possíveis que poderão se desdobrar após a recente onda de ataques terroristas.

A Nova Ordem Mundial está chegando! Você está preparado?

Compreendendo o que realmente é essa Nova Ordem Mundial, e como está sendo implementada gradualmente, você poderá ver o progresso dela nas notícias do dia-a-dia!!

Aprenda a proteger a si mesmo e aos seus amados!

Após ler nossos artigos, você nunca mais verá as notícias da mesma forma

Agora você está com a
"THE CUTTING EDGE"

Resumo da Notícia: "Três Ataques Terroristas Maciços em Jerusalém", DEBKAfile, 2/12/2001.

"Terroristas Atacam Centro de Lazer em Jerusalém — Os cafés, bares e restaurantes da principal área comercial na região central de Jerusalém estavam repletos de jovens em uma noite comum de sábado, quando dois homens-bomba suicidas acionaram seus explosivos no meio da multidão. Em segundos, a rua comercial Ben Yehuda, próxima à Praça de Sião, foi tomada por gritos, membros despedaçados espalhados por toda a parte, poças de sangue, uma versão ampliada da cena vista duas vezes nesta semana — uma vez em um ônibus na rodoviária Afula e em outro ônibus na linha Nazaré-Tel Aviv. Mas isso ainda não era tudo. Enquanto as equipes de resgate, apoiadas por dezenas de ambulâncias, corriam para socorrer as dezenas de feridos, um carro velho explodiu a 80 metros de distância dos suicidas, aumentando ainda mais a carnificina."

Essa "carnificina" resultou na morte de 26 israelenses e em mais de 200 feridos. Os homens-bomba suicidas carregavam um novo tipo de explosivo muito mais poderoso e devastador. Adolescentes de apenas 14 anos de idade, que se divertiam após completarem os serviços religiosos do sábado, foram despedaçados pelas súbitas explosões; além disso, a natureza desse ataque revela que os terroristas eram muito mais sofisticados que os homens-bomba suicidas palestinos do passado. Eles usaram bombas sofisticadas, coordenaram seus movimentos bem melhor do que antes, e até tinham um carro por perto para levar os líderes do atentado a um lugar seguro!

Esse tipo de sofisticação sugere fortemente que Arafat estava cooperando com uma organização terrorista patrocinada pelo estado; os serviços de Inteligência de Israel dizem que o Hezbolá (ou Hezbollah, grupo islâmico radical) é o responsável pelo atentado e, é claro, a Síria apóia o Hezbolá. Como o Hezbolá posicionou forças paramilitares no extremo sul do Líbano, devemos olhar para o norte para ver qualquer resposta que esteja fora de Israel.

Antes, porém, o primeiro-ministro Sharon e seu gabinete precisam decidir o que fazer com os palestinos. Arafat já "prometeu" publicamente diversas vezes "punir" os extremistas islâmicos que residem dentro do território controlado pela Autoridade Palestina. Entretanto, quando as Forças de Segurança da AP "punem" esses extremistas, elas simplesmente os mantêm detidos por alguns dias e depois caladamente os colocam em liberdade. Portanto, precisamos encarar a promessa atual de Arafat de "punir" os extremistas com muita reserva. Vamos revisar o próximo artigo com essa idéia em mente.

"Sharon busca a aprovação de Bush que poderá encerrar a Era Arafat", World Tribune.com, 2/12/2001.

"Washington — Em seu encontro com o presidente George W. Bush hoje, o primeiro-ministro Ariel Sharon poderá tentar obter o apoio norte-americano para um contra-ataque que destitua Yasser Arafat ou que destrua totalmente a Autoridade Palestina... Os assessores disseram que Sharon quer transmitir a Bush uma mensagem urgente que Israel precisará responder à mais recente onda dos ataques palestinos contra suas cidades, informou o Middle East Newsline. Os assessores disseram que Sharon poderia tentar obter o sinal verde para um ataque israelense que poderá derrubar a Autoridade Palestina. As duas opções que estão sendo examinadas por Sharon, disseram os assessores, é ou exilar o presidente da Autoridade Palestina Arafat das áreas palestinas e deixar as agências de segurança da AP intactas, ou destruir totalmente o regime palestino. Os assessores disseram que o gabinete de segurança de Sharon discutiria as opções no dia seguinte."

O presidente Bush e o Secretário de Estado Colin Powell sempre exigiram que Arafat prendesse os terroristas responsáveis pelos horrendos ataques terroristas enquanto, por outro lado, exortam que Israel "contenha" sua resposta. Essa última política parece não fazer sentido, pois os palestinos representam o tipo de terror civil doméstico contra o qual o presidente Bush supostamente está lutando. Enquanto bombardeia o Taleban no Afeganistão, Bush exorta que os israelenses se contenham, e não se comportem como "meninos maus" com seu porrete militar extremamente poderoso. Ontem, o presidente Bush não exortou restrição aos israelenses.

Entretanto, acho risível que Bush peça que Arafat prenda os responsáveis por esse último ataque contra a população civil. Falando assim com Arafat, Bush está implicando que o reconhece como um chefe de estado legítimo, em vez de um líder terrorista que ele sempre foi. Além disso, o apelo de Bush parece exigir que Sharon dê a Arafat um período razoável de tempo para realizar essas prisões, embora Arafat tenha provado nos últimos dez anos que nunca realmente realizou prisões significativas, por mais terríveis que tenham sido os crimes. Se os comentários de Bush realmente restringirão as ações do primeiro-ministro israelense Sharon ou se foram apenas comentários feitos para consumo público é algo que ainda veremos.

Israel Já Estava Planejando uma Operação Militar Antes Desses Ataques?

O DEBKAfile informou em 1 de dezembro que as Forças Israelenses de Defesa foram vistas em movimentação rumo ao norte do país, aparentemente em direção à fronteira com o Líbano. Essas forças eram formadas por tropas, tanques, veículos blindados para o transporte de tropas e outros equipamentos pesados. Se estavam indo para o norte, o objetivo final deveria ser a fronteira com o Líbano, ao longo da qual as forças militares convencionais do Hezbolá estão agrupadas. Na verdade, essas forças do Hezbolá estão acampadas ao longo da fronteira libanesa com Israel há vários meses, e estão ativamente aumentando suas capacidades, levando à especulação que estavam se preparando para lançar um ataque militar antes que Israel pudesse responder.

Como essas unidades militares foram detectadas em movimentação ao norte umas boas 12 horas antes dos ataques suicidas no sábado e no domingo, podemos imaginar se estavam se preparando para agir contra o Hezbolá. Em muitas ocasiões nas últimas semanas, o presidente Bush incluiu o Iraque e o Hezbolá como seus próximos alvos contra os terroristas e os países que os apóiam.

É possível que o presidente Bush já tenha dado o sinal verde para Israel atacar o Hezbolá em vez de as forças norte-americanas os atacarem? É possível que Bush tenha decidido usar tropas israelenses para abrir sua segunda onda contra o terrorismo? Isso equivaleria a usar as Forças Israelenses de Defesa (FID) como substitutas para as forças americanas, mas faria sentido, pois Israel conhece muito melhor o terreno e o inimigo. Os soldados israelenses estão melhor treinados e equipados que os norte-americanos, devido aos desastrosos cortes militares feitos durante os anos da administração Clinton. Finalmente, tal ação preservaria as vidas dos soldados americanos, e ao mesmo tempo permitiria que o primeiro-ministro Sharon agisse como um "soldado durão", como sempre foi retratado. Sharon poderia ganhar pontos junto ao eleitorado, que deseja ver uma ação militar dura, e ao mesmo tempo agir como uma força delegada contra o terrorismo islâmico.

É possível que todas essas decisões foram feitas antes dos ataque terroristas do fim de semana passado?

Vários Cenários Possíveis

Neste ponto, vemos vários cenários possíveis que poderão se desdobrar, dependendo apenas se este é ou não o tempo no calendário de Deus. Acreditamos que os Illuminati estiveram preparados para instigar o capítulo final da Terceira Guerra Mundial para produzir o Anticristo em várias ocasiões no passado, mas foram contidos porque ainda não receberam o sinal verde de seus espíritos-guia demoníacos. Deus controla as hordas demoníacas e é Seu calendário que vale. O apóstolo Paulo disse na verdade que as hordas demoníacas gostariam de agir imediatamente para colocar em cena o Anticristo. Veja:

"E agora vós sabeis o que o detém, para que a seu próprio tempo seja manifestado. Porque já o mistério da injustiça opera; somente há um que agora resiste até que do meio seja tirado; e então será revelado o iníquo, a quem o Senhor desfará pelo assopro da sua boca, e aniquilará pelo esplendor da sua vinda." [2 Tessalonicenses 2:6-8].

Como dissemos, estamos convencidos que os Illuminati planejaram colocar seu Cristo em cena em diversas ocasiões, mas foram impedidos porque não era o tempo no calendário de Deus. Esses cenários que acreditamos que serão possíveis, refletem essa incerteza com relação ao verdadeiro tempo profético. Vamos relacionar esses cenários e depois comentá-los em detalhe.

Cenário 1: Os exércitos estão preparados e as armas estão engatilhadas e prontas para serem usadas. Para todo o mundo, parece que a guerra total está prestes a começar. Subitamente, uma pessoa "brilhante" intervirá com uma "sugestão chocante" que parece tão simples e tão brilhante que pode realmente evitar a guerra. Essa sugestão pode ser que, como esse conflito é religioso entre os seguidores do judaísmo e do islamismo e como ambos reivindicam Jerusalém como sua capital religiosa, por que não internacionalizar a cidade? Uma vez que Jerusalém for internacionalizada, um setor dentro dela poderia ser designado como religioso e um centro combinado de adoração poderia ser construído, dentro do qual os adoradores das três crenças monoteístas — judaísmo, islamismo e cristianismo — poderiam adorar juntos em paz.

Essa sugestão também poderia ser apresentada no início de um conflito real, e poderia ser apresentada como responsável por evitar a expansão do conflito.

Cenário 2 — Israel abre a segunda onda da guerra de Bush contra o terrorismo, atacando o Hezbolá, que há vários meses está concentrado no sul do Líbano.

Cenário 3 — Israel ataca a Autoridade Palestina e o líder dela, Yasser Arafat, com renovado vigor. As unidades da FID invadem agressivamente as cidades e povoados que estão sob o controle da AP, para prender ou matar os extremistas islâmicos. Desesperado, Arafat ordena a explosão do Domo da Rocha, em um ato final de vingança; ele lança a culpa em Israel.

Agora, vamos examinar detalhadamente cada um desses cenários. Você poderá ver certa sobreposição nos cenários individuais, pois nesses planos, todos os caminhos levam a Roma:

Cenário 1: Esse cenário parece muito plausível dado o "temor de guerra" geral e extremamente elevado que existe agora em todo o país. Arafat iniciou a Intifada atual em 29/9/2000 e a faz crescer gradualmente desde então. No artigo N1052, descrevi o Projeto da Aliança da Nova Jerusalém, conforme enunciado pelo Diretor da Casa da Teosofia na Nova Inglaterra, Bill Lambert. Ele tinha acabado de retornar de uma viagem a Jerusalém, após servir durante três anos em um comitê que tinha esse nome. Algumas decisões finais sobre o que deveria ser feito para solucionar a questão religiosa em Jerusalém para que o Anticristo pudesse aparecer tinham sido tomadas. Se você ainda não leu minhas anotações tintim por tintim e meus comentários, recomendo que leia esse artigo agora. [Nota de A Espada do Espírito: O artigo N1052 não está traduzido; o artigo N1094, "A Religião Mundial Já Está Criada — Equivalente Espiritual das Nações Unidas" contém algumas das informações mais importantes.].

No artigo N1519, "Encontro do G-8 em Gênova Aprova o Envio de Observadores ao Oriente Médio", informamos que o Projeto da Aliança da Nova Jerusalém previa cinco etapas para a apresentação do Anticristo, e que as duas primeiras já tinham ocorrido. Vamos revisar essas etapas agora:

Etapa 1 — Três conferências globais deveriam ser realizadas simultaneamente — uma religiosa, uma econômica e uma política. A conferência religiosa criaria o equivalente espiritual das Nações Unidas.

Etapa 2 — "Ameaça de guerra precisa ser mantida até que todas as mudanças desejadas sejam obtidas.".

O tempo em que estamos pode ser o momento de definição do cenário "Temor de Guerra" Quando Bill Lambert proferiu essas palavras, quis levantar minha mão e perguntar se seria apenas o temor de guerra ou a guerra real que provocaria essas "mudanças desejadas", mas como eu tinha sido infiltrado na conferência, não queria chamar atenção demasiada sobre mim, fazendo muitas perguntas. Mas, com certeza, Lambert somente disse que o "Temor de Guerra" precisaria ser mantido.

Se "temor de guerra" é o que querem, certamente o terão. O Exército de Israel está indo para o norte desde sexta-feira passada; a Autoridade Palestina decretou um Estado de Emergência em todos seus territórios; as unidades do Hezbolá estão em alerta total na fronteira do Líbano com Israel; a Síria e o Egito também estão em alerta total. Fuzileiros navais norte-americanos estão a bordo de navios de guerra da Marinha a uma pequena distância da costa libanesa. Os cidadãos de Israel e da Autoridade Palestina estão clamando por um completo derramamento de sangue.

Se "temor de guerra" é o objetivo, está sendo obtido em um nível considerável. Entretanto, parece provável que esse cenário fará a diplomacia intervir no último segundo para evitar uma guerra regional total, que provavelmente, após iniciada, não poderá mais ser controlada.

Assim, parece provável que, no último segundo antes de as hostilidades começarem — ou antes de saírem fora do controle — alguém tomará a iniciativa com a "brilhante" sugestão pré-planejada que, como o conflito é religioso, pode ser solucionado com a internacionalização de Jerusalém. Uma vez que a cidade estiver sob o controle da ONU, um setor de Jerusalém poderá ser designado como religioso, permitindo a construção de um centro de adoração em que os aderentes do judaísmo, do islamismo e do cristianismo poderão adorar juntos em paz. Esse será o cumprimento da Etapa 3 do Projeto da Aliança da Nova Jerusalém.

Etapa 3 — Uma vez que essas conferências sejam realizadas simultaneamente, a próxima mudança desejada será construir uma combinação de igreja/mesquita/templo em Jerusalém — Bill Lambert disse que "qualquer acerto unicamente político no Oriente Médio, por si mesmo, não traria a paz. Em outras palavras, um acordo unicamente político deixaria a natureza religiosa do problema não-resolvida. Ele continuou:

"Qualquer solução permanente para o conflito no Oriente Médio teria de contemplar a solução do aspecto religioso do problema. Uma vez que o problema religioso for resolvido, então o poder e a influência dos judeus ortodoxos em Israel declinarão permanentemente."

Os Illuminati globais odeiam os fundamentalistas de qualquer religião, e isso certamente inclui os judeus ortodoxos. A Etapa 3 objetiva provocar o declínio do poder e da influência dos judeus ortodoxos. Em seguida, o trabalho pode iniciar no centro de adoração combinado.

Etapa 4 — O papa visitará o setor judaico/cristão/islâmico em Jerusalém para declarar que todas as religiões agora estão unificadas. Essa ação finalmente romperá o impasse no Oriente Médio. Observe que essa ação criará a Religião do Mundo Global, predita em Apocalipse 13:11-18. A Segunda Besta do Apocalipse, com "dois chifres, parecendo um cordeiro" [Apocalipse 13:11] emergirá, e o mundo o considerará um cristão, exatamente como predito na profecia bíblica. No entanto, sabemos que essa besta terá o coração de um dragão — um coração satânico.

Uma vez que a Etapa 4 esteja concluída, ocorrerá um curto período de paz. As pessoas dentro e fora de Israel respirarão aliviadas, dizendo, "Finalmente, temos paz e segurança". Nesse momento, a advertência de Paulo em 1 Tessalonicenses 5:1-3 se tornará realidade. Quando as pessoas estiverem exultando, subitamente, o Domo da Rocha será destruído por Arafat, que lançará a culpa em Israel [Leia o artigo N1409].

Quando Arafat explodir o Domo da Rocha e lançar a culpa em Israel, os países muçulmanos do mundo inteiro finalmente declararão guerra a Israel. Nesse momento, Jerusalém se transformará em um "cálice de tontear", conforme predito em Zacarias 12! Se os Serviços de Inteligência israelenses estiverem corretos, Osama Bin Laden poderá também aniquilar Meca com um artefato nuclear, lançando a culpa em Israel ou nos EUA. Nesse momento, 1.4 bilhão de muçulmanos ficarão enfurecidos contra Jerusalém, e começarão a marchar contra a cidade. Zacarias 12 será cumprido. O terrorismo árabe contra as cidades norte-americanas também será inevitável, exatamente como previsto no Plano dos Illuminati!

Em seguida, a planejada Terceira Guerra Mundial, destinada a colocar em cena o Anticristo, começará. O Estágio 5 do Projeto da Aliança da Nova Jerusalém é a entrada bem sucedida do Anticristo em cena. [Leia os artigos N1056 e N1057, "A Próxima Guerra Árabe-Israelense Está Extremamente Próxima"].

Cenário 2 — Israel abre a segunda onda da guerra global do presidente Bush contra o terrorismo, atacando o Hezbolá, que há vários meses está concentrado na fronteira libanesa. O Hezbolá imediatamente lançará um ataque aéreo total contra as cidades israelenses com suas avançadas baterias de artilharia e mísseis. As cidades israelenses serão duramente castigadas e sofrerão grandes baixas. Quando as unidades das FID invadirem o Líbano, e virtualmente aniquilarem as unidades do Hezbolá, os membros da Liga Árabe seguirão suas ameaças de não permitirem que a Guerra dos EUA ao Terrorismo se expanda para outros países árabes sem haver retaliação. Essa ameaça foi verbalizada enfática e publicamente durante um Encontro de Cúpula da Liga Árabe vários meses atrás.

Além disso, recentemente, em 27/11/2001, a Síria advertiu os EUA que seria um "erro fatal" tornar o Iraque ou outro país árabe em alvo militar em sua campanha contra o terror. Os líderes sírios ficariam duplamente enfurecidos se o presidente americano designasse Israel para realizar sua segunda onda de ataque. Se a Síria decidir apoiar o Hezbolá, então o Egito certamente também será atraído para a fogueira.

Há anos que o Iraque está procurando uma justificativa para poder atacar Israel, especialmente agora que dispõe de mísseis modernos e mais precisos, capazes de transportar armas de destruição em massa — nucleares, químicas e biológicas. Certamente, podemos contar que o Iraque lançará seus mísseis logo após o Hezbolá ser atacado.

Em algum ponto nessa reação árabe, o tempo virá para explodir o Domo da Rocha e lançar a culpa em Israel. Essa ação enfurecerá imediatamente 1.4 bilhão de muçulmanos em todo o mundo, provavelmente levando todo país islâmico a declarar guerra a Israel. Jerusalém certamente se transformará no "cálice de tontear" que Deus predisse em Zacarias 12. Se os Serviços de Inteligência de Israel estiverem corretos a respeito do plano de Osama Bin Laden de atacar Meca com artefatos nucleares e lançar a culpa sobre os EUA, então certamente teremos uma guerra mundial. Não somente todos os países árabes declararão guerra a Israel, mas também declararão guerra aos EUA. Em seguida, veremos os cenários que delineamos nos diversos artigos disponíveis na nossa página Terceira Guerra Mundial, isto é, terrorismo e agitação nas cidades, colapso econômico e uma nova crise do petróleo.

Logo após os EUA mobilizarem suas forças no Oriente Médio em apoio a Israel, ou para se defender de um ataque árabe, ou ambas as coisas, a Coréia do Norte iniciará sua planejada guerra contra a Coréia do Sul. Na semana passada, o general americano Jack Singlaub exortou o presidente Bush a começar a enviar forças de reservistas para a Coréia do Sul imediatamente, citando uma forte probabilidade de um ataque iminente. Uma vez que os EUA deslocarem tropas adicionais para a Coréia do Sul, ficarão virtualmente pouquíssimas forças armadas no país, deixando-o aberto para o próximo acontecimento funesto.

As "células árabes adormecidas" serão instantaneamente ativadas, e as cidades americanas começarão a arder em chamas. Ataques terroristas poderão inflamar as cidades americanas e muitas delas explodirão em agitações que rapidamente sairão do controle das forças policiais estaduais. Não haverá tropas da Guarda Nacional que possam ser chamadas para restaurar a ordem. Isso nos levará ao próximo estágio.

O presidente — ou o diretor da FEMA (Agência Federal Para o Gerenciamento das Emergências) — aparecerá na televisão em cadeia nacional para declarar solenemente que, para poder lidar com esses ataques dentro e fora do país, precisará dissolver o governo constitucional, o sistema jurídico, e suspender todas as liberdades e garantias individuais. Logicamente, ele afirmará que teremos nossas liberdades restituídas e o regime de governo restabelecido assim que as crises estiverem debeladas. Como as pessoas não sabem nada acerca dos planos para as crises previstas nos Protocolos dos Sábios de Sião, acreditarão nas palavras do presidente atual, que goza dos mais altos índices de confiança da população na história dos EUA. O que dizem os Protocolos?

"O povo é um rebanho de carneiros e nós somos os lobos! Sabe o que acontece aos carneiros quando os lobos tomam o controle do rebanho?"

"Fecharão ainda os olhos sobre tudo o mais, porque nós lhes prometeremos restituir todas as liberdades confiscadas, quando se aquietarem os inimigos da paz e os partidos forem reduzidos à impotência."

"É inútil dizer que esperarão muito tempo esse recuo ao passado... "

"Para que propósito, então, criamos toda essa política...?" [Protocolo 11 — O Estado Totalitário].

O povo norte-americano acreditará no presidente quando ele disser que restaurará suas liberdades, pois os EUA são realmente uma nação de carneiros e os Illuminati são os lobos maldosos. O cenário está praticamente armado para a plena realização desse plano extremamente bem redigido!

Quando a dissolução do governo constitucional e a suspensão das liberdades e garantias individuais não aquietarem os agitadores, o presidente ou o diretor da FEMA terão de recorrer à ONU e solicitar o envio de tropas estrangeiras. Assim, os comentários de Henry Kissinger, proferidos logo após a agitação em Los Angeles em resposta ao resultado do julgamento dos policiais acusados de espancarem o cidadão negro Rodney King parecerão proféticos: "Hoje, o povo americano ficaria indignado se tropas estrangeiras desembarcassem em Los Angeles para restaurar a ordem; chegará o tempo, porém, em que essas tropas serão recebidas com boas-vindas." Quando isso ocorrer, o plano dos Illuminati de redesenhar os estados soberanos em todo o mundo em Zonas Militares de Patrulha será imposto sobre nós. [Leia o artigo N1270 (não-traduzido); na seção final, Troops to be Stationed in United States, Canada and Mexico, dê um clique em View Map para conhecer todos os detalhes].

Cenário 3 — Arafat recebe mais uma oportunidade de prender os líderes militantes e trazê-los à Justiça. Israel e o mundo então aguardarão mais algumas semanas ou meses até que descubram que novamente ele não prendeu, não julgou, e não trouxe os culpados à Justiça. Na verdade, Arafat não pode trazer algum dos militantes a julgamento, pois não controla as ruas e nem os elementos radicais diretamente abaixo da sua liderança na Autoridade Palestina. Ele seria assassinado quase que imediatamente se tentasse prender e levar à Justiça os líderes militantes que ele mesmo fomentou. Além disso, Arafat sempre esteve na liderança de alto nível da campanha terrorista, e provavelmente aprovou todos os detalhes desse ataque terrorista no final de semana.

Acho muito difícil acreditar que Israel e os EUA realmente esperarão para dar mais uma chance a Arafat, mas no Oriente Médio tudo pode acontecer.

Cenário 4 — Israel ataca a Autoridade Palestina e seu líder, Arafat, com renovado vigor. As unidades da FID invadem agressivamente as cidades e povoados que estão sob o controle da AP, para prender ou matar os extremistas islâmicos. Desesperado, Arafat ordena a destruição do Domo da Rocha, em um ato final de vingança, e lança a culpa em Israel.

De um modo ou do outro, chegamos ao plano de destruir o Domo da Rocha. Esse evento é a ação audaciosa que atrairá todas as nações islâmicas do mundo, e seus antigos aliados, como a Rússia e a China, na fogueira contra Jerusalém, em um momento ou outro até a Batalha do Armagedom, quando Jesus Cristo aniquilará o Anticristo pelo esplendor da sua vinda. [Apocalipse 16:1-16, 19:11-21; 2 Tessalonicenses 2:8].

Essa destruição do Domo da Rocha foi prevista claramente no livro da Nova Ordem Mundial, The Armageddon Script, de Peter Lemesurier [leia a resenha], como informamos em outros artigos anteriores. Além disso, parece que Arafat deixou isso escapar em uma entrevista na cidade de Nova York no início de setembro de 2000 [conheça os detalhes lendo o artigo N1404 (não-traduzido)].

Após os eventos em 11 de setembro, o mundo ficou diante de um precipício; desde então, ficamos sempre aguardando pelos próximos acontecimentos. O próximo evento será a guerra regional total, seguida pela Terceira Guerra Mundial, ou haverá uma falsa paz primeiro?

Somente o tempo e os eventos dirão. Uma coisa é certa: o fim dos tempos parece estar se aproximando rapidamente.



Você está preparado espiritualmente? Sua família está preparada? Você está protegendo seus amados da forma adequada? Esta é a razão deste ministério, fazê-lo compreender os perigos iminentes e depois ajudá-lo a criar estratégias para advertir e proteger seus amados. Após estar bem treinado, você também pode usar seu conhecimento como um modo de abrir a porta de discussão com uma pessoa que ainda não conheça o plano da salvação. Já pude fazer isso muitas vezes e vi pessoas receberem Jesus Cristo em seus corações. Estes tempos difíceis em que vivemos também são tempos em que podemos anunciar Jesus Cristo a muitas pessoas.

Se você recebeu Jesus Cristo como seu Salvador pessoal, mas vive uma vida espiritual morna, precisa pedir perdão e renovar seus compromissos. Ele o perdoará imediatamente e encherá seu coração com a alegria do Espírito Santo de Deus. Em seguida, você precisa iniciar uma vida diária de comunhão, com oração e estudo da Bíblia.

Se você nunca colocou sua confiança em Jesus Cristo como Salvador, mas entendeu que ele é real e que o fim dos tempos está próximo, e quer receber o Dom Gratuito da Vida Eterna, pode fazer isso agora, na privacidade do seu lar. Após confiar em Jesus Cristo como seu Salvador, você nasce de novo espiritualmente e passa a ter a certeza da vida eterna nos céus, como se já estivesse lá. Assim, pode ter a certeza de que o Reino do Anticristo não o tocará espiritualmente. Se quiser saber como nascer de novo, vá para nossa Página da Salvação agora.

Esperamos que este ministério seja uma bênção em sua vida. Nosso propósito é educar e advertir as pessoas, para que vejam a vindoura Nova Ordem Mundial, o Reino do Anticristo, nas notícias do dia-a-dia.

Fale conosco direcionando sua mensagem a um dos membros da equipe de voluntários.

Se desejar visitar o site "The Cutting Edge", dê um clique aqui: http://www.cuttingedge.org

Que Deus o abençoe.

Data da publicação: 6/12/2001
Patrocinado por: S. F. F. C. — Vargem Grande Paulista / SP
Revisão: http://www.TextoExato.com
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/n1585.asp