A Maligna Agenda dos Transgêneros Está Solapando o Fulcro Espiritual da Sociedade Ocidental

Autor: Jeremy James, 21 de maio 2017.

Como já mostrado em ensaios anteriores nesta série, a androginia — a mistura ou supressão de características sexuais — é um importante aspecto da agenda da Nova Ordem Mundial. A clara distinção bíblica entre homem e mulher está sendo deliberadamente ofuscada pelas grandes empresas de mídia. Os filmes do cinema, a televisão, o rádio, as revistas e a música popular têm todos sido preparados para apresentar uma mensagem andrógina, de gênero neutro ou de múltiplos gêneros, em que a identidade sexual de um indivíduo está fundamentada, não na biologia, mas em valores pessoais, sociais e culturais.

Isto é parte de um programa deliberado de atrapalhar o desenvolvimento natural de emoções relacionadas com gênero e comportamento no público jovem. As histórias, mensagens e imagens — que antigamente teriam projetado uma clara distinção entre atores homens e atrizes mulheres — estão agora carregadas com ambiguidade. O desenvolvimento natural das nossas crianças está sob ataque.

Satanás odeia seus filhos, exatamente como odeia você. Hoje, ele tem uma nova e poderosa ferramenta à sua disposição, uma máquina de mídia internacional coordenada que, diante de um controle parental muito pequeno, tem acesso direto aos nossos filhos. A influência exercida por esse monstro é bem grande. Nossas crianças estão sendo expostas à imagens e ideias que são mais complexas, mais intensas e mais extremas do que qualquer coisa conhecida pelas gerações anteriores. Como resultado, elas estão aprendendo valores e formando opiniões que não têm conexão imediata com o mundo ao seu redor. A compreensão delas da realidade está sendo remoldada, não por meio da experiência pessoal e da orientação dos pais, mas por meio de um sistema de normalidade programada.

Vimos um exemplo amedrontador disso em maio de 2015, quando o povo da Irlanda votou maciçamente a favor de um aditamento na Constituição para incluir os casais de mesmo sexo em sua definição de casamento. Tivessem nossos avós sido questionados se a Irlanda deveria fazer esse tipo de mudança radical, eles teriam dificuldade até mesmo em compreender a pergunta. Contudo, somente duas de cada sete pessoas acima de 18 anos de idade tentaram impedir essa alteração. As demais foram enganadas pela normalidade programada, que foi instilada pela máquina da mídia.

Incrivelmente, apenas alguns poucos meses mais tarde, em julho de 2015, o Parlamento irlandês aprovou uma lei que permite que qualquer um — literalmente qualquer um — possa mudar o gênero oficial registrado em sua certidão de nascimento. Não é necessário apresentar uma justificativa médica de qualquer tipo, afirmar disforia de gênero, ou apresentar qualquer documentação de apoio. Dentro da lei irlandesa, não é necessário submeter-se a uma cirurgia, ingerir hormônios de modificação de gênero, vestir-se ou comportar-se como um membro do sexo oposto de modo a se tornar legalmente um transgênero. É duvidoso se algum outro país ocidental tenha uma lei tão liberal e irresponsável.

Como o governo irlandês chegou a este ponto? Simples — por meio da normalidade programada e do uso cínico da mídia. Os jornais, a televisão e o rádio reportaram somente parte do que a legislação propunha e enganaram o público de diversas formas diferentes.

O governo irlandês está agora preparando a máquina da mídia para sua próxima abominação: a matança legalizada dos bebês nascituros.

Neste ensaio enfocaremos somente a maligna agenda dos transgêneros e como o público está sendo programado para acreditar que os andróginos são pessoas normais, com uma identidade sexual normal. Ao fazerem isso, eles estão preparando uma base legal para banir a Bíblia tradicional e substitui-la — ou partes salientes dela — por uma versão moderna revisada, que efetivamente remova todas as restrições morais contra a sodomia e a androgina. Ao fazerem isso, eles poderão até conseguir promover uma "atitude mais esclarecida" com relação à pedofilia e à zoofilia.

Isto colocará uma escolha crítica diante de todos os cristãos nascidos de novo. Eles poderão permanecer com a verdade da Palavra de Deus — ou poderão aceitar a nova normalidade programada. Aqueles que continuarem com a interpretação tradicional — e correta — da Palavra de Deus serão acusados de serem preconceituosos, intolerantes e odiosos. Eles serão penalizados de diversas formas, multados e, possivelmente, até presos ou demitidos de seus empregos. O patrimônio deles poderá ser confiscado pelo Estado e suas crianças tiradas de sua custódia "para a própria proteção delas".

Se você é um pastor cristão e isto lhe parece muito absurdo ou implausível, então eu o exorto a pensar um pouco mais. A gravidade daquilo que está se desdobrando agora deveria ser patentemente óbvia a partir daquilo que já ocorreu. Se você não estiver familiarizado com a história da maligna agenda dos transgêneros e para aonde ela está caminhando, então pedimos que leia nossos ensaios anteriores sobre o assunto. Considere também, conforme explicado na seção a seguir, a metodologia que a elite luciferiana está usando para influenciar e modificar as mentes — e o gênero.

A Arte Tenebrosa da Persuasão

Persuadimos as outras pessoas por meio do raciocício lógico, apresentando as razões e evidências da forma como as vemos e convidando nossos ouvintes a avaliarem a situação. Alguns indivíduos podem ser persuadidos, outros não. Em ambos os casos, porém, nenhum deles foi enganado ou coagido. Este é o modo normal e natural de modificar as mentes e opiniões.

Entretanto, este não é o método usado pelos membros da elite luciferiana. Eles persuadem o público, não por meio da razão, mas pela manipulação da realidade. Uma das técnicas mais eficazes que eles usam é a normalidade programada, que envolve a repetição infindável de ideias selecionadas. Eles sabem que, quanto mais frequentemente uma ideia for apresentada para nossas mentes — mesmo que saibamos que ela é totalmente falsa — mais provável é que eventualmente a aceitemos. Eles sabem que a maioria das pessoas achará mais fácil inventar uma desculpa para mudar de opinião e aceitar a ideia, do que ter de encontrar continuamente modos de resistir a ela! É por este motivo que a máquina da mídia é tão perigosa. Ela nunca se cansa. Assim, a não ser que as pessoas aprendam a evitar ou reduzir grandemente o impacto da máquina da mídia em suas vidas, a maioria delas eventualmente sucumbirá.

O intervalo de tempo entre a resistência absoluta do público a uma ideia e sua eventual aceitação está se tornando cada vez menor. Os principais veículos para o controle da mente do público nos anos 1920s eram a imprensa e o rádio. À medida que os filmes do cinema cresceram em popularidade, eles reduziram grandemente o tempo entre a resistência e a aceitação. Com o advento da televisão nos anos 1950s, tornou-se possível manipular as atitudes e os valores do público em uma escala maciça.

A elite luciferiana também descobriu algo que lhe foi muitíssimo vantajoso e que tem explorado desde então. Eles descobriram que quanto maior o número de pessoas que aceitam uma ideia, mais fácil é propagar a ideia para uma audiência ainda mais ampla. É quase mais fácil enganar o mundo inteiro do que apenas uma nação. É por isto que houve aceitação mundial quase imediata à afirmação que bombas nucleares destruíram duas cidades japonesas em 1945, que um satélite entrou em órbita em volta da Terra em 1957, ou que um atirador solitário assassinou o presidente norte-americano em 1963. A máquina da mídia mundial gera uma realidade virtual desde então.

Como fazer uma nação como a Irlanda, que era altamente conservadora até os recentes anos 1980s, aprovar um aditamento em sua Constituição que coloca o casamento cristão entre um homem e uma mulher no mesmo plano legal e moral que uma parceria entre dois homossexuais? Basta seguir as seguintes cinco etapas:

  1. Aplaudir continuamente a conexão entre amor e tolerância.
  2. Retratar o grupo em questão como uma minoria malcompreendida.
  3. Apresentar inúmeros exemplos que destaquem o sofrimento dessa minoria.
  4. Questionar continuamente a lógica de "excluir" a minoria.
  5. Sugerir repetidamente uma "solução" baseada no amor e na tolerância.

Observe que nenhuma dessas etapas pode ser implementada sem uma máquina de mídia. O sistema de fazer consultas e pesquisas de opinião também é muito útil. A elite pode confirmar que um determinado plano está funcionando por meio de uma pesquisa de opinião. Igualmente, se parecer que o tiro de um plano saiu pela culatra, a elite pode rapidamente avaliar a situação e tomar ações corretivas.

A mesma abordagem está sendo usada para implementar a maligna agenda dos transgêneros.

1. Aplaudir continuamente a conexão entre amor e tolerância

A mensagem na Etapa 1 é mais ou menos assim: "Se você é um cristão verdadeiro e não apenas um daqueles indivíduos obtusos que estudam a Bíblia, será imensamente tolerante com a diversidade e respeitador dos direitos humanos. Os transgêneros também são gente, não é mesmo? Portanto, por que você quer forçá-los a se conformar com o seu modo de pensar? Isto não é amor; é intolerância e opressão. Nossos irmãos e irmãs transgêneros merecem nosso amor e respeito."

2. Retratar o grupo em questão como uma minoria malcompreendida.

Etapa 2: "Os transgêneros não fazem mal a ninguém. Eles querem viver suas vidas com dignidade, exatamente como todo mundo quer. Por tempo demais, os preconceituosos religiosos nos disseram o que era 'certo' e condenaram como pecaminoso qualquer coisa que não se encaixasse em sua cosmovisão religiosa. Jesus teria amado os transgêneros, exatamente como amou todas as demais pessoas."

3. Apresentar inúmeros exemplos que destaquem o sofrimento dessa minoria.

As Etapas 1 e 2 acima estão sendo apresentadas na mídia já há algum tempo. Agora, a elite está no estágio em que exemplos favoráveis e carregados de simpatia estão sendo apresentados ao público. Vejamos alguns deles:

A mulher na fotografia abaixo está diante da porta de entrada do imóvel na rua Downing Street número 10, em Londres, a residência oficial do primeiro-ministro britânico. O nome dela é Stephanie Hirst; ela foi recentemente recebida pelo primeiro-ministro. Ela apresenta um programa de rádio na BBC, intitulado Nothing But the 90s, e é bem-conhecida do público britânico. Ela também recebeu um doutorado honorário da Universidade Leeds Beckett, por seu papel em promover os direitos dos LGBTs (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros).

O indíviduo na próxima foto é Simon Hirst, um apresentador de programas de rádio e de televisão, melhor conhecido por seu trabalho no programa de rádio Hit40UK, que era transmitido por 130 emissoras de rádio comerciais em toda a Grã-Bretanha. Em 2014, Simom passou por uma cirurgia de mudança de sexo e se tornou "Stephanie", a mulher que aparece na foto anterior.

Este indivíduo está sendo usado pela máquina da mídia para normalizar a androginia. Quando uma celebridade simpática e bem-conhecida passa por uma mudança como esta, então isto deve ser algo normal. Pelo menos, esta é a mensagem que está sendo apresentada pela máquina da mídia. O reconhecimento e aprovação de alto nível para essa inversão de gênero foram tornados bem claros ao público britânico por essa visita oficial à residência do primeiro-ministro e pela outorga de um doutorado honorário.

Simon/Stephanie não é o único. O primeiro apresentador transgênero na rede de televisão BBC também foi revelado muito recentemente. Jonathan Willoughby, um ex-apresentador de telejornal na emissora ITV, passou por uma mudança de sexo e se tornou India Willoughby, co-apresentadora da programa de televisão Loose Women, na BBC. "Ela" também é saudada como uma campeã dos direitos humanos, uma inspiração para todos que sofrem de disforia de gênero, uma pessoa corajosa que superou muitos obstáculos em seu caminho até se tornar quem realmente é. Pelo menos, esta é a mensagem.

Não temos razão para exigir explicações desses dois indivíduos, pois eles não tentaram enganar o público. Eles foram honestos e abertos a respeito de sua transição. Como cristãos, podemos não concordar com a decisão deles de "mudar" de gênero, mas podemos respeitar a ausência de sagacidade e fraude.

Esta abordagem franca está totalmente em desacordo com o que a BBC está realmente fazendo por trás dos bastidores. Somos solicitados a acreditar que India Willoughby é a primeira apresentadora transgênero contratada pela BBC, quando na verdade a emissora já emprega um quadro expressivo de apresentadores transgêneros homem-para-mulher — e faz isto há vários anos! (Convidamos os leitores a consultar nosso ensaio anterior sobre este assunto, intitulado "A Maligna Agenda dos Transgêneros e seu Vínculo com a Nova Ordem Mundial", que faz referência específica à rede BBC de comunicações.)

Não tenho interesse algum em constranger qualquer um desses indivíduos — Stephanie Hirst and India Willoughby — mas apenas desejo mostrar como suas vidas pessoais estão sendo exploradas pela elite governante para fazer a androginia parecer normal, aceitável e saudável.

Uma técnica similar está sendo usada nos EUA, onde Robert Tur (abaixo), que se tornou bem-conhecido por suas inúmeras reportagens na televisão, tornou-se Zoeiy Tur (abaixo) em 2014, o primeiro repórter de notícias transgênero na rede CNN:

Exatamente como a BBC, a CNN está ocultando do conhecimento do público o fato que já contrata muitos apresentadores e repórteres transgêneros em seus programas de notícias. Aqui estão apenas algumas das personalidades mais conhecidas de programas jornalísticos na televisão americana que ostensivamente eram mulheres de nascimento, mas que são quase certamente transgênero homem-para-mulher, muito provavelmente invertidos por seus pais antes de terem alcançado a puberdade:

Nota: As características que sugerem fortemente que estes indivíduos são andróginos são discutidas e explicadas em ensaios anteriores nesta série. Observe que nossas avaliações estão baseadas em inúmeras fotografias em cada caso, não apenas naquela que é mostrada aqui.

Novamente, não temos desejo de cobrar explicações desses indivíduos, ou de causar qualquer constrangimento pessoal. Não é ilegal ser um transgênero nos EUA. Entretanto, é certamente ilegal para as grandes empresas empregá-los para fazer isso sem revelar em tempo algum o fato que, por uma questão de política, elas contratam uma proporção significativa de andróginos homem-para-mulher como ostensivamente repórteres mulheres. Esta é uma enganação muito grande.

4. Questionar continuamente a lógica de "excluir" a minoria.

A máquina da mídia está continuamente bombardeando a sociedade em todos os níveis com a mensagem da "inclusividade". Ninguém deve se sentir excluído. Todos somos um, eles dizem. A Maçonaria ensina uma doutrina perigosamente falsa conhecida como "Paternidade de Deus e Irmandade dos Homens". Isto une todos os credos, crenças, caminhos e minorias sob um estandarte único. Há somente um critério para admissão nessa grande fraternidade — ser humano. Os mandamentos e doutrinas da Bíblia são meramente elementos subsidiários neste grande plano de unificação. O indivíduo é parte do coletivo e todos têm um lugar igual e legítimo dentro dele. Portanto, a exclusão das minorias — como os andróginos e os homossexuais — é simplesmente errada. Pelo menos, esta é a mensagem.

5. Sugerir repetidamente uma "solução" baseada no amor e na tolerância.

Esta é a quinta etapa na grande estratégia que a elite luciferiana está usando para programar as massas. Eles redefiniram o amor para que ele exclua Cristo. De acordo com o evangelho da Nova Era, Deus ama a todos incondicionalmente. O amor de Deus é tão grande que flui de forma indiscriminada sobre tudo e envolve absolutamente todos de forma igual. Ao fazerem isso, eles redefiniram o Deus do Velho Testamento e o retrataram em filmes, televisão e livros como uma divindade tribal, intolerante, racialmente divisiva e que procura escravizar a humanidade. Eles também redefiniram Jesus e o transformaram em um "homem bom" — não o Filho de Deus — que tentou nos libertar do deus intolerante do Velho Testamento. De acordo com essa mensagem enganosa e sedutora, Jesus nos ensinou o verdadeiro significado do amor.

O argumento deles é mais ou menos assim: "Se o transgenerismo é um problema, então vamos solucioná-lo com amor e tolerância. Vamos abrir nossos corações e aceitar nossas diferenças. Afinal, somos uma grande família e, como todas as famílias, somente podemos conviver bem quando amorosamente aceitamos e respeitamos uns aos outros. Qualquer interpretação do Evangelho que viole essa verdade básica precisa ser falsa."

Conclusão

Deve ser óbvio, a partir das informações apresentadas acima, bem como aquelas apresentadas em nossos ensaios anteriores, que a elite luciferiana que controla, por trás dos bastidores, muitos aspectos deste mundo, está implementando um programa internacional e mortal de subversão dos gêneros. Ao mesmo tempo que não imputamos alguma ilicitude aos andróginos que trabalham na esfera pública, certamente os acusamos de ilicitude se eles são sabidamente parte desse programa deliberado de enganação. Há boa razão para acreditar que muitos deles estão plenamente conscientes da contribuição que estão fazendo para a destruição das distinções de gênero, a corrupção das mentes dos jovens e a subversão dos valores tradicionais que sustentaram a civilização ocidental durante gerações.

Estas pessoas gostam de afirmar que a Bíblia nada diz sobre a questão do gênero, mas isto é tolice. A história de Sodoma e Gomorra é o relato do excesso sexual e das experimentações sem limites. Ela não trata simplesmente da homossexualidade, mas com as múltiplas e flagrantes tentativas do homem de perverter os meios naturais de expressão sexual que Deus estabeleceu. Isto inclui as claras proibições de Deus contra o incesto, pedofilia, travestismo, automutilação, parcerias do mesmo sexo, sodomia, transgenerismo e bestialidade.

Infelizmente, em seu estado caído, o homem se rebela contra essas restrições. Até mesmo os cristãos algumas vezes se esquecem que, sem o poder de restrição do Espírito Santo, o mundo inteiro rapidamente afundaria em inacreditáveis lascívias e perversões sexuais. O curto livro de Judas apresenta isto em termos bem claros:

"Assim como Sodoma e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se entregue à fornicação como aqueles, e ido após outra carne, foram postas por exemplo, sofrendo a pena do fogo eterno. E, contudo, também estes, semelhantemente adormecidos, contaminam a sua carne, e rejeitam a dominação, e vituperam as dignidades... Ai deles! porque entraram pelo caminho de Caim, e foram levados pelo engano do prêmio de Balaão, e pereceram na contradição de Coré... E destes profetizou também Enoque, o sétimo depois de Adão, dizendo: Eis que é vindo o Senhor com milhares de seus santos; para fazer juízo contra todos e condenar dentre eles todos os ímpios, por todas as suas obras de impiedade, que impiamente cometeram, e por todas as duras palavras que ímpios pecadores disseram contra ele... Mas vós, amados, lembrai-vos das palavras que vos foram preditas pelos apóstolos de nosso Senhor Jesus Cristo; os quais vos diziam que nos últimos tempos haveria escarnecedores que andariam segundo as suas ímpias concupiscências. Estes são os que a si mesmos se separam, sensuais, que não têm o Espírito." [Judas 1]

Eles entraram pelo caminho de Caim, o que significa que inventaram sua própria filosofia religiosa. Eles foram levados pelo engano do prêmio de Balaão, o que significa que usaram o apelo sexual para seduzir e destruir os justos. Além disso, eles pereceram na contradição de Coré, o que significa que desafiaram gravemente a soberana autoridade de Deus. Como Judas predisse, eles estão entre nós hoje, os escarnecedores do fim dos tempos, que andam segundo suas próprias lascívias.

A Cegueira dos Pastores Cristãos

Em sua maioria, os pastores cristãos hoje estão cegos para tudo isto. Eles parecem não compreender o quão tortuosos, enganosos e perigosos os ímpios realmente são. Eles se confortam com a ideia rasa que "todas as coisas permanecem iguais desde o princípio da criação" (2Pedro 3:4) e, como resultado, deixam de realizar sua função mais básica e advertir o rebanho.

A calamidade, quando vier, não será gradual, Como disse o Senhor, as nações de Canaã foram colocadas sumariamente para fora da terra por que a tinham contaminado com suas abominações. Da mesma forma, Ele advertiu os israelitas a seguirem Seus estatutos para que a terra não os vomitasse:

"Guardai, pois, todos os meus estatutos, e todos os meus juízos, e cumpri-os, para que não vos vomite a terra, para a qual eu vos levo para habitar nela. E não andeis nos costumes das nações que eu expulso de diante de vós, porque fizeram todas estas coisas; portanto fui enfadado deles." [Levítico 20:22-23]



Autor: Jeremy James, artigo em http://www.zephaniah.eu
Data da publicação: 27/5/2017
Transferido para a área pública em 18/4/2019
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/transgenero-8.asp