Escolha uma cor para o fundo:  

O Ataque de Israel ao Hamas e ao Hezbollah Objetiva Garantir a Futura Retirada dos Colonos da Margem Ocidental do Rio Jordão

Recursos úteis para sua maior compreensão

Título do Livro 1


Título do Livro 2


Título do Livro 3

Israel não poderia dar início à retirada dos colonos da Cisjordânia sem destruir primeiro a capacidade militar dos grupos terroristas. Esse fato político é a razão por que Israel reagiu de forma tão desproporcional à captura de dois soldados para justificar a destruição da capacidade militar dos grupos terroristas na Autoridade Palestina e no sul do Líbano.

A Nova Ordem Mundial está chegando! Você está preparado?

Compreendendo o que realmente é essa Nova Ordem Mundial, e como está sendo implementada gradualmente, você poderá ver o progresso dela nas notícias do dia-a-dia!!

Aprenda a proteger a si mesmo e aos seus amados!

Após ler nossos artigos, você nunca mais verá as notícias da mesma forma.

Agora você está na
"THE CUTTING EDGE"


Como sempre, as forças reais que controlam os eventos no Oriente Médio estão exatamente na direção oposta à indicada nas notícias fabricadas que você vê e lê na mídia de massa hoje. (Leia o artigo N1558, "Aprenda a Pensar na Direção Oposta à Indicada Pela Mídia de Massa Para Descobrir a Verdade") Atualmente vemos o dia inteiro imagens e matérias sobre o ataque de Israel aos grupos terroristas palestinos — o Hamas e a Autoridade Palestina em Israel, e o Hezbollah, no Líbano — e todas elas fazem o leitor/telespectador apontar para a direção errada.

A sabedoria convencional afirma que esse ataque poderá dar origem a um conflito mais amplo no Oriente Médio, e possivelmente levar à Terceira Guerra Mundial. Até mesmo o ex-presidente da Casa dos Representantes, Newt Gingrich, soou esse alarme no fim de semana passado, dizendo que esse novo conflito anunciava o primeiro estágio de um conflito global.

A Cutting Edge respeitosamente discorda.

Não acreditamos que esse conflito atual dê início à Terceira Guerra Mundial, e não vemos qualquer explicação dada nas reportagens da mídia que se pareça com a verdade em qualquer grau.

Lembre-se que os eventos em Israel estão sendo controlados por duas forças principais, ambas as quais correspondem exatamente à profecia bíblica. Essas duas forças são:

1) O antigo plano de tomar o controle do monte do templo para que as forças dos Illuminati possam reconstruir o templo de Salomão e estabelecer um tipo maçônico de adoração. Esse plano data de 1099 e dos cavaleiros templários, um grupo-chave que abordamos no filme documentário "Secret Mysteries of America's Beginninges: Volume 1: The New Atlantis", disponível em DVD.

Nosso artigo sobre esse obsessivo desejo maçônico de reconquistar o monte do templo é N1643, "O Desejo Ardente de Reconstruir o Templo É o Ímpeto Que Está Por Trás dos Eventos no Oriente Médio". Pedimos que você separe um momento para ler esse artigo, pois somente então poderá compreender essa força em particular que está controlando os eventos em Israel atualmente. Lembre-se, a Maçonaria mundial não pode permitir que Israel seja derrotado ou destruído, pois se isso acontecesse, ela perderia a oportunidade de controlar o monte do templo!

2) O plano para aniquilar os palestinos em cumprimento a Obadias 15-18. Essa é a razão fundamental para Israel ter invadido o Líbano e reocupado porções na Faixa de Gaza, pelo menos temporariamente. Se você ainda não leu nosso ensino sobre a realidade que os palestinos de hoje são a profetizada "Casa de Esaú", o nome que Deus dá na profecia de Obadias, para o povo que receberá seu julgamento nos últimos dias, separe um tempo para ler nossos artigos sobre esse assunto:

N1422, "A Vindoura Aniquilação do Povo Palestino, a Casa de Esaú"

N2095, "Eruditos Judeus e Cristãos Confirmam Que os Palestinos São os Descendentes Modernos da Casa de Esaú" — disponível na área restrita aos assinantes.

Com essa compreensão firme na mente, podemos agora avançar para as notícias voláteis de hoje, chegando à compreensão correta, isto é, que Israel não pode iniciar sua planejada retirada unilateral da Margem Ocidental até e não ser que, primeiro destrua completamente a capacidade militar dos vários grupos terroristas palestinos, os principais dos quais são o Hamas em Israel, e o Hezbollah no Líbano.

Compreendendo Corretamente Esse Violento Ataque

Resumo da Notícia: "Israel Responde ao Ataque Com Golpes Letais", My Way News, 17 de julho de 2006.

"Beirute, Líbano (AP) — O Hezbollah e Israel trocaram ferozes fogos de artilharia pelo sexto dia na segunda-feira, enquanto a mais recente erupção de guerra no Oriente Médio mostrava nenhum sinal de atenuar. Os foguetes atingiram o interior profundo de Israel, matando oito pessoas em Haifa, e aviões israelenses bombardearam o Líbano do norte para o sul. O total de mortos em ambos os lados subiu para mais de 200. Além das vítimas israelenses em uma oficina ferroviária no ataque em Haifa no domingo, um foguete israelense explodiu um posto do exército libanês, matando oito soldados, e um míssil lançado de um navio matou pelo menos nove pessoas no porto de Tiro, no sul do Líbano."

"Israel fez advertências de uma retaliação maciça após o ataque em Haifa, e acusou o Irã e a Síria de fornecerem o armamento usado no ataque. Os oficiais militares israelenses disseram que quatro dos mísseis eram o Fajr-3, de fabricação iraniana, com um alcance de 35 km e uma carga de 90 kg, e muito mais avançados que os foguetes Katyusha que os guerrilheiros lançaram contra o norte de Israel nos ataques anteriores."

Embora os informes da Inteligência tenham advertido há um longo tempo que o Irã estava fornecendo armamento avançado ao Hezbollah, Israel parece que foi pego desprevenido quando esse tipo de armamento foi usado. Acreditamos que é altamente provável que Israel tinha concluído que, antes de começar a se retirar da Margem Ocidental, não somente tinha de impedir que os foguetes Kassam e Katyusha fossem lançados contra as cidades e assentamentos judaicos, mas também tinha de destruir esse crescente arsenal de armamento sofisticado do Hezbollah.

Com esse objetivo, aviões israelenses atacaram em ondas sucessivas os alvos do Hezbollah no Líbano, uma situação arriscada, pois esses terroristas instalaram muitas de suas bases perto das residências da população civil.

"Na manhã da segunda-feira, testemunhas informaram que ondas dos ataques aéreos israelenses atingiram a cidade libanesa de Trípoli e fortalezas do Hezbollah na cidade de Baalbeck, no leste do país. Mísseis aparentemente lançados contra uma estação retransmissora da televisão Al-Manar, do Hezbollah, erraram o alvo e atingiram uma casa no sul do Beirute. A polícia disse que quatro moradores do vilarejo foram mortos e dez feridos... Os mísseis israelenses atingiram a capital libanesa logo após o nascer do sol na segunda-feira, quando três fortes explosões sacudiram os bairros da zona sul, enquanto outro ataque provocava um grande incêndio no porto de Beirute... Israel, que tecnicamente está em guerra contra o Líbano desde 1948, disse que tinha alvejado estações de radar no norte porque o Hezbollah tinha usado essas estações para atingir um navio israelense na sexta-feira. Israel também acusou os militares libaneses de oferecerem suporte ao Hezbollah... Mesmo antes da última retaliação israelense, ataques aéreos tinham devastado o sul de Beirute, os bairros predominantemente xiitas onde estão as principais sedes do Hezbollah... Após o anoitecer, mísseis israelenses destruíram tanques de combustível no aeroporto de Beirute." (Ibidem).

As forças israelenses também estão atacando alvos terroristas no sul, na Faixa de Gaza:

"Junto com os ataques no Líbano, Israel atacou na segunda frente onde está lutando, em Gaza. Jatos de caça bombardearam o Ministério Palestino das Relações Exteriores, em Gaza, e nuvens de fumaça subiram do edifício, que já tinha sido atingido antes. Pelo menos nove pessoas nas residências próximas ficaram feridas, disseram os membros da equipe de resgate. O líder do Hezbollah, o xeque Hassan Nasrallah, disse que a despeito do fogo da artilharia, os guerrilheiros estavam 'em plena força e poder' e que seus estoques de mísseis ainda estão cheios". [Ibidem].

As forças do Hamas reagiram, infligindo alguns danos e causando algumas baixas.

"A fumaça subia em Haifa e sirenes de ataque aéreo soavam enquanto os mortos e feridos eram evacuados de uma oficina ferroviária repleta de trabalhadores que foi diretamente atingida no ataque, nas primeiras horas da nova semana de trabalho. Membros ortodoxos da equipe de resgate percorriam os escombros recolhendo pedaços de carne no meio das poças de sangue. Em toda a parte na cidade portuária de 270.000 habitantes, os residentes se aglomeravam nos abrigos e estocavam leite, pão e outros alimentos básicos..." [Ibidem].

Claramente, ambos os lados estão lutando duro, e ambos estão tendo e provocando baixas. O primeiro-ministro Olmert bateu firme nesses grupos terroristas e, ao fazer isso, revelou a planejada abrangência da operação militar. Leia atentamente as palavras dele, pois as Forças Israelenses de Defesa têm a capacidade de cumprir essas ameaças e, se elas podem fazer o que Olmert está dizendo, então nossa tese está perfeitamente correta.

Resumo da Notícia: "PM Olmert: Basta! Israel Eliminará o Hezbollah e o Hamas", Israel National News, 18 de julho de 2006.

"O primeiro-ministro Ehud Olmert dirigiu-se ao Knesset e ao mundo na tarde da segunda-feira dizendo: 'Basta!' e prometeu lutar até que as ameaças do Hamas e do Hezbollah sejam removidas da região... O primeiro-ministro disse também que Israel tem sido ameaçado em suas fronteiras e embora o Estado judaico não tenha desejado essas batalhas, ele não retrocederá e não deixará de lutá-las. 'Estamos em um momento nacional de verdade. Concordaremos em viver sob essa maligna ameaça, ou lutaremos... Não existe luta mais justa do que esta em que estamos envolvidos agora', disse Olmert... Em uma reiteração de sua recusa de negociar com o Hezbollah e com o Hamas antes da libertação dos soldados seqüestrados, Olmert disse: 'É do interesse regional e internacional controlar e desmantelar as organizações terroristas e remover essa ameaça do Oriente Médio. Pretendemos fazer isso.'"

Olmert então criticou o Líbano por permitir os ataques do Hezbollah a partir de seu "território soberano", embora as pessoas informadas saibam há mais de uma década que o Hezbollah, não o Líbano, é quem realmente controla o território na região da fronteira. Contudo, essas acusações fornecem uma cobertura insuficiente para os ataques de Israel.

"Ele também disse que mesmo se o Líbano não tivesse envolvimento no ataque da última quarta-feira contra uma patrulha das FID na fronteira norte de Israel, que matou oito soldados e resultou na captura de outros dois, 'ele é totalmente responsável pelo ataque lançado a partir de seu território soberano, e o mesmo se aplica à Autoridade Palestina com relação ao ataque em Kerem Shalon.'" (Ibidem).

O primeiro-ministro então voltou sua atenção para o sul, onde as forças israelenses de defesa estão enfrentando o Hamas e a Autoridade Palestina.

"Contra os palestinos lutaremos até que o terrorismo cesse, Gilad Shalit seja trazido para casa e os foguetes Kassam parem de ser lançados', disse Olmert. 'Atacaremos todas as áreas de atuação dos terroristas, destruiremos todas as suas bases e liquidaremos os membros dos grupos de terror. Israel não concordará em viver na sombra da ameaça dos mísseis e foguetes contra seus cidadãos.'" (Ibidem).

Exatamente! A Cutting Edge acredita que o primeiro-ministro Olmert não possa iniciar a retirada das áreas da Margem Ocidental até e a não ser que destrua totalmente a capacidade bélica de todos os grupos terroristas palestinos, incluindo o Hamas, a Autoridade Palestina e o Hezbollah (do Líbano). Nos últimos meses, esses grupos terroristas têm cada vez mais atacado alvos judaicos com foguetes e tiros de artilharia. O ponto foi finalmente alcançado quando o público israelense começou a se voltar contra qualquer retirada da Margem Ocidental enquanto os foguetes continuassem a cair sobre suas cabeças.

Os críticos da retirada da Faixa de Gaza argumentaram que a vulnerabilidade de Israel somente aumentaria após a retirada de Gaza. O governo Sharon argumentou que o oposto é que era verdade, isto é, que Israel se tornaria mais seguro. Em outras palavras, estava ficando provado que os opositores à Retirada Unilateral estavam corretos em suas análises, e números crescentes de cidadãos judeus estavam migrando para o lado deles. Se o primeiro-ministro Olmert não pudesse neutralizar a ameaça palestina, ele não poderia dar início à retirada da Margem Ocidental.

A política atual é simples assim.

Além disso, se Israel não pudesse se retirar da Faixa de Gaza e da Margem Ocidental, não poderia cumprir Obadias 15-18, conforme explicamos no artigo N1422. Portanto, a missão dada às FID verdadeiramente é destruir por completo "cada área de atuação dos terroristas, destruir cada base terrorista e liquidar os membros dos grupos de terror."

Este próximo artigo nos diz que as FID estão se preparando para destruir totalmente o grupo terrorista libanês.

Resumo da Notícia: "As FID estão 'aplainando' o terreno ao longo da fronteira libanesa: Alto oficial explica aos Membros do Knesset o severo ataque ao Hezbollah", YNET News, 17/7/2006.

"Um alto oficial explica aos MK o 'severo ataque' ao Hezbollah; ao longo da fronteira libanesa, o Exército está 'aplainando' o terreno de modo a estorvar as tentativas de reconstrução dos postos da organização. Um alto oficial militar disse diante do Comitê de Defesa e das Relações Exteriores que Israel começou a 'aplainar o terreno' aproximadamente um quilômetro da fronteira com o Líbano para 'necessidades militares' e de modo a evitar um retorno de postos do Hezbollah na área."

"O oficial falou sobre um momento em que 100 aviões sobrevoaram o Líbano e em que as forças do Hezbollah foram 'severamente esmagadas'... Israel tem informações sobre locais em que os foguetes estão sendo escondidos e a Força Aérea está envolvida em interceptá-los. Um oficial do Departamento de Inteligência disse que parece que Nasrallah não tinge sua barba há alguns dias e a razão é simples — 'ele não saiu do poço em que está escondido'."

Exatamente como a propaganda americana se divertiu quando o homem apresentado como Saddam Hussein foi capturado quando estava escondido em um poço cavado no chão, assim está a propaganda israelense retratando o líder do Hamas. Também se diz que ele está se escondendo em um poço!

"O MK Effie Eitam (União Nacional-Partido Religioso Nacional) apoiou as políticas do Exército e do governo durante a reunião, dizendo que 'Não há necessidade de colunas de veículos blindados entrarem em mais vilas que abriguam os membros do Hezbollah. Nasrallah está simplesmente esperando uma operação terrestre das FID. Mas a operação estratégica e tática que está sendo realizada pelas FID é a correta. Nasrallah foi surpreendido pela força física e moral da frente doméstica israelense. Ultrapassamos a barreira do medo do desconhecido.'"

Como é tão comum em tempos de guerra, os políticos que são normalmente contrários a quase tudo o que o governo faz estão apoiando o esforço de guerra. "Força física e moral e paciência pareciam comuns entre os cidadãos israelenses, à medida que alguns estocavam água e comida, enquanto outros procuravam refúgio nos abrigos contra as bombas.

"O ex-presidente do Comitê de Defesa e das Relações Exteriores, o MK Yuval Steinitz (Likud), disse que à luz da exposição apresentada pelo chefe do Estado Maior da FID, ele acreditava que a operação poderá durar várias semanas. 'Os cidadãos de Israel precisam respirar fundo para que as FID consigam alterar a realidade no norte', ele disse. Ele acrescentou: 'Como abandonamos a indústria dos foguetes no norte, nós a estamos abandonando em Gaza — e se isso não for tratado, então dentro de um ou dois anos, eles poderão atingir todo o sul. Existe uma oportunidade de aproveitar a situação e tratar a raiz do problema.'"

"Tratar a raiz do problema" é exatamente o que acreditamos que as FID estão tentando fazer neste momento. A questão é, poderão elas realizar esse "tratamento na raiz do problema" sem uma invasão terrestre na Faixa de Gaza e no Líbano? A resposta a essa pergunta provavelmente está ocupando as mentes dos generais israelenses neste momento. Se Israel lançar um ataque terrestre ao Líbano, precisará da proteção dos Estados Unidos e de outras potências ocidentais. Neste momento, essa proteção parece garantida e firme.

Resumo da Notícia: "Congresso Considera Resolução de Apoio a Israel", Fox News, 18 de julho de 2006.

"Washington — O Senado e a Câmara dos Representantes dos EUA estão se preparando para votar nesta semana resoluções de apoio a Israel e condenar o Hezbollah... A Casa, controlada pelo Partido Republicano, prevê uma votação na quarta-feira de uma resolução de apoio ao direito de Israel de se defender, condenando os ataques de mísseis e foguetes do Hezbollah contra o norte de Israel e apoiando a Casa Branca em sua ação de lidar com a crise... Enquanto isso, no Senado, uma resolução similar está sendo redigida para oferecer suporte a Israel contra seus inimigos de longa data... As resoluções apenas expressam o sentimento das câmaras e não têm força de lei, mas nenhuma das duas deixa de expressar apoio ao direito de Israel de se defender e ambas responsabilizam a Síria e o Irã por contribuírem para o conflito."

O presidente Bush está tão seguro sobre o direito de Israel de se defender que usou uma palavra chula ao explicar sua frustração durante o Encontro de Cúpula do G-8 em São Petersburgo, na Rússia.

Resumo da Notícia: "Frustração Leva Bush a Proferir um Palavrão", CNN News, 17 de julho de 2006.

"O presidente americano George W. Bush expressou sua frustração pela situação no Oriente Médio usando um palavrão em uma conversa com o primeiro-ministro britânico Tony Blair na cimeira do G-8 em São Petersburgo, na segunda-feira. Sem perceber que seus comentários estavam sendo captados por um microfone na cimeira dos líderes mundiais, Bush expressou sua frustração com as ações do Hezbollah. 'Veja, a ironia é que eles realmente precisam conseguir que a Síria faça o Hezbollah parar com essa m... (palavra chula aqui)', Bush disse a Blair em uma discussão antes de os líderes do Grupo dos Oito iniciarem seu almoço."

Com o suporte americano firmemente em suas mãos, os líderes do Encontro de Cúpula do G-8 também expressaram suporte a Israel e raiva em relação ao Hamas e ao Hezbollah.

Resumo da Notícia: "G-8 Move-se em Direção ao Suporte a Israel", The Jerusalem Post, 17/7/2006.

"Os líderes mundiais concordaram no domingo em emitir uma mensagem conjunta sobre a crise no Oriente Médio que refletiu uma significativa virada no suporte ao argumento de Israel que ele tem agido em defesa própria. Em sua declaração, os líderes do Grupo dos Oito pediram que os soldados israelenses seqüestrados em Gaza e no Líbano sejam libertados incólumes; que os ataques de artilharia contra o território israelense terminem; que as operações militares israelenses cessem e que as Forças Israelenses de Defesa se retirem logo das áreas que ocuparam em Gaza; e que os ministros de deputados palestinos que foram presos sejam libertados."

Esse tipo de suporte é muito importante por que os líderes-chave de todo o mundo — os líderes do G8 — expressaram sólido suporte a Israel, apoiando sua justificativa para ir à guerra. Em vez de chamar Israel de agressor, esses líderes reconheceram o direito de Israel de se defender e lançar esses ataques. O fato que eles também pediram para Israel finalizar sua operação militar e libertar os líderes do Hamas que foram presos no início desse conflito não reduz a realidade que os líderes do G-8 reconheceram o direito fundamental de Israel de lançar esses ataques.

O fato que chama a atenção é que a China e a Rússia também assinaram essa declaração, embora regularmente fiquem do lado dos árabes em qualquer conflito. Sem qualquer grande potência vindo em auxílio aos grupos terroristas palestinos, Israel pode saber com certeza que recebeu "cobertura diplomática" para as semanas necessárias para destruir a capacidade militar de todos esses grupos terroristas.

A União Européia suavizou suas críticas a Israel, dando assim ao Estado judaico liberdade diplomática para ação.

Resumo da Notícia: "Líbano: O Mundo Assiste", The Guardian, (Londres), 18 de julho de 2006.

"Os líderes ocidentais permaneceram paralisados ontem enquanto o Líbano sofria um dos mais sangrentos ataques desde que Israel iniciou os bombardeios uma semana atrás. Pela segunda vez em 48 horas, os governos ocidentais se recusaram a intervir quando as forças israelenses, no sexto dia dos ataques aéreos, mataram 47 pessoas e feriram pelo menos 53. O Hezbollah, a milícia apoiada pelo Irã, também aumentou seus ataques, lançando 50 foguetes contra Israel, o número mais alto em um único dia. O número total de mortos desde que Israel iniciou os ataques subiu para 210 no Líbano e para 29 em Israel."

Enquanto os líderes ocidentais permanecem "paralisados", Israel pode continuar com suas operações militares.

"Na noite passada, Ehud Olmert, o primeiro-ministro israelense, desfez as esperanças de uma solução rápida para o conflito, prometendo que as forças militares continuarão a operar com intensidade total. Ele disse que Israel não parará até que os dois soldados capturados sejam libertados, o exército libanês seja mobilizado para proteger a fronteira com o norte de Israel e o Hezbollah seja forçado a se desarmar. Após a decisão no encontro do G-8, em São Petersburgo, no fim de semana, de não intervir, os ministros das relações exteriores da União Européia reunidos em Bruxelas ontem também concordaram em uma declaração conjunta moderada que expôs as divisões entre os governos europeus." (Ibidem).

Até o Irã exortou os palestinos a pararem de atacar Israel — jocosamente, sem dúvida!

Resumo da Notícia: "Irã Adverte o Hezbollah: Contenha os Ataques a Israel", YNET News, 18/7/2006.

"Um jornal em língua árabe informa que o Irã foi advertido por um país europeu que Israel está pronto para atacar alvos na Síria em sua campanha para liquidar o Hezbollah; Teerã envia o ministro das Relações Exteriores a Damasco para exigir que o Hezbollah reduza os ataques a Israel."

Se Israel está sendo apoiado pelos líderes mais poderosos do mundo — o G8 — e se os grupos palestinos sob ataque estão sendo tão vilificados que até o Irã está exortando a Síria a conter o Hezbollah, então a guerra provavelmente ficará contida dentro das restrições sobre as quais a Cutting Edge tem dito desde o início do conflito. Como dissemos no boletim de sábado, 15/7/2006: "Esta guerra provavelmente não explodirá para se transformar na guerra regional no Oriente Médio que dará origem à Terceira Guerra Mundial destinada a colocar o Anticristo no cenário internacional... Como qualquer um que tenha seguido a progressão dessa atual rodada de luta pode ver, Israel está verdadeiramente em guerra. Porém, para descobrir com certeza a direção que essa guerra provavelmente seguirá, é preciso examinar atentamente contra quem Israel está em guerra. Ele está em guerra contra todos os vários grupos palestinos: a Autoridade Palestina, o grupo terrorista Hamas, e o Hezbollah, do Líbano. Também é importante e necessário ver contra quem Israel não está em guerra: Síria, Egito, Jordânia e Irã. Em outras palavras, Israel não está em guerra contra países estabelecidos, mas contra grupos terroristas palestinos."

Neste momento, Israel não quer ir à guerra contra a Síria. O que quer é destruir a capacidade bélica dos grupos terroristas palestinos para que o primeiro-ministro Olmert possa receber o suporte político que necessita para dar início à retirada da Margem Ocidental. Se as FID colocarem o Hezbollah e o Hamas "para comerem pó", por assim dizer, então Olmert poderá iniciar as outras retiradas. Além do mais, uma vez que as FID sufoquem esses grupos terroristas "severamente", os palestinos ficarão advertidos — enquanto o público israelense terá a garantia — que se esses grupos terroristas tentarem atacar novamente após a retirada da Margem Ocidental, as Forças Israelenses de Defesas os matarão novamente.

Acompanhe esses eventos com atenção, pois esse conflito foi iniciado de forma deliberada por Israel para que as FID pudessem ir atrás de todos os grupos terroristas palestinos. Em seguida, a retirada da Margem Ocidental poderá ser iniciada.

O resultado final da retirada da Margem Ocidental será a profetizada aniquilação dos palestinos (leia o artigo N1422), a Guerra Regional que colocará a Síria, a Jordânia e o Egito contra Israel, e o início da Terceira Guerra Mundial, a partir da qual o Anticristo sairá caminhando.



Você está preparado espiritualmente? Sua família está preparada? Você está protegendo seus amados da forma adequada? Esta é a razão deste ministério, fazê-lo compreender os perigos iminentes e depois ajudá-lo a criar estratégias para advertir e proteger seus amados. Após estar bem treinado, você também pode usar seu conhecimento como um modo de abrir a porta de discussão com uma pessoa que ainda não conheça o plano da salvação. Já pude fazer isso muitas vezes e vi pessoas receberem Jesus Cristo em seus corações. Estes tempos difíceis em que vivemos também são tempos em que podemos anunciar Jesus Cristo a muitas pessoas.

Se você recebeu Jesus Cristo como seu Salvador pessoal, mas vive uma vida espiritual morna, precisa pedir perdão e renovar seus compromissos. Ele o perdoará imediatamente e encherá seu coração com a alegria do Espírito Santo de Deus. Em seguida, você precisa iniciar uma vida diária de comunhão, com oração e estudo da Bíblia.

Se você nunca colocou sua confiança em Jesus Cristo como Salvador, mas entendeu que ele é real e que o fim dos tempos está próximo, e quer receber o Dom Gratuito da Vida Eterna, pode fazer isso agora, na privacidade do seu lar. Após confiar em Jesus Cristo como seu Salvador, você nasce de novo espiritualmente e passa a ter a certeza da vida eterna nos céus, como se já estivesse lá. Assim, pode ter a certeza de que o Reino do Anticristo não o tocará espiritualmente. Se quiser saber como nascer de novo, vá para nossa Página da Salvação agora.

Esperamos que este ministério seja uma bênção em sua vida. Nosso propósito é educar e advertir as pessoas, para que vejam a vindoura Nova Ordem Mundial, o Reino do Anticristo, nas notícias do dia-a-dia.

Fale conosco direcionando sua mensagem a um dos membros da equipe de voluntários.

Se desejar visitar o site "The Cutting Edge", dê um clique aqui: http://www.cuttingedge.org

Que Deus o abençoe.

Data de publicação: 20/7/2006
Revisão: V. D. M. — Campo Grande / MS e http://www.TextoExato.com
Patrocinado por: S. F. F. C. — Vargem Grande Paulista / SP
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/n2142.asp