A Mentira do Aquecimento Global Criado pelo Homem

Autor: Jeremy James, Irlanda, 1/11/2019.

O aquecimento global criado pelo homem é simplesmente uma mentira, outro passo para frente na agenda do Anticristo.

Como mostramos em vários de nossos ensaios anteriores, a Elite gosta de fazer uso amplo do engodo. Algumas das mentiras estão vestidas com o disfarce de "ciência', tornando-as impérvidas às críticas, exceto para aqueles que são "qualificados" para levantar dúvidas ou fazer perguntas difíceis. Infelizmente, aqueles que são qualificados não estão inclinados a dar o passo à frente e declarar o óbvio — ou até mesmo levantar suas dúvidas — por que seus cargos profissionais sofreriam como resultado. Finalmente, os poucos que têm a coragem de assumir uma posição contrária ao estamento a respeito de uma questão, são geralmente ignorados pela mídia dominante e são discriminados por seus pares.

O mito conhecido como "Aquecimento Global Criado pelo Homem" é parte desse programa de enganação. Aqueles que são profissionalmente qualificados para pronunciar sobre esta questão são poucos em número, de modo que o público, bem como os que atuam em outros ramos da ciência, sentem-se obrigados a aceitar as conclusões deles. Se os dados mostram que aquilo está acontecendo, então aquilo está acontecendo. Esta é a fórmula impenetrável — fatos frios e rígidos (aparentemente) incorporados em um modelo científico comprovado (aparentemente). Subitamente, E=mc2 e todos nós estamos perto de morrer.

Isto funcionou com a assim-chamada bomba nuclear — que não existe — então por que não aterrorizar as nações mais uma vez com outra ameaça falsa de aniquilação da humanidade?

As Calotas Polares

Para a maioria das pessoas, a ameaça é grandemente reduzida a um único resultado cataclísmico: o derretimento das calotas polares. Portanto, iremos iniciar aqui.

Aparentemente, se as calotas polares começarem a derreter, o nível do mar subirá e provocará devastações. De acordo com os especialistas, isto já está acontecendo. Depois de pouco tempo, regiões costeiras inteiras serão inundadas e milhões de vidas perecerão. As cidades entrarão em colapso, as cidades e aldeias serão varridas do mapa e milhares de pequenas ilhas desaparecerão debaixo das ondas. Milhões de hectares de terras produtivas serão destruídos, o efeito estufa se acelerará e a fome resultante matará uma imensa proporção daqueles que restarem.

Isto tem alguma base científica?

Como alguém me disse recentemente, a água derretida precisará ir para algum lugar. Este homem é muito inteligente, bem-sucedido nos negócios e tem doutorado em pesquisa científica, porém deixou de fazer a pergunta óbvia: De quanta água estamos a falar?

Para ter uma resposta significativa, precisamos saber a quantidade total de gelo sobre a superfície da Terra. A partir disso, poderíamos calcular o aumento total no nível do mar que resultaria se todo o gelo derretesse.

Apontaremos que a calota de gelo no Polo Norte ainda está intacta, apesar de rumores frequentes sobre o contrário. Mesmo se ela derretesse, não afetaria os níveis dos mares, pois o gelo em questão não é "terra de gelo". Ela já é parte do sistema oceânico.

O cálculo que temos em mente já foi feito por um website que apoia a teoria do aquecimento global. Aqui estão os números deles:

Quanto Território de Gelo Existe no Mundo?

A maior parte (99,5%) do volume permanente de gelo no mundo está confinado em camadas de gelo e glaciares. A Camada de Gelo da Antártida é o maior depósito de água fresca congelada; ela elevaria os níveis do mar em 58,3 metros (seu "equivalente no nível do mar", ou SLE, de Sea Level Equivalent), com derretimento total. A Camada de Gelo da Antártida cobre 8,3% da superfície terrestre.

A Camada de Gelo da Groenlândia tem um volume de gelo no nível do mar equivalente a 7,36 metros e cobre 1,2% da superfície terrestre global.

Finalmente, os glaciares e calotas de gelo têm um nível do mar equivalente em volume de gelo de 0,43 m, cobrindo apenas 0,5% da superfície terreste global.

Excerto Literal da Fonte: http://www.antarcticglaciers.org

Dado que mais de 90% do aumento no nível do mar será atribuído ao derretimento da camada de gelo da Antártida, enfocaremos este número. O website calcula que isso aumentaria o nível do mar em quase 60 metros.

O quão realista é isto?

De acordo com a NOAA — National Oceanic and Atmospheric Administration (Secretaria Atmosférica e Oceânica Nacional) — a profundidade média dos oceanos do mundo é de 3.630 metros [www.oceanservice.noaa.gov] Isto significa que um aumento de 60 metros na profundidade média dos oceanos requereria um aumento de aproximadamente 1/60 em seu volume existente. Isto representa um aumento de seis vezes o volume existente de água em todo o Mar Mediterrâneo! Portanto, de onde vem exatamente este volume extraordinário de água?

Os "especialistas" afirmam que mais de 90% disso virá das camadas de gelo da Antártida.

O cálculo deles é como segue (em termos gerais). Assumiremos que a camada de gelo na Antártida é tão grande quanto os geógrafos afirmam que ela é, com base no modelo deles da Terra-globo. O número atual é 5,4 milhões de milhas quadradas (segundo a Wikipedia). O mesmo artigo na Wikipedia afirma que isto é equivalente a 6,4 milhões de milhas cúbicas de gelo. Se este for o caso, então a altura mediana da camada de gelo é de incrível 1,92 km, ou perto disso. Assim, a camada de gelo da Antártica, quando totalmente derretida, liberaria um volume total de água equivalente a 7 vezes o Mar Mediterrâneo (6,4 / 0,9)].

Mas, Isto É Fisicamente Possível?

Alguma coisa disso faz sentido? Vamos examinar mais de perto.

Primeiro, precisamos perguntar se é fisicamente possível para um volume de gelo comprimido alcançar uma altura de 1,9 km. Sabemos a partir das cordilheiras na Europa e Rússia que uma vez que um glaciar atinge uma altura de 45 metros, aproximadamente, a pressão em sua base torna-se tão grande que o gelo derrete. Esta é uma lei da Física direta, em que a pressão sustentada sempre gera um aumento na temperatura. À medida que mais neve se acumular no alto do glaciar, a pressão em sua base também aumenta, desse modo elevando a temperatura na base e fazendo o ritmo do derretimento se acelerar.

A partir disso, podemos seguramente inferir que, uma vez que um glaciar alcançar certa altura — algo entre 45 e 75 metros — ele não pode crescer mais. Isto é muito menos do que a algura de 1,9 km que aqueles que falam do perigo do aquecimento global estão afirmando com a altura média da camada de gelo da Antártica. Mesmo que o cenário de aquecimento deles for correto, o que não é, eles ainda estão exagerando o pior resultado possível por um fator de 30, ou mais.

Podemos ver como algumas poucas "suposições" — ou mentiras — cuidadosamente selecionadas podem ser usadas para dar credibilidade a uma ideia absurda. O gelo não possui as mesmas propriedades físicas que uma rocha. Depois que um glaciar atinge certo tamanho, ele começa a desabar sob seu próprio peso. O mesmo era verdadeiro das pirâmides egípcias que foram construídas com tijolos ressecados ao sol.

Segundo um tratado internacional que entrou em vigor em 1961, é ilegal se aproximar da Antártida sem uma permissão da ONU. A massa de terra está completamente fora do alcance de pessoal não-militar e qualquer um que tentar se aproximar "ilegalmente" será interceptado e preso. Por quê? É por que o embuste do aquecimento global é criticamente dependende de uma variável — a espessura da camada de gelo — e isso não pode ser conferido de forma independente?

O Congelador Continuará Funcionando

Vamos viajar um pouco mais longe nesta terra de ficção científica.

Querem que acreditemos que um aumento na temperatura global média de apenas 2 graus centígrados faria esse grande volume de gelo derreter. Mas, para isto acontecer, o congelador da Antártida teria de estar totalmente quebrado — e isto nunca acontecerá.

Vamos olhar mais de perto para essa suposição audaciosa. A temperatura média anual da Índia é 23,65 graus centígrados, no México é de 21 graus, na Itália é de 13,45 graus, na Irlanda de 9,30 graus e no Canadá é de -5,35 graus centígrados. Em contraste, a temperatura anual média na Antártida varia de -10 graus ao longo da costa para -60 graus nas regiões mais elevadas adentro. Por um curto período no verão, as áreas costeiras podem se mover para o intervalo positivo, de 5 a 10 graus, aproximadamente. Esta é temperatura atmosférica, não a temperatura no solo.

A adição de 2 graus centígrados na temperatura atmosférica na Antártida fará pouquíssima diferença na velocidade do derretimento. Quase toda a camada de gelo na Antártida está bem abaixo do ponto de congelamento, virtualmente o ano inteiro, e não seria afetada por uma pequena elevação na temperatura média anual.

Como você pode ver, precisamos examinar continuamente as afirmações feitas pelos alarmistas do aquecimento global. A Elite é formada por mentirosos sem vergonha e eles utilizam rotineiramente cientistas inescrupulosos que, pelo preço certo, apoiam suas mentiras com dados fabricados, suposições sem base científica e modelos irrealistas e ilusórios.

A partir de nossa análise simples, vimos que (a) não há gelo suficiente na Antártida para causar a devastação predita pelos alarmistas e (b) se existissse, ele permaneceria congelado durante todo o ano, mesmo se as temperaturas subissem 2-3 graus centígrados.

O Mítico Taco de Hockey

Isto nos leva ao nosso próximo exemplo, os dados factuais que supostamente provaram o Gráfico do "Taco de Hockey". Em sua famosa apresentação "Uma Verdade Inconveniente" (2006), o ex-presidente americano Al Gore afirmou que a temperatura atmosférica média da Terra permaneceu em grande parte constante até o advento da Revolução Industrial. Somente então ela subitamente deu um pico para cima. Mas, os registros históricos mostram que isto é uma bobagem.

Aqui está o famoso gráfico:

Este gráfico omite dois enormes "inchaços", um para cima e um para baixo, o primeiro em relação ao período de clima incomumente quente, de aproximadamente 950 a 1200, conhecido como Máximo Medieval, e o segundo em relação a um período prolongado e temperaturas abaixo da média, de aproximadamente 1570 a 1720, conhecidos como Mínimo de Maunder. Veja o gráfico abaixo:

A existência desses dois períodos tinha há muito tempo sido aceita antes de o falso Gráfico do Taco de Hockey entrar em cena. Muitas diferentes fontes de dados tinham confirmado a base histórica deles, incluindo os anéis das árvores, a quantidade de pólem, núcleos de gelo, sedimentos no leito dos lagos e numerosos documentos históricos. Diários do período do Mínimo de Maunder provam sem qualquer dúvida que a temperatura em toda a Europa estava substancialmente abaixo da média de longo prazo.

Estas grandes variações ou anomalias na temperatura são extremamente importantes, pois mostram que a mudança climática estava ocorrendo muito antes que a atividade humana industrial pudesse ter tido algum efeito. Os climatologistas que estudaram esse fenômeno antes da teoria do aquecimento global aparecer tinham concluído que as variações eram devidas aos ciclos de atividade solar, que afetavam a geração de calor produzido pelo sol ao longo de um determinado período.

De Onde Veio o Gráfico do Taco de Hockey?

Assim, de onde Mann, Bradley e Hughes obtiveram os dados revolucionários que, de acordo com o gráfico controverso deles, eliminaram tanto o Máximo Medieval e o Mínimo de Maunder? Esta é uma questão que muitos climatologistas respeitados estavam fazendo. Na verdade, um deles, o Dr. Tim Ball, um professor-titular aposentado da Universidade de Winnipeg, questionou os dados com tanta determinação, que Michael Mann acreditou que sua reputação profissional estava sendo impugnada. A questão foi colocada além da dúvida quando Ball acusou Mann de fraude.

Mann processou Ball por difamação e, após um atraso inexplicável de oito anos, o processo finalmente foi a julgamento em 2019. Em 23 de agosto, o tribunal na Colúmbia Britânica (Canadá) rejeitou a afirmação de Mann e concedeu custas judiciais a Ball. Embora o julgamento pareça ter sido oral e não na forma escrita, o juiz estava dizendo efetivamente que Ball estava correto quando afirmou que Mann era uma fraude. Mann poderia ter se defendido, apresentando os dados originais ao tribunal, porém deixou de fazer isso.

Somos grandemente encorajados que ainda existem homens que têm a coragem para enfrentar a elite mentirosa. O Dr. Tim Ball colocou seu pescoço em risco para defender o princípio da ciência genuína, onde a objetividade e abertura são de máxima importância. Mann sempre tinha recusado as solicitações para tornar seus dados disponíveis para escrutínio. Tanto quanto Ball estava interessado, esta foi prova adicional que os dados de Mann eram fajutos. Apesar da intimidação à qual ele ficou exposto e a possibilidade real que o tribunal não fosse verdadeiramente imparcial, ele seguiu em frente com sua acusação contra Mann e foi totalmente confirmado.

O Gráfico do Taco de Hockey foi uma fraude desde o início. Ele foi construído com base no uso de estatísticas fraudulentas, nada mais. Todavia, se o Dr. Ball não tivesse se mantido firme e defendido a verdadeira ciência, um grupo de impostores teria sequestrado a Climatologia e a transformado em uma arma política. Na verdade, a mentira já está em circulação há tanto tempo, foi apresentada repetidamente com sucesso e entrou na imaginação popular, que provavelmente já alcançou seu propósito. Uma decisão judicial na Colúmbia Britânica, que praticamente não foi reportada na grande mídia, fará pouco para retificar qualquer uma dessa atividade fraudulenta, a não ser que mais cientistas se levantem para rejeitá-la.

Por Que É Improvável Que Isto Aconteça

Não é provável que isto aconteça por que os órgãos profissionais, que representam esses cientistas alinharam-se com Mann. Por exemplo, a Associação Americana para o Progresso da Ciência (AAAS) — que afirma ter 120.000 membros — concedeu a Mann seu prestigioso Prêmio Engajamento Público com a Ciência, em 2018. Eles fizeram isso sabendo que Mann tinha se recusado repetidamente a revelar seus dados, a despeito de ser solicitado pelo tribunal a fazer isso, e que essa recusa era equivalente a uma fraude. Eles também estavam cientes da análise estatística do Gráfico do Taco de Hockey por um talentoso matemático canadense, Steve McIntyre, que mostrou que Mann e sua equipe somente poderiam ter chegado ao resultado deles eliminando dados inconvenientes — e esta, caro leitor, é a verdade inconveniente.

O IPCC, o Painel Intergovernamental Sobre Mudança Climática, que representa a ONU no debate da mudança climática, também se alinhou com Mann. Apesar da natureza radical daquilo que ele e sua equipe estavam propondo, o IPCC aceitou o gráfico absurdo dele em 2005, sem conferir os dados ou a metodologia e continua a promovê-lo como ciência legítima desde então.

Esta mentira altamente politizada está agora sendo promovida agressivamente na média dominante. Figuras públicas como Leonardo Di Caprio estão sendo cooptados para vender a mensagem para as massas. A linguagem alarmista é empregada rotineiramente para sugerir que o mundo terminará em algumas décadas, a não ser que troquemos nossos carros por bicicletas, adotemos uma dieta vegana, vivamos em casas pequenas e desliguemos todos nossos eletrodomésticos.

Em uma reunião de alto nível sobre "Clima e Desenvolvimento Sustentável", em março de 2019, a Assembleia-Geral da ONU advertiu que restavam somente onze anos para evitar "danos irreversíveis" produzidos pela mudança climática. Essa mensagem alarmista circulou amplamente na mídia, acompanhada por imagens horríveis de uma destruição iminente e apelos urgentes para ação imediata. Ao mesmo tempo, passeatas e concentrações "Rebelião Contra a Extinção" foram realizadas em cidades de diversos países em todo o mundo, consistindo principalmente de jovens facilmente manipuláveis, dispostos a desfazer os erros de seus pais. Como eles já tinham engolido a mentira, foram fáceis de manipular.

O Poder da Vaia!

Não há discussão alguma da ciência que está por trás do aquecimento global, mesmo entre aqueles com conhecimento científico mais do que o suficiente para ver as rachaduras. O público está ouvindo repetidamente que a ciência está definida, que os dados são irrefutáveis e que as consequências serão catastróficas se não agirmos agora. A última parte da mensagem sempre está amarrada com a primeira, de modo que o tópico sempre gera certa ansiedade. Humanamente, achamos difícil discutir uma questão de um modo objetivo se ela envolver alguma adversidade. A lenta liberação do medo faz nosso cérebro se desconectar.

A Elite usa essa tática do medo há várias décadas. No início dos anos 1960s, fomos treinados a nos esconder debaixo da mesa da cozinha e vedar as janelas com fita adesiva em caso de "radiação nuclear". A Elite usou isto, junto com a "crise dos mísseis cubanos" para instilar o medo nas massas e manter a Guerra Fria. Mas, na verdade, os dispositivos nucleares explosivos nunca existiram. Tudo isto é uma fraude para dar aos Illuminati tempo suficiente para se prepararem para a Terceira Guerra Mundial. A fórmula E=mc2 é uma completa bobagem. (Veja em nosso ensaio 76, intitulado "Why Explosive Nuclear Devices May Not Exist", uma discussão mais detalhada sobre esta questão.)

Mais recentemente, fomos solicitados a tremer em nossas permas diante da perspectiva de uma pandemia mortal da gripe suína, que matará metade da população em 15 minutos. O papel da Organização Mundial de Saúde nesse engodo chocante deveria ter dado margem para processos criminais.

E não se esqueça dos asteróides! Ah, sim, os asteróides. Eles são grandes, perigosos e amedrontadores, indo para lá e para cá nas profundezas escuras do "espaço", aguardando nosso "planeta" entrar em seus trajetos. O mundo inteiro poderá será atingido e se arrebentar na destruição, se não tomarmos alguma providência agora!

Quanta bobagem. (Veja nossos ensaios "O Exército do Céu e Nossa Terra Plana e Estacionária", "A Tenda em Que Todos Nós Habitamos: Por Que o Céu é Azul?", "Como o Maligno Criou a Falsa Realidade Alternativa", entre outros, para uma discussão sobre o "espaço sideral" e outras mentiras relacionadas.)

Os Illuminati devem com certeza estar rindo ao ver como é fácil dizer "Buu!" e fazer dezenas de milhões de pessoas incautas correr e se esconder. O efeito é amplificado pela mídia social, permitindo que o "Buu!" soe mais alto e viaje mais rápido. E, como todos sabemos, nada é mais demolidor do que uma vaia bem alta e de rápida propagação.

A estratégia agora beira o ridículo, em que uma adolescente emocionalmente perturbarda pode "falar" diante da Assembleia-Geral da ONU e dizer "Buu!" para o mundo inteiro.

"E dar-lhes-ei meninos por príncipes, e crianças governarão sobre eles." [Isaías 3:4].

Confiem em Nós, Somos Cientistas

A última tentativa de atemorizar o mundo com a ameaça de mudança climática catastrófica — com a consequente fome em escala mundial — foi durante os anos 1970s, quando o foco estava no resfriamento atmosférico, não no aquecimento. De acordo com os "especialistas" naquele tempo, mudanças imperceptíveis nas condições climáticas eram um sinal que uma grande transição estava ocorrendo e que, dentro de pouco tempo, a Terra inteira estaria em uma nova idade do gelo. Em uma matéria de destaque publicada em 28/4/1975, a influente revista Newsweek explicou isto da seguinte forma:

"Para o leigo, as mudanças relativamente pequenas em temperatura e luz solar podem ser altamente enganosas... o atual declínio levou o planeta cerca de um sexto do caminho em direção à média da Idade do Gelo. Outros consideram o resfriamento como uma reversão para as condições 'pequena idade do gelo', que trouxe invernos severos para grande parte da Europa e América do Norte entre 1600 e 1900 — anos quando o Tâmisa costumava congelar tão solidamente que os londrinos faziam churrasco sobre o gelo e navios quebra-gelos entravam pelo rio Hudson quase até o sul da cidade de Nova York."

Somos bombardeados com frases que apelam aos sentimentos — "Confiem em nós, somos cientistas." Aparentemente, o leigo não consegue realmente compreender esse assunto profundo. Mas, no artigo, eles admitiram que o Mínimo de Maunder ou "pequena idade do gelo" foi um fato provado! Isto é precisamente o que os alarmistas do aquecimento hoje estão tentando negar. Como você pode ver, os fatos são reconhecidos ou rejeitados, citados ou ignorados, apagados ou fabricados, como e quando necessário, tudo por propósitos puramente políticos: "Diga-nos o que quer, Sr. Rockefeller e, fique descansado, iremos encontrar um modo de provar aquilo."

Naquele tempo, o resfriamento global era visto como uma ameaça tão séria pelos "especialistas" que foi dada consideração para soluções radicais que aumentavam a temperatura atmosférica média. Estas incluíam cobrir as calotas de gelo no Ártico com fuligem preta e desviar os enormes rios Ob, Yenisei e Lena, na Rússia, que deságuam no Oceano Ártico. Ambas essas insanas opções foram mencionadas na matéria da revista Newsweek. Compare estas "soluções" com aquelas que estão sendo propostas hoje por "especialistas" eminentes, como Bill Gates, que quer lançar na atmosfera superior uma poeira bem fina — uma "nuvem química" — e, desse modo, reduzir a quantidade de luz solar que atinge a Terra.

Os mentirosos e enganadores dos anos 1970s têm muito em comum com os mentirosos e enganadores de hoje. Eles são imensamente ricos, vêm das mesmas famílias, buscam a mesma agenda e estão preparados para provocar miséria e distúrbios sociais em grande escala para trazer sua Nova Ordem Mundial.

O Controle do Estoque de Alimentos do Mundo

Existem muitos modos de controlar o comportamento humano coletivo, mas o mais bem-sucedido sempre foi a ameaça de fome. A ameaça de morte por violência é menos horrível do que a ameaça de passar fome. Não somente a pessoa é submetida a uma morte lenta e excruciante, mas é obrigada a assistir, sem poder fazer nada, enquanto seus familiares queridos passam pelo mesmo destino terrível. Qualquer um que tenha lido os relatos do Holomodor, a fome na Ucrânia, em 1932-1933, saberá sobre o que estamos a falar.

Ucrânia

Como parte de seu programa para deter o crescimento do nacionalismo ucraniano, Stalin ordenou que seus capatazes fossem de vila em vila e confiscassem todos os suprimentos de alimentos disponíveis. Eles confiscaram a colheita de grãos, as sementes necessárias para a plantação da safra do ano seguinte e todos os estoques de trigo, alimentos enlatados, batatas, beterrabas, etc. Eles tomaram tudo. Grandes partes rurais da Ucrânia foram submetidas a essa atrocidade, causando a morte pela fome de pelo menos 4 milhões de homens, mulheres e crianças.

Este crime foi tão repulsivo que até os inimigos de Stalin não conseguiram acreditar que ele seria capaz de perpetrá-lo. O crime excedia a compreensão comum do que homens ímpios são capazes de fazer — e continuam a fazer. Somente a partir dos anos 1990s, mais ou menos, quando a massa de documentação e relatos de primeira-mão de tudo o que tinha acontecido naquele país atribulado tornaram-se geralmente disponíveis, é que os historiadores finalmente admitiram que aquilo tinha acontecido — uma fome criada pelo homem com o propósito de matar milhões de pessoas inocentes, tudo escondido por trás de um cobertor de desinformação, propaganda e mentiras. O mundo foi levado a acreditar que a perda de vidas foi muito menor do que era e que o clima ruim tinha destruído as colheitas. Jornalistas no Ocidente, que trabalhavam para Moscou, escreveram reportagens que ignoraram ou trataram superficialmente a tragédia, chegando até a sugerir que fontes antirrussas tinham fabricado aqueles "histórias maliciosas" para desacreditar Stalin e seu regime.

Camboja

Pol Pot fez algo similar no Camboja. Quando seus brutamontes comunistas tomaram o controle na capital Phnom Penh, eles forçaram a população a evacuar em massa para um assentamento remoto na selva. A multidão infeliz recebeu a informação que todo o alimento e outros itens básicos seriam fornecidos nesse complexo utópico. Enquanto isso, suas casas foram saqueadas e todos os objetos de valor foram confiscados pelo regime. Ao longo do um ano, aproximadamente, grandes números de pessoas morreram de fome e qualquer um que tentasse procurar o que comer na selva era abatido a tiros. Isto era considerado uma traição ao ideal comunista, pois implicava que aqueles que faziam isso tinham perdido a confiança no regime.

Estima-se que pelo menos 1,5 milhão de pessoas morreram durante o regime de Pol Pot, no período de 1975-1979, a maior parte de fome e doenças causadas pela desnutrição. Este número representava aproximadamente 20% da população do Camboja naquele tempo.

Aquecimento Global e Produção de Alimentos

Há uma conexão direta entre a fraude conhecida como aquecimento global e a segurança do suprimento de alimentos do mundo. Em nosso ensaio anterior, "A Guerra Contra o Consumo de Carne: Um Sinal do Fim dos Tempos", mostramos como os alarmistas do aquecimento estão responsabilizando o gado pela produção de quantidades excessivas de metano, um gás do assim chamado efeito estufa. Eles querem um corte drástico no tamanho dos rebanhos, uma redução radical no consumo da carne vermelha e o lançamento de produtos de carne sintética nas prateleiras dos supermercados. Como explicamos naquele ensaio, a Elite objetiva por esse meio obter maior controle sobre a nutrição humana e, desse modo, limitar a vitalidade e capacidade cognitiva de nações inteiras. Sabe-se que uma população privada de carne vermelha torna-se muito mais indolente e submissa do que uma população que recebe um suprimento adequado.

A popularização dos grãos geneticamente modificados — notavelmente milho, trigo, soja e arroz — tem o objetivo de tornar os fazendeiros dependentes das grandes empresas para a aquisição das sementes necessárias para plantar a safra do ano seguinte. Como um controle sufocante sobre o suprimento alimentar do mundo, isto não tem comparação. Provavelmente, será dito para nós, como foi nos anos 1970s, que "novas variedades" de grãos serão necessárias para lidar com a mudança climática. E qual o melhor modo de produzir essas novas variedades do que por meio da modificação genética?

A ameaça da mudança climática, especialmente sob o disfarce de "aquecimento global", é um modo ideal de controlar o comportamento humano. O grau de controle é grandemente ampliado se o público for levado a acreditar que seu próprio comportamento está fazendo o clima mudar. Os "especialistas" podem então decretar os tipos de modificação de comportamento que serão necessários para atenuar essa ameaça.

O Clube de Roma

A psicologia que está por trás disso foi identificada pelo Clube de Roma, nos anos 1970s. O Clube foi um centro de estudos e debates criado pela Elite em 1968 para suplementar o trabalho do Grupo Bilderberg. A tarefa dele era formular problemas ambientais que transcenderiam as fronteiras nacionais e, assim, requereriam soluções transnacionais cooperativas. Por exemplo, o Clube de Roma foi o primeiro a propor a ideia do "Pico do Petróleo" e gargalos similares dos recursos, que somente um governo internacional poderia solucionar. Problemas mais potenciais foram acrescentados à lista, como escassez regional de água, queda nas safras, poluição, secas, doenças, pandemias e mudança climática. Eles não realizaram pesquisas originais para substanciar suas descobertas, mas dependeram principalmente de dados escolhidos a dedo, a partir de diversas fontes, para produzir seu quadro horrível de destruição. Eles também contrataram jornalistas e autores talentosos para escreverem matérias especulativas que reforçassem essa perspectiva tenebrosa na mente do público.

Em um de seus relatórios, A Primeira Revolução Global (1991), o Clube de Roma revelou que estava procurando um "inimigo comum" que fizesse todos se unirem, desse modo produzindo a entrega voluntária da soberania nacional que precisa preceder a formação de um governo mundial. O relatório — da forma como existe agora na Internet — tem diversas páginas "faltando", mas o seguinte parágrafo sobreviveu:

"Na procura de um inimigo comum contra o qual possamos nos unir, criamos a ideia que a poluição, a ameaça do aquecimento global, a escassez de água, a fome, etc. seriam adequadas. Em sua totalidade e nas interações deles, esses fenômenos constituiem uma ameaça comum que precisa ser confrontada por todos juntos. Mas, ao designar esses perigos como o inimigo, cairemos na armadilha sobre a qual já advertimos os leitores, isto é, confundir sintomas com causas. Todos esses perigos são causados pela intervenção humana nos processos naturais, e é somente por meio de atitudes e comportamentos modificados que eles podem ser superados. O verdadeiro inimigo é a própria humanidade." [pág. 75].

[Brandon Smith citou isso recentemente em um de seus excelentes artigos sobre a Nova Ordem Mundial e a crise emergente nas questões internacionais.]

Eles descaradamente admitem que pretendem atribuir uma causa comum a esses mega-problemas exagerados, isto é, a própria humanidade. Isto, eles acreditavam, daria maior urgência ao que eles estavam propondo, pois não se pode mais confiar que os Estados-nações se comportem de forma responsável. Eles precisam ser restringidos de algum modo, antes que seja tarde demais.

Escravização Sustentável

Esta é a origem dos muitos estratagemas restritivos que a ONU está usando agora para restringir a soberania nacional, como "desenvolvimento sustentável", "crescimento zero", "recursos renováveis", "padrões ecologicamente favoráveis", "modelos de negócios neutros em carbono", "emissões zero", "alvos de redução" e "a redistribuição equitativa da riqueza". Eles até criaram modos para fazer o indivíduo policiar sua própria atividade e reduzir sua assim chamada "pegada de carbono". Isto se encaixa bem com o tema geral no relatório do Clube: "O verdadeiro inimigo é a própria humanidade."

Satanás quer que o homem veja a si mesmo como uma praga sobre a Terra. Ele usará a auto-aversão que isto produz para colocar a humanidade ainda mais sob seu encantamento. Idealmente, ele quer que todos tenham a mesma mentalidade tenebrosa que levou Margaret Sanger a escrever: "A coisa mais misericordiosa que uma família numerosa faz a um de seus membros bebês é matá-lo." — Woman and the New Race, (A Mulher e a Nova Raça), Cap. 5, "The Wickedness of Creating Large Families" (A Malignidade de Criar Grandes Famílias) (1920).

Muitas mentiras foram interligadas para promover essa mentalidade auto-destrutiva e compartilhada internacionalmente, mas a maior delas todas é a fraude conhecida como aquecimento global.

O Estudo Finlandês

Muitas vozes científicas sãs já condenaram a ciência fraudulenta do aquecimento global, mas poucas foram ouvidas pelo público. Felizmente, de tempos em tempos um ou dois trabalhos de pesquisa, baseados em uma análise objetiva de dados climatológicos e mecânica atmosférica, conseguem chegar até à corrente dominante. Recentemente, dois físicos da Universidade de Turku, na Finlândia, publicaram um trabalho que domoliu completamente as afirmações feitas pelo IPCC.

O trabalho de pesquisa, No Experimental Evidence for Significant Anthropogenic [Manmade] Climate Change (Nenhuma Evidência para a Mudança Climática Antropogênica [Criada Pelo Homem]), de J. Kauppinen e P. Malmi, mostrou que o modelo que está sendo usado pela ONU para calcular a velocidade do aquecimento global é seriamente defeituoso, pois não leva em conta o papel exercido pela cobertura das nuvens. Aqui está como eles resumiram o argumento deles:

"EMENTA: Neste trabalho de pesquisa, provaremos que os Modelos de Circulação Geral usados no relatório AR5 (Fifth Assessment Report, Quinto Relatório de Avaliação) do IPCC deixa de calcular as influências das mudanças de cobertura de nuvens baixas sobre a temperatura global. É por isto que esses modelos dão uma mudança de temperatura natural muito pequena, deixando uma alteração muito grande para a contribuição dos gases do efeito estufa na temperatura observada. É por esta razão que o IPCC tem de usar uma sensibilidade muito grande para compensar um componente natural pequeno demais. Além disso, eles têm de deixar de fora a forte realimentação negativa devido às nuvens, de modo a amplificar a sensibilidade. Além disso, este ensaio prova que as mudanças na fração de cobertura de nuvem baixa praticamente controla a temperatura global." [29/6/2019].

Se um funcionário público amigável fosse solicitado a traduzir essa Ementa em linguagem comum, ele provavelmente escreveria assim: "O IPCC está mentindo dissimuladamente. Eles estão manipulando os números e sabem disso. Como alguém pode deixar a cobertura das nuvens fora dos cálculos? Isto é absolutamente insano. Eles sabem que se a cobertura de nuvem for incluída, eles não seriam capazes de mostrar QUALQUER efeito significativo a partir dos seus assim chamados gases do efeito estufa. Todos sabem que a cobertura de nuvem é, de longe, a maior influência sobre a temperatura global." Mas, é claro, sendo cientistas finlandeses elegantes, eles encontraram um modo mais diplomático de dizer isso.

Apresentamos abaixo alguns excertos do trabalho deles que, combinados com o uso que fizeram de dados experimentais que nunca foram questionados, revelam a linha de raciocínio deles:

"Não consideramos os resultados computacionais como evidência experimental. Os resultados obtidos por modelos climáticos são especialmente questionáveis, porque os resultados são conflitantes uns com os outros... No relatório AR5 é até reconhecido que as nuvens baixas dão maior incerteza no cálculo computacional. Apesar disso, o IPCC ainda assume que a diferença entre os envelopes azul e vermelho na Figura 1 é a contribuição dos gases do efeito estufa... Ocorre que as mudanças na umidade relativa e na cobertura de nuvem baixa dependem uma da outra. Assim, em vez da cobertura de nuvem baixa, podemos usar as mudanças na umidade relativa, de modo a derivar a anomalia da temperatura natural. De acordo com as observações, 1% de aumento da umidade relativa diminui a temperatura em 0,15 graus centígrados... A sensibilidade climática do IPCC é cerca de uma ordem de magnitude alta demais, por causa de uma forte retroalimentação negativa das nuvens está ausente nos modelos climáticos. Se prestarmos atenção ao fato que somente uma pequena parte da concentração de CO2 aumentada é antropogênica, temos de reconhecer que a mudança climática antropogênica não existe na prática. A maior parte do CO2 extra é emitido pelos oceanos, de acordo com a Lei de Henry. As nuvens baixas controlam praticamente a temperatura média global. Durante os últimos cem anos, a temperatura aumentou cerca de 0,1 grau centrígrado por causa do CO2. A contribuição humana foi de aproximadamente 0,01 grau centígrado.

Chamaremos novamente nosso funcionário público amigo para explicar isto em termos que sejam compreensíveis para um leigo: "Os resultados computacionais, usando modelos computacionais, não devem ser tratados como evidência experimental. O IPCC até reconheceu a importância da cobertura das nuvens baixas, mas depois simplesmente ignorou isto nos cálculos. Usando a umidade como uma medida de cobertura de nuvem, podemos facilmente calcular o correlação de longo prazo entre temperatura global média e a cobertura de nuvens. Ocorre que elas combinam extremamente bem. O IPCC exagerou grandemente o papel do CO2, mas até quando o CO2 é levado em conta de um modo cientificamente válido, ele tem apenas um impacto minúsculo na temperatura. Além disso, como a maior parte do CO2 vem dos oceanos, o impacto dele não pode ser atribuído ao homem."

O IPCC não foi sempre tão tortuoso. Recentemente, em seu terceiro relatório, em 2001, ele concordou que, como o clima na Terra é um sistema caótico não-linear, a predição de longo prazo dos estados futuros do clima não é possível. A única alternativa, na opinião deles, era usar um grande número de modelos e tentar estabelecer se as previsões deles convergiam com suficiente consistência para permitir que futuras tendências climáticas fossem identificadas:

"O sistema climático é um sistema caótico não-linear acoplado e, portanto, a previsão de longo prazo dos futuros estados do clima não é possível. Em vez disso, o foco precisa ser colocado sobre a previsão da distribuição de probabilidade dos estados possíveis futuros do sistema, por meio da geração de conjuntos de soluções de modelo. Tratar de forma adequada a natureza estatística do clima requer grande poder computacional e a aplicação de novos métodos de diagnóstico de modelos, mas esta informação estatística é essencial." [Cap. 14, pág 771].

Logicamente, isto é pensamento positivo. Por definição, os sistemas caóticos não-lineares derrotam todas as tentativas de modelá-los. O cientistas do IPCC podem tentar, se desejarem, mas não têm o direito de afirmar que seus resultados são qualquer coisa diferente de suposições. E, sendo suposições — moldadas arbitrariamente por suposições pseudocientíficas — elas certamente produzirão o cenário de destruição que a Elite deseja.

As Opiniões de um Oceanógrafo e Climatologista Japonês

Um famoso climatologista e oceanógrafo japonês, o Dr. Mototaka Nakamura, publicou recentemente uma denúncia veemente da respeito dessa bobagem juvenil e que distorce os modelos:

"Estes modelos não possuem alguns processos e retroalimentações climáticas que são criticamente importantes e representam alguns outros processos e retroalimentações climáticas criticamente importantes de modos distorcidos, até o ponto em que torna esses modelos inúteis para qualquer previsão climática significativa."

Ele ficou sabendo dessas limitações por si mesmo, usando simulações de modelos para propósitos preditivos. Ao descobrir que era simplesmente impossível prever futuras condições climáticas usando modelos computadorizados, ele descontinuou essa linha de investigação. Entretanto, ele está grandemente preocupado — e com razão — com o mau uso descarado feito pelo IPCC. Ao expressar suas preocupações, ele espera galvanizar outros cientistas:

"Estou confiante que alguns cientistas do clima honestos, corajosos e verdadeiros continuarão a apontar publicamente as afirmações fraudulentas feitas pela comunidade de língua inglesa da ciência do clima dominante. Lamento dizer isto, mas estou também confiante que pesquisadores do clima japoneses dóceis e/ou incompetentes permanecerão calados até que a 'comunidade da ciência do clima dominante' mude seu tom, se é que isso acontecerá."

Ele está dizendo que, mesmo se um modelo confiável fosse tecnicamente viável (o que não é), esse modelo ainda faria falsas previsões na falta de certas informações vitais e que não podem ser conhecidas, incluindo:

A ciência da mudança climática até aqui é primitiva e infantil. Ele considera o trabalho até aqui dos cientistas da mudança climática como primitiva e infantil, danificada por uma falha perigosa em apreciar exatamente o quão complexo o sistema climático mundial realmente é, em particular o papel exercido pelos processos não-lineares, mecanismos de realimentação atmosférica e a dinâmica dos fluídos geofísicos:

"O sistema climático real, ou simulado realisticamente, é muito mais complexo do que um sistema absurdamente simples simulado pelos brinquedos que tem sido usados nas previsões do clima até aqui, e serão insuperavelmente difíceis para aqueles pesquisadores do clima ingênuos que não têm compreensão alguma (ou têm muito limitada) das dinâmicas dos fluídos geofísicos."

Por Que a Fraude Provavelmente se Manterá

Com tantas evidências confirmando que o aquecimento climático é uma fraude, uma pessoa poderia ser perdoada por pensar que o movimento perderá seu ímpeto e que seus seguidores sectários em breve se dispersarão. Mas, isso não acontecerá. Existem várias razões para isto:

1. O domínio que a "ciência" tem sobre a mente da pessoa mediana ainda é incrivelmente forte. Enquanto a especulação climática for vista como uma "ciência", o público tenderá a acreditar nos "especialistas".

2. Os críticos serão retratados na mídia como criadores de problemas, "negadores do clima", ranzinzas e excêntricos. Eles serão vistos como parte do grupo lunático marginal, que sente prazer em defender uma posição contrária, independente dos "fatos reais" que lhes sejam apresentados.

3. A mídia continuará a advertir a respeito da mudança climática e a ameaça horrível que ele representa para a humanidade. As visões contraditórias serão transmitidas somente por tempo suficiente para desacreditar aqueles que as defendem. Imagens perturbadoras e gráficos alarmistas reforçarão na mente do público a noção que algo ominoso está acontecendo ao nosso redor.

4. Tragédias e desastres que não têm nada que ver com a mudança climática serão atribuídos ao aquecimento global, incluindo alimentos, secas, queda nas safras, incêndios florestais, furacões, tempestades de neve e tsunamis.

5. Novas tragédias serão fabricadas, como ilhas que desaparecem. (Discutiremos isto em mais detalhes em seguida.)

6. O temor associado com o aquecimento global se intensificará por causa dos itens 1-5 acima. Pessoas jovens já estão profundamente preocupadas com seu futuro. A mídia social passará a tomar o controle desse temor — o contínuo gotejar de ansiedade irracional — para fomentar agitações sociais e exigir ação política.

7. Os membros da Elite estão fortemente comprometidos com esta fraude. Eles sufocarão a liberdade de expressão e perseguirão os céticos se detectarem que a fraude está perdendo ímpeto. (Ele podem monitorar o sucesso da propaganda deles com grande precisão por meio da Internet.)

8. Os cientistas serão lentos para falar abertamente, por sentirem medo da intimidação de seus pares. Os poucos que fizerem isso serão ignorados. Eles provavelmente serão punidos com a falta de renovação de seus contratos, perda de bolsas e financiamentos para pesquisas, rejeição de trabalhos apresentados para publicação, exclusão dos simpósios, etc.

9. A fraude é extraordinariamente lucrativa. Mesmo se ela não contribuísse com nada para a criação de uma Nova Ordem Mundial, valeria a pena segui-la por razões puramente financeiras. A receita anual estimada com o "tributo do carbono" somente nos EUA será da ordem de US$ 110 bilhões: "Mesmo com a estimativa mais baixa de qualquer modelo, nessa trajetória de preço, os tributos do carbono gerarão um receita significativa, de aproximadamente US$ 1,1 trilhão (ao longo de dez anos)." — Policy Insights from the EMF 32 Study on U.S. Carbon Tax Scenarios, A. R. Barron et. al., 2018.

Fenômeno Geofísico Incomum

A mídia e os especialistas políticos gostam de apontar de tempos em tempos para eventos que eles alegam serem prova do aquecimento global. Aqui estão cinco das mais conhecidas:

1. Ilhas estão desaparecendo à medida que o nível do mar sobe.

Isto é obviamente sem sentido. Se o nível do mar subisse em algum lugar, ele subiria em toda a parte, pois a água sempre mantém seu próprio nível.

Em nosso ensaio "Palavras Ardilosas e a Arte de Mentir para a Humanidade", explicamos como as ilhas no Sudeste Asiático estão sendo levadas a desaparecer. [Muito do seguinte foi extraído daquele ensaio].

Muitas ilhas pequenas na Indonesia desapareceram ao longo da última década. Nenhuma delas era de tamanho suficiente para atrair a atenção da mídia, porém ilhas maiores provavelmente desaparecerão nos próximos anos. Esse tipo de evento convencerá muitas pessoas que as geleiras polares (espessas camadas de gelo) estão derretendo e que o nível do mar está subindo. Mesmo se esse fenômeno estivesse confinado ao Sudeste Asiático, ele fornecerá o que muitos considerarão uma prova indisputável do aquecimento global.

Mas, por que as ilhas estão desaparecendo e por que mais irão desaparecer no futuro? A razão é a areia, o produto mais vendido no mundo. Toda a areia prontamente acessível, adequada para a construção, já foi consumida. Isto forçou a indústria da construção a encontrar fontes alternativas.

A areia dos desertos não é adequada, pois suas partículas são polidas demais para os propósitos da construção. A areia encontrada nos rios (areia de aluvião) e a areia marinha são superiores, pois seus contornos agudos e angulares grudam melhor com o cimento e a brita. A China e outros países asiáticos estão realizando diversos projetos de construção que consomem volumes gigantescos de areia. Grande parte dessa areia está sendo extraída secretamente do fundo do mar na Indonesia e no Vietnã por enormes dragas e enviadas em navios-tanque gigantescos para seus destinos. O deslocamento que isto causa no leito do mar é compensado pelo sugamento de areia das ilhas mais próximas. Assim, mesmo se a dragagem ocorrer a muitas milhas náuticas de distância da ilha, o movimento submarino de areia que ocorre em uma área muito ampla, destruirá lentamente seus fundamentos.

Singapura está preparada para se tornar uma das mais importantes cidades na Nova Ordem Mundial, servindo como um importante centro financeiro para toda a arena asiática e coordenando o comércio e parcerias na esfera chinesa de influência. Entretanto, Singapura é uma ilha e somente pode se expandir com a extensão de sua massa de terra. Singapura tem feito isso há várias décadas, importando quantidades imensas de areia. Como resultado, de acordo com uma fonte, sua área total foi aumentada em quase 20%.

O aquecimento global receberá a culpa pelo dano causado pela remoção de quantidades imensas de areia do fundo do oceano. Sabemos que este é o caso, pois já está acontecendo. Quando uma operação de dragagem no Vietnã, em 2015, causou séria erosão costeira, as autoridades do governo lançaram a culpa na "mudança climática" (Thanh Nien News, 9/dezembro/2015). Centenas de milhares de toneladas de areia foram removidas a um custo inferior a US$ 1 a tonelada.

2. Incêndios florestais descontrolados

Os cérebros planejadores que estão por trás da Nova Ordem Mundial colocarão a culpa pelo dano ambiental sobre a mudança climática. Eles também usarão isto como uma cortina de fumaça para se envolver em sabotagem encoberta. A responsabilidade pelos muitos incêndios florestais que devastaram partes da Espanha, Portugal, Grécia e Califórnia ao longo dos últimos anos, bem como vários outros lugares, pode lançada sobre o "aquecimento global", mesmo se a contribuição exata feita pelo alegado aquecimento nunca for explicada. Existe forte evidência que esses incêndios são provocados de forma proposital, talvez por circuitos elétricos subterrâneos e que aceleradores nano-grade estão sendo usados para aumentar a severidade deles. Ventos super-fortes — de até 150 km/h — são gerados como se do nada, para alastrar os incêndios até locais que normalmente não seriam afetados. Esses "ventos do nada" são causados por tecnologia de corrente aérea poderosa, que produz turbulência maciça no céu imediatamente acima do fogo. Discutimos a ciência que está por trás disso em mais detalhes em nosso ensaio "A Ausência de Moralidade na Nova Ordem Mundial".

Os incêndios no condado de Kincaid, que duraram vários dias, foram dirigidos por ventos com a força de um furacão quando não havia um furacão real. O povo americano deveria perguntar como isto é possível.

3. As Calotas de Gelo no Ártico

Estamos ouvindo continuamente na mídia que as calotas de gelo no Ártico estão se derretendo e que a velocidade está se acelerando. Mas, não há prova independente que isso está realmente acontecendo. A coleta forense de dados relacionados com a cobertura de gelo começou somente há cerca de 40 anos. Este é um período de tempo curto demais para permitir que variações sazonais naturais sejam distinguidas claramente de uma tendência sistêmica.

4. O colapso das populações de insetos

As populações de insetos parecem estar em colapso, porém isto não pode ser causado pelo aquecimento global. Se o aquecimento envolve (ou produz) um aumento no nível de dióxido de carbono atmosférico, então a massa total de vegetação também deveria aumentar. Isto somente pode ser de benefício para os insetos.

Na realidade, é provável que o "aquecimento global" esteja sendo usado para distrair a atenção da causa mais provável da queda nas populações de insetos, isto é, o lançamento em escala mundial da telefonia eletromagnética nos espectros de frequência de 3G e 4G. Veja nosso ensaio "A Radiação Eletromagnética com a Nova Tecnologia de Telefonia Celular 5G e a Nova Ordem Mundial".

A introdução da telefonia 5G, que é ainda mais potente, tornará a situação pior.

5. O alegado aumento na temperatura média neste século

Esta afirmação é altamente problemática. Primeiro, ela assume que, se houve um aumento na temperatura, ele é antropogênico, ou criado pelo homem, mas isto não foi comprovado. Em segundo lugar, isto está baseado em dados compilados pela mesma cabala partidária que apoia a teoria do aquecimento global causado pelo homem. E, em terceiro lugar, isto pressupõe que um aumento, se ocorreu, é prejudicial à Terra, mas isto também não foi comprovado.

De acordo com o relatório NOAA 2018 Global Climate Summary, a temperatura combinada no solo e no oceano aumentou em uma taxa média de 0,07 graus centígrados por década desde 1880; além disso, a taxa média de aumento desde 1981 (0,17 grau centígrado) é mais do que duas vezes maior.

Propaganda sem Remorso da Revista The Economist

Mas, estes números são confiáveis? Em 2009, alguém invadiu o servidor na Unidade de Pesquisa Climática na Universidade de East Anglia (Inglaterra) e copiou milhares de mensagens de correio eletrônico e arquivos. Talvez o hacker suspeitasse que alguma coisa estivesse estranha. Os documentos revelavam que um grupo de cientistas do clima em todo o mundo estavam conspirando em conjunto para produzir dados que suportassem a teoria do aquecimento global. O escândalo foi amplamente reportado na mídia, porém esforços conjuntos foram feitos por vários comitês científicos para refutar as acusações. Eles examinaram os documentos e afirmaram não terem encontrado evidência de fraude ou má conduta científica.

Independente das conclusões alcançadas por esses comitês, era claro a partir da invasão dos computadores da Universidade de East Anglia que um número relativamente pequeno de cientistas agora decide quais dados climáticos são relevantes, como eles devem ser coletados e interpretados e quem deve ter acesso a eles. O "debate" aberto, que normalmente acompanharia a análise e interpretação de dados altamente duvidosos, não está ocorrendo. Em vez disso, um número pequeno de pessoas, todas fortemente comprometidas com a teoria do aquecimento global, está tomando todas as decisões fundamentais.

Há também forte evidência que trabalhos de pesquisa científica que expressam visões divergentes, ou colocam em questão a credibilidade de certos dados, estão sendo suprimidos.

A Oposição Controlada

A oposição controlada também está trabalhando arduamente, afirmando tomar o lado dos céticos, mas, na realidade, dando terreno à oposição. O principal grupo de oposição controlada no Reino Unido é a Fundação de Política de Aquecimento Global, presidida pelo ex-Secretário do Tesouro Nacional, Lord Lawson. Virtualmente todos os membros da Junta dos Curadores têm títulos de cavaleiros ou de nobreza: Lord Fellowes, Lord Donoughue, Sir Martin Jacomb, Baronesa Nicholson, Sir James Spooner e Lord Turnbull. O curador restante, Peter Forster, é um ex-bispo anglicano de Chester e membro da Câmara dos Lords (a Câmara Alta do Parlamento Britânico). Seria difícil encontrar um grupo que fizesse menor oposição ao estamento de poder!

Os membros do seu comitê incluem até o Visconde Ridley, que escreveu vários livros apoiando a Teoria da Evolução e que acredita, não somente que o aquecimento global está ocorrendo, mas que é criado pelo homem: "Que o clima mudou por causa do dióxido de carbono produzido pelo homem é algo que aceito plenamente." [2003].

Lembre-se, estes são os céticos do aquecimento global, os "agentes honestos" que professam proteger o público da propaganda mentirosa, pseudociência e sofismas alarmistas.

Isto mostra o quanto de desprezo a Elite tem pelo "gado da humanidade" que eles podem fazer alguma coisa tão transparentemente cínica. É como se eles gostassem de zombar da ingenuidade do público.

Conclusão

O aquecimento global é uma fraude, um grande engodo planejado para impor regras legalmente vinculantes sobre os Estados soberanos, ditar a política industrial, restringir a produção, transferir influência política e a tomada de decisão para os países mais pobres (que estão submetidos ao controle absoluto pela Elite), transferir propriedade e direitos à propriedade para as mãos do governo e gerenciar a movimentação das populações. Palavras ardilosas como "sustentabilidade" e "renovável" podem ser usadas para legitimar qualquer esquema ou política que o senso comum, de outro modo, rejeitaria. Elas podem até ser usadas para criminalizar as atividades tradicionais e abolir um modo de vida que já está estabelecido há tempos.

Quando Mark Carney, o atual diretor do Banco da Inglaterra, afirmou que o objetivo deles era alcançar a "descarbonização da economia", estava realmente propondo a desindustrialização, seguida pela redução populacional. O controle do suprimento alimentar será uma parte central neste programa.

Por Que o "Aquecimento Global" Criado pelo Homem É uma Fraude?

Resumimos abaixo algumas das muitas razões por que o aquecimento global é uma fraude:

1. A Bíblia nos diz que isto não acontecerá (veja abaixo). Esta razão apenas deveria ser suficiente para todos que confiam na suficiência da Palavra de Deus.

2. O gás mais potente de todos no "efeito estufa" é o vapor d'água atmosférico, sobre o qual a humanidade não tem controle. O impacto teórico dos outros gases, como o dióxido de carbono e metano, é trivial em comparação.

3. Grandes variações nas condições climáticas de longo prazo ocorreram ao longo dos séculos, em um tempo em que as atividades e produções humanas não poderiam de forma alguma ter sido implicadas.

4. Os vulcões ativos e as ventas vulcânicas submarinas emitem continuamente quantidades enormes de gases do "efeito estufa", muito maiores do que aquelas que são produzidas pelo homem. O "Anel de Fogo", em volta do Oceano Pacífico, sempre influenciará a composição da atmosfera em uma extensão muito maior do que qualquer atividade industrial.

5. A albedo, ou capacidade de absorção do calor dos oceanos devido à cor da superfície deles e à composição bioquímica tem uma influência significativa no modo como elas funcionam como uma tinta térmica. Assim também tem o comportamento das correntes profundas no oceano, que transferem calor para/da superfície. Nenhum desses fatores aparece em qualquer modelo de mudança climática, pois são complicados demais para medir e calcular.

6. O "vilão" da farsa do aquecimento global é o dióxido de carbono, um gás que é vital para a vida animal e vegetal. A noção que um componente íntimo no ciclo da vida — tanto como entrada e como saída — deve também ser uma ameaça à vida, é simplesmente absurdo.

7. O aumento do dióxido de carbono na atmosfera, junto com qualquer aquecimento atmosférico consequente, na verdade estimularia o crescimento das plantas e estenderia a estação de crescimento. Algumas partes do mundo seriam capazes de colher duas safras por ano.

8. Um modelo preditivo que incorporasse todas as variáveis e elementos dinâmicos que influenciam os padrões climáticos mundiais no longo prazo também deveria ser capaz de prevê-los no curto prazo. Entretanto, o poder preditivo dos modelos meteorológicos atuais permite que eles "vejam" no máximo dez dias à frente.

9. A prateleira de gelo da Antártida sempre permanecerá congelada, mesmo se algum grau de aquecimento global estiver ocorrendo. A temperatura média em toda a prateleira continental está muito abaixo do nível em que o derretimento poderia ocorrer.

10. Todos os dados relativos à estimativa de tendências de temperatura ao longo das quatro últimas décadas são rigidamente controlados por um pequeno grupo de cientistas. Esses cientistas também estão totalmente comprometidos com a tese do aquecimento global. A abertura necessária para garantir que todos os dados sejam interpretados objetivamente não está evidente em parte alguma.

11. A mídia é cúmplice na fraude do aquecimento global. É tarefa dela garantir que o público seja continuamente bombardeado com a "mensagem" aprovada pela Elite. Uma teoria que precisa desse nível de reforço é quase certamente falsa.

12. Como muitos cientistas já salientaram, o sistema climático mundial é não-linear e caótico. Isto significa que variações minúsculas na entrada podem ter um efeito desproporcional ou de longo alcance (não-linear) sobre a saída e que o sistema nem sempre responderá para essas entradas exatamente do mesmo modo toda vez (caótico). Portanto, é impossível construir um modelo que capte perfeitamente a dinâmica e comportamento do sistema climático mundial.

13. A atividade solar total precisaria ser incorporada dentro de qualquer modelo de clima mundial. Entretanto, os valores futuros dessa variável crucial não podem ser conhecidos! Uma estimativa da atividade solar futura seria nada mais do que uma estimativa, invalidando quaisquer previsões do clima com base no modelo.

14. Todos os cientistas são humanos e os humanos podem ser comprados. Isto inclui aqueles que se destacam em suas respectivas áreas. A Elite sempre conseguiu manobrar seus candidados para posições de autoridade e influência. O aquecimento global é altamente político e os multibilionários pagarão aquilo que for necessário para controlar a opinião pública sobre este assunto.

15. Organizações internacionais como a ONU, OMS e UNESCO já mostraram há muito tempo que são pouco mais do que "centros de acertos e entendimentos" para grupos de interesses concorrentes, em particular aqueles com os bolsos mais profundos e maior influência política.

Os padrões de clima incomuns que vimos nos anos recentes podem ser produzidos, pelo menos em parte, pelo armamento de controle do clima desenvolvido pelas forças armadas. Eles também são influenciados via a contaminação que está ocrrendo na atmosfera pelos aerossóis utilizados na geo-engenharia (conhecidos como rastros químicos). Toda essa atividade é secreta e ilegal. Os grandes incêndios nas florestas também afetarão os padrões do clima. A cabala de alto nível que supervisiona essa atividade ilícita está tentando convencer o público que o aquecimento global criado pelo homem é um fato científico comprovado.

A Palavra de Deus

A Palavra de Deus nos diz que o aquecimento global, com as consequências catastróficas que a "ciência" prediz, nunca acontecerá.

Após o Dilúvio, o Senhor Deus fez uma aliança com o homem e com o reino animal. Ele prometeu nunca mais enviar outro dilúvio devastador sobre a Terra. Além disso, Ele selou Sua promessa com um símbolo especial, o grande arco do arco-íris. Esse sinal não teria significado, a não ser que fosse totalmente novo, um fenômeno atmosférico que nunca antes tinha sido observado:

"E eu convosco estabeleço a minha aliança, que não será mais destruída toda a carne pelas águas do dilúvio, e que não haverá mais dilúvio, para destruir a terra. E disse Deus: Este é o sinal da aliança que ponho entre mim e vós, e entre toda a alma vivente, que está convosco, por gerações eternas. O meu arco tenho posto nas nuvens; este será por sinal da aliança entre mim e a terra. E acontecerá que, quando eu trouxer nuvens sobre a terra, aparecerá o arco nas nuvens. Então me lembrarei da minha aliança, que está entre mim e vós, e entre toda a alma vivente de toda a carne; e as águas não se tornarão mais em dilúvio para destruir toda a carne. E estará o arco nas nuvens, e eu o verei, para me lembrar da aliança eterna entre Deus e toda a alma vivente de toda a carne, que está sobre a terra. E disse Deus a Noé: Este é o sinal da aliança que tenho estabelecido entre mim e entre toda a carne, que está sobre a terra." [Gênesis 9:11-17].

Reflita sobre isto. O Senhor da Criação colocou algo totalmente novo no céu como um sinal de Sua misericórdia, algo que todas as criaturas vivas poderiam ver e apreciar. Seria um conforto e consolação dali para frente para o homem saber que nada semelhante àquele terrível julgamento, uma inundação mortal, nunca mais ocorreria na Terra.

O Maligno colocou uma mentira no céu, onde o Senhor tinha colocado um arco-íris. Para o Senhor, o arco-íris é um símbolo da Sua misericórdia, porém Satanás quis transformá-lo em um sinônimo para a homossexualidade e a perversão sexual, um símbolo da agenda LGBTQ+. Este é o tempo em que vivemos agora.

De acordo com o cenário do pior caso projetado pelos alarmistas do aquecimento, o ciclo natural das estações será virado de cabeça para baixo pela mudança climática. Embora pareça que eles não tenham certeza qual formato essa mudança violenta não-sazonal terá, eles estão certos que isso marcará um afastamento radical daquilo que temos conhecido até aqui. Mas, isto não é o que a Palavra de Deus diz. Como um apêndice à Sua promessa para preservar a humanidade de uma inundação maior em larga escala, o Senhor acrescentou: "Enquanto a terra durar, sementeira e sega, e frio e calor, e verão e inverno, e dia e noite, não cessarão." [Gênesis 8:22].

Os Illuminati estão indispostos a aceitar que Deus colocou restrições rígidas sobre aquilo que Satanás pode fazer. O "deus" deles não é o ser todo-poderoso que eles gostariam de acreditar. Apesar de seus grandes poderes, ele é um ser criado e nada mais. Assim, quando nosso Criador decreta que os ciclos de semeadura e colheita, frio e calor, verão e inverno, dia e noite, continuarão indefinidamente, isto é EXATAMENTE o que acontecerá.

Em Sua misericórdia, talvez em deferência à timidez do homem, para não mencionar nossa vergonhosa falta de fé, o Senhor referenciou mais uma vez Sua aliança no livro de Jeremias:

"Porventura não me temereis a mim? diz o SENHOR; não temereis diante de mim, que pus a areia por limite ao mar, por ordenança eterna, que ele não traspassará? Ainda que se levantem as suas ondas, não prevalecerão; ainda que bramem, não a traspassarão." [Jeremias 5:22].

O Senhor não fala aqui de uma "ordenança eterna"? O mar não pode ultrapassar o limite estabelecido por Deus. Ele também diz que colocou a areia na praia como um limite para todos verem, uma linha sobre a qual, por Seu decreto soberano, o mar nunca ultrapassará.

Portanto, quem está certo, o Deus maravilhoso que criou o mundo em que todos nós vivemos, ou a cabala ímpia que quer o mundo exclusivamente para si?

Solicitação Especial

Incentivamos os leitores frequentes a baixarem os ensaios disponíveis neste website para cópia de segurança e consulta futura. Eles poderão não estar disponíveis para sempre. Estamos entrando rapidamente em um tempo em que materiais deste tipo somente poderão ser obtidos via correio eletrônico. Os leitores que desejarem ser incluídos em uma lista para correspondência futura são bem-vindos a me contactar em jeremypauljames@gmail.com. Não é necessário fornecer o nome, apenas um endereço eletrônico.



Autor: Jeremy James, artigo em http://www.zephaniah.eu
Data da publicação: 11/2/2020
Transferido para a área pública em 3/3/2021
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/aquecimento.asp