Escolha uma cor para o fundo:  

Permitirá a Rússia um Ataque Bem-Sucedido Contra as Instalações Nucleares do Irã?

Recursos úteis para sua maior compreensão

Título do Livro 1


Título do Livro 2


Título do Livro 3

O armamento escalar da Rússia é muito superior ao sistema de armamentos HAARP dos EUA e é também mais avançado que o sistema escalar israelense. Como a Rússia já advertiu diversas vezes que não tolerará um ataque contra o Irã, sua credibilidade diante da comunidade islâmica sofrerá um dano irreparável se um ataque ocorrer de forma bem-sucedida.

A Nova Ordem Mundial está chegando! Você está preparado?

Compreendendo o que realmente é essa Nova Ordem Mundial, e como está sendo implementada gradualmente, você poderá ver o progresso dela nas notícias do dia-a-dia!!

Aprenda a proteger a si mesmo e aos seus amados!

Após ler nossos artigos, você nunca mais verá as notícias da mesma forma.

Agora você está na
"THE CUTTING EDGE"


Nos dois últimos meses, o presidente Bush elevou sua retórica beligerante contra o Irã de forma verdadeiramente exponencial. Ele anunciou que estava enviando mais dois porta-aviões com seus grupos de batalha naval acompanhantes para o Golfo Pérsico e, desde então, outras forças militares também foram despachadas para a região.

Parlamentares dos dois partidos políticos estão preocupados que o presidente possa tentar se livrar do charco iraquiano alastrando a guerra em direção ao norte, para incluir o Irã. No boletim da Cutting Edge de 20 de janeiro, citamos o ex-Procurador Geral Wesley Clark que disse que, como o presidente está claramente tentando provocar o Irã, o Congresso deveria iniciar um processo de impeachment contra ele somente por causa disso!

Ninguém, porém, está fazendo a pergunta mais importante de todas: Permitirá a Rússia que os EUA ou Israel montem um ataque bem-sucedido contra as instalações nucleares iranianas? O presidente Bush está, segundo se afirma, contemplando o uso de armas nucleares táticas, especialmente as "arrasa-bunker". Todo mundo sabe que a América foi a única nação a realmente usar armas nucleares durante um tempo de guerra, e que direcionou essas armas terríveis contra as populações civis de Hiroshima e Nagasaki. Outro ataque americano usando armas nucleares deixaria em pedaços as relações que outros países têm com os Estados Unidos.

Entretanto, esse ataque também danificaria de forma irrevogável a situação da Rússia diante da comunidade islâmica global, até o ponto em que ninguém mais confiaria nas capacidades da Rússia. Achamos que esse cenário não é coerente com a invasão profetizada em Ezequiel 38-39, em que a Rússia lidera uma aliança de nações, em sua maioria islâmicas, em um ataque contra Israel no fim dos dias.

Entretanto, deixaremos essa questão para a parte final deste artigo. Vamos primeiro tratar a claramente provocativa concentração de forças americanas contra o Irã.

A Provocação Americana Contra o Irã

O presidente Bush declarou guerra ao Irã em seu discurso do "reforço"? Teremos outro incidente fabricado do tipo "Golfo de Tonkin" para justificar um ataque ao Irã? Pedimos que você leia com atenção o seguinte excerto do nosso boletim de 20/1/2007:

Resumo da Notícia: "Um plano ruim para o Oriente Médio", James Dobbins, International Herald Tribune, 17/1/2007.

"O pronunciamento mais recente do presidente George W. Bush ao povo americano sobre o Iraque pode ser a mensagem presidencial mais amedrontadora desde que Ronald Reagan anunciou que tinha lançado um ataque nuclear contra a União Soviética. Reagan estava apenas brincando. Bush não está."

"A reação imediata ao pronunciamento do presidente enfocou o aumento no comprometimento de tropas dos EUA no Iraque. Entretanto, o maior perigo apresentado pelo plano de Bush não é o da escalada horizontal no Iraque, mas uma escalada vertical em toda a região circunvizinha. Dado o nível de violência no Iraque, a adição de mais 20.000 soldados provavelmente não fará muita diferença. As baixas — americanas — e talvez iraquianas — podem aumentar como conseqüência, mas somente de forma marginal."

"O risco muito mais grave inerente no plano do presidente é que a guerra no Iraque possa se alastrar para os países vizinhos... Em dezembro, o Grupo de Estudos Sobre o Iraque, presidido pelo ex-Secretário de Estado James Baker e pelo ex-congressista Lee Hamilton, recomendou que Bush envolva o Irã e a Síria. Ele está fazendo isso — enviando mais um porta-aviões para o Golfo Pérsico e mísseis Patriot para os países vizinhos. Esse é exatamente o rumo oposto ao defendido pelo Grupo de Estudos Sobre o Iraque, que recomendou o início de sérias conversações diplomáticas em vez de, ou pelo menos além de, demonstrações de força militar."

Esse artigo então reporta as várias ações que parecem ser as primeiras medidas na confrontação com o Irã.

"Dado o tom excepcionalmente rude dos últimos comentários do presidente com relação ao Irã e à Síria, os movimentos militares que ele acaba de direcionar contra eles, os esforços intensificados da administração de criar e armar uma coalizão regional anti-Irã, e a determinação freqüentemente repetida do presidente de negar ao Irã a capacidade nuclear, há um perigo crescente que a atual confrontação EUA-Irã possa passar nos meses vindouros de retórica severa e sanções econômicas para a ação militar. A invasão por parte das forças militares dos EUA de um consulado iraniano no norte do Iraque e a detenção de meia dúzia de funcionários do governo de Teerã poucas horas após o pronunciamento do presidente somente destaca o perigo dessa escalada."

Apenas para garantir que o Irã entendeu o recado que ele está na mira de Bush, o novo Secretário da Defesa Robert Gates disse claramente ao mundo que o Irã é o alvo do programa de "reforços" do presidente Bush.

Resumo da Notícia: "Gates: O Irã é o alvo do reforço militar: Imenso deslocamento militar para o Golfo é ominoso, propaganda dos neocon está sendo formada", Steven Watson, InfoWars, 15 de janeiro de 2007.

"O Secretário da Defesa Robert Gates anunciou hoje que o incremento maciço no poder militar no Golfo Pérsico está dirigido diretamente contra o Irã. Os comentários de Gates seguem um fim de semana de forte retórica por parte de muitas figuras da liderança dos neoconservadores, sinalizando que a mínima centelha poderá provocar uma imensa escalada no conflito no Oriente Médio... Gates disse que mísseis antimíssil Patriot, porta-aviões e navios lançadores de mísseis de cruzeiro foram mobilizados de modo a mostrar ao Irã que os EUA querem manter seu comércio e não serão distraídos pelas agitações no Iraque. O aumento nos reforços está ocorrendo já há várias semanas e não mostra sinais de ser uma simples advertência."

"Os mísseis Patriot têm o objetivo de derrubar os mísseis iranianos. As forças navais estão ali para impedir qualquer interferência dos iranianos nos embarques do petróleo, que sofreriam retaliações imediatas em resposta a qualquer ataque."

Mais informações estão disponíveis no site do DebkaFile Intelligence (www.debka.com)

Resumo da Notícia: "Fontes militares do DebkaFile: O porta-aviões USS Stennis, com milhares de soldados e 80 aviões a bordo navega em direção ao Golfo Pérsico", DebkaFile Intelligence, 21 de janeiro de 2007.

"Sábado, 20 de janeiro, o navio apanhou 2.500 soldados em San Diego. O grupo de batalha do Stennis ainda precisa se encontrar com dois outros navios no Havaí antes de se dirigir ao oriente com um complemento de 6.500 soldados."

Alguns informes de notícias indicam que a adminstração Bush planeja ter todos os elementos em suas posições para um ataque ao Irã por volta de abril, antes de o primeiro-ministro britânico Tony Blair deixar o cargo; evidentemente, o presidente Bush deseja garantir que o governo britânico apoiará qualquer ataque que ele perpetrar contra o Irã, e isso significa que ele terá de realizar esse ataque antes de Blair deixar o cargo de primeiro-ministro em abril.

A Rússia Traça uma 'Linha na Areia' Contra a América

A grande questão na minha cabeça é se a Rússia permitirá que a América ou Israel perpetrem um ataque eficaz contra o Irã. Para muitos leitores, essa afirmação pode parecer um absurdo, pois todos crescemos ouvindo a propaganda mentirosa que a capacidade militar americana é de primeira classe e de longe a melhor do mundo. Logicamente, a Cutting Edge tem ensinado a verdade, conforme aprendeu principalmente com os livros do tenente-coronel Beardon e seu ensino sobre os armamentos escalares. Cerca de dois anos atrás, o homem do tempo da rede NBC, Scott Stevens, revelou que ganhara todos os prêmios por sua exatidão na previsão do tempo porque tinha aprendido a ler a assinatura escalar nos céus; com isso ele confirmou muito do trabalho do ten-cel Beardon.

Finalmente, agradecemos ao ex-Secretário da Defesa William Cohen por sua grande revelação sobre as armas eletromagnéticas que nossos 'inimigos' possuem. Ouça o Secretário Cohen falar em um seminário sobre terrorismo em 1997; ele fala sobre as capacidades de nossos inimigos; os "outros" referidos aqui são os "outros inimigos":

"Outros estão envolvidos até em um tipo ecológico de terrorismo, por meio do qual podem alterar o clima, produzir terremotos e vulcões remotamente, por meio do uso de ondas eletromagnéticas."

Essas "ondas eletromagnéticas" às quais ele está se referindo aqui são as ondas eletromagnéticas escalares russas, que são a força mais poderosa no mundo. A tecnologia americana de ondas eletromagnéticas é HAARP, que é decididamente inferior à tecnologia das ondas escalares russas. O quão inferior? Veja a explicação dada pelo coronel Byron Weeks:

"A assim-chamada América Imperial muito provavelmente não tem os meios de apoiar suas várias tentativas de controlar o mundo. Somos mais fracos agora do que nunca antes. As bravatas de Bush são vazias e, mesmo que tenhamos o canhão de Tesla, a Rússia e a China também o têm, e a Rússia tem armas escalares eletromagnéticas há mais tempo — tempo suficiente para ter experimentado e testado várias formas delas muitas vezes. Mas embora evidentemente os EUA tenham alguns armamentos energizados por HAARP, o físico e ten-cel Thomas Beardon diz que não temos muito, se é que temos, e nossos armamentos escalares ainda não estão prontos para serem usados eficientemente..."

"Se atacadas, nossas forças terrestres estarão tão vulneráveis quanto patinhos sentados, lá no deserto árido e quente, e sem ter aonde se esconder. As cidades e os antigos sistemas ABM não nos protegerão. Se atacarmos o Iraque, o que agora parece ser inevitável, podemos esperar sermos atacados por todos os lados, com bombas nucleares, EMPs, e ondas do interferômetro eletromagnético longitudinal que virão sobre nós como fogo do céu. A América queimará no fogo..."

Agora, veja como o ten-cel Beardon descreve os principais sistemas de armamentos da América — que estão neste exato momento a caminho do Golfo Pérsico — versus o sistema de armamentos de ondas eletromagnéticas escalares da Rússia:

"Temos radares terrestres, interceptores endoatmosféricos, interceptores exoatmosféricos, sensores aéreos, sensores colocados no espaço, interceptores de propulsão química, pistolas eletromagnéticas, armas de feixe de partículas, lasers de alta energia, amarrados todos juntos por sistemas maciços de controle e de comando... Sistemas maciços. Maravilhas eletromagnéticas. Lasers nucleares de poder surpreendente. Talvez até lasers de raios-X e de raios gama. Armas de radiofreqüência de energia dirigida. Railguns estupendos. Sensores em toda a parte. Redes gigantes de comunicações. Bancos de computadores e sistemas de controle."

"E tudo isso está vulnerável aos armamentos de interferômetro eletromagnético. 'Radares' eletromagnéticos escalares gigantes podem simplesmente passar por tudo isso como uma foice pelo meio do feno." [Fer De Lance, Ibidem, pág. 331].

Essas palavras são bem fortes, você não acha? As armas escalares russas podem simplesmente fazer uma varredura sobre tudo isso com uma foice no feno.

Outro especialista bem-respeitado sobre armamento escalar — que deseja permanecer anônimo — ecoou esses sentimentos acima, mas de uma maneira florida e memorável. Veja:

"A América está indo à guerra no Oriente Médio de modo a ser totalmente destruída!"

Para saber os detalhes completos de como os EUA estão atrasados na tecnologia de armamentos avançados, leia os dois artigos "Uma Visão da Tecnologia do Armamento Escalar — Parte 1: O Imperador Está Nu" e "Parte 2: O Alinhamento Profético", em N1776 e N1766b

Agora que sabemos o quão superior é o armamento escalar russo em relação ao armamento HAARP dos EUA, vamos para o cerne deste artigo.

Permitirá a Rússia Que os EUA ou Israel Realizem um Ataque Bem-Sucedido ao Irã?

Poucas pessoas fora do círculo de leitores dos artigos da Cutting Edge sabem que o presidente russo Putin "traçou uma linha na areia" contra o presidente Bush em 12 de abril de 2003, ao mesmo tempo em que os americanos estavam celebrando uma vitória fácil em Bagdá. Em 12 de abril de 2003, apenas alguns dias após as Forças da Coalizão terem capturado Bagdá, o presidente Putin subiu a um pódio e traçou uma longa linha na areia contra o presidente Bush. Não mais, disse Putin, não mais permitiremos que vocês invadam um país para forçar uma 'mudança de regime'. Com os presidentes da França e da Alemanha atrás dele, Putin disse ao presidente Bush para retroceder.

Resumo da Notícia: "Nenhum ataque a outros países, Putin adverte os EUA", Sify News, 12 de abril de 2003.

"São Petersburgo — O presidente russo Vladimir Putin advertiu na sexta-feira a coalizão liderada pelos EUA a não atacar outros países sob o pretexto de promover valores capitalistas e democráticos após ter derrotado o regime ditatorial do Iraque. 'Não vamos exportar revoluções capitalistas e democráticas', disse o líder russo aos repórteres, ao mesmo tempo em que os rumores em Washington dão conta que alguns elementos da administração dos EUA estão ruminando o lançamento de operações militares contra outros países do Oriente Médio. 'Se fizermos isso, vamos terminar em uma ladeira escorregadia de conflitos militares intermináveis. Não podemos permitir que isso aconteça', disse Putin em uma conferência conjunta à imprensa com o chanceler alemão Gerhard Schröeder e o presidente francês Jacques Chirac, após manter conversações com eles."

Naquele tempo, as forças americanas estavam ativas no Golfo Pérsico e no Oceano Índico, a Força Aérea estava poderosamente estacionada em todo o Oriente Médio e as forças terrestres tinham acabado de derrotar os guardas de Saddam Hussein. Os políticos americanos estavam insultando os líderes do Irã, dizendo: "Vocês serão os próximos". Porém, misteriosamente, as forças americanas não atacaram e, ao longo de um período de vários meses, foram sendo gradualmente reduzidas.

Por que o ataque não foi realizado naquele tempo? Porque os líderes da Rússia, da Alemanha e da França tinham advertido fortemente contra aquele ataque, a Rússia controlava o armamento escalar, o mais poderoso do mundo, o tipo de armamento que pode simplesmente "fazer uma varredura" sobre todos os sistemas de armamentos norte-americanos como uma "foice que passa por um monte de feno".

Desde 12 de abril de 2003, a Rússia assumiu a responsabilidade pela proteção da Síria e do Irã. Ela forneceu o mesmo tipo de proteção antiaérea para alvos selecionados do Irã e da Síria que existe para cidades russas como Moscou. A Rússia audaciosamente forneceu ao Irã instalações nucleares que supostamente são de preocupação para o presidente Bush e outros líderes ocidentais. O Irã está protegido pelo armamento escalar russo, o mais avançado que existe no mundo.

Neste ponto, vale a pena tomar nota de dois eventos recentes. Primeiro, o presidente russo reitera sua advertência feita em 12 de abril de 2003:

Resumo da Notícia: "Uso de força para solucionar conflito no Oriente Médio é inaceitável — Putin", Interfax Information Services, 21 de janeiro de 2007.

"21 de janeiro (Interfax) — O presidente Vladimir Putin chamou de inaceitável o uso da força para a solução dos conflitos no Oriente Médio. 'O uso da força é inaceitável', ele disse em uma conferência conjunta de imprensa com a chanceler alemã Angela Merkel, em Sochi, no domingo... Ele disse que a Rússia e a Alemanha procuram a solução dos problemas no Oriente Médio de uma forma franca e honesta. 'Estamos trabalhando de forma construtiva e unindo nossos esforços', ele disse."

Acho altamente instrutivo que Putin tenha atualizado sua advertência anterior tendo a chanceler alemã a seu lado. Desta vez, a chanceler é Angela Merkel e não mais Schröeder — mas o efeito é o mesmo — colocar a força e a autoridade do governo alemão atrás da Rússia de Putin.

Lembre-se também do momento em que Putin fez esses comentários. O presidente Bush e os membros de seu governo estão advertindo o Irã há várias semanas sobre o quão duros os EUA serão e como estão agora deslocando um imenso poder militar para a região para apoiar essas severas advertências.

Com essa estrutura de tempo também em mente, considere esta matéria recente de notícias:

Resumo da Notícia: "A Rússia conclui a entrega do sistema de defesa aérea ao Irã — Ministro da Defesa Ivanov", Russian News & Information Agency, 16 de janeiro de 2007.

"Moscou, 16 de janeiro (RIA Novosti). A Rússia concluiu o fornecimento dos sistemas de mísseis antiaéreos Tor-M1 ao Irã, disse o ministro da defesa na terça-feira. 'Fornecemos modernos sistemas de mísseis antiaéreos de médio alcance sob um contrato'... Sergei Ivanov disse, acrescentando que Moscou continuará a desenvolver cooperação militar e técnica com Teerã. A Rússia se propôs a fornecer 29 sistemas de mísseis Tor-M1 ao Irã em um contrato de 700 milhões de dólares assinado no fim de 2005. Os Estados Unidos protestaram contra o negócio, temendo que ele possa fortalecer as capacidades militares da República Islâmica, classificada por Washington como um 'estado delinqüente' e parte do 'eixo do mal'".

"A Rússia insiste que o contrato para o fornecimento dos mísseis Tor-M1 ao Irã foi concluído dentro das leis internacionais, e que o sistema é voltado unicamente para propósitos defensivos."

É extremamente importante observar que a Rússia anunciou a entrega final desse sofisticado sistema de defesa aérea convencional bem no meio da confusa controvérsia provocada pela retórica americana e do deslocamento de unidades navais e de unidades do Corpo de Fuzileiros para os mares na costa iraniana. A Rússia parece estar enviando uma sutil mensagem à América, que ela agirá de forma vigorosa para defender o Irã de qualquer ataque, seja ele iniciado pelos EUA ou por Israel.

Se esse for o caso, o presidente Bush provavelmente recuará mais uma vez, deixando toda essa triste situação como mais um "rumor de guerra".

Conseguimos ver somente dois cenários que poderão transformar esta situação volátil em uma guerra real:

1) Se os Illuminati decidiram que agora é a hora de provocar a guerra total regional que dará início à Terceira Guerra Mundial, que está planejada para produzir o Cristo maçônico na cena internacional. O ataque ao Irã certamente daria início a essa guerra;

2) Se o presidente Bush liderará a América em um conflito desastroso que terminará de forma muito má para as forças americanas. Antes que você zombe dessa possibilidade, lembre-se de dois fatos:

  1. O especialista anônimo em armamento escalar disse: "A América está indo à guerra no Oriente Médio de modo a ser totalmente destruída!" Se esse é o plano dos Illuminati, então o presidente Bush, que é um membro da sociedade secreta Caveira e Ossos, alegremente levará as forças americanas a essa direção;

  2. Talvez tenha chegado o tempo de desacreditar totalmente o presidente Bush para que ele seja logo removido do poder. Alguns políticos democratas já começaram a fazer ameaças de impeachment se Bush continuar com as provocações ao Irã. A Cutting Edge começou a soar o alarme que o plano dos Illuminati poderia deliberadamente desacreditar o presidente Bush de modo a desacreditar de forma permanente a doutrina da soberania nacional e o cristianismo fundamentalista.

Como sabemos que o Irã já possui armas nucleares desde 2002, percebemos que todos os líderes políticos ocidentais estão provocando os temores sobre o Irã possuir armas nucleares simplesmente como um plano de propaganda. (Para mais informações sobre isso, leia no sítio da Cutting Edge os artigos N1660, "Mushroom Clouds Over The Middle East" e N2120, 'Nuclear Armed Iran vs. Nuclear Armed America: Whom Should The World Fear?).

Como os líderes ocidentais sabem que o Irã não tem planos de transformar suas instalações de energia nuclear em fábricas de bombas atômicas — uma vez que ele já adquiriu essas bombas de terceiros — compreendemos que toda essa retórica é pura propaganda para deixar a população aflita, como a profecia bíblica prediz. Além disso, o cenário ficará armado para a verdadeira guerra declarada que dará início à Terceira Guerra Mundial.

Estamos neste ponto agora? Teremos de esperar para ver.

Gostaríamos de finalizar este artigo com uma nota sobre a invasão a Israel liderada pela Rússia, como predito em Ezequiel 38-39. Observe o papel reservado para a Rússia:

"Veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo: Filho do homem, dirige o teu rosto contra Gogue, terra de Magogue, príncipe e chefe de Meseque, e Tubal, e profetiza contra ele." [versos 1-2].

O verso 2 identifica positivamente a principal protagonista dessa invasão como sendo a Rússia.

  1. "Rosh" (traduzido no texto bíblico como 'chefe') é o antigo nome para o país que hoje chamamos de Rússia;
  2. "Meseque" é a forma-raiz para o nome da cidade de Moscou;
  3. "Tubal" é o nome de um dos rios principais da Rússia e Ucrânia. O rio Tubal é um dos mais importantes do mundo.

Os versos 4-6 nos dizem que esse exército será monstruoso. Deus usa termos como "uma grande multidão" e "Gomer e todas as suas tropas", um "grande ajuntamento e um poderoso exército" (verso 15) para descrever o tamanho dessa força militar, que parecerá ser invencível quando marchar até as fronteiras de Israel.

Na lista de nações que acompanharão a Rússia, observe que em sua maioria são nações islâmicas:

"E te farei voltar, e porei anzóis nos teus queixos, e te levarei a ti, com todo o teu exército, cavalos e cavaleiros, todos vestidos com primor, grande multidão, com escudo e rodela, manejando todos a espada; persas, etíopes, e os de Pute com eles, todos com escudo e capacete; Gômer e todas as suas tropas; a casa de Togarma, do extremo norte, e todas as suas tropas, muitos povos contigo." [versos 4-6].

Considere os nomes modernos dessas nações:

Em seguida, no verso 7, vemos que Deus quer que a Rússia (Gogue) seja o líder de todos esses exércitos.

"Prepara-te, e dispõe-te, tu e todas as multidões do teu povo que se reuniram a ti, e serve-lhes tu de guarda."

Como as nações que se unirão à Rússia para essa invasão a Israel nos últimos dias farão isso de forma voluntária, elas precisarão ter a confiança nas capacidades de liderança da Rússia e em seu sistema de armamentos. Se a Rússia não conseguir defender plenamente o Irã contra os ataques de Israel ou dos EUA, você acha que esses países islâmicos terão confiança de que a Rússia é a nação que os liderará de forma bem-sucedida contra Israel no fim dos dias?

Por essa razão, acredito que qualquer ataque ao Irã terá um sucesso apenas limitado, se não for um fracasso total, e definitivamente não resultará na queda do governo linha-dura iraniano. Poderemos até mesmo ver algumas aberturas inesperadas do Irã destinadas a aplacar o presidente Bush e desarmá-lo politicamente.

Estamos em um momento delicado, pois a profecia bíblica estará sendo cumprida, ou o cenário estará sendo armado para o cumprimento delas.



Você está preparado espiritualmente? Sua família está preparada? Você está protegendo seus amados da forma adequada? Esta é a razão deste ministério, fazê-lo compreender os perigos iminentes e depois ajudá-lo a criar estratégias para advertir e proteger seus amados. Após estar bem treinado, você também pode usar seu conhecimento como um modo de abrir a porta de discussão com uma pessoa que ainda não conheça o plano da salvação. Já pude fazer isso muitas vezes e vi pessoas receberem Jesus Cristo em seus corações. Estes tempos difíceis em que vivemos também são tempos em que podemos anunciar Jesus Cristo a muitas pessoas.

Se você recebeu Jesus Cristo como seu Salvador pessoal, mas vive uma vida espiritual morna, precisa pedir perdão e renovar seus compromissos. Ele o perdoará imediatamente e encherá seu coração com a alegria do Espírito Santo de Deus. Em seguida, você precisa iniciar uma vida diária de comunhão, com oração e estudo da Bíblia.

Se você nunca colocou sua confiança em Jesus Cristo como Salvador, mas entendeu que ele é real e que o fim dos tempos está próximo, e quer receber o Dom Gratuito da Vida Eterna, pode fazer isso agora, na privacidade do seu lar. Após confiar em Jesus Cristo como seu Salvador, você nasce de novo espiritualmente e passa a ter a certeza da vida eterna nos céus, como se já estivesse lá. Assim, pode ter a certeza de que o Reino do Anticristo não o tocará espiritualmente. Se quiser saber como nascer de novo, vá para nossa Página da Salvação agora.

Esperamos que este ministério seja uma bênção em sua vida. Nosso propósito é educar e advertir as pessoas, para que vejam a vindoura Nova Ordem Mundial, o Reino do Anticristo, nas notícias do dia-a-dia.

Fale conosco direcionando sua mensagem a um dos membros da equipe de voluntários.

Se desejar visitar o site "The Cutting Edge", dê um clique aqui: http://www.cuttingedge.org

Que Deus o abençoe.

Data de publicação: 1/2/2007
Patrocinado por: J. S. L. e M. R. D. S. L. — Sorocaba / SP
Revisão: V. D. M. — Campo Grande / MS e http://www.TextoExato.com
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/n2183.asp