A Ausência de Moralidade na Nova Ordem Mundial

Autor: Jeremy James, Irlanda, 28/11/2018.

Em todos os ensaios nesta série procuramos destacar o caos e desordem que a Elite está usando para destruir as instituições sociais e políticas existentes e impor um sistema totalitário de governo mundial.

Tantamos também mostrar o quão profundamente amoral a Nova Ordem Mundial será. A Elite não reconhece valores, exceto os seus próprios, os quais estão enraizados na magia babilônia (que é melhor conhecida com disfarces como Gnosticismo, Cabala, Maçonaria, Rosa-Cruz e Teosofia). Eles desprezam os valores éticos da Bíblia e se esforçam, onde possível, para apagá-los dos códigos das leis. Eles até sentem prazer em zombar desses valores e expô-los à ridicularização. Isto tudo é parte de uma estratégia que os marxistas chamam de Desmoralização.

Desmoralização

A moral e a moralidade têm muito em comum. Uma sociedade desmoralizada sofre de uma contração de ambas, onde o homem comum perde a confiança na durabilidade da sociedade e nos valores que a sustentam. Os marxistas usam isto para induzir um senso de desesperança e impotência. Isto leva à formação de grupos que buscam seus próprios interesses, visando sua própria proteção. Muitos desses grupos veem os outros grupos similares como ameaças potenciais e trabalham para solapá-los. A polarização resultante cria tensões sociais e políticas que se intensificam com o passar do tempo. É assim que o Marxismo transforma uma sociedade coesa, baseada em valores comuns e em um senso comum de propósito, em uma sociedade dividida pela dúvida, animosidade e alienação.

Tanto a Europa quanto as Américas hoje estão grandemente desmoralizadas. A pessoa mediana está menos inclinada do que nunca a defender os valores que construíram suas respectivas nações. A Elite está explorando essa letargia para levar adiante mudanças que teriam sido impossíveis dez anos atrás. Por exemplo, em 25 de maio de 2018 foi realizado na Irlanda um referendo nacional a respeito da legalização do aborto. Nunca na história um país votou pela aprovação de matar uma proporção substancial de suas próprias crianças — a próxima geração e o futuro da nação! — porém o povo da Irlanda fez exatamente isso, por uma ampla maioria.

As igrejas se levantaram em indignação? Protestaram vigorosamente contra esta obcenidade? Posicionaram-se a favor da Palavra de Deus e em oposição à cabala luciferiana que controla a Irlanda? É claro que não. Uma nação desmoralizada não faz nada disso. Para tomar alguma ação, nossos pastores precisariam ver este mal por aquilo que ele é, mas não fizeram isto! Ao revés, preferiram interpretar a Palavra de Deus por padrões modernos. Esta é a desculpa que eles estão usando agora para justificar sua perversa desconsideração por aquilo que a Bíblia ensina de forma bem clara.

Pensamento Mágico

Quando uma sociedade alcança este ponto ela é facilmente enganada. O indivíduo perde a coragem e a autoconfiança para condenar aquilo que seu senso comum lhe diz que é errado. Pouco a pouco, ele é ensinado a acreditar que o conteúdo moral de qualquer decisão é definido pelo contexto social. Ele acredita que não é mais necessário, ou sequer possível, pensar em termos de certo ou errado. O julgamento da pessoa é guiado, ao contrário, por normas comumente aceitas de comportamento social.

Podemos pensar que isto afeta somente nossa atitude em relação à moralidade, mas não é assim. Nossa compreensão da realidade também é afetada. Um universo que é moralmente flexível pode também ser flexível de outras formas. Em vez de pensar em termos de causa e efeito — os blocos de construção da razão humana — o indivíduo está disposto a aceitar conexões quase mágicas ou inexplicáveis entre os eventos. Isto é normal para uma criança de cinco anos, mas quando uma pessoa faz isso aos 25 anos, sabemos que ela está pensando como uma criança. Esse modo juvenil de pensar é, provavelmente, mais evidente entre os adultos jovens, que acreditam seriamente que toda a criação poderia ser uma simulação digital no ciberespaço.

Já escrevemos sobre o pensamento mágico e suas implicações para a sociedade (leia o artigo A Técnica de Controle Mental Conhecida como Pensamento Mágico). Embora isto tenha sempre sido um aspecto da nossa condição humana caída, nunca foi explorado no passado na escala que estamos vendo hoje.

A Bíblia realmente fala disto em muitas passagens mas, tanto quanto podemos dizer, poucos expositores já mostraram o quão vividamente isto se aplica à vida moderna. Sempre que a Bíblia repete alguma coisa, o Espírito Santo está salientando sua importância. Uma das frases mais repetidas na Palavra de Deus é aquela que o próprio Jesus citou em Mateus 13:

"Por isso lhes falo por parábolas; porque eles, vendo, não veem; e, ouvindo, não ouvem nem compreendem. E neles se cumpre a profecia de Isaías, que diz: Ouvindo, ouvireis, mas não compreendereis, e, vendo, vereis, mas não percebereis. Porque o coração deste povo está endurecido, e ouviram de mau grado com seus ouvidos, e fecharam seus olhos; para que não vejam com os olhos, e ouçam com os ouvidos, e compreendam com o coração, e se convertam, e eu os cure." [Mateus 13:13-15].

A frase, é claro, é "... não ver com os olhos e não ouvir com os ouvidos".

Aqui está a passagem em Isaías, referenciada por Jesus:

"Depois disto ouvi a voz do SENHOR, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Então disse eu: Eis-me aqui, envia-me a mim. Então disse ele: Vai, e dize a este povo: Ouvis, de fato, e não entendeis, e vedes, em verdade, mas não percebeis. Engorda o coração deste povo, e faze-lhe pesados os ouvidos, e fecha-lhe os olhos; para que ele não veja com os seus olhos, e não ouça com os seus ouvidos, nem entenda com o seu coração, nem se converta e seja sarado." [Isaías 6:8-10].

A mesma verdade espiritual também pode ser encontrada em Jeremias e Ezequiel, bem como em duas outras passagens em Isaías:

"Ouvi agora isto, ó povo insensato, e sem coração, que tendes olhos e não vedes, que tendes ouvidos e não ouvis." [Jeremias 5:21].

"Filho do homem, tu habitas no meio da casa rebelde, que tem olhos para ver e não vê, e tem ouvidos para ouvir e não ouve; porque eles são casa rebelde." [Ezequiel 12:2].

"Trazei o povo cego, que tem olhos; e os surdos, que têm ouvidos." [Isaías 43:8].

"Trazei o povo cego, que tem olhos; e os surdos, que têm ouvidos." [Isaías 44:18].

Isto também pode ser encontrado nos outros Evangelhos e no livro de Atos dos Apóstolos:

"Para que, vendo, vejam, e não percebam; e, ouvindo, ouçam, e não entendam; para que não se convertam, e lhes sejam perdoados os pecados." [Marcos 4:12].

"E ele disse: A vós vos é dado conhecer os mistérios do reino de Deus, mas aos outros por parábolas, para que vendo, não vejam, e ouvindo, não entendam." [Lucas 8:10].

"E, ainda que tinha feito tantos sinais diante deles, não criam nele; para que se cumprisse a palavra do profeta Isaías, que diz: Senhor, quem creu na nossa pregação? E a quem foi revelado o braço do Senhor? Por isso não podiam crer, então Isaías disse outra vez: Cegou-lhes os olhos, e endureceu-lhes o coração, a fim de que não vejam com os olhos, e compreendam no coração, e se convertam, e eu os cure." [João 12:37-40].

"Dizendo: Vai a este povo, e dize: De ouvido ouvireis, e de maneira nenhuma entendereis; e, vendo vereis, e de maneira nenhuma percebereis." [Atos 28:26].

Claramente, a verdade espiritual em questão é de grande importância. Ela também é repetida em várias passagens que condenam a idolatria, em se diz que os ídolos têm ouvidos, mas não ouvem, e têm olhos, mas não veem. Salmos 115 e 135 dizem claramente que os dois estão conectados:

"Semelhantes a eles se tornem os que os fazem, e todos os que confiam neles." [Salmos 135:18].

A idolatria e a cegueira espiritual caminham juntas. A chave para esta verdade profunda pode ser encontrada em Deuteronômio:

"Porém não vos tem dado o SENHOR um coração para entender, nem olhos para ver, nem ouvidos para ouvir, até ao dia de hoje." [Deuteronômio 29:4].

Aqui o Senhor está dizendo expressamente que o povo escolhido pode ouvir com seus ouvidos e ver com seus olhos somente porque Ele lhes deu a capacidade de fazerem isso.

O apóstolo Paulo explica que essa falha surgiu "... porque não receberam o amor da verdade para se salvarem." [2 Tessalonicenses 2:10]. Portanto, "como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm." [Romanos 1:28].

A mente réproba (um sentimento perverso) pode ser encontrada por toda a parte hoje! Ela é a mente desta época, a mente que Satanás é especialista em manipular.

A Mente Réproba

Os cristãos nascidos de novo, isto é, aqueles que já receberam o amor da verdade, têm ouvidos que ouvem e olhos que veem. Isto é o que os capacita a discernir e evitar tantas das mentiras e engodos produzidos pelo Maligno. Essa capacidade é dada por Deus, não é um atributo natural.

A palavra grega adokimos, que é traduzida como "réprobo" significa inadequada para propósito, falsificada, testada e achada em falta, inútil. Essas mentes gradualmente se desviam em direção a comportamento que é vergonhoso e degradante (veja Romanos 1:28).

Precisamos nos lembrar que virtualmente toda a ciência atual é produzida por mentes desse tipo. Ela é conduzida, em grande parte, por homens e mulheres que não gostam de reter Deus em seu entendimento, exatamente como Romanos 1:28 nos diz. De fato, a total exclusão de Deus de todo o discurso científico é um aspecto básico da ciência moderna. Todavia, a sociedade réproba quer que acreditemos nos muitos pronunciamentos da ciência, independente de quão sem sentido ou pretenciosos eles possam parecer.

A Palavra de Deus está a nos dizer que uma mente réproba está totalmente aberta para a enganação, que o homem em seu estado natural é facilmente enganado por teorias e ideias que agradam sua natureza caída. Ele não pode ver que está sendo enganado e resistirá aos esforços de qualquer um que tentar mostrar o contrário. Ouvindo, ele não compreenderá, e vendo, não verá.

Vejamos um exemplo recente.

A foto seguinte mostra uma ponte com uma série de buracos em sua superfície em intervalos regulares:

De acordo com a explicação oficial, devemos compreender que esse estrago foi causado por um incêndio na floresta. Muitos leitores podem se perguntar como isto foi possível. É muito difícil ver como um incêndio na floresta possa produzir estragos desse tipo no asfalto e em uma plataforma de concreto. Uma série de buracos foi "perfurada" na superfície com força considerável ou arrancada por uma forte fonte de calor que incidiu somente sobre áreas selecionadas.

A ponte, que está em Malibu, na Califórnia, supostamente sofreu esse estrago durante os recentes "incêndios descontrolados".

Temperaturas e os Pontos de Derretimento

Com que intensidade o fogo na madeira queima? Esta é uma questão óbvia que todos deveriam perguntar. Alguns leitores podem estar familiarizados com os produtores de carvão de antigamente, que produziam o combustível necessário para derreter o aço. O fogo da madeira somente não é suficiente. É por isto que nos tempos antigos a madeira era primeiro convertida em carvão vegetal, cozinhando-a lentamente em um forno durante vários dias. Embora um fogo em madeira possa produzir uma temperatura em torno de 600 graus centígrados, o fogo do carvão pode alcançar 1.100 graus, ou mais.

Mencionamos este fato histórico para mostra que o estrago causado na ponte não pode ter sido produzido pela madeira queimada. Como o aço, o concreto precisa ser submetido a temperaturas muito acima de 600 graus antes de começar a se degradar. Além disso, a intensidade do calor precisa ser prolongada, até penetrar no interior do concreto.

Portanto, o que causou o estrago estrutural na ponte? Se os buracos foram produzidos por um feixe concentrado de energia intensa, a fonte precisa ter sido mais poderosa do que um raio! Além disso, ela precisa ter atingido a ponte várias vezes e em intervalos regulares, o que não é algo que normalmente esperaríamos ver na natureza.

Por outro lado, esperaríamos esse tipo de efeito de um armamento produzido pelo homem.

Sabemos que esses armamentos já existem e que versões avançadas já foram desenvolvidas e testadas pelos fabricantes de armas, como a Lockheed Martin. Por exemplo, essa empresa tornou público uma arma laser de baixa intensidade que foi capaz de perfurar uma chapa metálica a uma distância de 1,6 km.

Acredita-se que as armas laser militares realmente poderosas sejam capazes de produzir pulsos de energia de intensidade muito maiores, suficientes para cortar uma camada espessa de concreto em uma fração de segundo.

Não podemos provar que a ponte foi atingida por uma arma de energia direcionada, mas esta é uma hipótese que faz sentido. Se foi, então os incêndios em Malibu, na Califórnia, foram causados de forma deliberada e ampliados por um grupo clandestino. Vamos examinar mais algumas evidências fotográficas que parecem suportar essa hipótese.

A foto acima à esquerda mostra outra cena após os incêndios de Malibu. Que fonte de calor é capaz de queimar tantos carros, derreter pneus, ao mesmo tempo que deixa os cabos de energia e telefônicos acima deles intactos? Um fogo na floresta queima de forma indiscriminada, consumindo tudo em seu trajeto. Por que, então, árvores e postes com cabos telefônicos permaneceram de pé?

A foto acima e à direita faz levantar perguntas similares. Se veículos metálicos foram incinerados e deformados desse modo, a fonte de calor precisa tê-los envolvido completamente. Se esse foi o caso, então por que o fogo não queimou totalmente os galhos de árvores que estavam acima deles?

Os veículos nas fotos seguintes mostram o quão intensa e uniforme deve ter sido a onda de calor, pois ela realmente queimou as chapas de cromo nas rodas e outros componentes — observe o líquido prateado que está sobre o asfalto:

O ponto de derretimento do cromo é em torno de 1.900 graus centígrados. Mesmo se as placas de cromo fossem uma liga com um ponto de derretimento mais baixo (o que é duvidoso), a temperatura relevante ainda estará muito acima de qualquer coisa que a madeira incendiada poderia produzir!

As casas incineradas na segunda foto na página seguinte dão a impressão que elas foram selecionadas para serem destruídas. Não há evidência de marcas de fogo nas proximidades. As árvores vizinhas não foram afetadas. A cena é tão contraditória que não está claro como um "incêndio descontrolado" poderia ter alcançado as casas.

Dado aquilo que vimos até aqui, podemos inferir sensatamente que um "incêndio descontrolado" nunca alcançou as casas, mas que elas foram atingidas do alto, por uma fonte de calor tão poderosa que elas simplesmente se desintegraram. Até um incêndio normal em uma casa deixaria as paredes intactas, mas as paredes dessas casas foram reduzidas a pó.

A foto abaixo é exatamente tão anômala quanto qualquer outra que já consideramos até aqui. Como um "incêndio descontrolado" atinge as casas nos dois lados da rua sem queimar as árvores que estão na frente delas? Como uma casa escapou totalmente incólume, enquanto as casas vizinhas foram reduzidas a um amontoado de cinzas? E como o incêndio conseguiu atravessar a rua sem deixar qualquer vestígio de fuligem, cinzas ou entulho queimado?

Qualquer um que examine a evidência e ainda acredite que um "incêndio descontrolado" produziu os efeitos que vimos está envolvido em pensamento mágico. (Veja nosso ensaio intitulado A Técnica de Controle Mental Conhecida como Pensamento Mágico.)

Em um mundo em que o pensamento mágico predomina, há uma ausência acentuada de ceticismo saudável. Quando conexões saudáveis podem aparecer como mágica, do nada, e explicar o inexplicável, exatamente como fazem nos filmes de ficção científica e desenhos animados infantis na televisão, não há incentivo para duvidar de qualquer coisa que os especialistas nos digam. A mídia de massa e as indústrias do entretenimento programaram com sucesso o público para aceitar a visão do consenso, mesmo quando não a compartilhamos. Isto torna difícil, se não impossível, debater uma proposição que esteja em conflito com essa visão. Depois de um tempo, até mesmo as mentes vívidas perdem a capacidade de fazer perguntas óbvias.

Dissonância Cognitiva

A Elite sabe que, sempre que uma pessoa começa a fazer as perguntas óbvias e chega a respostas que estão em conflito com sua cosmovisão convencional, ela experimentará aquilo que é conhecido como dissonância cognitiva. Como nos sentimos seguros dentro do ambiente familiar da nossa cosmovisão arraigada (em que os governos nunca mentem) geralmente nos desviamos das perguntas constrangedoras e evitamos a dissonância cognitiva que as acompanha.

Infelizmente, esta não é a abordagem bíblica. Para sermos fiéis à Palavra de Deus, precisamos continuar a fazer as perguntas óbvias e ver para onde elas levam. Um cristão que utiliza o pensamento mágico não está mais confiando no Deus Todo-Poderoso e soberano da Bíblia.

Conclusão

Não existe moralidade na Nova Ordem Mundial. Os líderes da N. O. M. farão tudo o que for necessário para alcançar seus objetivos e manter seu calendário de eventos. Se mil cidadãos americanos tiverem de morrer em um incêndio em Malibu, então que assim seja. Outros países já foram submetidos a ataques pirotécnicos similares, como Portugal e Grécia. Não há dúvida que isto continuará enquanto a Elite leva adiante seu plano dentro da Agenda 2030 de reduzir a área geográfica total em que o "gado" humano poderá habitar. Um modo de selecionar o gado é restringi-lo a uma zona cada vez menor de habitação. Isto reduz a fertilidade e torna a população como um todo mais fácil de controlar. Isto também libera a área geográfica para outros propósitos. Alguns comentaristas acreditam que os incêndios em Malibu tiveram o objetivo de criar espaço para um sistema de trânsito de alta velocidade que futuramente conectará as cidades de Los Angeles, San Francisco e Vancouver com Pequim, Xangai e Hong Kong.

Nas fotos acima, junto com incontáveis outras na Internet, podemos ver clara evidência que elementos significativos dentro das forças armadas dos EUA estão agora trabalhando com a Elite para implementar a Nova Ordem Mundial. Eles não têm aliança de fidelidade com os EUA e seu povo.

De acordo com sua filosofia babilônia, a Elite acredita que toda a Terra lhes pertence e que a vindoura Nova Ordem Mundial, depois que estiver formalmente estabelecida, será um reconhecimento aberto desse fato. Eles não estão satisfeitos meramente em governar as nações mais poderosas do mundo por trás dos bastidores, o que já fazem há séculos. O objetivo de longo prazo deles sempre foi a implementação, em escala mundial, do sistema governamental descrito em A República, de Platão, em que um pequeno grupo de "homens sábios" exerce total controle sobre todos os aspectos da vida na Terra.

Na visão deles, o fim justifica os meios. Se, na busca de um objetivo estratégico importante, algum dano colateral sério tiver de ocorrer, então esse é um preço que vale a pena pagar. Logicamente, eles não têm problemas com isto, pois o próprio povo deles raramente é afetado. As massas humanas, o gado, é que precisarão suportar o custo.

Em grande parte, o povo americano esteve indiferente às destruições causadas pela política externa dos EUA em anos recentes, em países como Líbia, Síria, Iêmem, Iraque e Afeganistão. Nunca passou pela cabeça deles que os cérebros que estão por trás desses eventos horríveis possam ter planos similares para EUA também. Também nunca passou pela cabeça deles que as vidas dos cidadãos americanos são tão dispensáveis quanto as vidas dos cidadãos dos países mencionados. A falta de moralidade da Nova Ordem Mundial garantirá que crimes dos tipos mais horríveis continuarão a ser perpetrados pela Elite na busca do objetivo final deles — um sistema totalitário de governo mundial.

Portanto, se muitas vítimas infelizes foram assadas até a morte no interior de seus carros em Malibu e muitas mais foram transformadas em tochas humanas em suas casas em outras partes da Califórnia, a Elite nem quer saber. Perguntas de investigação precisam ser feitas pelas pessoas que até agora nunca duvidaram da boa vontade e integridade de seus políticos e líderes empresariais do mais alto nível.

Imagens em vídeo e evidências fotográficas na Internet oferecem mais do que prova suficiente que o relato oficial dos incêndios em Malibu é falso. Os incêndios não foram um evento natural.

Mas, vendo, as pessoas verão? E ouvindo, ouvirão?

Solicitação Especial

Incentivamos os leitores frequentes a baixarem os ensaios disponíveis neste website para cópia de segurança e consulta futura. Eles poderão não estar disponíveis para sempre. Estamos entrando rapidamente em um tempo em que materiais deste tipo somente poderão ser obtidos via correio eletrônico. Os leitores que desejarem ser incluídos em uma lista para correspondência futura são bem-vindos a me contactar em jeremypauljames@gmail.com. Não é necessário fornecer o nome, apenas um endereço eletrônico.



Autor: Jeremy James, artigo em http://www.zephaniah.eu
Data da publicação: 22/12/2018
Transferido para a área pública em 22/5/2020
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/amoral.asp