Escolha uma cor para o fundo:  

O Governo da Indonésia Promove Conferência Regional Para Agilizar a Reconstrução Após o Tsunami — Acontecimentos Recentes Parecem Indicar Que a "Fritura" do Secretário-Geral da ONU, Kofi Annan, Já Foi Iniciada

Recursos úteis para sua maior compreensão

Título do Livro 1


Título do Livro 2


Título do Livro 3

Ordem a partir do caos: Depois do terremoto de 9.2 graus e do tsunami no sudoeste asiático, os países do vão não-integrado devastados poderão ser reconstruídos para que passem a fazer parte do núcleo funcional. Observe a reinserção do ex-presidente Clinton no cenário internacional. Estaria ele sendo preparado para ocupar o posto de novo secretário-geral da ONU, em substituição a Kofi Annan?

A Nova Ordem Mundial está chegando! Você está preparado?

Compreendendo o que realmente é essa Nova Ordem Mundial, e como está sendo implementada gradualmente, você poderá ver o progresso dela nas notícias do dia-a-dia!!

Aprenda a proteger a si mesmo e aos seus amados!

Após ler nossos artigos, você nunca mais verá as notícias da mesma forma.

Agora você está na
"THE CUTTING EDGE"


"ORDO AB CHAO""Ordem a Partir do Caos" é o mantra dos ocultistas Iluministas e com base nessa firme crença nasceu o conceito da Luta Dialética [leia o artigo N1007, "Tese x Antítese = Síntese"]. A história de todo o sangrento século XX pode ser compreendida com o seguinte fundamento: Crie o caos e então apresente-se para forçar a sua solução. Algumas pessoas gostam de expressar o princípio de outra forma: Crie o problema e então solucione o problema.

O caos pode ser criado de diversas formas: Guerras, desastres naturais, crises ou colapso na economia, revoluções e assassinatos. Uma vez que a sociedade tenha sido totalmente bagunçada pelo caos, fica aberta para a manipulação secreta dos globalistas, que se apresentam com ofertas de ajuda, dinheiro, recursos humanos e até força militar, de modo a "ajudar" a nação atingida a se recuperar.

Logicamente, uma vez que os globalistas tenham colocado firmemente seu pé na porta e estejam fornecendo esses tipos de assistência ao país ou à região afetada pelo caos, eles ocupam o banco do motorista e começam a ditar os tipos de mudanças que precisam ocorrer e como elas devem ser implementadas. Neste artigo, estaremos considerando o desastre sem paralelos criado pelo terremoto marinho de 9.2 graus na escala Richter na costa de Sumatra, na Indonésia, e o enorme tsunami que matou dezenas de milhares de pessoas, um número que ainda pode atingir meio milhão de pessoas.

Certamente, muitos dos onze países que sofreram o impacto desse tsunami estão seriamente devastados e precisam ser reconstruídos. A Etapa 1 desse plano ocorreu com o próprio desastre natural. A Etapa 2 — o envio de ajuda por muitos países — está ocorrendo agora. A Etapa 3 — a ajuda dos globalistas para reconstruir esses países, virá em segunda, e é a essência do restante deste artigo.

Vamos referenciar nosso artigo original em que enunciamos a nova estratégia do Pentágono, N1833. Como você pode ver nesse artigo, enquanto os esforços de guerra no Iraque e no Afeganistão estão impactando os países "não-integrados" do Oriente Médio, esse terremoto e o tsunami impactaram terrivelmente uma região bem diferente do mundo — o sul da Ásia. Retornando ao artigo N1833, revisemos algumas das razões que levam um país a ser considerado do "vão não-integrado":

Usando o 11/9 como desculpa, o presidente Bush está usando a força militar dos EUA como um potente aríete para nocautear os países que estão realmente se colocando no meio do caminho para a plena implementação da Nova Ordem Mundial. Sabemos que o temor do Bug do Milênio foi criado para forçar os governos em todo o mundo — tanto nos países ricos como nos pobres — a atualizarem seus sistemas de informática para que todos pudessem se conectar na economia do vindouro sistema global. Entretanto, esse artigo identifica outras razões, não-técnicas, por que certos países ainda estão terrivelmente atrasados com relação ao resto do mundo na integração na Nova Ordem Mundial.

Essas razões são simples, mas tão profundas e entranhadas que uma invasão, ou uma ameaça de invasão, é necessária para mudar o regime para que líderes dispostos a cooperar e responsivos possam ser instalados nesses países. Quais são esses fatores não-técnicos?

  • Ditadura repressiva por um único líder.

  • Religiões repressivas que se agarram às "tradições" a todo custo e, desse modo, resistem aos novos paradigmas.

  • A pobreza abjeta é mencionada como uma razão para um país não estar "conectado" ao sistema global, mas a pobreza normalmente é conseqüência de uma ditadura repressiva que suga enormes recursos da economia ou é tão repressiva que não permite as liberdades individuais necessárias para a produção de riqueza na economia.

  • As guerras civis também impedem os países de poderem aderir ao "Núcleo Funcional". Assim, as tropas da União Européia já estão no Congo para dar fim à guerra civil e as tropas americanas estão na Libéria.

A maioria dos países impactados por esse desastre natural possui um ou mais desses "fatores não-técnicos" que os impedem de deixar o grupo "não integrado" de países e se juntarem ao "núcleo funcional".

Esse desastre natural sem paralelos provavelmente forçará mudanças dentro de cada um dos países afetados, que os moverão em direção à integração com os países do núcleo. Em alguns países, o problema pode ser um ditador repressor que impede a necessária cooperação. Em outros países, o fator de resistência pode ser a religião, que resolutamente resiste à modernização; como muitos desses países devastados são muçulmanos, a religião é um fator-chave de inibição. A maioria desses países é extremamente pobre e alguns deles estão envolvidos em guerras civis.

Observe um maciço esforço global ser iniciado que mudará os fatores de inibição presentes em cada um dos países devastados. O primeiro passo será uma grande conferência em que uma estratégia poderá ser apresentada. A notícia dessa primeira etapa foi anunciada na semana passada.

Resumo da Notícia: "Indonésia Anuncia reunião de cúpula internacional para discutir o tsunami", Khaleeji Times, 31/12/2004.

"Jacarta — O governo indonésio anunciou na quinta-feira que promoverá um encontro de cúpula dos líderes globais para discutir a devastação do tsunami na Ásia, fazer o levantamento dos estragos e planejar a recuperação do pior desastre natural do mundo na memória viva. A conferência em Jacarta, marcada para 6 de janeiro, reunirá chefes de estado dos países em torno do oceano indonésio... O secretário-geral das Nações Unidas, Kofi Annan, também comparecerá. As doações dos governos, das agências humanitárias, das grandes empresas e de fontes privadas já amealharam fundos de emergência de 500 milhões de dólares para ajudar as vítimas do terremoto de 9 graus e da poderosa inundação que o seguiu. No entanto, com a previsão da Indonésia que precisará de cinco anos para reconstruir as áreas afetadas, é claro que estratégias de longo prazo serão necessárias."

Realmente, "é claro que estratégias de longo prazo serão necessárias", e são necessárias logo, antes que os países individuais comecem a lidar com o desastre de sua própria maneira, e de um modo que pode não ser coerente com os planos dos Illuminati. Quando essa região for reconstruída, os governos e as economias precisam ser reconstituídos de tal maneira a permitir que eles se tornem países do "núcleo funcional". Observe agora e extensa relação de países que foram convidados a participar, e observe como a aliada dos EUA, a Indonésia, assumiu a liderança ao convocar essa conferência global.

"A Indonésia emergiu como o país mais afetado pelo terremoto que ocorreu a menos que 150 km da costa de sua ilha de Sumatra, a oeste, contabilizando mais de dois terços das dezenas de milhares de mortes. Chefes de estado da Índia e do Sri Lanka, países que sofreram perdas maciças de vidas e muita destruição, são esperados na conferência, bem como todos os dez membros da Associação dos Países do Sudoeste Asiático. Grandes doadores, como a Austrália, a Nova Zelândia, os EUA, a China, Japão e Coréia do Sul também foram convidados para o evento, que tentará gerar mais ofertas de assistência e formular um plano de ação para recuperar a região. Representantes das Nações Unidas, do Banco Mundial, da Organização Mundial da Saúde, do Banco do Desenvolvimento da Ásia, e da União Européia também estão na lista de convidados."

Agora, temos de admitir que essa lista de convidados é impressionante. De um lado estão os países empobrecidos que foram arruinados pelo tsunami, enquanto do outro lado estão as organizações e/ou países mais poderosos e ricos do mundo. Pode ter a certeza que o dinheiro que está sendo oferecido não será dado sem algumas exigências, e se qualquer um desses países afetados se recusar, forças navais e aéreas já estão na região para garantir a obediência. O resultado desse esforço será uma região modernizada, que possa participar da vindoura Nova Ordem Mundial.

Lembre-se que o objetivo é recriar rapidamente esses países para que suas economias possam participar no vindouro sistema econômico sem o uso do papel-moeda em que "ninguém possa comprar ou vender, se não aquele que tiver o sinal, o nome da besta, ou o número do seu nome". [veja Apocalipse 13:16-18].

Annan Versus Clinton?

As Nações Unidas estão sendo solicitadas a assumir a liderança na criação dessas mudanças e em facilitar os esforços para a reconstrução. Esse fato nos traz ao próximo assunto: o declínio do secretário-geral Kofi Annan e a súbita ascensão do ex-presidente americano Bill Clinton. Observamos em alguns de nossos boletins semanais recentes que uma campanha parece estar em andamento para desacreditar Kofi Annan e sua capacidade de liderança. Este artigo a seguir parece tipificar os graves problemas em que Kofi Annan atualmente se encontra envolvido.

Observe que Annan enfrentou um comitê hostil formado unicamente por americanos iluministas.

Resumo da Notícia: "Encontro Secreto, Missão Clara: 'Resgatar' a ONU", Warren Hoge, The New York Times, 3 de janeiro de 2005.

"Nações Unidas, 2 de janeiro — O encontro de especialistas veteranos em política externa em um apartamento em Manhattan um domingo recente foi mantido no mais absoluto sigilo. O convidado de honra chegou sem seu séquito habitual de assessores. A missão, nas palavras de um dos participantes, era clara: 'Salvar Kofi e resgatar a ONU'. Na reunião, o secretário-geral Kofi Annan ouviu caladamente por três horas e meia conselhos dados em um tom áspero por um grupo unido em sua consideração pessoal por ele e em suporte às Nações unidas. A preocupação do grupo era que lapsos na liderança de Annan durante os dois últimos anos tinham ofuscado as realizações de seu primeiro mandato de quatro anos no cargo e ameaçavam solapar os dois anos restantes em seu mandato final."

Quem esteve nessa reunião? A lista de globalistas-chave o surpreenderá:

"O encontro ocorreu no apartamento de Richard C. Holbrooke, que foi embaixador americano nas Nações Unidas, durante o governo Clinton. Outros que estiveram presentes foram John G. Ruggie, assistente do secretário-geral para planejamento estratégico de 1998 a 2001 e que agora é professor de Relações Internacionais na Escola de Governo John F. Kennedy, da Universidade de Harvard; Leslie H. Gelb, ex-presidente do Conselho das Relações Exteriores (CFR); Timothy E. Wirth, presidente da Fundação Nações Unidas, baseada em Washington; Kathy Bushkin, vice-presidente executivo da fundação; Nader Mousavizadeh, ex-assistente especial de Annan, que se demitiu em 2003 para trabalhar na Goldman Sachs; e Robert C. Orr, assistente do secretário-geral para planejamento estratégico. Sir Jeremy Greenstock, o embaixador britânico nas Nações Unidas de 1998 a 2003 foi convidado, mas não pôde comparecer."

Todos esses homens são indivíduos muito bem informados, de alto escalão e de primeira classe. Embora esse artigo do New York Times diga que eles foram simpáticos a Annan e apenas queriam salvar seu emprego, não estou muito certo disso. Dadas as muitas semanas de críticas implacáveis a Annan e à sua liderança falha, vindas até mesmo do Senado americano, parece provável que o tempo chegou para chamar Annan e lhe dizer que o cenário requer sua substituição.

Essa matéria então relaciona as muitas falhas da ONU sob a liderança de Annan.

"A reunião no apartamento em 5 de dezembro no fim de um ano em que o próprio Annan descreveu como um 'annus horribilis' da Organização." As Nações Unidas enfrentam acusações de corrupção no programa Petróleo Por Alimentos, no Iraque, evidências de que os capacetes azuis da tropa de paz enviada ao Congo criaram uma rede de prostituição e estupraram mulheres e garotas adolescentes, e moções de desconfiança dos sindicatos dos funcionários em relação à administração. Apenas alguns dias antes da reunião, o senador Norm Coleman, um republicano do Minnesota, que é presidente de um subcomitê que investiga o programa Petróleo Por Alimentos, trouxe as críticas às Nações Unidas a um ponto de ebulição quando pediu a renúncia de Annan. O encontro também ocorreu em um momento em que as Nações unidas enfrentam grandes desafios institucionais: a eleição no Iraque em 30 de janeiro que os especialistas em eleições da ONU ajudaram a organizar; o relatório preliminar no fim deste mês do inquérito Petróleo Por Alimentos, presidido por Paul A. Volcker, ex-presidente da Federal Reserve."

"Agora, o tsunami na Ásia está testando a capacidade da organização em coordenar a ajuda em uma escala global."

Esse último acontecimento pode ser o incidente que forçará Annan a renunciar. O atual secretário-geral é visto em grande parte como um sujeito agradável que é ótimo em forjar relacionamentos e coalizões, mas que também tem pouca competência como executivo-chefe do corpo global conhecido como Nações Unidas. Certamente, sua competência será grandemente testada agora, após a passagem do tsunami. Ele não somente terá de coordenar a chegada de quantidades maciças de suprimentos, mas será chamado para prover liderança-chave durante esse encontro regional-global na Indonésia, e também depois. Quem sabe quantos encontros de cúpula terão de ser convocados antes que essa crise tenha passado e a região esteja reconstruída de acordo com o plano?

Se Annan for visto como inepto e sem a capacidade administrativa necessária para conduzir adequadamente esses enormes esforços, correntes fortes podem começar a fluir, que acabarão forçando sua remoção. Como a matéria no The New York Times diz de forma tão sucinta:

"... as Nações Unidas não podem ser bem sucedidas se estiverem em uma disputa aberta e em atrito constante com o país que é seu fundador, seu hospedeiro e seu principal contribuinte. As Nações Unidas, sem os EUA por trás, são uma instituição fracassada." [Ibidem].

Portanto, é uma crise de grandes proporções quando um senador americano influente exige a renúncia de Annan, ou quando Paul A. Volcker, o ex-presidente da Federal Reserve, apresenta um virulento relatório sobre o escândalo Petróleo Por Alimentos, um desastre que parece implicar o próprio filho de Annan.

Se os dias de Kofi Annan como secretário-geral da ONU estão contados, quem poderá substituí-lo? Esse substituto teria de possuir uma comprovada capacidade administrativa e de liderança, ser carismático e capaz de construir coalizões para poder ser bem sucedido. Esse homem também precisa ocupar uma posição de liderança internacional atual. Com isso em mente, vamos examinar como o presidente Bush, subitamente e sem aviso visível, elevou o ex-presidente Clinton exatamente para essa posição de liderança internacional.

Resumo da Notícia: "Três Presidentes Americanos Pedem o Envio Imediato de Ajuda Humanitária dos EUA", Reuters News, 3 de janeiro de 2005.

"Washington (Reuters) — O presidente Bush reuniu os ex-presidentes George Bush e Bill Clinton na segunda-feira para lançar um apelo para que os cidadãos americanos façam doações para ajudar as vítimas do terremoto e do tsunami no sul da Ásia... O pai do presidente e Bill Clinton liderarão um esforço dos dois partidos para buscar doações grandes e pequenas para prover ajuda humanitária a milhões de desabrigados pela calamidade de 26 de dezembro que matou milhares na Indonésia, no Sri Lanka, na Índia, na Tailândia... A escala do desastre motivou a Casa Branca a criar uma rara coalizão de ex-presidentes para organizar um esforço nacional de levantamento de fundos."

Desde que Bill Clinton deixou a Casa Branca, rumores persistentes diziam que seu próximo posto seria o de secretário-geral das Nações Unidas. Que melhor modo de colocar o ex-presidente Clinton de volta no cenário internacional do que lhe dar a co-presidência de um posto singular que lhe permitirá interagir com líderes importantes no cenário internacional? Quando os ex-presidentes Clinton e o Bush-pai estiverem coordenando as doações americanas para essa ajuda humanitária, ambos estarão lidando com chefes de estado de todo o mundo.

Se Kofi Annan escorregar de alguma maneira no exercício de sua liderança, o carismático e competente Bill Clinton estará no cenário internacional, pronto para assumir o posto vago pela renúncia de Annan. Não estamos predizendo que esse cenário específico ocorrerá, mas as possibilidades parecem indicar que ele é bem provável.

Se o ex-presidente americano Bill Clinton se tornar o novo chefe das Nações Unidas, sua poderosa personalidade promoverá enormemente esse organismo mundial. A capacidade de comunicação de Clinton é excepcional e ele poderá posicionar esse organismo internacional para receber seu mestre final planejado, o Anticristo. O tempo parece realmente muito curto.



Você está preparado espiritualmente? Sua família está preparada? Você está protegendo seus amados da forma adequada? Esta é a razão deste ministério, fazê-lo compreender os perigos iminentes e depois ajudá-lo a criar estratégias para advertir e proteger seus amados. Após estar bem treinado, você também pode usar seu conhecimento como um modo de abrir a porta de discussão com uma pessoa que ainda não conheça o plano da salvação. Já pude fazer isso muitas vezes e vi pessoas receberem Jesus Cristo em seus corações. Estes tempos difíceis em que vivemos também são tempos em que podemos anunciar Jesus Cristo a muitas pessoas.

Se você recebeu Jesus Cristo como seu Salvador pessoal, mas vive uma vida espiritual morna, precisa pedir perdão e renovar seus compromissos. Ele o perdoará imediatamente e encherá seu coração com a alegria do Espírito Santo de Deus. Em seguida, você precisa iniciar uma vida diária de comunhão, com oração e estudo da Bíblia.

Se você nunca colocou sua confiança em Jesus Cristo como Salvador, mas entendeu que ele é real e que o fim dos tempos está próximo, e quer receber o Dom Gratuito da Vida Eterna, pode fazer isso agora, na privacidade do seu lar. Após confiar em Jesus Cristo como seu Salvador, você nasce de novo espiritualmente e passa a ter a certeza da vida eterna nos céus, como se já estivesse lá. Assim, pode ter a certeza de que o Reino do Anticristo não o tocará espiritualmente. Se quiser saber como nascer de novo, vá para nossa Página da Salvação agora.

Esperamos que este ministério seja uma bênção em sua vida. Nosso propósito é educar e advertir as pessoas, para que vejam a vindoura Nova Ordem Mundial, o Reino do Anticristo, nas notícias do dia-a-dia.

Fale conosco direcionando sua mensagem a um dos membros da equipe de voluntários.

Se desejar visitar o site "The Cutting Edge", dê um clique aqui: http://www.cuttingedge.org

Que Deus o abençoe.

Data de publicação: 7/1/2005
Revisão: V. D. M. — Campo Grande / MS e http://www.TextoExato.com
Patrocinado por: S. F. F. C. — Vargem Grande Paulista / SP
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/n1995.asp