Por Que a População Está Incapacitada ou Sem Disposição de Reagir à Praga da Perversão de Gênero?

Autor: Jeremy James, Irlanda, 27/4/2019.

A Palavra de Deus nos diz muito sobre a natureza humana. Na verdade, ela é o único livro que nos diz a verdade sobre a condição humana.

Grande parte do que ela diz — no Velho Testamento — refere-se à condição espiritual do homem antes que Cristo encarnasse na forma humana e redimisse o mundo. Desde então o homem tem a oportunidade de viver com a lei de Deus escrita em seu coração. Isto significa que ele pode viver com um senso imediato e intuitivo do que é certo e do que agrada a Deus. Ele não precisa medir suas ações propostas com relação a um código moral, embora possa fazer isso, se desejar. A simples ideia de fazer algo que possa desagradar a Deus o entristece e o repele.

A Bússola Interior

Esta "bússola" interior funciona normalmente em um cristão nascido de novo, mas não no homem natural. Depois que Adão e Eva decidiram viver com o conhecimento do bem e do mal, eles ficaram para sempre carregados com as muitas alternativas que estavam disponíveis para eles. Eles não somente conheciam o que Deus queria deles — obras e pensamentos que fossem retos e verdadeiros — mas também as muitas alternativas possíveis, que pareciam, em nossa compreensão humana limitada, serem igualmente dignas de consideração.

Deus deu a Lei de Moisés para ensinar ao homem o quão distante a estimativa humana do que é certo e errado tinha se afastado do padrão estabelecido por Deus. Em seu estado caído, a consciência do homem natural está em profundo conflito, mas ele não vê isto. Somente quando nos arrependemos dos nossos pecados e vimos até Cristo em verdadeira humildade, aceitando-O como nosso Salvador, nossa consciência é restaurada. Depois que o Espírito Santo vem habitar dentro de cada um de nós, Ele nos ajuda a discernir mais claramente a vontade de Deus para nossas vidas. Em nossa caminhada com Cristo, à medida que nos tornamos progressivamente mais santificados, esse poder de discernimento cresce em nossa alma. Todavia, a plena restauração da nossa consciência somente estará concluída na Ressurreição (ou no Arrebatamento), quando seremos como Adão e Eva antes da Queda.

O Poder de Restrição do Espírito Santo

O Espírito Santo restringe a malignidade natural que existe dentro de cada um de nós. Como cristãos, todos sabemos disto. Mas, tendemos a nos esquecer que o corpo coletivo de todos os fiéis cristãos, que chamamos de Igreja, é a habitação do Espírito Santo aqui na Terra. É nesse papel que Ele restringe a malignidade da humanidade como um todo.

O próprio Senhor Deus fazia isso diretamente dos céus antes de a igreja ser fundada:

"Então disse o SENHOR: Não contenderá o meu Espírito para sempre com o homem; porque ele também é carne; porém os seus dias serão cento e vinte anos." [Gênesis 6:3].

Nosso maravilhoso Criador não irá contender com o homem por muito tempo. Após Suas muitas e misericordiosas advertências terminarem e o homem continuar a rejeitar todas as oportunidades para se arrepender, então o Senhor permitirá que o homem experimente as totais implicações de suas ações.

Isto acontecerá na máxima extensão no fim dos tempos, quando, pela última vez, o Senhor efetivamente dirá: "Não contenderá o meu Espírito para sempre com o homem."

"Porque já o mistério da injustiça opera; somente há um que agora o retém até que do meio seja tirado." [2 Tessalonicenses 2:7].

Obviamente, quem exerce o poder de restrição é o Espírito Santo. O Maligno ficaria agitadíssimo se pudesse fazer tudo o que quisesse e sem qualquer impedimento. As maiores barreiras às suas atividades são as orações dos santos. É por isto que os Mestres do Caos, que ativamente servem e cooperam com o Maligno aqui na Terra, são tão cuidadosos para evitar revelar suas verdadeiras identidades. Eles precisam disfarçar tudo o que fazem, não somente para evitar uma reação popular, mas para desencorajar os cristãos verdadeiros de orarem contra eles e seus esquemas tortuosos. As forças satânicas que operam por meio dessas pessoas são grandemente enfraquecidas, se não neutralizadas inteiramente, pela "oração eficaz dos justos" (Tiago 5:16);

A Lei da Oração

Os arquitetos da Nova Ordem Mundial estão fazendo tudo o que podem para atrair os cristãos professos para uma condição de pecado, em que suas orações não tenham efeito. Todo cristão sabe que "os olhos do Senhor estão sobre os justos, e seus ouvidos atentos ao seu clamor." [Salmos 34:15]. Eles também sabem que "O SENHOR está longe dos ímpios, mas a oração dos justos escutará." [Provérbios 15:29].

Infelizmente, eles se esquecem que um cristão professo não é necessariamente "justo". O Maligno enganou muitos na igreja moderna a substituírem "justo" por "agradável". Hoje, todos são agradáveis, mas "agradável" não tem fundamento bíblico. Este é um termo biblicamente analfabeto.

Não é suficiente ser uma pessoa agradável — seja lá o que isto signifique — de modo a atingir e manter os padrões definidos por Deus. Todos nós conhecemos muitos cristãos agradáveis, possivelmente centenas de cristãos agradáveis, mas você conhece pelo menos dez que são justos?

No capítulo 9 do Evangelho de João, o homem que era cego de nascença, que teve sua visão restaurada por Cristo, foi desafiado pelos fariseus a explicar sua cura milagrosa. Ele lhes deu uma resposta maravilhosa, que incluía a seguinte observação: "Ora, nós sabemos que Deus não ouve a pecadores; mas, se alguém é temente a Deus, e faz a sua vontade, a esse ouve." [João 9:31].

Isto é o que poderíamos chamar de "A Lei da Oração", conforme expressa em Salmos: "Se eu atender à iniquidade no meu coração, o SENHOR não me ouvirá." [Salmos 66:18]. Podemos nos aproximar de Deus somente com base nos termos que Ele mesmo estabeleceu e Seus termos são muito rígidos. Ou estamos completamente sem pecado — o que é impossível — ou estamos cobertos da cabeça até os pés pela justiça de Cristo imputada sobre nós. Os cristãos que pensam que podem pular essa estipulação vital estão grandemente enganados. As orações deles não serão ouvidas.

Esta é a essência da matéria — amar a Deus e fazer a Sua vontade: "Se me amais, guardai os meus mandamentos." [João 14:15].

A Guerra Contra a Oração

O Maligno conseguiu fazer milhões de fiéis cristãos hoje pensar que podem atender a iniquidade em seus corações e ainda assim se qualificar como justos aos olhos de Deus. Cada um mede a si mesmo por seu próprio padrão, não pelo padrão definido por Deus. Portanto, eles oram e oram, mas sem qualquer efeito. Eles pensam que estão impedindo o Maligno quando, na realidade, estão somente lhe dando uma mão livre para fazer o que quiser.

Em 25 de maio de 2018, o povo da Irlanda votou majoritariamente pela aprovação da matança de crianças nascituras. Todavia, essas mesmas pessoas esperam que o Deus de toda a Criação ouça suas orações!

Elas estão loucas? Os pastores delas estão tão deficientes em conhecimento bíblico que não podem sequer aconselhar seus rebanhos a respeito da pecaminosidade do homicídio? Por exemplo, dias antes do referendo, a Igreja Presbiteriana na Irlanda emitiu uma instrução para todos seus membros: "Vote de acordo com sua consciência." Isto foi o equivalente a dizer: "Vote de acordo com o que seu coração está dizendo e ignore o que a Palavra de Deus diz claramente." Os presbiterianos da Irlanda receberam esse conselho de Satanás.

A atitude deles foi vergonhosa. Foi também uma vergonha para os cerca de 60 ministros presbiterianos na República da Irlanda, que permaneceram calados quando esse edito maligno foi promulgado. Esta é a igreja nicolaíta em ritmo total, arrogante ao extremo, indiferente à Palavra de Deus e impérvida à repreensão.

Com o que acaba de fazer, a Irlanda agora é um país cujas orações não podem ser ouvidas. Se você duvida disso, então considere Isaías 1:15:

"Por isso, quando estendeis as vossas mãos, escondo de vós os meus olhos; e ainda que multipliqueis as vossas orações, não as ouvirei, porque as vossas mãos estão cheias de sangue." [Isaías 1:15].

Ou então, considere Provérbios 28:9: "O que desvia os seus ouvidos de ouvir a lei, até a sua oração será abominável."

É claro que existem indivíduos aqui e ali em toda a Irlanda que choram por aquilo que aconteceu, que continuam a tremer diante da Palavra de Deus e que verdadeiramente procuram viver de acordo com Sua santa vontade. Mas, a vasta maioria está seguindo um caminho diferente.

A Abolição do Casamento na Irlanda

Esta mudança de direção já estava evidente em 22 de maio de 2015, quando o povo irlandês votou, novamente por ampla maioria, para abolir o casamento cristão. Eles decidiram que a união por toda a vida entre um homem e uma mulher no vínculo do matrimônio era moralmente equivalente a uma parceria entre dois homossexuais que coabitam juntos. A ignorância deles do mal causado pela sodomia e pelo assim chamado "estilo de vida homossexual" era quase tão grande quanto a ignorância a respeito da ordem moral, que nutriu e sustentou a humanidade durante milênios.

A não ser que possamos ver isto, não compreenderemos por que a decadência que agora fincou raiz se acelerará grandemente nos próximos anos. Também não compreenderemos por que as orações de muitos que professam serem cristãos não estão sendo ouvidas. Depois que uma nação segue o rumo que a Irlanda acabou de iniciar, em que a ordem tradicional efetivamente foi descartada e toda a autoridade civil e moral foi investida em um grupo de enganadores que odeiam a Cristo, a providência protetora de Deus não mais é garantida. A nação está agora à mercê do poder sinistro que ela liberou.

A Irlanda Está Sob Ataque

A vasta maioria da população irlandesa não tem ideia que sua nação está sob ataque. A maioria iria rir dessa ideia. Quem iria se preocupar em nos atacar, eles perguntam? Bem, se eles compreendessem que o objetivo da Nova Ordem mundial é abolir as nações soberanas e substitui-las por um sistema unificado de governo mundial, veriam que a Irlanda é um alvo legítimo. Na verdade, a Irlanda pareceria ser um alvo especialmente atraente, dada sua localização estratégica na borda do Atlântico, seu clima temperado, seus amplos recursos agrícolas e a inacreditável incapacidade de seu povo de dar um único passo para defender suas próprias crianças.

Esta última é atemorizadora. Em 2012, os irlandeses votaram pela emenda da Constituição para permitir que o Estado remova permanentemente as crianças de seus pais. Ao fazerem isso, permitiram que o governo decida sob quais circunstâncias ele poderá fazer isso. Sem rígidas restrições legais, esse poder pode ser facilmente abusado. No futuro, isto poderá se provar ser uma arma poderosa nas mãos de um governo marxista — o único tipo que temos atualmente.

Já mencionamos a legalizada destruição do casamento cristão e a matança aleatória de crianças nascituras. A isto podemos acrescentar uma lei que tramitou descaradamente no Parlamento em 2015 e que permite que qualquer um, maior de 18 anos, modifique seu gênero oficial, sem alterar nada mais. Isso efetivamente equivale à abolição do gênero biológico, tornando a Irlanda, tanto quanto sabemos, o primeiro país do mundo a fazer isso. Existem também leis que estão no Parlamento para apresentar às crianças em idade escolar material sexual inadequado para suas idades e criminalizar qualquer um que tente aconselhar os homossexuais.

As crianças são o alvo principal em todas essas inovações depravadas. A infância estável que nossos avós desfrutaram será totalmente desconhecida para as crianças da próxima geração.

A Efeminização da Irlanda

Nos círculos acadêmicos, existem referências frequentes aos cursos que lidam com vários aspectos da agenda LGBTQ. A enciclopedia on-line Wikipedia define "Estudos da diversidade sexual, os estudos LGBT... o estudo das questões relacionadas com orientação sexual e identidade de gênero geralmente enfocando em culturas e pessoas lésbicas, homossexuais, bissexuais, transgêneros, assexuais, efeminados, questionadores e interssexo." A letra "Q" em LBGTQ significa queer, ou efeminado, que não é um termo pejorativo. Os acadêmicos gostam dele por que engloba a natureza radical da filosofia LGBTQ que, em essência, é a defesa de todas as formas de atividade sexual e todos os tipos de relacionamentos sexuais além daqueles que são aprovados na Bíblia.

O que está sendo visto na Irlanda desde 2012 é, na prática, a efeminização da Constituição Irlandesa, junto com muitos conceitos jurídicos tradicionais relacionados com a família.

Esta revolução — de que outro modo podemos descrevê-la? — não é apenas tolerada, mas endossada pelo povo irlandês. O conceito de fazer mal a si mesmo é normalmente aplicado somente a indivíduos, mas neste caso, ele se aplica à nação como um todo. O eleitorado decidiu expor suas crianças às influências que, já se demonstrou repetidamente, são prejudiciais, influências que nossos avós nunca tolerariam. Entre essas influências incluem-se a imposição de organizações de família experimentais, comprometimentos conjugais experimentais, identificação de gênero experimental, educação sexual experimental, atividades sexuais experimentais e a categorização experimental de uma criança nascitura como lixo biológico.

A falha deles de reconhecer a natureza extrema e aparentemente irreversível das transformações morais e jurídicas que eles estão fazendo — com a cínica conivência de seus líderes marxistas — é quase tão incompreensível quanto as próprias transformações. Por que uma nação iria querer prejudicar suas próprias crianças deste modo?

Mais uma Arma

As armas que estão sendo usadas contra elas são bastante óbvias — propaganda infindável em uma mídia corrupta, mentiras sem fim de um governo corrupto, hipocrisia sem fim de uma hierarquia católica corrupta, bobagens sem fim e falsas doutrinas das assim chamadas igrejas bíblicas. Embora isso tudo ajude a explicar a resposta frágil por parte do povo comum da Irlanda do colapso da ordem moral tradicional, não pode explicar a atitude espiritual rebelde que foi necessária para torná-la possível, ou a dura indiferença por parte de muitos — a vasta maioria — ao mal que essas transformações radicais provocarão. Por que uma nação prejudicaria, ou correria o risco de prejudicar, suas próprias crianças?

Um evento recente, amplamente reportado na mídia, ajudará a lançar luz sobre tudo isto.

Em 15-16 de abril, cada um dos três principais jornais nacionais irlandeses trouxe uma reportagem sobre o cancelamento de um evento de contar histórias infantis, que estava previsto para ser realizado em uma biblioteca pública nas proximidades de Dubin, em 26 de junho. As manchetes em cada caso foram como segue:

Evento em que uma drag queen conta histórias infantis é cancelado devido a comentários 'degradantes'. Biblioteca de Deansgrange é 'inundada com homofobia extremamente violenta'. — The Irish Times, 15 de abril de 2019.

Evento 'Tempo de Contar Histórias com uma Drag Queen' para crianças é cancelado em biblioteca de Dublin após reações. — The Irish Independent, 15 de abril de 2019.

Conselho de Dublin é criticado por cancelar evento de contar histórias — The Irish Examiner, 16 de abril de 2019.

Qualquer pessoa que leia essas manchetes provavelmente assumiria que uma trupe de homossexuais bem-intencionados, que tinha oferecido um serviço social valioso, foi exposto a muitas manifestações de abuso homofóbico e foi forçado a cancelar seu evento planejado. A narrativa em cada uma das reportagens dos jornais, que estão disponíveis on-line, suportava essa percepção. O grupo de drag queens injuriados foi citado extensivamente e nenhum comentário foi feito ou perguntas foram feitas por qualquer um dos jornalistas a respeito da natureza radical daquilo que o serviço de bibliotecas públicas tinha aprovado para crianças na faixa etária de 3-7 anos.

Por Que os Jornais Preferiram Ignorar?

Vejamos alguns fatos relacionados com esse evento proposto. Ele foi agendado para marcar a semana "Orgulho" Dublin e era, portanto, um evento estratégico para os homossexuais, planejado para tornar as crianças a partir de três anos familiarizadas com o estranho mundo do travestismo e comportamento homossexual. A trupe que iria se apresentar chamava-se Glitter Hole (Orifício Reluzente), que é uma gíria comum para o ânus sempre disponível do homossexual promíscuo — um fato que nenhum dos três jornais nacionais se incomodou em observar. Não houve indicação nas reportagens que a trupe tinha permissão da Polícia para interagir com crianças muito pequenas. Este é um ponto de particular importância, dado que o evento enfocava fortemente a ideologia da identidade sexual e foi deliberadamente criado para normalizar comportamento que uma criança poderia de outra forma tratar com cautela. Os jornais também deixaram de dizer que a trupe se especializa em apresentações sexuais obscenas para um público adulto, onde o comportamento grosseiro, degradante e provocador é aplaudido por pessoas que celebram o estilo de vida homossexual e rejeitam os valores cristãos tradicionais. O programa oficial para o evento até dizia que ele ofereceria às crianças "modelos do papel de homens efeminados e que não sentem vergonha".

Propaganda Marxista Cultural na Mídia

Por que os três jornais decidiram retratar os membros da trupe como vítimas neste sórdido episódio? E por que deliberadamente ignoraram a questão mais séria de todas, isto é, por que alguém achou que seria apropriado ou edificante expor as crianças pequenas à propaganda homossexual descarada? É um sinal de como nossa mídia agora opera que esses três jornais — The Irish Times, The Irish Independent, e The Irish Examiner — seguiram essa abordagem.

As ferramentas subversivas do Marxismo cultural sempre serão usadas em ocasiões como esta para denegrir e questionar o comportamento humano decente, para mostrar o culpado como vítima e vice-versa, e exaltar a tolerância e a livre escolha como a vara de medição em todas as áreas de moralidade e conduta humana, especialmente a conduta sexual.

O jornal The Irish Times tem mostrado suas credenciais marxistas repetidamente ao longo dos últimos quinze anos. O tratamento que o jornal dá aos valores cristãos tradicionais é caracterizado invariavelmente por uma esnobe rejeição, desprezo elegante ou, com frequência cada vez maior, com escárnio. Embora tenha um ou dois colaboradores mais ou menos conservadores para criar a ilusão de imparcialidade, o jornal nunca deixa de concentrar toda sua paixão em rejeitar a ordem moral tradicional. A Igreja Católica sempre é vilificada, enquanto que a Bíblia não é nada mais do que um curiosa obra de literatura, que pode ser usada de tempos em tempos para fornecer uma pista difícil na seção de palavras cruzadas.

Qualquer um com um pingo de bom senso ou um pouco de decência humana sabe que uma criança pequena nunca deveria ser exposta à propaganda sexual. Até os ateus obstinados, que têm pouca consideração pelos valores morais absolutos concordam com isto. Então, por que o serviço de biblioteca considera essa atividade, direcionada para as crianças pequenas, apropriada, adequada ou até mesmo sadia? Esse serviço é financiado pelo contribinte por meio do Conselho do Condado de Dublin; por que, então, o Conselho deu sua aprovação? Além disso, os funcionários da biblioteca Deansgrange têm voz; por que não a usaram em defesa das criancinhas?

Em um foro público em 17 de setembro de 2018, um ator drag queen admitiu diante da câmera que os eventos em que drag queens contam histórias para crianças foram criados com o objetivo de "formar a próxima geração". [Veja o vídeo em https://www.youtube.com/watch?v=899uwvQE7Ic&feature=youtu.be]

- "Modelos de Comportamento Efeminado e Que Não Sentem Vergonha"

É claro que essa atividade proposta somente foi tornada possível pelo consentimento formal de vários servidores públicos bem-posicionados, todos pagos pelo contribuinte e todos obrigados a cumprir cuidadosamente suas responsabilidades contratuais. Todavia, nenhum deles achou adequado se opor a uma proposta que obviamente tinha o objetivo de expor crianças muito pequenas à influência de adultos que querem propor mudanças de gênero — "modelos de comportamento efeminado e sem qualquer vergonha" — pessoas que rotineiramente fazem esquetes do comportamento humano normal e que, como homossexuais, muito provavelmente participam em atividades que são vergonhosas demais para descrever. O que lhes deu o direito de tomar qualquer decisão com relação à educação sexual das crianças pequenas? E quem lhes deu o direito de usar o dinheiro público para financiar essa clara violação da confiança do público?

Estas são questões muito óbvias, porém a imprensa marxista ignorou todas elas. Em vez disso, os três jornais enfocaram somente a alegada dor emocional de alguns artistas que promovem a mudança de gênero. As pobres drag queens ficaram chorando por trás de suas máscaras, como se o estúpido povo irlandês devesse se solidarizar com elas.

A Nova Ordem Mundial Está Usando a Perversão de Gênero como uma Arma

A N.O.M. é um sistema de subversão, destruição e reorganização cuidadosamente gerenciado. Os cérebros que estão por trás dela passaram décadas projetando e implementando os vários elementos estratégicos que, coletivamente, derrubarão a ordem social existente e facilitarão a imposição de um regime autoritário em que o Cristianismo bíblico tenha sido eliminado.

A subversão do gênero exerce um papel-chave neste processo. A corrupção dos adultos por meio da pornografia, homossexualidade e promiscuidade recreativa já está muito avançada na maioria das sociedades ocidentais. Assim também está a corrupção dos adolescentes e adultos jovens por meio da Internet, telefones celulares inteligentes e mídias sociais. O grande alvo agora é a criança pré-adolescente. O objetivo é fazer os pré-adolescentes duvidarem de seu gênero, questionarem sua sexualidade, tornarem-se conscientes sexualmente em uma idade bem precoce e tornarem-se familiarizados com uma variedade de atividades, práticas, imagens e dispositivos sexuais que são totalmente impróprios e potencialmente prejudiciais para seu desenvolvimento emocional normal. A sexualização precoce das crianças pequenas também as tornará muito mais vulneráveis aos predadores sexuais. Como mostramos em ensaios anteriores, a Elite está usando o abuso sexual sistemático das crianças pequenas há várias gerações para produzir adultos inseguros e emocionalmente destruídos, que farão aquilo que lhes mandarem fazer, especialmente se receberem as ordens pela voz invisível da autoridade conhecida como Estado.

A doutrinação para a promoção da mudança de gênero de crianças pequenas por artistas vestidos como drag queens nas bibliotecas públicas foi adiada na Irlanda neste momento. Mas, a ameaça de uma recorrência sempre estará presente. A efeminização das crianças e a sexualização agressiva das mentes inocentes continuarão a receber apoio na mídia, enquanto que aqueles que se opõem a essa campanha obscena serão vilificados como preconceituosos e "homofóbicos". Enquanto isso, os editores marxistas e formadores de opinião que estão promovendo essa propaganda desavergonhada tomarão o cuidado de nunca contar ao público a verdadeira história sobre o assim chamado "estilo de vida homossexual", ou o grande dano que ele inflige sobre seus praticantes.

Deus Eventualmente Entregará uma Nação à sua Imaginação Lasciva

O povo irlandês foi incapaz de deter a praga da perversão de gênero por causa de sua falta de qualquer amor genuíno pela verdade. Isto é exatamente como a Palavra de Deus profetizou: "por que não receberam o amor da verdade" [2 Tessalonicenses 2:10]. Em um mundo em que ser "simpático e agradável" é a nova retidão, em que a moralidade é uma questão puramente pessoal e em que as instituições sociais, como o casamento e a família, podem ser redefinidas de acordo com a ideologia marxista, o termo perversão está vazio de significado.

Em sua tradição religiosa, que era em grande parte católica-romana, os irlandeses adquiriram um conhecimento de Deus, mas tomaram esse conhecimento como uma coisa certa e suficiente e se recusaram a permitir que ele crescesse em seus corações. Isto pode continuar somente até que uma contração espiritual fatal ocorra. Aqui está como o apóstolo Paulo a descreveu:

"Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu." [Romanos 1:21].

É aqui que a Irlanda se encontra hoje. O povo não mais glorifica a Deus como Deus; não está agradecido por tudo o que Deus lhe deu; as pessoas criaram uma falsa moralidade em suas vãs imaginações; e seus tolos e corruptos corações não mais respondem à luz da verdade. Dificilmente alguém poderia contestar essa avalição. Os fatos a proclamam do alto dos telhados.

A Escritura nos diz o que acontece com uma nação que segue este caminho:

"E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm." [Romanos 1:28].

Uma mente réproba é, na verdade, a mente natural do homem, uma mente que, devido às suas muitas impurezas, é incapaz de funcionar da forma como deveria. A mente réproba simplesmente não consegue distinguir a verdadeira moralidade da falsa moralidade, ou a conduta correta de uma conduta decadente. O Espírito Santo corrigirá esse defeito naqueles que retêm um conhecimento de Deus, mas para aqueles que não retêm, que desafiadoramente buscam seus próprios caminhos sem referência a Deus, não há remédio.

Quando uma nação rejeita o conselho de Deus, ela cai vítima de seu próprio conselho — e suas lascívias associadas. Já vimos isto nas Escrituras. Quando Israel rejeitou o Todo-Poderoso, o Senhor Deus os entregou às suas próprias vontades:

"Portanto eu os entreguei aos desejos dos seus corações, e andaram nos seus próprios conselhos." [Salmos 81:12].

O Maligno quer que o homem vire suas costas para Deus. Como o Todo-Poderoso somente pode defendê-lo e como o próprio conselho do homem sempre o trairá, essa aparentemente emancipação é uma ilusão. Mesmo antes de o Maligno entrar em cena, a lascívia do homem natural o reduzirá a uma bagunça degenerada. Incapaz de conter seus impulsos carnais, o homem natural desliza rapidamente para a satisfação de seus desejos sexuais. Assim, quando Deus deixa o homem seguir seu próprio coração, a promiscuidade homossexual (e muitas coisas mais) é inevitável:

"Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si." [Romanos 1:24].

Conclusão

Existe muita discussão hoje sobre o amor e a importância do amor. Mas, isto é hipocrisia. Uma sociedade que aprova leis e políticas sociais que aumentam acentuadamente o risco de mal às suas próprias crianças é uma sociedade moralmente corrupta, uma sociedade que há muito tempo abandonou seu vínculo com o amor.

As leis progressistas relacionadas com a homossexualidade colocam em risco o bem-estar de qualquer criança ou jovem que se torna enlaçado nesse estilo de vida prejudicial, promíscuo e frequentemente predador. As leis progressistas que reduzem o casamento a um contrato entre dois homossexuais são um ataque a uma instituição que foi criada para projeter as crianças. As leis progressistas que privam as crianças pequenas de sua inocência e obrigam a sexualização delas por meio de um sistema educacional são vis e perversas.

Condutas negligentes que permitem que drag queens e homossexuais ganhem acesso a todas as crianças pequenas, por qualquer razão, são deploráveis ao extremo, a marca de uma nação escravizada por uma mente réproba.

As leis progressistas que permitem que psiquiatras ou qualquer outra pessoa sugira a um menino que ele poderia ser uma menina, ou a uma menina que ela poderia ser um menino, são nada menos que sadismo legalizado. Quando essas mesmas leis são então usadas para esterilizar crianças pequenas e remover cirurgicamente seus órgãos genitais, elas estão em pé de igualdade com muitas leis aprovadas na Alemanha Nazista. Quando um regime fascista impõe esse tipo de leis, podemos compreender o propósito dele, mas quando uma sociedade democrática decide agir assim, sabemos que chegamos a um capítulo muito tenebroso na espiral descendente da humanidade.

Não somente o povo da Irlanda decidiu em 2018 assassinar uma proporção de suas próprias crianças nascituras — um ato que teria envergonhado muitos na elite nazista — mas também está agora inclinado a fazer propaganda e confundir as crianças que sobreviverem, incentivando-as a questionarem seu gênero e expondo-as a uma ampla variedade de influências perversas e contrárias à natureza, que irão causar um mal duradouro em muitas delas.

Para qual propósito? Para satisfazer os marxistas, pedófilos, a agenda homossexual, a Nova Ordem Mundial, para destruir nossa soberania nacional e para arruinar aquilo que restou do verdadeiro Cristianismo bíblico na entenebrecida ilha da Irlanda.

A sociedade irlandesa está muito adoecida, é uma sociedade que está incapacitada e que não está disposta a proteger suas crianças da perversão sexual e do mal legalizado. É uma sociedade em que a iniquidade é abundante e em que o amor em qualquer sentido significativo está rapidamente se esvaindo. Isto é exatamente como o Senhor Jesus disse ao descrever o fim dos tempos: "E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará." [Mateus 24:12].

Solicitação Especial

Incentivamos os leitores frequentes a baixarem os ensaios disponíveis neste website para cópia de segurança e consulta futura. Eles poderão não estar disponíveis para sempre. Estamos entrando rapidamente em um tempo em que materiais deste tipo somente poderão ser obtidos via correio eletrônico. Os leitores que desejarem ser incluídos em uma lista para correspondência futura são bem-vindos a me contactar em jeremypauljames@gmail.com. Não é necessário fornecer o nome, apenas um endereço eletrônico.



Autor: Jeremy James, artigo em http://www.zephaniah.eu
Data da publicação: 3/5/2019
Transferido para a área pública em 3/9/2020
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/perversao.asp