Bandeira Falsa

Autor: Jeremy James, Irlanda, 12/10/2019.

Quando Adolf Hitler quis consolidar seu controle sobre o povo alemão e remover certas proteções constitucionais, ele tomou providências para que o edifício do Parlamento, o Reichstag, fosse incendiado. Esse evento pivô ocorreu em Berlin, em 27 de fevereiro de 1933. Hitler lançou a culpa pelo incêndio sobre os comunistas e afirmou que eles estavam planejando uma sublevação geral. O Decreto do Incêndio do Reichstag foi emitido apenas um dia depois do incêndio. O decreto suspendeu o direito de reunião, a liberdade de expressão e a liberdade de imprensa. Ele também deu poderes especiais à Polícia, efetivamente transformando a Alemanha em um Estado policial. O regime usou esses poderes para deter e aprisionar oponentes políticos sem provas, dissolver as organizações políticas e confiscar a propriedade privada.

O incêndio foi um evento de bandeira falsa, em que um lado cometeu um ato horrível e lançou a culpa sobre seus inimigos. (Daí o termo "bandeira falsa", a bandeira do inimigo). Agindo assim, Hitler procurou ocupar uma posição moral elevada, iludindo o público a pensar que aquelas leis draconianas eram necessárias para protegê-lo. Enquanto isso, os verdadeiros vilões já estavam no poder, usando a máquina do Estado para fortalecer seu domínio sobre a população. Por meio desse decreto, "Para a Proteção do Povo e do Estado", os nazistas tomaram o controle total da Alemanha e levaram aquele grande país à beira da destruição em apenas doze anos.

Outro evento de bandeira falsa — o bombardeio de Pearl Harbor, em 7 de dezembro de 1941 — foi usado para colocar os EUA na Segunda Guerra Mundial. Os líderes americanos sabiam que os japoneses estavam planejando, porém não fizeram coisa alguma para impedir. Em vez de manter sua Frota do Pacífio atracada em San Diego, na Califórnia, fora do alcance dos japoneses, eles a deslocaram até o Havaí. Alguns dias antes do ataque dos japoneses, os americanos levaram alguns de seus melhores navios para o alto mar para que, quando o ataque acontecesse, eles ainda tivessem alguns dos navios preservados.

Um número muito grande de americanos — embora, infelizmente, não o suficiente — sabe que o ataque às Torres Gêmeas, em 11/9/2001 foi um evento de bandeira falsa. Aquilo foi um "trabalho interno", planejado e executado pelos cérebros que estão por trás da vindoura Nova Ordem Mundial. Ele permitiu que a Elite transformasse os EUA em um Estado de vigilância — o passo anterior a um Estado policial — e autorizar a invasão e destruição de vários países soberanos, incluindo o Afeganistão, Iraque, Síria, Líbia e Iêmem. Essa desestabilização gigantesca do Oriente Médio e no Norte da África foi um prelúdio necessário para a criação da Terceira Guerra Mundial.

Pontos Críticos

Diversos pontos críticos foram armados após 1945 para ajudar a deflagar essa guerra. A Coreia do Norte foi uma criação totalmente artificial, um Estado "delinquente" que seria mais tarde usado para "ameaçar" os EUA. Na realidade, a Coreia do Norte é uma sociedade agrária e atrasada, governada por uma gangue de valentões que segue o roteiro escrito pelos líderes da Nova Ordem Mundial. Eles não têm mísseis que possam atingir os EUA, e não têm bombas nucleares. Esses dispositivos não existem. Eles são fisicamente impossíveis. A URSS também não os possuía, porém durante décadas a Elite manteve esse engodo mortal, prolongando a "Guerra Fria" e mantendo o mundo em um estado de ansiedade e medo, por meio da ameaça da "destruição mútua garantida".

O "pavio" coreano foi aperfeiçoado quando Trump assumiu o cargo de presidente dos EUA. As negociações feitas até aqui para conter a capacidade nuclear norte-coreana são meramente um modo de convencer o público que aquele país atrasado é imprevisível e perigoso.

Taiwan é outro ponto crítico. O país foi formado em 1949 como a única parte da China, além de Hong Kong, que permaneceria livre do domínio comunista. A China tem afirmado consistemente que Taiwan é parte de seu território soberano e que precisa reverter para o controle chinês. A atual instabilidade em Hong Kong é um sinal que o "pavio" foi aceso e que partes da China maior, que atualmente estão fora do domínio comunista serão em breve colocadas sob rédeas curtas.

Outro ponto crítico, embora pouco conhecido, pode ser encontrado na Caxemira — um território supostamente disputado na fronteira entre Paquistão e Índia. Os protestos irados entre os dois lados desde 1948, quando o Paquistão foi criado, têm ocasionalmente levado à violência. Entretanto, isto é grandemente um espetáculo fabricado pela N. O. M., uma disputa falsa cujo único propósito é deflagrar um grande conflito na região, quanto o tempo certo chegar. Ambos os países afirmam possuir bombas nucleares, de modo que qualquer escalada nas tensões entre os dois inclui a possibilidade de fatalidades maciças. É extraordinário que ninguém parece ter perguntado como uma nação pobre e com baixo nível de escolaridade, como o Paquistão, poderia afirmar ter desenvolvido uma bomba nuclear, em 1990, enquanto o Irã, uma sociedade muito mais avançada em todos os sentidos, ainda está lutando para conseguir isso. É claro que a realidade é que nem a Índia e nem o Paquistão possuem esses artefatos, nem o Irã os terá, e que essas fatalidades maciças, quando ocorrerem, serão alcançadas por outros meios.

Acontecimentos Recentes

O "pavio" da Caxemira foi acesso algumas semanas atrás — em 5 de agosto — quando um decreto presidencial revogou o Artigo 370 da Constituição Indiana. O Artigo 370 garantia direitos especiais ao Estado de maioria islâmica, incluindo o de ter sua própria Constituição e a liberdade de criar suas próprias leis, exceto em relação à defesa e política externa. Essa revogação formal é o lance mais radical tomado por um dos dois lados nos últimos 70 anos. Isto resultou em um paralisante toque de recolher na Caxemira, o desligamento da Internet e das telecomunicações e a detenção de líderes políticos.

Portanto, depois de um curto período de tempo, três importantes pontos críticos ficaram prontos — Coreia do Norte, Hong Kong / Taiwan e a Caxemira. E isto não termina aqui. Alguns dias atrás, o presidente Trump ordenou a retirada das tropas americanas da Síria. Até mesmo membros de alto escalão de seu próprio partido ficaram horrorizados com essa decisão impetuosa. A súbita retirada dessas tropas criará um imenso vácuo de poder na região, que a Turquia se apressará em ocupar — aparentemente com a aprovação do presidente Trump.

Os curdos, que trabalharam de perto com os americanos para manter a estabilidade na região, serão abandonados. Além disso, os milhares de combatentes do ISIS, que atualmente estão detidos na Síria, sob supervisão americana, muito provavelmente serão libertados pelos turcos (que os apoiaram secretamente durante vários anos). Os turcos já estão planejando criar uma "zona tampão" no norte da Síria, que poderia ter 48 km de largura e 320 km de extensão. Isso somente inflamará a situação e convencerá os curdos que, a não ser que eles respondam com força máxima, eles serão cercados e desarraigados pelos turcos.

Esta região é realmente um ponto crítico criado pelos britânicos e franceses antes de 1945, com uma visão de longo alcance. Após o colapso do Império Otomano, os britânicos e franceses retalharam e distribuíram imensos territórios que anteriormente estavam sob o domínio turco, de modo a atender às exigências concorrentes dos vários grupos étnicos na região. É por isto que o mapa do Oriente Médio tem tantas fronteiras com linhas retas. Os curdos — os antigos medos da Bíblia — tinham uma reivindicação histórica legítima a ter seu próprio país, mas não receberam coisa alguma. Eles ficaram pendurados de forma precária desde então, apertados entre a Turquia, Síria, Iraque e Irã.

A Preparação dos Pavios e dos Pontos Críticos

Muitos comentaristas veem a destruição da maior refinaria de petróleo na Arábia Saudita, em 14 de setembro, como uma operação de bandeira falsa, supervisionada pelo eixo anglo-americano. Se este for o caso, então isto, também, forma parte do exercício atual de criação de um pavio.

Outro pavio está sendo aceso na Europa, a famoso prazo para o Brexit, que foi estabelecido para 31 de outubro. O povo britânico está lentamente vindo a entender que foi traído por seus líderes políticos e que todo o fiasco do Brexit foi planejado e criado de forma deliberada pela Elite, para fazer avançar a agenda da Nova Ordem Mundial. Uma Grã-Bretanha isolada, tendo sido punida economicamente pela Alemanha e França por deixar a UE, se alinhará com os EUA na vindoura guerra mundial, enquanto que a Alemanha, embora afirmando permanecer neutra, se moverá mais para perto do eixo russo-turco.

Um pavio também foi aceso no sistema financeiro mundial, na forma das taxas de juros negativas. A pessoa mediana não está ciente do significado disso, porém isto mostra a extensão em que o sistema foi solapado. Praticamente um quarto de toda a dívida emitida pelos governos e grandes empresas está agora produzindo rendimentos negativos. Isso significa que qualquer um que possua esse tipo de título (ou letra) até o vencimento receberá menos de volta do que aplicou inicialmente. Em resumo, eles estão pagando para que a instituição emissora cuide de seu dinheiro. Por exemplo, um fundo de pensão, que investisse nesse tipo de título de dívida (como eles precisam fazer) poderia aplicar $ 100 milhões, sabendo que receberá de volta somente $99 milhões, ou menos, em alguma data futura. Isto é absurdo, é claro, mas está agora se tornando um aspecto padrão do sistema existente. A diagrama ao lado ilustra o quão rapidamente isto está acontecendo.

A mensagem é chocante. Se a tendência atual continuar — e não há nada que indique que não continuará — o sistema financeiro mundial implodirá totalmente dentro de alguns anos. Se isso for revelado, a Elite extremamente rica será atacada pelas massas por permitir que isso aconteça. Entretanto, sabemos que a Elite nunca correrá esse tipo de risco, de modo que eles precisam ter uma desculpa convincente pronta, um "evento" que receberá toda a culpa por tudo. Retornaremos a esse "evento" em instantes.

Um Presidente Irracional e Fora do Convencional

A insana decisão do presidente Trump de retirar subitamente as tropas americanas da Síria é apenas parte de uma confusa série de decisões ruins e atos impetuosos. A guerra comercial com a China é um exemplo primordial. Não somente ela não tem justificativa econômica — pois fará grande mal à indústria e à agricultura dos EUA — mas inflamará as relações com um país marxista que está simplesmente aguardando por uma desculpa para infligir dano sobre os EUA. Em resumo, Trump está levando o povo americano a uma cilada.

Como já dissemos em vários ensaios anteriores, quando o povo americano elegeu Trump, lançou-se em uma crise constitucional. Eles agora têm um chefe de Estado cujo modo irracional e caprichoso de liderança está fazendo mal à América no cenário internacional. Estamos vendo isto já com a guerra comercial e suas decisões relacionadas com o papel da Síria e da Turquia naquela região. Nenhum líder genuíno de estatura presidencial escreve em uma rede social para o mundo inteiro comentários imprevisíveis sobre política nacional e assuntos atuais. Um líder genuíno não difama e deprecia seus oponentes políticos com retórica de um menino em idade escolar e insultos típicos de um rapaz adolescente. Além disso, um líder genuíno não muda continuamente de ideias ou suas posições políticas em questões de importância nacional. Mas, o presidente Trump faz tudo isto, e mais. Ele é exatamente o tipo de líder que a Elite quer no poder quando o "evento" acontecer.

Quando isto acontecer, o Congresso provavelmente será suspenso e todo um conjunto de poderes executivos — especificados em uma série de Ordens Executivas, que se estendem a várias décadas atrás — serão conferidos ao presidente. Ele então governará por decretos e com poderes absolutos.

Ritual dos Illuminati nos Jardins do Vaticano

Antes de discutir o evento planejado, veremos um ritual realizado nos jardins do Vaticano na sexta-feira, 4 de outubro. O Papa Francisco, junto com diversos cardeais participaram de uma cerimônia de plantar uma árvore nos jardins, realizada por um grupo de xamãs (pagés) e pagãos da região amazônica. No início, o Papa sentou-se do lado de fora do círculo, observando as atividades, mas depois entrou no círculo e foi até o centro, para "plantar" a árvore. Durante o ritual, ele se ajoelhou diante de imagens esculpidas, incluindo imagens da deusa amazônia grávida e recebeu um anel preto de presente. As fotos abaixo são um triste registro desse surpreendente ritual ocultista:

O Papa estava realizando um ritual blasfemo dos Illuminati, invocando Gaia, a "Mãe Terra" para ocupar o Vaticano e "plantar-se" no meio da Igreja Católica Romana. Ele foi até presenteado e aceitou com sua bênção, uma efígie dessa entidade. Dificilmente precisamos fazer comentários adicionais sobre esse episódio chocante. Isto marca uma ímpia rejeição de tudo que o Senhor e Seu Filho, Cristo Jesus, revelaram para nossa salvação.

Um participante notável durante esse ritual foi o cardeal ganense Peter Turkson, que fez a oração "Cosmos a Partir do Caos" durante o evento. Ele concluiu com o seguinte: "A lição aqui é simples: Caos com a Palavra de Deus Torna-se Cosmos. Por outro lado, Cosmos sem a Palavra de Deus Torna-se em caos!"

Esta é uma crença Illuminati padrão, direto do livro-texto maçônico. Logicamente, a divindade que eles têm em mente não é o Senhor Deus da Bíblia, mas o Grande Arquiteto, da Maçonaria.

O Vaticano Dá as Boas-Vindas à Nova Ordem Mundial

O mesmo cardeal Turkson foi presidente do Pontifício Conselho para a Justiça e Paz, de outubro de 2009 até o fim de 2016. Sob sua liderança, o Conselho emitiu um famoso relatório em 2011 chamado "Por uma Reforma dos Sistemas Financeiro e Monetário Internacional no Contexto da Autoridade Pública Global". O relatório propôs a abolição do sistema vestfaliano de países soberanos e independentes e a criação de uma "Autoridade Pública Global" para governar o mundo inteiro. Os autores afirmam que o sistema existente de Estados-nações não é capaz de lidar com os desafios que estão agora diante do mundo:

"Os Estados modernos tornaram-se estruturados ao longo do tempo e reforçaram a soberania dentro de seus próprios territórios. Mas, as condições sociais, culturais e políticas mudaram gradualmente. A interdependência deles cresceu — de modo que tornou-se natural pensar em uma comunidade internacional que esteja integrada e cada vez mais governada por um sistema compartilhado — porém uma forma pior de nacionalismo continua a existir, segundo a qual o Estado acha que pode alcançar o bem de seus próprios cidadãos, de um modo autossuficiente."

O que eles estão propondo, é claro, é uma Nova Ordem Mundial. Além disso, eles afirmam que essa utopia pacífica e próspera não será trazida à existência sem "angústia e sofrimento":

"Em um mundo que caminha para a rápida globalização, a referência a uma Autoridade mundial torna-se o único horizonte compatível com as novas realidades do nosso tempo e com as necessidades da humanidade. Entretanto, não se deve esquecer que esse acontecimento, dada a natureza humana danificada, não será produzido sem angústia e sofrimento."

Este é o plano de jogo dos Illuminati em alguns poucos parágrafos — a criação, pela força, de um governo mundial totalitário. Por "angústia e sofrimento", eles querem dizer um rebuliço traumático que precisa necessariamente preceder a criação da utopia proposta deles. Em resumo, uma grande guerra mundial.

Como H. G. Wells estava escrevendo em um tempo em que público somente de forma muito vaga sabia o que a Elite estava planejando, ele descreveu o fim do jogo com aterrorizadora franqueza:

"E para os restantes, aqueles números enormes de negros, mulatos, brancos-sujos e amarelos, que não se encaixam nas novas necessidades de eficiência? Bem, o mundo é um mundo, não uma instituição de caridade, de modo que aceito que eles terão de partir. Todo o sentido e significado do mundo, das formas como eu o vejo, é que eles terão de partir. Como até aqui eles não conseguiram desenvolver personalidades sadias, vigorosas e distintivas para o grande mundo do futuro, a sina deles é morrer e desaparecer."

O ritual xamânico nos jardins do Vaticano, em que o Papa exerceu uma parte ativa, foi uma vergonhosa exibição da arrogância dos Illuminati. Eles estão tão confiantes da vitória que agora estão exibindo suas blasfêmias diante do mundo. É como se eles estivessem dizendo: "Ninguém agora pode nos impedir. Aplicaremos o golpe fatal na hora que quisermos e não há absolutamente coisa alguma que vocês possam fazer a respeito disso."

Conclusão

A Cabala que está por trás da vindoura Nova Ordem Mundial está se preparando para levar a implementação de seu plano para o próximo nível. Tantos pontos críticos estão sendo ativados, todos ao mesmo tempo, que seria ingenuidade imaginar que isto está acontecendo por acaso. Além disso, se é planejado, então isto precisa ser um prelúdio para algo grande, uma transição sísmica no status quo. Isto aponta fortemente para um ataque iminente de bandeira falsa, um evento chocante do tipo descrito acima. Exatamente como o ataque de 11/9/2001, isto colocará em movimento uma cascata de choques sociais, econômicos, políticos e militares, mas em uma escala muito maior e mais devastadora.

Como os Illuminati sempre usaram o medo para paralisar as massas, podemos esperar que esse evento seja visualmente espetacular, algo que eles possam mostrar repetidamente na televisão. Será um momento "nada jamais será o mesmo novamente". Como essas pessoas são fundamentalmente psicopatas, um número muito maior de mortes não significará nada para eles. O evento precisará ocorrer em solo americano, para ter o máximo efeito. Como já descrevemos como isso possivelmente será alcançado — veja nosso ensaio ##190 — não iremos discutir este aspecto aqui. Entretanto, observaremos que o alvo, provavelmente, terá de estar próximo da costa oeste americana, se o cenário descrito naquele ensaio for o selecionado.

Provavelmente, eles executarão esta parte do plano deles enquanto Trump ainda estiver no cargo. Como observamos anteriormente, para os arquitetos da N. O. M., Trump é a pessoa ideal para "liderar" os EUA em um tempo assim — ele é irracional, impetuoso, egoísta, impaciente e vazio de julgamento sólido. Quanta confiança o povo americano terá em um líder que escreveu a seguinte mensagem na rede social Twitter, em 7 de outubro?

"... na minha grande e inigualável sabedoria". Estas são as palavras do presidente dos EUA ou do Mago de Oz?

O povo dos EUA deveria estar profundamente preocupado com tudo isto. A Elite lhe deu um palhaço como comandante-em-chefe e — como explicamos em muitos ensaios anteriores — um sistema financeiro internacional que está projetado para fracassar. Acrescente os dois martelos do Marxismo — a Rússia e a China — e você tem um desastre aguardando para acontecer. Eles parecem ter a intenção de usar um ataque de bandeira falsa nos EUA para colocar a coisa toda em movimento.

Em breve poderemos ver homens adultos gritando e em uma aflição grande demais para suportar. O ataque poderá ocorrer no próximo ano, ou poderá ser retardado até o mandato do próximo presidente. Mas, uma coisa é clara, o plano está nos trilhos e o ruído já é ensurdecedor. O príncipe deste mundo planejou tudo por meio de seus servos terreais e a igreja morna de Laodiceia — dominada pelos nicolaítas — simplesmente está sentada tranquilamente e não diz nada. Nenhum mal é absurdo demais para fazer com que eles quebrem seu silêncio.

Mas, infelizmente, há um ponto em que o tempo de julgamento chega.

"Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça. Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou. Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis; porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos." [Romanos 1:18-22].

"E será que, quando eles te disserem: Por que suspiras tu? Dirás: Por causa das novas, porque vêm; e todo o coração desmaiará, e todas as mãos se enfraquecerão, e todo o espírito se angustiará, e todos os joelhos se desfarão em águas; eis que vêm, e se cumprirão, diz o Senhor DEUS." [Ezequiel 21:7].

Outros Ensaios Relacionados com Este Tópico:

Castor e Pólux: Diante do Ponto Crítico

Quem Será Responsabilizado Quando Ocorrer a Crise Financeira Internacional?

A Crise Constitucional Que Está se Desdobrando nos EUA

Duas Vulnerabilidades Potencialmente Fatais: O Sistema Financeiro Internacional e a Rede de Transmissão Elétrica

As Duas Principais Armas do Cristão e Como Satanás Está Trabalhando Furtivamente para Neutralizá-las

A Vindoura Perseguição aos Cristãos

O Papa Francisco e a Agenda 2030 da ONU

A Vindoura Implosão do Sistema Financeiro Internacional

Os Planos Globalistas de Dividir os EUA e de Redefinir Todo o Mapa Político do Oriente Médio

Provas de uma Conspiração — Globalistas Falam Abertamente Sobre Seus Planos Mortais

Anomalias na História: A Segunda Guerra Mundial — Como a Elite Globalista Controlou Ambos os Lados

Solicitação Especial

Incentivamos os leitores frequentes a baixarem os ensaios disponíveis neste website para cópia de segurança e consulta futura. Eles poderão não estar disponíveis para sempre. Estamos entrando rapidamente em um tempo em que materiais deste tipo somente poderão ser obtidos via correio eletrônico. Os leitores que desejarem ser incluídos em uma lista para correspondência futura são bem-vindos a me contactar em jeremypauljames@gmail.com. Não é necessário fornecer o nome, apenas um endereço eletrônico.



Autor: Jeremy James, artigo em http://www.zephaniah.eu
Data da publicação: 20/10/2019
Transferido para a área pública em 29/12/2020
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/bandeirafalsa.asp