Escolha uma cor para o fundo:  

As Chamas da Guerra Estão Agora Encobrindo os Países Que Constituem as Supernações 7 e 8

Recursos úteis para sua maior compreensão

Título do Livro 1


Título do Livro 2


Título do Livro 3

Guerras, revoluções e ameaças contra países individuais estão agora envolvendo a região do Oriente Médio e da África, onde as supernações 7 e 8 estão planejadas para serem formadas. Essas duas supernações estão provavelmente "em obras" agora. O plano do "Novo Mapa-Múndi do Pentágono" está sendo seguido com exatidão!

A Nova Ordem Mundial está chegando! Você está preparado?

Compreendendo o que realmente é essa Nova Ordem Mundial, e como está sendo implementada gradualmente, você poderá ver o progresso dela nas notícias do dia a dia!!

Aprenda a proteger a si mesmo e aos seus amados!

Após ler nossos artigos, você nunca mais verá as notícias da mesma forma.

Agora você está com a
"THE CUTTING EDGE"

O Novo Mapa-Múndi do Pentágono

Se você tem prestado atenção nas notícias dos últimos meses, observou uma elevação dramática nos ataques, assassinatos, homens-bomba suicidas e violência de todo o tipo em uma área muito específica do mundo — a região dos países "do vão não integrado"! Que região é esta e por que seria especificamente visada para a guerra?

Separe alguns momentos para ler nosso artigo original sobre este assunto, N1833B, intitulado "O Mundo Está em Chamas no Vão dos Países Não Integrados"! Esta área do mundo é mostrada na gravura acima.

Citando excertos do artigo N1833B:

Quando você compreender a realidade que alguns países e regiões estão ficando atrasados em relação ao resto do mundo na incorporação à economia e aos governos globalizados, e precisam ser forçados aos pontapés para que ingressem plenamente no sistema mundial, compreenderá por que os EUA estão agora em guerra, e por que continuarão indo à guerra no Oriente Médio, na Península Coreana, na Indonésia, no Paquistão, em Cuba, na Somália, no Timor Leste, etc.

Todo este pensamento estratégico do Pentágono está delineado em um livro intitulado The Pentagon's New Map (O Novo Mapa do Pentágono), de Thomas P. M. Bernett. O autor é professor no Colégio de Guerra Naval dos EUA e um pesquisador-sênior em Estratégia.

De acordo com o pensamento iluminista existem somente dois tipos de países no mundo hoje:

  1. Países que já estão funcionando no novo sistema global, ou que estão caminhando clara e firmemente nessa direção — o chamado "Núcleo Funcional".

  2. Países que não estão atualmente funcionando no sistema global e provavelmente não farão isso em um futuro previsível, a não ser que sejam forçados pelas tropas dos EUA ou da Europa, ou pela ameaça de uma invasão. Esses países são chamados de "Vão Não-Funcional".

A estratégia que está sendo seguida pelos EUA e pela União Europeia é a de "encurtar o vão".

Em outras palavras, o Pentágono desenvolveu uma estratégia global, que irá:

  1. Explicar a natureza da guerra e da paz no século 21.
  2. Definir os parâmetros de onde as forças militares norte-americanas provavelmente serão enviadas no futuro.

  3. Delinear o papel singular que os EUA podem exercer para estabelecer a estabilidade internacional.

Ou seja: a nova estratégia do Pentágono está determinando onde os EUA foram à guerra, contra quem, e com que propósito, desde os ataques de 11/9/2001! Há muito tempo que afirmamos em nossos artigos que as áreas do mundo atacadas pelas forças norte-americanas durante o governo Bush foram muito bem estudadas anos antes daquele evento. O livro O Novo Mapa do Pentágono simplesmente confirma nossa crença original.

Usando este livro, publicado em 2002, descobrimos que nossas predições de guerras de longo prazo no Afeganistão e no Iraque estavam absolutamente corretas. Entretanto, também verificamos que outros países dentro desse "vão não integrado" sofrerão com as chamas da guerra, ameaças de guerra, colapso econômico e outras pressões destinadas a forçá-los a entrarem no "núcleo funcional"! Agora que as guerras no Afeganistão e no Iraque estão diminuindo de intensidade, chegou o tempo para levar as guerras e pressões para "mudança de regime" para outros países do "vão não-integrado".

Mas, vamos entrar um pouco mais neste livro, pois o autor está ligado a um centro de estudo e debates da Marinha, e é muito arrogante. Veja:

"Nossa próxima guerra no Golfo marcará um ponto histórico — o momento quando Washington tomará posse real da segurança estratégica na era da globalização". [pág. 174].

Você pode imaginar a arrogância dessa afirmação? O governo de Washington planeja "tomar posse real da segurança estratégica" quando invade, ou ameaça invadir, países individuais! Essa soberba afirmação revela que os líderes militares e políticos dos EUA veem o país literalmente como o King Kong do mundo, e todos os outros países como macaquinhos com os quais podem fazer o que quiserem!

Com este pensamento em mente, vamos examinar as áreas do mundo dentro desta região onde os fogos da guerra estão subindo alto. Entretanto, antes de iniciarmos, vamos indicar dois mapas detalhados para que você possa localizar geograficamente os países citados neste artigo.

Oriente Médio: http://www.lib.utexas.edu/maps/middle_east_and_asia/middle_east_pol_2003.jpg

África: http://www.lib.utexas.edu/maps/africa/africa_pol_2003.jpg

Agora, vamos analisar os países que estão sendo incendiados pelos Illuminati:

PaquistãoResumo da Notícia: "Desesperado, Gilani procura as opções para salvar o governo', The Times of India, 3 de janeiro de 2011.

"Islamabad: O fragilizado primeiro-ministro do Paquistão, Yousuf Raz Gilani, fez na segunda-feira uma proposta para o partido de oposição PML-Q em uma tentativa desesperada de fortalecer seu governo. O clamor para sua renúncia cresceu um dia depois que o aliado-chave MQM retirou seu suporte da coalizão."

Quais fatores causaram a crise política que ameaça derrubar o governo paquistanês?

Outra questão está continuando a antagonizar muitos cidadãos comuns: os brutais e mortais ataques de mísseis feito pelas forças de ocupação norte-americanas usando aviões não tripulados (também chamados de VANTs, ou drones), que estão matando muitos civis. O governo paquistanês têm protestado repetidamente contra o uso injustificável desses aviões como uma violação de sua soberania nacional, porém esses protestos têm caído em ouvidos surdos em Washington.

O governo americano tem se recusado a tomar qualquer medida solicitada por seu aliado, o Paquistão, que abrande esta crise; é preciso então perguntar se os líderes no governo dos EUA querem a queda do Paquistão. Mas, por que a Casa Branca quereria a queda do Paquistão? Desde os eventos de 11/9/2001, o Paquistão tem sido um aliado muito relutante na "Guerra Contra o Terror". Suas forças armadas são há muito tempo acusadas de apenas fazerem encenação quando se trata de realmente enfrentar o Talibã. As forças armadas enviam tropas para uma área sabidamente ocupada pelo Talibã, mas não tentam realmente erradicá-lo. Os líderes paquistaneses também são acusados de apaziguarem superficialmente Washington com uma mão, enquanto tratam o Talibã com brandura.

Se o Paquistão cair, então toda a região afundará imediatamente no caos — o tipo de caos que os Illuminati usarão para seu próprio benefício, para reestruturar a região.

Iêmen e SudãoResumo da Notícia: "O Pentágono Reforça o Arsenal do Iêmen à Medida Que Cresce o Espectro da Guerra", Wired Magazine, 3 de setembro de 2010.

"O Iêmen é o novo Paquistão — bem, pelo menos para muitos no Pentágono, na Casa Branca e na comunidade de Inteligência. Espiões americanos acham que a afiliada iemenita da Al-Qaeda é a rede terrorista com maior probabilidade de atacar os EUA. Exatamente como os 400 milhões de dólares em 'fundos da contra-insurgência' do governo dos EUA para o Paquistão tentaram obter para os militares paquistaneses armas específicas para lutar contra a Al-Qaeda, o Pentágono já deu ao Iêmen 155 milhões de dólares em helicópteros, veículos Humvees, rádios e aviões de transporte de tropas para conter a ameaça terrorista crescente. Espere ver a expansão de tudo isto."

Esta justificativa é simplesmente a mentira oficial para expandir a guerra até o Iêmen.

Resumo da Notícia: "Al-Qaeda na Península Arábica Reivindica Responsabilidade por 50 Ataques no Iêmen", Global Arab Network, 2 de janeiro de 2011.

"Iêmen (Sana) — A Organização Al-Qaeda na Península Arábica declarou no sábado que foi responsável por cerca de 50 operações realizadas em diferentes partes do Iêmen nos cinco meses finais do ano passado..."

Como já declaramos em diversas ocasiões nos últimos nove anos, o misterioso (e talvez irreal) grupo chamado Al-Qaeda tem se expandido gradualmente e agora cobre qualquer um que se oponha às guerras do Ocidente no "Vão dos Países Não-Integrados". A transição dos termos na Guerra Iraquiana foi muitíssimo instrutiva. Nos quatro primeiros anos da guerra, a mídia de massa rotineiramente se referia às forças que lutavam contra a coalizão como "militantes iraquianos". Em seguida, a partir de início de 2008, a mesma mídia de massa começou a se referir a esses mesmos combatentes como "Al-Qaeda". Este termo agora foi estendido para o mundo todo e está fornecendo à elite global seu bicho-papão contra o qual ela pode entrar em guerra!

O Sudão também está em evidência.

SomáliaResumo da Notícia: "Somália: Homem-Bomba Suicida Ataca na Entrada do Palácio Presidencial", The New York Times, 20 de setembro de 2010.

"Um homem-bomba suicida ligado à Al-Qaeda se explodiu e feriu dois soldados na entrada do palácio presidencial em Mogadishu na segunda-feira. O homem-bomba, armado com um fuzil automático, tentou saltar sobre um veículo blindado de um comboio das tropas de paz da União Africana que estava se dirigindo para o interior do palácio... Quando os soldados da tropa da União Africana dispararam contra o homem-bomba, ele lançou uma granada contra eles e detonou seu dispositivo de explosão. O atacante foi posteriormente identificado como um guarda da equipe de segurança do ex-Ministro do Interior, que tinha deserdado para o Shabad, um grupo islâmico rebelde vinculado com a Al Qaeda."

Quando você analisa os mapas referidos anteriormente, vê a importância estratégica da posição da Somália. Parte de seu território está diante do Golfo de Áden e se prolonga até a entrada do Mar Vermelho!

O governo de Washington está prestes "a tomar posse real da segurança estratégica" em uma seção que está diante de um oceano estratégico — o Iêmen, a Somália, o Sudão, e a Arábia Saudita estão todos diante do Mar Vermelho, do Golfo de Áden, do Mar da Arábia e do Golfo Pérsico!

Agora, vamos desviar nossa atenção para as regiões sul e central do continente africano.

Costa do MarfimResumo da Notícia: "Laurent Gbagbo, presidente da Costa do Marfim, diz que não renunciará", China News, 1/1/2011.

"Abidjan, 31 de dezembro (Xinhua) — Laurent Gbagbo, da Costa do Marfim, disse na sexta-feira que não renunciará à presidência."

Na mensagem de Ano Novo à nação, Gbagbo disse que não irá entregar o cargo. Ele também descreveu a proposta para ele sair como uma 'tentativa de golpe de estado'."

"Gbagbo disse que ninguém tem o direito de propor que exércitos estrangeiros invadam seu país. 'O maior dever que temos com nosso país é defendê-lo de um ataque estrangeiro', ele disse."

Lembre-se das palavras do autor do Colégio de Guerra Naval, autor de 'O Novo Mapa do Pentágono':

"Sempre que as tropas americanas aparecem — seja em combate, um grupo de batalha naval aproximando-se da costa como um 'lembrete', ou uma missão de paz — isto tende a ser em um local que está relativamente desconectado do mundo, onde a globalização ainda não fincou raízes por causa de um regime repressivo, da abjeta pobreza, ou devido à falta de um sistema jurídico robusto. São nesses lugares que o terrorismo global é incubado. Trace uma linha em torno desses envolvimentos militares e você terá aquilo que chamo de 'Vão dos Países Ainda Não Integrados'."

Os países que não estão adequadamente "conectados" ao sistema global econômica ou politicamente deverão "garantir uma resposta militar americana", isto é, uma invasão, ou ameaça de invasão, e certamente uma exigência do público para uma "mudança de regime". Esses países desconectados são chamados de "Vão Não Funcional" e, de uma forma realmente arrogante e petulante, esse autor ameaça invadir esses países. Veja:

"Assim, onde programamos a próxima rodada de jogos distantes para as forças armadas dos EUA? O padrão que emergiu desde o fim da Guerra Fria sugere uma única resposta: no Vão". [pág. 174].

A Costa do Marfim está bem dentro do "Vão Não Integrado" e seu presidente sabe disto muito bem. Se uma invasão ocorrer, poderá ser por parte da organização-marionete chamada de "União Africana". Os líderes da UA estão ameaçando o presidente Gbagbo com invasão, a não ser que ele renuncie. Mais uma vez, a ameaça de invasão se encaixa perfeitamente com o cenário delineado em "O Novo Mapa do Pentágono". De um modo ou de outro, os Illuminati vão destabilizar a Costa do Marfim para que o país possa ser "levado aos pontapés" para dentro da Nova Ordem Mundial. Outros países da região poderão então entender o recado e dar início às suas próprias reformas para evitarem um destino similar.

As Supernações 7 e 8 Estão Sendo Formadas — De Acordo com o "Novo Mapa do Pentágono"

Os Illuminati criaram um plano para reorganizar o mundo em exatamente dez supernações, em cumprimento exato a Daniel 7:7-8. Aqui estão os blocos regionais a serem formados:

  1. América do Norte
  2. Europa Ocidental
  3. Japão
  4. Austrália, África do Sul e o restante das economias de mercado do mundo desenvolvido
  5. Europa Oriental, incluindo a Rússia
  6. América Latina
  7. Norte da África e Oriente Médio
  8. África Tropical
  9. Sul e Sudeste Asiático
  10. China

Nossa tese é que as guerras, ameaças de guerras, pressões econômicas e o isolamento diplomático nestes países estão desestabilizando as supernações 7 e 8. Quais são os países dentro da área mostrada neste mapa para as supernações?

Supernação 7 — Norte da África e Oriente Médio:

Marrocos, Argélia, Líbia, Egito, Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Catar, Israel, Síria, Jordânia, Iraque, Iêmen, Omã, Paquistão e Afeganistão.

Supernação 8 — África Tropical:

Saara Ocidental, Mauritânia, Senegal, Mali, Guiné, Serra Leoa, Libéria, Costa do Marfim, Burkina Faso, Gana, Benin, Togo, Benin, Níger, Nigéria, Camarões, Chade, República Centro-Africana, República do Congo, República Democrática do Congo, Angola, Zâmbia, Namíbia, Somália, Tanzânia, Sudão, Somalilândia, Zimbábue, Moçambique, Uganda, Quênia, Etiópia, Eritreia, Djibouti, etc.

Estamos vendo o início da implementação do "Novo Mapa do Pentágono", com o objetivo de destabilizar certos países para que os Illuminati possam vir e interferir para criar as supernações 7 e 8. Se você olhar atentamente para os países que listamos e que estão atualmente enfrentando guerras, ameaças de guerras e pressões econômicas, verá que eles se encontram em regiões específicas dentro dessas duas supernações.

Por exemplo, a Costa do Marfim está sob ameaça de invasão por tropas estrangeiras, a não ser que o presidente atual renuncie e deixe o cargo. Os países vizinhos à Costa do Marfim entenderão o recado que também estão na fila para invasão futura, a não ser que atendam às exigências da elite global.

Os cristãos bíblicos têm mais um motivo para exultar, pois com o movimento dos Illuminati para criarem a Supernação 7 (Norte da África e Oriente Médio) e a Supernação 8 (África Tropical), estamos vendo o cumprimento da profecia bíblica de Daniel 7:7-8.

Não tenho ideia de quanto tempo esse processo de desestabilização seguido por reorganização levará, porém sabemos que ele já começou. Verdadeiramente, estamos no fim dos tempos!



Você está preparado espiritualmente? Sua família está preparada? Você está protegendo seus amados da forma adequada? Esta é a razão deste ministério, fazê-lo compreender os perigos iminentes e depois ajudá-lo a criar estratégias para advertir e proteger seus amados. Após estar bem treinado, você também pode usar seu conhecimento como um modo de abrir a porta de discussão com uma pessoa que ainda não conheça o plano da salvação. Já pude fazer isso muitas vezes e vi pessoas receberem Jesus Cristo em seus corações. Estes tempos difíceis em que vivemos também são tempos em que podemos anunciar Jesus Cristo a muitas pessoas.

Se você recebeu Jesus Cristo como seu Salvador pessoal, mas vive uma vida espiritual morna, precisa pedir perdão e renovar seus compromissos. Ele o perdoará imediatamente e encherá seu coração com a alegria do Espírito Santo de Deus. Em seguida, você precisa iniciar uma vida diária de comunhão, com oração e estudo da Bíblia.

Se você nunca colocou sua confiança em Jesus Cristo como Salvador, mas entendeu que ele é real e que o fim dos tempos está próximo, e quer receber o Dom Gratuito da Vida Eterna, pode fazer isso agora, na privacidade do seu lar. Após confiar em Jesus Cristo como seu Salvador, você nasce de novo espiritualmente e passa a ter a certeza da vida eterna nos céus, como se já estivesse lá. Assim, pode ter a certeza de que o Reino do Anticristo não o tocará espiritualmente. Se quiser saber como nascer de novo, vá para nossa Página da Salvação agora.

Esperamos que este ministério seja uma bênção em sua vida. Nosso propósito é educar e advertir as pessoas, para que vejam a vindoura Nova Ordem Mundial, o Reino do Anticristo, nas notícias do dia a dia.

Fale conosco direcionando sua mensagem a um dos membros da equipe de voluntários.

Se desejar visitar o site "The Cutting Edge", dê um clique aqui: http://www.cuttingedge.org

Que Deus o abençoe.

Data da publicação: 13/1/2011
Transferido para a área pública em 26/2/2012
Revisão: http://www.TextoExato.com
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/n2436.asp