Escolha uma cor para o fundo:  

As Planejadas "Mudanças de Regime" Estão Ocorrendo Até nas Repúblicas da Ex-União Soviética

Recursos úteis para sua maior compreensão

Título do Livro 1


Título do Livro 2


Título do Livro 3

Prova concreta que a estratégia delineada no "Novo Mapa do Pentágono" está sendo implementada agora nas notícias do dia-a-dia! As mudanças de regime necessárias para "promover a democracia" estão atualmente em andamento, e estão afetando países estrategicamente importantes para a Rússia e para a China.

Verdadeira definição de democracia: "Quando dois lobos e um carneiro se reúnem para decidir o que fazer para o jantar."

A Nova Ordem Mundial está chegando! Você está preparado?

Compreendendo o que realmente é essa Nova Ordem Mundial, e como está sendo implementada gradualmente, você poderá ver o progresso dela nas notícias do dia-a-dia!!

Aprenda a proteger a si mesmo e aos seus amados!

Após ler nossos artigos, você nunca mais verá as notícias da mesma forma.

Agora você está na
"THE CUTTING EDGE"


Quase dois anos atrás, a Cutting Edge publicou um artigo muito revelador que finalmente forneceu uma resposta para o fato de o presidente Bush ter levado os EUA à guerra com maior freqüência do que qualquer outro presidente desde Franklin D. Roosevelt! O que estes países têm em comum?

A resposta surpreendente é: todos esses são países "não funcionais" na estratégia enunciada no livro "The Pentagon's New Map". Eles são exemplos de países que o Pentágono vê como incapazes de imediatamente — ou em um futuro próximo — de conectar-se à economia sem papel-moeda da vindoura Nova Ordem Mundial. Você sabe o tipo de economia do qual estamos falando — aquele em que "ninguém poderá comprar ou vender se não tiver o sinal da besta".

Esses países foram ou estão sob a ameaça de serem invadidos simplesmente por que nem seus governos ou suas economias podem agora entrar no "Admirável Mundo Novo", conhecido como Nova Ordem Mundial. Os EUA invadiram o Afeganistão e o Iraque em grande parte por que a economia deles estava longe demais desse tipo de sistema e o governo deles estava sob a liderança de um ditador forte e decidido, que se recusava a cooperar com os Illuminati.

Abordamos esse assunto interessantíssimo em dois artigos principais. Se você ainda não os leu, separe alguns momentos agora para fazer isso.

N1833 — "A Invasão da África e de Todos os Países Ainda Não Integrados na Economia Globalizada";

N1900 — "Após a Invasão do Haiti, Estaria a Invasão da Venezuela Também no Horizonte?".

Imediatamente após o presidente Bush ter sido reeleito, ele começou a falar em "levar a democracia" para o resto do mundo. Essa frase soa muito mais bonita do que pregar "mudanças de regimes" nos últimos três anos, mas o significado é o mesmo. Os países visados em todo o mundo iriam mudar para a "democracia", por derrubada violenta de seus governos, se necessário.

Como dissemos anteriormente, os Pais Fundadores odiavam e desconfiavam de "democracia", considerando-a inconfiável e incapaz de sucesso no longo prazo. Eles temiam o governo da multidão fora de controle, para o qual a maioria das verdadeiras democracias degenera. Ou então, uma democracia logo se transforma no controle de um silencioso, porém poderoso grupo de políticos, banqueiros e/ou militares. Esses homens poderosos descobriram que é muito fácil manipular as massas de pessoas a votarem nos candidatos de sua escolha — porque eles conhecem as fraquezas do homem comum.

Portanto, os Pais Fundadores criaram uma "República Representativa" com os três principais centros de governo divididos em braços independentes e iguais em poder.

Como aludimos no subtítulo, a diferença entre "democracia" e uma "República Representativa" é simples:

  1. Uma democracia é quando dois lobos e um carneiro decidem o que será feito para o jantar.

  2. Uma república representativa é quando o carneiro está armado e a constituição proíbe toda e qualquer decisão sobre o jantar.

Hoje, os Illuminati estão cuidadosamente eliminando todos os ditadores fortes que resistem à onda de mudança da Nova Ordem Internacional que está varrendo o mundo, substituindo-os por governos fracos e/ou divididos. O plano é forçar rapidamente, por meio de mudanças, uma vez que o antigo regime seja derrubado para que o país possa rapidamente ingressar na economia globalizada e ter o governo obediente requerido por este novo sistema global. E, uma vez que um país tenha sido invadido e seu governo derrubado, os demais países na região percebem que serão os próximos se não fizerem as mudanças voluntariamente — e bem rápido.

Desde o início do segundo mandato do presidente Bush, um grande número de países passaram pela transformação para uma democracia. A princípio, as notícias começaram a mencionar protestos contra o governo existente, a luta por mudanças era intensa e rápida, e a eleição que se seguia instalava um novo governo pró-ocidental. O presidente Bush sempre obteve o candidato pró-Ocidente que desejava, enquanto a Rússia e China ficavam paradas observando. Esses países são todos do eixo não-integrado e a maioria tem uma localização estratégica, como veremos em breve.

Vamos examinar esses países agora. A lista não tem a intenção de incluir todos os casos, mas será longa o suficiente para tornar claro que queremos dizer.

Mudança de Regime Produzindo "Democracia"

Usbequistão

Resumo da Notícia: "Testemunhas: Multidão Armada Liberta Prisioneiros em Cidade Usbeque Enquanto Milhares se Concentram nas Ruas", AP Breaking News, 13 de maio de 2005.

"Tashkent, Uzbequistão (AP) — Milhares de pessoas, muitas delas armadas, tomaram as ruas de uma cidade no leste do Uzbequistão na sexta-feira, atacando uma prisão e libertando os prisioneiros... O presidente usbeque Islan Karimov e outros líderes imediatamente se dirigiram a Andijan, onde testemunhas reportaram caos nas ruas. A cidade a 480 km a leste de Tashkent, próxima à fronteira da Quirguízia, foi o cenário de crescentes protestos nas últimas semanas. Os 23 réus são acusados de atividade anticonstitucional e a formação de uma organização criminosa e extremista, mas os ativistas dos direitos humanos dizem que o caso é parte de uma ampla ação repressiva do governo contra os dissidentes religiosos."

A religião contra a qual o presidente Karimov está agindo é o "islamismo radical" como vemos no segmento a seguir:

"Na quarta-feira milhares de pessoas apareceram para protestar contra as acusações contra os homens, que estão em julgamento desde o início de fevereiro com acusações de serem extremistas islâmicos... O Islã radical foi um problema persistente para a União Soviética muito antes de seu colapso... O movimento continua a atormentar os líderes da Ásia Central, especialmente no vizinho Usbequistão, onde grupos radicais profundamente enraizados têm sido acusados de uma série de ataques à bomba e incursões de militantes. Milhares de muçulmanos foram presos no Usbequistão nos últimos anos em uma campanha do governo que os críticos dizem que atingiu muitos fiéis inocentes e somente inflamou o ódio contra o governo severo de Karimov."

Um dos principais elementos em um país visado para "mudança de regime" é o fato de o país ser governado por um ditador "valente". O presidente Karimov é claramente esse tipo de ditador e pode ser visto como inibidor do "progresso". Este próximo segmento mostra quão fortemente Karimov reagiu a essa manifestação, exatamente como qualquer bom ditador faria!

Resumo da Notícia: "700 podem ter sido mortos em manifestação no Usbequistão", The Scotsman, 17 de maio de 2005.

"Os Estados Unidos na noite passada aumentaram suas críticas ao Usbequistão e disseram que ficaram "profundamente perturbados" pelos relatos que tropas no Usbequistão dispararam contra civis desarmados durante um protesto na região leste do país, matando até 700 pessoas. A Grã-Bretanha também protestou contra a reportada repressão violenta do governo usbeque contra uma manifestação quatro dias atrás. Jack Straw, o Secretário das Relações Exteriores, disse que 'estava realmente preocupado' com a situação... De acordo com testemunhas em Andijan, soldados de fora de uma escola atiraram contra uma grande multidão, incluindo mulheres, crianças e dez policiais reféns."

"'Foi um massacre', disse um sapateiro de 31 anos, que testemunhou a matança. 'Este nauseabundo cheiro de sangue, os miolos esmagados, tripas e sangue, muito sangue por toda a parte. Eu não conseguia pisar em um ponto seco, via soldados matando pessoas feridas com um tiro na cabeça após perguntarem "Existe alguém ferido por aí?', ele disse, pedindo para não ter seu nome citado, pois já foi preso duas vezes pelos serviços de segurança.'"

Esse é o tipo de derramamento de sangue que certamente provoca os governos estrangeiros a entrar em ação contra os mandatários atuais. Como era certo de acontecer, as Nações Unidas fizeram um pedido de investigação, apoiadas por alguns dos países mais poderosos na Terra.

Resumo da Notícia: "Governo do Usbequistão rejeita proposta de investigação internacional sobre a violência", Khaleej Times, 21 de maio de 2005.

"Andijan, Usbequistão — Os EUA, a OTAN e a União Européia juntaram-se às Nações Unidas na pressão por uma investigação internacional sobre a alegada matança de centenas de pessoas durante uma ação repressiva e autoritária no Usbequistão. O líder usbeque tem resistido ferrenhamente aos apelos para encerrar a ação repressiva contra a oposição na cidade de Andijan, levando o Departamento de Estado americano a expressar preocupação com a situação... Diplomatas americanos estão em contato com altos funcionários do Usbequistão, e a Organização de Segurança e Cooperação na Europa juntamente com governos europeus, Boucher disse... Os ministros das Relações Exteriores da União Européia devem aprovar na segunda-feira uma resolução pedindo uma investigação e condenando as autoridades usbeques pelo uso desproporcional de força."

Os EUA apoiaram a proposta da UE.

Resumo da Notícia: "Os EUA dizem ao Usbequistão para permitir investigação da ONU sobre a matança", Khaleej Times, 22 de maio de 2005.

"Washington — Os Estados Unidos querem que o Usbequistão permita uma investigação sobre a sangrenta repressão militar contra os rebeldes, disse a Secretária de Estado Condoleezza Rice após o presidente Islam Karimov recusar uma proposta de investigação da ONU. 'Estamos exortando o governo de Karimov a permitir a investigação nos eventos que ocorreram ali', disse Rice. Testemunhas disseram que em 13 de maio, soldados usbeques mataram indiscriminadamente de 500 a 1.000 pessoas em torno da cidade de Andijan, na região leste do país."

Ainda não dissuadidas, as forças do presidente Karimov continuaram com as ações repressivas:

Resumo da Notícia: "Usbeques prendem ativista dos direitos humanos de Andizhan", Khaleej Times, 24 de maio de 2005.

"Tashkent — O governo do Usbequistão prendeu um ativista dos direitos humanos que deu aos repórteres testemunho de primeira mão sobre uma sangrenta repressão do governo contra os manifestantes, o Observatório dos Direitos Humanos, sediado em Nova York, disse na terça-feira. Ele disse que Saidjahon Zainabitinov foi mantido como parte de um esforço do governo de suprimir detalhes do derramamento de sangue em 13 de maio na cidade de Andizhan, quando acredita-se que as tropas mataram centenas de manifestantes... O Usbequistão é um aliado dos EUA na guerra contra o terror e arrendou sua base aérea de Karshi-Khanabad para as forças armadas dos EUA, que a usa para suprir suas operações no vizinho Afeganistão. Washington, com as Nações Unidas e a União Européia, disseram a Karimov que ele enfrenta um isolamento internacional e a possibilidade de ter cortes na ajuda, a não ser que permita uma ampla investigação."

A pressão internacional está ficando intensa sobre o presidente Karimov para que permita que autoridades internacionais investiguem essas histórias de atrocidades. Se Karimov permitir essa investigação, estará sacrificando sua própria soberania nacional. Precisamos observar esse caso com atenção; poderemos simplesmente ver notícias um dia que o presidente Karimov foi forçado a renunciar e teve de fugir do país. Nesse momento, pedidos de eleições livres ressoarão por todo o mundo — outro país foi levado à "democracia" — no estilo dos Illuminati.

No vizinho do lado, outra situação séria parece estar se desenvolvendo:

Quirguistão

Este pequeno país é tão estratégico quanto o Usbequistão e talvez até mais, pois é vizinho da China. Veja a agitação que houve ali:

Resumo da Notícia: "Quirguistão Poderá Receber Segunda Base Militar Russa", AP Breaking News, 24 de maio de 2005.

"Osh, Quirguistão (AP) — A Rússia discutiu a construção de uma segunda base militar no Quirguistão para ajudar a repelir as ameaças terroristas na volátil região... O Quirguistão já hospeda uma base russa e uma norte-americana, localizadas cerca de 30 km uma da outra. O Kremlin saudou com cautela a chegada de militares dos EUA no Quirguistão e na vizinha ex-república soviética do Usbequistão para operações no Afeganistão após os ataques de 11/9/2001, mas Moscou posteriormente mostrou desconforto com a presença americana, dizendo que deveria ser encerrada com o fim da luta no Afeganistão. A base aérea russa no Quirguistão foi amplamente vista como um esforço para reafirmar a influência do Kremlin na região estratégica e rica em recursos."

A Rússia assistiu imóvel nos últimos anos a política externa americana nesta região se tornar cada vez mais agressiva. Entretanto, existem sinais que essa política flexível possa estar mudando. Se a Rússia está procurando estabelecer uma nova base militar no Quirguistão, pode estar sinalizando que pretende resistir às tentativas de "mudança de regime" neste país em particular, se considerar isso necessário. Eu também acho que a China possa estar ficando nervosa, preocupada com a possibilidade de Washington querer cercá-la com suas bases militares.

Agora, vamos retornar ao artigo referido para ver que essa instabilidade é centrada geograficamente.

"Altos funcionários do governo do Quirguistão temem que essa agitação possa vir do vizinho Usbequistão, que foi abalado pelos protestos em Andijan em 13 de maio, quando tropas dispararam contra os manifestantes. As fronteiras do Usbequistão, Quirguistão e Tajiquistão convergem no densamente povoado Vale do Fergana, onde a pobreza é profunda e grupos islâmicos radicais estão ativos, criando as condições para a instabilidade."

Este próxima matéria demonstra a importância do Quirguistão para os principais países do mundo:

Resumo da Notícia: "A Maldição do Quirguistão", Swati Parashar, Asia Times Online, 12 de maio de 2005.

"O Quirguistão no mapa estratégico — Com uma população de aproximadamente 5 milhões de habitantes, o Quirguistão é um país de muçulmanos sunitas nômades. É um país pobre que não tem recursos energéticos ou depósitos de minérios, mas é um aliado estratégico importante dos EUA e da Rússia. Após o 11/9/2001, foi o Quirguistão que forneceu a necessária base aérea que os EUA precisavam para ajudar na campanha no Afeganistão. Aproximadamente 1.500 soldados americanos, franceses e sul-coreanos das forças da coalizão estão estacionados na base aérea perto de Bishkek. A Rússia, também tem uma base no Quirguistão e tem havido consideráveis manifestações públicas no país contra o imperialismo americano e o que muitos vêem como "fobia islâmica do Ocidente".

Mais uma vez, os extremistas islâmicos são vistos como a fonte para o conflito.

"Os eventos no Quirguistão uma vez trouxeram o Hizbut Tehrir (HT), um movimento islâmico que tem uma presença e redes internacionais, sob investigação atenta da comunidade internacional. Após suas atividades religiosas e políticas iniciais no Oriente Médio, o HT hoje tem uma presença visível na Ásia Central. Com seu objetivo de unir todos os muçulmanos do mundo sob aquilo que ele projeta como um perfeito califado islâmico, o HT vê amplas oportunidades para seu crescimento e a realização de sua visão final nos países política e economicamente instáveis dominados pelos muçulmanos na Ásia Central. O HT iniciou seu ativismo primeiro no Usbequistão e no Tajiquistão e estabeleceu-se com força no Vale do Ferghana."

Na realidade, os Illuminati estão usando a presença desses extremistas como uma desculpa para implementarem a "mudança de regime" tão preciosa para seu plano global. E, por que não usar os fundamentalistas islâmicos como a justificativa para os planos de revolução e derrubada de governos? Os dogmas fundamentais do Islã estão situados de tal forma que a própria presença islâmica impede os países sob sua influência de aderirem à economia global tão cobiçada pelos líderes ocidentais. Essa situação convida as ações para "mudanças de regime" pelos governos ocidentais.

Geórgia

Embora o governo da Geórgia tenha sido derrubado e entrado na órbita ocidental alguns anos atrás, o presidente Bush ofereceu palavras de incentivo à sua incipiente "democracia".

Resumo da Notícia: "Bush Leva Palavras de Apoio à Democracia da Geórgia Mas Pouca Ajuda Concreta", AP Breaking News, 11 de maio de 2005.

"Tbilisi, Geórgia (AP) — O presidente Bush não trouxe promessas firmes de ajudar essa ex-república soviética a livrar-se da influência da Rússia, mas teve belas palavras de apoio à jovem democracia da Geórgia e suas aspirações de aderir à OTAN. Algumas dessas palavras provavelmente antagonizarão o Kremlin, incluindo uma crítica ao suporte da Rússia aos governos rebeldes nas duas regiões separatistas da Geórgia. Para o deleite da imensa audiência, Bush ofereceu "fazer um ou dois telefonemas se necessário" — presumivelmente para Moscou — para ajudar a Geórgia a solucionar seus problemas com as províncias separatistas. Mas Bush não ofereceu ajuda concreta para fazer a Rússia retirar as duas bases militares e disse que os EUA não podem impor uma solução na questão separatista."

"A Geórgia — dividida pelos separatistas, profundamente empobrecida e cada vez mais tornando-se uma fonte de irritação para sua vizinha gigante, a Rússia — tinha enormes expectativas antes da visita de Bush, a primeira de um presidente americano à jovem democracia que ainda enfrenta muitas lutas. Em um incidente que poderia ter estragado a visita de Bush, o Serviço Secreto estava investigando um relato que uma granada de mão foi lançada na plataforma enquanto o presidente discursava na ex-república soviética da Geórgia. O artefato não explodiu e foi removido por um agente georgiano da segurança... O grande vencedor com a visita do presidente americano provavelmente foi Saakashvili, o presidente de 36 anos, que é pró-ocidental, e que sorria sempre que ficava ao lado de Bush. Saakashvili conquistou a presidência em janeiro de 2004, com ampla margem de votos, após liderar o protesto da Revolução das Rosas, que derrubou o governo manchado pela corrupção de Eduard Shevardnadze, considerado no passado um herói no ocidente por suas atitudes moderadas como ministro das Relações Exteriores da União Soviética. Alguns georgianos fazem piadas de humor negro dizendo que Shevardnadze brincou com esses lauréis durante anos, enquanto seu país mergulhava cada vez mais no caos..."

Resistência Russa?

Entretanto, a Rússia parece determinada a iniciar uma reação à tentativa americana de fomentar revoluções em países tão estratégicos para seus interesses.

Resumo da Notícia: "Bush e Putin em uma discussão sobre democracia: O líder russo critica o sistema de votação, o presidente americano adverte Moscou a não provocar o medo em seus vizinhos", The Guardian (Londres), 9 de maio de 2005.

"Vladimir Putin e George Bush tiveram uma das mais amargas divergências em sua reputada amizade ontem quanto fizeram críticas dirigidas um ao outro horas antes de um encontro-chave, e depois minimizaram a divergência para as câmeras da televisão. O presidente russo, que receberá 53 líderes mundiais para um desfile militar e uma recepção hoje no Kremlin em comemoração ao sexagésimo aniversário da vitória soviética sobre a Alemanha nazista, disse à CBS News ontem que, ao contrário dos EUA, a Rússia 'não mete seu nariz' no sistema democrático americano... a demonstração pública de amizade foi ofuscada pelas crescente críticas americanas ao estilo autoritário de Putin, e a fúria do Kremlin com a crescente intromissão na ex-URSS."

A política externa do presidente Bush para o Oriente Médio e as invasões ao Iraque e ao Afeganistão já despertaram a Rússia a reentrar no Oriente Médio militar e politicamente de formas que não eram vistas desde o colapso da URSS. A Rússia está agora garantindo pessoalmente a segurança do governo linha-dura do Irã (leia o artigo N2014) e está fornecendo quantidades maciças de suprimentos militares à Síria para garantir sua sobrevivência diante das ameaças americanas.

Em breve, a Rússia estará em posição de liderar o profetizado alinhamento de nações contra Israel, em cumprimento a Ezequiel 38-39 (leia o artigo N2014), e quando esse dia chegar, o mundo poderá agradecer ao presidente Bush por seguir as políticas dos Illuminati. Os eventos estão caminhando para a conclusão profetizada por Deus.



Você está preparado espiritualmente? Sua família está preparada? Você está protegendo seus amados da forma adequada? Esta é a razão deste ministério, fazê-lo compreender os perigos iminentes e depois ajudá-lo a criar estratégias para advertir e proteger seus amados. Após estar bem treinado, você também pode usar seu conhecimento como um modo de abrir a porta de discussão com uma pessoa que ainda não conheça o plano da salvação. Já pude fazer isso muitas vezes e vi pessoas receberem Jesus Cristo em seus corações. Estes tempos difíceis em que vivemos também são tempos em que podemos anunciar Jesus Cristo a muitas pessoas.

Se você recebeu Jesus Cristo como seu Salvador pessoal, mas vive uma vida espiritual morna, precisa pedir perdão e renovar seus compromissos. Ele o perdoará imediatamente e encherá seu coração com a alegria do Espírito Santo de Deus. Em seguida, você precisa iniciar uma vida diária de comunhão, com oração e estudo da Bíblia.

Se você nunca colocou sua confiança em Jesus Cristo como Salvador, mas entendeu que ele é real e que o fim dos tempos está próximo, e quer receber o Dom Gratuito da Vida Eterna, pode fazer isso agora, na privacidade do seu lar. Após confiar em Jesus Cristo como seu Salvador, você nasce de novo espiritualmente e passa a ter a certeza da vida eterna nos céus, como se já estivesse lá. Assim, pode ter a certeza de que o Reino do Anticristo não o tocará espiritualmente. Se quiser saber como nascer de novo, vá para nossa Página da Salvação agora.

Esperamos que este ministério seja uma bênção em sua vida. Nosso propósito é educar e advertir as pessoas, para que vejam a vindoura Nova Ordem Mundial, o Reino do Anticristo, nas notícias do dia-a-dia.

Fale conosco direcionando sua mensagem a um dos membros da equipe de voluntários.

Se desejar visitar o site "The Cutting Edge", dê um clique aqui: http://www.cuttingedge.org

Que Deus o abençoe.

Data de publicação: 30/5/2005
Patrocinado por: S. F. F. C. — Vargem Grande Paulista / SP
Revisão: http://www.TextoExato.com
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/n2037.asp