Por Que o Maligno Detesta o Arrebatamento Pré-Tribulação?

Autor: Jeremy James, 5 de outubro 2016.

Você já se perguntou por que a doutrina de um Arrebatamento Pré-Tribulação é atacada tão frequentemente e com tanto vigor? A razão é que o Maligno a detesta intensamente.

No ano passado, um DVD intitulado Left Behind or Led Astray? (Deixados para Trás ou Levados para o Caminho Errado?) foi lançado pelos pastores Joe Schimmel e Jacob Prasch que simplesmente trata com desprezo o Arrebatamento Pré-Tribulação e todos os que acreditam nele. Eles mal conseguem conter sua repulsa sempre que soltam uma acusação caluniosa após a outra. Isto continua por quase quatro horas e meia, um espetáculo tão tedioso e odioso que pode até fazer os espectadores pensarem que os autores do documentário estão doidos.

Naquele tempo eu me perguntei por que os inimigos do Arrebatamento Pré-Tribulação apresentariam argumentos tão superficiais. Minha pergunta foi respondida quando a "refutação" oficial apareceu. Essa refutação foi um tratamento comedido do assunto, feita por Lamb and Lion Ministries, um ministério cristão liderado pelo pastor David Reagan, que também aparece como palestrante principal no DVD In Defense of the Pre-Trib Rapture. (Em Defesa do Arrebatamento Pré-Tribulação).

Aparentemente, isto deveria ser um esforço sério por parte da igreja bíblica para defender a Palavra de Deus e o Arrebatamento Pré-Tribulação. Afinal, o Dr. Reagan e sua equipe estavam enfrentando os "malvadões" e dando-lhes aquilo que mereciam. Ou será que não?

Uma Oportunidade Perdida

Além de uma entrevista muito curta no fim com Charles Ryrie, o conteúdo bíblico da obra é mínimo. O Dr. Reagan e sua equipe tiveram uma rara oportunidade para apresentar uma elucidação bíblica e bem fundamentada da doutrina do Arrebatamento Pré-Tribulação para uma audiência receptiva. Eles poderiam ter levado seus espectadores passo a passo por muitas passagens nas Escrituras que ensinam ou implicam essa doutrina. Eles poderiam ter mostrado como ela se encaixa perfeitamente com o plano de salvação do Senhor para a humanidade, a natureza e o papel da igreja, a profecia das Setenta Semanas de Daniel, os muitos eventos do Velho Testamento que prefiguram o Arrebatamento Pré-Tribulação, e muito mais. Em vez disso, eles apresentam argumentos incoerentes, repetitivos e nem um pouco convincente a favor do Arrebatamento Pré-Tribulação, apoiados o tempo todo por vários palestrantes, cujas inserções em muitos casos são tão vagas e repetitivas quanto as deles.

Vamos considerar um exemplo. O DVD de Schimmel-Prasch cita 2 Tessalonicenses 2:1-4 repetidamente como uma "prova" que um Arrebatamento Pré-Tribulação não é biblicamente defensável. A interpretação deles desta passagem é um pilar central em seu argumento e o mais perto que eles chegam de tratar com a questão de uma maneira bíblica. Portanto, por que o Dr. Reagan não mostrou que a interpretação deles estava grosseiramente incorreta e, com isso, destacar para o benefício de seus espectadores o dano que isso infligia no argumemnto deles? Em vez disso, ele perdeu uma porção considerável de seu tempo recitando as afirmações espúrias feitas pelos pastores Schimmel e Prasch — como aquelas relacionadas com uma mulher escocesa com distúrbio mental — e deixou de apresentar uma defesa íblica e coesa da doutrina do Arrebatamento Pré-Tribulação.

Esta é a passagem em 2 Tessalonicenses 2:1-4:

"Ora, irmãos, rogamo-vos, pela vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, e pela nossa reunião com ele, que não vos movais facilmente do vosso entendimento, nem vos perturbeis, quer por espírito, quer por palavra, quer por epístola, como de nós, como se o dia de Cristo estivesse já perto. Ninguém de maneira alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição, o qual se opõe, e se levanta contra tudo o que se chama Deus, ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus." [2 Tessalonicenses 2:1-4].

Os pastores Schimmel e Prasch afirmam em sua exegese que Paulo está ensinando que o Arrebatamento não pode ocorrer a não ser que duas condições tenham sido cumpridas: (1) que a grande apostasia da igreja professa tenha ocorrido e (2) que a identidade do homem de pecado, o Anticristo, tenha sido revelada. O Dr. Reagan refere-se rapidamente a essa afirmativa, mas deixa de mostrar a horrível confusão que os dois pastores fazem com esta passagem.

Aqui está como tratei a questão em um ensaio anterior:

Vamos ver o contexto. Os tessalonicenses estavam grandemente perturbados que o Arrebatamento já tivesse ocorrido (versos 1 e 2). Paulo tenta confortá-los dizendo que suas preocupações eram totalmente infundadas e pede que nunca mais se deixem "mover no entendimento nem se perturbar" por esse tipo de rumor, qualquer que seja a origem. De modo a tranquilizar suas mentes, ele salienta que, tivesse o Arrebatamento já ocorrido e eles tivessem sido deixados para trás, já teriam testemunhado a grande apostasia (o que não tinham) e conhecido a identidade do homem do pecado, o Anticristo (o que também não tinham).

Obviamente, Paulo não estava dizendo que, antes que o Arrebatamento pudesse ocorrer, eles primeiro teriam de testemunhar a grande apostasia e ficar sabendo a identidade do homem do pecado. Ao contrário, estava dizendo exatamente o oposto! Ele estava dizendo que, como a grande apostasia ainda não tinha acontecido e, como o homem do pecado ainda não tinha sido revelado, o Arrebatamento não poderia ter ocorrido.

Poderíamos citar muitas outras ocasiões em que a oportunidade de fazer uma forte declaração em apoio ao Arrebatamento Pré-Tribulação é perdida e algumas observações sem sentido sobre os muitos defeitos evidentes no DVD são feitas no lugar.

Corrie Ten Boom

Vejamos outro exemplo da ambivalência do Dr. Reagan. Bem no início de sua apresentação ele referencia em termos bem calorosos Corrie Ten Boom e apresenta uma grande foto dela — por um total de dez segundos. Entretanto, ele deixa de mencionar que Corrie Ten Boom rejeitava a doutrina de um Arrebatamento Pré-Tribulação em termos bem fortes! É inconcebível que o Dr. Reagan não soubesse disso.

Forte Conteúdo Católico Romano

A Igreja Católica atribui um significado e autoridade quase escriturísticos aos escritos dos assim chamados Pais da Igreja. O Catecismo oficial pode tanto citar um dos Pais da Igreja em suporte às suas doutrinas quanto uma passagem das Escrituras. Por que, então o Dr. Reagan passa tanto tempo discutindo as opiniões dos assim chamados Pais da Igreja — junto com as dos jesuítas e outros apóstatas — e tão pouco tempo citando e explorando a Palavra de Deus?

Mesmo quando menciona Martinho Lutero, o grande inimigo de Roma, ele é rápido para nos lembrar que esse corajoso reformador publicou um obra amargamente antissemita já perto do fim de sua vida. Para que não percamos a insinuação, ele segue sua cáustica observação exibindo uma fotografia de Adolf Hitler. O que isto tem que ver com o Arrebatamento Pré-Tribulação é algo que não é possível compreender.

Um Erro Comum de Interpretação das Escrituras

O Dr. Reagan cita Lucas 21:36, que diz: "Vigiai, pois, em todo o tempo, orando, para que sejais havidos por dignos de evitar todas estas coisas que hão de acontecer, e de estar em pé diante do Filho do homem." Ao fazer isso, ele está reforçando (e endossando) a visão do Arrebamento como um "escape", que os pastores Schimmel e Prasch desprezam. O Dr. Reagan cita esse verso como prova que o próprio Cristo descreveu o Arrebatamento Pré-Tribulação como um "escape". Mas, isto é incorreto.

Vejamos Lucas 21:36 no contexto, com referência ao verso anterior a ele, que diz:

"Porque virá como um laço sobre todos os que habitam na face de toda a terra. Vigiai, pois, em todo o tempo, orando, para que sejais havidos por dignos de evitar todas estas coisas que hão de acontecer, e de estar em pé diante do Filho do homem." [Lucas 21:35-36].

Quase com toda certeza, o Senhor está se referindo a uma "fuga" muito especial feita pelo povo judeu — a audiência para quem Ele está falando — no fim dos tempos. Isto ocorrerá quando a "abominação da desolação" for colocada no templo e os judeus que viverem em Israel descobrirem, horrorizados, que o Anticristo está no meio deles. Eles todos correrão para escapar da sua ira e, literalmente, terão somente alguns poucos minutos para encontrar o caminho para a rota de fuga miraculosa que o Senhor fornecerá. Jesus disse que, quando eles virem isto, a abominação da desolação, precisam se apressar imediatamente e não perder nem um só momento:

"Ora, quando vós virdes a abominação do assolamento, que foi predita por Daniel o profeta, estar onde não deve estar (quem lê, entenda), então os que estiverem na Judéia fujam para os montes. E o que estiver sobre o telhado não desça para casa, nem entre a tomar coisa alguma de sua casa; e o que estiver no campo não volte atrás, para tomar as suas vestes. Mas ai das grávidas, e das que criarem naqueles dias! Orai, pois, para que a vossa fuga não suceda no inverno." [Marcos 13:14-18].

"Quando, pois, virdes que a abominação da desolação, de que falou o profeta Daniel, está no lugar santo; quem lê, entenda; então, os que estiverem na Judéia, fujam para os montes; e quem estiver sobre o telhado não desça a tirar alguma coisa de sua casa; e quem estiver no campo não volte atrás a buscar as suas vestes. Mas ai das grávidas e das que amamentarem naqueles dias! E orai para que a vossa fuga não aconteça no inverno nem no sábado." [Mateus 24:15-20].

Esta é a "fuga" a qual Jesus está se referindo em Lucas 21:36, não o Arrebatamento. Este é um escape físico, um grande êxodo — exatamente como o próprio Êxodo — fugir da ira do faraó do fim dos tempos. Da mesma forma como o Senhor abriu o Mar Vermelho de modo a fornecer ao Seu povo escolhido um meio de fuga, assim também fornecerá uma rota de saída especial para os judeus nesta ocasião espetacular.

Uma Conclusão Rasa e Secularizada

Perto do fim do DVD, o Dr. Reagan cita extensamente um especialista secular, cuja opinião ele obviamente compartilha. Isto é apresentado ao espectador, é o que parece, como um resumo do argumento feito a esse ponto em suporte a um Arrebatamento Pré-Tribulação. A citação vem de When Time Shall Be no More, escrito pelo historiador secular da Universidade de Harvard, Dr. Paul Boyer, publicado em 1994:

Aqui estão as citações lidas pelo Dr. Reagan da obra de Boyer, aos 80 minutos:

"Em certo sentido, o sistema de Darby não continha nada novo. O enfoque dele no cumprimento futuro da profecia seguia a escatologia dos cristãos primitivos. O Pré-Milenismo tinha sido uma opção para os protestantes evangélicos desde os tempos de Joseph Mede (1586-1639), enquanto que formas rudimentares do Dispensacionalismo podem ser rastreadas até Joaquim de Fiore (1135-1202)."

"Até mesmo a doutrina do Arrebatamento... pode ser encontrada nos escritos dos primeiros intérpretes, incluindo Increase Mather (1639-1723). Mas, Darby utilizou esses fios diversos para tecer um sistema rígido e coeso, que ele corroborou em cada ponto com inúmeros textos bíblicos de prova. Em seguida, ele incansavelmente os promoveu por meio de seus escritos, viagens e pregações."

Somos solicitados a acreditar que esta obscura observação acadêmica constitui uma defesa do Arrebatamento Pré-Tribulação. Em essência, o Dr. Reagan está dizendo que acreditamos em um Arrebatamento Pré-Tribulação hoje por que diversos cristãos ao longo de toda a história pareciam pensar que ele era verdadeiro.

Isto não é uma defesa bíblica de uma importante doutrina, mas uma vergonhosa abdicação de responsabilidade. Oferecendo uma "defesa" que consiste em grande parte de visões e opiniões, e enfatizando mais detalhes históricos do que a Palavra de Deus, o Dr. Reagan deu a distinta impressão que a doutrina Arrebatamento Pré-Tribulação é, na melhor das hipóteses, problemática e tem uma base bíblica fraca. Ao fazer isso, deu ao Maligno todo o espaço que ele necessita para derrubar essa doutrina nas mentes de muitos fiéis cristãos.

Tim LaHaye

O Dr. Reagan até mesmo entrevistou o falecido Tim LaHaye, co-autor da famosa série de livros Deixados para Trás. Esses livros causaram muita confusão nas mentes dos fiéis cristãos. Eles fazem muitas especulações que enfraquecem consideravalmente o propósito edificante da profecia do fim dos tempos. Eles também convidam os leitores a tolamente se identificarem com aqueles que são "deixados para trás" e a questionarem, talvez inadvertidamente, o justo julgamento de Deus.

Tanto Tim LaHaye quanto sua mulher, Beverly LaHaye, foram membros de liderança do Conselho de Política Nacional (CNP, de Council for National Policy), um foro de elite nos EUA para atrair todas as igrejas para a vindoura Religião do Mundo Unificado. O CNP foi fundado pelo próprio LaHaye em 1981. Muitos membros do CNP também são membros do Conselho das Relações Internacionais (o CFR, de Council on Foreign Relations), o órgão exclusivo que controla os EUA a favor da Nova Ordem Internacional. É importante compreender que essas pessoas são secretamente avessas ao Cristianismo e fizeram voto de destrui-lo. [O Apêndice apresenta uma pequena lista parcial de membros do CNP e de suas afiliações pagãs.]

Como parte do ímpeto atual de levar os evangélicos mais para perto de Roma, os LaHayes endossaram o documento de política, Evangelicals and Catholics Together (Evangélicos e Católicos Juntos) (1994). Durante muitos anos, LaHaye alegremente aparecia em foros públicos e endossava palestrantes cujas credenciais ecumênicas, carismáticas ou apóstatas eram bem conhecidas. Entre eles estavam Yonggi Cho, Benny Hinn, Oral Roberts, Tony Campolo, Frank Peretti, Greg Laurie, Jerry Boykin, Paul Crouch e Chuck Missler. Ele também tinha vínculos profissionais íntimos com o famoso falso messias e lider de seita Sum Myung Moon, cuja Igreja da Unificação causou danos espirituais imensos a muitas pessoas. LaHaye até fez lóbi publicamente a favor do reverendo Moon para conseguir sua libertação da prisão pela acusação de sonegação fiscal.

Poderíamos apresentar mais evidências nestas mesmas linhas, mas não é necessário. Era óbvio a partir dessa contribuição no DVD que LaHaye não tinha interesse em refutar as alegações feitas pelos pastores Schimmel and Prasch.

Os cristãos nascidos de novo que amam a Palavra de Deus devem estar grandemente perturbados por tudo isto.

O Malhete Maçônico

Um dos aspectos mais surpreendentes no DVD — mas que provavelmente não será observado por muitos espectadores — é o uso recorrente ao malhete (pequeno martelo) maçônico. O martelo é batido em algumas ocasiões durante o documentário e 7-8 vezes nos créditos de encerramento.

Todo maçom recebe um malhete similar ao que aparece no DVD e faz uso dele durante certos rituais na loja maçônica. Um sítio na Internet descreve o propósito do malhete como segue:

"Embora seja um instrumento 'comum' do maçom, o malhete é um lembrete constante da nossa necessidade de auto-aprimoramento e de estarmos sempre atentos. A perfeição na conduta, como a de uma superfície perfeitamente plana, ou uma pedra perfeitamente lisa, vem por meio do trabalho e vigilância constantes. Colocado em nossas mãos no grau de Aprendiz, o malhete é um símbolo dessa responsabilidade e oportunidade se sermos homens e maçons melhores."

Fonte: http://www.themasonictrowel.com/Articles/degrees/degree_1st_files/the_common_gavel_gltx.htm

Aqui estão dois exemplos de típicos malhetes maçônicos à venda em eBay:

Por que razão alguém incluiria esse instrumento em um DVD que tem o propósito de defender a Palavra de Deus e depois repetir seu movimento de bater repetidamente? É difícil de acreditar. A implicação é clara — as pessoas que criaram esse DVD estão conectadas de algum modo com a Maçonaria de grau elevado.

Os Argumentos Que DEVERIAM Ter Sido Apresentados

Resumiremos agora os pontos de prova apresentados em nosso ensaio anterior, intitulado "Não se Perturbe Mais — Sólidas Provas nas Escrituras de um Arrebatamento Pré-Tribulação", que demonstram além de qualquer dúvida que a Bíblia ensina a doutrina do Arrebatamento Pré-Tribulação. (Para um tratamento mais detalhado da evidência nas Escrituras, consulte o ensaio referido.) Nosso resumo mostrará apenas como pouco esforço foi feito no DVD de Lamb & Lion para tratar o assunto de forma abrangente e responsável. Estimaríamos que, dos 21 pontos substantivos apresentados a seguir, somente uns cinco foram abordados no DVD, e mesmo assim de forma rápida, à medida que o Dr. Reagan passa a tratar de alguma outra irrelevância.

1. O Preço Já Foi Pago

A noiva de Cristo não passará pela Tribulação, pois Cristo já tomou sobre Si mesmo a ira de Deus a favor dela. Isto foi o que nosso Senhor alcançou para nós no Calvário. "Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito." [Romanos 8:1]. Como a igreja pode precisar pagar uma dívida que o Filho de Deus já pagou? Impossível.

2. Cristo Virá Duas Vezes em Sua Segunda Vinda

Em Sua primeira vinda Cristo foi visto pelo mundo e depois pela igreja. Em Sua segunda vinda, Ele será visto primeiro pela igreja e depois pelo mundo. Na primeira parte de Sua segunda vinda, quando Ele vem como a estrela da alva, chamará a igreja da Terra. O apóstolo Pedro está se referindo à primeira parte da Segunda Vinda quando fala da "estrela da alva" (Cristo) nascendo no coração de todos os fiéis cristãos: "... até que o dia amanheça, e a estrela da alva apareça em vossos corações." [2 Pedro 1:19].

3. O Dia de Cristo Virá Antes do Dia do Senhor

O dia de Cristo não é o dia do Senhor (que implica em ira), mas, ao contrário, o dia da Ressurreição/Arrebatamento (que implica em salvação) que precede o dia do Senhor: "Tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo." [Filipenses 1:6].

O dia de Cristo é o dia para o qual a igreja está pacientemente aguardando: "Que não vos movais facilmente do vosso entendimento, nem vos perturbeis, quer por espírito, quer por palavra, quer por epístola, como de nós, como se o dia de Cristo estivesse já perto." [2 Tessalonicenses 2:2].

Paulo repreendeu a igreja em Corinto por tolerar a presença de fornicadores em seu meio e pediu que eles excluíssem certo indivíduo — tanto para o próprio bem dele, quanto o bem da igreja: "Seja, este tal, entregue a Satanás para destruição da carne, para que o espírito seja salvo no dia do Senhor Jesus." [1 Coríntios 5:5]. Era possível que aquele indivíduo caísse em si e se arrependesse de seu pecado "... para que o espírito seja salvo no dia do Senhor Jesus." Ele não está falando aqui do julgamento naquele dia, mas exatamente o oposto. O dia do Senhor Jesus é o dia da redenção, quando a igreja é tirada da Terra pelo Espírito Santo.

4. A Bem-Aventurada Esperança

As palavras "Seja anátema. Maranata" significam "Que seja amaldiçoado. O Senhor está vindo". A ira por vir é paa aqueles que são anátema, separados para a destruição, enquanto aqueles que são salvos vivem diariamente na oração do regozijo, Maranata — ("O Senhor está vindo.") "Se alguém não ama ao Senhor Jesus Cristo, seja anátema. Maranata!" [1 Coríntios 16:22].

O significado técnico de anátema é "colocado de lado por Deus para a destruição", sendo a condição natural de todos os que rejeitam o dom da salvação. Assim, Paulo não está pedindo que eles sejam amaldiçoados, mas que a terrível condição deles seja reconhecida. Ao mesmo tempo, ele os lembra de seus próprios estados de bem-aventurados e que, como herdeiros da salvação, sempre deveriam ter em mente que o Senhor Jesus está vindo.

Paulo lembrou a Tito que todos os fiéis cristãos estão "Aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Senhor Jesus Cristo." [Tito 2:13]. Em sua primeira carta aos tessalonicenses, ele conecta diretamente o "aparecimento da glória" de Cristo com o livramento da igreja da ira do dia do Senhor: "E esperar dos céus o seu Filho, a quem ressuscitou dentre os mortos, a saber, Jesus, que nos livra da ira futura." [1 Tessalonicenses 1:10].

Isto mostra conclusivamente que, vivendo na "bem-aventurada esperança", a igreja está aguardando e orando pelo "dia de Cristo" e não "o dia do Senhor", que vem depois dele.

Se o dia do Senhor precedesse o dia de Cristo, então toda vez que um fiel cristão orasse pelo retorno de Cristo, por exemplo por meio da oração Maranata, estaria orando também para que a ira de Deus caia sobre o mundo. O profeta Amós proibiu que isto seja feito:

""Ai daqueles que desejam o dia do SENHOR! Para que quereis vós este dia do SENHOR? Será de trevas e não de luz." [Amós 5:18].

Os versos seguintes confirmam que a igreja, a noiva de Cristo, não enfrentará a ira da Tribulação:

"Mas, irmãos, acerca dos tempos e das estações, não necessitais de que se vos escreva... Porque Deus não nos destinou para a ira, mas para a aquisição da salvação, por nosso Senhor Jesus Cristo." [1 Tessalonicenses 5:1, 9].

Este conforto, esta bem-aventurada esperança, está enraizada no retorno de Cristo para Sua noiva. A palavra "ira" sempre se refere à operação da ira de Deus na Terra. Assim, a "salvação" para a qual o verso acima se refere é livramento da ira por vir, os sete anos da Tribulação.

5. A Igreja Já É Gloriosa aos Olhos de Deus

A Tribulação é a expressão final da ira de Deus:

"O grande dia do SENHOR está perto, sim, está perto, e se apressa muito; amarga é a voz do dia do SENHOR; clamará ali o poderoso. Aquele dia será um dia de indignação, dia de tribulação e de angústia, dia de alvoroço e de assolação, dia de trevas e de escuridão, dia de nuvens e de densas trevas, dia de trombeta e de alarido contra as cidades fortificadas e contra as torres altas. E angustiarei os homens, que andarão como cegos, porque pecaram contra o SENHOR; e o seu sangue se derramará como pó, e a sua carne será como esterco. Nem a sua prata nem o seu ouro os poderá livrar no dia da indignação do SENHOR, mas pelo fogo do seu zelo toda esta terra será consumida, porque certamente fará de todos os moradores da terra uma destruição total e apressada." [Sofonias 1:14-18].

A ira de Deus, que cairá sobre toda a Terra, é descrita como "o grande dia do Senhor". Esse dia está sendo reservado pacientemente por Deus até o fim dos tempos. O apóstolo Paulo torna muito claro que a ira de Deus será direcionada somente contra aqueles que mantêm a verdade em injustiça: "Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça." [Romanos 1:18]. Ademais, isto virá "sobre todo o mundo, para tentar os que habitam sobre a Terra." [Apocalipse 3:10]. Como a igreja não mantém a verdade em injustiça, não poderá estar na Terra durante o tempo da ira de Deus, quando "pelo fogo do seu zelo toda esta terra será consumida."

O Senhor vê a igreja exatamente como Seu Filho a vê, "... igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível." [Efésios 5:27].

Dado que a igreja já é o corpo de Cristo, a visão que ela poderá, apesar disso, estar sujeita à ira de Deus, mesmo que somente em parte, está em conflito direto com a totalidade e perfeição da expiação vicária.

Como diz o apóstolo Paulo, "Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito." [Romanos 8:1]. Nesse sentido, então, a igreja precisa passar pela Tribulação de modo a ser "purificada" aos olhos de Deus? De modo algum! A própria ideia está em conflito profundo com tudo o que a Bíblia ensina sobre a igreja e sobre nosso Pai amoroso, "cuja misericórdia dura para sempre".

6. Afastamento do Espírito Santo

Pouco antes de destruir o mundo no Dilúvio, o Senhor disse: "Não contenderá o meu Espírito para sempre com o homem; porque ele também é carne; porém os seus dias serão cento e vinte anos." [Gênesis 6:3]. O Senhor fez uma declaração similar em relação à Tribulação quando disse que removerá "aquele que agora retém". O paralelo chocante entre esses dois grandes julgamentos sugere fortemente que "meu espírito" e "aquele que agora retém" são o mesmo. Como o Espírito Santo habita na igreja, e nunca a deixará, precisará levá-la com Ele quando se retirar do caminho para deixar de reter o Anticristo.

7. A Igreja de Filadélfia

Como a igreja, o corpo de Cristo, não pode ser dividida em segmentos, essa promessa precisa se aplicar à noiva como um todo, isto é, à soma de todos os fiéis que viveram na Época da Igreja:

"Como guardaste a palavra da minha paciência, também eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam na terra." [Apocalipse 3:10].

A palavra grega para "habitar" na frase "habitam na Terra" tem uma importante conotação que não é encontrada na nossa tradução. A palavra grega mais usual é oikeo, o que significa simplesmente habitar, enquanto que a palavra usada por João é katoikeo, que significa habitar permanentemente. Ela é usada, por exemplo, para descrever a plenitude da divindade que habita em Cristo (Colossenses 2:9). Portanto, "aqueles que habitam na Terra" são aqueles que veem a Terra como seu verdadeiro lar. Como tais, eles são cidadãos da Terra por escolha própria, em contraste com os fiéis cristãos, cuja "cidade está nos céus" (Filipenses 3:20).

8. O Ladrão na Noite

A segunda parte da Segunda Vinda de Cristo (quando Ele derrota o Anticristo) é precedida por sinais muito específicos. Entretanto, o Arrebatamento dos santos da Época da Igreja pode vir a qualquer momento, sem qualquer advertência prévia: "Porque vós mesmos sabeis muito bem que o dia do Senhor virá como o ladrão de noite."

Obviamente, se este é o caso, o Arrebatamento precisa ocorrer antes dos chocantes eventos que assinalarão o início dos sete anos da Tribulação.

As Escrituras nos dizem que a Ressurreição dos fiéis da época da igreja ocorrerá no mesmo dia que o Arrebatamento. Paulo disse a Timóteo que dois falsos mestres, Himeneu e Fileto, estavam ensinando que a ressurreição já tinha acontecido. Se isso fosse verdade, então o Arrebatamento também teria ocorrido. O fato que alguns fiéis cristãos foram enganados por esse engodo é prova que os cristãos primitivos sabiam que a ressurreição — exatamente como o Arrebatamento — poderia ocorrer a qualquer momento, e não será anunciado por sinais proféticos. Como a ressurreição é um evento iminente, então assim também é o Arrebatamento, e ambos precisam ocorrer antes da Tribulação de sete anos.

9. As Setenta Semanas de Daniel

A Tribulação de sete anos está relacionada tanto com o julgamento do Israel rebelde (do qual um remanescente será preservado) e o julgamento das nações gentias rebeldes (das quais um remanescente será preservado). A igreja não tem papel nem lugar em nenhum desses programas tumultuosos.

Todas as setenta semanas de Daniel estão relacionadas com Israel. As primeiras 69 semanas já se passaram, porém a septuagésima — sendo os sete anos da Tribulação — ainda está para começar. A sexagésima nona semana terminou imediatamente antes de a igreja ser fundada em Pentecostes. Naquele ponto o relógio profético de Israel foi colocado em espera e não reiniciará até que a igreja seja completada e removida da Terra. Israel foi a testemunha escolhida do Senhor Deus na Terra até o fim da sexagésima nona semana, quando então a igreja assumiu esse papel singular. Israel não poderá voltar a assumir aquele papel e se tornar novamente a testemunha escolhida de Deus na Terra, como prometido nas Escrituras, até que a igreja seja removida.

10. Aquele Que Perseverar Até o Fim

O Espírito Santo partirá com a igreja em um Arrebatamento Pré-Tribulação. Quando deixar a Terra (no sentido especial em que esteve presente durante a Época da Igreja) não mais selará os novos convertidos, como fez durante a Época da Igreja. Portanto, para ser salvo durante a Tribulação, os convertidos precisarão permanecer fiéis, até a morte, se necessário: "Mas aquele que perseverar até o fim, esse será salvo" [Mateus 24:13].

O livro do Apocalipse dá confirmação adicional disto: "E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho; e não amaram as suas vidas até à morte." [Apocalipse 12:11].

Como Jesus advertiu, qualquer um que tentar salvar sua vida — recebendo o Sinal da Besta — a perderá. Depois que o sinal for recebido, a alma da pessoa estará perdida para sempre.

Deve ser observado que os 144.000 evangelistas judeus são selados por anjos, não pelo Espírito Santo (veja Apocalipse 7:2-3).

11. O Arrebatamento como um Sinal para os Judeus

A Palavra de Deus nos diz que "os judeus pedem sinal, e os gregos buscam sabedoria..." [1 Coríntios 1:22]. Que sinal, portanto, os 144.000 receberão? Esses homens precisam passar por uma extraordinária transformação espiritual para se converterem do Judaísmo a Cristo, todos virtualmente ao mesmo tempo, e se tornarem missionários ardorosos, dando seu testemunho no mundo inteiro. Alguns sugerem que o Arrebatamento da igreja será esse sinal. O súbito e inexplicável desaparecimento de milhões de cristãos nascidos de novo, bem como de milhares de judeus convertidos ao Cristianismo (conhecidos como judeus messiânicos) será o gatilho para esse evento espetacular. Isto, muito provavelmente, terá de ocorrer muito perto do início da Tribulação de sete anos, para que os 144.000 tenham tempo suficiente para evangelizar o mundo inteiro e levar muitos a Cristo.

Da mesma forma como Eliseu apanhou o manto de Elias e continuou a partir do ponto em que seu mentor tinha parado (veja 2 Reis 2), assim também o remanescente salvo de Israel, começando com os 144.000, apanhará o manto da igreja e dará continuidade ao trabalho do Senhor.

12. Vingança pelo Sangue Derramado

Em Apocalipse 6:10, os santos que foram mortos durante a Tribulação clamam em alta voz a Deus para vingar o sangue deles que foi derramado. Os santos da época da igreja não têm uma oração imprecatória deste tipo, pois conhecem e são obedientes ao grande mandamento que Jesus deu à igreja, isto é, o de amar os inimigos e não invocar imprecações sobre eles. Isto mostra que os santos que morreram por sua fé durante a Tribulação não eram parte da igreja. Como este é o caso, a igreja precisa ter sido completada e removida da Terra antes do início da Tribulação.

13. Os Vinte e Quatro Anciãos

Os 24 anciãos no livro do Apocalipse são de especial significado. Antes do início dos eventos da Tribulação, esses anciãos estão assentados sobre 24 tronos e com coroas sobre suas cabeças. A tradução KJV diz "assentos", mas é na realidade uma posição de distinção, um trono no sentido real.

A coroa é dada pelo Senhor como um galardão aos santos, mas somente no dia do Tribunal do Julgamento Bema:

"Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda." [2 Timóteo 4:8].

A expressão "naquele dia" refere-se ao dia de Cristo, quando o Senhor vem para sua noiva, a igreja.

Os 24 anciãos são representantes tanto da igreja arrebatada e de todos os que morreram em Cristo e ressuscitaram no dia de Cristo. Como eles estão usando coroas, precisam já ter passado pelo Arrebatamento/Ressurreição e sido julgados pelo Senhor no Tribunal de Cristo.

14. As Duas Testemunhas

As duas testemunhas em Apocalipse 11:3 estão vestidas de pano de saco (um tecido espesso, fabricado com pelo de bode), que é encontrado somente no Velho Testamento e nunca no Novo, e podem invocar julgamento de fogo sobre os inimigos de Israel. Esse poder judicial é dado somente aos santos do Velho Testamento e nunca aos fiéis da Época da Igreja — Cristo proibiu especificamente Tiago e João de pensarem nesses termos (veja Lucas 9:54-55).

A partir disso, podemos ver que as duas testemunhas marcam um retorno do julgamento do Velho Testamento, que não tem parte nas orações, desejos ou ações dos fiéis da Época da Igreja. Isto sugere que a igreja deixará a Terra antes de as duas testemunhas chegarem a Jerusalém para dar início à sua notável missão.

15. Noé e sua Família

Os oito justos que viviam na Terra imediatamente antes do Dilúvio foram preservados na arca. Como uma prefiguração do Arrebatamento, eles também foram "levantados para cima" do julgamento catastrófico que pouco tempo depois caiu sobre toda a face da Terra.

Foi por meio da expiação de Cristo (que estava no futuro) que a família do justo Noé foi preservada da ira de Deus; é pela mesma maravilhosa expiação que a noiva de Cristo será "levantada para cima" da Terra antes do início da Tribulação.

Além disso, do mesmo modo como dezenas de milhões de almas virão ao arrependimento durante a Tribulação, muitas almas também podem ter vindo ao arrependimento durante o Dilúvio, entre a hora em que a arca foi selada — um símbolo do Arrebatamento ("e o SENHOR os fechou dentro" [Gênesis 7:16]) — e o tempo, possivelmente uma semana ou pouco mais, quando todos eventualmente pereceram.

16. Ló e sua Família

O pequeno número de justos que vivia na região de Sodoma e Gomorra (isto é, Ló e sua família) também foi removido da cena, pela misericórdia de Deus, imediatamente antes de Sua ira cair com fogo do céu e com grande fúria sobre as cidades da planície.

O Novo Testamento se refere diversas vezes ao destino de Sodoma e Gomorra, claramente para enfatizar tanto a severidade e a certeza do justo julgamento do Senhor. Não somos salvos por causa de nossos méritos — aos olhos de Deus não temos nenhum. Somos salvos unicamente por meio de nossa fé em Cristo. Portanto, não "merecemos" escapar da Tribulação. Entretanto, se o Senhor, em Sua misericórdia, decidiu remover a igreja da Terra antes do início da Tribulação, então devemos humildemente nos regozijar, não somente em que Ele tenha feito isso, mas que, ao nos informar de antemão, está nos oferecendo o conforto dessa "bem-aventurada esperança".

17. Raabe e sua Família

O termo "anátema ao Senhor" significa entregue ao Senhor para total destruição: "Porém a cidade será anátema ao SENHOR, ela e tudo quanto houver nela; somente a prostituta Raabe viverá; ela e todos os que com ela estiverem em casa; porquanto escondeu os mensageiros que enviamos." [Juízes 6:17].

A cidade de Jericó e todos seus habitantes tinham sido destinados à destruição muito antes de os israelitas atravessarem o rio Jordão. Raabe sabia disso e decidiu dar abrigo aos dois espiões. Esta singular expressão de fé a salvou, junto com sua família — "ela e todos os que com ela estiverem em casa.".

Observe como a "casa" de Noé foi salva, junto com a "casa" de Ló e a "casa" de Raabe. A igreja também é uma casa, o templo do Espírito Santo e ela também será salva ou removida completamente da vindoura destruição, conhecida como Tribulação.

18. O Tempo de Angústia de Jacó

Os sete anos da Tribulação são "o tempo de angústia para Jacó" [Jeremias 30:7], quando os filhos justos de Israel serão finalmente libertos da servidão, após um período de intensa provação e aflição (extamente como foram libertos do Egito). Sabemos com certeza que Jeremias está se referindo à Tribulação, porque ele diz "Ah! porque aquele dia é tão grande, que não houve outro semelhante."

O capítulo 30 de Jeremias mostra que Israel é o foco da Tribulação. A Bíblia apresenta muitas profecias que vinculam as "ilhas do mar" — isto é, as nações gentias não regeneradas — com os tumultuosos eventos que levarão ao Armagedom, bem como profecias ("pesos") que predizem o destino de nações gentias específicas, como o Egito, Síria, Iraque (Assíria), Irã, Turquia, Rússia, Arábia Saudita, Jordânia, Líbano, Etiópia, Sudão e Líbia. Contudo, apesar da proporção significativa das Escrituras que tratam da Tribulação, não há uma única referência explícita à presença da igreja na Terra durante este período de tempo.

Como a igreja já está reconciliada com Deus, não estará sujeita à Sua ira no "dia da vingança do Senhor, ano de retribuições pela contenda de Sião" [Isaías 34:8], portanto, não estará — e não poderá estar — na Terra quando a Tribulação começar.

19. Oração Fervorosa

Sabemos, a partir de 2Tessalonicenses 2, que o "restritor" será tirado do caminho para que Satanás e todos os que estão em rebelião contra Deus possam exultar em sua malignidade. Se a igreja ainda estivesse na Terra durante a Tribulação, deveria alertar o mundo quanto à identidade do Anticristo e suas reais intenções. Os santos também orariam fervorosamente contra as obras do Anticristo e, desse modo, o atrapalhariam grandemente em seu programa mortal de engodo e destruição:

"Também vos digo que, se dois de vós concordarem na terra acerca de qualquer coisa que pedirem, isso lhes será feito por meu Pai, que está nos céus. Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles." [Mateus 18:19,20].

Deve ser aparente, a partir desse fato somente, que a igreja não pode estar na Terra quando a Tribulação começar.

20. Os Gentios no Milênio

Sabemos, a partir de Mateus 25, que haverá um grupo significativo de gentios naturais fiéis sobreviventes no fim da Tribulação: "E quando o Filho do homem vier em sua glória, e todos os santos anjos com ele, então se assentará no trono da sua glória; e todas as nações serão reunidas diante dele, e apartará uns dos outros, como o pastor aparta dos bodes as ovelhas." [Mateus 25:31-32]. O Arrebatamento não pode ocorrer no fim da Grande Tribulação por que, se ocorresse, então todos os gentios fiéis vivos naquele momento seriam tomados nos ares e receberiam corpos imortais. Isto não deixaria gentios naturais salvos na Terra para repovoar as nações. (O Julgamento das Ovelhas e dos Bodes garantirá que nem um único gentio natural descrente entre no Reino Milenar.)

Os gentios naturais convertidos que sobreviverem para repovoar as nações são aqueles que vieram à fé em Cristo durante a Tribulação, e que não foram martirizados pelo regime do Anticristo (e que não receberam o Sinal da Besta). Todavia, embora eles sejam salvos, não são parte da igreja. A igreja precisa ter sido removida da Terra antes da Tribulação ter iniciado, pois, em caso contrário, haveria duas categorias de gentios que vieram à fé durante a Tribulação, ou seja (1) os fiéis gentios naturais (não-imortalizados) que repovoam a Terra e (2) os fiéis gentios imortalizados que vieram à fé após a ira de Deus cair sobre toda a Terra, mas foram tomados no Arrebatamento. Isto dividiria a igreja em duas partes, a que enfrentou a ira de Deus e a parte que não. Isto seria incompreensível e totalmente contrário a tudo o que as Escrituras dizem sobre a igreja: que uma parte deva sofrer a ira justa de Deus e outra parte não. Isto somente pode significar que o Arrebatamento ocorrerá antes de a Tribulação de sete anos começar.

21. As Bodas do Cordeiro

O livro do Apocalipse (19:7-8) diz claramente que o casamento de Cristo com Sua noiva ocorre no céu antes de Cristo retornar à Terra na Segunda Vinda para derrotar o Anticristo. Embora a cerimônia de casamento ocorra no céu, a festa (ou ceia) ocorrerá na Terra no início do Milênio: (Apocalipse 19:9). Isto mostra que o Arrebatamento e a Segunda Vinda (quando Cristo desce à Terra no Monte das Oliveiras — Zacarias 14:4) são dois eventos completamente separados.

Sabemos também que a Bíblia traça um claro paralelo entre a tradição judaica do compromisso, noivado e casamento, que é um processo de três fases. Cristo comprometeu-se com a igreja (no conhecimento prévio de Deus) antes da fundação do mundo, tornou-se noivo formalmente da igreja na Última Ceia, e casará com a igreja no dia de Cristo.

Deve ser óbvio para todos os verdadeiros fiéis cristãos que a ira de Deus não pode cair sobre a Terra antes de a noiva de Seu Filho ser removida.

Conclusão

Os cristãos precisam considerar a Palavra de Deus com muita seriedade e crer naquilo que ela diz. Não podemos interpretar a Bíblia de acordo com linhas teológicas favoritas, apanhando e escolhendo aqui e ali. Se a Bíblia ensina um Arrebatamento Pré-Tribulação, então cabe a todos os fiéis cristãos compreender o que ela diz e aceitar isso com gratidão.

Por que tantos "evangélicos" proeminentes, junto com muitos outros, falam com tanta veemência contra o Arrebatamento Pré-Tribulação? Existem muitas questões doutrinárias, práticas vãs e crenças heréticas que precisam ser tratadas na igreja hoje, mas um desejo apaixonado para refutar o Arrebatamento Pré-Tribulação parece superar todos eles. Além disso, muitos daqueles que professam defender o Arrebatamento Pré-Tribulação estão fazendo um trabalho muito deficiente. Sem dúvidas, muitos desses "especialistas" são agentes ou traidores comprados, que foram posicionados pela Igreja Católica para solapar a doutrina e levar o rebanho para o caminho errado.

A crença generalizada no Arrebatamento Pré-Tribulação tornará muito mais difícil para os Illuminati, as famílias de luciferianos há várias gerações que controlam o sistema financeiro internacional e as grandes empresas multinacionais, a perpetrarem seus planos. Sabemos que eles estão fazendo tudo o que podem para preparar o caminho para o Anticristo, mas nenhum dos nossos teólogos parece estar alertando a igreja para um detalhe implícito de grande importãncia: Quando o verdadeiro Anticristo entrar na cena internacional, é esperado que ele estabeleça seu ofício de messias destruindo uma figura militar aterrorizadora, um líder mundial a quem as massas tinham erroneamente acreditado que era o Anticristo. Podemos pensar nesse indivíduo como um "falso Anticristo".

Pedimos que o leitor pense cuidadosamente sobre isto, pois tem um impacto direto no plano que os Illuminati estão perseguindo. Eles precisam instalar um falso Anticristo, a quem o verdadeiro Anticristo possa vencer. Eles têm os recursos financeiros e militares para fazer isto. Mas, existe um problema. Se milhões de cristãos nascidos de novo acreditarem em um Arrebatamento Pré-Tribulação, então eles rapidamente perceberão que o falso Anticristo é um impostor. Eles saberão que o verdadeiro Anticristo não pode entrar em cena enquanto a igreja ainda estiver aqui na Terra.

Esta, aparentemente, é a razão por que esforços tão vigorosos estão sendo feitos para erradicar a crença no Arrebatamento Pré-Tribulação, mas não no Arrebatamento em si. Eles continuarão a promover os livros da série Deixados para Trás e filmes derivados, pois esses materiais alimentam o fatalismo e a teologia charlatã que somente enfraquecem e confundem o público.

Pessoas como Corrie Ten Boom condenaram o Arrebatamento Pré-Tribulação como uma falsa doutrina, mas ela era confusa em sua teologia. O sofrimento que a igreja suportou durante a Época da Igreja não tem nada que ver com a ira de Deus!

Ela e outros como ela erroneamente assumiram que a crença no Arrebatamento Pré-Tribulação enfraqueceria os fiéis cristãos. Ela achava que a doutrina os tornaria complacentes quando enfrentassem a maré crescente da malignidade em seu meio. Em vez de tomarem as medidas necessárias para defender a si mesmos, eles simplesmente se acomodariam em seus sofás e aguardariam o Arrebatamento.

Se isto fosse assim, então a Bíblia não ensinaria o Arrebatamento Pré-Tribulação. O Senhor, em Sua misericórdia, revelou a verdade do Arrebatamento Pré-Tribulação para que todos os fiéis cristãos possam viver na "bem-aventurada esperança". Mas, isto não significa que estejamos livres de aflições em nossas vidas! A história da igreja mostra repetidamente que os fiéis cristãos ficam expostos à intensa perseguição por causa de sua fé. De fato, poderemos enfrentar terrível perseguição durante o tempo da nossa geração atual pela mesma razão — mas isto não será a ira de Deus!

Quando o período de sete anos da Tribulação começar, será diferente de tudo o que mundo já viu. A Tribulação será o justo julgamento do Senhor sobre todos que habitam na Terra, sobre incontáveis milhões, os filhos da desobediência, que rejeitaram a salvação oferecida gratuitamente a todos os que creem no Evangelho.

Qualquer cristão professo que ache que a igreja precisará passar por toda a Tribulação, ou por parte dela, não compreende o que Cristo alcançou por nós no Calvário, não compreende a incrível misericórdia conferida sobre nós por meio do sangue de Cristo, não compreende o que significa ser parte do corpo de Cristo. Além disso, não compreende a criação verdadeiramente maravilhosa que veio a existir no dia de Pentecostes.

Como noiva de Cristo, a igreja é de uma beleza insuperável aos olhos de Deus, uma beleza alcançada unicamente por meio da obra expiatória de Seu Filho.

O Ocidente passará por grande turbulência e aflição nos próximos anos? Sim, irá, porém se essas turbulências e aflições crescerão em escala e se transformarão no trauma em escala mundial que conhecemos como Tribulação é uma questão totalmente diferente (e que ninguém pode responder).

Leia Também:

"Não se Perturbe Mais — Sólidas Provas nas Escrituras de um Arrebatamento Pré-Tribulação"

Cristo Veio Duas Vezes em Sua Primeira Vinda e Virá Duas Vezes em Sua Segunda Vinda — Alguns Fatos Sobre o Arrebatamento

Compreendendo o Arrebatamento a Partir de uma Perspectiva Estritamente Bíblica



Apêndice

O Conselho de Política Nacional

As seguintes afiliações mostram que, a despeito de sua suavidade exterior, o CNP é e sempre foi uma organização ferrenhamente anticristã:

Membro
Afiliação / Vínculo
Thomas A. Bolan Cavaleiro de Malta
Arnaud de Borchgrave CFR e Cavaleiro de Malta
Richard DeVoss Maçom do Grau 33
Charles Fiore Padre católico-romano
Willard Garvey Fundador de um centro de Nova Era
George F, Gilder CFR
Alan Gottlieb Coalizão Americana pelas Liberdades (fachada para o reverendo Moon)
J. Peter Grace CFR e Cavaleiro de Malta
Jesse Helms CRF e Maçom do Grau 33
Gary Jarmin Voz Cristã (fachada para o reverendo Moon)
Jack Kemp Maçom do Grau 33
Trent Lott Maçom do Grau 33
Ten-Cel. Oliver North Cavaleiro de Malta e envolvido no escândalo Irã-Contras
Frank Shakespeare Cavaleiro de Malta
Richard Shoff Ex-Grande Secretário da Ku Klux Klan
Dr Cleon Skousen Mórmon
Robert Waring Stoddard Vínculos com o CFR
Gaylord Swim Mórmon
Edward Teller CFR
Guy Vander Jagt CFR
Christine Vollmer Opus Dei
Donald Wildmon Coalizão pelas Liberdades Religiosas (fachada para o reverendo Moon)

Muitos outros membros do CNP trabalham para instituições e juntas que são controladas de uma forma ou outra pelo Conselho das Relações Internacionais (CFR). Vários deles são multimilionários e alguns vêm de famílias que sabidamente são ativas no programa dos Illuminati de um governo mundial, incluindo Du Pont, Coors e Rothschild. Praticamente todos têm conexões políticas de alto nível.



Autor: Jeremy James, artigo em http://www.zephaniah.eu.
Data da publicação: 25/7/2017
Transferido para a área pública em 25/2/2020
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/malignodetesta.asp