Escolha uma cor para o fundo:  

A Queda do Governo Pró-Ocidente do Líbano e a Pressão Para Que as Tropas da UNIFIL se Retirem do País Podem Já Ter Começado

Recursos úteis para sua maior compreensão

Título do Livro 1


Título do Livro 2


Título do Livro 3

O primeiro ataque à bomba contra a Força Interina das Nações Unidas no Líbano ocorre ao mesmo tempo em que a luta se espalha no país. A sabedoria militar convencional diz que o Líbano precisa ser neutralizado e as tropas da UNIFIL removidas para que as forças islâmicas possam montar um ataque em escala total contra Israel. Esse processo parece estar em curso agora!

A Nova Ordem Mundial está chegando! Você está preparado?

Compreendendo o que realmente é essa Nova Ordem Mundial, e como está sendo implementada gradualmente, você poderá ver o progresso dela nas notícias do dia-a-dia!!

Aprenda a proteger a si mesmo e aos seus amados!

Após ler nossos artigos, você nunca mais verá as notícias da mesma forma.

Agora você está na
"THE CUTTING EDGE"


Antes de concordar em retirar suas tropas do Líbano na guerra de 33 dias entre julho e agosto de 2006, Israel insistiu que as Nações Unidas enviassem uma potente força de paz capaz de impedir os ataques islâmicos contra o Estado judaico. Após as discussões, a ONU concordou em enviar uma força de 13.000 soldados liderados pela França. Essa força de paz parece ser a mais robusta que a ONU já enviou a um país. Acredita-se que ela tenha a capacidade de até derrubar aviões israelenses.

Portanto, parece lógico que os estrategistas islâmicos sentiram a necessidade de fazer pressão sobre essa força interina de paz (chamada de UNIFIL) para que ela se retire e eles possam lançar seu planejado ataque contra Israel. Parecem existir dois modos de conseguir essa retirada:

  1. Atacando sistemática e constantemente as forças da UNIFIL para que o Secretário Geral da ONU ordene a retirada.

  2. Derrubando o atual governo pró-Ocidente do Líbano para que o novo governo "legítimo" exija a retirada da tropa de paz. Esse curso de ação parecia para mim o mais provável, até o ataque suicida contra as tropas espanholas que ocorreu nesta semana. Talvez os estrategistas islâmicos estejam buscando ambas as alternativas para ver qual delas traz os primeiros resultados!

Vamos analisar o ataque mortífero contra a tropa de paz da ONU.

Resumo da Notícia: "Seis soldados da força de paz da ONU são mortos no Líbano", The Australian News, 25 de junho de 2007.

"Um carro-bomba 'muito provavelmente' dirigido por um suicida, matou seis soldados da tropa de paz da ONU no sul do Líbano... Foi o primeiro ataque mortal contra a força de 13.000 soldados da ONU desde a guerra entre Israel e o Hezbollah no ano passado e foi criticado pelos EUA, França e outros países. Uma fonte policial disse que um carro totalmente desfigurado foi encontrado no local com restos humanos em seu interior."

"O Ministro da Defesa espanhol, José Antonio Alonso, disse que três soldados espanhóis e três colombianos, todos servindo no Exército espanhol, foram mortos na explosão. Três outros soldados espanhóis ficaram feridos, ele disse."

A explosão foi de grandes proporções.

"O ataque atingiu dois veículos da ONU perto da cidade de Khiyam, no sul do Líbano. Testemunhas disseram que a munição no veículo usado para o transporte de tropas detonou após a explosão inicial. Dois soldados que estavam no alto do veículo foram arremessados a dezenas de metros de distância. Os dois que morreram dentro ficaram tão queimados que não puderam ser identificados." [Ibidem].

"Em 2 de junho, um porta-voz do Fatah al-Islam, um grupo sunita inspirado na Al Quaeda, que há cinco semanas combate o Exército libanês em um campo de refugiados perto de Trípoli, acusou a UNIFIL de bombardear o campo. A UNIFIL nega. Alguns dias mais tarde, uma pequena bomba foi encontrada e desativada em Tiro, perto de um balneário freqüentado pelos soldados da UNIFIL."

Alguns dias atrás, o DEBKAfile Intelligence observou que uma pequena bomba tinha sido encontrada e desativada em Tiro. Os especialistas deles acreditam que os planejadores islâmicos estrategicamente plantaram essa bomba, querendo que ela fosse encontrada, como um modo de advertir a UNIFIL que eles agora estavam dispostos a atacar. Talvez esse primeiro ataque suicida tenha sido a confirmação da advertência inicial.

As condenações vieram bem depressa.

"Políticos libaneses se reuniram para condenar o ataque, que Saad Al-Hariri, o líder sunita da coalizão apoiada pelos países ocidentais, descreveu como 'um grave ataque terrorista'. O primeiro-ministro Fouad Siniora telefonou para seu colega espanhol para deplorar o ataque à bomba. Em Paris, a Secretária de Estado dos EUA, Condoleezza Rice acompanhou o Ministro das Relações Exteriores da França, Bernard Kouchner, na condenação ao ataque. A Espanha tem 1.100 soldados servindo nas forças da UNIFIL, que patrulha o sul e as águas costeiras do Líbano."

A Espanha tem 1.100 soldados na força total de 13.000 homens da UNIFIL. O governo espanhol foi o primeiro a ordenar a retirada de suas tropas do Iraque, de modo que talvez essa demonstração anterior de pusilanimidade tenha levado os líderes islâmicos a concluir que os espanhóis eram o elo mais fraco na cadeia da UNIFIL.

Como seria muito difícil lutar contra essa força robusta e bem-equipada de 13.000 soldados, além de lutar contra Israel, parece lógico para mim que esses ataques continuarão e crescerão em intensidade e na freqüência de suas ocorrências, até que o Secretário-Geral da ONU ordene a retirada das tropas. Assim que você ouvir notícias dessa retirada, pode saber que a guerra iniciará pouco tempo depois.

Como dissemos anteriormente, talvez o modo mais fácil e rápido de conseguir a retirada da UNIFIL do sul do Líbano seria derrubar o atual governo pró-Ocidente do primeiro-ministro Siniora, um governo que está instável e cambaleante neste momento. Portanto, não devemos nos surpreender ao saber que a luta entre o Exército libanês e os militantes islâmicos está ocorrendo novamente, e em outras áreas além do campo de refugiados palestinos de Nahr el-Bared nas imediações de Trípoli.

Resumo da Notícia: "10 mortos no confronto entre tropas libanesas e militantes", The Jerusalem Post, 24 de junho de 2007.

"Tropas libanesas enfrentaram radicais suspeitos de pertencerem à Al Qaeda, que estavam em suas posições em um edifício na cidade portuária de Trípoli, no norte do Líbano, na manhã de domingo, e dez pessoas foram mortas, incluindo um soldado e seis militantes... Os choques no sábado à noite e novamente na manhã de domingo no bairro de Abu Samra, em Trípoli, marcaram uma nova escalada na batalha do Exército contra os radicais islâmicos, ao mesmo tempo em que a luta se deslocava do devastado campo de refugiados palestinos de Nahar el-Bared, nas imediações de Trípoli, para a cidade... Seis militantes também foram mortos, disseram as autoridades, acrescentando que as tropas de choque invadiram o edifício e estavam se aproximando do fim da operação."

Observe que esse combate "marcou uma nova escalada na batalha do Exército contra os militantes islâmicos."

Essa escalada era esperada se o objetivo é desestabilizar tanto o governo atual que ele venha a cair. Se e quando ele cair, um governo pró-Síria inevitavelmente o substituirá. Esse novo governo poderá então exigir a retirada da tropa de paz da UNIFIL e até mesmo definir um prazo para que a retirada aconteça. Um ataque total praticado pelo Hezbollah pode ser esperado logo após a partida das tropas da ONU.

Israel está observando esses acontecimentos e seus serviços de Inteligência também acreditam que essas ações acabarão levando à guerra — e em pouco tempo.

Resumo da Notícia: "Israel se prepara para uma guerra em julho contra cinco inimigos", World Tribune, 25 de junho de 2007.

"Jerusalém — Israel está se preparando para uma guerra iminente contra o Irã, Síria e/ou seus clientes. A Inteligência Militar Israelense projeta que um grande ataque possa vir de qualquer um dos cinco adversários no Oriente Médio. Os oficiais da Inteligência dizem que esse ataque poderá ser a centelha para a deflagração de uma guerra, talvez até no próximo mês. No domingo, o chefe da Inteligência Militar, o major-brigadeiro Amos Yadlin disse ao Gabinete que o Estado judaico enfrenta cinco adversários naquilo que poderá resultar em uma confrontação iminente. Yadlin citou o Irã, Síria, o Hezbollah, o Hamas e a Al Qaeda."

Já há algum tempo que a Cutting Edge adverte que Israel será atacado pela Síria, pelo Hezbollah e pelo Hamas. Se o Irã se envolverá diretamente ou não, é algo que está aberto para o debate, e acreditamos que a "Al Qaeda" é simplesmente uma invenção do governo americano de modo a justificar a "Guerra Contra o Terror" do presidente Bush. Entretanto, uma comissão do Congresso americano produziu um relatório em dezembro de 1996, que dizia que o Irã, a Síria e os palestinos seriam as principais nações a atacarem Israel e seriam seguidos rapidamente pelo Egito. (Leia os artigos N1056 e N1057, "A Próxima Guerra Árabe-Israelense Está Próxima — Partes 1 e 2")

Com o Egito entra nessa equação, a ação do presidente Mubarak no sábado passado de subitamente reverter sua posição e apoiar o Hamas precisa ser encarada pela Inteligência Israelense como uma questão muito séria, talvez até como um prelúdio para a guerra.

Resumo da Notícia: "Em reversão súbita, o Egito decide suspender o bloqueio contra o Hamas em Gaza, um dia após declarar que o golpe era ilegal", DEBKAfile Intelligence, 24 de junho de 2007.

"A surpreendente reversão da posição do presidente Hosni Mubarak torna sem sentido a conferência que ele mesmo convocou no balneário de Sharm al Sheik, na segunda-feira, 25 de junho, para discutir a crise da tomada do poder pelo Hamas. No sábado, ele criticou o Hamas por realizar um golpe ilegal. No domingo, 24 de junho, nossas fontes da Inteligência exclusivas reportam que uma delegação oficial de alto escalão chefiada pelo Ministro do Interior do Hamas, Siad Sayam — que deve ter sido o cérebro que planejou o golpe do Hamas em Gaza — recebeu a permissão de deixar Gaza com quinze comandantes de alto nível do Hamas que chefiaram a ação militar contra o Fatah na semana passada. Os carros da delegação tinham placas oficiais do governo palestino. Unidades da Segurança egípcia acompanharam o comboio de Rafah até o Aeroporto Internacional do Cairo, de onde a delegação do Hamas embarcou para Damasco."

Observe que forças de Segurança egípcia permitiram que quinze comandantes do Hamas deixassem a Faixa de Gaza e embarcassem em um avião com destino à Síria. Essa cooperação egípcia deve ter sido autorizada no nível mais alto do governo, o que significa "o presidente Mubarak". O segmento a seguir fala sobre essa realidade:

"Fontes militares do DEBKAfile descrevem a ação do governo do Cairo como um tapa na cara dos três líderes convidados pelo presidente Mubarak para a conferência em Sharm el-Sheik — o rei Abdullah da Jordânia, o primeiro-ministro de Israel Olmert, e o líder palestino Mahmoud Abbas. Ele convocou o encontro originalmente para discutir modos de isolar o Hamas e forçá-lo a se submeter. A reversão de sua posição foi também uma mensagem para o novo Ministro da Defesa de Israel, Ehud Barak, que participou de sua primeira reunião com o Gabinete no domingo em Jerusalém. Ao ajudar o ministro do Hamas a cargo da Defesa a partir em uma viagem para consultas militares com os líderes sírios, o governo Mubarak estava informando Israel que se alinharia com o Hamas contra qualquer ação militar ordenada por Barak contra os líderes islâmicos que agora governam Gaza. Desde que o Hamas tomou o controle, os ataques de mísseis Qassam e de morteiros contra Israel são uma ocorrência diária."

Você entendeu? O presidente Mubarak está claramente se alinhando atrás do governo radical do Hamas em qualquer confrontação contra Israel. Se o Ministro da Defesa Barak planeja, como se diz, uma invasão na Faixa de Gaza com 20.000 soldados das Forças Israelenses de Defesa, ele precisa levar em conta a provável resposta egípcia de apoiar o Hamas. Esse tipo de ação pode facilmente levar a uma guerra. Precisamos ficar atentos a qualquer notícia de que o Egito esteja aumentando sua presença militar contra Israel.

A possibilidade de um aliado de longa data dos EUA (o presidente Mubarak) subitamente se voltar contra eles é um fato muito sério, pois representa uma grande mudança de atitude que está ocorrendo atualmente contra as políticas externas dos EUA e de Israel em todo o Oriente Médio. Por diversas razões, os povos, partidos e governos islâmicos estão se voltando como um só contra a política externa do Ocidente e de seus líderes.

O resultado provável é uma guerra total, o tipo de guerra no Oriente Médio que está planejado para provocar a Terceira Guerra Mundial, a partir da qual surgirá o Cristo maçônico (o bíblico Anticristo).

A guerra parece ser a "escrita na parede".



Você está preparado espiritualmente? Sua família está preparada? Você está protegendo seus amados da forma adequada? Esta é a razão deste ministério, fazê-lo compreender os perigos iminentes e depois ajudá-lo a criar estratégias para advertir e proteger seus amados. Após estar bem treinado, você também pode usar seu conhecimento como um modo de abrir a porta de discussão com uma pessoa que ainda não conheça o plano da salvação. Já pude fazer isso muitas vezes e vi pessoas receberem Jesus Cristo em seus corações. Estes tempos difíceis em que vivemos também são tempos em que podemos anunciar Jesus Cristo a muitas pessoas.

Se você recebeu Jesus Cristo como seu Salvador pessoal, mas vive uma vida espiritual morna, precisa pedir perdão e renovar seus compromissos. Ele o perdoará imediatamente e encherá seu coração com a alegria do Espírito Santo de Deus. Em seguida, você precisa iniciar uma vida diária de comunhão, com oração e estudo da Bíblia.

Se você nunca colocou sua confiança em Jesus Cristo como Salvador, mas entendeu que ele é real e que o fim dos tempos está próximo, e quer receber o Dom Gratuito da Vida Eterna, pode fazer isso agora, na privacidade do seu lar. Após confiar em Jesus Cristo como seu Salvador, você nasce de novo espiritualmente e passa a ter a certeza da vida eterna nos céus, como se já estivesse lá. Assim, pode ter a certeza de que o Reino do Anticristo não o tocará espiritualmente. Se quiser saber como nascer de novo, vá para nossa Página da Salvação agora.

Esperamos que este ministério seja uma bênção em sua vida. Nosso propósito é educar e advertir as pessoas, para que vejam a vindoura Nova Ordem Mundial, o Reino do Anticristo, nas notícias do dia-a-dia.

Fale conosco direcionando sua mensagem a um dos membros da equipe de voluntários.

Se desejar visitar o site "The Cutting Edge", dê um clique aqui: http://www.cuttingedge.org

Que Deus o abençoe.

Data de publicação: 30/6/2007
Revisão: V. D. M. — Campo Grande / MS e http://www.TextoExato.com
Patrocinado por: S. F. F. C. — Vargem Grande Paulista / SP
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/n2216.asp