Políticos Transgêneros: A Guerra Contra as Mulheres Naturais Continua

Autor: Jeremy James, 10 de setembro de 2016.

"Por isso diz: Desperta, tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te esclarecerá." [Efésios 5:14].

Em 4/9/2016, a revista do jornal The Sunday Times trouxe um artigo sobre Nicola Sturgeon, líder do Partido Nacional Escocês e primeira-ministra da Escócia. Ao se referir ao fato de ela não ter filhos, o artigo incluiu um painel fotográfico mostrando várias outras "mulheres" políticas britânicas (junto com a chancelar alemã Angel Merkel) que também não têm filhos — veja o painel no Apêndice A.

O artigo despertou a ira de certos membros do Parlamento Irlandês, que acharam que a inclusão de um painel fotográfico de mulheres políticas sem filhos (ou estéreis) era, conforme reportado em The Irish Independent, "irrelevante" e "uma grosseria". Um determinado membro disse: "— Isto é absolutamente ridículo... O que tem que ver com o trabalho?"

A resposta deles pode ter sido influenciada pela recente aprovação da legislação que permite aos transgêneros fazerem alterações em suas certidões de nascimento e remover do registro público o gênero deles no nascimento. Ao fazerem isto, eles também estarão escondendo o fato saliente que são estéreis.

Como resultado dessa legislação bizarra — a Lei de Reconhecimento de Gênero, de 2015 — é agora impossível sob a lei irlandesa saber se uma pessoa que professa ser mulher realmente nasceu mulher (e vice versa para os homens). Se "mulheres" transgêneros podem fingir serem mulheres naturais, sem meios legais de alguém descobrir, então existe agora dentro da sociedade irlandesa dois tipos completamente diferentes de mulheres à primeira vista:

(1) Mulheres naturais verdadeiras, potencialmente férteis, que podem formar um relacionamento conjugal normal com um homem natural e

(2) Mulheres transgêneros, que se apresentam como mulheres naturais, permanentemente estéreis, com um sério distúrbio clínico, que não podem formar um relacionamento conjugal normal com um homem natural.

Uma dicotomia igualmente confusa foi criada entre os homens à primeira vista.

O Ataque Contra as Mulheres Naturais

Efetivamente, o status das mulheres naturais dentro da lei foi reduzido para o nível dos transgêneros homem-para-mulher. Isto é tudo parte da Nova Ordem Mundial, que objetiva erradicar a distinção estabelecida por Deus entre homens e mulheres e, ao mesmo tempo, reduzir, se não erradicar, a proporção de mulheres naturais em cargos de influência.

Podemos ver por que os membros do Parlamento Irlandês ficaram ressentidos com a referência feita no artigo às mulheres políticas que não têm filhos. Se a discussão pública da fertilidade não fosse contida, as implicações extremamente subversivas da nova lei dos transgêneros na Irlanda poderiam finalmente se tornar aparentes. O público ainda não percebeu que, quando o Parlamento aprovou uma lei em 2015 que permitiu que certos homens fossem classificados como "mulheres', o Parlamento foi longe demais e permitiu que esses homens se apresentassem como mulheres naturais, sem haver meios legais para conferir isto. Como resultado, não somente dois "sexos" artificiais foram criados na lei, mas eles receberam a permissão de se misturarem encobertamente na população em geral, representando uma ameaça real aos sexos naturais e à ordem social existente.

Como resultado desta perversa legislação — sagazmente empurrada goela abaixo do povo da Irlanda pela Elite que adora a Baal — transgêneros inescrupulosos ou predadores podem agora legalmente enganar os homens naturais e as mulheres naturais, tirando proveito deles. Isto causará estragos nas vidas de muitas pessoas inocentes nos anos vindouros.

É Legal, Porém Não Mencione Isto

Se o transgenerismo está agora facilitado pela lei, então por que esses políticos negligenciaram de mencionar a possibilidade que alguns dos indivíduos citados no artigo do The Sunday Time — incluindo Angela Merkel e a própria Sturgeon — possam não ter filhos por que são transgêneros homem-para-mulher?

De fato, a evidência sugere fortemente que elas são. Por que não julgar você mesmo? Veja os Apêndices A e B. Observe que os homens geralmente têm cabeças maiores e com um formato mais quadrado, olhos mais espaçados e mais aprofundados, ossos da face mais elevados, testas maiores, bocas mais largas e linhas das mandíbulas mais proeminentes. Deve-se também considerar a masculinidade geral dos indivíduos em questão. (Veja se consegue encontrar alguma mulher natural nos Apêndices.)

A Lei de Reconhecimento de Gênero de 2015

O Memorando Explicativo que acompanhou a Lei de Reconhecimento de Gênero de 2013 incluiu a seguinte declaração:

"O propósito desta Lei de Reconhecimento de Gênero é fornecer um processo que permita às pessoas transgênero alcançar pleno reconhecimento legal de seus gêneros auto-identificados e permitir a aquisição de uma nova certidão de nascimento e outros documentos que reflitam suas identidades de gênero. Uma pessoa trangênero é uma pessoa cujo gênero auto-identificado não reflete o gênero que lhe foi atribuído ao nascer."

A Lei foi criada para prevenir a "exposição negativa", em que "uma pessoa transgênero é exposta como transgênero contra sua vontade". O termo "pleno reconhecimento legal" significa que o verdadeiro gênero da pessoa no nascimento será ocultado para sempre do conhecimento do público. A legislação, da forma como foi aprovada, confirma isto. Segundo a seção 18 (5) da Lei, uma pessoa a quem uma certidão de reconhecimento de gênero tenha sido emitida não está sob obrigação legal de revelar seu status de transgêro:

18 (5) A pessoa a quem a certidão de reconhecimento de gênero for emitida pode apresentá-la para oferecer prova de gênero ou identidade, se assim quiser.

Uma Legislação Social e Espiritualmente Destrutiva

A maioria dos membros do público parece não compreender o quão prejudicial esta legislação se revelará. Seu filho ou seu irmão poderá inadvertidamente namorar e se casar com um transgênero homem-para-mulher e, somente quando for tarde demais, descobrir que foi totalmente humilhado e enganado. Sua filha ou sua irmã poderá ser enganada e iniciar um relacionamento lésbico com uma mulher que foi cirúrgica e quimicamente "reatribuída" para se parecer com um homem. Cada vez mais, nossos filhos serão confrontados com uma forma vil de roleta russa. Esta é uma horrível perspectiva para nossos familiares queridos e para a sociedade como um todo nos anos vindouros.

Além disso, o conceito de equilíbrio de gêneros em um ampla variedade de instituições se tornará sem sentido. A estrutura gerencial de alto nível dessas instituições poderá, no futuro, ser composta exclusivamente de indivíduos que eram homens ao nascer, sejam homens naturais ou transgêneros homem-para-mulher.

A página na Internet da Transgender Equality Network Ireland (TENI) diz:

"Em 15 de julho de 2015, o governo irlandês aprovou a Lei de Reconhecimento de Gênero. A legislação oferece um processo que permite às pessoas transgêneros alcançarem pleno reconhecimento de seus gêneros preferidos e permite a obtenção de uma nova certidão de nascimento que reflita essa mudança."

O poder destrutivo dessa loucura deve ser óbvio. Legalizar o engodo não o torna ético. É uma falta de escrúpulos o Estado participar de uma fraude desse tipo. Todas as mulheres naturais têm o direito de serem identificadas durante suas vidas inteiras como mulheres naturais, porém esse direito não poderá ser reivindicado se uma proporção da população que se identifica como mulheres não forem mulheres naturais, mas transgêneros secretos, que não têm obrigação legal alguma de revelar esse fato para as outras pessoas!

As Instituições Sociais Estão Sendo Redefinidas Pela Doença Mental

No passado, os transgêneros homem-para-mulher foram corretamente classificados pelo sistema médico como homens que sofriam de uma ilusão que eles eram mulheres. É muito ruim quando a doença mental é normalizada por leis patentemente irracionais, mas é muitas vezes pior quando uma enganação com esse tipo de ramificações chocantes é deliberadamente facilitada pelo governo. Quando homens cirurgicamente modificados recebem a permissão de se apresentar como mulheres naturais, o status e a segurança das mulheres naturais estão seriamente comprometidos. Da mesma forma está também a instituição do casamento, que depende da atração natural mútua entre os indivídos, homens e mulheres, cuja sexualidade é explícita. A família como instituição também é solapada quando falsificações estéreis recebem a permissão de se mascarar como mulheres naturais e enganar os homens naturais.

O Engodo do Eleitorado

Quantos membros do público na Grã-Bretanha e na Alemanha votaram nos indivíduos no painel das "mulheres políticas sem filhos" pensando que estavam votando em mulheres naturais? Suspeitamos que a porcentagem seja 95%, ou mais. Claramente, os eleitores foram intencionalmente enganados.

A maioria dos eleitores irlandeses acredita que cada um de seus parlamentares veio ao mundo com o mesmo gênero que agora exibe como adulto. Mas, eles estão grandemente enganados! Eu estimaria que pelo menos a metade dos membros "femininos" da Câmara Baixa e do Senado atuais são transgêneros homem-para-mulher. Por que você não confere as fotos deles na Internet e vê por si mesmo? Alguns desses indivíduos são tão obviamente masculinos, que é difícil compreender como conseguiram perpetrar a enganação por tanto tempo.

Acusações de Transfobia ou Homofobia

Qualquer discussão pública do transgenerismo e assuntos similares, como "casamento" homossexual, está sendo deliberadamente frustrada por acusações de transfobia ou homofobia. Estes são termos marxistas de abuso, que têm o propósito de silenciar qualquer expressão de preocupação, por mais racional ou baseada em evidências ela seja. É triste dizer isto, mas estamos provavelmente sendo ingênuos se esperarmos que o espírito da democracia prevaleça em instituições como a Câmara Baixa ou o Senado, ambos os quais estão fortemente infiltrados por homossexuais, transgêneros e marxistas dissimulados (que gostam se chamar a si mesmos de socialistas). Dos 226 membros das duas Casas, nem um — tanto quanto eu saiba — é um cristão que crê na Bíblia.

Jornalismo Não Confiável e Propaganda da Mídia

A mídia na Irlanda deixou de destacar durante todo o tempo as implicações socialmente destrutivas da Lei de Reconhecimento de Gênero de 2013. O debate público (da forma como ocorreu) no período anterior à aprovação da Lei foi cuidadosamente gerenciado nos estúdios pelos três principais meios de comunicação: RTE, The Irish Times e The Irish Independent.

A Elite simplesmente usou essas cínicas instituições para lançar uma cepa ainda mais virulenta de propaganda anticristã. Os ultra-ricos agora exercem completo controle editorial sobre as redes nacionais de rádio e televisão, bem como a mídia impressa nacional. O debate em torno do referendo sobre o "casamento" entre pessoas do mesmo sexo — que também foi gerenciado nos estúdios e censurado — foi usado para desviar a atenção da altamente sensível questão do reconhecimento do gênero. Até mesmo agora, um ano após o evento, o povo irlandês não tem ideia que foi terrivelmente traído pelo seu Parlamento em 15 de julho de 2015.

O Povo Irlandês se Afastou de Deus e Abraçou a Baal

A população tem sido iludida repetidamente pelos seus líderes políticos ardilosos. A população foi iludida quando a Elite erigiu um gigantesco obelisco de aço na cidade de Dublin, em 21 de janeiro de 2003, em homenagem ao seu deus infernal, Baal. A população foi iludida e levada a aprovar o "casamento" entre pessoas do mesmo sexo, em 22 de maio de 2015, e a abolir o casamento cristão tradicional. Além disso, foi iludida quando esta legislação diabólica — a assim chamada Lei de Reconhecimento de Gênero — foi aprovada pela Câmara Baixa em 15 de julho de 2015.

O próximo truque poderá ser o mais aterrorizador e desprezível de todos, um referendo para aprovar o assassinato a sangue frio das crianças no ventre materno. A Elite planeja há décadas a legalização do aborto na Irlanda. Como os membros dessa Elite são satanistas há várias gerações, consideram o derramamento de sangue inocente como a maior de todas as perversões. Parece que nada agrada mais a Baal do que ver uma jovem mãe voluntariamente sacrificar sua própria criança para fins de vantagem social ou econômica.

O Profeta Isaías

A Elite Governante está tentando virar a ordem natural de cabeça para baixo. Eles estão fazendo todos os esforços para zombar da Bíblia e honrar a Baal. Aqui está como o profeta Isaías explica isto:

"Vós tudo perverteis, como se o oleiro fosse igual ao barro, e a obra dissesse do seu artífice: Não me fez; e o vaso formado dissesse do seu oleiro: Nada sabe." [Isaías 29:16].

Entretanto, eles serão profundamente destruídos quando Cristo voltar para restaurar todas as nações para o elevado padrão moral estabelecido pelo Pai Celestial:

"Porque o tirano é reduzido a nada, e se consome o escarnecedor, e todos os que se dão à iniquidade são desarraigados." [Isaías 29:20].

Eles colherão aquilo que semearam.


Apêndice A


Apêndice B



Autor: Jeremy James, artigo em http://www.zephaniah.eu
Data da publicação: 10/4/2017
Transferido para a área pública em 25/3/2019
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/transgenero-7.asp