A Nova Reforma Apostólica É uma Seita Pseudocristã

Autor: Jeremy James, 10/11/2013.

Muitos fiéis cristãos estão preocupados com a profundidade da apostasia na igreja hoje e, em particular, com o ritmo de agravamento dessa apostasia. Está se tornando cada mais difícil encontrar uma igreja que siga fielmente as verdades básicas do Cristianismo, sem embelezamentos ou distorções, e que adote a Palavra de Deus como a primeira e última autoridade em todas as questões para a vida espiritual.

Há um tema comum que permeia a maior parte da assim chamada literatura cristã publicada nos últimos trinta anos. Geralmente, os leitores são tratados pelos autores com a suposição que eles querem (a) experiências pessoais e sobrenaturais, (b) evidências ou demonstrações do poder divino e (c) a oportunidade de melhorar o mundo em nome de Deus. Esta é a grande tela na qual as várias doutrinas e ensinos da literatura "cristã" contemporânea estão sendo projetadas.

Todavia, se voltarmos cem anos atrás no tempo, veremos que a vasta maioria dos cristãos não pensava assim. Eles estavam satisfeitos em viver pela fé, sem experiências e sem provas sobrenaturais. Além disso, o objetivo comum deles não era corrigir o mundo, mas pregar o Evangelho. Eles não procuravam possuir e demonstrar poder espiritual, mas garantir que o maior número possível de almas ouvissem as boas novas da salvação e recebessem um sólido fundamento em doutrina cristã.

Eles viviam pela fé, não por vista. Eles sabiam que se Deus quisesse lhes dar algo fora do comum, Ele faria isso segundo Sua soberana vontade. Além disso, se Ele quisesse que o mundo se tornasse um lugar melhor, também faria isso. Eles confiavam na misericórdia e providência de Deus. O único pensamento deles era continuar em obediência à Sua Santa Palavra e pregar o Evangelho. Eles viviam na alegria de sua salvação e sabiam exatamente o que Paulo quis dizer com suas palavras "Não digo isto como por necessidade, porque já aprendi a contentar-me com o que tenho." [Filipenses 4:11].

Na verdade, era assim como os fiéis cristãos viveram durante 1.900 anos. Hoje, porém, não é mais assim.

É difícil dizer que a maioria dos fiéis cristãos esteja satisfeita hoje. Julgando pelos livros que eles leem e pelas igrejas que frequentam, eles estão famintos por experências de Deus, por novas revelações, por sinais e maravilhas, por dons sobrenaturais e pela oportunidade de mudar o mundo para melhor. Os líderes da Nova Reforma Apostólica (NRA) estão plenamente cientes dessa fome e a exploram ao máximo possível.

A Abordagem de Múltiplas Vias da Nova Reforma Apostólica

Neste ensaio, nós nos propomos a examinar a NRA principalmente por meio dos escritos de um de seus principais representantes, o "apóstolo" Dr. Alistair Petrie, do Canadá.

Em sua excelente análise da Nova Reforma Apostólica — Wandering Stars: Contending for the Faith with the New Apostles and Prophets (Estrelas Errantes: Pelejando pela Fé com os Novos Apóstolos e Profetas, Solid Ground Christian Books, 2011) – Keith Gibson examina os ensinos de luminares da NRA, como C. Peter Wagner, Bill Hamon, Rick Joyner, Mike Bickle, Kim Clement, Chuck Pierce e Francis Frangipane. Embora a organização tenha crescido continuamente sob a hábil direção de Wagner, seus vários líderes parecem ter uma certa liberdade de ação sobre como eles aplicam suas doutrinas centrais e quais elementos preferem amplificar em seus ministérios pessoais. Isto parece ser uma política deliberada, destinada, talvez, a identificar e atrair a audiência mais ampla possível. Os recrutas potenciais que podem rejeitar os modos grotescos de Kim Clement ou de Bill Johnson em suas apresentações, talvez consigam ser atraídos pela versão ensinada por Cindy Jacobs ou John Eckhardt.

O Dr. Petrie ensina uma versão que parece ter o objetivo de apelar mais aos ex-católicos romanos e anglicanos do que, digamos, a versão ensinada por Rick Joyner ou Bickle.

Características da Igreja do Mundo Unificado do Fim dos Tempos

Para avaliarmos corretamente o que é a Nova Reforma Apostólica, precisamos encarar com muita seriedade as advertências feitas por nosso Senhor em Mateus 24 e no livro do Apocalipse, bem como as advertências feitas pelos apóstolos em suas epístolas. Elas nos dizem que, antes de Cristo retornar, o mundo adotará um modelo falsificado de Cristianismo, uma versão que facilitará o aparecimento de um indivíduo conhecido como Anticristo. O título dele pode parecer sinistro, mas inicialmente ele parecerá ser tão manso quanto Moisés, tão sábio quanto Salomão e imbuído com poderes milagrosos como Elias, ou até mesmo do próprio Jesus. O mundo inteiro saudará esse homem, sem perceber aquilo que está em seu coração.

A vindoura religião mundial será liderada inicialmente pelo Falso Profeta mencionado em Apocalipse. A doutrina que ele ensinará será, em um nível superficial, idêntica à doutrina cristã, mas será construída com base em sinais e maravilhas, não na fé. Jesus advertiu sobre isto quando perguntou: "Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra? [Lucas 18:8b].

João registra que ficou admirado diversas vezes durante o curso dos eventos descritos no livro do Apocalipse, mas nenhum dos eventos parece que o abalou mais do que a visão da mulher "embriagada com o sangue dos santos" (17:6). Isto é o falso Cristianismo que dominará o mundo no fim dos tempos, a "mulher" corrompida simboliza, neste caso, como em outros, uma falsa religião. João ficou tão chocado que exclamou: "E, vendo-a eu, maravilhei-me com grande admiração." Reconhecendo o choque, o anjo que acompanhava João perguntou: "Por que te admiras?" O choque veio, não pela vista do falsa religião — pois João tinha visto muitas dessas — mas pela natureza da falsa religião — uma incrível versão falsificada do verdadeiro Cristianismo.

A falsa religião que João descreveu está atualmente em formação. O Movimento Ecumêmico mundial, supervisionado pelo Vaticano, está gradualmente atraindo todas as ramificações do Cristianismo professo em uma única entidade organizacional, em que as distinções denominacionais desaparecerão e católicos, metodistas, presbiterianos, batistas, evangélicos, pentecostais, anglicanos, episcopais, ortodoxos orientais, ortodoxos russos e muitos outros adotarão o mesmo credo e reconhecerão o mesmo líder religioso mundial, que, pelo menos no início, provavelmente será o Pontífice Romano.

Para isto poder funcionar, o Cristianismo bíblico tradicional precisa ser desmantelado e seus vários membros absorvidos em uma alternativa adequada. Muitas dessas alternativas já existem hoje — a Igreja com Propósitos, a Igreja Emergente, o movimento Palavra da Fé e a Nova Reforma Apostólica. À medida que mais e mais cristãos fiéis migrarem para essas alternativas sedutoras, o verdadeiro Evangelho será cada vez menos pregado. Em bem pouco tempo, a proporção de cristãos nascidos de novo no corpo maior de cristãos professos terá diminuido para quase nada — "Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra? [Lucas 18:8b].

Devemos ser imensamente agradecidos a Deus, pois Sua Palavra nos forneceu o "quadro grande", para nosso benefício. A Palavra de Deus nos permite ver como um movimento como a Nova Reforma Apostólica se encaixa nesse plano maior. Mantenha esse "quadro grande" em mente ao examinarmos essa estranha nova versão de Cristianismo.

Uma Nota a Respeito de Sinceridade e Integridade

Algumas vezes me perguntam se os líderes e defensores desses várias novas formas de Cristianismo estão sendo deliberadamente enganosos, ou se eles também estão sendo enganados. Em certo sentido, não importa realmente. De um modo ou de outro, os verdadeiros ensinos de Cristo estão sendo corrompidos. Lembre-se das palavras do Salmos 44:20-22:

"Se nós esquecemos o nome do nosso Deus, e estendemos as nossas mãos para um deus estranho, porventura não esquadrinhará Deus isso? Pois ele sabe os segredos do coração. Sim, por amor de ti, somos mortos todo o dia; somos reputados como ovelhas para o matadouro."

Muitos que ensinam uma falsa doutrina são sinceramente motivados e verdadeiramente se preocupam com o bem-estar dos outros. Entretanto, nossa tarefa não é julgar "os segredos do coração", mas simplesmente colocar suas doutrinas particulares sob a luz reluzente da Santa Palavra de Deus e expor o erro. Este não é nem mesmo um caminho opcional para os fiéis cristãos verdadeiros, mas uma obrigação vinculante:

"Que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina." [2 Timóteo 4:2].

Houve um tempo em que os fiéis cristãos professos não tinham dificuldades em obedecer a esse mandamento, mas entramos agora na fase final da história da igreja, sobre a qual Paulo advertiu:

"Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências." [2 Timóteo 4:3].

O "Apóstolo" Alistair Petrie

A liderança da Nova Reforma Apostólica costumava publicar uma lista de seus "apóstolos", mas deixou de fazer isso desde 2005, exceto, ao que parece, para quem está dentro do movimento (veja o Apêndice A).

A página oficial na Internet da auto-intitulada Coalizão Internacional de Líderes Apostólicos apresenta a definição de C. Peter Wagner de um apóstolo, como segue:

"Líder cristão que é talentoso, instruído e comissionado por Deus com a autoridade de estabelecer o governo fundamental da Igreja dentro de uma esfera atribuída de ministério, ouvindo aquilo que o Espírito diz às igrejas e definindo as coisas apropriadamente para o avanço do Reino de Deus." [Fonte: http://www.coalitionofapostles.com/about-ica/definition-of-apostle/].

A página oficial na Internet também diz: "Esta não é de forma alguma uma definição completa". Ela afirma que o "apóstolo" tem poderes plenipotenciários, que é um embaixador daquele que o enviou." Para que ninguém deixe de compreender o pleno significado disso, a página acrescenta: "O emissário do Rei é como o próprio Rei".

Para compreender plenamente a mentalidade da liderança da NRA, é essencial reconhecer a extensão de suas reivindicações. Eles acreditam genuinamente que foram especialmente comissionados por Deus, do mesmo modo como Cristo comissionou os apóstolos. Eles acreditam que têm a mesma autoridade e os mesmos dons sobrenaturais. Embora os "apóstolos" possam não possuir esses dons na mesma medida, coletivamente eles ocupam o ofício plenipotenciário dos apóstolos originais e foram comissionados por Deus para exercerem esse ofício em uma Nova Era Apostólica que, de acordo com C. Peter Wagner, teve início em 2001:

"Entramos agora em uma Segunda Era Apostólica. A forma que a Igreja está assumindo pode ser chamada de 'Nova Reforma Apostólica'. Uso a palavra 'Reforma' porque estamos agora testemunhando a mudança mais radical no modo de fazer igreja desde a Reforma Protestante no século 16." — Apostles Today (Apóstolos Hoje), pág. 138.

Muitos dos assim chamados "apóstolos" escreveram livros para apresentar sua variação particular da NRA e sua agenda global ambiciosa. Alistair Petrie, o "apóstolo" que estamos examinando, publicou três livros:

Descutiremos os ensinos dele fazendo referência aos materiais nesses livros, citando outros "apóstolos" quando for apropriado, de modo a mostrar mais completamente como todo o programa da NRA se encaixa junto. [Nota: Todas as citações são do primeiro livro dele, Releasing Heaven on Earth, a não ser que indicado de outra forma.]

A Terra

A ideia-chave no ensino do Dr. Petrie — e uma doutrina central da NRA — é que a terra precisa ser sarada e que é responsabilidade de todos os verdadeiros cristãos fazer isso. Se a terra for "sarada", então a presença demoníaca opressiva, que reivindica acesso legal à terra, é removida. Depois que isso acontece, todos os que vivem naquela terra tornam-se imediatamente mais receptivos à mensagem do Evangelho. Isso permite que outra leva de "guerreiros" da NRA deem o passo seguinte e demonstrem a verdade do Evangelho, com sinais e maravilhas. Uma parte considerável da literatura da NRA está dedicada à metodologia e técnicas que precisam ser utilizadas para que possamos recuperar com sucesso a terra do controle de Satanás — um processo conhecido como "guerra espiritual". Eles afirmam que se isso for feito de um modo sistemático, cidades inteiras podem ser ganhas para Cristo.

A passagem-chave das Escrituras que o Dr. Petrie usa para apoiar a doutrina de "sarar a terra" da NRA é 2 Crônicas 7:14:

"E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra."

Muitos eruditos bíblicos já afirmaram nos últimos duzentos anos que uma doutrina importante nunca deve estar baseada em um único verso das Escrituras. Além disso, há muito tempo que é aceito que o verdadeiro significado de algum verso só pode ser estabelecido a partir de seu contexto, nunca isoladamente. Quando aplicamos esses princípios da interpretação bíblica ao texto de prova do Dr. Petrie, descobrimos que sua compreensão desse verso-chave está totalmente incorreta.

Vamos primeiro verificar o contexto. O capítulo se relaciona com a consagração do primeiro Templo e o aparecimento do Senhor a Salomão. O Senhor prometeu a Salomão o favor divino com a condição que ele permanecesse obediente aos Seus estatutos; caso contrário, ele incorreria em punição divina. Os versos seguintes mostram muito do contexto:

"Assim Salomão acabou a casa do SENHOR, e a casa do rei, e tudo quanto Salomão intentou fazer na casa do SENHOR e na sua casa prosperamente o efetuou. E o SENHOR apareceu de noite a Salomão, e disse-lhe: Ouvi a tua oração, e escolhi para mim este lugar para casa de sacrifício. Se eu fechar os céus, e não houver chuva; ou se ordenar aos gafanhotos que consumam a terra; ou se enviar a peste entre o meu povo; e se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra. Agora estarão abertos os meus olhos e atentos os meus ouvidos à oração deste lugar. Porque agora escolhi e santifiquei esta casa, para que o meu nome esteja nela perpetuamente; e nela estarão fixos os meus olhos e o meu coração todos os dias. E, quanto a ti, se andares diante de mim, como andou Davi teu pai, e fizeres conforme a tudo o que te ordenei, e guardares os meus estatutos e os meus juízos, também confirmarei o trono do teu reino, conforme a aliança que fiz com Davi, teu pai, dizendo: Não te faltará sucessor que domine em Israel." [11-18].

Quando consideramos o verso 14 no contexto, podemos ver que ele se relaciona com o julgamento! Deus punirá o povo se este se afastar de Seus estatutos. A perda da fertilidade da terra é simplesmente o julgamento dispensado por meio da vontade soberana do Senhor, devido à desobediência de Seu povo. O pecado deles é que é perdoado; não o "pecado" da terra! Depois que o pecado deles for perdoado, Deus, em Sua misericórdia, restaurará a fertilidade da terra.

Algo poderia ser mais simples de entender? A interpretação do Dr. Petrie é simplesmente ridícula. A terra não pode pecar; tampouco ela serve como um repositório para o pecado. A terra deixa de produzir seus frutos por que Deus, em Sua soberania, decreta que a fertilidade deva cessar. Não há um componente demoníaco de qualquer tipo aqui, nenhuma doença sobrenatural que afete a terra. A fertilidade da terra não é restaurada por que os habitantes "fazem" alguma coisa com a terra, ou em relação à terra. A fertilidade é restaurada exclusivamente por meio de um ato soberano de misericórida por parte do Senhor.

A interpretação do Dr. Petrie e da NRA para esse verso distorce gravemente elementos-chaves da verdade bíblica. Por meio dela, eles fazem uma má caracterização da natureza do pecado, minimizam e solapam a soberania de Deus, e reduzem o julgamento de Deus a algo que o homem, por meio do exercício de seus talentos espirituais, pode de algum modo contornar. Além disso, eles introduzem a ideia de que a terra é, de algum modo, mantida em cativeiro por forças demoníacas e que essa servidão persistirá indefinidamente, até que o próprio homem intervenha.

As seguintes declarações seriam inexplicáveis se fossem feitas por um cristão evangélico tradicional. Todavia, depois que reconhecemos a atitude verdadeiramente excêntrica que a NRA dá à interpretação bíblica, torna-se mais fácil ver como o Dr. Petrie pode fazer esse tipo bizarro de pronunciamento:

"Quando nos referimos à teologia da terra, estamos falando do relacionamento entre Deus e a terra — isto é, como a terra reflete o caráter, natureza, bondade e justiça de Deus, especialmente por meio das vidas daqueles que moram e trabalham na terra. Este é um tema recorrente em todo o Velho Testamento." [pág. 15; tradução nossa].

"Teologia" da terra? Relacionamento de Deus com a terra? Estes definitivamente não são temas recorrentes no Velho Testamento. Ao revés, essas ideias estão enraizadas no animismo das religiões primitivas.

"Como resultado, precisamos compreender a perspectiva de Deus com relação a terra, e por que Ele vê qualquer forma de pecado que ocorre na terra como um assunto sério. No que se refere à terra, Ele é um Deus 'ciumento' (Joel 2:18)." [pág. 16].

Deus odeia o pecado. O fato de o pecado ocorrer "na terra" é incidental. Na prática, virtualmente todos os pecados ocorrem na terra. Além disso, Deus é ciumento por causa da aliança que fez com Seu povo escolhido, não por causa da terra.

"As Escrituras mostram repetidamente a conexão entre Deus, povo, terra e geografia, com base na atitude das pessoas e no relacionamento com Deus em qualquer momento determinado." [pág. 35].

A referência à terra e à geografia são inevitáveis ao discutir as atividades de um povo que se dedicava à agricultura e pecuária. Interpretar isto com uma "conexão" entre Deus e a terra não faz sentido.

Na pág. 33 de Releasing Heaven on Earth ele cita favoravelmente o livro The Land, de Walter Brueggemann, que se refere do seguinte modo ao roubo da terra de Nabote por Jezabel:

"Nabote é responsável pela terra, mas não está no controle sobre ela. Este é o caso em que não é a terra que pertence a ele, mas ele é que pertence à terra. Nabote antevê a si mesmo e a terra em uma relação de aliança..."

Nabote não pertencia à terra; nem estava em um relacionamento de aliança com a terra! O povo de Israel, como uma nação, está em um relacionamento de aliança com o Senhor, que derramará sobre ele todas as bênçãos de Deuteronômio 28 se o povo continuar em Seus caminhos. Além disso, Ele não imporá sobre a nação, em julgamento, as maldições definidas no mesmo capítulo.

Essas "maldições" são julgamentos de Deus. Elas não são demoníacas e não têm um componente demoníaco! Todavia, o Dr. Petrie tenta continuamente vincular um elemento demoníaco a essas maldições, de forma muito parecida como as maldições encontradas na feitiçaria, mas elas não são maldições dessa natureza. Ele então apresenta uma doutrina complicada e um conjunto de técnicas para remover as maldições. Uma forma discernível de panteísmo permeia toda essa filosofia. Na verdade, em certo ponto ele até exclama: "É quase como se o solo parecesse ter uma vontade própria." [pág. 147].

Contaminando a Terra

Cada falsa doutrina pavimenta o caminho para sua sucessora. Tendo interposto a terra entre Deus e o homem, o Dr. Petrie agora passa a atribuir à terra o poder de vomitar o homem. O texto de prova para isto está em Levítico. Como ele diz:

"Levítico 18:27-28 torna claro que o povo de uma geração anterior estava envolvido em várias formas de contaminação, que subsequentemente afetariam a terra, e que contaminação similar faria também a terra 'vomitar'... O pecado da prostituição, em outras palavras, uma forma corrompida de mordomia, afeta toda aquela área da terra." [pág. 43].

Novamente, precisamos verificar o contexto desses versos:

"Com nenhuma destas coisas vos contamineis; porque com todas estas coisas se contaminaram as nações que eu expulso de diante de vós. Por isso a terra está contaminada; e eu visito a sua iniquidade, e a terra vomita os seus moradores. Porém vós guardareis os meus estatutos e os meus juízos, e nenhuma destas abominações fareis, nem o natural, nem o estrangeiro que peregrina entre vós; porque todas estas abominações fizeram os homens desta terra, que nela estavam antes de vós; e a terra foi contaminada. Para que a terra não vos vomite, havendo-a contaminado, como vomitou a nação que nela estava antes de vós. Porém, qualquer que fizer alguma destas abominações, sim, aqueles que as fizerem serão extirpados do seu povo. Portanto guardareis o meu mandamento, não fazendo nenhuma das práticas abomináveis que se fizeram antes de vós, e não vos contamineis com elas. Eu sou o SENHOR vosso Deus." [24-30].

Os habitantes de Canaã foram expulsos pelo Senhor em julgamento e os israelitas foram o instrumento de punição usado por Deus. Somos informados em Gênesis 15:16 que "a medida da injustiça dos amorreus não está ainda cheia." A palavra "amorreus", usada aqui, designa os habitantes da Canaã como um todo, durante o período em que os israelitas estiveram no Egito. Os amorreus e cananeus praticavam sacrifício de crianças e todos os tipos de torpezas imagináveis. O pecado deles era um pecado contra Deus, não contra a terra. Quando o pecado atingiu um determinado estado de depravação, o Senhor passou o julgamento sobre eles. Observe as palavras-chaves no verso 25 — "Por isso a terra está contaminada; e eu visito a sua iniquidade, e a terra vomita os seus moradores." Este é um ato soberano da vontade de Deus, não uma resposta da terra contra aqueles que a contaminaram. A severidade do julgamento do Senhor foi uma séria advertência aos israelitas: se eles também, como os habitantes daquela terra, praticassem ofensas contra o Senhor de forma similar, seriam igualmente lançados para fora. Foi exatamente o que aconteceu com eles.

O Senhor estava criando um povo santificado, um povo separado, um povo escolhido. Eles não teriam a permissão de contaminar a terra em que Deus tinha graciosamente decidido colocar Seu tabernáculo. O pecado subsequente deles foi contra o Senhor por meio da negligência e repúdio deles à santa aliança que Deus tinha feito com eles. Assim, no exercício de Sua soberana vontade, Ele os lançou para fora. A terra não teve papel ou parte nesse ato soberano, e sugerir que ela teve é uma distorção blasfema do julgamento singular do Senhor contra um povo rebelde. Isto zomba das advertências feitas pelos profetas, quando eles tentaram fazer o Reino do Norte e, depois, o Reino de Judá endireitarem seus caminhos e retornarem para o Senhor. Os dois reinos tinham rejeitado o Senhor e, apesar de inúmeras advertências, eles se recusaram a se arrepender.

É por isto que eles foram julgados e expulsos!

Purificando a Terra

A assim chamada purificação da terra que a NRA se propõe a alcançar por meio de suas muitas técnicas "proféticas" têm o objetivo de ter um efeito transformador de longo alcance, tanto na terra quanto naqueles que habitam nela. Aqui está como o Dr. Petrie descreve isto:

"À medida que a terra é sarada, o véu da cegueira é levantado e os olhos das comunidades são abertos para o Evangelho. É possível modificar a disposição de toda uma cidade em sua atitude com relação a Deus! Na verdade, isto não é somente possível, mas requerido para o evangelismo eficaz e com resultados duradouros." [pág. 206; ênfase no original].

Isto é pouco mais do que xamanismo cristianizado. É como se uma maldição, lançada sobre a terra por uma bruxa má, tivesse finalmente sido quebrada e os camponeses simples podem ser felizes novamente. Por incrível que pareça, não somente ele está afirmando que esta é uma atividade com base bíblica, mas que é essencial para o "evangelismo eficaz".

As citações seguintes salientam a grande importância que a NRA associa com o processo de purificação e a transformação espiritual que deve ocorrer após isto:

"O ponto é que maldições e servidões na terra realmente existem. Mas, há uma verdade ainda maior: Nós, como mordomos de Deus, temos a responsabilidade e autoridade para removê-las." [pág. 147].

"Depois que o pecado é removido, o inimigo não tem mais um ponto de apoio, ou jurisdição, sobre as vidas do povo de Deus ou sobre a terra deles. Então, quando o pecado é removido, experimentamos a cura de Deus em nossas vidas, tanto individual quanto coletivamente." [pág. 179].

"O livro de Ezequiel termina com as seguintes palavras: "O nome da cidade desde aquele dia será: O SENHOR está ali." Que declaração simples e ao mesmo tempo profunda! Quando a terra é sarada, a presença de Deus habita no meio de Seu povo." [pág. 182].

Estas afirmações são vergonhosas. O Dr. Petri pega uma das mais maravilhosas promessas da Bíblia e a converte em um descarado endosso ao misticismo pagão. O verso final do livro do profeta Ezequiel refere-se ao retorno físico de Cristo para habitar entre os homens na cidade de Jerusalém. A Palavra de Deus proclama que o Senhor está ali por que O SENHOR ESTÁ ALI! Esta não é uma cura xamânica da terra, mas a culminação gloriosa de incontáveis profecias bíblicas.

Também encontramos nessas declarações a fusão sem base bíblica do pecado, julgamento e maldições em uma entidade amorfa que o próprio homem pode remover da terra. Isto é uma falsificação grotesca da verdadeira teologia cristã. O pecado não está sendo descrito por aquilo que é, ou seja, uma expressão manifesta da rebelião do homem contra um Deus justo, santo e reto. O julgamento resultante de Deus — algumas vezes descrito como uma "maldição" — é uma punição justa para aquele pecado. A terra não é "amaldiçoada" em um sentido demoníaco; tampouco as pessoas são. Além disso, a punição será finalizada por Deus — e somente por Deus — de acordo com Sua soberana vontade, se o povo se arrepender.

A Nova Reforma Apostólica perverte o significado claro do pecado, julgamento, arrependimento e vontade soberana de Deus e constrói uma teologia totalmente nova com base em terra, maldições, poder demoníaco e autoridade humana.

Esta grosseira má representação do pecado e julgamento permeia a filosofia da NRA. Ela ajuda a explicar por que seus líderes repetidamente ignoram grandes porções da Santa Palavra de Deus, especialmente aquelas passagens relacionadas com as profecias do fim dos tempos. Como essas passagens trazem o pecado e a desobediência da humanidade a um clímax aterrorizador, em que a ira de Deus cai sobre todos aqueles que se rebelaram contra Sua soberana vontade, elas mostram que o cenário alegre do "Reino Agora" da NRA não pode ser verdadeiro.

É por isto que os líderes da NRA raramente mencionam o Arrebatamento, a Tribulação, o Anticristo, a vindoura versão falsificada de Cristianismo, o Falso Profeta e o cumprimento, no Milênio, de todas as promessas proféticas que o Senhor Deus fez à nação de Israel.

As únicas profecias que interessam à NRA são aquelas proferidas por seus próprios profetas. As profecias dadas pelo Senhor em Sua Santa Palavra são, em grande parte, secundárias.

O Dr. Petrie deve ter sido questionado por alguns de seus admiradores com relação ao futuro profético de Israel e à Teologia da Substituição, que está implícita em sua escatologia Reino Agora, porque em seu livro mais recente, God’s Design for Challenging Times O Projeto de Deus para os Tempos Desafiadores) (2013), ele fez uma tentativa manca de cobrir seus rastros:

"A questão da Teologia da Substituição é um desafio fundamental para diversos teólogos e eruditos bíblicos. Muitos acreditam firmemente que a igreja substituiu Israel e recebe todo seu favor e destino divino. Entretanto, Israel não desaparecerá!" [pág. 29].

Observe que ele não rejeita a Teologia da Substituição, mas meramente diz que "Israel não desaparecerá!" É por meio desses comentários ardilosos e evasivos que a NRA espera disfarçar sua verdadeira atitude com relação à nação de Israel e a todas as profecias bíblicas referentes à futura restauração de Israel na glória do Milênio.

O Mordomo

Já fizemos referência ao conceito de "mordomo":

"A questão é que existem maldições e servidões sobre a terra. Mas, há uma verdade ainda maior: Como mordomos de Deus, temos a responsabilidade e a autoridade para removê-las!" [pág. 147].

Este conceito é central na filosofia de transformação da NRA. Por meio dela, eles justificam sua agenda ambiciosa e repreendem qualquer um que se atreva a questionar sua autoridade — pois a "mordomia" definitiva, "os apóstolos", está acima de qualquer repreensão.

Eles baseiam seu conceito de mordomia no mandato dado por Deus a Adão antes da Queda:

"Esta é uma das primeiras instruções que Deus deu ao homem: 'E tomou o SENHOR Deus o homem, e o pôs no jardim do Éden para o lavrar e o guardar.' [Gênesis 2:15]. A palavra hebraica shamar usada nesse verso tem muitos significados: defender alguma coisa, manter, guardar, vigiar como um vigilante, proteger. Esta é nossa responsabilidade de mordomia — nada menos que guardar a terra." [pág. 22; ênfase no original].

"De acordo com a mordomia bíblica, Deus nos chama para gerenciar tudo o que pertence a Ele... Somos guardadores e preservadores da criação, cuidando dela em nome de Deus e como seus representantes." [pág. 25; ênfase no original].

Esta é uma afirmação de alcance extremamente grande, porém nunca foi feita durante os 1.900 anos pelos eruditos cristãos que precederam a Nova Reforma Apostólica. Ela também era desconhecida entre os judeus nos tempos antigos e nunca foi proposta por algum teólogo responsável.

As seguintes proposições fundamentais feitas pelo Dr. Petrie revelam exatamente o quão formidável essa atribuição tem o objetivo de ser:

"Ele nos confiou o cuidado do mundo por que a Terra realmente pertence a Ele." [pág. 53].

"O Cristianismo bíblico argumentaria que o papel do mordomo define nossa missão como povo de Deus." [pág. 26].

"Mais tarde, veremos que um mordomo é chamado para tomar de volta para Deus a terra, que por direito é Dele, que foi perdida por causa da mordomia pecaminosa ou caída." [pág. 39].

Mesmo se desconsiderarmos as muitas contradições internas em muito daquilo que o Dr. Petrie afirma em seu livro Releasing Heaven on Earth, essas afirmações marcam um afastamento de cair o queixo do Cristianismo bíblico tradicional. Ela retratam o fiel cristão, não como um pecador miserável redimido pelo sangue de Cristo, mas como um guardador e preservador da Criação, fazendo em nome de Deus e a favor de Deus, aquilo que a Bíblia nos diz que somente Deus pode fazer.

De acordo com o Dr. Petrie e a liderança da NRA, todos os que vêm a Cristo são transformados em mordomos da criação, chamados por Deus para tomar de volta para Ele a terra que por direito é Dele. Esse conceito do homem é similar de muitas formas à teoria dos "pequenos deuses" ensinada pelos gurus da Palavra da Fé, como Kenneth Hagin e Benny Hinn.

A Bíblia diz muito pouco sobre o papel de mordomia que Deus tinha em vista para homem antes da Queda. Entretanto, deve ser perfeitamente claro, até para o cristão com pouco discernimento, que o homem perdeu esse papel após a Queda! Ele foi lançado para fora do Jardim do Éden e separado de Deus. Ele mudou de ser uma criatura centrada em Deus, para ser uma criatura centrada em si mesma, arruinada, danificada pelo pecado e totalmente perdida. A salvação que temos em Cristo não nos restaura, enquanto ainda estamos na Terra, à condição de perfeição que Adão usufruía antes da Queda. Ainda somos pecadores danificados pelo pecado, vivendo em um mundo afetado pelo pecado. Toda a criação geme por estar sob os efeitos do pecado. Portanto, imaginar que o fiel cristão é agora chamado para exercer o presumido papel de Adão, de um guardião e preservador da criação, é uma total tolice.

Se pesquisarmos todo o Novo Testamento, não encontraremos a menor indicação do mandato imaginado pelo Dr. Petrie. Não encontraremos por que não está ali, e não está ali por que não é verdadeiro.

Entretanto, o mandato que encontramos é o da Grande Comissão. Infelizmente, a NRA consegue desfigurar até isto transformando-a na tarefa de "cristianizar" todas as nações e convertê-las em "discípulas"

Antes de discutir essa afirmação, vamos primeiro considerar os versos das Escrituras que descrevem a Grande Comissão, a tarefa que o Senhor confiou a todos os Seus discípulos:

"E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra. Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém." [Mateus 28:18-20].

"E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado." [Marcos 16:15-16].

"E em seu nome se pregasse o arrependimento e a remissão dos pecados, em todas as nações, começando por Jerusalém." [Lucas 24:47].

"Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra." [Atos 1:8].

Por mais de 1.900 anos os cristãos compreenderam que esses versos significavam simplesmente que devemos pregar e levar o Evangelho de Jesus Cristo até os confins da Terra. Mas, a NRA pegou o texto de Mateus 28-19-20 da tradução Nova Versão Internacional, que está repleta de erros, e disse: "Ei, o que realmente devemos fazer é cristianizar as nações! -

"Então, Jesus aproximou-se deles e disse: Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra. Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos." [Mateus 28:18-20 na NVI].

Logicamente, isto é um absurdo. Não podemos batizar uma nação, ou transformar uma nação em "discípula". A palavra grega original para "fazer discípulos" significa simplesmente ensinar ou instruir. Aqui está uma definição mais detalhada do Thayer’s Greek Lexicon:

O sentido literal do grego original é expresso como segue na Tradução Literal de Young:

"Tendo ido, então, discipulai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo."

Em outras palavras, vão para todas as nações, façam ou instruam os discípulos e depois os batizem. Isto não significa — e nem pode significar — fazer das próprias nações discípulas. Mas, o significado da linguagem clara nunca impediu os "eruditos" não-conformistas de distorcerem as Escrituras. Além do mais, os truques deles geralmente produzem resultados, pois um número muito grande de cristãos professos hoje nunca se interessa em examinar e comparar essas afirmações excêntricas em relação à Santa Palavra de Deus.

O Mandato

Assim, a missão da NRA é "cristianizar" todas as nações. Isto envolve remover as obstruções invisíveis que impedem a disseminação eficaz do Evangelho. De acordo com os líderes da NRA, as barreiras invisíveis estão de algum modo incorporadas na terra e é tarefa dos acólitos da NRA removê-las. Uma vez que elas tenham sido removidas, ou "purificadas", outros membros "espiritualmente talentosos" da NRA podem vir e demonstrar a verdade do Evangelho, por meio de sinais e maravilhas. De acordo com o Dr. Petrie e a NRA, os fiéis cristãos receberam um mandato divino para executar esse plano. Para fazer isso eficazmente, eles precisam aprender a ter a perspectiva de Deus e seguir a partir dali:

"Tendo tudo isto em mente, é agora hora de assumirmos nossa posição como mordomos da terra de Deus. Precisamos ver a realidade com um conjunto de lentes divinas, reconhecendo o que tem de ser arrancado e removido e que preparação precisa ser feita, de modo a nos prepararmos para uma rica e duradoura colheita. Deus não espera nada menor do que isso de Seus mordomos." [pág. 139; ênfase adicionada].

Podemos discernir aqui a tremenda responsabilidade — e correspondente unção sobrenatural — que Deus atribuiu aos seus "servos" da NRA. A crença que eles podem arrancar e derrubar, conforme acharem adequado, está baseada em Jeremias 1:10. Como diz o Dr. Petrie:

"De acordo com Jeremias 1:10, Deus pode até dar a certas nações o mandato para arrancar e derrubar." [pág. 36].

Aqui está o verso em questão (que o próprio Dr. Petrie não cita):

"Olha, ponho-te neste dia sobre as nações, e sobre os reinos, para arrancares, e para derrubares, e para destruíres, e para arruinares; e também para edificares e para plantares." [Jeremias 1:10].

Novamente, estamos testemunhando um mau uso absurdo das Escrituras para apoiar uma falsa doutrina [Cindy Jacobs faz a mesma afirmação falsa em The Voice of God (A Voz de Deus) (pág. 46), como também Dutch Sheets em Intercessory Prayer (Oração Intercessória) (pág. 200)]. O Senhor está falando de forma bem clara com o próprio Jeremias e não com uma nação, e o "poder" que lhe foi dado foi o poder da profecia, a capacidade de declarar de antemão os justos julgamentos do Senhor sobre certas nações. Jeremias não foi ele mesmo o originador ou executor daqueles julgamentos! Observe, em particular, o verso precedente:

"E estendeu o SENHOR a sua mão, e tocou-me na boca; e disse-me o SENHOR: Eis que ponho as minhas palavras na tua boca." [Jeremias 1:9].

Ignorando completamente o contexto de um verso escolhido, o Dr. Petrie é capaz de levar seus leitores para onde quiser. Além disso, exceto se eles se derem ao trabalho de examinar as afirmações que ele faz e compará-las com as Escrituras, deixarão de ver o quão absurdas elas são.

Este é problema recorrente com qualquer livro da NRA que eu já tenha lido. A propensão deles de distorcer e manipular as Escrituras para seus próprios propósitos é simplesmente chocante algumas vezes.

Fortalezas

Outro conceito importante na filosofia da NRA é o das fortalezas. Muito do que eles ensinam relaciona-se de um modo ou outro com a destruição de "fortalezas". O Dr. Petrie apresenta várias definições daquilo que é indicado por uma fortaleza:

"Em seu livro That None Should Perish (Para Que Ninguém Pereça), Ed Silvoso define uma fortaleza como uma "mentalidade impregnada com desesperança, que nos faz aceitar como inalteráveis situações que sabemos serem contrárias à vontade de Deus." Cindy Jacobs, em Possessing the Gates of the Enemy (Possuindo as Portas do Inimigo), define fortalezas como "locais fortificados que Satanás constrói para se exaltar contra o conhecimento e os planos de Deus.'" [pág. 83].

Na pág. 84 ele cita Otis e Brockman, editores de Strongholds of the 10/40 Window (Fortalezas da Janela 10/40):

"Fortalezas espirituais são estruturas invisíveis de pensamento e autoridade que são erigidas por meio da ação combinada de influência demoníaca e vontade humana. Neste sentido, elas não são demônios, mas o local a partir do qual os demônios operam."

Em seguida, ele apresenta sua própria definição:

"Uma esfera de influência em nossas vidas, famílias, igrejas, comunidades, cidades e até nações que se alimenta de pecado (tanto individual, grupal, pessoal e herdado) e que dá alavancagem espiritual e geográfica ao inimigo do povo de Deus, desse modo cegando-os para a verdade, de ver as coisas a partir da perspectiva de Deus." [pág. 85; ênfase no original].

Assim, dependendo de qual "apóstolo" da NRA está falando, uma fortaleza pode ser uma mentalidade de desesperança, um local fortificado construído por Satanás, uma estrutura invisível erigida por influência demoníaca e vontade humana, um local a partir do qual os demônios operam, uma esfera de influência alimentada pelo pecado, e um local que Satanás usa para cegar as pessoas para a verdade a partir da perspectiva de Deus.

O conceito deles de uma "fortaleza" é altamente elástico, possivelmente porque ideias vagas e camaleônicas como esta são difíceis de refutar. As fortalezas não são puramente demoníacas, puramente territoriais ou puramente criadas pelo homem, mas um amálgama estranho de todas as três. Os especialistas da NRA não conseguem explicar, exceto talvez em termos místicos, de onde essas "fortalezas" vêm, como elas persistem, ou o que fazem para impedir o Evangelho. Mas, independente do que elas são e do que fazem, os "guerreiros" da NRA têm o poder de destrui-las. Além disso, quando isso acontece, uma grande liberação ocorre:

"... quando a terra é purificada, o povo que habita nela é liberto das servidões e das mentalidades negativas que os mantêm cegos, a partir dos propósitos de Deus em suas vidas." [pág. 95].

Há uma dificuldade adicional. Aparentemente, as fortalezas têm a capacidade de se mudar e não estão necessariamente confinadas a uma localidade:

"As fortalezas que são recebidas e transferidas de pessoa para pessoa são transferíveis para as igrejas e comunidades, cidades e nações, com base em questões de mordomia que caracterizam as pessoas que compõem a população." [pág. 100; ênfase no original].

À luz das múltiplas propriedades das fortalezas e sua ameaça constante ao bem-estar espiritual da sociedade, o Dr. Petrie redefine o papel da igreja como segue:

"Isto precisa certamente ser o objetivo da Igreja — transferir indivíduos, comunidades e nações das falsas fortalezas para a fortaleza do Deus vivo, e levá-los para serem transformados de um grau de glória para outro (veja 2 Coríntios 3:18)." [pág. 138].

Todo o cenário é definido de forma tão elástica, tão imerso em misticismo e tão distante da verdade bíblica que é difícil ver como um fiel cristão professo poderia considerar isso seriamente. O Dr. Petrie efetivamente construiu uma forma cristianizada de xamanismo, em que todos os problemas da existência humana são atribuídos a espíritos malignos, o pecado está de algum modo vinculado a uma presença demoníaca e em que o caminho para a cura e a pureza é desbloqueado pela expulsão desses intrusos malignos.

O caráter xamânico desse ensino se tornará ainda mais aparente quando examinarmos o papel exercido pelos intercessores, atalaias e guardas das portas na "purificação" da terra.

Poderes Demoníacos

Cristo derrotou Satanás e as obras das trevas no Calvário, mas esta gloriosa verdade está grandemente diluída na versão de Cristianismo da NRA. Da forma como eles veem a coisa, Cristo obteve esta grande vitória, porém deixou sua execução bem-sucedida aos cuidados do homem. A maioria dos líderes da NRA ensina que, até que o homem redima o mundo inteiro de Satanás — desse modo trazendo o reino — Cristo não retornará à Terra. Alguns deles até ensinam que Cristo não pode retornar até que essa comissão divinamente indicada tenha sido cumprida.

Da forma como eles veem, o homem está envolvido em uma guerra sobrenatural contínua contra Satanás e suas hordas de demônios. De acordo com o Dr. Petrie, "O pecado, seja por parte de um indivíduo, um grupo de pessoas, uma cidade ou uma nação, dá um ponto de apoio legal ao inimigo." [pág. 80]. Por causa do pecado, a maior parte da terra está sob controle demoníaco, ou jurisdição legal demoníaca. O homem precisa conquistar de volta esta terra, rua por rua, cidade por cidade, até que a Terra inteira esteja novamente nas mãos de Deus e o reino seja restaurado.

Este conflito furioso requer que os fiéis cristãos sejam extensivamente treinados na "guerra espiritual" e prossigam de uma forma sistemática, usando diversas técnicas recém-reveladas, como o "mapeamento espiritual", para recuperarem território em escala mundial. Ao fazerem isso, todo esforço precisa ser feito para maximizar o uso de todos os recursos disponíveis e os dons espirituais. De acordo com os líderes da NRA, a igreja finalmente alcançou o estágio de maturidade em que compreende essa tarefa divinamente indicada e o que precisa fazer para executá-la. Os cristãos do passado estavam contentes em meramente pregar o Evangelho, mas falharam em avaliar a extensão total da Grande Comissão e o que Deus na verdade requeria deles. É por isto que o Senhor está agora levantando um novo grupo de "apóstolos" e "profetas" — pela primeira vez em quase 2.000 anos — para fortalecer a igreja e liderar o grande exército de fiéis cristãos para a vitória final.

De acordo com o Dr. Petrie: "... toda a infraestrutura sociopolítica de uma comunidade pode estar sob influência demoníaca baseada em uma contaminação original e continuada da terra." [pág. 78]. Por esta razão, a NRA enfatiza a necessidade de tomar o controle ou "cristianizar" as instituições que Satanás está supostamente usando para controlar a sociedade. Para este fim, eles identificaram sete áreas importantes em que equipes selecionadas de intercessores, ou "guerreiros na oração", precisam concentrar seus esforços. No presente, as "sete montanhas" que precisam ser tomadas são empresas, governo, família, religião, mídia, educação e entretenimento. Isto, essencialmente, envolve não apenas "purificar" os setores envolvidos, mas colocar eventualmente pessoas ligadas ao movimento em cargos elevados dentro de cada setor, ou converter aqueles que já ocupam esses cargos.

Como parte de seu mandato de conduzir a guerra espiritual contra o Maligno, eles categorizaram os demônios por poder e autoridade. O Dr. Petrie identificou vários tipos, mas aparentemente há um tipo — kosmokratoras — que "comumente aflige as pessoas":

"Se pecarmos no nível kosmokratoras... e não lidarmos com os efeitos desse pecado, então nossa área de influência onde vivemos torna-se sujeita ao acesso legal do reino demoníaco." [pág. 79].

Mais uma vez ele faz uma conexão sobrenatural real entre pecado e espíritos malignos, como se o problema do pecado fosse o alegado "acesso legal" que ele dá aos espíritos malignos e não a ofensa à santidade de Deus. Esse sério erro de caracterização do pecado é endêmico em toda a NRA e torna virtualmente impossível para seus praticantes pregarem o Evangelho corretamente.

Apesar da importância que coloca na "guerra espiritual" e na identificação de fortalezas demoníacas, a NRA demonstra uma extraordinária incapacidade de reconhecer atividade demoníaca quando ela é disfarçada como "um derramamento do Espírito Santo". Considere, por exemplo, a seguinte citação do Dr. Petri:

"Wagner cita os exemplos recentes da Assembleia de Deus em Brownsville, em Pensacola, Flórida, e a Comunidade Cristã do Aeroporto de Toronto. Ambas as igrejas oraram fervorosamente por um reavivamento durante certo tempo, embora seja provavelmente mais exato sugerir que elas experimentaram 'renovação', em vez de reavivamento." [Transformed! pág. 72]

Ele está endossando, junto com o Dr. Wagner (e a maioria dos líderes da NRA), o fenômeno patentemente sem base bíblica que ocorreu tanto em Toronto quanto em Pensacola. Algumas das manifestações nessas localidades eram tão horrendas — e tão antagônicas ao caráter e à operação do Espírito Santo — que somente poderiam vir de uma origem demoníaca. E, se este é o caso, então o espírito em operação em ambas as localidades foi o tempo todo enganoso e imundo, pois, como Tiago 3:11 diz, uma mesma fonte não pode produzir água doce e água amarga.

Deve ser observado que a Igreja Videira, no Aeroporto de Toronto, é supervisionada por um "apóstolo" em boa situação.

O "Incidente de Lakeland" fornece um exemplo chocante da tremenda falta de discernimento que afeta os níveis mais altos da liderança da NRA. Em 23 de junho de 2008, vários dos principais líderes da NRA ocuparam juntos uma plataforma para darem uma "unção" especial pública a Todd Bentley, em Lakeland, Flórida. As apresentações de Bentley são frequentemente similares às de um médium espírita. Os trejeitos dele podem ser revoltantes, mas aos olhos da liderança da NRA — os "apóstolos"! — ele é visto como um grande profeta e homem de Deus. Durante grande parte da cerimônia, Bentley ficou deitado do chão, contorcendo seu corpo coberto por tatuagens — sua marca registrada — enquanto a "profetiza" Stacey Campbell silvava acima dele como uma serpente, balançando violentamente sua cabeça de um lado para outro e proferia suas "profecias".

Entre os líderes da NRA que participaram neste espetáculo estavam C. Peter Wagner, Wesley Campbell, Rick Joyner, John Arnott e Bill Johnson. Estas são as pessoas com quem o Dr. Alaistar Petrie trabalha, que o chamam de "apóstolo" e que compartilham uma plataforma com ele.

Há uma gravação em vídeo desse evento deplorável no YouTube, que pode ser assistida em: http://www.youtube.com/watch?v=macIFwHROaM

Amarrando e Soltando

Outra interpretação xamânica das Escrituras que o Dr. Petrie e outros empregam frequentemente é o de "amarrar e soltar". Isto é extraído de Mateus 16:19 e 18:18, em que este último diz: "Em verdade vos digo que tudo o que ligardes na terra será ligado no céu, e tudo o que desligardes na terra será desligado no céu." Cristo está dizendo aos apóstolos que eles terão a responsabilidade de regular a igreja na Terra, após Ele ascender aos céus, e que as decisões essenciais que eles tomarem serão reconhecidas por Ele.

Agora, considere a interpretação do Dr. Petrie e da NRA para este verso:

"Cindy Jacobs resume o ministério de amarrar e soltar do seguinte modo:

"Amarrar interrompe os ataques do inimigo. Soltar libera, ou permite que a vontade de Deus entre na situação, porque Deus deseja que Seus propósitos sejam executados quando pedimos em oração."

"Quer estejamos orando pelos indivíduos, ou por toda uma comunidade, amarrar a obra do inimigo segue a confissão, arrependimento e perdão dos pecados. Deste modo, as servidões e fortalezas são tratadas diretamente, espíritos malignos que podem ter tido o direito de acesso àquela situação são expelidos e a cura e a autoridade de Deus naquela situação são liberadas." [pág. 190].

No estranho mundo da NRA, amarrar e liberar refere-se ao poder espiritual que homens e mulheres têm sobre os demônios, "amarrando a obra do inimigo", negando-lhes "direito de acesso" e expulsando-os, desse modo "liberando a autoridade de Deus sobre a situação.

Até mesmo pelos padrões da NRA, em que distorções semânticas são lugar-comum e o contexto geralmente é ignorado, essa "interpretação" faz uma cínica mutilação da Palavra de Deus. Mas, não devemos estar surpresos. Os "apóstolos" da NRA acreditam que possuem o direito de decidir o que a Bíblia "realmente" diz, exatamente como o papa — outro que acredita que possua autoridade apostólica.

Algumas vezes o Dr. Petri vai tão longe além da verdade bíblica que nenhuma má aplicação das Escrituras, por mais engenhosa que seja, poderia "apoiar" aquilo que ele está tentando provar. Por exemplo, na pág. 212 de Releasing Heaven on Earth ele cita com aprovação o seguinte de City of God, City of Satan, de Robert Linthicum:

"Toda cidade tem um 'espírito' em volta dela — uma essência quase palpável, distinta de qualquer outra cidade. Ele é uma combinação da história, ambiente e sistemas daquela cidade, até pessoas que passaram por ela e eventos que ocorreram nela. Se não pudermos nomear, compreender e lidar com o espírito da nossa cidade, não podemos ter esperança de compreender a complexidiade da guerra espiritual da nossa cidade, ou o âmbito do ministério para o qual a igreja é chamada."

Esta descrição da dimensão invisível de uma cidade está enraizada firmemente em uma cosmovisão xamânica. Ela não estaria fora de lugar em uma obra de Helena Blavatsky, ou de Rudolph Steiner. O autor Linthicum até afirma que precisamos conhecer o nome do demônio que controla uma cidade para que tenhamos êxito ao expulsá-lo.

A Palavra de Deus nunca nos pede para nos envolvermos em qualquer coisa desse tipo! Na verdade, ela prescreve exatamente o contrário. Devemos ficar longe da filosofia pagã e não ter envolvimento algum em práticas dessa natureza. O que Petrie e Linthicum estão oferecendo é a sabedoria deste mundo — que é uma tolice para Deus. Nada remotamente similar a isto é ensinado em alguma parte da Santa Palavra de Deus. Nas poucas ocasiões em que um demônio é confrontado na Bíblia (além dos casos de possessão), isto é feito por um anjo de Deus, nunca por um homem. Somente Cristo resistiu a Satanás face a face durante a tentação no deserto, mas Ele não procurou de forma alguma restringi-lo ou limitar a autoridade dele. Ele simplesmente citou a Palavra de Deus.

O que a NRA está propondo é potencialmente muito perigoso. Exceto nos casos de possessão, o homem nunca recebeu um mandato para se opor ou amarrar os demônios. Além disso, mesmo nos casos de possessão, o demônio não é amarrado, mas simplesmente expulso. Há claramente um conflito atual entre os anjos eleitos e os anjos caídos, mas o próprio homem não é parte desse conflito. Nosso recurso sempre foi nossa Rocha e nossa Salvação, nosso Escudo e nossa Torre Forte. Como disse o salmista: "Tem misericórdia de mim, ó Deus, tem misericórdia de mim, porque a minha alma confia em ti; e à sombra das tuas asas me abrigo, até que passem as calamidades." [Salmos 57:1]. A batalha é de Deus, não nossa. O livramento está dentro do alcance do poder de Deus, não do nosso próprio alcance.

Mergulhar no reino demoníaco e presumir saber como enfrentar anjos caídos na batalha é estupidez do pior tipo. O que poderia ser mais agradável a Satanás do que atrair os homens para longe de sua torre forte e fazê-los confiar em suas próprias forças humanas! Sem dúvida, ele lhes dará algumas "vitórias" iniciais para confirmá-los em suas tolices, mas quando o tempo oportuno chegar, ele irá atacar.

A Nova Reforma Apostólica está levando vastos números de cristãos ingênuos para a destruição. Quanto mais eles confiam nas técnicas espertas e na autoridade inflada, o mais eles se abrem para forças que não compreendem e não podem enfrentar. O reino demoníaco está repleto de perigos e enganos de todos os tipos. Presumir ter o poder ou a autoridade de restringir a liberdade que Deus, neste tempo presente, concedeu a Satanás e aos demônios, é uma total loucura.

Cristo conquistou a vitória no Calvário, uma vitória perfeita e completa. Ele amarrará Satanás e seus demônios quando retornar em Sua Segunda Vinda. Até lá, precisamos confiar em Sua proteção e cumprir a Grande Comissão. Nosso maravilhoso Sumo Sacerdote cuida de nós. Ele garantirá que nada de mal nos aconteça, mas se persistirmos em caminhar para fora da nossa torre forte e enfrentar o inimigo em conflitos que não são da nossa alçada, então estamos nos colocando em risco.

Atos Proféticos e Sacramentais

O ensino do Dr. Petrie está fortemente contaminado com o sacramentalismo. Como um ministro ordenado na Igreja Anglicana (equivalente na Grã-Bretanha da Igreja Episcopal que existe nos EUA) ele já está trabalhando em uma tradição sacramental. Os anglicanos praticam o batismo infantil e acreditam na presença real de Jesus no pão da comunhão (uma doutrina conhecida como Consubstanciação, que é distinta da Transubstanciação ensinada no Catolicismo Romano). Eles também usam a "água benta" e realizam diversos rituais e ritos litúrgicos ao longo do calendário eclesiástico. As igrejas anglicana e católica são tão parecidas que um clérigo anglicano pode se converter para o catolicismo e servir, dali para frente, como um sacerdote na Igreja Católica.

Embora insista que as práticas sacramentais que ele utiliza não são mágicas, ele acredita que elas afetam o reino espiritual e removem pecados:

"Não há nada mágico no sal ou na água. Mas, quando usados no poder do Espírito Santo, por Sua direção, eles liberam a integridade do Senhor nas situações, de modo a remover pecados e a contaminação no plano espiritual e, depois, no físico. Há uma profunda conexão aqui com a natureza redentora de Jesus Cristo." [pág. 193].

Como esses rituais "se conectam" com a "natureza redentora de Jesus Cristo" é algo que não está claro. Eles não poderiam se conectar com alguma outra coisa? E, se pudessem, como ficaríamos sabendo?

Aqui ele descreve como usa o sal nesses rituais:

"Em tempos assim [por exemplo, em locais em que sangue foi derramado], usamos sal consagrado, realizando um ato profético em uma base simbólica, que tem efeito no reino espiritual." [pág. 191].

Novamente, ele afirma sua crença nas implicações sobrenaturais de suas ações físicas. Retornaremos novamente a este princípio, pois ele é central em toda a filosofia da NRA.

Observe também que o sal é "consagrado". O que exatamente é o "sal consagrado"? O Dr. Petrie parece acreditar que esse sal tenha certas propriedades transcendentais que o sal comum não possui.

Ele então explica o papel que o sal e a água exercem nesses rituais de purificação:

"Como um clérigo anglicano, tenho usado a água benta por muitos anos, em diversos ministérios, particularmente em conexão com a cura e libertação. Com o sal simbolizando a remoção da corrupção e a água simbolizando o reservatório vivo da graça de Deus, a combinação dos dois pode ser um ato simbólico de autoridade significativa, tanto nos planos espiritual e físico." [pág. 194].

Além do "sal consagrado" e da "água benta", ele usa azeite e um shofar — uma trombeta ou corneta feita com o chifre do carneiro, similar ao tipo usado no Velho Testamento:

"O azeite estabelece a marca da autoridade e soberania de Deus. Portanto, é com ele que literalmente ungimos os edifícios, portas, entradas, janelas — de fato os parâmetros do solo associados com as pessoas e os locais que necessitam de libertação." [pág. 198].

"Começamos a nos envolver em orações e atos proféticos significativos usando sal, água e azeite. O shofar foi tocado em todos os cantos da terra..." [Transformed! p170].

Estes ritos sacramentais tinham o objetivo de purificar a terra da influência demoníaca e liberar espiritualmente seus habitantes da opressão demoníaca. Eles acreditavam que o sal, a água e o azeite, bem como o sonido do shofar ajudavam nesse processo. Outros "apóstolos" e líderes da NRA utilizam técnicas similares, algumas vezes de modos que dificilmente conseguiríamos imaginar:

"Ruth Ruibal descreve como a liderança de Cali, na Colômbia, realizou um ato desses usando um helicóptero para lançar azeite santo sobre a cidade! [Transformed!, pág.182]

A natureza xamânica dessas práticas sacramentais é bem ilustrada pelo seguinte excerto de uma cartilha sobre o ocultismo: Spiritual Cleansing: A Handbook of Psychic Protection (Limpeza Espiritual: Um Guia de Proteção Psíquica), de Draja Mickaharic, 1982:

"Sal Consagrado"

"Isto pode ser obtido em qualquer Igreja Católica Romana. Esfregar um pouco de sal consagrado nos lençóis de sua cama será útil para 'aterrá-lo' e manter suas expedições noturnas aos reinos astrais sob certo controle. Espargir água benta sobre seus lençóis também ajudará... A água benta pode ser obtida em uma igreja ou em uma loja de artigos religiosos." [pág. 34].

Pelo menos os praticantes do ocultismo reconhecem a natureza manifestamente mágica dessas práticas sacramentais, mesmo que muitos cristãos professos não!

Comunhão e Ecumenismo

A unção, ou poder místico, que deve estar presente no sal, azeite e água "consagrados" também é considerada presente no pão da Ceia do Senhor:

"Estamos descobrindo que quando celebramos a Comunhão juntos na terra onde o pecado ocorreu, estamos realizando um ato profético que dá testemunho no reino espiritual. Seja lá o que estiver manchado, seja lá o que estiver contaminado, aquilo está sendo trazido diante do Senhor por Seus servos, para que o sangue purificador de Cristo se torne o sacrifício final necessário para a remoção do pecado naquela área." [pág. 199].

"Quando compartilhamos a Comunhão, estamos reconhecendo o poder do sangue de Cristo na purificação de Sua terra. Estamos também atuando como mordomos responsáveis da Sua propriedade, liberando as promessas e bênçãos de Deus sobre Seu povo e Sua terra." [pág. 200].

É difícil fazer um relato racional do que eles consideram que acontece nesses rituais. Eles acreditam que esses rituais constituem um "ato profético" que dispara um movimento transformador de algum tipo no reino espiritual. Incrivelmente, o Dr. Petrie se refere ao pão da comunhão como o "sacrifício final" em uma localidade onde sacrifícios anteriores tinham ocorrido.

Francamente, tudo isto — o sal consagrado, a água benta, o azeite, o pão sacrificial — é pouco mais do que sacramentalismo católico romano. Esses rituais pagãos e suas vis heresias subjacentes foram importados, muito tempo atrás, para dentro da Igreja Católica Romana e estão agora caminhando, por meio da Nova Reforma Apostólica, para dentro das igrejas evangélicas.

O Dr. Petrie na realidade endossa, talvez de forma não intencional, o sacramentalismo católico romano:

"Quer chamemos isto de partir o pão, Ceia do Senhor, Eucaristia, santa comunhão, ou Missa, estamos nos referindo a outro importante sacramento na Igreja Cristã, juntamente com o santo batismo." [pág. 198].

A Missa? Ele equipara a Ceia do Senhor com o rito católico romano da Missa. Aparentemente a blasfêmia da Missa, com seu "sacrifício" repetido de Cristo, é de consequência alguma para o Dr. Petrie — ou até para seus colegas "apóstolos" Cindy Jacobs, que escreveu o prefácio do livro, ou a outro maiorial dentro do movimento da NRA, C. Peter Wagner, que escreveu o prefácio para outro livro do Dr. Petrie, Transformed!.

A verdade da questão é que a NRA despreza as distinções denominacionais. De acordo com seu livro Apostles Today (Apóstolos Hoje), o Dr. Wagner anunciou pela primeira vez o conceito da Nova Reforma Apostólica no Simpósio Nacional da Igreja Pós-Denominacional, em 1996. A NRA compartilha com Roma o objetivo de empurrar todos os ramos do Cristianismo professo para uma única entidade mundial, em que não existam todas as distinções organizacionais. Muito provavelmente, eles estão trabalhando em conjunto, por trás dos bastidores, para criarem a vindoura Religião do Mundo Unificado.

A seguinte observação mostra que o Dr. Petrie e, muito possivelmente, diversos outros "apóstolos", já consideram os católicos romanos como parte do Corpo de Cristo:

"Os batistas nos ensinam sobre a salvação, enquanto os metodistas e presbiterianos nos informam das questões sociais. Os pentecostais compartilham sobre o poder de Deus por meio da Pessoa e ministério do Espírito Santo, enquanto que os nazarenos e wesleyanos testificam sobre a importância da santidade. Os católicos romanos nos ensinam autoridade e temor do Senhor, enquanto que os anglicanos/episcopais modelam o maravilhoso equilíbrio da pregação da Palavra de Deus dentro das diretrizes da liturgia e adoração... Estes são apenas alguns exemplos da extraordinária diversidade que existe dentro do Corpo de Cristo." [pág. 131; ênfase adicionada].

De acordo com o Dr. Petrie, a NRA busca "a verdadeira unidade no Corpo de Cristo" (pág. 131), o que, logicamente, significa uma unidade visível, sobre e acima da perfeita unidade espiritual que já existe. Ele faz muitas afirmações que mostram que o objetivo final é a eliminação das distinções denominacionais. Por exemplo, quando ele foi ao País de Gales e às Ilhas Hébridas, na Escócia, discutir com pessoas da velha guarda os breves reavivamentos que tinham ocorrido ali muitas décadas atrás, ele quis saber quais fatores tinham feito os reavivamentos em cada local desaparecer de forma tão rápida:

"A resposta que ouvi repetidas vezes foi que a unidade foi perdida devido ao denominacionalismo, ciúmes e, algumas vezes, críticas, e que essa falta de unidade então desalojou o que estava se desenvolvendo entre o povo de Deus." [Transformed! pág. 137; ênfase adicionada].

Mais tarde, ele expressamente aprova o paradigma ecumênico:

"A igreja litúrgica dá as mãos para a igreja carismática, que dá as mãos para a igreja pentecostal, que dá as mãos para a igreja Palavra da Vida, que dá as mãos para a igreja do Evangelho Pleno, e assim por diante. A igreja, em grande parte, está cada vez mais reconhecendo a necessidade de estar em comunhão." [Transformed! pág. 217].

Reavivamento

Toda a NRA está dedicada ao reavivamento, mas o reavivamento de um determinado tipo, um reavivamento global maciço que trará o Reino. Aqui está como C. Peter Wagner explica isto no prefácio que escreveu para o livro de Petrie: Transformed!:

"Aqui está um consenso entre os líderes cristãos com quem eu me associo: uma época de grande reavivamento, muito provavelmente um derramamento do Espírito Santo sem precedentes na história cristã, está bem perto de acontecer. Acredito que isto acontecerá nesta geração."

"Acho que Deus quer que Seu próximo reavivamento seja diferente. Acho que Ele quer que 'Sua vontade seja feita na Terra como é no céu', como Jesus nos ensinou a orar; não seja algo passageiro, mas que transforme as sociedades nas quais vivemos de forma duradoura."

O Dr. Wagner e seus colegas "apóstolos" acreditam que esse grande derramamento está prestes a ocorrer e que os "apóstolos" foram levantados por Deus exatamente para esse propósito. O mundo ainda não estava pronto até agora, mas finalmente, após 1.900 anos, as pessoas, princípios, atitudes, estruturas e padrões de comportamentos certos estão se juntando como Deus queria:

"O que, então, Deus está esperando? O que nós devemos fazer de modo a ver as bênçãos do reavivamento de Deus liberadas? Pelo menos uma das coisas, muito possivelmente a principal, que Deus está aguardando, é ter certeza que Seu povo compreende e está preparado para implementar os princípios, atitudes, estruturas e padrões de comportamento necessários para sustentar o reavivamento. É disto que este livro trata." [Prefácio para Transformed!, escrito por C. Peter Wagner].

Esta escatologia é normalmente chamada de Dominionismo, a crença que a própria igreja precisa trazer o Reino, antes que Cristo possa retornar. Ela rejeita a escatologia do fim dos tempos da igreja evangélica tradicional, em que o Arrebatamento, a Tribulação, o reinado do Anticristo e outros eventos profetizados nas Escrituras precisam ocorrer antes de Cristo retornar pessoalmente para reinar. Todavia, os líderes da NRA geralmente tentam esconder o desprezo deles pelo ensino claro das Escrituras referente aos eventos do fim dos tempos. Alguns, como o Dr. Petrie, chegam até mesmo a negar sua doutrina dominionista:

"Explorar esse tipo de questão não significa tomar uma posição a favor de uma 'Teologia do Domínio'. As Escrituras implicam que haverá uma crescente intensidade na extensão da malignidade na sociedade antes do retorno de Cristo. Todavia, as Escrituras também nos instruem a permanecer atarefados no cumprimento da obra do Reino de Deus com nossas atividades cotidianas, até que o Senhor retorne." [Transformed! pág. 41].

Mas, isto é apenas uma cortina de fumaça! As visões reais dele são expressas claramente nas seguintes citações do mesmo livro:

"Acredito que Deus está chamando Sua igreja para um tempo extraordinário de preparação para uma visitação divina, em uma escala que ultrapassa nossa compreensão. Todavia, Deus também espera de nós mordomia neste vindouro reavivamento para que Seu poder transformador possa impactar cada aspecto da sociedade, com resultados duradouros." [Transformed! pág. 45].

"É minha crença com paixão que Deus quer que cidades inteiras fiquem sob a influência e alegria de Seu poder transformador e que o reavivamento possa ser atendido com mordomia, de modo a liberar uma transformação autêntica e permitir que a presença e a glória de Deus se tornem manifestas." [Transformed! pág. 45].

"Muitas pessoas acreditam sinceramente que a Grande Comissão está agora dentro do nosso alcance e que a profecia de Mateus 24:14 poderá ser cumprida durante nossos dias." [Transformed! pág. 218].

O Futuro de Acordo com os "Apóstolos" e "Profetas" da NRA

"Há um consenso entre os líderes cristãos com quem eu me associo que um tempo de grande reavivamento, muito provavelmente um derramamento do Espírito Santo sem precedentes na história cristã, está bem perto de acontecer. Acredito que acontecerá nesta geração." — C. Peter Wagner, prefácio para Transformed!, de Alistair Petrie, 2003.

"O maior derramamento do Espírito na história será liberado pouco antes da segunda vinda de Jesus. Neste grande reavivamento, o Espírito Santo liberará os milagres que foram vistos no Livro de Atos e no Livro do Êxodo, combinados e multiplicados em uma escala global..." – Mike Bickle, Growing in the Prophetic, pág. 77 (1996 e 2008).

"Como será esta gloriosa igreja no meio da revolução espiritual? Sinais, maravilhas e milagres serão normais no tempo da revolução. Os fiéis atravessarão as paredes, transformarão água em vinho e alimentarão as multidões com apenas alguns pães e peixes. Eles encontrarão anjos e criaturas celestiais, ascenderão e descerão até/da sala do trono, voarão alto como águias no reino do espírito, e até moverão montanhas e outros objetos por meios sobrenaturais. — Patricia King, Spiritual Revolution (Revolução Espiritual), pág. 184 (2006).

"Uma revolução está vindo ao Cristianismo, que ofuscará a Reforma nas amplas transformações que produzirá na igreja. Quando essa revolução vier, a estrutura e organização atuais da igreja cessarão de existir e o modo como o mundo define o Cristianismo será radicalmente modificado... As mudanças que estão vindo serão tão profundas que é difícil relacionar a forma presente da estrutura e governo da igreja com aquilo que virá." – Rick Joyner, Revolution (Revolução), The Morning Star Prophetic Bulletin, maio de 2000. Também citado por Chuck Pierce em , The Future War of the Church (A Guerra Futura da Igreja), pág. 299 (2001).

O Futuro de Acordo com o Senhor

"Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios." [1 Timóteo 4:1].

"Esta é uma palavra fiel: se alguém deseja o episcopado, excelente obra deseja. Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar; não dado ao vinho, não espancador, não cobiçoso de torpe ganância, mas moderado, não contencioso, não avarento." [1 Timóteo 3:1-3].

"E também todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus padecerão perseguições. Mas os homens maus e enganadores irão de mal para pior, enganando e sendo enganados." [2 Timóteo 3:12-13].

"Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; e desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas." [2 Timóteo 4:3-4].

"Porque haverá então grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco há de haver. E, se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias. Então, se alguém vos disser: Eis que o Cristo está aqui, ou ali, não lhe deis crédito; porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos. Eis que eu vo-lo tenho predito." [Mateus 24:21-25].

"Sabendo primeiro isto, que nos últimos dias virão escarnecedores, andando segundo as suas próprias concupiscências, e dizendo: Onde está a promessa da sua vinda? porque desde que os pais dormiram, todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação. Eles voluntariamente ignoram isto, que pela palavra de Deus já desde a antiguidade existiram os céus, e a terra, que foi tirada da água e no meio da água subsiste. Pelas quais coisas pereceu o mundo de então, coberto com as águas do dilúvio, mas os céus e a terra que agora existem pela mesma palavra se reservam como tesouro, e se guardam para o fogo, até o dia do juízo, e da perdição dos homens ímpios." [2 Pedro 3:3-7].

"Disse então ele: Vede não vos enganem, porque virão muitos em meu nome, dizendo: Sou eu, e o tempo está próximo. Não vades, portanto, após eles. E, quando ouvirdes de guerras e sedições, não vos assusteis. Porque é necessário que isto aconteça primeiro, mas o fim não será logo. Então lhes disse: Levantar-se-á nação contra nação, e reino contra reino; e haverá em vários lugares grandes terremotos, e fomes e pestilências; haverá também coisas espantosas, e grandes sinais do céu. Mas antes de todas estas coisas lançarão mão de vós, e vos perseguirão, entregando-vos às sinagogas e às prisões, e conduzindo-vos à presença de reis e presidentes, por amor do meu nome." [Lucas 21:8-12].

"E ele firmará aliança com muitos por uma semana; e na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oblação; e sobre a asa das abominações virá o assolador, e isso até à consumação; e o que está determinado será derramado sobre o assolador." [Daniel 9:27].

"Também eu escolherei as suas calamidades, farei vir sobre eles os seus temores; porquanto clamei e ninguém respondeu, falei e não escutaram; mas fizeram o que era mau aos meus olhos, e escolheram aquilo em que eu não tinha prazer. Ouvi a palavra do SENHOR, os que tremeis da sua palavra. Vossos irmãos, que vos odeiam e que para longe vos lançam por amor do meu nome, dizem: Seja glorificado o SENHOR, para que vejamos a vossa alegria; mas eles serão confundidos... Porque, eis que o SENHOR virá com fogo; e os seus carros como um torvelinho; para tornar a sua ira em furor, e a sua repreensão em chamas de fogo. Porque com fogo e com a sua espada entrará o SENHOR em juízo com toda a carne; e os mortos do SENHOR serão multiplicados." [Isaías 66:3-5,15-16].

Atalaias (Sentinelas), Intercessores e Guardas das Portas

Como a Igreja Católica, a NRA é clericalista em sua estrutura. Ela é governada por alguns poucos eleitos, indicados uns pelos outros. Esses homens e mulheres professam ter recebido uma "unção especial" de Deus, o que lhes dá o direito de ostentar o título de "apóstolo". O próximo nível é o do "profeta", que também possui uma unção especial, embora aparentemente não do mesmo nível ou autoridade que a de um "apóstolo". A maior parte do trabalho do "guerreiro na oração" — "purificação" da terra, "caminhada em oração", e "mapeamento espiritual" — é feito por três categorias de servos quase-clericais: intercessores, atalaias (sentinelas) e guardas das portas. Seria extenso demais descrever os poderes e "dons" de cada um deles, mas para todos os propósitos práticos, considera-se que eles possuem a autoridade necessária para realizar a função de "guerreiro na oração". [Nota: Caminhada de oração é um termo técnico na NRA e não é o equivalente a orar enquanto caminha.].

Como o perfil demoníaco de cada cidade é diferente, ele precisa ser mapeado. Isto requer pesquisa na história e cultura da cidade, bairro por bairro e exame cuidadoso dos fatores que possam revelar a classe e propósito do acampamento do Inimigo. Isso pode até envolver visitas e inspeções aos sítios para determinar a geografia do reino espiritual. Como diz o Dr. Petrie:

"Fazer isso envolve 'proteger' em um sentido espiritual, procurando contornos suspeitos de transformações no reino espiritual que possam ser observáveis dentro do reino físico. De fato, o que vemos ocorrendo à nossa volta no reino físico é muito frequentemente uma reflexão do que está acontecendo no reino espiritual e, por esta razão, precisamos ser capazes de ver e pensar com os olhos e a mente de Cristo." [Transformed! pág. 172].

Como mencionado anteriormente, a NRA acredita que é necessário visar sete setores específicos em "toda a infraestrutura sócio-política de uma comunidade" de modo a alcançar "transformação social". Isto significa indicar líderes em cada um desses setores e usá-los como "guardas das portas" para facilitar a intervenção espiritual pelos intercessores da NRA. (Deve ser observado que a "transformação social engloba a transformação espiritual" — C. Peter Wagner, Apostles Today (Apóstolos Hoje), pág. 120.)

O Dr. Petrie descreve esse processo complexo como segue:

"Embora nem todo líder nestes campos sempre será considerado um guarda das portas, existem aqueles que recebem convocação e influência específicas dadas por Deus dentro de suas respectivas jurisdições. Eles são afirmados ou eleitos por aqueles que eles representam e que os chamaram para ocupar esse papel." [Transformed! pág. 175].

"Na maioria dos círculos de oração dos dias atuais, os intercessores são considerados atalaias de uma cidade. Em muitos casos, porém, os atalaias não são apenas intercessores, mas líderes. O atalaia é a pessoa que se coloca diante de Deus a favor da terra para que Ele não tenha de destrui-la por causa de seu próprio pecado (veja Ezequiel 22:30). [pág. 222].

Poderíamos apresentar dezenas de citações similares, feitas pelos líderes da NRA.

Não há nada bíblico com relação a qualquer coisa disto! Tudo é confuso, irracional e profundamente malconcebido. Isto transforma a mensagem clara do Evangelho em um enigma que somente um gênio poderia decifrar. Ao contrário da simplicidade que há em Cristo, temos uma mistura insana de misticismo e ritual pagão, exorcismo territorial e sacramentalismo, supervisionada e controlada totalmente por um quadro de elite de auto-intitulados "apóstolos" e "profetas".

O Que Está em Cima É Como o Que Está em Baixo

Por mais perturbador que isto possa ser, na verdade fica pior. Observamos anteriormente uma citação que precisamos examinar um pouco mais:

"Nestas ocasiões [por exemplo, em locais onde sangue foi derramado] usamos sal consagrado, realizando um ato profético com uma base simbólica que tem um efeito no reino espiritual." [pág. 191].

Citamos também o seguinte na seção precedente:

"De fato, o que vemos ocorrendo ao nosso redor no reino físico é muito frequentemente uma reflexão do que está ocorrendo no reino espiritual e, por esta razão, precisamos ser capazes de ver e pensar com os olhos e a mente de Cristo." [Transformed! pág. 172].

A ideia que está por trás disso é sucintamente apresentada pelo Dr. Petrie como segue:

"O que vemos e experimentamos no reino físico é uma reflexão daquilo que está ocorrendo no mundo espiritual." [pág. 211].

Isto é quase certamente uma nova ideia para a maioria dos cristãos — e deveria ser! Mas, é um princípio bem-conhecido no ocultismo e usualmente expresso na seguinte frase: "Como é em cima, assim também é em baixo." Isto significa que qualquer coisa que aconteça no plano físico está conectado e é uma reflexão de algo que está acontecendo em um plano superior. Portanto, observando o princípio corretamente, pode-se influenciar o reino espiritual e vice versa. Isto também é conhecido como o princípio do microcosmos e macrocosmos, em que o indivíduo traz dentro de si mesmo uma reflexão perfeita do universo como um todo. Isto forma a base para a astrologia, tarô, alquimia e todo o espectro de sistemas de magia hermética e cabalista.

Por exemplo, a crença que a mente de uma pessoa pode afetar o mundo físico está baseada neste princípio, a heresia da Palavra da Fé trabalha com base nessa suposição, em que a fé de um indivíduo (significando o poder mental) pode ser enfocada em um resultado desejado que o universo então suprirá (porque o microcosmo e o macrocosmos estão interconectados). Na aplicação que a NRA faz desse princípio, um "ato profético", realizado em base simbólica, pode, como o Dr. Petrie afirma, "ter um efeito no reino espiritual". Como? Por que eles estão interconectados segundo o princípio "Como é em cima, assim também é em baixo".

A crença de Nova Era que "Tudo É Um" está fundada no mesmo princípio. Satanás explora essa ideia ocultista de tantas formas quanto puder porque ela se opõe virtualmente a tudo o que a Bíblia ensina. Se Tudo É Um, então o homem está conectado diretamente com Deus e, portanto, contém dentro de si mesmo uma centelha da divindade. Se Tudo É Um, não existe esse negócio de pecado (pois o pecado nos separa de Deus, e isso não é possível segundo essa filosofia). Se Tudo É Um, não existem valores morais absolutos, pois nenhuma parte da realidade está completamente separada de qualquer outra e todos os valores são, portanto, relativos. Se Tudo É Um, então a morte é simplesmente uma transição de um estado para outra etapa no crescimento espiritual do indivíduo. Se Tudo É Um, então estamos todos em uma jornada cósmica de autodescoberta para dentro das profundezas da eternidade. E assim por diante.

Portanto, quando o Dr. Petrie diz: "O que vemos e experimentamos no reino físico é uma reflexão daquilo que está ocorrendo no reino espiritual", ele está simplesmente expressando um antigo princípio ocultista. O "sal consagrado" e a "água benta" são "consagrados" e "bentos", respectivamente, por que já são participantes do reino sobrenatural. Portanto, usando-os em um "ato profético", o indivíduo é capaz de explorar a conexão deles com esse reino para efetivar transformações ali.

O Maligno está importanto ideias ocultistas e de Nova Era para dentro do "Cristianismo" em uma escala nunca vista antes. Muito do que passa por Cristianismo nas igrejas "evangélicas" modernas é, na verdade, ocultista em sua natureza: a Fé é uma força; a santidade é uma sensação; a verdade vem pela experiência; a revelação ainda continua atualmente; os anjos caminham entre nós; Jesus fala conosco; a Bíblia fala subjetivamente com cada um de nós; contemplação é oração; o Espírito é uma energia que responde à visualização criativa; Deus quer "intimidade" conosco; precisamos esvaziar nossa mente; precisamos estar "abertos" ao espírito; todas as almas serão salvas; a meditação nos leva mais para perto de Deus; tudo é amor e o amor é tudo; o reino dos demônios está sujeito à autoridade dos fiéis cristãos; o pecado é um malfeito, o inferno eterno é um mito; toda a verdade é verdade de Deus; a igreja é interdenominacional; a igreja está evoluindo; o conhecimento das leis espirituais trará o sucesso; nossos sonhos são uma avenida para o céu; Deus está "se movendo" em um novo caminho; "não toqueis meus ungidos"; "não coloque Deus dentro de uma caixa"; precisamos entrar no "silêncio"; precisamos estar "aterrados" e "centrados"; toda religião contém uma parte da verdade de Deus; somos a geração escolhida; entramos em um novo paradigma; somente os fiéis de "odres novos" estão cheios do espírito; o tradicionalismo bloqueia a obra de Deus; os familiares que já partiram podem nos enviar mensagens; fazer ruídos estranhos de vozes de animais é uma expressão do Espírito Santo; a perda do controle do corpo físico é um sinal do Espírito Santo; qualquer um pode ser um profeta; a cura milagrosa é nosso direito de nascença... e assim por diante.

A NRA está permeada por muitas dessas ideias. Por exemplo, o Dr. Petrie diz:

"As leis da física, eletricidade e gravidade estavam em operação. O Corpo de Cristo precisa aprender leis espirituais similares — caso contrário, nós nos tornamos insatisfeitos e desapontados." [Transformed! pág. 66].

A crença que existem técnicas e leis espirituais que precisamos dominar de modo a servir a Deus está baseada no ocultismo. Ela é profundamente ofensiva a Deus e profundamente prejudicial a todos os cristãos professos que rejeitam Sua soberania desse modo.

Parece existir um esforço combinado pelos inimigos do Cristianismo para acelerar esse processo da infiltração ocultista. Muitos dos livros que estão sendo promovidos hoje por editoras "cristãs" estão espertamente contaminados com ideias de Nova Era. Além disso, como tantos cristãos hoje são analfabetos bíblicamente, eles não conseguem discernir o que está acontecendo. Por exemplo, poucos cristãos parecem perceber que os livros Jesus Calling, de Sarah Young, são veneno ocultista.

Outro livro bem-conhecido, endossado por muitas figuras de liderança na comunidade evangélica — incluindo Warren Wisbe, J. I. Packer e Jack Hayford – é A Mensagem, de Eugene Peterson. Embora professe ser uma paráfrase da Bíblia, o livro é, na realidade, uma paródia blasfema da Santa Palavra de Deus. Ele até inclui uma paráfrase vulgar e ocultista de Mateus 6:9-13, algumas vezes chamada de Oração Dominical:

"Nosso Pai do céu, revela-nos quem tu és. Dá um jeito neste mundo. Faz o que é melhor — tanto aí em cima quanto aqui em baixo. Conserva-nos vivos com três boas refeições. Preserva-nos perdoados por ti e perdoando os outros. Guarda-nos de nós mesmos e do Diabo. Tu estás no comando! Tu podes fazer tudo o que quiseres! Tua beleza é fascinante! Amém. Amém. Amém."

O verso que diz "Seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu", foi parafraseado como: "Faça o que é melhor, tanto aí em cima quanto aqui em baixo".

Compare isto com uma declaração similar feita por Petrie e outra por Wagner, que já citamos:

"Purificação, redenção e cura da terra, facilitando a transformação das comunidades e a bênção de Deus sobre Seu povo, são o que significa mordomia fiel. Isto pode até ser chamado de uma reflexão do céu na terra. Não devemos, afinal, orar da seguinte maneira: "Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu." [Mateus 6:10]? [pág. 242].

"Acho que Deus quer que Seu próximo reavivamento seja diferente. Acho que Ele quer que "Sua vontade seja feita na terra, como é no céu", como Jesus nos ensinou a orar; não ser um brilho passageiro, mas transformar as sociedades em que vivemos de forma duradoura." [C. Peter Wagner no prefácio de Transformed!]

Devemos estar surpresos que Wagner, Petrie e Peterson estejam distorcendo a Palavra de Deus exatamente da mesma forma? Acho que não. O Maligno é muito mais inteligente do que qualquer um de nós.

As Linhas de Ley

Iremos agora considerar um elemento no ensino do Dr. Petrie que é tão ocultista, que levou Cindy Jacobs a comentar da seguinte forma em seu prefácio ao livro Releasing Heaven on Earth (Liberando o Céu na Terra):

"Uma parte do material neste livro é tão inovadora que o Corpo de Cristo não estaria preparado para ela cinco anos atrás. Isto se aplica particularmente à área das Linhas de Ley."

Que verdade da Bíblia é tão "inovadora" que não poderia ser revelada antes do ano 2.000?

O Dicionário Oxford de Inglês define uma Linha de Ley como segue:

"Uma suposta linha reta que conecta três ou mais sítios pré-históricos ou antigos, algumas vezes considerada como a linha de uma trilha antiga, e associada por alguns com as linhas de energia e com outros fenômenos paranormais."

A NRA considera as Linhas de Ley, não como um fenômeno especulativo, mas como uma realidade comprovada. Por exemplo, na pág. 158 de Releasing Heaven on Earth (Liberando o Céu na Terra), o Dr. Petrie cita com aprovação o livro Spiritual Mapping Glossary (Glossário do Mapeamento Espiritual), de George Otis Jr. –

"Dependendo da cultura em que elas são encontradas, as Linhas de Ley podem ser vistas como conduítes por meio dos quais poder espiritual é transmitido, ou como linhas de demarcação para autoridade espiritual."

A NRA considera as Linhas de Ley, seja lá o que elas possam ser, como uma maldição sobre a terra: "Pode a existência das Linhas de Ley ser considerada como uma maldição sobre a terra? A evidência deixa pouco espaço para a dúvida." [pág. 163].

De acordo com o Dr. Petrie, as Linhas de Ley são uma forma de "interjogo demoníaco" que os cristãos precisam tratar se quiserem propagar o Evangelho com sucesso. Com as Linhas de Ley podem se estender por vastas distâncias, os intercessores precisam enfocar nos "pontos de poder conhecidos" ao longo da linha e, desse modo, enfraquecê-la substancialmente:

"Após a confissão e arrependimento, nós repreendemos, amarramos e expulsamos todas as formas de atuação demoníaca que Deus revelou para nós por meio de nossas pesquisas e orações, bem como por meio do testemunho das pessoas que vivem naquela área ou situação. Dependendo da extensão e profundidade da mordomia, as Linhas de Ley podem estar em uma área contida, ou podem se estender por centenas, ou até milhares de quilômetros. Normalmente, temos a autoridade para lidar somente com a área local em que vivemos e trabalhamos e ministramos, mas em quebrar os pontos de poder conhecidos ao longo de parte de uma Linha de Ley, estamos enfraquecendo substancialmente seu efeito naquela área." [pág. 162-163; ênfase adicionada]

O equivalente chinês da análise das Linhas de Ley é o Feng Shui, a crença que raios de energia psíquica se estendem em padrões irregulares pelo país e que qualquer pessoa que viva no caminho dessas linhas pode estar sujeita às suas influências adversas. O "mestre" de Feng Shui precisa mapear essas linhas e determinar quais mudanças precisam ser feitas. Compare isto com o conceito da NRA do "mapeamento espiritual", que envolve o uso de pesquisa e oração para identificar as fortalezas demoníacas em uma cidade para que os intercessores possam travar uma guerra espiritual contra elas:

"O mapeamento espiritual — também conhecido como geografia cultural, antropologia cultural ou epidemiologia espiritual — tornou-se uma disciplina de oração que agora é usada em muitas facetas da Igreja Cristã em todo o mundo." [Transformed! pág. 217].

Observe o uso que ele faz do termo epidemiologia espiritual, querendo dizer o diagnóstico de uma doença espiritual em um local geográfico (de forma parecida como um mestre de Feng Shui). Como materiais de pesquisa e outros dados objetivos podem não estar disponíveis para ajudar os intercessores a identificar a existência de uma doença sobrenatural em uma determinada rua, eles oram uma oração especial para obterem direção. Presumivelmente, isto lhe permite "sentir" ou detectar intuitivamente a presença de vibrações adversas. Como uma técnica de diagnóstico, não é diferente da detecção intuitiva de "energias más" por um mestre de Reiki, ou alguém com poderes psíquicos.

A julgar pelo seguinte, o próprio Dr. Petrie parece usar algum tipo de técnica de diagnóstico para intuitivamente avaliar a verdadeira condição espiritual de uma cidade:

"Durante minha primeira visita a New Orleans, fiquei admirado com o espírito festeiro e de imoralidade que experimentei. Mais tarde, após reflexão e pesquisa, percebi que Deus tinha objetivado que aquela fosse uma cidade de celebração e hospitalidade, dando louvor à Sua bondade e amor." [pág. 47].

(Eu também ri.)

Para enfrentar as energias "más" nas Linhas de Ley, o Dr. Petrie acredita que Deus colocou fontes, ou "poços" de boa energia em cada cidade, que os "mordomos" estão incumbidos de cuidar:

"Similarmente, precisamos ser mordomos dos 'poços' nas nossas cidades que foram construídos e entregues para nós em confiança por nosso Pai Celestial. Cada comunidade, cidade e nação no mundo tem suas próprias distinções particulares, e se o poço da vida não estiver fluindo de um modo que traga honra e glória para Deus, então precisamos seguir as medidas que forem necessárias para cavar novamente o poço. Fazer isso envolve reconhecer o que Deus colocou ali no início, que foi distinto e singular para aquela área, mas que se tornou uma questão explorada pelo inimigo." [pág. 126].

É difícil fazer comentários sobre declarações como esta — elas são simplesmente bizarras demais. Eles nem tentam se conectar com a verdade bíblica.

Além dos "poços", parece também haver uma forma de boa energia acima do solo, que é produzida pela oração e atua como um campo de força:

"Compartilhei com essas pessoas a importância de levantar uma cobertura de oração durante o dia — um tipo de oração que protege todos que vêm e vão daquele lugar e proíbe qualquer um de entrar com um motivo oculto." [pág. 171].

O panteísmo de Nova Era implícito em tudo isto, em que campos de energias "boas" e "más" permeiam tanto a própria terra e a atmosfera acima dela, é realmente de tirar o fôlego.

Panteísmo de Nova Era

A cosmovisão panteísta incorporada nas doutrinas da NRA está bem expressa na seguinte impressionante afirmação do Dr. Petrie:

"Como cristãos, somos chamados não para fora do mundo, mas, ao contrário, para dentro dele, de modo a fazer uma diferença como sal e luz do mundo. Como parte dos nossos interesses, precisamos lidar com as questões da chuva ácida, a camada de ozônio e a poluição do nosso meio ambiente..." [pág. 28; ênfase no original].

Na nova versão do "Cristianismo" que está sendo promovida pela NRA, os "cristãos" não são mais chamados para saírem do mundo, mas para entrarem nele. Após 1.900 anos, a ecclesia, aqueles que foram chamados para fora, finalmente foram expulsos da igreja visível. Os cristãos fiéis verdadeiros são os chamados para dentro, a geração especial de pessoas que agora estão aqui para "fazerem uma diferença" no mundo, os ecologistas cósmicos dedicados a sarar e purificar os reinos natural e sobrenatural.

Em Releasing Heaven on Earth (Liberando o Céu na Terra) [pág. 27], ele cita com aprovação uma observação feita por Loren Wilkinson, editora de Earthkeeping in the Nineties: Stewardship of Creation (Guardando a Terra nos Anos 90: A Mordomia da Criação) –

"Esta crescente conscientização da nossa obrigação com a Terra... coloca os cristãos em uma posição difícil... Quando os cristãos afirmam que Deus amou o mundo e que Cristo morreu a favor da vida do mundo, eles estão falando não apenas da humanidade, mas de todo o planeta — de fato, de todo o universo criado."

De acordo com esta revisão panteísta da verdade bíblica, Cristo morreu, não para redimir a humanidade, mas para redimir o planeta e "todo o universo criado".

Localidades de Vitrine

Em seu livro Transformed!, Petrie apresenta exemplos de comunidades que alegadamente foram "transformadas" pela abordagem da NRA. Essas localidades, ele observa, são destacadas nos vídeos Transformation produzidos por Sentinel Group (um afiliado da NRA). Eles incluem Cali, na Colômbia, uma cidade de cerca 2,5 milhões de habitantes; o município de Almolonga, na província de Quetzaltenango, na Guatemala, que tem uma população de cerca de 12.000 habitantes, e Kampala, a capital de Uganda, que tem uma população de 1,2 milhão de habitantes.

Embora não seja o propósito deste ensaio atestar a validade dessas afirmações, precisamos dizer que os sinais e maravilhas nunca podem fornecer justificativa para uma doutrina que não está de acordo com a verdade bíblica. Muitos acham isto difícil de aceitar. Eles argumentam que eventos aparentemente milagrosos provam, além de qualquer dúvida, que Deus está em operação. Mas não é assim. Considere o que a Palavra de Deus diz sobre os profetas que profetizam corretamente, mas que, mesmo assim, pregam uma mensagem contrária à Palavra de Deus:

"Quando profeta ou sonhador de sonhos se levantar no meio de ti, e te der um sinal ou prodígio, e suceder o tal sinal ou prodígio, de que te houver falado, dizendo: Vamos após outros deuses, que não conheceste, e sirvamo-los; não ouvirás as palavras daquele profeta ou sonhador de sonhos; porquanto o SENHOR vosso Deus vos prova, para saber se amais o SENHOR vosso Deus com todo o vosso coração, e com toda a vossa alma." [Deuteronômio 13:1-3].

Observe que esses são falsos profetas que o Senhor está usando para testar aqueles que professam crer Nele. Assim, nunca podemos usar um sinal milagroso ou profético para determinar a exatidão ou não de uma doutrina que não está de acordo com a Palavra de Deus!

Também precisamos nos lembrar que Satanás tem o poder de realizar sinais sobrenaturais, exatamente como fez quando Moisés compareceu diante do faraó do Egito. Embora seus poderes sejam limitados, qualquer um que tenha a capacidade de transformar um vara de madeira em uma serpente, transformar água em sangue, ou fazer sapos se multiplicarem milagrosamente, é bem capaz de realizar maravilhas que irão iludir e enganar a maior parte da humanidade. A Bíblia adverte que esta será uma grande armadilha para os cristãos professos no fim dos tempos, quando muitos serão desviados pela "eficácia de Satanás, com todo o poder, e sinais e prodígios de mentira." [2 Tessalonicenses 2:9].

The Lost Art of Practicing His Presence (A Arte Perdida de Praticar a Presença de Deus), de James Goll.

Este livro inclui A Prática de Presença de Deus, do Irmão Lourenço, uma cartilha sobre o misticismo contemplativo, escrita por um católico romano.

Nem todos os líderes da NRA ensinam o misticismo contemplativo, porém todos ensinam a busca de profecias e o uso de técnicas, como a espiritualidade contemplativa, para gerar mensagens proféticas, visões e "palavras".

A oração contemplativa não é bíblica. Seus primeiros expoentes no Ocidente foram místicos católicos romanos que adoravam a Virgem Maria e um falso Cristo.

Este livro, efetivamente, é um chamado para os cristãos professos em toda a parte se unirem sob o estandarte da Igreja Católica Romana.

A Heresia Pelagiana

Perpassando toda a filosofia herética da NRA está a convicção de que a maioria dos homens é incapaz de reconhecer a verdade do Evangelho até que eles tenham primeiro sido liberados da opressão demoníaca territorial. A cegueira espiritual deles é causada principalmente pelo poder das trevas. Os mestres da NRA acreditam que, uma vez que um indivíduo possa viver em um ambiente livre de demônios, ele será atraído, gradual e naturalmente, para a verdade do Evangelho. Essa tendência inata pode ser grandemente acelerada se os verdadeiros fiéis cristãos demonstrarem o poder do Evangelho por meio de sinais e maravilhas. Assim, os objetivos estratégicos da NRA são (1) expulsar demônios territoriais; (2) demonstrar o poder do Evangelho por meio de sinais e maravilhas; e (3) realizar as duas primeiras etapas de uma forma sistemática, cidade por cidade, até que nações inteiras sejam "transformadas" em teocracias cristãs.

A NRA repete a maioria das heresias e afirmações absurdas de seus predecessores imediatos — a Terceira Onda, a Chuva Serôdia, o Movimento Videira, os Filhos Manifestos de Deus, etc. — e os heréticos que os lançaram em sua forma moderna, notavelmente William Branham, John Wimber, Paul Cain, Oral Roberts, Franklin Hall, David du Plessis, Agnes Sanford, Aimee Semple McPherson, Kathryn Kuhlman, George Warnock, e E. W. Kenyon. Tendo dito isto, há uma heresia em particular que parece estar subjacente em todo o lote. Embora tenha sido modificada ao longo dos séculos, dependendo das circunstâncias sociais e históricas, ela ensina basicamente que o homem tem alguma bondade intrínseca dentro dele. Uma vez que essa premissa falsa seja aceita, o indivíduo pode então exercer sua "bondade" e salvar a si mesmo pelas "obras", isto é, por seus próprios esforços. Isto é frequentemente referenciado como heresia pelagiana, segundo o nome (Pelágio) de um monge do século IV que a propagou por partes da Europa ocidental. Muitas razões são dadas quanto ao porquê dessa "bondade" estar ali — Cristo eliminou o pecado original, o homem é essencialmente uma centelha de Deus, o homem foi criado à imagem e semelhança de Deus, e assim por diante. Independente de como ela seja formulada, a heresia rejeita as consequências devastadoras da Queda e as horríveis implicações do pecado. Ela deixa de reconhecer que o homem está morto em ofensas e pecados e que é totalmente incapaz de fazer qualquer coisa que faça avançar sua própria salvação. Infelizmente, a não ser que o indivíduo venha a essa compreensão — uma verdadeira convicção do pecado — então a salvação é impossível e o novo nascimento não pode ocorrer.

A NRA disfarça sua posição pelagiana apontando continuamente para o reino demoníaco como a origem dos problemas humanos. O homem peca somente em resposta às influências sobrenaturais das trevas. Essas mesmas influências malévolas o cegam para a verdade do Evangelho. Mas, não há razão por que isto deveria continuar, eles dizem. A solução é realmente bem simples: os fiéis cristãos precisam somente reivindicar e exercer seu direito dado por Deus de amarrar os demôniios e, trabalhando juntos como uma equipe sob a tutela dos "apóstolos" e "profetas", expulsá-los da Terra. Isto foi o que Deus sempre quis! O próprio homem precisa trazer o Reino. Ele já alcançou finalmente o estágio de maturidade espiritual em que compreende perfeitamente o que Deus requer dele. Depois que faz isso, ele é aprovado diante de Deus, a igreja atinge a maturidade e Cristo pode retornar para Sua noiva.

É por isto a Nova Reforma Apostólica está crescendo tanto em diversos países. Os buscadores, ansiosos por uma experiência direta e pessoal com Deus, podem colocar de lado as supostamente estagnadas fórmulas doutrinárias do passado. Os pastores tradicionais do "vinho velho" podem ser substituídos por guerreiros cheios do espírito e do "vinho novo", que sabem como amarrar os demônios, proferir palavras de revelações novas e abrir suas congregações para o poder de Deus. O "derramamento apostólico" pode finalmente ser ativado. Os homens podem agora se apropriar dos dons espirituais e de poder divino que é direito deles de nascença. Sob a mão orientadora dos "apóstolos" e "profetas', eles podem finalmente exercer sua autoridade divina e trazer o Reino.

Esta é a heresia pelagiana, em sua forma mais arrogante e triunfal!

Que tremenda distorção da verdade bíblica! Isto é o que acontece quando falsos mestres pregam a bondade inata do homem, quando as consequências devastadoras do pecado são esquecidas e os homens se aventuram mais uma vez a participarem no exercício da autoridade soberana de Deus.

Quando o pecado não é mais pecado, a graça não é mais graça. Aqui está como Bill Hamon definiu esta última:

"Graça são as habilitações divinas não merecidas. São as habilidades (dons, talentos, etc.) gratuitas de Deus sendo demonstradas por meio de um vaso humano, apesar do pecado e das fragilidades humanas. É receber de Deus a capacidade sobrenatural não merecida de realizar e executar qualquer coisa que Ele tenha desejado para o santo individual..." — Apostles, Prophets and the Coming Moves of God, (Apóstolos, Profetas e as Vindouras Ações de Deus), pág. 286.

Em resumo, o homem se tornou um pequeno deus.

William Branham (1909-1965) — grandemente admirado pelos líderes da NRA.

Um pentecostal unitário, Branham rejeitava a doutrina da Trindade e ensinava que Deus era uma pessoa só. Ele também ensinava que Satanás gerou Caim em Eva (a heresia da "Semente da Serpente") e fez muitas afirmações que implicavam que ele era o profeta Elias.

Com base em inúmeras visões e visitações angélicas, ele propôs uma variedade seriamente herética de Cristianismo que influenciou muito diversos grupos subsequentes, incluindo a Nova Reforma Apostólica, a Terceira Onda, a Chuva Serôdia, o Movimento Videira, o Exército de Joel e os Filhos Manifestos de Deus.

Ele ensinava que o Zodíaco da astrologia e as pirâmides do Egito incorporavam a verdade de Deus, da mesma forma que a Bíblia.

"... nem Edwards [Harry Edward, famoso curandeiro psíquico] nem Branham foram capazes de realizar curas quando confrontados por cristãos nascidos de novo que tinham se colocado sob a proteção de Cristo. No caso de Branham, eu mesmo experimentei isto. Quando ele falou em Karlsruhe e Lausanne, havia vários cristãos fiéis na audiência — incluindo eu mesmo — que oraram mais ou menos assim: "Senhor, se os poderes deste homem vêm de ti, então abençoe-o e use-o; caso contrário, impeça-o." Qual foi o resultado? Em ambas as ocasiões, Branham disse quando estava na plataforma: 'Existem forças perturbadoras aqui. Não há nada que eu possa fazer.'" — Kurt Koch, Occult ABC, 1986.

Conclusão

Os ensinos de Alistair Petrie são os da Nova Reforma Apostólica, fundada por C. Peter Wagner. O Dr. Petrie desfruta o status de "apóstolo" e seus livros foram endossados com prefácios escritos por Cindy Jacobs, C. Peter Wagner e Peter Horrobin (cujos escritos foram muito elogiados por Wagner). Ele é, portanto, uma figura de proa na Nova Reforma Apostólica e uma autoridade mundialmente reconhecida nos ensinos e práticas da NRA. Portanto, todos os comentários que fizemos sobre o Dr. Petrie e seu ministério aplicam-se igualmente à NRA como um todo.

Muitos líderes cristãos nos EUA condenaram a NRA como uma seita. À luz das informações apresentadas neste ensaio, não pode haver dúvidas que a avaliação deles está bem-fundamentada. Ao mesmo tempo que professa ser a única interpretação correta do Cristianismo no mundo hoje, a NRA é, na verdade, uma falsificação estranha e perturbadora. Isto deve ser aparente a partir de uma consideração imparcial dos muitos aspectos em seus ensinos que deixam de se conformar com a verdade bíblica. (A lista a seguir está classificada por categoria para facilitar a compreensão, porém algumas características podem se sobrepor.)

Igreja:

1. Sua redefinição da verdadeira igreja como um corpo pós-denominacional e visível de cristãos que são chamados para dentro do mundo, não para fora dele.

2. Seu representação da igreja como uma unidade ecumênica que inclui a Igreja Católica Romana e as igrejas protestantes liberais. (Veja o Apêndice B.)

3. Seu flagrante clericalismo, em que os ofícios eclesiásticos são criados sem qualquer autoridade bíblica e os indicados são considerados recebedores de uma correspondente unção sobrenatural. Há uma forte similaridade entre a hierarquia sacerdotal do Romanismo e a hierarquia dos "ungidos" da NRA.

4. Sua rejeição da igreja dos últimos 1.900 anos como deficiente, tanto em sua compreensão da Palavra de Deus quanto em executar seu mandato divinamente ordenado. Veja também o ponto 14 com relação à fundação da igreja.

5. Seu uso da "submissão", "cobertura apostólica" e conceitos similares para regular e controlar seus membros.

Evangelho:

6. Sua relutância em apresentar uma clara declaração do Evangelho e transmitir as verdades fundamentais do Cristianismo bíblico e do novo nascimento.

7. Sua rejeição determinada de colocar Cristo e Sua expiação substitutiva no centro de seu ensino.

8. Sua incapacidade de pregar o Evangelho corretamente, mesmo se quisesse isso, devido à sua compreensão completamente inadequada do pecado e à sua mentalidade pelagiana.

Bíblia:

9. Sua grave má representação de conceitos bíblicos básicos, notavelmente pecado, julgamento, arrependimento, autoridade, aliança, misericórdia, perdão e santificação.

10. Sua hermenêutica furada, em que a Palavra de Deus é interpretada de um modo inconsistente e arbitrário.

11. Sua dependência de sinais e maravilhas como evidência que suas doutrinas são corretas, mesmo se estiverem em conflito com a interpretação evangélica tradicional das Escrituras.

12. Sua rejeição da Bíblia como a única, suficiente e absoluta autoridade para todos os fiéis cristãos.

13. Seu ensino de fato que os "apóstolos" e "profetas" são capacitados e têm o mandato de interpretar as Escrituras para os fiéis cristãos menos "ungidos'.

Ofícios de Poder:

14. Sua reinstituição do ofício de "apóstolo", em que uma elite auto-indicada presume exercer de forma substitutiva e com capacidade plenipotenciária, a autoridade soberana de Cristo. Isto inclui o "direito" de reformar a igreja e lançar seu fundamento outra vez.

15. Sua indicação de "profetas", que em todos os casos até aqui, sem exceção, falharam no teste dos profetas, dado em Deuteronômio 13 e 18, Jeremias 27 e 28 e Isaías 8.

16. Sua doutrina do "mordomo', que está em conflito com o ensino claro da Escrituras, concedendo ao homem caído um poder e autoridade que ele não possui, nem pode possuir. Essa doutrina ensina que, em certas questões, Deus não pode exercer Sua soberana vontade sem o acordo e participação do homem.

17. Sua ênfase incansável no potencial do homem para vencer a adversidade e garantir um resultado positivo em todos os aspectos da vida.

Soberania

18. Sua rejeição da soberania absoluta, incondicional de Deus, cuja obra redentora é restringida pela compreensão limitada do homem e, assim, falha em cooperar com Seu plano profético. Veja também os pontos 14, 16, 19 e 21.

19. Seu uso sistemático de técnicas, como "caminhada de oração" e "mapeamento espiritual", que implicam que a efetividade do ministério do Espírito Santo depende da iniciativa humana e de considerações geográficas.

Fim dos Tempos:

20. Sua teologia Dominionista, ou Reino Agora, que rejeita as claras profecias bíblicas relacionadas com a grande apostasia no fim dos tempos, o Arrebatamento, a Tribulação e o vindouro reinado do Anticristo.

21. Sua teologia centrada no homem, que remove de Cristo e atribui à igreja o poder e autoridade de trazer o Reino.

22. Seu uso do modelo carismático e de sinais e maravilhas de "reavivamento", que não é encontrado nas Escrituras.

Ocultismo:

23. Sua cosmovisão panteísta e de Nova Era, sua "teologia da terra" e seu uso insidioso da filosofia gnóstica.

24. Seu uso sistemático de ferramentas e técnicas que são sacramentais ou ocultistas.

25. Sua aceitação e uso geral do princípio ocultista "Como é em cima, assim também é em baixo."

Guerra Espiritual:

26. Sua determinação de travar guerra e interagir com o reino demoníaco, o que é expressamente proibido em Deuteronômio 18.

27. Sua doutrina de localidades "livres de demônios", que não tem suporte bíblico. Nem mesmo Jerusalém no tempo de Cristo e dos apóstolos foi descrita nesses termos.

28. Sua exploração continuada de ensinos pagãos de modo a identificar seus elementos espirituais "úteis" — o que a Bíblia proíbe expressamente.

A lista poderia ser grandemente estendida. Por exemplo, não tivemos tempo para tratar outros aspectos irracionais e irregulares do ensino e práticas da Nova Reforma Apostólica, tais como arrependimento por identificação, a consideração especial de Deus por cidades, mordomia corporativa, DNA espiritual, a Lista de Elias, os "apóstolos" da NRA no papel de Elias no fim dos tempos, o espírito de Jezabel, Rhema e Logos, teísmo aberto, imposição de mãos, intercessão judicial, decretos proféticos, portais espirituais, experiências fora do corpo, "imersão", a Geração de Josias, o Tabernáculo de Davi, registro das doações, alvos financeiros, evangelismo de mercado, participação direta em atividades políticas, os sete princípios da transformação, as sete bênçãos de Deus sobre a terra, e assim por diante.

O que torna a Nova Reforma Apostólica mais perigosa do que a maioria das seitas pseudocristãs é seu fascínio doentio pelo reino demoníaco. Os líderes da NRA não têm compreensão alguma do poder que os anjos caídos podem exercer sobre aqueles que são ingênuos e incautos o suficiente para acreditar que podem entrar no reino espiritual deles e fazê-los recuar. Os intercessores que persistem nesta atividade estão se colocando em risco.

Não existe ocasião alguma na Bíblia em que alguém realiza um ritual bizarro de purificação de demônios, como aqueles em que a NRA se envolveu. Por exemplo, Paulo foi a Éfeso, Corinto e Atenas, que eram cidades imersas no paganismo e na adoração de demônios. Todavia, ele nunca procurou "purificar" essas cidades! Éfeso era o sítio do famoso Templo de Diana, talvez o maior centro de adoração da deusa no mundo antigo, um local em que, se os demônios se congregam em algum lugar, eles fariam isso ali! O livro de Atos registra que quando os devotos da deusa Diana se enfureceram por causa da presença dos cristãos, eles gritaram sem parar, durante quase duas horas: "Grande é Diana dos Efésios"! Apesar dessa manifestação inspirada por demônios, Paulo em tempo algum repreendeu o poder sobrenatural das trevas que estava em operação naquela cidade.

Deuteronômio 18 proíbe absolutamente qualquer tipo de interação com o mundo sobrenatural, independente de quão altruístas sejam os motivos do indivíduo. Os equivalentes modernos das pessoas identificadas pelo Senhor — adivinhos, agoureiros, feiticeiros, encantadores, médiuns espíritas — podem todos "praticar o bem" aos seus próprios olhos. Apesar disso, eles todos violam a lei de Deus ao interagirem com o reino sobrenatural. Isto é expressamente proibido nas Escrituras. A ÚNICA exceção é a licença que os fiéis cristãos têm, em certas circunstâncias, de repreender os demônios, em nome do nosso Senhor Jesus Cristo, para que saiam de uma pessoa que está sendo mantida em servidão por eles.

Certamente é adequado para o Maligno fazer os cristãos professos se envolverem na perda de tempo e profundamente fútil "guerra espiritual". Em vez de pregarem o Evangelho, eles estão colocando sua atenção por longos períodos de tempo em Satanás e no poder dele. Em vez de confiar em Deus para limpar o caminho para Seus servos, eles estão, ao revés, confiando em si mesmos, em sua "água benta" e em seu "sal consagrado" e em suas supostamente eficazes técnicas do "guerreiro".

O erro é construído sobre o erro. Tendo se afastado da Palavra de Deus como seu único padrão absoluto de verdade, os líderes da NRA não têm um modo de distinguirem a verdade do erro e irão se desviar cada vez mais em direção ao ocultismo e ao paranormal, atraídos, sem dúvidas, por sinais, visões, sonhos, revelações, profecias, "reavivamentos" e "resultados".

Keith Gibson estudou a Nova Reforma Apostólica e suas técnicas durante nove anos. Com relação à mentalidade da "guerra espiritual" que predomina na NRA, ele observou:

"Hoje, estou confiante que não somente este ensino não é bíblico, mas é, na verdade, ocultista em sua natureza. Não afirmo isto com leviandade. Estudei e escrevi sobre os assuntos da Nova Era, Wicca e até religiões tribais. O ensino moderno sobre guerra espiritual tem mais em comum com essas práticas do que qualquer coisa que possa ser encontrada nas páginas no Novo Testamento (o livro que nos ensina, entre outras coisas, como os cristãos devem viver)." — Wandering Stars (Estrelas Errantes), pág. 289.

Tendo testemunhado os métodos da NRA em primeira mão, posso confirmar que eles estão divulgando um produto polido, que seus apresentadores estão bem-preparados e que têm uma resposta pronta para quase qualquer pergunta que alguém em uma audiência possa fazer. Eles também parecem ser sinceros naquilo que estão tentando alcançar. Todavia, eles estão ensinando uma versão falsificada do verdadeiro Cristianismo.

Uma Seita ou Simplesmente Similar a uma Seita?

Quantos erros, comportamento aberrante, doutrinas exóticas e puras heresias uma organização precisa ter de modo a se qualificar como uma seita?

Considere as seguintes características da Nova Reforma Apostólica:

Independente de como alguém possa definir o termo, não há a menor dúvida que a NRA é uma seita.

Fique advertido que a Nova Reforma Apostólica é uma perigosa falsificação do verdadeiro Cristianismo e que fará um verdadeiro mal espiritual para todos que se envolverem com ela.

"Como uma gaiola está cheia de pássaros, assim as suas casas estão cheias de engano; por isso se engrandeceram, e enriqueceram." [Jeremias 5:27].



Apêndice A

"Apóstolos" por Região

Com base na lista oficial de membros da Coalizão Internacioal dos Apóstolos (2005)

EUA
260
Barbados
1
Canadá
14
Bulgária
1
Indonésia
8
China
1
Grã-Bretanha
6
Costa do Marfim
1
Nigéria
6
Croácia
1
Austrália
5
Fiji
1
Índia
5
Grécia
1
México
5
Israel
1
Porto Rico
4
Itália
1
Brasil
3
Quênia
1
Guatemala
3
Malauí
1
Cingapura
3
Malásia
1
Bahamas
2
Nepal
1
Costa Rica
2
Romênia
1
Gana
2
Sérvia e Montenegro
1
Japão
2
Coreia do Sul
1
Casaquistão
2
Espanha
1
Holanda
2
Suécia
1
Noruega
2
Suíça
1
África do Sul
2
Ucrânia
1
Uganda
2
Zimbábue
2

Entre os "apóstolos" listados estavam: Ché Ahn, Cindy Jacobs, Beth Alves, Alistair Petrie, Harold Caballeros, Chuck Pierce, Wesley Campbell, Dutch Sheets, John Eckhardt, Ed Silvoso, Bill Hamon, C. Peter Wagner, Rick Heeran, Lance Wallnau, Os Hillman e Barbara Yoder.



Apêndice B

O seguinte mostra como a Nova Reforma Apostólica será usada para furtivamente atrair todos os cristãos professos para dentro da Igreja Católica Romana

Publicado em Elijah List, em 1 de outubro de 2013.

Fonte: http://www.elijahlist.com/words/display_word.html?ID=12625 [ênfase no original].

Uma Companhia Radical de Fiéis se Levantará na Igreja Católica

Patricia King, 1 de outubro de 2013.

Ao longo de muitos anos, tenho ouvido vários julgamentos e críticas contra a Igreja Católica. Alguns afirmam que o papa é o Anticristo, outros afirmam que a Igreja Católica é Babilônia e que irá queimar sob o julgamento de Deus, enquanto outros descrevem a Igreja Católica como imersa na feitiçaria. Compreendo que em qualquer organização pode existir o bom, o mau e o feio. Existem muitas coisas que o Espírito de Deus trabalhará em nosso meio à medida que aperfeiçoar aquelas coisas que se referem a nós... e que são para todos nós.

Minha experiência pessoal com os fiéis católicos, na maioria das vezes, tem sido muito encorajadora. Sou agradecida pela aderência deles ao Credo de Niceno como sua declaração de crença, agradeço a atenção deles pelos pobres e por seus padrões públicos corretos em relação ao casamento e em defesa da vida.

Os católicos que conheço são fiéis cheios do Espírito que estão totalmente dedicados a seguir a Cristo. Eu os amo e tenho sido abençoada pela sede que eles têm do Senhor. Estou confiante que o Senhor irá queimar a escumulha de impurezas que existe na Igreja Católica, da mesma forma como fará em TODO Seu Corpo.

Em janeiro de 2013 recebi uma palavra profética que foi dada por uma mulher católica que estava em uma de nossas reuniões. A parte essencial dela era que um mover de Deus estava para acontecer na Igreja Católica. Eu pude sentir a potência na palavra e fiquei entusiasmada.

Em março daquele ano, Francisco tornou-se papa. Em maio, eu estava assistindo a uma reportagem na televisão que mostrava uma das viagens ministeriais do papa Francisco à América do Sul. Enquanto eu assistia, fui novamente revigorada com a palavra sobre um mover do Espírito na Igreja Católica:

Palavra para os Católicos, de Maio de 2013:

Um mover do Espírito de Deus está vindo para a Igreja Católica. A juventude, em particular, será despertada por um novo fogo de zelo e paixão por Cristo e pelo Evangelho. Uma companhia radical de fiéis se levantará na Igreja Católica durante esse mover e eles liberarão o fluir do amor e da verdade de Deus para as nações.

O Espírito de sabedoria e de revelação visitará encontros inteiros e os católicos ficarão cheios com novas compreensões envolvendo a glória de Deus, Seu Reino e Sua justiça. Essas compreensões trarão alinhamento em muitas áreas no centro da Igreja Católica e liberarão mais demonstrações do poder de Cristo.

A justiça e retidão de Deus se tornarão conhecidas para muitos por meio de católicos radicais que estão dispostos a proclamar a verdade em amor. Existem neste momento intercessores na Igreja Católica que estão dando origem a esse movimento. O papa o endossará.

Oremos pelos católicos.

Patrícia King.

[Nota: Patricia King é uma "apóstola" e autora de diversos livros da Nova Reforma Apostólica.



Bibliografia

Obras escritas por apoiadores da Nova Reforma Apostólica:

Obras de Outros Autores:

Site recomendado: Deception in the Church, em http://www.deceptioninthechurch.com

Este site inclui uma série de artigos informativos sobre a Nova Reforma Apostólica, escritos por pesquisadores respeitados, como Sandy Simpson, Mike Oppenheimer, Orrel Steinkamp, Berit Kjos, Bill Randles, Gary Gilley, Jackie Alnor, Ken Silva, Larry DeBruyn, Bob DeWaay, Al Dager, Gaylene Goodroad, Chris Lawson, Sarah Leslie, Anton Bosch, Johan Malan, Holly Pivec, Jewel (Grewe) van der Merwe, Justin Peters, James Sundquist e Cecil Andrews.



Autor: Jeremy James, artigo em http://www.zephaniah.eu
Data da publicação: 31/3/2016
Transferido para a área pública em 28/6/2018
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/nra.asp