Escolha uma cor para o fundo:  

Será a Invasão a Israel Liderada Pela Rússia a Primeira Confrontação na História Envolvendo Dois Países Que Detêm a Tecnologia dos Armamentos Escalares?

Recursos úteis para sua maior compreensão

Título do Livro 1


Título do Livro 2


Título do Livro 3

O presidente Putin declara que a Rússia é a protetora do Islã.

As forças armadas de Israel podem estar preparando um ataque contra as instalações nucleares do Irã.

Após ler este artigo, você verá que talvez, Israel seja o único país no mundo que possa atacar com êxito o Irã e que esse ataque poderá deflagrar a decisão da Rússia de invadir Israel, em cumprimento a Ezequiel 38 e 39.

A Nova Ordem Mundial está chegando! Você está preparado?

Compreendendo o que realmente é essa Nova Ordem Mundial, e como está sendo implementada gradualmente, você poderá ver o progresso dela nas notícias do dia-a-dia!!

Aprenda a proteger a si mesmo e aos seus amados!

Após ler nossos artigos, você nunca mais verá as notícias da mesma forma.

Agora você está na
"THE CUTTING EDGE"


O Fim da Harmonia?

A invasão do presidente Bush ao Afeganistão (em 2001) e ao Iraque (em 2003) pode ter sido o maior exemplo de cooperação entre as superpotências na história! Como o coronel Byron Weeks e o tenente-coronel Bearden estão corretos, o armamento escalar norte-americano é primitivo e suas forças armadas estão em clara desvantagem em relação aos armamentos russos e chineses, os EUA só puderam atacar o Afeganistão e o Iraque com o consentimento da Rússia e da China.

Antes de prosseguirmos, vamos parar e examinar a profecia bíblica e o plano dos Illuminati relevantes para produzir o Cristo maçônico.

"Porque Deus tem posto em seus corações, que cumpram o seu intento, e tenham uma mesma idéia, e que dêem à besta o seu reino, até que se cumpram as palavras de Deus." [Apocalipse 17:17].

Plano dos Illuminati: "O roteiro deles está agora escrito, sujeito somente à edição de último minuto e instruções do palco. O próprio palco, embora ainda na escuridão, já está quase pronto. No fundo do poço, a orquestra subterrânea já está afinando seus instrumentos... A maioria dos atores principais, suspeita-se, já assumiu seus papéis. Em breve, será o tempo para eles virem ao palco, prontos para que as cortinas sejam levantadas. O tempo para ação terá chegado." [Peter Lemesurier, The Armageddon Script, pág. 252, leia a resenha].

Tanto essa profecia bíblica quanto essa descrição do plano dos Illuminati estão dizendo a mesma verdade. Os líderes atuais estão "atuando" em harmonia para colocar o Anticristo no cenário internacional, e continuarão a fazer isso até que todas as palavras proféticas de Deus tenham sido cumpridas. Os líderes atuais estão atuando em completa harmonia, exatamente como se pode esperar dos atores em uma peça de teatro. O fato é que todos os principais eventos foram totalmente definidos em um roteiro, e Satanás está garantindo que os pequenos eventos e os atores secundários também sigam o roteiro.

Ah, sim. O roteiro prevê discussões e disputas para o público ver, mas nas principais questões, todos os líderes estão atuando em harmonia. Observamos essa interessantíssima cooperação mais de três anos atrás e escrevemos sobre ela em N1548. Se você ainda não leu esse artigo, pedimos que faça isso agora, pois ajudará grandemente na compreensão dessa questão.

A questão é simples: Dada a superioridade das armas energéticas russas — os sistemas de armamentos de ondas eletromagnéticas escalares e até o mais potente armamento de potencial quântico — sobre qualquer coisa que os EUA possuam, o presidente Bush literalmente invadiu o Afeganistão e o Iraque somente com a permissão da Rússia, da China e das potências européias, todas as quais possuem armamentos escalares avançados que os EUA não têm. Você pode compreender quão importante foi para o presidente Bush obter pelo menos uma expressão simbólica de apoio das Nações Unidas antes de invadir o Iraque?

Entretanto, o presidente russo Putin e os líderes europeus Schröeder e Chirac terminaram sua cooperação logo após as forças da coalizão conquistarem Bagdá. Veja:

Resumo da Notícia: "Nenhum ataque a outros países, Putin adverte os EUA", Sify News, 12 de abril de 2003.

"São Petersburgo — O presidente russo Vladimir Putin advertiu na sexta-feira a coalizão liderada pelos EUA a não atacar outros países sob o pretexto de promover valores capitalistas e democráticos após ter derrotado o regime ditatorial do Iraque. 'Não vamos exportar revoluções capitalistas e democráticas', disse o líder russo aos repórteres, ao mesmo tempo em que os rumores em Washington dão conta que alguns elementos da administração dos EUA estão ruminando o lançamento de operações militares contra outros países do Oriente Médio. 'Se fizermos isso, vamos terminar em uma ladeira escorregadia de conflitos militares intermináveis. Não podemos permitir que isso aconteça', disse Putin em uma conferência conjunta à imprensa com o chanceler alemão Gerhard Schröeder e o presidente francês Jacques Chirac, após manter conversações com eles."

Embora os líderes da Alemanha e da França tenham comparecido a essa conferência de imprensa, o porta-voz foi o russo Putin. Esse fato fala em alta voz a realidade que a Rússia pode ser a única superpotência que está disposta a realmente se posicionar e enfrentar os EUA. Os preparativos militares falam ainda mais alto sobre essa realidade. Além disso, Putin usou a linguagem descritiva "ladeira escorregadia" para descrever as ações dos EUA. Esse termo normalmente é reservado para as circunstâncias muito especiais em que as ações nacionais são vistas como se estivessem criando uma inevitável inclinação para uma guerra total. Essa terminologia me faz lembrar do assassinato do arquiduque austríaco Ferdinando, que colocou o mundo na "ladeira escorregadia" para a guerra que se tornou inevitável. Foram necessários trinta dias completos para o primeiro governo declarar guerra, mas rapidamente depois disso, os governos se alinharam com um dos lados, até que Primeira Guerra Mundial foi iniciada.

Vamos agora continuar a examinar esse artigo:

"O líder russo advertiu especificamente contra as tentativas estrangeiras de mudar o regime na Síria, ao mesmo tempo em que as críticas do governo americano contra Damasco aumentaram continuamente nos últimos dias. Respondendo à pergunta de um repórter sobre uma possível operação militar contra a Síria, Putin disse: 'O Chanceler Schröeder disse hoje que uma mudança de regime poderia vir somente do povo que vive sob esse regime. Eu concordo plenamente com ele.' Após a dissolução do regime iraquiano, representantes do governo norte-americano emitiram uma série de advertências para a Síria, que agora teme que possa ser a próxima na lista para um novo ataque no Oriente Médio." [Ibidem].

Assim, as linhas de batalha parecem ter sido traçadas entre as duas superpotências militares do mundo. Embora a Rússia tenha uma economia que é anã em comparação à dos EUA, ela agora dispõe de forças unificadas e combinadas muito modernas que começou a criar em 1998. Além disso, a Rússia tem armamentos escalares de interferômetro que são superiores a qualquer coisa que os EUA possuam, de tal modo que a Rússia pode na verdade ser a única superpotência do mundo. [Leia os detalhes no artigo N1776].

O quão poderoso é o armamento escalar dos russos, em comparação com as muitas armas modernas que acabam de ser empregadas pelas forças armadas norte-americanas? Veja:

"Temos radares terrestres, interceptores endoatmosféricos, interceptores exoatmosféricos, sensores aéreos, sensores colocados no espaço, interceptores de propulsão química, pistolas eletromagnéticas, armas de feixe de partículas, lasers de alta energia, amarrados todos juntos por sistemas maciços de controle e de comando... Sistemas maciços. Maravilhas eletromagnéticas. Lasers nucleares de poder surpreendente. Talvez até lasers de raios-X e de raios gama. Armas de radiofreqüência de energia dirigida. Railguns estupendos. Sensores em toda a parte. Redes gigantes de comunicações. Bancos de computadores e sistemas de controle."

"E tudo isso está vulnerável aos armamentos de interferômetro eletromagnético. 'Radares' eletromagnéticos escalares gigantes podem simplesmente passar por tudo isso como uma foice pelo meio do feno." [Ibidem, pág. 331].

Se você estudar o armamento escalar, verá que ele pode produzir explosões de proporções nucleares e que se parecem como explosões nucleares, incluindo a nuvem característica no formato de cogumelo, mas sem a radiação; e o armamento escalar viaja na velocidade da luz. Além disso, a tecnologia escalar pode criar um Domo de Tesla sobre um país; sobre uma cidade, ou sobre uma área-alvo específica, e em torno de um avião em movimento — uma proteção tão formidável que nenhuma arma pode penetrar e destruir o alvo.

A América corre o risco de uma derrota militar dramática se cruzar a "linha na areia" que o presidente russo Putin traçou em 12 de abril de 2003 (veja acima).

Com esse conceito em mente, vamos agora examinar a ocorrência atual em que o presidente Putin traçou outra "linha na areia" contra os EUA.

Resumo da notícia: "Putin Chama a Rússia de Defensora do Mundo Islâmico", MosNews, 12/12/2005.

"A Rússia é a parceira mais confiável do mundo islâmico e a defensora mais fiel de seus interesses, disse o presidente russo Vladimir Putin em Grozny, a capital da Chechênia. Putin visitou inesperadamente a república devastada pela guerra para falar no Parlamento local... 'A Rússia sempre foi a defensora mais fiel, confiável e coerente dos interesses do mundo islâmico. A Rússia sempre foi a melhor e mais confiável parceira e aliada. Destruindo a Rússia, essas pessoas [os terroristas] destroem um dos principais pilares do mundo islâmico na luta pelos direitos [dos estados islâmicos] na arena internacional, a luta por seus direitos legítimos', disse Putin, segundo a citação da Itar-Tass, recebendo aplausos dos parlamentares chechenos."

"'Os líderes dos principais países islâmicos compreendem isso, ele acrescentou. 'Por essa razão seus representantes estiveram presentes na votação geral no referendo sobre a Constituição da República da Chechênia, estiveram nas eleições presidenciais; tanto a Organização da Conferência Islâmica e a Liga dos Estados Árabes, nossos colegas e amigos estiveram presentes nas eleições para o parlamento.' Putin disse que 'países-membro da Organização da Conferência Islâmica aprovaram unanimemente uma decisão de permitir que a Rússia trabalhe como observadora em caráter permamente.'"

Essa afirmação é bem enfática e inequívoca! Mesmo se um líder como Putin, da Rússia, favorece realmente assim o mundo muçulmano em relação ao mundo ocidental, pode-se esperar que ele mantenha essas visões radicais caladas. Afinal, a Rússia tem de continuar a se "relacionar bem" com os líderes ocidentais como os EUA em uma ampla variedade de questões — de economia global, à cooperação na produção de petróleo, às políticas em uma ampla frente, mas especialmente no âmbito das Nações Unidas. De acordo com o senso comum, a Rússia simplesmente não pode alienar os Estados Unidos.

Todavia, ao mesmo tempo em que o presidente Bush está usando as armas de destruição maciça (urânio empobrecido) contra o Iraque e o Afeganistão, e embora o furor continue a crescer com relação à estimativa de 100.000 civis iraquianos mortos desde o início da invasão, e embora Bush admita que a América tenha um verdadeiro "problema de imagem" com os muçulmanos, o presidente Putin, da Rússia, arrisca-se a alienar Bush com seu enfático pronunciamento, apesar do já profundo suporte que a Rússia estende aos países islâmicos.

Observe também a palavra que Putin usou para descrever seu suporte aos países islâmicos: Ele chama a Rússia de 'defensora' desses países. Esse é um termo forte e que têm insinuações militares, pois é pela força militar que um país "defende" outro. Se a Rússia está disposta a declarar publicamente que é a principal "defensora" dos países islâmicos, então precisa estar disposta — e capaz — de defender o Islã contra todos os seus inimigos, incluindo aqueles que estão ativamente ameaçando os estados islâmicos "rebeldes", como o Irã e a Síria.

Acreditamos que a Rússia deva ter tomado a firme decisão em abril de 2003, de armar o Irã e a Síria com uma combinação de armamentos defensivos convencionais e escalares que tornaram praticamente impossível para os EUA e/ou a Grã-Bretanha atacar. Será por essa razão que o presidente Bush e seu séqüito têm ameaçado esses dois países desde meados de 2003, somente para voltarem atrás a cada vez?

Chegamos à conclusão que a América simplesmente não possui o armamento necessário para penetrar na combinação de armas defensivas com as quais a Rússia os cercou. Se os EUA atacarem, poderão infligir alguma destruição, mas não produzirão dano suficiente para forçar uma "mudança de regime".

Israel Também Possui Sistemas Energéticos: Armamento Escalar — e Armas de Potencial Quântico?

Entretanto, um país pode ter a capacidade de perfurar a proteção dos sistemas de energia russos. De acordo com o tenente-coronel Bearden, em seu livro Oblivion: America At The Brink — Scalar Weaponry Explained, Illustrated, Israel possui a tecnologia dos armamentos escalares e de potencial quântico suficientes para enfrentar o armamento russo. Veja o que Bearden diz sobre a temível capacidade de Israel, que se assemelha à capacidade dos russos:

Observe que Bearden dá os créditos ao minúsculo Israel por suas bem-sucedidas ações anteriores para impedir a destruição dos Estados Unidos pelos russos. Os anti-semitas deveriam se lembrar desses fatos na próxima vez que quiserem criticar Israel.

"Israel tem armas poderosas de potencial quântico, dissuade muitos cenários (russos) contra os Estados Unidos. Israel tem repetidamente salvo os EUA de ataques estratégicos planejados pela FSB/KGB... Tem pelo menos uma capacidade limitada contra conversão da mente e psicoenergia; pode defender contra 'robôs precursores'". [Oblivion; America At The Brink, pág. 115].

"Em qualquer grande ataque estratégico contra os EUA, a FSB/KGB precisa destruir Israel... devido ao seu armamento de potencial quântico. [Ibidem, pág. 114].

Em seguida, o tenente-coronel Bearden observa uma capacidade energética espetacular que Israel obteve em 1969, e não menciona em seu livro Oblivion que os russos tenham essa capacidade.

"Sid Hurwich deu aos israelenses um dispositivo secreto em 1969. Ele foi demonstrado para a Polícia de Toronto em 1969. Essa tecnologia fisicamente 'travou' um pistão que estava sobre a mesa de modo que ele não podia ser movido ou acionado. Após meia hora na sala para a experiência, os relógios não tinham avançado os ponteiros desde o tempo da entrada." [Ibidem, pág. 159].

"Hurwich recebeu o prêmio 'Protetor do Estado de Israel' em junho de 1976. Essa invenção foi usada em Entebbe, em 3 de julho de 1976, e usada novamente contra os reatores nucleares iraquianos." [Ibidem].

Vamos parar aqui e analisar o que acabamos de aprender. Em 1969, um cientista judeu que trabalhava no campo dos armamentos energéticos forneceu a Israel uma arma fantástica, que podia literalmente fazer as máquinas pararem de funcionar, travando um equipamento tão firmemente que ele não podia nem ser movido. Israel então usou essa arma para destruir os reatores nucleares iraquianos!

Essa informação nos traz ao nosso ponto principal: Israel pode ser o único país ocidental que poderia realmente destruir as instalações nucleares iranianas. As capacidades israelenses no campo da energética (potencial quântico e escalar) são iguais ou praticamente iguais às dos russos. O tenente-coronel Bearden observa que os israelenses intervieram várias vezes nas duas décadas passadas para impedir um ataque energético dos russos contra os EUA.

Portanto, com os EUA e Israel soltando fogo pelas ventas contra a suposta "ameaça" das instalações nucleares iranianas — que a Rússia construiu e está defendendo — somente Israel é na verdade capaz de executar o ataque. Sabendo dessas capacidades, ou da falta delas, você pode começar a entender a política atual e a retórica dinâmica que está ocorrendo neste exato momento com esses países. Vamos examinar cada país envolvido nessa luta retórica com relação ao suposto plano iraniano de usar suas instalações nucleares construídas pela Rússia para a produção de urânio enriquecido, que pode depois ser empregado para a fabricação de ogivas nucleares... (Lembre-se que o Irã já possui essas ogivas nucleares pelo menos desde meados de 2002 — leia as informações no artigo N2047.) O conhecimento que o Irã possui ogivas nucleares há três anos completos torna a retórica oferecida ao público ocidental completamente sem sentido. Em outras palavras, os países ocidentais estão tentando pegar carona na falsa questão do suposto programa nuclear iraniano de modo a fomentar "guerras e rumores de guerras" na região. O Irã não está quase pronto para fabricar ogivas nucleares, pois a verdade é que, pelo menos desde meados de 2002, ele já tem essas ogivas em seu arsenal, prontas para serem usadas.

Vamos agora analisar cada um dos países pertinentes neste conflito de propaganda.

* Estados Unidos — O governo Bush tem ameaçado o Irã quase toda semana desde meados de 2003, logo após as Forças da Coalizão tomarem o controle de Bagdá. Os EUA deslocaram forças para posição de combate, somente para voltarem atrás a cada vez. Se você contasse todas as ameaças proferidas contra o Irã nos três últimos anos, vendo que nenhuma ação foi executada, ficaria surpreso. Até este ponto, as ameaças oficiais do governo Bush contra o Irã têm sido propagandas vazias. As pessoas que estão prestando atenção chegaram à conclusão que a política externa americana é só barulho e nenhuma ação. A credibilidade dos EUA nunca esteve tão baixa;

* Israel — O primeiro-ministro Ariel Sharon e vários de seus subordinados, incluindo generais das Forças de Defesa, têm em grande parte copiado a propaganda norte-americana. Entretanto, as matérias de notícias tendem a pintar um quadro que indica fortemente que Israel poderá realmente executar o ataque contra alvos iranianos. Compreendemos que, se isso ocorrer, Israel provavelmente usará sua capacidade de armamentos energéticos que rivaliza com a dos russos;

* Rússia — Em abril de 2003, o presidente Putin advertiu os EUA a não tentarem derrubar outros regimes na região, como observamos anteriormente. Desde aquele tempo, a Rússia tem gasto muitos bilhões de dólares em capacidade bélica para defender o Irã. Além disso, como observamos anteriormente, na semana passada, Putin garantiu enfaticamente ao mundo islâmico que a Rússia é a "mais fiel defensora de seus interesses". Como também observamos, a palavra 'defensora' implica em posse de capacidade militar e disposição de usá-la.

As declarações públicas da Rússia desde abril de 2003 até agora têm sido cada vez mais fortes em apoio ao Irã. Evidentemente, Putin está mais confiante do que nunca que a Rússia poderá dissuadir qualquer ataque contra as instalações nucleares do Irã por forças norte-americanas ou israelenses;

* Irã — Desde que o novo linha-dura e conservador Mahmoud Ahmadinejad foi "eleito" presidente, as declarações iranianas contra os Estados Unidos e Israel têm crescido gradualmente. O presidente Ahmadinejad tem provocado o presidente Bush e o primeiro-ministro israelense Sharon com palavras agressivas. Recentemente, ele negou a existência do Holocausto e disse que Israel deveria ser riscado do mapa, ou desmantelado e transferido para a Europa!

Essas declarações públicas severas de líderes de alto escalão da Rússia e do Irã não deixam dúvidas que esses líderes estão extremamente confiantes que a Rússia pode e irá defender o Irã contra um ataque americano ou israelense. A credibilidade da Rússia diante de 1,4 bilhão de muçulmanos em todo o mundo está literalmente em jogo. Se Israel conseguir destruir as instalações nucleares iranianas que a Rússia construiu e prometeu defender, o presidente Putin sofrerá uma enorme perda de credibilidade aos olhos dos muçulmanos de todo o mundo.

Cenário do Fim dos Tempos

Essa possibilidade nos traz ao nosso cenário do fim dos tempos de conclusão. Vamos supor que Israel consiga destruir as instalações nucleares iranianas, usando com êxito seus armamentos energéticos para penetrar e neutralizar as defesas russas. Todo o mundo não-ocidental ficaria pasmo! As repercussões explodiriam como bombas nucleares dentro dos gabinetes políticos da Rússia ao Irã, e em todos os outros países que se opõem aos Estados Unidos. Como a mídia de notícia nunca saberia exatamente como as instalações nucleares iranianas foram destruídas, os cidadãos de todos os países concluiriam que algum tipo de armamento convencional e/ou nuclear foi usado; praticamente ninguém suspeitaria que armamentos energéticos avançados foram utilizados. Além disso, como as explosões geradas pelos armamentos energéticos são parecidas com as explosões causadas por outros tipos de armamento, não seria difícil convencer que a destruição foi executada usando armamento convencional.

Entretanto, a agitação política nos círculos diplomáticos russos e iranianos seria muito intensa. Os iranianos furiosos e embaraçados exigiriam resposta dos seus padrinhos russos nos termos mais fortes imagináveis. Você pode imaginar o tipo de linguagem que seria trocada entre os diplomatas iranianos e russos em cada nível dos canais diplomáticos? Os iranianos estariam furiosos e embaraçados por terem confiado tanto na proteção russa que seu presidente linha-dura literalmente fez o papel de bobo diante do mundo com suas declarações antagônicas.

Putin ficaria ainda mais furioso e embaraçado. Ele exigiria resposta de seus generais e cientistas. E SE —

E se os generais e cientistas russos explicassem que, embora pensassem que tinham os tipos e quantidades de armas instaladas que anulariam qualquer tentativa de um ataque israelense contra as instalações nucleares iranianas, essas armas não eram o complemento completo das capacidades energéticas russas?

E se eles explicassem que o único modo em que a capacidade energética de Israel pode ser destruída é se a Rússia empregar seu Exército e Força Aérea de primeira linha que estão totalmente equipados com o arsenal completo de armas energéticas?

Putin provavelmente volveria seus olhos para uma invasão a Israel usando unidades militares de vanguarda totalmente equipadas com todo o tipo de armamento avançado escalar e de potencial quântico que a Rússia possui. Como os países islâmicos armados pela Rússia nunca foram capazes de destruir Israel, poderia Putin concluir que o único modo de destruir o irritante e minúsculo Israel é mover uma força gigantesca contra ele, uma força armada com todas as capacidades dos armamentos energéticos. Israel teria a capacidade de destruir algumas das forças russas, mas não poderia destruí-las completamente antes de ele mesmo ser aniquilado.

Quando as forças russas começarem a se deslocar contra Israel, as nações listadas em Ezequiel 38-39 como acompanhantes estarão mais dos que dispostas a aderir na marcha da maior força militar já formada. Os líderes iranianos serão os primeiros a se apresentar como voluntários para marchar com os russos, decididos a se vingar do estado judaico.

Nesse ponto, Putin poderá muito bem ter em mente o plano de usar seu armamento energético para destruir Israel. Se esse cenário ocorrer, o cumprimento da invasão liderada pela Rússia contra Israel poderá se desdobrar como o primeiro combate direto entre forças equipadas com armamento energético — armas de Interferômetro Escalar, armas de Potencial Quântico, e outras armas energéticas exóticas descritas no livro do tenente-coronel Bearden, Oblivion: America At The Brink — Scalar Weaponry Explained, Illustrated.

Portanto, não fique surpreso se ouvir algum dia destes que forças israelenses destruíram as instalações nucleares do Irã. A mídia de massa ocidental dirá que a destruição foi por armas convencionais, pois não tem idéia alguma dos sistemas exóticos dos Armamentos Energéticos. A mídia fará isso por que as explosões e outros efeitos que serão informados imitam as explosões e efeitos destrutivos causados pelas armas convencionais.

Entretanto, essa destruição não resultará em "mudança de regime" dentro do Irã, pois o governo iraniano é dirigido por um linha-dura severo, exatamente o tipo de governo necessário para colocar as forças iranianas em marcha com a Rússia contra Israel.

Dois eventos têm de ocorrer antes de os russos liderarem um consórcio de exércitos contra Israel:

  1. O Anticristo precisa aparecer após a guerra das "dores de parto finais", que os Illuminati chamam de Terceira Guerra Mundial;

  2. Os Estados Unidos precisarão ser destruídos, pois sempre defenderam Israel

Nesse ponto, Daniel 7:7-8 terá de ser cumprido.

Vivemos em tempos emocionantes e trabalhosos. As profecias bíblicas referentes ao fim dos tempos serão cumpridas ao pé da letra, e o armamento energético, tanto do lado russo quanto do israelense provavelmente terá um papel-chave.



Você está preparado espiritualmente? Sua família está preparada? Você está protegendo seus amados da forma adequada? Esta é a razão deste ministério, fazê-lo compreender os perigos iminentes e depois ajudá-lo a criar estratégias para advertir e proteger seus amados. Após estar bem treinado, você também pode usar seu conhecimento como um modo de abrir a porta de discussão com uma pessoa que ainda não conheça o plano da salvação. Já pude fazer isso muitas vezes e vi pessoas receberem Jesus Cristo em seus corações. Estes tempos difíceis em que vivemos também são tempos em que podemos anunciar Jesus Cristo a muitas pessoas.

Se você recebeu Jesus Cristo como seu Salvador pessoal, mas vive uma vida espiritual morna, precisa pedir perdão e renovar seus compromissos. Ele o perdoará imediatamente e encherá seu coração com a alegria do Espírito Santo de Deus. Em seguida, você precisa iniciar uma vida diária de comunhão, com oração e estudo da Bíblia.

Se você nunca colocou sua confiança em Jesus Cristo como Salvador, mas entendeu que ele é real e que o fim dos tempos está próximo, e quer receber o Dom Gratuito da Vida Eterna, pode fazer isso agora, na privacidade do seu lar. Após confiar em Jesus Cristo como seu Salvador, você nasce de novo espiritualmente e passa a ter a certeza da vida eterna nos céus, como se já estivesse lá. Assim, pode ter a certeza de que o Reino do Anticristo não o tocará espiritualmente. Se quiser saber como nascer de novo, vá para nossa Página da Salvação agora.

Esperamos que este ministério seja uma bênção em sua vida. Nosso propósito é educar e advertir as pessoas, para que vejam a vindoura Nova Ordem Mundial, o Reino do Anticristo, nas notícias do dia-a-dia.

Fale conosco direcionando sua mensagem a um dos membros da equipe de voluntários.

Se desejar visitar o site "The Cutting Edge", dê um clique aqui: http://www.cuttingedge.org

Que Deus o abençoe.

Data de publicação: 26/12/2005
Patrocinado por: S. F. F. C. — Vargem Grande Paulista / SP
Revisão: http://www.TextoExato.com
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/n2097.asp.