Lembrando-se da Igreja Perseguida e da Nossa Necessidade de Orar

Lembrando-se da Igreja Perseguida e da Nossa Necessidade de Orar

Autora: Susan Moore.

Perseguir (verbo transitivo) Ir no encalço de. Acossar, importunar, prejudicar. Atormentar. [1].

Durante muitos anos minha família sentiu interesse e preocupação em orar pela União Soviética. Então, em 1994, nosso sonho tornou-se realidade — uma porta foi aberta para servirmos como missionários em Moscou, onde pudemos encorajar os santos e ajudar a discipular a ceifa de novos convertidos que o fim da Guerra Fria possibilitou. Em 1996, somos solicitados a viajar até Rybinsk, uma cidade rural cerca de dez horas (de trem) ao norte de Moscou, às margens do rio Volga. Iríamos entregar Bíblias para as crianças e literatura cristã na Igreja Cristã Evangélica Batista Casa de Oração. Durante nossa visita de três dias, ficamos no quarto de hóspedes da casa da família do pastor Kravtsov. Nessa casa térrea de madeira, com uma grande horta de legumes e verduras, o pastor e sua mulher criaram cinco filhos e realizaram serviços secretos de adoração todos os domingos durante cerca de 25 anos.

Pedi permissão ao pastor para lhe fazer algumas perguntas pessoais. O tradutor interpretou e não foi necessária nenhuma insistência para ele consentir. "— Conte-nos quando teve início sua caminhada com Deus", perguntei. Os olhos dele cintilaram quando ele começou a refletir.

"— Tenho carregado minha cruz desde que eu era criança", ele disse, "desde meus primeiros anos de vida. Meu pai foi preso por pregar o Evangelho. A maior parte daquilo que sei a respeito dele foi por meio de outras pessoas. Ele foi morto em 1933, quando eu tinha somente três anos de idade."

"— Mas, eu me lembro do meu avô. Por causa dele a propagação do Evangelho teve início em nossa cidade. Durante a Primeira Guerra Mundial, ele foi capturado pelas tropas austríacas. Alguns anos mais tarde ele voltou para casa como um cristão batista. Em 1917 isto era algo novo. De algum modo, as pessoas na cidade sentiram a presença da verdade e começaram a ir à casa dele, que se tornou uma casa de oração. É difícil imaginar que nesta pequena casa de madeira, todos os domingos, durante 25 anos, as pessoas vinham de diferentes partes da cidade para adorar, apesar do risco elevado de perseguição."

"— Qual foi o período mais difícil na sua vida como pastor?", perguntei.

"— Foi o tempo da maior perseguição à igreja — nos anos 1950s, 1960s e 1970s", ele respondeu. "— Era difícil um dia em que alguém da KGB não viesse me assediar ou tentar me fazer contemporizar em minha fé. Em 1965, um irmão da Organização Batistas Unidos veio de Moscou e me pediu para ser o pastor reconhecido aqui. Naquele tempo, eu estava pregando e liderando as pessoas, mas não era chamado de pastor. Minha mulher e eu varamos a noite discutindo as dificuldades desta decisão. A KGB já sabia a respeito da proposta, pois no dia seguinte eles vieram e me informaram que, se eu decidisse ser o pastor, eles me levariam direto para a prisão. Minha mulher me disse: '— Leonid, ser um pastor é um chamado de Deus. Vocè precisa decidir se quer seguir. Deus sabe. Ele cuidará da nossa família se a KGB o enviar para a prisão.' Deus me protegeu e eles não me enviaram para a prisão por algum tempo."

No último dia de nossa visita a Rybinsk, fiquei na parte de trás do salão da igreja da Casa de Oração. Havia cerca de 300 santos ali: as mulheres usavam vestidos de cores escuras, com xales cobrindo os cabelos das casadas; os homens vestiam camisas brancas abotoadas até o colarinho. Todos estavam solenes, porém de algum modo, o senso de temor alegre era palpável. Aquele era o encerramento de um serviço de mais de duas horas que tínhamos compartilhado juntos. O pastor Leonid Kravtsov, de 62 anos, estava servindo a Ceia usando um cálice de pedra — pessoalmente, individualmente — a todos os 300 membros de sua congregação. Enquanto eu esperava que ele chegasse até nosso banco, reverentemente olhei ao redor, observando a parede da honra, coberta com fotografias antigas de membros da igreja que tinham sido enviados para a prisão por causa da fé em Jesus Cristo durante os anos mais severos da repressão comunista. Um cartaz que mostrava aquele mural esteve afixado na parede da cozinha do nosso apartamento na Califórnia, muitos anos atrás. Nós o usávamos como um lembrete para que toda a família orasse pela saúde e proteção daqueles cristãos que padeciam nas prisões e em campos de trabalhos forçados. Naquele momento, achei difícil de acreditar que eu estivesse ali, compartilhando na unidade da comunhão dos santos, no meio de cristãos tão corajosos.

Devemos Orar Por Que Deus Responde às Orações

Devemos orar pelos cristãos perseguidos por que Deus responde às orações. Tenho evidência disso em primeira mão. Em 1978, começamos a orar por Lida Vashchenko e seus seis parentes que buscaram asilo na Embaixada Americana, em Moscou. Conhecidos como "Os Sete Siberianos", por cinco anos eles temeram por suas vidas, se dessem um passo para fora do santuário que a Embaixada oferecia. Devido à pressão política do Ocidente e à intervenção de Deus em resposta às orações, eles receberam permissão de emigrar em 1983 e se estabeleceram no estado americano de Washington.

Naquele mesmo ano, o músico cristão Valeri Barinov foi internado em um hospício por sua "maluca" insistência que Jesus Cristo estava vivo e era seu amigo pessoal. Uma campanha de oração foi iniciada em seu favor e hoje ele está vivendo livre na Inglaterra.

A resposta de Deus às orações resulta na libertação dos cativos. Ele também responde às orações trazendo conforto espiritual e físico àqueles que estão sofrendo como resultado de sua fidelidade a Cristo. Mikhail Khorev, em um período de profundo desespero e sofrimento, até chegou a pensar em orar por sua própria morte. Mas então, em uma manhã, tudo mudou. Ele foi chamado pelas autoridades a partir de sua cela úmida e fria e recebeu a permissão de tomar um banho e vestir roupas limpas. Qual foi a causa para esse súbito tratamento gentil? Ele não tinha a menor ideia. Mais tarde, porém, descobriu o segredo.

"Eu não sabia sobre a atenção internacional ao meu caso. As cartas que tinham sido impressas no Vestnik Istiny tinham chamado muita atenção. Muitos cristãos de todo o mundo estavam orando por mim e pelos outros cristãos que estavam nas prisões russas. Os governos foram pressionados a fazerem alguma coisa a respeito da nossa situação. Esta foi a razão para o alívio em minha pena. Mas, Deus orquestrou tudo aquilo, tenho certeza. Sua perfeita vontade estava sendo feita." [2].

Em agosto de 2016, o presidente russo Vladimir Putin restaurou uma antiga lei que proibia a livre pregação e compartilhamento do Evangelho. Quem violar essa nova lei recebe multas severas. Nos anos 1960s e 1970s, Georgi Vins, um jovem pastor batista na União Soviética, esteve em uma situação similar. Ele passou oito anos (começando quando tinha 32 anos) em prisões soviéticas. Vins, um líder na igreja subterrânea na União Soviética até sua prisão, conta uma experiência que teve na prisão em seu livro The Gospel in Bonds (O Evangelho em Cadeias) Após ser classificado como um prisioneiro "faixa vermelha" (um prisioneiro que poderia fugir do campo de trabalhos forçados), Vins foi submetido ao tratamento cruel que essa designação implicava. Mesmo após assegurar aos guardas que, por ser um cristão, ele estava obrigado a obedecer a todas as regras que lhe fossem impostas, desde que não estivessem diretamente contrárias à Palavra de Deus, o prisioneiro cristão era acordado a cada duas horas durante a noite, isto após a jornada normal de dez horas de trabalho pesado durante o dia. O tratamento severo adicional e não-merecido quase fez com que ele se sentisse desesperado da vida. Ele escreveu:

"Nunca eu tinha me sentido tão esquecido, tão abandonado naquele estranho mundo de um prisioneiro. Era como se nada existisse, exceto a desolação do campo de trabalhos forçados, nada, exceto guardas e prisioneiros, opressão e escravidão. [3].

Então, um dia, sem explicação, a faixa vermelha foi removida e ele recebeu a permissão de voltar a ter a vida de um prisioneiro "normal". Vins cantava hinos de louvor ao Senhor, seu Libertador.

"A vida era muito mais fácil sem a faixa vermelha. Parecia que eu já estava na metade do caminho para a liberdade! Anos mais tarde, fiquei sabendo que cristãos em meu país e em todo o mundo tinham orado por mim e escrito petições ao governo soviético em meu favor. Sou agradecido por terem se lembrado dos prisioneiros, inclusive de mim." [4].

Devemos Orar Por Que a Bíblia nos Instrui a Fazer Isto

O Senhor Jesus advertiu Seus discípulos que aqueles que o seguem enfrentarão perseguições. O livro dos Atos dos Apóstolos registra o início do cumprimento dessa predição. Alguns dos apóstolos foram presos e açoitados. Estêvão foi apedrejado até a morte. Tiago, o irmão de João, foi executado à espada. John Foxe descreve o martírio de Tiago:

"Logo após ter sido indicado governador de Judeia, Herodes Agripa... organizou uma severa perseguição contra os cristãos e decidiu dar um golpe eficaz por meio de um ataque aos líderes... quando Tiago foi levado ao local de martírio, seu acusador foi trazido ao arrependimento de sua conduta pela extraordinária coragem do apóstolo. Seu acusador caiu aos pés de Tiago, pedindo seu perdão, professando ser um cristão e decidindo que Tiago não deveria receber a coroa do martírio sozinho. Desta forma, ambos foram decapitados na mesma hora." [5].

Logo em seguida, o rei Herodes colocou Pedro na prisão, acorrentou-o entre dois guardas, com dois guardas adicionais posicionados do lado de fora da cela.

"E, havendo-o prendido, o encerrou na prisão, entregando-o a quatro quaternos de soldados, para que o guardassem, querendo apresentá-lo ao povo depois da páscoa. Pedro, pois, era guardado na prisão; mas a igreja fazia contínua oração por ele a Deus." [Atos 12:4-5].

Não sei sua opinião, mas sempre achei o relato do que aconteceu em seguida nesta história um pouco engraçado. Uma luz forte resplandeceu na prisão, um anjo apareceu e os grilhões de Pedro se abriram. Mas, o anjo teve de dar um toque em Pedro para despertá-lo. Pedro deveria estar semi-acordado, pois lemos as instruções do anjo, como se Pedro não pudesse entender sozinho aquelas coisas. "Levante-se! Agora vista-se. Calce suas sandálias! Agora pegue sua capa. Venha, siga-me!" O anjo o levou então para fora da prisão, até a cidade e depois o deixou.

Pedro então caminhou até uma casa em que sabia que os discípulos estariam reunidos. Mas, os mesmos santos que estavam orando a favor de Pedro não puderam acreditar que era ele quem estava batendo à porta. Depois de uma confusão inicial, eles abriram a porta e o deixaram entrar. A Escritura diz que "eles se espantaram".

Acho que também sou um pouco assim. Oro pela igreja perseguida, para que os cativos sejam colocados em liberdade. Deus ouve. Deus responde! Mas, depois, fico espantada.

Os autores das epístolas do Novo Testamento compreendiam nossa relutância em orar e fazer pedidos tão elevados assim, de modo que nos exortaram a nos "lembrar daqueles que estão em prisões" [Hebreus 13:3], porque "quando um membro padece, todos os membros padecem com ele... " [1 Coríntios 12:26]. Aqui estão outras exortações:

"No demais, irmãos, rogai por nós, para que a palavra do Senhor tenha livre curso e seja glorificada, como também o é entre vós; e para que sejamos livres de homens dissolutos e maus; porque a fé não é de todos." [2 Tessalonicenses 3:1-2].

"Porque não queremos, irmãos, que ignoreis a tribulação que nos sobreveio na Ásia, pois que fomos sobremaneira agravados mais do que podíamos suportar, de modo tal que até da vida desesperamos. Mas já em nós mesmos tínhamos a sentença de morte, para que não confiássemos em nós, mas em Deus, que ressuscita os mortos; o qual nos livrou de tão grande morte, e livra; em quem esperamos que também nos livrará ainda, ajudando-nos também vós com orações por nós, para que pela mercê, que por muitas pessoas nos foi feita, por muitas também sejam dadas graças a nosso respeito." [2 Coríntios 1:8-11].

"Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais... Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos." [Efésios 6:11-12,18].

Devemos Orar Porque a Perseguição Continua

Devemos orar pela igreja perseguida por que a necessidade é maior hoje do que nunca antes. Na verdade, relatos de organizações cuja missão é acompanhar as perseguições cometidas contra os cristãos em todo o mundo revelam que mais do que o dobro de cristãos foram mortos por causa de sua fé em 2015 do que no ano anterior — o que torna 2015 o ano em que mais morreram cristãos em todo o mundo." [6].

Quando as estatísticas são segmentadas, os números são chocantes. Seja por pelotões de fuzilamento, apedrejamento, decapitação, fogueira, ou alguma outra forma terrível, está documentado que milhares de cristãos sofrem alguma forma de violência por causa de sua fé (incluindo espancamento, estupros, ou destruição de suas casas) todo ano, em todo o mundo. [7].

De acordo com um relatório de 2016 de um grupo que observa e denuncia as perseguições, a Coreia do Norte é hoje o país em que os cristãos mais são perseguidos:

Pelo décimo-quarto ano consecutivo, a Coreia do Norte aparece em primeiro lugar na Lista do Observatório Mundial, novamente tornando o país o maior perseguidor dos cristãos no mundo, com um índice de perseguição de 92 (em uma escala que vai até 100). À medida que o regime de Kim continua sua intolerância em relação à religião, entre 50.000 e 70.000 cristãos estão sofrendo nos campos de trabalhos forçados do regime. [8].

Uma matéria de notícias de 2013 intitulada "Coreia do Norte Executa 80 Pessoas por Assistirem Televisão e Possuírem Bíblias" reportou sobre a perseguição religiosa no país comunista:

"Os líderes norte-coreanos forçam os cidadãos a adotarem a ideologia Juche, que mistura marxismo com adoração ao falecido 'Grande Líder' Kim Il Sung e sua família... Praticar a fé cristã é ilegal na Coreia do Norte, onde a mera posse de uma Bíblia é considerado um crime... qualquer pessoa que for pega com uma Bíblia é enviada — junto com seus pais, cônjuge e fihos — para a prisão." [9].

"Infelizmente, alguns cristãos norte-coreanos preferiram manter sua fé em segredo. Outros, fugiram corajosamente do país, tentando encontrar segurança na vizinha China. Ali, eles não somente descobrem que refugiados não são bem-vindos, mas também colocam os cristãos chineses de bom coração em risco. Em 2016, o pastor chinês Han, da cidade de Changbai, foi decepado até morrer. As autoridades disseram que a morte dele foi para advertir os cristãos chineses a não ajudarem os refugiados norte-coreanos." [10].

"Na verdade, a China está fazendo um esforço de sufocar a rápida propagação do Cristianismo. Uma tática recente de destruir as igrejas, sob o disfarce de 'conflitos de zoneamento' resultou em uma cristã chinesa chamada Ding Cuimai ser soterrada viva ao tentar impedir uma retroescavadeira de colocar abaixo a igreja que ela frequentava." [11].

Um artigo revelou que a perseguição na China contra os cristão está explodindo:

"As sentenças contra os cristãos explodiu mais de 10.000% de 2013 a 2014, segundo um novo relatório da China Aid Association, uma organização que expõe os abusos contra os direitos humanos e contra as liberdades religiosas." [12].

De acordo com este artigo, a perseguição se intensificou devido ao crescimento do Cristianismo na China:

"Em resposta ao crescimento do Cristianismo na China, o governo chinês instituiu várias campanhas para perseguir as igrejas nos lares e igrejas TSPM (sancionadas pelo governo) em toda a China, assediando, abusando, prendendo e, em muitos casos, sentenciando pastores e membros das igrejas à prisão." [13].

Como todos já vimos as imagens chocantes nos noticiários, não é surpresa que as nações no Oriente Médio e na África — como o Iraque, Irã, Síria, Sudão e Nigéria — sejam líderes em nações em que o martírio de cristãos ocorre com maior frequência.

Uma reportagem diz que o extremismo islâmico é a principal fonte de perseguição em 41 dos 50 principais países — isto é, 82% da perseguição de cristãos no mundo está sendo praticada pelos muçulmanos. Quanto aos dez países em que os cristãos mais são perseguidos, nove deles são de maioria islâmica — isto é, 90% das nações em que os cristãos experimentam "perseguição extrema" são islâmicos. [14].

Nas regiões do Iraque em que o ISIS estabeleceu seu domínio, as famílias cristãs estão cientes das escolhas de vida ou morte que podem ser forçadas a fazer. O Alcorão diz que todos os não-islâmicos precisam escolher uma das três opções seguintes: conversão para o Islã, pagar um tributo (que, na maioria das vezes, é sua casa, sua empresa e todas as posses), ou ser executados. Além disso, as filhas podem ser forçadas a se casar com combatentes do ISIS e seus filhos podem ser forçados a ingressar na luta. Tendo diante de si essas decisões inimagináveis, a maioria prefere ingressar na crescente multidão de refugiados que tentam fugir de seus países de origem.

É desnecessário dizer que eu poderia fornecer páginas e páginas de exemplos de perseguições contra os cristãos. Satanás e seus acólitos travam uma guerra contra os santos ao longo do séculos usando os governos, as ideologias e falsas religiões como seus instrumentos terreais. Uma rápida leitura do sumário do Livro dos Mártires, de Foxe, mostra isto. Os cristãos enfrentam perigo e dificuldades por adorarem da forma como desejam em uma grande porção do mundo. A ideologia islâmica está se propagando por todo o globo, procurando erradicar ou neutralizar aqueles que são vistos como uma ameaça ao progresso de sua religião; está claro para qualquer um ver que os métodos de Satanás não mudaram ao longo dos séculos; ele simplesmente escolheu o Islã como seu mais recente instrumento.

"E ouvi uma grande voz no céu, que dizia: Agora é chegada a salvação, e a força, e o reino do nosso Deus, e o poder do seu Cristo; porque já o acusador de nossos irmãos é derrubado, o qual diante do nosso Deus os acusava de dia e de noite. E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho; e não amaram as suas vidas até à morte." [Apocalipse 12:10-11].

Devemos Orar Por Aqueles Que Perseguem

Não vamos nos esquecer de orar por aqueles que perseguem. A não ser que essas almas perdidas se arrependam e voltem para o Senhor, passarão a eternidade no lago de fogo. A Bíblia diz:

"Abençoai aos que vos perseguem, abençoai, e não amaldiçoeis." [Romanos 12:14].

"Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus." [Mateus 5:44].

O seguinte poema, de Georgi Vins, é um bom lembrete para nós orarmos a favor dos perseguidores, bem como pelos perseguidos:

Aos Meus Perseguidores

Meus perseguidores, eu não os amaldiçôo.
E, nesta hora, sob o peso da cruz,
Oro por vocês e os abençôo
Com a simples humanidade de Cristo.

Estou puro diante de vocês: por palavras e por obras.
Eu os tenho chamado para o bem e para a luz.
Tenho desejado muito que seus corações
Sejam possuídos pelo ideal elevado do amor.

Mas, rejeitando este gentil chamado,
Vocês responderam com furiosa inimizade.
Meus perseguidores, eu não os amaldiçôo,
Porém estou triste pelo destino que os aguarda.

Os exemplos imortais da história
Falam da futilidade da perseguição —
As chamas do amor e da fé abundante
Ardem entusiasticamente por todo o país!

Meus perseguidores, eu não os amaldiçôo.
E, nesta hora, sob o peso da cruz,
Oro por vocês e os abençôo
Com a simples humanidade de Cristo. [15]

— Georgi P. Vins, Campo de Concentração de Anyusha, 1968

O Que Podemos Fazer?

O que podemos fazer diante de uma malignidade tão massacrante quanto a perseguição por causa de nossa fé?

Primeiro, devemos nos lembrar que Deus está em Seu trono e que, no fim, endireitará todas as coisas:

"E, havendo aberto o quinto selo, vi debaixo do altar as almas dos que foram mortos por amor da palavra de Deus e por amor do testemunho que deram. E clamavam com grande voz, dizendo: Até quando, ó verdadeiro e santo Dominador, não julgas e vingas o nosso sangue dos que habitam sobre a terra? E foram dadas a cada um compridas vestes brancas e foi-lhes dito que repousassem ainda um pouco de tempo, até que também se completasse o número de seus conservos e seus irmãos, que haviam de ser mortos como eles foram." [Apocalipse 6:9-11].

Devemos nos identificar com aqueles que estão sofrendo, como a Bíblia nos instrui a fazer. É bom lembrar que cada número nas estatísticas representa uma pessoa real. Mantenha-se informado e conheça os nomes, faces e histórias por trás dos números; embora muitos deles nunca serão conhecidos por você e por mim, Deus conhece cada uma deles.

Devemos nos lembrar que a batalha que a igreja perseguida está enfrentando é uma batalha espiritual. E as armas da nossa guerra a favor deles são também espirituais:

"Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas." [2 Coríntios 10:4].

Portanto, precisamos orar sem cessar.

Perseguição — Estaremos Prontos?

No Parlamento das Religiões do Mundo de 2015, realizado em Salt Lake City, no estado de Utah, EUA, onde palestrantes como Brian McLaren, o Dalai Lama e Marianne Williamson falaram para mais de 14.000 participantes, testemunhas oculares reportaram que no meio daquele evento interfé, havia um sentimento hostil declarado contra os cristãos que creem na Bíblia. Uma testemunha afirmou:

"A visão cristã da 'salvação' tem uma mensagem de inclusão/exclusão de 'estamos dentro — eles não'. O movimento interfé cita isto como algo ruim. Em outras palavras, dizer que a salvação é somente por meio de Cristo e que há um inferno e um céu não é aceitável para as outras fés. Essa mensagem é exclusivista e inaceitável para as outras religiões, especialmente por que elas acreditam que 'Deus aceita todos e Deus está em tudo'. A visão cristã ortodoxa do céu e do inferno não será mais tolerada, pois eles dizem que ela divide a humanidade." [16].

A perseguição e o martírio foram a norma para um número incontável de cristãos nos séculos passados e são também agora, em grande parte do mundo não-ocidental. A questão que está agora diante de nós é: Os cristãos ocidentais terão de experimentar dificuldades ou até mesmo morrer por causa de sua fé? Com todos os confortos e liberdades que usufruímos no Ocidente, essa facilidade de ser um cristão ajudará ou prejudicará nossa capacidade de viver (ou morrer) pela nossa fé? Suponha que um governo ameace tomar nossas moradias, nossos empregos e nossos confortos se nos recusarmos a parar de defender a verdade do Evangelho e de compartilhá-lo com as outras pessoas — estaríamos dispostos a perder tudo por amor a Cristo? Esta é uma pergunta que cada cristão precisa fazer a si mesmo. Enquanto isso, vamos nos lembrar da igreja perseguida e orar continuamente por aqueles que formam esse importante segmento sofredor do corpo de Cristo.

"E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como escória, para que possa ganhar a Cristo." [Filipenses 3:8].

"Muitos são os meus perseguidores e os meus inimigos; mas não me desvio dos teus testemunhos... Príncipes me perseguiram sem causa, mas o meu coração temeu a tua palavra." [Salmos 119:157,161].

[Susan Moore é uma autora e pesquisadora que há muitos anos realiza trabalhos de edição, formatação e pesquisa para ministérios de discernimento, como Lighthouse Trail, The Berean Call e Understand the Times.]

Notas Finais

1. Dicionário On-line, em http://www.Dicio.com.br.

2. Harvey Yoder, A Small Price to Pay (Berlin, OH: TGS International, 2006), pág. 226.

3. Georgi Vins, The Gospel in Bonds (Eureka, MT: Lighthouse Trails Publishing, 2014), pág. 43.

4. Idem, pág. 46.

5. John Foxe, Foxe’s Book of Martyrs (Eureka, MT: Lighthouse Trails, 4th printing 2014), pág. 22.

6. Samuel Smith, “2015 Deadliest Year for Christians Worldwide, Open Doors’ World Watch List Finds” (Christian Post, January 13, 2016, http://www.christianpost.com/news/open-doors-world-watch-list-2015-deadliest-year-christians-killed-for-faith-jesus-christ-154875/#LkRkiwVfOjTUWLw6.99).

7. Idem.

8. Idem.

9. Sharona Schwartz, "North Korea Executed 80 People for Watching TV and Owning Bibles" (The Blaze, November 12, 2013, http://www.theblaze.com/stories/2013/11/12/reports-north-korea-executed-80-people-for-watching-tv-and-owning-bibles).

10. Bob Unruh, "North Korea suspected in fatal attack on Chinese pastor" (WND, 5/7/2016, http://www.wnd.com/2016/05/north-korea-suspected-in-fatal-attack-on-chinese-pastor/#x21TjPoZ2Ybroa7g.99).

11. Brynne Lawrence, "Church Leader’s Wife Dead After Buried Alive During Church Demolition" (China Aid, April 16, 2016, http://www.chinaaid.org/2016/04/church-leaders-wife-dead-after-buried.html).

12. Bob Unruh, "Sentencing of Christians explodes 10,000% in China" (WND, April 25, 2015, http://www.wnd.com/2015/04/sentencing-of-christians-explodes-10000-in-china/).

13. Idem.

14. Raymond Ibrahim, "Muslims Claim Lion’s Share of Christian Victims" (WorldMag, March 7, 2016, http://www.frontpagemag.com/fpm/262036/muslims-responsible-worst-year-modern-history-raymond-ibrahim).

15. Georgi, Vins, The Gospel in Bonds, op. cit., pág. 13.

16. Lynette Irwin, "Eye Witness Account at Parliament of the World’s Religions 2015 Reveals Growing Animosity Toward Biblical Christians" (Lighthouse Trails Research blog, October 21, 2015, http://www.lighthousetrailsresearch.com/blog/?p=18411).



Autora: Susan Moore, artigo em http://www.lighthousetrailsresearch.com
Data da publicação: 28/11/2016
Transferido para a área pública em 19/9/2018
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/perseguida.asp