Escolha uma cor para o fundo:  

Possíveis Implicações Geoestratégicas e Proféticas do Uso do Urânio Empobrecido no Afeganistão e no Iraque — A "Grande Espada" do Segundo Selo do Apocalipse?

Recursos úteis para sua maior compreensão

Título do Livro 1


Título do Livro 2


Título do Livro 3

No artigo N1804, demonstramos como o uso do urânio empobrecido está cumprindo a profecia bíblica contra Babilônia (o Iraque atual). Agora, examinamos como essa contaminação poderá cumprir outra profecia: "E, havendo aberto o segundo selo, ouvi o segundo animal, dizendo: Vem, e vê. E saiu outro cavalo, vermelho; e ao que estava assentado sobre ele foi dado que tirasse a paz da terra, e que se matassem uns aos outros; e foi-lhe dada uma grande espada." [Apocalipse 6:3-4].

A Nova Ordem Mundial está chegando! Você está preparado?

Compreendendo o que realmente é essa Nova Ordem Mundial, e como está sendo implementada gradualmente, você poderá ver o progresso dela nas notícias do dia-a-dia!!

Aprenda a proteger a si mesmo e aos seus amados!

Após ler nossos artigos, você nunca mais verá as notícias da mesma forma.

Agora você está na
"THE CUTTING EDGE"


Agora que já discutimos detalhadamente as propriedades médicas e físicas do urânio empobrecido (ou exaurido), e agora que você já viu como as áreas fortemente contaminadas em todo o Iraque cumpriram as profecias bíblicas do fim dos tempos contra Babilônia (leia o artigo N1804), vamos estudar como o urânio empobrecido poderá cumprir a profecia criticamente importante de Apocalipse 6:2-3. Vamos examinar essa Escritura e depois estudar o significado das palavras-chave no original grego do Novo Testamento.

"E, havendo aberto o segundo selo, ouvi o segundo animal, dizendo: Vem, e vê. E saiu outro cavalo, vermelho; e ao que estava assentado sobre ele foi dado que tirasse a paz da terra, e que se matassem uns aos outros; e foi-lhe dada uma grande espada." [Apocalipse 6:3-4].

Esses versos descrevem o Segundo Selo, que, é claro, ocorre após o Primeiro Selo, a entrada do Anticristo no cenário internacional. Portanto, podemos dizer com segurança que uma guerra sem paralelos ocorrerá imediatamente após o aparecimento do Anticristo; entretanto, o Anticristo precisa "nascer" no mundo, de acordo com Mateus 24:6:8, em que as dores de parto do verso 8 descrevem as dores de uma mulher para dar à luz. Quais são as dores do parto profetizadas que forçarão o Anticristo à cena mundial? Jesus nos diz:

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim. Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares. Mas todas estas coisas são o princípio de dores." [Mateus 24:6-8].

Portanto, o mundo está enfrentando as guerras. Primeiro, apenas para produzir o Anticristo, temos de passar pela guerra das dores de parto finais — a Terceira Guerra Mundial que os Illuminati planejaram desde 1870 (leia o artigo N1056). Assim, a profecia prevê que guerras mundiais terríveis acompanharão o aparecimento do Anticristo — uma guerra mundial para colocá-lo na cena mundial e uma guerra mundial, ou série de guerras mundiais, que ocorrerão após seu aparecimento.

Em sua grande parte, a igreja cristã perdeu de vista a guerra das dores de parto finais, porque permitiu que seu ensino profético fosse dominado pelo sistema de interpretação de Tim LaHaye e Timothy Ice, que convenientemente escondem essa guerra terrível das pessoas. Os cristãos que assistem a uma dessas conferências proféticas saem pensando que estarão vivendo em tranqüilidade um dia, serão arrebatados no dia seguinte, e somente então as coisas ruins acontecerão no mundo. Destarte, a igreja perdeu sua urgência e muito do ímpeto para uma vida santa. Poucos pastores hoje estão pensando na guerra das dores de parto finais, que cumprirão Mateus 24:6-8, um grande erro ao contemplarem o significado dos ataques americanos ao Afeganistão e ao Iraque; esses pastores nunca compreenderão perfeitamente por que esses países foram invadidos, pois perderam de vista o fato profético que o mundo precisará passar por uma grande guerra apenas para colocar o Anticristo no cenário internacional.

Portanto, a seqüência profética de eventos ocorrerá nesta ordem:

  1. Guerra das dores de parto finais — a Terceira Guerra Mundial conforme planejada pelos Illuminati.

  2. Aparecimento do Anticristo — Literalmente, ele sairá caminhando a partir da fumaça, poeira e destruição da Terceira Guerra Mundial — Ele somente poderá aparecer por que Jesus terá aberto o Primeiro Selo (Apocalipse 6:1-2).

  3. O Segundo Selo é aberto — o pavoroso cavaleiro montado sobre o cavalo vermelho sairá em cavalgada, matando os homens com sua "grande espada". Nosso enfoque neste artigo permanecerá nas guerras produzidas por esse selo, que pode constituir a "grande espada".

A Exegese Correta de Apocalipse 6:3-4

Agora, vamos novamente para Apocalipse 6:3-4 porque essa passagem é dinamite e precisa ser compreendida para que possamos entender corretamente o assunto complexo que está diante de nós. Veja como essa profecia é verdadeiramente poderosa no original grego do Novo Testamento:

"'E saiu outro cavalo, vermelho; e ao que estava assentado sobre ele foi dado que tirasse a paz da terra, e que se matassem uns aos outros; e foi-lhe dada uma grande espada.' (verso 4). A palavra 'espada' (item 3162 na Concordância de Strong) era a espada curta e pesada do Império Romano. Ela precisa ser distinguida da longa espada de dois gumes que sai da boca de Cristo (Apocalipse 19:15)... A Besta pode vir montada sobre o cavalo branco, prometendo paz, mas consegue apenas mergulhar o mundo na guerra. Ela tem grande poder, mas precisará usá-lo constantemente para permanecer no poder. O Senhor Jesus Cristo advertiu que o mundo inteiro antes de seu retorno estaria caracterizado por guerras e rumores de guerras (Mateus 24:6) mas também advertiu de um período de grande tribulação, de severidade singular, que seria um tempo de derramamento de sangue em uma escala jamais vista no mundo (Mateus 24:21)." [Dr. Stewart Custer, From Patmos to Paradise, BJU Press, págs. 76-77].

Em outras palavras, essa espada nas mãos do cavaleiro que está montado sobre o cavalo vermelho é singularmente poderosa e mortal, e será usada na guerra; o simbolismo da espada nos diz isso. Uma guerra global muito poderosa irromperá, ou os efeitos continuarão de guerras anteriores, e as pessoas que dirigirem essa guerra (o cavaleiro do cavalo vermelho) sairão com a determinação de matar a humanidade. O objetivo principal na mente do cavaleiro que está montado sobre o cavalo vermelho é matar a população civil.

Acreditamos que a poeira que contém o urânio empobrecido usado nos campos de batalha do Afeganistão e do Iraque e que está sendo levada pelo vento a um grande área do Oriente Médio possa ser parte dessa "grande espada" do Segundo Selo. A primeira vez que munições com urânio empobrecido foram usadas na batalha foi durante a Guerra do Iraque, em 1991. Há treze anos que a poeira com urânio empobrecido está sendo levada pelo vento por todo o Oriente Médio. Como veremos em um momento, a incidência de tipos diferentes de cânceres está crescendo muito; outras doenças estão aumentando drasticamente e muitas pessoas já estão morrendo.

Além disso, uma grande quantidade de poeira contaminada pelo urânio empobrecido está sendo levada pelo vento sobre as populações dessa região desde novembro de 2001, quando as forças americanas começaram a usar munições com urânio empobrecido contra a população do Afeganistão. Como as pessoas começam a adoecer um ano após respirar essa poeira contaminada, e como os efeitos totais não são sentidos por 8 a 20 anos, as pessoas nessa região já estão morrendo, mas começarão a morrer em maior número a partir de 2010. Muitas pessoas terão morrido antes dessa data, mas os números não serão tão grandes que não possam ser escondidos até aproximadamente 2009.

Vamos analisar o testemunho de um almirante da reserva da Marinha indiana, que é um especialista no assunto.

Resumo da Notícia: "Físicos Internacionais Para a Prevenção da Guerra Nuclear (IPPNW): Conferência: "Diálogos Com os Tomadores de Decisão", Nova Delhi, Índia, 29 de fevereiro a 2 de março de 2004, Conferência Organizada Pelos Médicos Indianos Pela Paz e Desenvolvimento (IDPD) — Armas Silenciosas de Destruição Maciça — Os Efeitos do Urânio Exaurido."

Almirante Vishnu Bhagwat
Ex-Chefe do Comando Naval da Índia
29 de fevereiro de 2004

"Esta breve apresentação tem o objetivo de tornar conhecidas... as fatídicas e desastrosas conseqüências do uso indiscriminado das munições com urânio normal e do urânio empobrecido sobre os povos das regiões do oeste, do sul e do centro da Ásia, mulheres, crianças, homens, animais, plantas e na vida animal, agora e no futuro, em flagrante violação à Lei Internacional, à Convenção de Haia, e à Lei Militar interna dos EUA... O câncer é iniciado com uma partícula alfa, seus isótopos-filhos afetam gerações, pois os isótopos concentram-se biologicamente nas plantas e nos animais e percorrem a cadeia alimentar. É uma arma nuclear... Eles entram no organismo por meio dos pulmões, do sistema digestivo, ou da pele. Um grama de urânio empobrecido libera mais de 12.000 partículas por segundo. A radiação mata lentamente as células que tornam a vida possível. A síndrome da Guerra do Golfo de 1991 fez justamente isso (informado pelo Dr. Asaf Durakovic, Professor de Medicina na Universidade Georgetown e descobridor da Síndrome da Guerra do Golfo)."

Vamos parar aqui para digerir apropriadamente o que acabamos de aprender. Para aqueles de vocês que leram nossos artigos anteriores sobre o urânio empobrecido, estas informações servirão como uma cartilha:

1) A pessoa começará a morrer quando ingerir apenas "uma partícula alfa" de urânio exaurido. Como essa partícula pode ser levada aos pulmões em uma partícula de poeira tão pequena que a pessoa não percebe que a ingeriu, essa contaminação pelo urânio é inevitável; ela não poderá ser evitada pelas pessoas comuns que vivem nessa área.

2) A contaminação pelo urânio "é uma arma nuclear que percorre a cadeia alimentar". Todas as coisas essenciais da vida — o ar, a água, a comida — são contaminados.

3) A Síndrome da Guerra do Golfo de 1991 foi conseqüência do urânio empobrecido. Lembre-se da informação que nos foi fornecida pelo médico que serve no Exército de um país estrangeiro e que recebeu treinamento em guerra moderna no deserto; ele nos advertiu em meados de 2003 que o urânio agiria como uma "carta curinga", fazendo as pessoas morrerem de várias doenças. Embora nenhuma dessas doenças poderia ser "oficialmente" ligada ao urânio empobrecido, o fato da questão é que ele seria o responsável por todas elas.

Agora, vamos retornar ao trabalho científico apresentado pelo almirante Vishnu Bhagwat:

"A introdução de armas com urânio empobrecido no Iraque em 1991, o lixo radioativo das centrais nucleares, rompeu um tabu de 46 anos. Esse Cavalo de Tróia da guerra nuclear, uma arma omnicida tem desde então continuado a ser usada cada vez mais. O urânio empobrecido permanece radioativo por mais tempo que a idade da Terra (estimada em 4,5 bilhões de anos)."

Esse termo, "omnicida" é aparentemente uma palavra composta, criada combinando-se o prefixo "omni" e a palavra "homicida". A palavra "omni" significa "tudo", ou "em toda a parte", enquanto a palavra "homicida" significa assassino. Portanto, a palavra "omnicida" significa "assassino de todos, em toda a parte". Isso também é coerente com a informação fornecida pelo médico que serve em um Exército estrangeiro. A poeira contaminada com o urânio empobrecido, que está sendo espalhada pelo vento em toda a região, matará todos que vivem ali: daí a palavra criada, "omnicida".

Os presidentes Bush e Bush Jr. cobriram a área com uma arma nuclear "omnicida", uma arma "Cavalo de Tróia" de destruição maciça. Você se lembra do significado de um "Cavalo de Tróia", não? Vamos examinar o significado em meu Dicionário Tormont Webster:

"Cavalo de Tróia — 1. Mitologia grega — O cavalo de madeira, oco por dentro, em que os gregos se esconderam para conseguir entrar em Tróia e, mais tarde, abrir os portões da cidade para seus exércitos..." 2. Qualquer grupo subversivo ou estratagema insinuado dentro das fileiras do inimigo."

Esse termo significa literalmente que uma arma "Cavalo de Tróia" está na verdade planejada para realizar exatamente o contrário da retórica apresentada. Nesse exemplo da mitologia grega, os gregos ofereceram um enorme cavalo de madeira como presente à cidade de Tróia, esperando que ele fosse levado para dentro dos portões da cidade. Uma vez que o presente foi aceito e levado para dentro da cidade, os soldados gregos que estavam escondidos no interior saíram do cavalo de madeira à noite, mataram os guardas que tomavam conta das portas da cidade, e abriram as portas para seus compatriotas que estavam escondidos do lado de fora.

De maneira similar, o presidente George Bush disse claramente e em alta voz que os EUA não iriam permitir que a invasão de Saddam ao Kuwait continuasse permanentemente; a realidade era que os EUA mobilizaram um Exército que usava munições com urânio empobrecido pela primeira vez. A realidade estava exatamente na direção oposta à indicada pela retórica apresentada ao público. A realidade eram doença e morte lenta, bem o oposto da elevada e bela retórica.

Da mesma forma, o presidente George W. Bush ordenou a invasão ao Afeganistão, pois aquele país estava supostamente servindo de esconderijo para Osama Bin Laden. Todos sabemos agora que o ataque em 11 de setembro de 2001 foi realizado por tecnologia americana sofisticada empregada por agentes provocadores do próprio governo. Vá para nossa seção Terceira Guerra Mundial e veja a relação de artigos com informações que demonstram essa realidade. A realidade era doença e morte lenta para os vilarejos afegãos, bem o oposto da elevada e bela retórica de proteger os EUA e libertar o Afeganistão do malvado e repressor regime do Talibã.

Finalmente, o presidente George W. Bush inventou todos os tipos de mentiras, exageros e distorções para convencer o mundo que os EUA precisavam invadir o Iraque para que Saddam não pudesse usar suas armas de destruição maciça contra seus vizinhos, ou entregá-las para Osama Bin Laden usar em ataques terroristas contra alvos ocidentais. Agora, o próprio investigador de Bush admite que não existiam armas de destruição maciça no Iraque e a Comissão 11/9 afirmou enfaticamente que não pôde encontrar um vínculo comprovado com Bin Laden. Mais uma vez, a realidade para os cidadãos do Iraque é doença e morte lenta para todo o país e para os países do Oriente Médio, bem o contrário da florida retórica sobre libertar a população do governo repressor de Saddam e criar uma democracia.

Publicamos um artigo em novembro de 2001 intitulado "Aprendendo a Pensar na Direção Oposta à Indicada Pela Retórica Apresentada ao Público na Mídia de Massa" (N1558) — Se você ainda não leu esse artigo, faça isso agora, pois a verdade que mostramos ali é desesperadamente necessária para você compreender a horrenda, mas verdadeira, realidade que está por trás da florida retórica nessa matéria da contaminação pelo urânio empobrecido.

Exatamente como diz o almirante indiano, a realidade do urânio empobrecido é doença e morte para populações inteiras, bem diferente da maravilhosa retórica para justificar a invasão. Sim, o urânio empobrecido é uma arma "Cavalo de Tróia".

Agora, vamos retornar ao trabalho do almirante Vishnu Bhagwat para descobrir o horror do raio da morte que está ocorrendo a partir dos campos de batalha no Iraque e no Afeganistão.

"Os efeitos de longo prazo de mais de uma década de exposição ao urânio empobrecido estão emergindo no sul do Iraque. Eles são devastadores. As crescentes quantidades de material radioativo (incluindo o urânio não empobrecido), usado no Afeganistão são de 3 a 5 vezes maiores que no Iraque em 1991. No Iraque em 2003, eles já são estimados entre 6 e 10 vezes a quantidade usada em 1991 e alcançarão uma área muito maior e afetarão um número muito maior de pessoas, bebês e nascituros. Os países dentro de um raio de 1.000 milhas (1.600 km) a partir de Bagdá e Cabul estão sendo afetados pela contaminação pela radiação, e isso inclui a capital da Índia, Nova Délhi... A noticiada chegada de uma epidemia de AIDS no ano passado na Índia, pelo vento, pode ter um relacionamento com o bombardeio do Afeganistão com o urânio empobrecido. Se achamos que o câncer é um problema agora, espere até que mais urânio empobrecido seja lançado nas guerras contra o terror e para forçar 'mudanças de regimes', com base em relatórios errados dos Serviços de Inteligência." [Ibidem].

Criamos um mapa que mostra um raio de 1.600 km a partir de Bagdá, no Iraque, e de Cabul, no Afeganistão. Estude esse mapa atentamente, pois você ficará chocado ao ver quantos países estão sendo impactados por essa poeira mortal. Lembre-se que a poeira contaminada pelo urânio empobrecido está sendo levada pelo vento a 1.600 km do sul do Iraque/fronteira com o Kuwait desde 1991. No artigo N1909, "A Antiga Babilônia Está Seriamente Contaminada Pelo Urânio Empobrecido — a Contaminação Dura 4.5 Bilhões de Anos" (não traduzido — pode ser lido no site da Cutting Edge), incluímos um mapa que mostra os vários níveis da contaminação pelo urânio empobrecido. Uma das áreas mais sérias da contaminação é o sul do Iraque, na fronteira com o Kuwait, a partir da qual as forças americanas lutaram nas Guerras do Golfo de 1991 e 2003.

O webmaster da Cutting Edge fez uma pesquisa acerca dos "ventos prevalecentes" nessa área e descobriu que são "leste e sudoeste". Assim, a contaminação pelo urânio empobrecido na Guerra do Golfo de 1991 foi levada pelos ventos para o sul, até o Kuwait, Arábia Saudita, os Emirados Árabes Unidos, Irã e países ao leste, até a fronteira com a região oeste do Afeganistão. Como os ventos mudam ocasionalmente, países como Turquia, Síria, Israel, Jordânia e Egito também receberam certa contaminação.

Agora, veja a contaminação que está atualmente sendo espalhada no raio de 1.600 km a partir de Cabul, no Afeganistão: Paquistão, Índia, Nepal, e as regiões oeste da China e do Tibete. As forças americanas estão espalhando o urânio empobrecido em toda essa região desde novembro de 2001.

Quão severa é essa contaminação? Vamos continuar com o trabalho elaborado pelo almirante Bhagwat, publicado em 29 de fevereiro de 2004:

"Mais de 500 toneladas de munições com urânio empobrecido foram lançadas sobre o Afeganistão. O professor Yagasaki calculou que 800 toneladas de urânio empobrecido têm a atomicidade equivalente a 83.000 bombas de Nagasaki... A quantidade de urânio empobrecido usada no Iraque em 2003 é equivalente a aproximadamente 250.000 bombas de Nagasaki (Busby e Leuren Moret calcularam que 1.900 toneladas de urânio empobrecido são equivalentes a 60 TBq de atividade de partículas Alfa e Beta)."

"Não precisamos enumerar os tipos de munição com urânio empobrecido usados no Iraque em 1991, em Kosovo em 1999, no Afeganistão, de 2001 a 2004, e no Iraque em 2003. Eles foram lançados por ar, por terra e por sistemas navais contra civis inocentes. O urânio empobrecido queima intensamente e é muito duro. Ele libera óxido de urânio. O aerossol contém partículas de 0.5 a 5 mícrons de tamanho; uma vez que estão no ar ou na poeira, essas partículas são inaladas ou ingeridas, incluindo a partir do solo contaminado. Uma vez que chega aos pulmões, uma dessas partículas é equivalente a tirar um raio-X por hora, durante toda a vida. Como é impossível de ser removido, a vítima sofre a irradiação gradualmente. Mortes de fetos durante a gestação, defeitos congênitos, leucemia, danos no sistema nervoso central e outros cânceres têm sido comuns nas crianças nascidas a partir de 1991. A leucemia infantil aumentou 600% em áreas do Iraque, conforme informado pela Fundação Holandesa Visie. Além das conseqüências para a saúde, as munições com urânio empobrecido são, na verdade, armas de destruição maciça silenciosas pois as conseqüências de seu uso são vastas, indiscriminadas e violam as Convenções dos Direitos Humanos..."

"Em outro trabalho, o Dr. Mohammed Daud Miraki, Diretor do Fundo Afegão de Recuperação do Urânio Empobrecido, cita George W. Bush, '... vamos sufocá-los com fumaça', condenando os nascituros, os vivos e a futuras gerações de afegãos e populações vizinhas a uma sentença de morte pré-determinada. 'Após a destruição da nossa aldeia, percebi que os americanos tinham nos sentenciado todos à morte. Quando vi meu neto deformado, percebi que minhas esperanças para o futuro tinham sido destruídas... Desta vez somos parte do genocídio invisível trazido pela América... uma morte silenciosa da qual não poderemos escapar (Jooma Khan da província de Lagham... março de 2003). Histórias similares são repetidas da província de Paktita dos 'Bebês Geléia'. As mulheres grávidas estão com medo de dar à luz... Esse é o legado da libertação, liberdade e democracia trazidas pelos EUA... Os testemunhos de pais e mães são horríveis — 'O que mais os americanos querem? Eles nos mataram, trouxeram terríveis deformidades para nossos bebês recém-nascidos, transformaram nossos campos de produção agrícola em cemitérios e destruíram nossas casas. Além disso tudo, seus aviões nos sobrevoam e nos cobrem de balas'..."

Até 29 de fevereiro de 2004, as forças americanas lançaram uma radioatividade atômica equivalente a 333.000 bombas atômicas do tipo que caiu em Nagasaki. Desde então, substituíram o exército invasor original de 2003 por um novo exército e quase imediatamente começaram a enfrentar os insurgentes iraquianos em uma guerra renovada. Durante os meses de abril e maio, apareceram informes de notícias que diziam que as forças americanas estavam lançando munição tão depressa que as fábricas de armamentos não estavam conseguindo repor; a maior parte desse material é urânio exaurido. É bem possível que a equivalência atômica tenha sido aumentada em 50% desde 29 de fevereiro.

O vídeo sobre o urânio empobrecido criado pelo congressista Dennis Kucinich não somente mostra os efeitos da contaminação pelo urânio empobrecido nas crianças, mas também apresenta estatísticas impressionantes sobre os níveis de doenças como o câncer no Iraque atualmente. Como disse o almirante Bhagwat, e que o médico que serve em um Exército estrangeiro confirma, os EUA estão matando populações inteiras com um armamento "omnicida".

Quais são as populações dos países afetados?

* A região central da Ásia consiste de cinco repúblicas: Casaquistão, Quirguistão, Tadjiquistão, Turcomenistão e Usbequistão — a população combinada da região da Ásia Central... é de aproximadamente 80 milhões de habitantes. ["Regional Cooperation", http://www.adb.org/Carec/about.asp).

* Sul Asiático:

Índia — mais de um bilhão de habitantes (Wikipedia Online Encyclopedia)
Paquistão, 150 milhões de habitantes
Nepal, 23 milhões de habitantes — (http://www.mope.gov.np/population/chapter1.php)

Sudoeste Asiático:

Irã — 69 milhões de habitantes (http://en.wikipedia.org/Iran#Demographic)
Iraque — 25 milhões (http://en.wikipedia.org/wiki/Iraq)
Arábia Saudita — 25 milhões (http://en.wikipedia.org/wiki/Saudi_Arabia)
Emirados Árabes Unidos — 3.5 milhões — (http://en.wikipedia.org/wiki/United-Arab_Emirates)
Kuwait — 2 milhões (http://en.wikipedia.org/wiki/Kuwait)

Todos esses países estão recebendo os ventos prevalecentes do oriente e do sudeste, vindos dos campos de batalha do Iraque e/ou do Afeganistão. Quantas pessoas vivem nessas regiões? Sem contar a Índia, são 295.5 milhões de pessoas que vivem em áreas que estão recebendo diariamente doses da poeira contaminada pelas munições com urânio empobrecido. Os países dentro de um raio de 1.600 km a partir dos campos de batalha do Kuwait estão recebendo irradiação desde 1991 — treze anos agora. Embora as notícias estejam sendo suprimidas, sabemos que a ocorrência de câncer está atingindo níveis estratosféricos. Um artigo que foi publicado no site de Nova Era www.Rense.com informou que "mais de 30%" de toda a população do Iraque está agora sofrendo de cânceres e de leucemia. ("Ode to Nuha — US Depleted Uranium Takes Another (Victim)", de Rana El-Khatib, www.Rense.com, 8 de setembro de 2004).

Os números de pessoas doentes e mortas ainda são pequenos e podem ser suprimidos ou substituídos por histórias de pessoas que estão ficando doentes por causa do colapso no sistema de saúde pública iraquiano. No entanto, os números ficarão grandes o bastante em um futuro não muito distante e a fonte não poderá continuar a ser escondida.

Matando o "Vão Não-Integrado"

Mais de um ano atrás, a Cutting Edge publicou dois artigos que detalhavam o "Novo Mapa do Pentágono". Se você não leu esses artigos, separe um tempo agora para lê-los com toda a atenção. São eles:

N1833, "A Invasão da África e de Todos os Países Ainda Não Integrados na Economia Globalizada"

N1906, "O Governo Americano Está Encarando com a Máxima Seriedade a 'Redução do Vão — Teria a Era da OSS Sido Recriada?'"

Ao estudar esse mapa concebido pelo Pentágono, que coloca um círculo em volta de todos os países do "Vão Não-Integrado", você perceberá que os países em todo o Oriente Médio que estão recebendo uma "chuva" diária de poeira contaminada pelo urânio empobrecido, estão todos dentro da região geral do Oriente Médio dos países não-integrados. Além disso, observe que atacando o Iraque e o Afeganistão, os EUA podem estender grandemente o alcance da mortal poeira contaminada pelo urânio empobrecido. Bagdá está distante de Cabul quase 2.400 km; portanto, com os ataques de 2001 e 2003 no Iraque e no Afeganistão, respectivamente, o alcance mortal da poeira contaminada é grandemente estendido — lembre-se que os ventos predominantes na região sopram para o leste e para o sudeste.

Acreditamos que o Iraque e o Afeganistão foram selecionados para serem atacados pelos armamentos com urânio empobrecido por causa de suas localizações geográficas na região.

Assim, por que Bush e Blair realmente invadiram esses países? Como a localização de armas de destruição maciça no Iraque se revelou ser uma mentira oficial e como ninguém realmente viu Osama Bin Laden no Afeganistão desde 11/9/2001, precisamos descontar as histórias oficiais. Por que os EUA invadiram esses dois países? Acreditamos que eles sejam parte da estratégia das forças globais lideradas pelo presidente Bush, tentando forçar todos os países que agora não são capazes de se integrar no sistema econômico global para passarem por mudanças radicais para que possam se integrar, ou eliminar as nações que não podem se integrar rapidamente. Vamos revisar nosso artigo original sobre esse assunto N1833, prestando atenção ao mapa mostrado acima.

Resumo da Notícia: O Novo Mapa do Pentágono", Thomas P. M. Barnett, Colégio de Guerra Naval dos EUA, Esquire Magazine, março de 2003, págs. 174-79, 227-29.

"Nossa próxima guerra no Golfo marcará um ponto histórico — o momento quando Washington tomará real propriedade da segurança estratégica na era da globalização". [pág. 174].

Barnett, o autor desse artigo, é um membro do Colégio de Guerra Naval dos EUA. Segundo o raciocínio iluminista, existem apenas dois tipos de nações no mundo atual:

1. Nações que já estão funcionando no novo sistema global ou que estão clara e firmemente caminhando nessa direção — o "núcleo funcional".

2. Nações que ainda não estão funcionando no novo sistema global e pouco provavelmente farão isso num futuro previsível, a menos que sejam coagidas por tropas norte-americanas e européias, ou pela ameaça de invasão. Essas nações são chamadas de "vão não-funcional".

A estratégia que está sendo seguida pelos EUA e pela União Européia é a de "diminuir o vão". Em um sentido muito real, os EUA e seus aliados-chave estão planejando invadir os principais países da região do "vão não-integrado" para "tomar posse real da segurança estratégica" desses países. Uma vez que os EUA, a UE, a Austrália, a Indonésia, ou a Tailândia — cada um operando dentro da sua esfera de influência — tenha se apoderado de um país que invadiram, tomarão posse da "segurança estratégica" daquele país com o propósito único de forçar a economia e a cultura do país a ingressar no "núcleo funcional".

O objetivo declarado desse plano é que os países cujas economias são consideradas perto o suficiente para funcionar dentro da vindoura economia global sem papel-moeda em que "ninguém possa comprar ou vender se não tiver o sinal da besta" [Apocalipse 13:17] estão supostamente sendo invadidos e/ou ameaçados com "mudança de regime" por meio de ações encobertas das Forças Especiais americanas (leia o artigo N1906, "O Governo Americano Está Encarando com a Máxima Seriedade a 'Redução do Vão' — Teria a Era da OSS da Segunda Guerra Mundial Sido Recriada?") A história oficial, conforme apresentada pela matéria da revista Esquire, e pelo livro de mesmo nome, é que uma vez que esses países sejam tomados e controlados, podem ser rápida e facilmente "levados aos chutes para dentro do sistema"; eles poderão bem depressa mover seus governos e suas economias para dentro do sistema global que não usará mais o papel-moeda.

Entretanto, agora que os EUA estão no Iraque há mais de 18 meses, é claro que não comprometeram recursos militares e civis suficientes para mover rapidamente o Iraque para dentro da comunidade das nações que não usarão papel-moeda. Em vez disso, comprometeram uma força de somente 50% das necessidades de pessoal que o Chefe do Estado Maior do Exército, general Shinesky, disse que seriam necessários. (Veja o Boletim da Cutting Edge de 25/9/2004). Além disso, um cenário de jogos de guerra de maio de 2003 revelou aos líderes civis e militares que os perigos que os EUA enfrentariam por terem uma força militar tão pequena seriam assimétricos, exatamente o que os rapazes estão enfrentando ali agora. ("War game's outcome stuns decisionmakers", 16/5/2003, Defense News).

Assim, por que os EUA comprometeram somente 50% das tropas que o general Shineski disse que seriam necessárias para enfrentar uma luta de guerrilha e reconstruir o Iraque? A resposta poderá surpreendê-lo, mas fique comigo, pois acredito que a resposta envolve uma combinação de munições de urânio empobrecido (guerra nuclear silenciosa) interagindo com a dinâmica de nações do "Vão dos não-integrados" x "Núcleo Funcional" do Pentágono.

Quando contemplei os fatos no ano passado, ao escrever o artigo N1833, ocorreu-me o seguinte pensamento: O que poderia acontecer com os países que são tão atrasados que suas economias não poderão alcançar o vindouro sistema sem o uso do papel-moeda planejado pelos Illuminati? Pensei na pessoa pobre mediana de Uganda, na África. Ninguém pode logicamente acreditar que aquela sociedade poderá mudar e chegar ao ponto em que "ninguém possa comprar ou vender se não tiver o sinal da besta", pelo menos não a médio e longo prazo, talvez uns cem anos. A mesma coisa poderia ser dita a respeito do cidadão mediano da Arábia Saudita, do Iraque, do Afeganistão, do Paquistão, do Nepal, e de muitos outros países dentro daquele raio de 1.600 km. O que você faria com essas nações?

Se você fosse os Illuminati luciferianos, você as mataria! O autor Nova Era Bill Cooper falou sobre essa parte do plano:

"A única alternativa que restava à elite que governa o mundo era aumentar a taxa de mortalidade... eles não apreciaram as possíveis conseqüências de um público enfurecido ao descobrir que estava sendo sistematicamente assassinado... uma guerra global muito curta, porém mortal, usando armas nucleares sobre concentrações selecionadas de população foi contemplada e... não foi descartada... O Dr. Aurelio Paccei, do Clube de Roma... defendeu a idéia da introdução de uma praga que produza o mesmo efeito que a Peste Negra na história." [Bill Cooper, Behold a Pale Horse, pág. 167, ênfase adicionada, leia a resenha].

O que o almirante Bhagwat disse sobre as armas com urânio empobrecido? Ele disse que eram armas silenciosas! É possível que a guerra global nuclear "curta" tenha sido caladamente substituída por uma arma nuclear silenciosa de mais longo prazo usando armamentos com urânio empobrecido? É provável que os Illuminati tenham acreditado que os efeitos das munições com urânio empobrecido sobre uma população "produzirá o mesmo efeito que a Peste Negra?"

Acredito que sim; e acredito também que os Illuminati possam ter esse tipo de guerra já planejado vinte anos atrás. Em 1981, o presidente Reagan começou a reconstruir maciçamente as forças convencionais dos EUA após o presidente Carter ter deliberadamente permitido que elas fossem diminuídas. Essas novas "forças convencionais" estavam armadas com munições com urânio empobrecido. A tarefa de criar essa nova força foi completada em 1988, após Reagan deixar o cargo. Logo em seguida, em 2 de agosto de 1990, Saddam ordenou a invasão do Kuwait. Pela primeira vez na história, as munições com urânio empobrecido foram usadas na guerra aérea e terrestre. A população civil começou a morrer desde aquela época.

Quando os iraquianos que ficaram expostos à poeira contendo urânio empobrecido devem esperar adoecer gravemente? Lembre-se do artigo do site de Nova Era www.Rense.com, citado anteriormente, que mais de 30% da população iraquiana já está sofrendo de algum tipo de câncer ou de leucemia por causa da contaminação limitada que ocorreu em 1991. Como a contaminação de 2003-2004 foi mais de dez vezes maior, e concentrada nas áreas urbanas, em vez de isolada no deserto, quando toda a população pode esperar que adoecerá gravemente? Para essa resposta, vamos retornar ao almirante Bhagwat. Veja:

"Na guerra de 2003, os iraquianos ficaram expostos ao arsenal radioativo do Pentágono, principalmente nos centros urbanos, ao contrário do que aconteceu em 1991, que se concentrou mais nos desertos. Os efeitos agregados das doenças, das deficiências físicas e dos defeitos congênitos de longo prazo tornar-se-ão aparentes somente a partir de 2008." [Ibidem].

De Volta ao Segundo Selo do Apocalipse

A Bíblia retrata um cavaleiro montado sobre um cavalo vermelho que sairá "para tirar a paz da Terra", o que é simplesmente um eufemismo para a guerra, pois o mundo terá acabado de passar pela "guerra anterior das dores de parto finais" [Mateus 24:6-8] necessárias para colocar o Anticristo no cenário internacional. Além disso, o mundo não conheceu muita paz durante todo o século XX. Alguns poucos países conheceram alguma paz, mas o mundo em geral esteve envolvido continuamente em guerras, especialmente durante o século passado.

Quando esse cavaleiro sair cavalgando, estará ativamente provocando guerras com sua grande espada. Essa poderosa e forte palavra, à luz das tecnologias atuais, quase com toda a certeza refere-se às armas de destruição maciça — as armas químicas, biológicas, nucleares, escalares e quem sabe mais quais outros tipos de armas?

Deus também parece plantar essa idéia na cabeça dos homens que querem lutar, pois essa guerra resultará em uma grande mortandade.

Não há dúvida que esse cavaleiro iniciará uma grande guerra usando armas singulares, que resultarão na matança de um grande número de pessoas. Entretanto, não vejo nada nesse texto que proiba uma matança passiva, que já esteja em andamento, mas que atingirá seu pináculo exatamente no tempo em que esse cavaleiro iniciará sua cavalgada. A própria natureza da contaminação pelo urânio empobrecido é tal que o maior número de pessoas começará a ficar realmente doente somente após 5-10 anos após a exposição inicial. O médico que serve em um Exército estrangeiro me disse em junho de 2003, que o Iraque se tornará inabitável em menos de vinte anos. O almirante Bhagwat disse que os efeitos da invasão ao Iraque em 2003 não começarão a se tornar aparentes antes de 2008.

A exegese do Dr. Curtis de Apocalipse 6:3-4 fala de uma ação de guerra contínua. Veja novamente, "Ele tem grande poder, mas precisa usá-lo constantemente para permanecer no poder." Essa explicação fala de uma ação contínua; além disso, sabemos que quando o Anticristo surgir, após a abertura do Primeiro Selo, os governantes mundiais entregarão seu poder e autoridade a ele [Apocalipse 17:12-13,17] Esse poder possuído pelos governantes finais do mundo foi obtido por meio de guerras constantes e continuará por meio de guerras, depois que o Anticristo aparecer na cena internacional.

Portanto, os números dos mortos por esse envenenamento estarão atingindo seu ápice quando o cavaleiro do Cavalo Vermelho da guerra iniciar sua cavalgada? É essa arma nuclear silenciosa, chamada urânio empobrecido uma parte da "grande espada" da guerra mostrada pelo segundo selo?

Seja você o juiz.

Não estamos predizendo que o Anticristo aparecerá em 2008, ou em qualquer outra data; entretanto, acreditamos que ele estará na cena internacional em breve e achamos que esse pico no uso de urânio empobrecido pelas forças americanas no Iraque e no Afeganistão neste tempo atual é muito intrigante. Os fatos parecem ser claros: os Illuminati estão deliberadamente espalhando a contaminação pelo urânio empobrecido em uma grande e fundamental porção dos países do vão não-integrado conhecido geralmente como Oriente Médio (mais especificamente conhecido como "regiões oeste, central e sul da Ásia").

A mensagem é agora bem clara para todos os demais países não-integrados do mundo: vocês vão morrer se não mudarem rapidamente seus governos e suas economias para que seus países sejam integrados à economia sem o uso de papel-moeda em que "ninguém possa comprar ou vender se não tiver o sinal da besta" [Apocalipse 13:17]. Na verdade, já é agora tarde demais para quase 300 milhões de pessoas nessa região do mundo. A sentença de morte foi lavrada e o agente mortal já foi enganosamente colocado em operação contra as vítimas.

Verdadeiramente, o fim dos tempos está vindo bem depressa sobre toda a humanidade.



Você está preparado espiritualmente? Sua família está preparada? Você está protegendo seus amados da forma adequada? Esta é a razão deste ministério, fazê-lo compreender os perigos iminentes e depois ajudá-lo a criar estratégias para advertir e proteger seus amados. Após estar bem treinado, você também pode usar seu conhecimento como um modo de abrir a porta de discussão com uma pessoa que ainda não conheça o plano da salvação. Já pude fazer isso muitas vezes e vi pessoas receberem Jesus Cristo em seus corações. Estes tempos difíceis em que vivemos também são tempos em que podemos anunciar Jesus Cristo a muitas pessoas.

Se você recebeu Jesus Cristo como seu Salvador pessoal, mas vive uma vida espiritual morna, precisa pedir perdão e renovar seus compromissos. Ele o perdoará imediatamente e encherá seu coração com a alegria do Espírito Santo de Deus. Em seguida, você precisa iniciar uma vida diária de comunhão, com oração e estudo da Bíblia.

Se você nunca colocou sua confiança em Jesus Cristo como Salvador, mas entendeu que ele é real e que o fim dos tempos está próximo, e quer receber o Dom Gratuito da Vida Eterna, pode fazer isso agora, na privacidade do seu lar. Após confiar em Jesus Cristo como seu Salvador, você nasce de novo espiritualmente e passa a ter a certeza da vida eterna nos céus, como se já estivesse lá. Assim, pode ter a certeza de que o Reino do Anticristo não o tocará espiritualmente. Se quiser saber como nascer de novo, vá para nossa Página da Salvação agora.

Esperamos que este ministério seja uma bênção em sua vida. Nosso propósito é educar e advertir as pessoas, para que vejam a vindoura Nova Ordem Mundial, o Reino do Anticristo, nas notícias do dia-a-dia.

Fale conosco direcionando sua mensagem a um dos membros da equipe de voluntários.

Se desejar visitar o site "The Cutting Edge", dê um clique aqui: http://www.cuttingedge.org

Que Deus o abençoe.

Data de publicação: 10/11/2004
Patrocinado por: S. F. F. C. — Vargem Grande Paulista / SP
Revisão: http://www.TextoExato.com
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/n1967.asp