A Terceira Fase da Loucura: Por Que o Maligno Nunca Descansa?

Autor: Jeremy James, Irlanda, 8/12/2019.

O filme Gaslight (de 1944) dramatizou um modo controlador de comportamento, que mais tarde veio a ser conhecido como gaslighting (inversão da realidade). No filme, o protagonista que cria o esquema tenta convencer sua mulher que ela está ficando louca. Ele faz isso movendo os objetos de suas posições usuais e, por outros truques similares, convence a pobre mulher que ela está perdendo o controle sobre suas faculdades mentais e do mundo real.

[NT: Outra definição de gaslighting é "uma frequência crescente na retenção sistemática de informações factuais e/ou no fornecimento de informações falsas para a vítima — tendo o efeito gradual de torná-la mais ansiosa, confusa e menos capaz de confiar em suas próprias memórias e percepções."].

A Inversão da Realidade É um Artifício de Controle Mental

Como um estrategma de controle mental, a inversão da realidade funciona fazendo a manipulação silenciosa de algum aspecto da nossa realidade. Isto pode ser tão simples quanto uma pessoa ouvir receptivamente os conselhos bem-intencionados de um conhecido e depois ignorá-los completamente. A pessoa que deu os conselhos fica em um estado de confusão — Será se eu me expressei de forma clara? Ele realmente queria seguir meus conselhos? Será se não compreendi corretamente a situação? Em resumo, o indivíduo sente-se diminuído, ou inefetivo, embora nem uma palavra de crítica tenha sido direcionada contra ele.

No local de trabalho, os assediadores frequentemente usam a inversão da realidade para intimidar seus colegas, especialmente aqueles que ocupam cargos inferiores. Como a vítima nunca pode entender exatamente onde ela se situa em relação a essa pessoa, ou como suas emoções estão sendo manipuladas, ela sempre está em desvantagem ao lidar com essa pessoa.

Algumas figuras de linguagem surgiram ao longo dos anos para descrever esse estranho fenômeno, em que algum aspecto da realidade é ignorado, como se não existisse. Talvez o mais conhecido seja "o elefante na sala". Todos veem o elefante, porém ninguém quer falar sobre ele. Isto não é uma genuína inversão da realidade, mas pode chegar muito perto, especialmente onde a fé está envolvida. Este também é um termo que usamos para descrever um conflito decisivo entre as intenções declaradas de uma pessoa e suas verdadeiras intenções. Isto é até reconhecido em um tribunal de justiça, onde a gravidade de um crime é aumentada se houver má fé envolvida.

Estamos revendo esses termos por que eles mostram, por um lado, o quão prevalente este fenômeno se tornou em nossa sociedade e, por outro lado, o quão difícil é descrever com exatidão. Francamente, nunca esperamos que alguém que conhecemos ignore algo à plena vista, bem diante de seus olhos. Quando eles fazem isso, ficamos perplexos. Estamos enganados? Eles estão enganados? Eles estão fingindo, ou estão mentindo?

Malignamente, o truque dos Illuminati de ocultarem algo à plena vista é outra forma de inversão da realidade.

As Quatro Fases da Loucura em Massa

Ao longo dos últimos 50 anos, aproximadamente, a deliberada obfuscação, distorção ou negação da realidade tem sido levada para um novo nível. Para apreciar como isto apareceu, precisamos recuar até o século 16. A Reforma já tinha ocorrido e a Contra-Reforma, patrocinada pelos Jesuítas, estava em carga total. Um sacerdote polonês conhecido como Copérnico afirmou, sem qualquer evidência objetiva, que o Sol estava no centro do universo. Na verdade, o conceito de um "universo" nem sequer existia naquele tempo, mas foi introduzido como parte da assim chamada Revolução de Copérnico. Todos foram solicitados a negar a evidência de seus sentidos físicos e aceitar as afirmações dele que a Terra era uma bola, que girava em seu próprio eixo a cada 24 horas, e movia-se pelo assim chamado vácuo do espaço a uma velocidade surpreendente, que mais tarde afirmaram ser de 66.666 milhas por hora (ou 100.000 km por hora).

Por meio de propaganda inteligente, estendida ao longo de um período de dois séculos, ou mais, o público veio a aceitar essa hipótese não comprovada. Eles tinham sido treinados para ignorar a evidência dos seus sentidos e acreditar em alguma coisa que era totalmente irracional.

Mas, por que Deus criaria uma bola giratória e a colocaria em um vasto vácuo sem vida, orbitando a uma velocidade altíssima ao redor de uma bola de fogo gigantesca? Além disso, por que Ele faria alguma coisa que claramente está em conflito com a cosmologia apresentada em Sua Palavra?

A Primeira Fase

A maioria das pessoas hoje ainda acredita no conto de fadas, apesar de tudo que seus sentidos físicos lhes dizem. Se a Terra estivesse se movendo pelo espaço, então as posições relativas percebidas das constelações mudariam continuamente, mas isto nunca acontece. Se a Terra estivesse se movendo a uma grande velocidade — ou até em uma velocidade baixa — seu movimento causaria distúrbios catastróficos na crosta terrestre, na atmosfera e nos oceanos. Nossos próprios movimentos corporais também seriam afetados pelo poderoso momento angular gerado pela suposta rotação da Terra — mais de 1.600 km/h na linha do equador.

Além disso, se a Terra estivesse girando em seu próprio "eixo", o tempo de viagem aérea de Nova York até Londres seria uma minúscula fração do tempo necessário para fazer a mesma viagem no sentido contrário. Entretanto, como todos sabemos, as duas viagens têm aproximadamente a mesma duração. Para um exame detalhado do modo como a assim chamada ciência está sendo usada para enganar a humanidade, veja nossos ensaios sobre o tema da Terra plana e estacionária ("O Exército do Céu e Nossa Terra Plana e Estacionária", "A Tenda em Que Todos Nós Habitamos: Por Que o Céu É Azul", "A Realidade Bíblica x Realidade Alternativa Satânica", e "Cosmologia Bíblia, Conforme o Senhor, em Sua Misericórdia, nos Revelou"). Eles mostram como uma noção absurda — se promovida fortemente o suficiente por aqueles que estão em posição de autoridade e disfarçada como "ciência" — pode nos fazer negar a evidência dos nossos próprios sentidos.

A Segunda Fase

Por volta do início do século 20, a Elite começou a solapar a confiança que colocamos na nossa compreensão emocional da realidade. Nesta fase, os atos mais vis e repugnantes foram tratados como "normais" sob certas circunstâncias. Independente de quão repugnantes eles possam ser para nossas sensibilidades emocionais, fomos treinados para ignorá-los, ou varrer o horror deles para baixo do tapete.

A Primeira Guerra Mundial foi um exercício deliberadamente bárbaro em sacrifícios de crianças, em que os maçons que controlavam a Grã-Bretanha, França e Alemanha conspiraram para produzir um banho de sangue na Cristandade. Uma imensa proporção dos soldados mortos naquele exercício fútil era de rapazes na faixa etária de 14-18 anos, e quase todos eram cristãos professos, de um tipo ou outro. A carnificina em Somme, por exemplo, foi um ato profundamente insano a partir de uma perspectiva militar, mas foi repetido diversas e diversas vezes, dia após dia, até que os campos de batalha de Flandres ficaram encharcados com o sangue das crianças. (Você já se perguntou por que o cristão em "The Simpson" chamava-se Flandres?).

As pessoas da Europa foram ensinadas a se desconectar emocionalmente de uma realidade cruel criada pelo homem. Essa doutrinação sinistra continuou até a Segunda Guerra Mundial, quando o barbarismo foi estendido para uma ampla proporção da população civil. O trauma resultante tornou muito difícil, dali para a frente, a sociedade rejeitar qualquer coisa unicamente com base no fato de aquilo ser profundamente repugnante.

Nossa conexão emocional com a verdade foi severamente danificada. Isso permitiu que a Elite legalizasse a homossexualidade e o aborto — o que ocorreu na Grã-Bretanha em 1967. O senso compartilhado de revolta que deveríamos experimentar com o homicídio de uma criança nascitura, ou com o ato contrário à natureza da homossexualidade, agora foi suprimido. A sociedade tinha sucumbido para a segunda fase da loucura, em que nosso contato emocional com a realidade torna-se corrompido e não funciona mais corretamente.

A Negação Insidiosa da Realidade

Desde aproximadamente 1650 até 1900, a Elite estava invertendo a realidade daquilo que nossos sentidos físicos nos diziam. Depois, a partir de 1900, começando com a Guerra dos Boers, até o ano 2000, eles se concentraram em fazer a inversão da realidade daquilo que nossos sentidos emocionais nos diziam. E, ao longo dos últimos 15 anos, ou pouco mais, eles começaram a se concentrar em fazer a inversão da realidade daquilo que nossos sentidos mentais nos dizem.

A Primeira Fase requereu aproximadamente 250 anos, a segunda em torno de 100 anos e a fase atual já colheu resultados impressionantes em apenas 20 anos. Talvez não demore muito para que eles avancem para a Fase 4, a inversão da realidade da nossa conexão espiritual com Deus. Esta é a realidade final que precisa ser destruída, ou pervertida, para que o Anticristo possa escravizar a alma da humanidade.

O Maligno nunca descansa. Se a Terceira Fase durar mais dez anos, aproximadamente, e a Quarta Fase requerer vinte anos adicionais para ser implementada, então o Anticristo pode entrar em cena e se revelar por volta do ano 2050.

Um Exame da Terceira Fase

Este ensaio está interessado principalmente com a Fase 3 da Loucura em Massa, aquela em que estamos agora. À medida que você ler nossos exemplos, tenha em mente que aquilo que está acontecendo hoje foi planejado há muito tempo. A Elite necessitava das Fases 1 e 2 para colocar o mundo no ponto em que ele está agora.

Na Fase 3, as massas estão sendo treinadas a subjugar e depois ignorar sua capacidade de raciocinar. Isto está sendo alcançado, não por meio da introdução de modos falsos de raciocinar, mas rompendo a conexão entre razão e realidade. Já escrevemos sobre o pensamento mágico (veja nosso ensaio "A Técnica de Controle Mental Conhecida como Pensamento Mágico") e uma incapacidade geral em toda a sociedade de distinguir consistentemente entre causa e efeito.

Na Fase 3, estamos testemunhando a substituição da razão pela imaginação. Os jovens estão sendo condicionados a acreditar que podem "realizar seus sonhos", não por meio do estudo e do aprendizagem, mas "acreditando em si mesmos" e imaginando continuamente onde querem estar. O mundo real e o mundo da animação estão sendo misturados e se confundindo um com o outro. Muitos adultos estão agora convencidos que certos problemas podem ser solucionados somente se pessoas suficientes acreditarem que eles podem ser solucionado.

A campanha de Obama utilizou uma frase que resumia isto: "Sim, podemos!" As massas estão sendo programadas, por esta e por outras frases e chavões, para lidar com as questões no mundo real, como se essas questões pudessem ser solucionadas unicamente por meio da imaginação e da fé.

Vejamos uma ilustração simples de quanto o poder da razão decaiu. O carro elétrico está sendo divulgado como uma solução para o "aquecimento global". Em vez de queimar hidrocarbonetos, como petróleo e gás, usaremos a eletricidade, que não prejudica o meio ambiente. Mas, de onde vem a eletricidade? A maior parte vem das centrais térmicas que queimam óleo diesel.

Isto é inversão da realidade em todos os sentidos!

Entretanto, as questões tomam uma direção muito mais séria quando essa técnica tenebrosa é usada para transformar homens em mulheres, e vice-versa, como por mágica, ou defender que podemos escolher nosso gênero, ou afirmar que existem mais de 100 gêneros. Isto se torna verdadeiramente obsceno quando permite que o homicídio de crianças recém-nascidas seja descrito pelos acadêmicos como um aborto pós-nascimento, ou um pedófilo ser chamado de pessoa com atração por menores, ou um acordo contratual entre dois homossexuais ser definido legalmente como um "casamento".

Por Que a Sexualidade é o Principal Alvo na Fase 3?

No estranho e imaginário mundo do "Sim, Podemos!", essas distorções irracionais da realidade podem passar sem serem questionadas. Muitos acharão difícil responder às afirmações desse tipo, pois elas estão baseadas, não em obsrvação e experiência, mas em uma mentalidade que exige o direito de definir sua própria realidade, sem qualquer referência necessária à observação e experiência.

O Maligno parece ter escolhido a sexualidade humana como o principal campo de batalha nesta fase de seu plano, porque esta é uma área em que muita da nossa compreensão vem somente por meio da experiência e exemplo, e somente quando firmada em um contexto emocional apropriado.

A Elite já sabia que muito provavelmente conseguiria fazer esse tipo de inversão de realidade, porque já tinha assegurado dois grandes sucessos no campo da sexualidade. O primeiro veio com Freud, que fabricou um grande número de noções sem sentido, sem a menor evidência experimental ou validade científica. Por trás de um verniz falso de objetividade médica, ele ofereceu uma grosseira caricatura da sexualidade humana e do próprio homem, uma vil e irracional zombaria do ser que Deus criou à Sua imagem e semelhança. Essa filosofia blasfema foi criada para parecer crível pela mídia e nunca ficou sujeita à crítica que ela obviamente merecia.

A mesma estratégia foi usada para promover o trabalho de Alfred Kinsey, um homossexual e pedófilo, um charlatão e embusteiro tão tortuoso quanto seu predecessor, Sigmund Freud. Usando grandes quantidades de dados enganosos e falsificados, que ele afirmou ter compilado de uma maneira representativa, Kinsey afirmou que os americanos eram muito mais sexualmente promíscuos e desviados do que comumente se pensava, que uma grande porcentagem era bissexual ou homossexual, e que até as criancinhas se beneficiariam com a estimulação sexual. A mídia dominante, com substanciais atrativos financeiros da Fundação Rockefeller, permitiu que esse lixo circulasse amplamente e fosse tratado como se tivesse certo grau de mérito.

Inversão de Realidade em um Nível Mais Alto

Estes pseudocientistas descarados, Freud e Kinsey, eram praticantes habilidosos na arte tenebrosa de inverter a realidade. Eles zombavam da realidade, fingindo não ver aquilo que todos os demais viam e, ao fazerem isso, armaram uma armadilha emocional. Embora a maioria das pessoas não tenha acreditado nas mentiras deles, mesmo assim, foram influenciadas. Elas agora estavam menos seguras da verdade bíblica e da imutabilidade das leis estabelecidas por Deus.

A Fase 3 da Loucura levou esse tipo de inversão de realidade a um nível totalmente novo. Não é mais necessário alvejar a realidade do senso comum em um modo oblíquo ou tortuoso, usando a confusão emocional como o pivô sobre o qual fazer girar uma falsa realidade. Agora, somente é necessário dizer que algo é muito diferente daquilo que tínhamos acreditado anteriormente, fazer isso com a melhor das intenções — por exemplo, com base na equidade e justiça — e fazer isso ser promulgado no nível político mais alto possível. O último não somente dá a uma estranha nova ideia um selo oficial de aprovação, mas também torna-a "politicamente correta". Isto funciona somente se for apoiado por todos os partidos políticos, sem dissensão, nem mesmo uma indicação que algo impróprio ou não natural esteja conseguindo passar.

Isto garante que os membros do público não tenham um gancho político em que possam pendurar suas preocupações, nenhuma voz discordante que possam citar a seu favor. Assim, qualquer um que se atrever a questionar essas ideias estranhas e irracionais, estará por sua própria conta, sem fundamento sobre o qual construir, sem argumentos pré-formados que possam ser usados para apresentar seu caso, e sem a perspectiva que alguém que esteja ouvindo juntará sua voz com a dele.

Há muita psicologia por trás de tudo isto. Ninguém quer ser o primeiro a falar abertamente e, se seus "melhores" não estão dizendo coisa alguma, então cada um deles também deve permanecer calado e ver o que acontecerá em seguida. Assim, sem um consenso geral ou debate público, sem qualquer evidência científica ou suporte objetivo, uma nova ideia estranha pode entrar nos códigos das leis e caladamente tiranizar a sociedade.

Como o Marxismo Cultural Funciona

Nada disso seria possível sem a cooperação e cumplicidade da mídia e de todos os partidos políticos. Como o público nunca suspeita que tantas pessoas influentes possam estar trabalhando juntas para implementar uma agenda não revelada, continua a ouvir essas pessoas e a tratar algumas delas como fontes confiáveis ou dignas de confiança.

É assim que o Marxismo Cultural funciona.

Na Terceira Fase da Loucura em Massa, pouquíssimas pessoas têm a integridade ou a coragem de dizer, "Não, Não Podemos!" Traídas pelos seus líderes e profundamente abandonadas por seus pastores e pregadores — cuja hipocrisia parece não ter limites — elas são tímidas demais para ir à frente e dizer: "Isto é errado!"

Estas são as mesmas pessoas que afirmam amar Jesus, a obedecer seus mandamentos, a crer na Bíblia, e a odiar o mal. É impossível pregar o Evangelho, mas mesmo assim permanecer calado a respeito desses assuntos. A Igreja de Laodiceia está viva e bem de saúde e, muito provavelmente, tem uma ou mais filiais em sua cidade.

Enquanto a Terceira Fase Acontece

À medida que a Fase 3 se desdobrar, veremos um acentuado aumento em crimes dolorosos demais para catalogar. O aspecto mais chocante desses crimes será, não o cometimento dos crimes, mas a disposição da sociedade em ignorá-los. Quando a razão moral se quebra, como acontece na Terceira Fase, a sociedade como um todo não terá dificuldade em racionalizar os eventos que deveriam causar revolta.

Para mostrar como isso acontecerá na prática, veremos apenas alguns poucos exemplos recentes. Eles podem parecer "isolados" a princípio, mas contêm todos os elementos que são necessários para realizar a Terceira Fase. Depois que o habeas corpus e o devido processo legal não tiverem mais significado real, a sociedade como um todo estará sob ameaça.

Sequestro Médico

O termo "sequestro médico" pode parecer extremista até que você veja o que ele significa para as famílias afetadas. Os exemplos seguintes — a partir de milhares de casos similares, que acredita-se que ocorram anualmente, só nos EUA — foram tirados do livro Medical Kidnapping: A Threat to Every Family in America, de Brian Shilhavy, publicado em 2016. O autor fornece os nomes reais das famílias envolvidas, junto com fotos em muitos casos, porém somente apresentaremos aqui os fatos básicos.

Falando de forma estrita, o sequestro médico refere-se à "captura" da criança pelo Estado de modo a administrar alguma forma de tratamento médico, mas em um sentido mais amplo isso se relaciona a qualquer situação em que o Estado toma a criança, por que os pais são incapazes, na opinião do Estado, de fornecer cuidados adequados à criança.

- Caso no Alabama

Um casal casado no estado americano do Alabama tinha sete filhos. As crianças estavam bem de saúde e todas eram conhecidas na comunidade. Uma das crianças tinha autismo não diagnosticado e costumava perambular longe de casa. Em 2014, o Serviço de Proteção à Criança decidiu, com base nisso, remover todos os setes filhos dos cuidados dos pais. Não há indicação alguma que alguma das crianças tinha sido maltratada pelos pais e nenhuma acusação foi feita contra eles. Ao longo do ano seguinte, os pais fizeram muitas tentativas de conseguir recuperar as crianças. Disseram-lhes que o Estado pretendia finalizar os direitos parentais deles sobre todas as sete crianças. Outra criança, que nasceu depois que os filhos foram sequestrados pelo Estado, também foi removida deles apenas alguns dias depois do nascimento.

A crueldade que está por trás de tudo isto é incompreensível. Como poderia alguma comunidade assistir e permitir que isso continuasse? Como poderiam tantos funcionários públicos, junto com os tribunais, conspirar uns com os outros para cometer esse crime? O Estado está confiando na comunidade para assumir que há "mais nessa história" e que as autoridades estão agindo licitamente e em boa fé. Na Fase 3 da Loucura, essas suposições não são mais do que uma desculpa conveniente para não fazer coisa alguma. Qualquer comunidade sadia exigiria saber precisamente por que uma de suas famílias está sendo tratada dessa forma.

- Caso em Nevada

Um casal que vivia em Nevada tinha sete filhos. Um deles morreu aos três anos, enquanto estava sob os cuidados de uma babá. A causa da morte nunca foi determinada. Em 2014, funcionários do serviço social do estado vizinho do Arizona entraram na casa deles em Nevada e levaram as seis crianças embora. Os pais nunca foram acusados de abuso ou negligência. Os funcionários do serviço social afirmaram que os pais eram desqualificados, por que, na opinião deles, tinham escolhido um babá inadequada. O casal está há vários anos tentando recuperar seus filhos. Os tribunais em Nevada e no Arizona não reconheceram que, ao cruzarem as linhas da divisa entre os estados, os funcionários do serviço social agiram de forma ilegal.

Separadas de seus pais, as crianças estão agitadas. Quem pode saber a dor que os pais estão sentindo? Os funcionários do serviço social podem fazer qualquer número de afirmações e acusações sem substância, protegidos no conhecimento que os pais de famílias de baixa renda não conseguirão contratar um advogado para se defender. As famílias estão sendo destruídas pelo Estado sem razão aparente.

- Caso na Flórida

Um casal de baixa renda na Flórida tinha seis filhos. Os funcionários do serviço social chegaram na casa deles em julho de 2014 e levaram todas as crianças embora. Eles afirmaram que o casal era pobre demais para criar seis filhos; eles também afirmaram que a mãe tinha uma deficiência mental branda que, eles disseram, a tornava incapacitada para cuidar de seus filhos. Nenhuma outra alegação foi feita contra eles. Quando aquela mulher deu à luz outra criança, pouco tempo depois, os funcionários do serviço social voltaram e também levaram aquela criança embora. Ao contrário da maioria dos casos desse tipo, a comunidade se juntou ao redor dessa família infeliz e fez lóbi forte para que as crianças fossem devolvidas para seus pais. Enquanto isso, as sete crianças estiveram separadas umas das outras e colocadas em lares adotivos. Levou três anos — um período de tempo inacreditável de trauma e dores de cabeça para as sete crianças e seus pais — para que o tribunal finalmente decidisse que as crianças podiam ser devolvidas aos pais.

Podemos ver no tratamento que essas pessoas receberam um abuso de poder de tirar o fôlego. Cerca de 10% das famílias nos EUA poderiam ter seus filhos removidos dessa forma, unicamente com base em pobreza ou capacidade intelectual abaixo da média.

Impotência Programada e Controle Total

A Elite que está produzindo esta assim chamada Nova Ordem Mundial está condicionando as massas a aceitar, sem questionar, a autoridade do Estado. Alguém poderia chamar isso de um estado programado de impotência, um senso profundamente enraizado de que a "resistência é fútil". É por isto que tantos filmes de ficção científica enfocam esse tema, implantando na psiquê nacional a crença que somente aqueles que se submetem à autoridade têm o "direito" de sobreviver. A Terceira Fase da Loucura aprofundará esta convicção, removendo toda a dependência, ou qualquer confiança restante em uma ordem moral pré-existente.

Se a turma do "Sim, Podemos" nos diz que podemos, então podemos. Caso contrário, precisamos aguardar e ver se a ONU aprova mais uma de suas maravilhosas resoluções de apoio.

Para que o leitor não pense que estamos selecionando casos que podem não ser representativos do sistema de atendimento à criança como um todo, apresentamos em seguida a conclusão da juíza Janis Grahan Jack em sua decisão em 17 de dezembro de 2015 a respeito do tratamento das crianças em lares adotivos provisórios no estado do Texas.

O arquivo em PDF, de 260 páginas, com a decisão da juíza Janis Grahan Jack, está disponível em: https://www.childrensrights.org/wp-content/uploads/2015/12/2015-12-17-Memo-opinion-and-verdict-of-the-court-2.pdf.

Nota: PMC = Permanent Managing Conservatorship (lar adotivo aprovado por um tribunal).

Conclusão

O sistema de cuidados em um lar adotivo está falido e isto já há várias décadas. Ele está falido para todos os participantes, incluindo funcionários do Departamento da Família e Serviços de Proteção, que estão sobrecarregados com cargas excessivas. No entanto, o mais importante, ele está falido para as crianças PMC do Texas, que quase uniformemente deixam a custódia do Estado com mais problemas do que quando chegaram.

O tribunal acredita que [nome] e sua equipe de apoio têm a melhor das intenções para administrar um sistema de cuidados em lares adotivos provisórios eficazes. O tribunal também está ciente que [nome] é o sétimo comissário desde 2004, cada um dos quais foi certamente acompanhado por promessas que desta vez seria diferente. A realidade é que o Departamento da Família e Serviços de Proteção ignorou 20 anos de relatórios, que delineavam os problemas e as soluções recomendadas. O Departamento também ignorou as normas profissionais. Enquanto isso, as crianças PMC do Texas estão sendo levadas de um lado a outro dentro de um sistema em que estupros, abusos, medicações psicotrópicas e instabilidades são a norma. O tribunal não tem garantias que algo mudou. Das duas reformas para as quais o Departamento da Família e Serviços de Proteção foi indicado — CPS Transformation e Foster Care Redesign — uma foi instituída logo após este processo, a outra é um fracasso abjeto e nenhuma das duas responde a qualquer um das reivindicações dos litigantes.

Os litigantes têm um substantivo direito ao devido processo legal do Décimo Quarto Aditamento para serem livres de um risco de danos sem sentido causados pelo Estado. O Texas atualmente viola esse direito.

ASSINADA e ORDENADA neste dia 17 de dezembro de 2015.
Juíza Distrital dos Estados Unidos
Janis Graham Jack

A juíza Jack estava efetivamente propondo o total desmantelamento do serviço de lares adotivos provisórios geridos pelo Estado do Texas e sua substituição por uma estrutura administrativa completamente nova. Dentro da Segunda Fase da Loucura, isso deveria ter sido possível, mas na Terceira Fase isto é quase impossível. Sabemos disso por que, até por volta de outubro de 2019 nada aconteceu. O mesmo sistema ainda está em operação, o mesmo sistema que, como a juíza Jack afirmou quatro anos antes, deixou as crianças "com mais problemas do que quando elas entraram", o mesmo sistema que "ignorou normas profissionais", em que as crianças eram continuamente levadas para lá e para cá, "em que estupros, abusos, medicações psicotrópicas e instabilidade são a norma."

Em novembro de 2019, de acordo com uma reportagem na AP News, ela disse que não mais acha que o Departamento da Família e Serviços de Proteção tenha credibilidade e que o estado "mentiu para mim em quase todos os níveis". No Tribunal Regional de Apelações dos EUA, ela "repreendeu as autoridades públicas no Departamento da Família e Serviços de Proteção que testificaram", por que elas não podiam responder às perguntas dela com relação ao tratamento recebido pelas crianças em lares adotivos provisórios. Dada a falha por parte das autoridades relevantes em tratar o assunto, uma falha que ela descreveu como "vergonhosa", ela ordenou que o Estado pagasse uma multa de 50.000 dólares por dia até que monitores indicados pelo Estado estivessem satisfeitos que as reformas estivessem sendo implementadas. As multas seriam dobradas depois de algumas semanas se o Estado deixasse de cumprir a determinação.

Este abuso chocante das crianças vulneráveis não está confinado ao Estado do Texas, mas é endêmico em todo o país. Os críticos dos Serviços de Proteção à Criança há muito tempo afirmam que o sistema de abrangência nacional não é adequado para o propósito e que ele está sendo usado de um modo organizado por elementos delinquentes dentro do Serviço de Proteção às Crianças para encontrar crianças para predadores sexuais. Como disse a juíza Jack, estupros e abusos "são a norma" dentro do sistema. A norma!

Em sua decisão de 2015, a juíza Jack observou que, em sua opinião, o Serviço de Proteção às Crianças tinha "a melhor das intenções", porém em 2019 ela tinha adotado uma visão muito diferente, declarando que eles "mentiram para mim em quase todos os níveis". Não estamos falando aqui de uma burocracia ingovernável ou de incompetência administrativa — embora esses sejam fatores — mas de algo muito mais sinistro.

O Estado do Texas é abençoado por ter uma juíza como Janis Jack. Esse tipo de pessoa é rara e está se tornando cada vez mais rara à medida que a Fase 3 da Loucura avança. Os juízes em cada um dos estados deveriam estar prolatando decisões similares, mas não estão. A situação em alguns estados, como a Califórnia e Arizona, parece ser até pior do que no Texas.

Vacinas Compulsórias

Muitos sentem consolação ao pensarem que esse tipo de abuso patrocinado pelo Estado nunca chegará às suas portas, mas estão enganados. Cada cidadão provavelmente enfrentará algo muito similar quando as vacinas se tornarem compulsórias. A severidade do abuso dependerá da penalidade que o Estado decidir infligir sobre aqueles que tentarem se evadir.

Precisamos refletir sobre a implicação disso. O Estado pretende injetar em seus cidadãos diversas substâncias químicas que podem contornar a barreira sangue-cérebro. Os supostos benefícios, se eles realmente existem, nunca foram comprovados. A segurança das vacinas nunca foi demonstrada, e os fabricantes não se incomodaram — tanto quanto é do nosso conhecimento — em realizar experiências longitudinais para comprovar que seus produtos são seguros. De fato, a profissão médica admite que todas as vacinas são "inevitavelmente inseguras", ao mesmo tempo que afirma que os benefícios mais do que excedem os riscos — o que é algo que nunca foi demonstrado. Essas vacinas serão injetadas nos corpos de crianças recém-nascidas e de crianças pequenas cujo sistema imunológico, incluindo os mecanismos bioquímicos na barreira sangue-cérebro, ainda não estão plenamente desenvolvidos.

A indústria farmacêutica, como a indústria do cigarro antes dela, passou décadas ocultando o mal provocado por seus produtos. A total extensão do dano causado às crianças pequenas pelas vacinas está deliberadamente obscurecida por trás de ordens silenciadoras, que impedem aqueles que sofreram danos de receber compensação com a publicação ou revelação dos detalhes de seus casos. A indústria nos EUA e na Grã-Bretanha tem até protegido a imunidade legal de processos pelo mal causado por suas vacinas. Quando a compensação é paga, frequentemente após um procedimento adverso e prolongado em um tribunal especial, é o contribuinte quem paga o custo da indenização, não a indústria! Além disso, a indústria consegue, apesar da conclusão do tribunal, negar qualquer responsabilidade. Tal é o desprezo pela justiça natural e pela ordem natural estabelecida por Deus.

O Indivíduo Tem Direitos Que Superam os do Estado

Não deveria haver ônus sobre os membros do público para provar que as vacinas não são seguras. Tampouco alguém deveria ser obrigado a receber uma vacina se duvida da segurança delas! Entretanto, em uma tirania médica, ambas essas proposições são rejeitadas. Os cidadãos são obrigados a aceitar a afirmação do governo que as vacinas são inofensivas e que devem ser injetadas em todas as crianças, sem exceções, ou possibilidade de optar por não receber.

Mesmo se uma determinada vacina for perfeitamente segura, sem efeitos colaterais e nenhum caso registrado de um evento adverso na saúde após receber a vacina, o público AINDA deveria ter o direito de recusá-la. Este princípio da escolha livre e bem-informada é fundamental para a operação de uma democracia. Assim também são o habeas corpus e o devido processo legal. Muitos governos em todo o mundo, incluindo o governo irlandês, desprezam esses princípios sempre que impedem seus esquemas tortuosos. As companhias farmacêuticas exigem acesso ao maior mercado possível para seus produtos e é obrigação dos políticos amorais e venais garantir que elas consigam isso.

Os mesmos governos já mostraram que pretendem utilizar outras formas de tirania nos anos vindouros, usando leis relacionadas com o discurso de ódio, identidade de gênero, imigração, doutrinação sexual, perda de patrimônio, expressão religiosa, crédito social, censura on-line, restrições ecológicas, mobilidade interna e criação de perfis psicológicos. Não podemos tratar cada uma dessas leis neste ensaio — as questões envolvidas são grandes e complexas demais — mas oferecemos alguns exemplos perturbadores da vindoura tirania médica.

A Injeção da Vitamina K

Muitos hospitais fornecem uma dose voluntária da Vitamina K para bebês recém-nascidos, para evitar hemorragias raras, porém que são graves. Essa vacina normalmente é aplicada imediatamente após o nascimento, com o consentimento dos pais. Quando um casal em Chicago estava tendo seu quinto filho, em fevereiro de 2018, a mãe rejeitou a vacina e se ofereceu para assinar um termo de rejeição como confirmação. A equipe médica viu com desagrado aquilo que considerou ser uma objeção religiosa trivial e removeu imediatamente a menina recém-nascida de sua mãe, por cerca de 12 horas. Eles também contactaram o Departamento de Serviços às Crianças e às Famílias do Estado de Illinois para denunciar a mãe por "negligência parental".

Naturalmente, os pais ficaram em choque. É profundamente aflitivo para uma mãe ter seu filho retirado dela imediatamente após o nascimento. A dor foi aumentada neste caso pela acusação da equipe médica que ela tinha feito alguma coisa errada.

A criança não estava enferma e não representava um risco para a saúde dos outros. A equipe hospitalar sabia que a vacina da Vitamina K era desnecessária, sob o ponto de vista médico, que era meramente uma medida de precaução, mas tratou os pais como criminosos comuns e tomou a criança deles por 12 horas.

Vários outros casais na região de Chicago ficaram expostos a tratamento similar. Em um caso, eles tiveram de enfrentar uma investigação de cinco semanas pelo Departamento de Serviços às Crianças e às Famílias. Todos eles estão processando o Estado e os hospitais envolvidos, por causa do abuso que praticaram. Eles são afortunados por terem esse recurso. A maioria dos casais não teria os meios financeiros necessários para dar encaminhamento a um processo caro.

Embora a vacina com a Vitamina K não seja normalmente citada pelos pais preocupados como um risco potencial para a saúde de um recém-nascido, o casal neste caso sabia que a vacina não estava totalmente isenta de riscos. A bula do produto em questão (veja ao lado), que é fabricado pela Merck, diz que algumas baixas foram causadas pela injeção da Vitamina K. Várias reações também já foram registradas, incluindo choque anafilático, dificuldade cardíaca e dificuldade respiratória. [Não estamos em condições de dizer se os benefícios superam os riscos, mas neste caso, os pais claramente não pensaram assim.]

O que torna este caso de particular interesse, e outros como ele, é a atitude tomada pelas autoridades médicas em Illinois. Reproduzimos abaixo um excerto das minutas oficiais de uma reunião em 12 de abril de 2018, do Comitê de Aconselhamento Perinatal do Departamento de Saúde Pública de Illinois, em que os participantes discutiram, entre outras coisas, a injeção da Vitamina K.

Isto parece bastante inocente, mas o que significa "custódia protetiva" no terceiro parágrafo? O que os 39 participantes realmente discutiram?

Um pouco depois, uma gravação do encontro tornou-se disponível por meio de canais não-oficiais. Ela revelou que os funcionários do setor de saúde participantes discutiram modos de remover legalmente uma criança de seus pais, por tempo suficiente para aplicar uma vacina que os pais tinham rejeitado.

Uma gravação da parte relevante do encontro pode ser encontrada aqui:

https://medicalkidnap.com/2019/11/14/recording-surfaces-of- illinois-department-of-health-planning-to-medically-kidnap- newborns-from-parents-who-refuse-vitamin-k-shot-at-birth/

Os seguintes excertos tintim-por-tintim da gravação revelam uma atitude oficial que é difícil de acreditar:

Mulher 1: "... Assim, então, o que deixa o hospital com um pouco de problemas, por que não acho que os hospitais queiram assumir a custódia o tempo todo e depois o Departamento de Serviços às Crianças e às Famílias possa investigar por negligência médica."

Mulher 2: "... a questão é se você está obrigado a dar a Vitamina K, tomando custódia protetiva. É o que isto faz. Isto não significa que o Departamento de Serviços às Crianças e às Famílias tem de dizer que os pais não podem ser os pais. Mas, isso lhe dá a chance de dar a Vitamina K à criança por meio do Departamento de Serviços às Crianças e às Famílias."

Homem 1: "Correto."

Mulher 2: "Assim, acho que está bem. Não precisamos que todos os pais sejam acusados de negligência médica e investigados. O que precisamos é do direito de dar a Vitamina K..."

Mulher 3: "Acho que você quer o espaço de manobra do 'poder fazer' no lado do Departamento de Serviços às Crianças e às Famílias, por que aquilo eu ouço é, se eles forem automaticamente acusados de negligência médica, existem todos os tipos de ramificações aqui. Assim, você quer que o Departamento tenha essa autoridade..."

Homem 2: "Seja mais clara..."

Mulher 2: "... A custódia protetiva é apenas o direito de fazer o que você acha que é certo para o bebê... Você dá a Vitamina K e então algum de nós realmente se preocupa com o que acontecerá em seguida?"

Mulher 3: "Não, mas eles podem depois processá-lo?"

Mulher 2: "Não, por que você... tomou custódia protetiva. Esta é a parte que temos de garantir com o Departamento de Serviços às Crianças e às Famílias. Isto quando você faz isto..."

Homem 3: "Em que ponto a custódia protetiva termina?"

Mulher 4: "Em dois minutos, ou qualquer coisa assim."

Homem 4: "A custódia termina assim que você aplica a injeção."

Eles estavam tentando encontrar um modo juridicamente legal de forçar os pais a concordar com a vacinação, até ao ponto de tomar "custódia protetiva" — durante o tempo em que, por 2-3 minutos — a equipe médica tenha o poder de dar a vacina à criança, apesar da objeção dos pais. Entretanto, ao fazerem isso, eles não querem acionar uma investigação oficial pelo Departamento, o que causaria complicações desnecessárias.

Graças a Deus alguém teve a integridade de publicar a gravação desse encontro.

Fazendo uma Avaliação

Precisamos dar um passo atrás e fazer uma avaliação de tudo isto. Em um encontro de médicos e enfermeiros seniores no estado de Illinois, nem uma das 39 pessoas presentes acharam adequado objetar a essa linha de discussão ou àquilo que estava sendo proposto! Em um ambiente de colégio, eles estavam conspirando para introduzir um mecanismo ilegal para tirar as crianças recém-nascidas de seus pais e aplicar nelas uma dose da Vitamina K. Os pais não poderiam opinar nesta questão. Se eles se tornassem acalorados demais em sua oposição, a equipe hospitalar ameaçaria entrar com uma acusação formal de negligência parental. Como vimos nos casos examinados acima, isso poderia resultar na remoção da criança de seus pais e o fim dos direitos parentais deles. A criança poderia ser colocada provisoriamente em um lar adotivo, onde poderia ser maltratada ou sofrer abusos sexuais. Como vimos, existe até mesmo a possibilidade de o Departamento de Serviços às Crianças e às Famílias também remover as outras crianças na família de seus pais.

Nada disto é exagerado. Citamos evidência documentada e fontes confiáveis que provam que esse resultado horrível era uma verdadeira possibilidade.

Portanto, quando falamos de tirania médica, isto é o que temos em mente. É uma situação em que o Estado toma o lugar dos pais, nega os direitos dos pais, rejeita as opiniões dos pais, remove a criança, ou crianças, dos pais, e, se decidir, finaliza os direitos parentais da mãe e do pai.

Como o Estado Está Agora Tomando o Controle

Quando o Ministro da Saúde na Irlanda revelou recentemwente que tinha buscado orientação do Procurador-Geral, buscando uma base legal sobre a qual lançar as campanhas de vacinação obrigatória, estava seguindo pela mesma avenida. Felizmente, a Constituição Irlandesa requer explicitamente que o Estado forneça educação de nível primário, caso contrário a ameaça de expulsão da escola será colocada sobre os pais que se recusaram a permitir que seu filho (ou filha) fosse vacinado. Mas, o ministro tem outras opções sinistras. Por exemplo, ele poderia excluir das instalações da pré-escola, cheches e serviços de cuidados de crianças qualquer criança que não tenha o conjunto total de vacinas obrigatórias definidas pelo Estado.

É assim que a tirania médica funciona.

A Irlanda parece ter sido escolhida pela Elite como um terreno de teste para a vil variedade de artigos jurídicos legais que a Nova Ordem Mundial imporá no tempo devido sobre todos os países. No espaço de sete anos, testemunhamos um aditamento constitucional para permitir que o Estado termine legalmente com os diretos dos pais; um aditamento constitucional que permite o reconhecimento de um "casamento" entre dois homossexuais, um aditamento constitucional para facilitar o assassinato de crianças nascituras, uma lei de "terapia de conversão" para criminalizar qualquer um que forneça aconselhamento para um indivíduo homossexual; e uma lei de "educação sexual objetiva" para sexualizar crianças em idade escolar no curso primário, sem a opção de optar por ficar de fora. Tivemos também a imposição furtiva dos transmissores eletromagnéticos da tecnologia 5G. Agora, temos diante de nós a perspectiva da tirania médica e da legislação do "discurso de ódio".

O Modelo para Todos os Países

Este é o modelo para todos os países. Logicamente, haverá mais elementos além desses, como por exemplo o sistema chinês de créditos sociais, o modelo de identificação nacional indiano, o banco de dados biológico, a criptomoeda sueca, a eutanásia holandesa, as câmeras secretas britânicas, o sistema de "pessoa nomeada" escocês para monitorar as crianças, a legalização americana da maconha para fins recreativos, o aborto islandês com base em marcadores genéticos, etc. O Maligno nunca descansa.

Infelizmente, a tenebrosa realidade de tudo isto será ignorada pela maioria das pessoas. Afinal, na Terceira Fase, em que um homem pode se tornar uma mulher e mulher pode se tornar um homem, em que pedófilos são chamados de pessoas atraídas por menores, em que crianças podem ser legalmente sexualizadas pelo Estado, em que bebês podem ser mortos até no dia de nascimento, em que errar o gênero pode ser um crime e os homossexuais podem se "casar", a noção de uma realidade objetiva ou uma ordem moral subjacente já foi abandonada. Quando a inversão da realidade alcança o estágio em que a sociedade pode ser enganada e manipulada desse modo, a possibilidade que um segmento considerável da população veja o que os governos estão fazendo realmente é extremamente pequena — e o Maligno sabe disso.

A Quarta Geração dos Perversos

A Bíblia descreve as quatro gerações dos perversos no livro de Provérbios:

"Há uma geração que amaldiçoa a seu pai, e que não bendiz a sua mãe." [Provérbios 30:11].

"Há uma geração que é pura aos seus próprios olhos, mas que nunca foi lavada da sua imundícia." [Provérbios 30:12].

"Há uma geração cujos olhos são altivos, e as suas pálpebras são sempre levantadas." [Provérbios 30:13].

"Há uma geração cujos dentes são espadas, e cujas queixadas são facas, para consumirem da terra os aflitos, e os necessitados dentre os homens." [Provérbios 30:14].

As quatro gerações parecem ser consecutivas, tornando-se progressivamente piores, e carregam adiante as características ímpias da geração anterior. Se as examinarmos, uma de cada vez, veremos que correspondem às quatro fases de loucura que discutimos neste ensaio.

Primeira. Na primeira, os ímpios rejeitam a antiga ordem. O mundo ao nosso redor é agora visto de um modo enganoso.

Segunda. Na segunda, os homens se comprometem com as abominações mais vis — homicídios em massa, aborto, homossexualidade — porém continuam a parecer puros ou justos aos seus próprios olhos.

Terceira. Na terceira, o orgulho do homem é tal que ele não aceita nada que Deus tenha operado.

Quarta. Na quarta, os perversos começam a aniquilar totalmente os justos e qualquer vestígio das obras das mãos de Deus.

"Ora, quando estas coisas começarem a acontecer, olhai para cima e levantai as vossas cabeças, porque a vossa redenção está próxima." [Lucas 21:28].

Conclusão

A Terceira Fase da loucura está ocorrendo agora. A Quarta Fase provavelmente começará por volta de 2030, embora esta seja apenas uma estimativa com base naquilo que já aconteceu até aqui.

O que aconteceu com nossos líderes cristãos? A maioria deles foi tomada na Segunda Fase, que viu a formação da Igreja de Laodiceia (veja Provérbios 30:12). Os poucos remanescentes agora estão agora passando pela Terceira Fase.

Se o diagrama não nos diz nada mais, ele nos diz que o Maligno está procurando avançar da forma mais rápida possível. Os Filhos da Perversidade tornaram-se absurdamente descarados na Terceira Fase (cheios de orgulhos, como descrito em Provérbios 30:13) e parecem decididos a passar o rolo compressor sobre qualquer resistência restante.

A Quarta Fase verá idolatria, perversão, promiscuidade e excessos pagãos em uma escala mundial. Isto poderá levar imediatamente à Tribulação, como Provérbios 30:14 parece sugerir.

Os próximos anos serão imensamente desafiadores para todos. Os cristãos serão levados à força até um canto e tomados um por um. Entretanto, em algum ponto, o Arrebatamento ocorrerá, quando Cristo chamar Seu segundo rebanho.

Não devemos ser dissuadidos por nada disso. O Maligno foi derrotado no Calvário, mas a execução está em um período de espera. O Rei precisa primeiro ser aceito por Seu povo, Seu rebanho, antes de retornar e executar o mandato que recebeu de Seu Pai.

Durante este precioso período de tempo, a igreja está avançando até ser completada, enquanto os filhos de Israel estão sob julgamento divino até Jesus retornar e salvar o remanescente fiel, que está escondido entre eles.

Louvado seja o Senhor por Sua misericórdia. O Anticristo terá somente sete anos e a maior parte de sua crueldade e destrutividade ocorrerá na segunda metade desse período de tempo.

A passagem de tempo entre a primeira e a segunda vinda de Cristo e, em particular, o aumento exponencial nas obras dos ímpios nos últimos 2.000 anos, permite que aqueles que ainda estão servindo ao Malingo se arrependam e busquem o perdão em Cristo. Para qualquer um que está preso no laço de Satanás, parece não haver um modo de escapar. Todavia, certamente existem alguns entre eles que têm grandes sentimentos de dúvidas a respeito da Nova Ordem Mundial e tudo o que ela envolve. Eles precisam compreender que Cristo, em Sua misercórdia, é capaz de libertar qualquer um que esteja sob o poder de Satanás, até mesmo aqueles que estão convencidos que a redenção não está mais disponível para eles.

Em Sua Misericórdia, o Senhor declarou Seu plano em Sua Santa Palavra. Somos grandemente abençoados em conhecer o que está à frente e saber que, aconteça o que acontecer, o Todo-Poderoso está ao nosso lado. No vasto esquema das coisas, o tempo restante não será mais do que um momento.

Faríamos bem em refletir nas palavras de Jesus: "A mulher, quando está para dar à luz, sente tristeza, porque é chegada a sua hora; mas, depois de ter dado à luz a criança, já não se lembra da aflição, pelo prazer de haver nascido um homem no mundo." [João 16:21].

"Vai, pois, povo meu, entra nos teus quartos, e fecha as tuas portas sobre ti; esconde-te só por um momento, até que passe a ira." [Isaías 26:20].

"Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente." [2 Coríntios 4:17].



Apêndice A

A Mãe de Owen Fala o Que Aconteceu

Fonte: www.stopmandatoryvaccination.com/parent/vaccine-injury/2-month-old-dies-48-hours-after-8-vaccines-owens-mom-speaks-out/

[Owen Matthew Stokes, de dois meses de idade (18/8/2017 a 25/10/2019) morreu apenas dois dias depois de receber suas vacinas de rotina. A mãe de Owen, Jeanne Joubert, compartilha sua história. O artigo no site de origem inclui várias fotografias, que não serão reproduzidas aqui.]

Eu quis compartilhar minha história por que minha esperança é que ninguém mais tenha de experimentar a dor em meu coração a cada dia. Meu filho, Owen Matthew Stokes, faleceu em 25 de outubro de 2017. Ele nasceu em 18 de agosto de 2017 e tinha apenas dois meses de vida. Ele nasceu no tempo normal de gestação, pesando 4 kg. Owen era perfeitamente sadio em todos os sentidos. Ele não recebeu a vacina da Hepatite B ao nascer. Até mesmo em minha mentalidade pró-vacina, eu não via a necessidade naquele momento de dar essa vacina a um recém-nascido. Ele recebeu a Vitamina K ao nascer, mas eu não sabia nada a respeito dela naquele tempo.

No dia em que meu filho nasceu, o pai dele, Casey Stokes, me pediu em casamento no hospital. Ele pediu para uma enfermeira colocar um macacão em Owen, em que estava escrito: "Mãe, você quer se casar com meu pai?", logo após nosso tempo juntos terminar. Eu me lembro de ter pensado: "Por que ela está colocando um macacão no meu bebê?" Pensar naquilo foi tão estranho, por que eles normalmente colocam uma blusa com botões nas laterais, mas também intrigante. Eu tinha duas meninas de um casamento anterior e estive em um lugar de infelicidade durante um longo tempo. Tudo isto mudou quando conheci Casey, o pai de Owen. Ele ama minhas filhas como se fossem dele mesmo e Owen nos deixou todos conectados. Nós nos tornamos mais do que apenas duas meninas com um padrastro, mas duas meninas com um irmão, o que nos tornava todos uma família.

Fizemos tudo certo com Owen. Ele somente mamava no peito, ou tomava leite na mamadeira enquanto eu estava no trabalho. Ele dormia sozinho em seu berço ao lado da nossa cama, nunca dormia com cobertores e sempre era colocado deitado de frente. Pesquisamos os produtos que usamos nas crianças. Todos os dias, quando minhas meninas chegavam da escola, eu as fazia tomar banho antes de poderem se aproximar do irmão. Owen não tinha problemas respiratórios. Ele nunca pareceu estar doente e não teve problemas de saúde antes de receber as vacinas.

Owen recebeu múltiplas vacinas nas 48 horas anteriores ao seu óbito. Ele recebeu uma combinação de oito diferentes vacinas, que é a normal para um bebê de dois meses de idade. No primeiro dia após tomar as vacinas ele ficou muito cansado e letárgico, parecia ser outra pessoa. No segundo dia, que foi o dia em que ele morreu, ele estava sob os cuidados de sua avó enquanto eu estava no trabalho. Ele não queria a mamadeira e chorava sem parar. Ele estava cansado, porém não conseguia dormir, pois estava sentindo dor.

A avó dele pensou que ele estava tendo realmente muitos gases. Ela finalmente o colocou deitado para uma soneca pela primeira vez naquele dia, um pouco depois das 14h00min, mas Owen nunca mais acordou. Ela foi conferir como ele estava cerca de 30 minutos depois e observou que ele estava azulado, mas ainda estava quente. Ela me chamou enquanto eu estava no carro, a caminho de casa do trabalho. O pai de Owen também estava no carro comigo e ligou para a Emergência. Eu tentei de todas as maneiras orientá-la, porque trabalho no campo médico e tenho certificação. Eu estava a cerca de 10 minutos de casa. Quando cheguei lá, Owen estava na ambulância, mas não conseguiu sobreviver. Meu garotinho morreu e eu não estava lá no momento.

Na próxima vez que segurei Owen em meus braços, ele estava morto. Ele não morreu em paz em seu sono; ele sofreu. Mas, foi-nos dito que ele morreu de Síndrome da Morte Súbita Infantil. Eu não sabia o que tinha acontecido com ele em todo aquele dia, ou que ele não queria comer. A avó dele acreditava verdadeiramente que seu estômago estava apenas doendo e que tinha gases, que apenas precisavam sair.

Fizemos tudo certo para ele, exceto as vacinas. Tem sido tão difícil saber que poderíamos fazer muitas coisas para ajudar outras crianças em nossas profissões, mas não havia nada que podíamos fazer por Owen depois que o estrago tinha sido feito. Não conseguimos salvá-lo. Cada novo dia é uma luta para nós. Nossas meninas é que nos dão ânimo para continuar a cada novo dia.

Se você tem filhos, haverá um tempo em sua vida quando você se preocupa e terá aquele sensação de medo da morte, quando eles caem e batem a cabeça, ou quando engasgam com alguma coisa. Imagine ter essa sensação e ela nunca passar por que o pior resultado possível — aconteceu. Conheço essa sensação e é, de longe, a pior coisa que você pode imaginar. É uma sensação de impotência.

Esta não é minha opinião sobre vacinas; é apenas minha história. Faça sua própria pesquisa antes de tomar decisões para seus filhos. Compreenda que é você e ninguém mais que as protege neste mundo. Eu gostaria de ter feito muitas coisas de forma diferente. Eu não vacino mais minhas outras crianças. Minha esperança é que outras pessoas possam aprender a partir de minha história, e venham a tomar decisões melhores do que eu tomei. Que seus filhos não tenham de sofrer e que essas pessoas não precisem sentir a dor que toda nossa família tem de sentir a cada dia. [Fim].

Solicitação Especial

Incentivamos os leitores frequentes a baixarem os ensaios disponíveis neste website para cópia de segurança e consulta futura. Eles poderão não estar disponíveis para sempre. Estamos entrando rapidamente em um tempo em que materiais deste tipo somente poderão ser obtidos via correio eletrônico. Os leitores que desejarem ser incluídos em uma lista para correspondência futura são bem-vindos a me contactar em jeremypauljames@gmail.com. Não é necessário fornecer o nome, apenas um endereço eletrônico.



Autor: Jeremy James, artigo em http://www.zephaniah.eu
Data da publicação: 2/1/2020
Transferido para a área pública em 26/1/2021
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/fase3.asp