Escolha uma cor para o fundo:  

Compreensão Profética para o Fim dos Tempos: a Influência dos EUA na Região do Oriente Médio Deverá Cair e a da Rússia Subir

Recursos úteis para sua maior compreensão

Título do Livro 1


Título do Livro 2


Título do Livro 3

O presidente Obama está se preparando para retirar a presença americana do Oriente Médio e abandonar Israel à sua própria sorte. Os líderes dos países islâmicos e da Rússia já detectaram esse lance diplomático e em Israel a população está começando a entrar em pânico.

A Nova Ordem Mundial está chegando! Você está preparado?

Compreendendo o que realmente é essa Nova Ordem Mundial, e como está sendo implementada gradualmente, você poderá ver o progresso dela nas notícias do dia-a-dia!!

Aprenda a proteger a si mesmo e aos seus amados!

Após ler nossos artigos, você nunca mais verá as notícias da mesma forma.

Agora você está na
"THE CUTTING EDGE"

Desde o início da formação do moderno Estado de Israel, os EUA foram um sólido aliado. Não somente o suporte do presidente Harry Truman foi crucial para a criação de Israel pelas Nações Unidas, em 14 de maio de 1948, mas o presidente Nixon colocou-se diante da Rússia durante a Guerra do Yom Kippur, de 1973, protegendo Israel por um lado, ao mesmo tempo que deslocou recursos militares que estavam estocados na Europa para reabastecer as Forças Israelenses de Defesa, que estavam sitiadas. Até hoje, muitos cidadãos israelenses consideram Nixon um verdadeiro herói por ter ajudado o povo judeu.

Repetidas vezes depois, presidentes americanos demonstraram uma amizade leal ao minúsculo Israel. Até mesmo o presidente Obama garantiu repetidamente nos últimos cinco anos que estava comprometido com Israel.

Mas, nós últimos meses, as ações de Obama deixaram Israel alarmado, pois o presidente americano parece determinado a retirar a presença dos EUA do Oriente Médio, deixando Israel sozinho para enfrentar seus inimigos implacáveis. A população de Israel é de somente 8 milhões de habitantes, mas seus amargos inimigos árabes chegam a 400 milhões!

Vejamos agora os fatos:

Resumo da Notícia: "Temor em Israel: Terminaremos totalmente sozinhos aqui", Eitan Haber, Israel National News, 22/9/2013.

"Cansada de seu papel de liderança no mundo, a América deixará lentamente o Oriente Médio — e Israel — para trás. Não haverá um resposta americana oficial às questões levantadas aqui e, se houver — discutirá 'interesses idênticos, valores morais compartilhados... Os EUA apoiaram Israel desde sua formação e ficarão ao seu lado no futuro também.' A resposta não-oficial será algo como 'hummm'. E a resposta real, provável e infelizmente, poderá ser: 'Há alguma coisa aqui.'"

De fato, as questões levantadas neste editorial são reais e tão óbvias que até um cego pode ver imediatamente e com grande clareza.

O presidente Barack Obama — que provavelmente é um muçulmano no fundo do coração — está começando a mover os EUA para fora do Oriente Médio, abandonando os aliados na região ao poder da Rússia e dos árabes que estão energicamente se movendo por trás do urso russo. Vamos examinar as questões apresentadas por Eitan Haber, em Israel National News.

"A América, se podemos generalizar, está nos abandonando — o Oriente Médio em geral e Israel em particular. Nâo é uma questão de semanas, meses, ou até de um ano. É um processo que levará um longo tempo, e quando terminar, estaremos aqui, no Oriente Médio, totalmente sozinhos. Seremos nós contra os países árabes no primeiro círculo mais próximo, no segundo e no mais distante círculo: o círculo mais atemorizador, que inclui os 1,25 bilhões de muçulmanos no mundo hoje."

O conceito que Israel enfrentará inimigos em três círculos concêntricos é uma ideia aterradora. Quais são esses três círculos de inimigos muçulmanos que Israel está enfrentando?

Cada muçulmano em cada um desses círculos simplesmente não consegue esperar o dia em que o minúsculo Israel será esmagado.

Por que a liderança política dos EUA está cansada dos problemas no Oriente Médio? Vejo várias razões por que os líderes americanos estão ficando cansados com esta região extremamente volátil:

1) Os problemas parecem insolúveis. O presidente Nixon e seu Assessor de Segurança Nacional, Henry Kissinger, tentaram a "diplomacia da ponte aérea" em 1973, em um esforço de criar a paz no Oriente Médio. Desde aquele tempo, o presidente e seus secretários de Estado tentaram repetidamente atenuar a fúria palestina criando um Estado Palestino, mas sem sucesso.

2) Após os ataques de 11/9/2001, o presidente Bush lançou a invasão ao Afeganistão (novembro de 2001) e ao Iraque (março de 2003) em que centenas de milhares de vidas foram perdidas e mais de 6 trilhões de dólares foram gastos, tudo sem obter resultado algum. Hoje, os comentaristas concordam com a posição adotada por este ministério cristão em 2007, quando declaramos que todos os esforços no Afeganistão e no Iraque não conseguiriam atingir os objetivos oficiais definidos originalmente pela Casa Branca.

A sociedade americana está cansada de perder seus familiares queridos e seu dinheiro no Oriente Médio.

3) Com a produção interna de petróleo nos EUA crescendo rapidamente, a importância do petróleo do Oriente Médio está caindo e acho que o cidadão americano mediano está começando a compreender esta nova realidade. Os EUA não precisam mais ir à guerra se alguém tentar fechar o Estreito de Ormuz. Em termos de considerações geopolíticas, o Oriente Médio está perto de se tornar irrelevante para a saúde econômica do resto do mundo.

Retornando à matéria de notícia anterior:

"Muito já foi dito e escrito sobre a América voltar a se preocupar com seus problemas internos... sobre a diminuição do poder judaico, sobre um governo que está cada vez menos interessado em competir com a a Rússia..."

Todos estes fatores são verdadeiros e devem ser preocupantes para qualquer observador experiente de Israel hoje. Considere o quão importante o comprometimento da América é para o cidadão israelense mediano:

"Os EUA estão segurando nossas mãos e nos afetam muito positivamente. Sem os EUA não teríamos vida, certamente não vida econômica e segurança. Nossa segurança neste momento depende quase que totalmente dos EUA..."

Israel tem toda razão para estar preocupado. Sob a liderança de um presidente que muitos acreditam que seja um muçulmano em seu coração, os EUA estão retirando lentamente suas forças da região, abandonando o papel de liderança para a Rússia e o presidente americano está na verdade apoiando os assassinos islâmicos radicais na Síria, contra os quais os EUA lutam desde 9/11/2001!

Uma Firmeza Sem Precedentes da Rússia Diante da uma Fraqueza Sem Precedentes dos EUA

Para esta parte do estudo, precisamos voltar alguns anos no tempo. Veja, mesmo durante a administração do presidente Bush, muitas nações começaram a sentir uma crescente fraqueza americana. Na verdade, os EUA se tornaram continuamente mais fracos desde a invasão ao Afeganistão e ao Iraque, após os ataques de 11/9/2001.

Para os propósitos deste estudo, enfocaremos o aumento dramático na diplomacia da Rússia e em suas posições no Oriente Médio — a área particular em que a profecia bíblica diz a Rússia exercerá um papel importante nos eventos do fim dos tempos.

Ao estudarmos o que a Rússia está fazendo, torna-se óbvio para nós que ela está fornecendo armamentos sofisticados e desenvolvendo relações diplomáticas precisamente com as nações que a profecia de Ezequiel 38-39 menciona que marcharão contra Israel. Hoje, vamos examinar o súbito crescimento da firmeza que a Rússia está demonstrando em todo o mundo. Parece que a Rússia está literamente desafiando os EUA a fazerem alguma coisa a respeito do crescente poder e autoridade da Rússia no mundo.

Resumo da Notícia: "China e Rússia Começam a Provocar Washington", Linda Heard, Arab News, 14 de agosto de 2007.

"Os governos de Moscou e de Pequim estão trabalhando em conjunto e parecem determinados a enviar um recado à Casa Branca, que traduzido poderia significar: 'Não mexa conosco' e 'Fique longe de nossos aliados.' Os dois países estão atualmente praticando seus jogos de guerra com o Usbequistão, Tajiquistão, Casaquistão e Quirguistão, todos membros da Organização de Cooperação de Xangai, considerada uma zona-tampão para as ambições dos EUA ao petróleo e gás natural na região do Mar Cáspio. A Organização de Cooperação de Xangai afirma que sua missão é enfrentrar o terrorismo, mas ao mesmo tempo que o Irã, a Índia, o Paquistão e a Mongólia foram convidados a participarem de um encontro de cúpula em 16 de agosto passado, os EUA foram rejeitados."

O único modo em que a Rússia e a China podem estar sarcasticamente provocando os EUA deste modo é se tiverem perdido o medo das capacidades militares dos EUA. Talvez eles estejam pensando em outras histórias, como as seguintes:

Resumo da Notícia: "Aumentar a presença pode se provar difícil para o Exército Americano: Desgastadas por quase seis anos de guerra, as forças de combate do Exército estão exaustas", Lolita C. Baldor, Associated Press, reimpresso por "The Tennessean.com", 20/8/2007.

"Washington — Desgastadas por quase seis anos de guerra, as forças de combate do Exército estão praticamente exaustas e sem opções, caso o governo Bush decida estender a presença no Iraque para além da próxima primavera. As 38 unidades de combate disponíveis estão já em uso, retornando para casa, ou preparadas para irem para o Iraque, para o Afeganistão, ou para outras partes do mundo, não deixando tropas descansadas para substituir as cinco brigadas adicionais que o presidente Bush enviou a Bagdá neste ano... Para uma nação já fatigada pela guerra e um Congresso que está inclinado a trazer as tropas de volta para casa, nada disso é desejável."

"Agora que os britânicos estão retirando as tropas do sul do Iraque, em que Basra é a cidade principal, esses soldados americanos já cansados poderão ser solicitados a colocar sobre os ombros uma carga que não estava prevista alguns meses atrás — guardar a área do sul, que faz fronteira com o Irã e proteger a linhas de comunicações norte-sul para o tempo quando as tropas começarem a se retirar para as bases protegidas no Kuwait."

O presidente Bush removeu caladamente todos os porta-aviões e seus grupos de batalha naval do Golfo Pérsico, após eles terem sido enviados para lá para ameaçar o Irã com um ataque físico. Esses grupos de batalha naval entraram no Golfo Pérsico com grande estardalhaço e retórica pública ameaçadora, mas depois receberam ordem de se retirarem da região. Publicamos um artigo criticamente importante sobre este assunto, N2225, intitulado "U.S. Quietly Pulls All Naval Carrier Groups Out of The Persian Gulf!" (não traduzido).

Todos estes elementos dentro do Iraque se acrescentam à diminuição das forças americanas nesta região crítica, e do mundo como um todo.

Agora, vamos examinar um par de exemplos em que a Rússia está conquistando influência na região e impondo sua agenda diplomática e/ou militar aos países que exercem um papel proeminente nas profecias do fim dos tempos:

Resumo da Notícia: "Putin endurece sua posição contra os EUA e seus aliados", China Daily News, 1-8-2007.

"A Rússia ultimamente parece estar enrijecendo sua posição diplomática ao enfrentar forte pressão de várias frentes. O presidente russo Vladimir Putin não conseguiu chegar a um consenso com seu colega americano George W. Bush quando este 'calorosamente' lhe deu as boas-vindas durante sua visita aos EUA no início do mês. Em 14 de julho, a Rússia anunciou que tinha parado temporariamente de implementar o Tratado Sobre Forças Armadas Convencionais na Europa (CFE), citando 'circunstâncias atuais extraordinárias' como uma razão, e declarou que o país 'precisava manter sua segurança nacional'."

Como se essa conversação não fosse dura o suficiente, a Rússia então fez unilateralmente duas decisões diplomáticas diante da determinada pressão americana.

1) "... durante a paralisação temporária, a Rússia não estaria sujeita a qualquer acordo internacional sobre a limitação de armas convencionais, e decidiria a quantidade específica de armamento conforme o desenvolvimento da situação política e militar internacional requeresse."

2) "... em seu encontro com serviços militares e de segurança russos de alto nível na última quarta-feira, Putin citou diversas 'ameaças globais' que a Rússia precisa estar preparada para enfrentar. As ameaças incluem os planos que estão sendo levados adiante pelos EUA de posicionarem forças na Europa Oriental e a paralisação da ratificação do CFE na Europa."

Pela primeira vez desde o fim da Guerra Fria, os líderes russos estão considerando ativamente os interesses globais da Rússia e estão procurando ativamente as "ameaças globais", especialmente aquelas que vêm dos EUA. A Guerra Fria mostra sinais de que está sendo reativada, porém com uma Rússia muito mais forte e os EUA muito mais fracos."

No meio da deterioração das relações entre Síria e Israel, a Rússia joga duas cartas de trunfo.

Resumo da Notícia: "O Jogo do Poder de Putin", Simon Tisdall, The Guardian (Grã-Bretanha), 16 de agosto de 2007.

"A declaração feita anteriormente neste mês pelo almirante Vladimir Masorin, comandante da Marinha Russa, que Moscou pretende restabelecer uma presença naval permanente no Mediterrâneo, está sob atento exame de Washington a Tel Aviv... a decisão terá inúmeras implicações desafiadoras, indo desde o monopólio regional do poder naval da Sexta Frota dos EUA até a segurança das rotas de suprimento de energia transcaucasianas e do norte da África."

"Mas, é a possibilidade de a Rússia reativar suas bases navais do tempo da Guerra Fria, na Síria, nos portos de Tartus e Latakia, que poderão ter o impacto geopolítico mais dramático. Os analistas dizem que a decisão poderá complicar as tentativas do Ocidente de chegar a acordos no Líbano e nos territórios palestinos. Mísseis defensivos e sistemas de vigilância em torno das instalações russas poderão também mudar o equilíbrio militar, deixando Israel em desvantagem."

O que este último parágrafo diz é que a Rússia terá de erguer teias de proteção da mais alta tecnologia acima e em volta dos portos sírios. Durante o tempo de guerra, Israel poderá ter seus aviões derrubados por esses sistemas de mísseis russos quando forem enviados para bombardear alvos na Síria.

Mas, a Rússia também tomou uma rota mais direta para garantir a sobrevivência da Síria no caso de uma guerra com Israel.

Resumo da Notícia: "As Forças Israelenses de Defesa Advertem: O sistema anti-aéreo da Síria é o mais avançado do mundo", YNET News, 13-8-2007.

"A Síria possui o sistema anti-aéreo mais avançado do mundo, após a aquisição continuada de sistemas de armamentos russos... Em uma aposta para responder à supremacia da Força Aérea Israelense, o governo de Damasco fez grandes esforços nos últimos anos para melhorar sua capacidade em termos de mísseis terra-terra e terra-ar. De acordo com a fonte militar, como parte desses esforços, os sírios compraram os mísseis terra-ar mais avançados dos russos, considerados o que há de mais avançado em tecnologia de interceptação de aviões. Alguns desses mísseis foram tirados da linha de produção antes mesmo de serem colocados em serviço na Rússia. A pressa de Damasco em adquirir o armamento anti-aéreo é uma das características mais proeminentes dos preparativos dos sírios para um possível conflito com Israel."

Você compreendeu esta importantíssima declaração?

A Rússia enviou novíssimios sistemas de mísseis de defesa para a Síria, antes mesmo de as forças russas receberem esses sistemas! Este é um tremendo comprometimento por parte da Rússia, que investe em uma futura guerra com Israel. Se Israel tem aviões que podem penetrar nesse sistema de mísseis anti-aéreos, suas perdas serão muito maiores do que seriam sem esses sistemas. A redução no número de aviões da Força Aérea é uma grande preocupação para os comandantes israelenses, pois Israel possui poucos aviões.

Você vê agora por que os países ocidentais estavam tão relutantes em criar uma zona de exclusão no espaço aéreo da Síria? Com este avançado sistema anti-aviões já instalado na Síria, podem os russos que operam o sistema derrubar os mísseis de cruzeiro? Talvez o presidente Obama tenha desistido de atacar a Síria por que o Pentágono o advertiu que as forças americanas poderiam sofrer perdas significativas se lançassem bombardeiros e mísseis contra alvos na Síria.

Desde 2007, a Síria, o Irã e a Rússia estão observando o equilíbrio de poder aparentemente se distanciar dos EUA/Israel para Rússia/Síria/Irã.

Deus Protegerá Israel no Fim dos Tempos

Em toda a história nacional de Israel, um dos principais modos de Deus validar Suas afirmações de soberania sobre o mundo é protegendo Israel de seus muitos inimigos, especialmente quando esses inimigos são em número vastamente superior. Quando Israel, com poucos soldados e com poucas armas, é capaz de decisivamente derrotar seus inimigos na batalha, Deus recebe a glória. Vamos analisar algumas das promessas que Deus fez, e manteve, para proteger Israel militarmente:

"O SENHOR entregará, feridos diante de ti, os teus inimigos, que se levantarem contra ti; por um caminho sairão contra ti, mas por sete caminhos fugirão da tua presença." [Deuteronômio 28:7].

"Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará. Direi do SENHOR: Ele é o meu Deus, o meu refúgio, a minha fortaleza, e nele confiarei. Porque ele te livrará do laço do passarinheiro, e da peste perniciosa. Ele te cobrirá com as suas penas, e debaixo das suas asas te confiarás; a sua verdade será o teu escudo e broquel. Não terás medo do terror de noite nem da seta que voa de dia,. nem da peste que anda na escuridão, nem da mortandade que assola ao meio-dia. Mil cairão ao teu lado, e dez mil à tua direita, mas não chegará a ti." [Salmos 91:1-7].

Na verdade, todo o Salmo 91 registra a proteção que Deus dá a Israel contra seus inimigos externos. A única vez que Israel tinha de temer seus inimigos era quando estava vivendo em rebelião direta contra Deus.

Proteção no Fim dos Tempos para Israel, Após sua Restauração

"E naquele tempo se levantará Miguel, o grande príncipe, que se levanta a favor dos filhos do teu povo, e haverá um tempo de angústia, qual nunca houve, desde que houve nação até àquele tempo; mas naquele tempo livrar-se-á o teu povo, todo aquele que for achado escrito no livro." [Daniel 12:1].

"O Egito se fará uma desolação, e Edom se fará um deserto assolado, por causa da violência que fizeram aos filhos de Judá, em cuja terra derramaram sangue inocente. Mas Judá será habitada para sempre, e Jerusalém de geração em geração." [Joel 3:19-20].

"E trarei do cativeiro meu povo Israel, e eles reedificarão as cidades assoladas, e nelas habitarão, e plantarão vinhas, e beberão o seu vinho, e farão pomares, e lhes comerão o fruto. E plantá-los-ei na sua terra, e não serão mais arrancados da sua terra que lhes dei, diz o SENHOR teu Deus." [Amós 9:14-15].

Nota: Os judeus ortodoxos hoje em Israel estão apontando para versos como estes como prova que Israel não será derrotado na batalha, mas que prevalecerá e se expandirá para contrar todo o território que Deus prometeu a Abraão. Eles estão familiarizados com as profecias do Velho Testamentos que compartilhei acima. A confiança nessas profecias é o fundamento para a confiança que os judeus ortodoxos sentem quando promovem o conceito do "Grande Israel".

"Porque o dia do SENHOR está perto, sobre todos os gentios; como tu fizeste, assim se fará contigo; a tua recompensa voltará sobre a tua cabeça. Porque, como vós bebestes no meu santo monte, assim beberão também de contínuo todos os gentios; beberão, e sorverão, e serão como se nunca tivessem sido. Mas no monte Sião haverá livramento, e ele será santo; e os da casa de Jacó possuirão as suas herdades. E a casa de Jacó será fogo, e a casa de José uma chama, e a casa de Esaú palha; e se acenderão contra eles, e os consumirão; e ninguém mais restará da casa de Esaú, porque o SENHOR o falou. E os do sul possuirão o monte de Esaú, e os das planícies, os filisteus; possuirão também os campos de Efraim, e os campos de Samaria; e Benjamim possuirá a Gileade. E os cativos deste exército, dos filhos de Israel, possuirão os cananeus, até Zarefate; e os cativos de Jerusalém, que estão em Sefarade, possuirão as cidades do sul. E subirão salvadores ao monte Sião, para julgarem o monte de Esaú; e o reino será do SENHOR." [Obadias 15-21].

Existem então as promessas que Deus protegerá Israel e Jerusalém dos inimigos nos últimos dias, que cercarão a cidade, ameaçando-a com uma destruição avassaladora. Os judeus ortodoxos em Israel também conhecem essas profecias e aguardam que elas também sejam cumpridas pelo seu Messias:

"Naquele dia o SENHOR protegerá os habitantes de Jerusalém; e o mais fraco dentre eles naquele dia será como Davi, e a casa de Davi será como Deus, como o anjo do SENHOR diante deles. E acontecerá naquele dia, que procurarei destruir todas as nações que vierem contra Jerusalém." [Zacarias 12:8-9].

"Porque eu ajuntarei todas as nações para a peleja contra Jerusalém; e a cidade será tomada, e as casas serão saqueadas, e as mulheres forçadas; e metade da cidade sairá para o cativeiro, mas o restante do povo não será extirpado da cidade. E o SENHOR sairá, e pelejará contra estas nações, como pelejou, sim, no dia da batalha." [Zacarias 14:2-3].

Agora, observe o verso seguinte, pois o próprio Messias será aquele que protegerá Israel contra os exércitos que estiverem ao redor. Quando Ele aparecer, Seus pés tocarão o Monte das Oliveiras, que será partido em dois por um grande terremoto:

"E naquele dia estarão os seus pés sobre o monte das Oliveiras, que está defronte de Jerusalém para o oriente; e o monte das Oliveiras será fendido pelo meio, para o oriente e para o ocidente, e haverá um vale muito grande; e metade do monte se apartará para o norte, e a outra metade dele para o sul." [Zacarias 14:4].

Os judeus ortodoxos estão esperando o dia em que eles estarão cercados por exércitos hostis no tempo do fim e que esses exércitos serão extremamente poderosos, até irresistíveis. Mas, quando a situação for desesperadora, eles esperam que o Messias aparecerá, virá em seu auxílio e aniquilará totalmente as forças inimigas.

O tempo está se aproximando quando o próprio Deus terá de defender Israel, por que seus aliados o abandonaram? Os eruditos bíblicos modernos já observaram que os EUA não são mencionados nas profecias sobre o fim dos tempos! Quando a Rússia liderar o consórcio de nações para atacar Israel, nenhum país amigo de Israel se apresentará para se opor à marcha dos russos.

Onde estarão os EUA? Acredito que os EUA já terão retirado seu manto de proteção sobre Israel porque a Casa Branca diplomaticamente retirou seu poder e autoridade em todo o Oriente Médio. Quando a Rússia marchar a longa distância até Israel, posso ver o presidente Obama emitir um fraco protesto diplomático à Rússia. Você se lembra o que diz a profecia sobre as palavras exatas desse protesto fraco e ineficaz quando as poderosas forças lideradas pela Rússia marcharem contra Israel?

"Sebá e Dedã, e os mercadores de Társis, e todos os seus leõezinhos te dirão: Vens tu para tomar o despojo? Ajuntaste a tua multidão para arrebatar a tua presa? Para levar a prata e o ouro, para tomar o gado e os bens, para saquear o grande despojo?" [Ezequiel 38:13].

Posso ouvir o presidente Obama emitir esse protesto acanhado. O velho e trapaceiro Nixon disse aos russos que enfrentaria as tropas terrestres deles em Israel com paraquedistas, se eles interviessem na Guerra do Yom Kippur, em 1973, e apenas para garantir que os russos tinham compreendido o recado, Nixon ordenou que as forças nucleares americanas fossem colocadas em alerta total. Os russos recuaram.

Mas, se os russos invadirem Israel durante o mandato do presidente Obama, ou durante o mandato de outro presidente democrata progressista, toda a firmeza desaparecerá, substituída por um acanhado protesto diplomático, sem qualquer ameaça militar.

Precisamos orar pela paz de Jerusalém e para que Deus demonstre Sua tremenda onipotência, coloando o arcanjo Miguel para defender Israel. Acreditamos que Deus não permitirá que Israel seja aniquilado, mas permitirá que sofra uma grande devastação. Afinal, Israel está entrando no profetizado "tempo de angústias de Jacó", um período de tempo sem precedentes de destruição física. Veja novamente a profecia em Daniel 12:1:

"E naquele tempo se levantará Miguel, o grande príncipe, que se levanta a favor dos filhos do teu povo, e haverá um tempo de angústia, qual nunca houve, desde que houve nação até àquele tempo; mas naquele tempo livrar-se-á o teu povo, todo aquele que for achado escrito no livro." [Daniel 12:1].

Profeticamente, sabemos que o seguite precisará ocorrer:

  1. Israel não terá uma nação amiga que venha em seu auxílio quando a Rússia marchar, em cumprimento a Ezequiel 38-39.

  2. Os EUA não são mencionados na profecia bíblica, de modo que certamente não irão em defesa de Israel.

  3. A estrela da Rússia no Oriente Médio sobe à medida que a estrela dos EUA afunda.

O presidente Obama está tirando os EUA do Oriente Médio e está acelerando o declínio do poder e influência do país. Em breve, os eventos se tornarão tão desesperadors que Israel somente conseguirá sobreviver se o arcanjo Miguel se levantar para pessoalmente defender Israel. Estamos vendo esta profecia ser cumprida, nas notícas diárias.


Se você recebeu Jesus Cristo como seu Salvador pessoal, mas vive uma vida espiritual morna, precisa pedir perdão e renovar seus compromissos. Ele o perdoará imediatamente e encherá seu coração com a alegria do Espírito Santo de Deus. Em seguida, você precisa iniciar uma vida diária de comunhão, com oração e estudo da Bíblia.

Se você nunca colocou sua confiança em Jesus Cristo como Salvador, mas entendeu que ele é real e que o fim dos tempos está próximo, e quer receber o Dom Gratuito da Vida Eterna, pode fazer isso agora, na privacidade do seu lar. Após confiar em Jesus Cristo como seu Salvador, você nasce de novo espiritualmente e passa a ter a certeza da vida eterna nos céus, como se já estivesse lá. Assim, pode ter a certeza de que o Reino do Anticristo não o tocará espiritualmente. Se quiser saber como nascer de novo, vá para nossa Página da Salvação agora.

Esperamos que este ministério seja uma bênção em sua vida. Nosso propósito é educar e advertir as pessoas, para que vejam a vindoura Nova Ordem Mundial, o Reino do Anticristo, nas notícias do dia-a-dia.

Fale conosco direcionando sua mensagem a um dos membros da equipe de voluntários.

Se desejar visitar o site "The Cutting Edge", dê um clique aqui: http://www.cuttingedge.org

Que Deus o abençoe.

Data de publicação: 29/9/2013
Transferido para a área pública em 20/6/2015
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/n2514.asp