Escolha uma cor para o fundo:  

A Derrubada da Monarquia Saudita — Desestabilização de Acordo com a Estratégia do Novo Mapa do Pentágono

Recursos úteis para sua maior compreensão

Título do Livro 1


Título do Livro 2


Título do Livro 3

Como derrubar o governo da Arábia Saudita sem invadir o país com tropas e aviões, uma vez que esse tipo de ação poderia arruinar a economia global? A resposta poderá surpreendê-lo.

A Nova Ordem Mundial está chegando! Você está preparado?

Compreendendo o que realmente é essa Nova Ordem Mundial, e como está sendo implementada gradualmente, você poderá ver o progresso dela nas notícias do dia-a-dia!!

Aprenda a proteger a si mesmo e aos seus amados!

Após ler nossos artigos, você nunca mais verá as notícias da mesma forma.

Agora você está na
"THE CUTTING EDGE"

No início de março de 2003, duas semanas antes da invasão ordenada do presidente Bush ao Iraque, publicamos um artigo em que explicamos a estratégia americana de longo prazo no Oriente Médio e na África. Esse artigo foi intitulado "A Invasão da África e de Todos os Países Ainda Não Integrados na Economia Globalizada"! Nós o incentivamos a ler esse artigo, pois ele explica a estratégia seguida pelos EUA e por seus aliados nessa região do mundo chamada pelo Pentágono de "Vão Não-Integrado".

Esta é a ilustração do Pentágono da região chamada de "Vão Não-Integrado":

Depois que você compreender a realidade que alguns países e regiões estão ficando atrasados em relação ao resto do mundo na inserção na economia e governo globalizados e precisam ser forçados aos pontapés para que ingressem plenamente no sistema mundial, compreenderá por que os EUA estão agora em guerra, e por que continuarão indo à guerra, no Oriente Médio, na Península Coreana, na Indonésia, no Paquistão, em Cuba, na Somália e no Timor Leste.

Na verdade, cada país dentro dessa região está sob o risco de ser invadido, ou de enfrentar uma insurgência interna fomentada de forma planejada, ou então sofrer sanções econômicas, de modo que a estabilidade ditatorial seja solapada e, finalmente, derrubada. A estabilidade precisa dar lugar à instabilidade, para que a elite globalista possa erigir o Governo Regional Número 7 (no Oriente Médio e no Norte da África) e o Governo Regional Número 8 (na África Central e África Meridional). Somente depois que todo ditador firme for removido é que os Illuminati acreditarão que nenhum país tentará resistir à entrega de sua soberania nacional ao governo regional.

Todo esse pensamento estratégico do Pentágono está delineado em um livro intitulado The Pentagon's New Map, de Thomas P. M. Barnett, que leciona no Colégio de Guerra Naval dos EUA e é um pesquisador estratégico sênior. De acordo com o pensamento iluminista existem somente dois tipos de países no mundo hoje:

  1. Países que já estão funcionando no novo sistema global, ou que estão caminhando clara e firmemente nessa direção — o chamado "Núcleo Funcional".

  2. Países que não estão atualmente funcionando no sistema global e que provavelmente não farão isso em um futuro previsível, a não ser que sejam forçados pelas tropas dos EUA ou da Europa, ou pela ameaça de uma invasão. Esses países são chamados de "Vão Não-Integrado".

A estratégia que está sendo seguida pelos EUA e pela União Europeia é a de "encurtar o vão". O autor Barnett admite que esse processo requererá várias décadas para ser concluído. É por isto que você ouve o presidente americano e os membros de seu gabinete dizerem que a "guerra contra o terror" poderá durar muitos anos.

As forças ocidentais invadiram militarmente o Afeganistão (em 2002) e o Iraque (em 2003) para remover ditadores entrincheirados e desestabilizar esses dois países. As duas invasões precisam ser vistas como os tiros iniciais para a implementação da "Estratégia do Novo Mapa do Pentágono". À medida que o Afeganistão e o Iraque eram desestabilizados, o ódio pelo modo como as forças ocidentais estavam conduzindo a guerra se propagou por todos os países islâmicos situados dentro do "vão não-integrado".

Dez anos após os EUA liderarem a força de invasão ao Afeganistão, o tempo chegou para a guerra se espalhar para outras ditaduras estáveis na região. Na primavera de 2011, o Ocidente fez a revolta paramilitar se alastrar, levantando "insurgentes" para derrubar os ditadores e alastrar a instabilidade desde o Marrocos até a Líbia, Egito, Síria e Iêmem.

A partir de 2012, essa guerra de desestabilização começou a se propagar para a África Central e África Meridional, derrubando as ditaduras que estavam em seu caminho. Atualmente, guerras estão ocorrendo nos seguintes países:

Governo Regional Número 7 — Norte da África e Oriente Médio:

Governo Regional Número 8 — África Central e África Meridional:

O restante da África ainda não caiu sob a faca da campanha planejada para a derrubada de seus governos, mas você precisa admitir que este início já é bastante impressionante e que essas guerras estão ocorrendo há somente dois anos e a campanha toda foi planejada para durar 20 anos!

A Humilhação Planejada para a Arábia Saudita

Agora, vamos tratar da Arábia Saudita. Esse país desértico é importante para o mundo por uma única razão: possui vastos depósitos de petróleo logo abaixo da superfície de suas areias.

Sob o antigo regime global do petróleo, a Arábia Saudita era um país crucial. Durante décadas, ele manteve a posição de ser o maior exportador de petróleo em todo o mundo. O escoamento do petróleo pelo Estreito de Hormuz tornou aquela estreita passagem tão criticamente importante que a Marinha dos EUA alocou um grupo de batalha naval, formado por um porta-aviões e navios de apoio, para manter posição naquelas proximidades, de modo a garantir que nenhuma força militar pudesse bloquear o Estreito. Sob a antiga ordem do petróleo, o bloqueio do petróleo saudita poderia precipitar uma crise econômica imediata em todo o mundo, desde os EUA até a Europa, Japão e Sudeste Asiático. Qualquer ameaça ao escoamento do petróleo saudita era considerada desastrosa.

Portanto, se os Illuminati vão desestabilizar a ditadura saudita, eles não podem ir até lá com armas, pois isso derrubaria imediatamente a economia global. Que arma a elite globalista poderia usar contra a Casa de Saud?

Como o único recurso mineral da Arábia Saudita é o petróleo, como pode a elite usar o petróleo contra a Arábia, até ao ponto de derrubar sua ditadura?

Estas perguntas são muito válidas. Mas, o fato permanece que o petróleo saudita é extremamente importante para a economia mundial. Portanto, o modo de usar o petróleo contra a Arábia Saudita é fazer com que o petróloe saudita não seja mais tão importante para a economia mundial. Agora, estamos preparados para alguma coisa. Se a elite puder de algum modo encontrar um modo de fazer com que o petróleo saudita não seja tão importante para o mundo, poderá produzir grande instabilidade para o trono saudita e, talvez, derrubar a monarquia, porém sem causar danos à economia global.

Esta próxima citação vai ilustrar a total falta de compreensão por parte dos líderes sauditas sobre o que realmente está acontecendo no mundo hoje.

Resumo da Notícia: "O Irã Poderá Propor uma Redução de um Milhão de Barris Diários da OPEP nas Conversações com os Sauditas", Bloomberg Financial News, 24/11/2014.

"Suhail Al Mazrouei, o ministro da Energia dos Emirados Árabes Unidos, disse ontem em comentários em sua conta no Twitter, que os países produtores, particularmente aqueles que estão extraindo petróleo das formações de xisto, 'ficarão preocupados, como nós estamos na OPEP' sobre a estabilidade nos mercados do petróleo bruto e em encontrar um equilíbrio sustentável entre oferta e demanda'."

"A Arábia Saudita, o principal membro da OPEP, permanece comprometida em buscar preços estáveis, Al-Naimi disse em 12 de novembro..."

Enquanto os Illuminati estão determinados a criar instabilidade e debilidades em todo o Oriente Médio e na África para que nenhuma nação possa impedir o plano deles de remover todos os obstáculos políticos para a criação do modelo de Governo Regional, os líderes sauditas ainda estão focando em "estabilidade" e "equilíbrio sustentável entre oferta e procura"! Os líderes sauditas permanecem ser ter pista alguma com relação à estratégia que a elite globalista está forçando sobre todos os países situados dentro do "vão não-integrado".

Estabilidade NÃO é o objetivo da elite. Lembre-se que a divisa no grau mais elevado da Maçonaria iluminista é "Ordem a Partir do Caos!".

Mas, este cenário será complicado de se desenrolar, pois a Arábia Saudita ainda extrai cerca de 12 milhões de barris de petróleo bruto por dia!

O único modo de remover a importância do petróleo bruto saudita do cálculo global é aumentar drasticamente a produção de petróleo dos outros fornecedores, levando os preços para baixo. Este cenário está ocorrendo atualmente. Considere o seguinte:

Resumo da Notícia: "No meio de um conflito com o ISIS, o Iraque Extrai Petróleo como se Não Houvesse Amanhã", NBC News, 2/12/2014.

"Apesar da guerra com o ISIS, o Iraque está extraindo petróleo em um ritmo que não era visto há quase 40 anos. A produção aumentará ainda mais, graças a um acordo assinado na terça-feira entre Bagdá e os curdos... 'Eles foram capazes de aumentar a produção de forma impressionante, apesar do ISIS', o negociante de petróleo John Kilduff disse a respeito da produção de petróleo do Iraque, que atingiu 3,4 milhões de barris por dia em novembro. Esse nível, que propiciou a Bagdá uma receita de 5,2 bilhões de dólarles, foi 100 mil barris a mais do que no mês anterior e significa que o Iraque agora está extraindo mais petróleo do que qualquer membro da OPEP, com exceção da Arábia Saudita."

Alguns especialistas acreditam que o Iraque possua mais reservas de petróleo em seu subsolo que qualquer outro país no mundo, com exceção da Arábia Saudita.

Resumo da Notícia: "Petróleo no Iraque", Global Policy Forum.

"O Iraque tem a segunda maior reserva comprovada de petróleo do mundo. De acordo com especialistas do setor, novas explorações provavelmente elevarão as reservas do Iraque para mais de 200 bilhões de barris de petróleo de alto teor, extraordinariamente barato de extrair... A maioria dos iraquianos apoia o controle continuado por uma companhia estatal e o poderoso sindicato de petroleiros opõe-se fortemente à privatização. O futuro político do Iraque ainda é incerto, mas o petróleo permanece o aspecto central do cenário político."

E se o Iraque e o Curdistão conseguissem extrair petróleo suficiente para substituir a produção saudita? Se o Iraque/Curdistão conseguissem substituir o nível saudita, então a economia mundial não entraria em pânico se a instabilidade engolfasse a Casa de Saud.

Qual é o excedente atual na produção de petróleo no cenário internacional?

Resumo da Notícia: "Qual É o Excedente Real na Produção de Petróleo?", ETF News, 4 de dezembro de 2014.

"A projeção é que a produção nos países que não são membros da OPEP cresceu em 1,8 milhão de barris por dia em 2014. Isto fez com que o mercado ficasse com um excedente do fornecimento de essencialmente 1,1 milhão de barris por dia."

O petróleo iraquiano é de grande importância nesta equação:

Resumo da Notícia: "Existem 300.000 Barris Iraquianos Sinalizando Que o Excedente na Produção do Petróleo Aumentará", Bloomberg Financial News, 4 de dezembro de 2014.

"Não somente a OPEP está deixando de cortar a produção de petróleo para conter os cinco meses de queda nos preços, mas está fazendo acréscimos ao excedente de produção. Apenas cinco dias após a Organização dos Países Exportadores de Petróleo decidir manter os níveis de produção, o Iraque, o segundo maior membro do grupo, assinou um acordo de exportação com os curdos que poderá adicionar cerca de 300.000 barris por dia à oferta mundial."

"Em um mercado global que o vizinho Kuwait estima estar com um excedente diário na oferta de 1,8 bilhões de barris, o acordo servirá para aprofundar a queda de 39% desde junho passado. Ou, como Carsten Fritsch, um analista do Commerzbank AG, de Frankfurt explicou: "Haverá ainda mais petróleo inundando o mercado, sem ter quem precise dele'..." 'Volumes incrementais de petróleo produzido no Iraque somente consolidarão o excedente na oferta', Harry Tchilinguirian, chefe do mercado de commodity no banco BNP Paribas, em Londres, disse por telefone em 2 de dezembro."

Não acho difícil acreditar que os embarques de petróleo bruto crescerão tanto que, quando chegar a hora de derrubar a Casa de Saud, o mundo poderá facilmente substituir o fluxo tradicional de petróleo proveniente da Arábia Saudita. A poderosa Casa de Saud precisa ser neutralizada, para que não resista ao chamado de entregar sua soberania nacional ao Governo Regional Número 7 e para que aceite a perda de controle sobre os sítios mais sagrados do Islamismo (veja a explicação a seguir).

Mas, você pode protestar: "Os sauditas não extraem o petróleo do subsolo a um custo muito menor do que os produtores americanos, que usam a fratura hidráulca para extrair petróleo do xisto?" A resposta é "Sim, mas permita-me explicar."

Resumo da Notícia: "A OPEP está errada em pensar que pode suportar mais que os EUA os preços baixos do petróleo", Market Watch News, 2 de dezembro de 2014.

"Vamos dar o crédito para a Arábia Saudia: Seja lá quem for o responsável por definir a política de produção de petróleo para o reino no deserto, esse indivíduo tem muita coragem. Infelizmente, os xeiques fizeram aquilo que provavelmente se tornará a aposta do otário... Os sauditas parecem estar muito dispostos para um enfrentamento, tentando descobrir para quanto o preço precisa cair para forçar a crescente produção americana de petróleo do xisto enguiçar, como um mecanismo não lubrificado."

"Naimi declara guerra de preços ao petróleo americano do xisto", dizia uma manchete da agência Reuters, referindo-se ao ministro do Petróleo da Arábia Saudita, Ali al-Naimi... Os países da OPEP, incluindo a Arábia Saudita, comprometeram de forma extravagante os lucros com a extração barata do petróleo ao estado de bem-estar social, que agora os governantes não podem simplesmente cortar."

Leia novamente a última frase: "Os países da OPEP, incluindo a Arábia Saudita, comprometeram de forma extravagante os lucros com a extração barata do petróleo ao estado de bem-estar social, que agora os governantes não podem simplesmente cortar."

Quer dizer que os governantes sauditas criaram um sistema econômico socialista do tipo "Desde o Berço Até a Sepultura?

"Sim, o custo de produção para a Arábia Saudita é de apenas 2 dólares por barril de petróleo bruto. Mas, os analistas insistem que o ponto necessário para os sauditas é de pelo menos 100 dólares o barril, mais de 30 dólares acima do preço atual — por causa daquilo que eles fazem com o dinheiro depois que o recebem. Em 2010, por exemplo, os sauditas gastaram 130 bilhões de dólares para combater a Primavera Árabe... foi dado um aumento de 15% para os funcionários públicos, maiores benefícios para os desempregados, aumento do salário mínimo subsidiado pelo governo e um plano de construção de 500 mil novas moradias em um país de 28 milhões de habitantes. Isto tudo custou 30% do PIB saudita."

Assim, a conclusão é que os sauditas não podem realmente suportar vender por menos de 100 dólares o barril e, certamente, não pelo preço de 40 dólares, que está agora sendo previsto. Se os sauditas cortarem seus programas socialistas, a população ficará enfurecida, inquieta e aberta para a manipulação dos militantes islâmicos. É claro que é exatamente este o plano da elite globalista!

Agora, vamos examinar o Plano dos Illuminati para o Oriente Médio.

O "Novo Mapa do Oriente Médio" do Presidente Bush Está Enfurecendo Amigos e Inimigos da Mesma Forma

Para que fique registrado, esse "Novo Mapa do Pentágono Para o Oriente Médio" foi impresso na edição de junho de 2006 da publicação American Armed Forces Journal. Quando o furor explodiu nas capitais dos países na região — incluindo os aliados — com o que esse mapa mostrava, a Casa Branca bem depressa distanciou-se oficialmente dele. Entretanto, o estrago já estava feito, pois os líderes estrangeiros sabiam tudo sobre a nova estratégia de forçar todos os países do mundo a uma economia sem o uso do papel-moeda, uma estratégia discutida no livro The Pentagon' New Map, publicado em 2004 por Thomas M. Barnett, pesquisador estratégico e professor no Colégio de Guerra Naval e um extraordinário expoente dos planos dos Illuminati.

Este é o mapa que está causando reações estranhas por parte de ex-aliados e de amargos inimigos no Oriente Médio. O mapa indubitavelmente fornecerá a centelha que levará todo o mundo para a Terceira Guerra Mundial. Vamos agora examinar esse mapa com atenção.

Entretanto, de modo a compreender corretamente esse singular Mapa do Pentágono, precisamos examiná-lo lado a lado com um mapa tradicional da região. Como você pode ver acima, o mapa tradicional está à esquerda, com a legenda "Before" (Antes) e o Novo Mapa do Pentágono está à direita, com a legenda "After" (Após). Observe o que as legendas no canto inferior direito indicam:

Agora, vamos examinar esse mapa inacreditável!

O Iraque está planejado para se tornar a potência dominante na região! Como você pode ver, o mapa mostra o Iraque dividido em três nações distintas:

Aproximadamente seis semanas antes de o presidente Bush ordenar a invasão ao Iraque, em 20 de março de 2003, publicamos um artigo na seção Daily News Updates acusando que o plano secreto do presidente era dividir o Iraque em três nações, o que é agora mostrado nesse mapa. É claro que a Casa Branca imediatamente negou que estivesse contemplando a divisão do Iraque em três países!

Precisamos atentar para a realidade que o novo país, chamado Estado Árabe Xiita, no sudeste iraquiano, estende-se para baixo ao longo do Golfo Pérsico até o Catar, tomando território da Arábia Saudita, uma aliada dos EUA. Esse novo país xiita é grandemente expandido em relação ao que agora constitui o sul do Iraque.

Agora, vamos olhar para a Arábia Saudita. Está planejado que ela se torne muito mais fraca, dividida em entidades políticas, e que abra mão de algumas de suas instalações petrolíferas — para o Iraque Xiita! A suposta aliada dos EUA sofre uma pesada perda de território no novo mapa criado pelo governo Bush. A Arábia Saudita perde território em todas as suas fronteiras atuais:

O território da Arábia também é chamado de "Territórios Independentes da Pátria Saudita", o que parece indicar que a atual ditadura central será dividida em "Territórios Independentes".

O fato incrível é que, se esse mapa for implementado, a Arábia Saudita perderá quase todo seu acesso ao oceano — tanto no Mar Vermelho quanto no Golfo Pérsico! Essa realidade precisa significar que algum outro país assumirá o controle dos terminais de exportação de petróleo da Arábia Saudita! Como poderão os sauditas tolerar essa violação de sua soberania? A resposta é que eles não poderão tolerar esse tipo de violação ao seu orgulho nacional e soberania. Eles precisarão ir à guerra, ou precisarão ser derrubados.

Vamos examinar mais um mapa para ver quanto território e instalações petrolíferas a Arábia Saudita terá de ceder.

Olhe para cidade saudita de Safaniya. A área em tom mais escuro é o Kuwait. Ao norte e ao oeste está o Iraque. Os campos petrolíferos sauditas são mostrados em verde.

Como você pode ver, a Arábia Saudita tem uma quantidade considerável de instalações petrolíferas na região imediatamente ao sul do Kuwait. Agora, confira o Novo Mapa do Oriente Médio. Você descobrirá que o Iraque Xiita está planejado para se estender em torno do Kuwait, deixado esse país como uma ilha soberana. Mas, então, o Iraque Xiita estende-se para o sul, até o Catar. O minúsculo país chamado Catar tem o formato de um rim e se estende em direção ao Golfo Pérsico!

A grave realidade é que a Arábia Saudita perderá uma quantidade considerável de suas instalações petrolíferas, que serão entregues ao Iraque Xiita.

Como a Casa de Saud é uma monarquia orgulhosa e gananciosa, nunca permitirá que esse mapa seja desenhado assim. Os sauditas muito provavelmente recorrerão à guerra para impedir que esse plano seja perpetrado.

Portanto, essa realidade significa que a monarquia saudita precisa ser removida para que esse mapa seja desenhado. O Ocidente está atacando a Arábia Saudita agora, mas não com tropas, tanques e aviões. Os Illuminati ocidentais estão atacando a monarquia saudita por meio da queda no preço e disponibilidade do petróleo bruto.

Quando o excesso na oferta de petróleo atingir 5-7 milhões de barris diários no mercado internacional, e quando o Iraque e o Curdistão alcançarem o nível de 8 milhões de barris diários, a Arábia Saudita se tornará irrelevante. Ela já está perto dessa irrelevância e poucos países dão ouvidos à sua liderança.

Mas, o maior horror para a Casa de Saud ainda está por vir!

A Arábia Saudita perderá toda a administração e controle sobre os sítios sagrados do Islamismo! Eu não consigo imaginar qualquer líder saudita abrindo mão voluntariamente desses sítios sagrados! Examinando o mapa acima do Novo Oriente Médio, vemos que a Arábia Saudita perderá o controle das cidades de Medina e Meca. Antes de isso acontecer, os líderes sauditas terão de ser mortos ou colocados em custódia.

O Novo Mapa do Oriente Médio é chocante de diversas formas, mas o aspecto mais interessante é que o Iraque / Curdistão serão levados a uma posição exaltada de superpotência econômica, enquanto que a orgulhosa, arrogante e difícil Arábia Saudita será gravemente humilhada.

Depois que a Arábia Saudita for colocada em posição de humildade, as guerras no restante do Oriente Médio e no Norte da África seguirão seus cursos e cumprirão seus objetivos. Nenhum ditador entrincheirado ficará para poder resistir à pressão da elite globalista de abrir mão da soberania nacional para a criação do Governo Regional Número 7.

Os Illuminati estão sistematicamente formando todas as dez supernações mostradas no mapa à esqueda. Quando a última supernação estiver formada, Daniel 7:7-8 estará cumprido e o Anticristo poderá aparecer.

"Depois disto eu continuei olhando nas visões da noite, e eis aqui o quarto animal, terrível e espantoso, e muito forte, o qual tinha dentes grandes de ferro; ele devorava e fazia em pedaços, e pisava aos pés o que sobejava; era diferente de todos os animais que apareceram antes dele, e tinha dez chifres. Estando eu a considerar os chifres, eis que, entre eles subiu outro chifre pequeno, diante do qual três dos primeiros chifres foram arrancados; e eis que neste chifre havia olhos, como os de homem, e uma boca que falava grandes coisas." [Daniel 7:7-8].


Se você recebeu Jesus Cristo como seu Salvador pessoal, mas vive uma vida espiritual morna, precisa pedir perdão e renovar seus compromissos. Ele o perdoará imediatamente e encherá seu coração com a alegria do Espírito Santo de Deus. Em seguida, você precisa iniciar uma vida diária de comunhão, com oração e estudo da Bíblia.

Se você nunca colocou sua confiança em Jesus Cristo como Salvador, mas entendeu que ele é real e que o fim dos tempos está próximo, e quer receber o Dom Gratuito da Vida Eterna, pode fazer isso agora, na privacidade do seu lar. Após confiar em Jesus Cristo como seu Salvador, você nasce de novo espiritualmente e passa a ter a certeza da vida eterna nos céus, como se já estivesse lá. Assim, pode ter a certeza de que o Reino do Anticristo não o tocará espiritualmente. Se quiser saber como nascer de novo, vá para nossa Página da Salvação agora.

Esperamos que este ministério seja uma bênção em sua vida. Nosso propósito é educar e advertir as pessoas, para que vejam a vindoura Nova Ordem Mundial, o Reino do Anticristo, nas notícias do dia-a-dia.

Fale conosco direcionando sua mensagem a um dos membros da equipe de voluntários.

Se desejar visitar o site "The Cutting Edge", dê um clique aqui: http://www.cuttingedge.org

Que Deus o abençoe.

Data de publicação: 19/12/2014
Transferido para a área pública em 31/3/2016
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/n2540.asp