Sionismo Bíblico ou Sionismo Cristão?

Autor: Jeremy James, Irlanda, 28/5/2019.

Em toda esta série de estudos — nos últimos dez anos — procuramos definir em termos claros e compreensíveis, a partir de uma perspectiva de um cristão nascido de novo, a ameaça que a Nova Ordem Mundial representa para a humanidade e, em particular, a ameaça que representa para o verdadeiro Cristianismo bíblico.

A profecia do fim dos tempos aponta para um período de intensa perseguição, sofrimento e privações em uma escala inimaginável. Toda a humanidade será imersa em pragas e tormentos de tal virulência que a maior parte da população será destruída.

É difícil dizer quantos milhões de almas perdidas em toda a história já vieram a Cristo. Mas, sabemos, em comparação, que na última fase da igreja na Terra, quando a maioria de seus membros professos será nicolaíta, a colheita de almas — antes do Arrebatamento — será realmente pequena. A igreja professa terá cada vez menos "chamados para fora do mundo" e cada vez mais "vomitados" (Apocalipse 3:6).

Um Ponto de Vista Bíblico

Se quisermos compreender o que está acontecendo no mundo hoje, precisamos vê-lo a partir de um ponto de vista bíblico. A Palavra de Deus nos diz que Satanás pretende enviar seu "filho" na forma do Anticristo. Ela nos diz que ele pretente tomar Jerusalém do remanescente judaico e dá-la ao falso messias. Entretanto, como o Todo-Poderoso já reservou Jerusalém para Seu Filho, podemos ter certeza que a luta resultante se tornará o principal foco dos eventos mundias nos próximois anos.

Os Lados do Norte

Você se lembra dos cinco "Eu irei fazer isto e aquilo" em Isaías 14? Como mostramos em um ensaio anterior ("A Cidade Santa: O Senhor Deus Escolheu Jerusalém para Seu Filho"), um desses relaciona-se com Jerusalém. Aqui está o que escrevi naquele ensaio:

O Espírito Santo revelou para nosso benefício as cinco grandes ambições que o Maligno está seguindo. Elas não são abstrações morais que têm impacto de alguma forma indefinida em nossas vidas espirituais, mas objetivos tão reais e aterrorizadores quanto aqueles seguidos por um tirano fanático. Em dois versos eletrizantes, a Palavra de Deus nos diz exatamente quais são essas ambições:

"E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte. Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo." [Isaías 14:13-14].

A ambição que mais nos interessa neste ensaio é a seguinte: "no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte".

Aos Lados do Norte

Muitos leem este verso e deixam de ver o que ele está realmente dizendo. Eles não reconhecem o termo "aos lados do norte". O mesmo termo também pode ser encontrado no Salmo 48, um salmo que exalta a glória de Sião, ou Jerusalém, no propósito eterno de Deus:

"Grande é o SENHOR e mui digno de louvor, na cidade do nosso Deus, no seu monte santo. Formoso de sítio, e alegria de toda a terra é o monte Sião sobre os lados do norte, a cidade do grande Rei." [Salmo 48:1-2].

Satanás quer Sião, Jerusalém, "os lados do norte" para si mesmo! Ele quer ocupar e controlar para sempre a cidade do grande rei!

O Senhor É um Deus Zeloso

Esta é a chave para compreendermos a vasta diferença entre o Sionismo Bíblico e aquilo que é conhecido hoje como Sionismo Cristão.

Satanás pretende fazer tudo o que puder para obter o controle de Jerusalém, utilizando todas as armas em seu arsenal, enganar a humanidade e destruir toda a oposição aos seus planos. Mas, o Senhor Deus já declarou enfaticamente que Jerusalém pertence a Ele, e a Ele somente! Ele reservou a cidade para Seu Filho:

"E o anjo que falava comigo disse-me: Clama, dizendo: Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Com grande zelo estou zelando por Jerusalém e por Sião." [Zacarias 1:14].

Anteriormente em Sua Palavra, Ele declarou:

"Porque não te inclinarás diante de outro deus; pois o nome do SENHOR é Zeloso; é um Deus zeloso." [Êxodo 34:14].

A palavra "zeloso" está carregada com intensidade emocional. Quando o Senhor fala de Seu relacionamento com Jerusalém desse modo, Ele está dizendo a toda a humanidade — em termos que todos podem prontamente compreender — que absolutamente nada deterá, ou criará obstáculos, para Sua santa vontade nesta questão.

As passagens citadas nos permitem ver que Satanás fará tudo o que puder para se opor a Deus e tomar Jerusalém para si mesmo. Ele lutará por Sião com grande fúria e uma destrutividade massacrante, utilizando até a última grama de sua energia vingadora nessa tarefa horrenda.

Mas, antes da fúria vem os esquemas do plano.

Ele está planejando para essa tremenda confrontação desde que o Senhor Deus revelou que Jerusalém era a cidade que Ele escolheu para ali pôr Seu nome:

"E a seu filho darei uma tribo; para que Davi, meu servo, sempre tenha uma lâmpada diante de mim em Jerusalém, a cidade que escolhi para pôr ali o meu nome." [1 Reis 11:36].

Satanás pode até ter presumido que essa seria a localização escolhida quando, cerca de 1.000 anos antes, Abraão ofereceu dízimos a "Melquisedeque, rei de Salém" (Gênesis 14:18). Salém foi um dos antigos nomes de Jerusalém.

O Senhor Possui a Terra de Israel

É conveniente para os analistas políticos modernos reduzirem o conflito no Oriente Médio a uma disputa entre judeus e árabes pelo direito legítimo à posse da terra (eretz) de Israel. Mas, eles estão errados. O Senhor Deus reivindicou a terra como Sua própria: "Também a terra não se venderá em perpetuidade, porque a terra é minha; pois vós sois estrangeiros e peregrinos comigo." [Levítico 25:23].

Ela é também uma terra sobre a qual ele zela continuamente:

"Terra de que o SENHOR teu Deus tem cuidado; os olhos do SENHOR teu Deus estão sobre ela continuamente, desde o princípio até ao fim do ano." [Deuteronômio 11:12].

Ele permitiu que os filhos de Israel habitassem na terra e a tratassem como sua, com base na promessa que Ele fez a Abraão, Isaque e Jacó:

"Tão-somente o SENHOR se agradou de teus pais para os amar; e a vós, descendência deles, escolheu, depois deles, de todos os povos como neste dia se vê." [Deuteronômio 10:15].

Assim, Jerusalém é deles com a mesma base. O Senhor Deus é Aquele que fornece a terra para a habitação deles em tempos de bênçãos, e é Aquele que os coloca para fora nos tempos de julgamento.

Ele disse, além disso, que, sempre que os judeus fossem espalhados entre outras terras nos tempos de julgamento, Ele protegeria a terra, tornando-a inóspita:

"E assolarei a terra e se espantarão disso os vossos inimigos que nela morarem. E espalhar-vos-ei entre as nações, e desembainharei a espada atrás de vós; e a vossa terra será assolada, e as vossas cidades serão desertas. Então a terra folgará nos seus sábados, todos os dias da sua assolação, e vós estareis na terra dos vossos inimigos; então a terra descansará, e folgará nos seus sábados. Todos os dias da assolação descansará, porque não descansou nos vossos sábados, quando habitáveis nela." [Levítico 26:32-35].

A maioria dos comentaristas bíblicos, quando faz uma exposição a respeito dessa passagem, enfoca nos sábados, que a terra usufruirá enquanto os filhos de Israel estiverem dispersos entre os outros povos. Ao fazerem isso, eles negligenciam uma implicação bastante óbvia dessa passagem profética, isto é, que quando os legítimos proprietários estiverem ausentes, a terra de Israel não terá virtualmente utilidade alguma para outros povos! Como diz a Palavra de Deus: "E assolarei a terra e se espantarão disso os vossos inimigos que nela morarem."

Sabemos, a partir dessa profecia, que, desde o ano 135 DC, quando os judeus foram levados para fora de Israel, a terra precisa ter ficado desolada. Quando os inimigos deles entraram, eles ficaram grandemente desapontados que a terra produzia para eles somente uma fração do que produzia para os judeus. Isto era a vontade de Deus para a terra de Israel, e continuou até o século 19 quando os judeus começaram a retornar uma vez mais para eretz Israel. De forma muito gradual, a terra começou a produzir e aumentar seu fruto.

A afirmação moderna por parte dos árabes ("palestinos") que seus antepassados araram a terra produtivamente durante várias gerações está claramente em conflito com a Palavra de Deus. Eles puderam somente ter colhido a fartura da terra de Israel quando os judeus retornaram, no fim do século 19, e então somente nas regiões em que os próprios judeus eram os ocupantes legais.

Satanás Teve de Agir com Cuidado

Podemos ver, então, que Satanás teve de agir com cuidado, de forma a fazer avançar seus planos para Jerusalém. O Império Otomano tinha feito pouco uso da cidade por que, de acordo com a profecia bíblica, não conseguiu obter muita produção da terra como um todo.

À medida que o Império Otomano começou a entrar em declínio, os britânicos começaram a planejar para o colapso final. Parte daquele plano incluía a anexação de Jerusalém após a ruptura do Império. A irmandade da Maçonaria internacional planejadora — que é controlada a partir de Londres — tinha a intenção de obter a Cidade Santa e construir o equivalente deles do Templo de Salomão.

A Palavra de Deus predisse o reestabelecimento do Estado de Israel, mas não disse como isso iria acontecer. O que importa para nossos propósitos é que esse reestabelecimento foi alcançado de acordo com a lei internacional. Como já mostramos que esse foi o caso — veja nosso ensaio "Prova do Direito Legal e Moral de Israel de Existir como um Estado Soberano" — não iremos considerar isso aqui novamente.

Esse projeto político detalhado está no cerne da Nova Ordem Mundial. No que se refere às nações, o Templo proposto será judaico, mas para o culto da Maçonaria — que é dirigida pelo próprio Satanás — ele será o trono de poder a partir do qual a Nova Ordem Mundial governará toda a Terra. Depois que o Anticristo entrar no Templo e imperialmente reivindicá-lo com seu, ele aparentemente estará cumprindo sua ambição: "E no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte."

Visto nesta luz, a Nova Ordem Mundial é um empreendimento sionista, mas o "sionismo" em questão é a versão planejada por Satanás. Nosso Pai Celestial também é um sionista, porém o sionismo que Ele está buscando é aquele que está sacramentado em Sua Santa Palavra.

Os cristãos deveriam ser capazes de ver a diferença!

Infelizmente, muitos não veem. Nunca passa pela cabeça deles que o Maligno está decidido a tomar Jerusalém para si mesmo e construir um templo no Monte do Templo para seus próprios propósitos. Portanto, é adequado para ele fazer com que grandes números de cristãos evangélicos o apoiem nesse esforço.

O Terceiro "Eu Irei Fazer Isto e Aquilo" É uma Ambição Política

O terceiro "Eu Irei Fazer Isto e Aquilo" é uma ambição política. Ao dizer orgulhosamente que se assentará no monte da congregação, o Maligno está afirmando que os judeus irão adorá-lo. Como Jesus disse: "Eu vim em nome de meu Pai, e não me aceitais; se outro vier em seu próprio nome, a esse aceitareis." [João 5:43].

Como o terceiro "Eu Irei" é uma ambição política, um objetivo que pode ser definido em termos tangíveis, ele pode ser realizado em etapas. Visto restropectivamente, podemos ver que o Maligno já tomou alguns desses passos: (1) preparar-se para a queda do Império Otomano; (2) apressar sua queda, se possível; (3) estar diretamente envolvido na partição e alocação do território otomano; (4) atribuir Jerusalém e seu ambiente aos judeus; e (5) controlar o desenvolvimento político de Israel.

Se fôssemos formular uma série correspondente de passos para fazer avançar esse processo, poderíamos incluir os seguintes: (6) manter Israel em um estado contínuo de agitação e incerteza política, para que desse modo mudanças radicais futuras possam ser feitas; (7) obter o suporte generalizado entre as nações para uma solução pacífica para esse conflito que está ocorrendo; (8) incluir a construção do Terceiro Templo como um elemento-chave nessa solução.

Os sionistas cristãos estão sendo convencidos pelas mentes que estão por trás da Nova Ordem Mundial a apoiarem a etapa 8. Eles foram condicionados a acreditar que a construção do Terceiro Templo marcará um abençoado cumprimento da profecia, que estará de acordo com a vontade de Deus e que isso garantirá a chegada iminente de Cristo na Terra. Mas, tudo isso é enganoso e repleto com confusão. Vamos ver o porquê.

O Arrebatamento Pré-Tribulação

Quando os cristãos oram, "Vem, Senhor Jesus" — Apocalipse 22:20 — estão orando pelo Arrebatamento. Este é o evento maravilhoso, predito na profecia, em que Cristo Jesus retorna para receber Sua noiva, a igreja. Ele não retorna à Terra nesse tempo — para julgar os ímpios — mas permanece nos céus, acima da Terra, para se encontrar e dar as boas-vindas à sua noiva. Em seguida, Ele trará a assembleia dos santos — aqueles que ressucitaram do túmulo e aqueles que ainda estiverem vivos em sua vinda — para o lugar no céu que foi preparado para eles. Cada um terá sua própria "mansão", ou apartamento, no vasto lar celestial do Senhor.

Todos os cristãos verdadeiros olham com esperança e alegria para aquele bendito momento, e a Palavra de Deus nos convida para orar para que sua manifestação ocorra mais cedo. Mas, os cristãos em parte alguma são exortados a orar pela vinda da Tribulação, ou qualquer um dos eventos relacionados com a ira de Deus. Na verdade, somos instruídos a nunca fazer isso:

"Ai daqueles que desejam o dia do SENHOR! Para que quereis vós este dia do SENHOR? Será de trevas e não de luz." [Amós 5:18].

O Terceiro Templo está diretamente conectado com os eventos cheios de ira do fim dos tempos. Qualquer um que ore por isso cruzou a linha e tirou seus olhos da abençoada esperança, permitindo que eles se fixem, em vez disso, na execução do justo julgamento de Deus sobre a humanidade.

Os servos da Nova Ordem Mundial estão ansiosos para convencer a igreja que o Arrebatamento ocorrerá muito depois que a Tribulação tiver iniciado. Isto se encaixa bem em seus propósitos. Eles querem que os cristãos pensem que o próximo evento no calendário profético será a construção do Terceiro Templo em Jerusalém. Mas, isto é falso. O próximo evento escalonado na profecia bíblica é o Arrebatamento da igreja. A construção do Terceiro Templo não terá significado profético até que as Duas Testemunhas cheguem e o consagrem. Até que isso aconteça, ele não será um Templo de Deus.

O Maligno também está usando a Teologia das Duas Alianças para atrair os cristãos a crerem que a construção do Terceiro Templo é central para a redenção dos judeus e, como tal, é parte da profecia bíblica. (Discutiremos a Teologia das Duas Alianças em mais detalhes posteriormente neste ensaio.)

Ezequiel 8:16

Os sionistas cristãos devem ser capazes de ver que o Terceiro Templo será construído por pessoas que rejeitam Cristo! Infelizmente, a maioria delas é estranhamente cega à verdade óbvia. Alguns se consolam com o pensamento que, no mínimo, o templo será construído por judeus que amam ao Senhor Deus de Israel. Mas, eles estão errados nisso também. "Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim." [João 14:6]. Aqueles que rejeitam Cristo, rejeitam também o Pai Celestial. Portanto, é impossível para qualquer um, incluindo os judeus, construírem um templo em nome do nosso Pai Celestial e, ao mesmo tempo, rejeitarem formalmente Seu Filho.

Os sionistas cristãos ainda precisam perceber que a construção do Terceiro Templo será planejada e supervisionada — e, ao estar concluído, será dedicado — por judeus que não somente rejeitam Jesus de Nazaré, mas que também rejeitam com desprezo blasfemo, o Senhor Deus da Bíblia. Espiritualmente, eles são descendentes diretos dos líderes judeus identificados pelo profeta Ezequiel:

"Levou-me para o átrio interior da casa do SENHOR, e eis que estavam à entrada do templo do SENHOR, entre o pórtico e o altar, cerca de vinte e cinco homens, de costas para o templo do SENHOR, e com os rostos para o oriente; e eles, virados para o oriente adoravam o sol." [Ezequiel 8:16].

O Messias que eles estão aguardando definitivamente não é Jesus de Nazaré. Eles têm um "pastor" muito diferente em mente.

Mesmo se o Terceiro Templo fosse construído exclusivamente por "judeus justos", como os sionistas cristãos os concebem, eles estariam fazendo isso em seu orgulho e em sua apostasia. Eles também estariam fazendo isso em violação e desafio a tudo que a Bíblia ensina sobre santidade, que somente pode significar santo aos olhos de Deus.

Considere apenas um chocante exemplo, a Água da Separação, que está definida como "uma purificação para o pecado" (Números 19:9). Essa água era produzida com as cinzas de uma novilha ruiva. Essas cinzas são produzidas em um fogo preparado fora do acampamento, em que a carne da novilha ruiva é consumida, junto com hissope, pau de cedro, carmesim e a madeira usada para alimentar o fogo. Quando a novilha é sacrificada, o sacerdote da linhagem de Arão esparge o sangue dela sete vezes em direção ao Tabernáculo da Congregação.

Há um grande problema com qualquer tentativa nos dias modernos de duplicar aquilo que a Palavra de Deus especificou em Números 19. A cerimônia requer um sacerdote da linhagem de Arão, devidamente consagrado, um descendente direto de Arão. Ele precisa ter sido consagrado por um de seus predecessores imediatos. Essa sequência de unção precisa permanecer sem interrupções e estar conectada diretamente com a consagração sacerdotal que teve início quando Moisés ungiu Arão e seus filhos. Essa condição vital não pode ser satisfeita em nossa era moderna. Não temos um profeta de Deus para consagrar o primeiro sacerdote, como Moisés consagrou Arão e seus filhos. Assim, a não ser que o Senhor envie um profeta para cumprir essa tarefa, todas as tentativas modernas de reconstruir o Templo e reinstituir os sacrifícios do Templo e outras cerimônias sagradas são totalmente vãs.

Com uma única exceção, não há purificação moderna para o pecado que atenda o padrão estabelecido por Deus. Essa única exceção é a fé no sangue de Cristo. Até que os judeus possam aceitar o poder santificador de Seu precioso sangue, eles permanecerão em seus pecados.

Os Reais Construtores do Terceiro Templo

Deve ser de conhecimento público agora que os judeus que planejam construir o Terceiro Templo em Jerusalém são parte da cabala internacional que está implementando uma Nova Ordem Mundial. O Templo que eles se propõem a construir é o Templo que há muito tempo é planejado pelos líderes da Maçonaria. As várias seitas luciferianas que servem ao Maligno e que enganam a humanidade com suas mentiras, estão trabalhando em conjunto nesse projeto. Ao longo do caminho, eles estão subvertendo e cooptando todos aqueles que puderem, para ajudá-los a alcançar seus objetivos.

O templo que eles pretendem construir não será nada mais que uma estrutura ornamentada, que agradará aos magos cabalistas e Illuminati gnósticos da Nova Ordem Mundial. Ele não será um templo consagrado de Deus, mas uma falsificação blasfema. E, se esse for o caso, então não será possível para o Anticristo cometer dentro dos precintos do Templo a "abominação da desolação", sobre a qual o profeta Daniel falou em 9:27 e à qual o Senhor Jesus se referiu em Mateus 24:15 e Marcos 13:14.

Em nosso ensaio "A Missão das Duas Testemunhas no Livro do Apocalipse", discutimos o ministério das duas testemunhas durante o breve tempo delas aqui na Terra. O excerto seguinte trata da abominação da desolação e como ela está relacionada com aquilo que Jesus Cristo disse em Mateus 17:11 sobre o papel de Elias no fim dos tempos:

Isto é o que Cristo tinha em mente quando disse que Elias "restaurará todas as coisas" ("E Jesus, respondendo, disse-lhes: Em verdade Elias virá primeiro, e restaurará todas as coisas." [Mateus 17:11]). Que "coisas" Jesus tinha em mente? Bem, no tempo em que proferiu essas palavras, muitas das "coisas" em questão ainda estavam em vigor, notavelmente o Templo, o sacerdócio e os sacrifícios. Os discípulos não teriam compreendido as implicações proféticas daquilo que Ele disse, pois Cristo estava se referindo à condição de Israel e à cidade de Jerusalém após o ano 70 DC.

Quando os romanos destruíram a cidade e demoliram o Templo, removeram as mesmas "coisas" que Elias um dia restaurará. O local indicado dos dois sacrifícios prescritos tinha sido tomado dos judeus, junto com os sacerdotes que estavam autorizados a apresentar os sacrifícios. As festas também deixaram de ser celebradas, mais notavelmente o Dia da Expiação, quando o sumo sacerdote aarônico entrava no Santo dos Santos. Muito mais foi destruído nessa catástrofe inimaginável: os vasos e os trajes sagrados, o método de fabricar o incenso e o óleo da unção, a água da purificação, os registros do Templo, as escolas de formação dos sacerdotes, os cantos e os instrumentos musicais, as trombetas de prata e o longamente estabelecido e intrincado sistema levítico de administração do Templo.

A Consagração do Templo

Quando Elias retornar, ele restaurará todas as coisas. Ele treinará e consagrará a linhagem aarônica e seus levitas assistentes, ensinando os rituais mosaicos em conformidade com a Torá. Ele então lhes mostrará como produzir a água purificadora com as cinzas de uma novilha vermelha, o óleo santo da unção e o incenso sacrificial. Ele aprovará as vestimentas, os vasos e os vários elementos necessários para conduzir as ofertas ordenadas por Moisés. Mais importante de tudo, ele consagrará o Tempo para que ele não mais seja meramente um edifício erigido e dedicado pelo homem. Ao contrário, ele será o próprio lugar que o Senhor Deus de toda a Criação aprovou e reconheceu — por meio de Sua testemunha e emissário, Elias — como Seu santo Templo na Terra.

O Anticristo somente poderá profanar um local que é verdadeiramente santo aos olhos de Deus. Se o Senhor não consagrasse o templo por meio do ofício de Elias, não seria possível para o Anticristo profaná-lo. A abominação da desolação somente pode ocorrer neste local divinamente ungido, em um edifício-templo consagrado por um profeta de Deus. Nenhum edifício terreal, nem mesmo um templo magnífico, construído pelo homem no Monte do Templo, em Jerusalém, satisfaria esse requisito.

Os cristãos nascidos de novo precisam refletir sobre isto. Quando pudermos ver que o templo que os homens construirão somente pode ter significado quando for consagrado por um profeta de Deus, veremos por que Elias precisa vir primeiro para restaurar todas as coisas.

O homem, por sua própria vontade, não pode consagrar o templo. Não faz diferença quantos rabinos famosos afirmem que isso pode ser feito! A Palavra de Deus diz claramente que é impossível. Somente Elias, o profeta que o Senhor enviará, pode fazer isso.

O Primeiro Templo foi consagrado pela autoridade investida por Deus em Davi e Salomão. O Segundo Templo foi consagrado pela autoridade investida por Deus em Ageu e Zacarias. O Terceiro Templo será consagrado pela autoridade investida por Deus em Elias.

Os cristãos sionistas precisam revisar toda a compreensão deles das Escrituras no que se refere ao Templo e ao fim dos tempos. Eles precisam ver que o plano que atualmente está sendo implementado para construir o Terceiro Templo é controlado pelos cérebros que estão por trás da Nova Ordem Mundial, que é um empreendimento maçônico e rebelde, supervisionado pela Sinagoga de Satanás, e com o único propósito de dar glória ao Maligno.

O Que Deus Pede de Nós em Relação a Israel?

Sem dúvida, a grande maioria dos sionistas cristãos é motivada por intenções puras e um desejo sincero de servir ao Senhor. Mas, precisamos fazer isso de acordo com Sua vontade, conforme definida em Sua Palavra.

Os cristãos precisam refletir com muita oração sobre aquilo que Deus requer deles em relação a Israel e ao povo judeu. Salmos 122 nos diz para orarmos pela paz de Jerusalém e buscar o seu bem. Ele nos dá três razões:

"Orai pela paz de Jerusalém; prosperarão aqueles que te amam. Por causa dos meus irmãos e amigos, direi: Paz esteja em ti. Por causa da casa do SENHOR nosso Deus, buscarei o teu bem." [Salmos 122:6,8-9]

Se o Senhor ama Jerusalém, então também devemos amar. Se Ele a escolheu para Seu Filho, então a cidade precisa ser incrivelmente especial. Jesus retornará para ela algum dia e a salvará da destruição. Ele então construirá Seu templo todo novo, o grande Templo do Milênio, a partir de onde governará Israel e o mundo todo.

Como cristãos, sabemos que a salvação veio a nós por meio dos judeus, e que a salvação também virá aos judeus, para o remanescente que um dia aceitará Jesus de Nazaré como seu Messias: "Assim, pois, também agora neste tempo ficou um remanescente, segundo a eleição da graça." [Romanos 11:5]. Assim, testemunhamos para eles, abençoamos o país deles e oramos pela paz de Jerusalém. Também promovemos uma clara compreensão bíblica do passado deles, do presente e do futuro deles. Ao fazermos isso, distinguimos cuidadosamente entre os judeus como um povo — por quem o Senhor zela continuamente — e o grupo de falsificações no meio deles, a Sinagoga de Satanás, que está conspirando com suas contrapartes no mundo todo para criarem uma Nova Ordem Mundial.

Como o Maligno Está Explorando o "Sionismo Cristão"

Os sionistas cristãos são, em sua vasta maioria, indivíduos muito bem-intencionados. Eles amam o Senhor e somente querem aquilo que é melhor para o povo judeu. Eles também querem apoiar Israel somente de um modo que seja agradável ao Senhor, Infelizmente, no que se refere a decidir o que se qualifica como "melhor" e "agradável", eles são facilmente influenciados pelos líderes do sionismo secularizado e, sem querer, são levados a apoiar objetivos e a adotar posições que não têm base nas Escrituras.

Pode ser útil considerar o que o Maligno espera alcançar mantendo-os sob sua direção. A lista é longa e pode incluir elementos além dos que são mostrados abaixo:

1. A Judaização do Cristianismo

Estamos testemunhando a intrusão gradual da erudição judaica e a "opinião de especialistas" na exegese bíblica tradicional. Rabinos e acadêmicos judeus, que afirmam terem se convertido para o Cristianismo, e que frequentemente exibem uma riqueza de conhecimento em seu campo escolhido, estão acrescentando uma dimensão distintamente judaica à teologia cristã.

Quando voltamos e examinamos a obra de judeus convertidos ao Cristianismo do passado, encontramos homens de erudição do calibre de David Baron, Adolph Saphir e Alfred Edersheim, todos os quais podiam expor magistralmente a Bíblia, sem apresentar uma assim chamada perspectiva judaica. Em nossa era moderna, tivemos Richard Wurmbrand, outro judeu convertido ao Cristianismo, que fielmente expôs a Palavra de Deus sem nunca tentar judaizá-la. Eles não tinham uma agenda política.

Hoje, infelizmente, muitos de suas contrapartes estão seguindo uma agenda definida pelos sionistas secularizados. Por vários meios, eles estão tentando convencer os cristãos gentios que a compreensão tradicional deles da Bíblia é deficiente, que os grandes eruditos bíblicos do século 19 não tinham a compreensão e as capacidades necessárias para expor com exatidão a Palavra de Deus. Sem um conhecimento "pelo lado de dentro" dos processos da mente judaica — as nuanças e sutilezas distintivas da "mente hebraica" — eles alegadamente deixaram de entender, ou minimizaram a importância de muitos fatores linguísticos, culturais e sociais que afetavam o significado do texto.

O que essas pessoas estão fazendo é bastante transparente. Com arrogância desavergonhada, eles estão criando regras e estabelecendo critérios que excluem os não-judeus de exporem a Escritura. Todo ano eles parecem apertar um pouco mais os parafusos. Eles estão até afirmando serem os verdadeiros intérpretes do Novo Testamento! Aparentemente, embora tenha sido escrito em grego, o Novo Testamento foi registrado por judeus, que pensavam de um modo judaico e, portanto, os únicos eruditos que estão equipados para fazerem uma exposição correta são os judeus.

Como o Cristianismo sobreviveu por quase dois mil anos sem o "conhecimento especial" deles e suas misteriosas compreensões? Essas são as mesmas pessoas cujos pais conseguiram torcer, distorcer e manipular todos os versos no Velho Testamento que apontavam para Jesus de Nazaré como o Messias e fazê-lo significar tudo e qualquer coisa, exceto aquilo que dizia de forma bem clara.

O "Verdadeiro" Nome de Jesus

Aparentemente, temos agora de chamar Jesus de "Yeshua", pois esse é seu nome "real".

O apóstolo Paulo nunca se referiu a Ele pelo nome Yeshua. Tampouco os apóstolos Pedro e João, ou qualquer outro autor dos livros do Novo Testamento. O nome Jesus (Iesous no grego) ocorre 983 vezes no Novo Testamento, o nome "Yeshua" nunca. É necessário uma pessoa profundamente arrogante para insistir que "Yeshua" é o nome "real" do nosso Salvador e "Jesus", ou Iesous é, de algum modo, inferior.

Esta é uma marca do quão pouco esses judaizantes realmente se preocupam com a Palavra de Deus. O Novo Testamento foi escrito em grego, por que os judeus tinham perdido o direito de tê-lo registrado em sua própria língua. Até mesmo o aramaico toma precedência sobre o hebraico no Novo Testamento. O Espírito Santo escolheu o grego como idioma para o Novo Testamento, por que ele tornava a verdade de Deus e as notícias do nosso Salvador, Cristo Jesus, acessível a todas as nações. O próprio Jesus enfatizou isso quando apareceu a João, no livro do Apocalipse. Nunca somos informados que Jesus falou em hebraico com João — como tinha falado quando apareceu a Paulo no caminho para Damasco. Como suas palavras foram registradas em grego, podemos sensatamente assumir que Ele falou em língua grega com João.

Quando concluiu Seu discurso ao apóstolo João, Ele disse: "Eu, Jesus, enviei o meu anjo, para vos testificar estas coisas nas igrejas. Eu sou a raiz e a geração de Davi, a resplandecente estrela da manhã." [Apocalipse 22:16]. Se o Messias achou adequado referir a Si mesmo pelo nome "Jesus" (Iesous em grego) no capítulo final da Bíblia, então somos verdadeiramente abençoados em tratá-Lo pelo mesmo nome todos os dias de nossas vidas.

A cabala rebelde que dominou o Judaísmo desde o cativeiro em Babilônia foi bem sucedida em destruir a verdade da Torá, compilando o Talmude. Tratando-o como um acréscimo à Escritura, uma obra de mesma autoridade, eles solaparam o significado simples da Torá de incontáveis formas. Esses assim chamados sábios ou rabinos criaram tantas regras e exceções, tantas "nuanças" e sutis interpretações, que a Palavra de Deus foi fatalmente obscurecida por baixo de camadas de invenção humana.

Os judaizantes modernos estão tentando algo similar com o Novo Testamento.

Muitos fiéis cristãos sinceros estão sendo aliciados pelo Movimento Raízes Hebraicas e iniciativas judaizantes similares. Em vez de exercerem seu discernimento e realizarem um estudo atento da Palavra de Deus, eles estão confiando, em vez disso, que um "especialista" judeu lhes diga o que a Bíblia "realmente" quer dizer. No curso de tempo devido, muitos deles terminam apoiando e propagando uma mensagem do evangelho que não tem o poder de salvar. E isso adequa-se perfeitamente com os objetivos do Maligno.

2. As Assim Chamadas Leis de Noé

A incursão da Nova Ordem Mundial no Cristianismo está também promovendo as sete "Leis de Noé", que, segundo é afirmado, é vinculante sobre todos os gentios.

Já escrevemos em detalhes sobre essas supostas leis — veja o ensaio "O Propósito Sinistro das Assim Chamadas Leis de Noé" — e mostramos como elas foram inventadas por rabinos judeus apóstatas para exercer controle sobre os gentios. Elas foram sagazmente endossadas pela lei dos EUA, embora a maioria dos cidadãos americanos não tenha conhecimento disso. Sucessivos presidentes americanos, começando com Jimmy Carter, prestaram homenagem a essas leis anualmente.

A mesma observância cerimonial inclui um reconhecimento do nascimento do rabino Menachem Schneerson, o falecido líder do movimento judeus ultra-ortodoxo, Chabad Lubavich. Por que o povo americano deveria outorgar tal honraria para alguém que tentou implicar que era o Messias está além da compreensão. Igualmente incompreensível é a aceitação tácita deles de um foro judicial, ainda a ser estabelecido, que regulará a guarda das Leis de Noé. Esse tribunal arrogará para si o poder de ordenar a execução sumária de qualquer um que for considerado culpado de idolatria. Como a crença na divindade de Jesus Cristo é considerada idolatria por muitos judeus ortodoxos, os representantes eleitos do povo americano enganosa e sediciosamente aprovaram uma lei que poderá, no futuro, ser usada para suprimir o Cristianismo e liquidar os fiéis cristãos.

Os sionistas cristãos estão sendo lentamente doutrinados nas Leis de Noé. Como a maioria deles não reconhece qualquer um dos perigos representados pela Nova Ordem Mundial, eles ingenuamente acreditam em tudo o que lhes é ensinado sobre essas supostas leis.

Se o sionismo cristão não fizesse nada, exceto prover um meio de promover essas leis insidiosas entre os cristãos nascidos de novo, ele teria servido aos seus propósitos muitas e muitas vezes.

3. Duas Formas de Salvação

Por mais incrível que possa parecer, alguns sionistas cristãos de liderança estão ensinando que o caminho para a salvação para um judeu difere do caminho para um gentio. Esse ensino herético algumas vezes recebe o título pomposo de Teologia da Dupla Aliança. Na realidade, ela não é nada mais do que o velho paganismo que nega a Cruz. De acordo com um de seus principais expoentes, um judeu é salvo se "viver na luz" da Torá. Ele não precisa ouvir o Evangelho! Ele não precisa aceitar a Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador! A cruz e o sangue não se aplicam a ele. Ele já está "em um relacionamento de aliança" com Deus e será redimido com base nisso.

Praticamente não é necessário refutar alguma dessas bobagens. Até mesmo o cristão minimamente informado deve ser capaz de ver o que isto realmente é. Todavia, um número muito grande de sionistas cristãos não vê.

Uma das implicações infelizes desse falso ensino é que os cristãos agora estão sendo desencorajados de evangelizar os judeus. Se os judeus estão alegadamente seguindo um caminho diferente para a salvação, então eles não têm necessidade de ouvir falar sobre Cristo. O quão agradável isso deve ser a Satanás e seus asseclas!

4. Enganando os Cristãos a Apoiarem o Templo Maçônico

Como um movimento internacional organizado, o sionismo cristão está sendo usado para enganar e levar os cristãos a apoiarem a construção do Terceiro Templo em Jerusalém. Eles são convencidos a se sentirem privilegiados em estarem envolvidos nesse empreendimento histórico, sem observarem que o "templo", em seu estado de não-consagrado, não será nada mais do que um monumento à estupidez humana. A construção será financiada e supervisionada pela mesma cabala luciferiana que está implementando a Nova Ordem Mundial.

O Terceiro Templo somente se tornará o templo mencionado em Daniel 9 se e quando ele for consagrado por Elias. Os sionistas cristãos não parecem compreender isto. Tampouco eles parecem compreender como a boa vontade deles está sendo manipulada para propósitos políticos, para fazer avançar o principal objetivo da Maçonaria.

5. O Sinédrio

Talvez o aspecto que cause mais perplexidade em tudo isso seja o modo como muitos sionistas cristãos responderam calorosamente aos rumores que a antiga instituição judaica conhecida como Sinédrio foi reestabelecida. Eles não compreendem que a recriação dessa instituição na era moderna marcará um importante passo em direção à supressão do Cristianismo? Cada membro desse órgão, depois que ele for estabelecido, será um alto praticante de Cabala, ou magia judaica.

6. Dominionismo

Os apoiadores do sionismo cristão são fortemente atraídos para o Dominionismo, a falsa doutrina que afirma que o homem implementará o Reino em nome de Cristo e que, após o estabelecimento, Cristo retornará em pessoa para governar a partir do trono de Davi em Jerusalém. Já lidamos com esse tópico em algum detalhe em um ensaio anterior, intitulado "Dominionismo: A Ideia Vã Que a Igreja Pode Implantar o Reino de Cristo."

O Dominionismo efetivamente rejeita todas as profecias do fim dos tempos referentes à Tribulação, afirmando que as passagens bíblicas que falam da ira de Deus já foram cumpridas, ou que elas se referem a um cenário que aparecerá somente se o homem deixar de implementar o Reino. Como afirmamos em nosso ensaio anterior, o Dominionismo tenta ocultar a missão judicial de Jesus no fim dos tempos.

O Leão de Judá

O Maligno está trabalhando arduamente para ocultar o verdadeiro caráter de Jesus em Sua segunda vinda. Ele não retornará como o cordeiro, mas como o leão, o Leão de Judá, para executar julgamento sobre todos os que rejeitaram o Evangelho. O Maligno ainda tenta retratá-lo como o cordeiro, o mais manso dos indivíduos, que de modo algum lançaria fora o pecador. Mas, o pecador aceito por Jesus é aquele que se arrepende! Todos os demais terão de enfrentar a ira de Deus, o justo julgamento que cairá sobre todos os que rejeitaram Cristo e o Pai Celestial.

Aqui está como o apóstolo Paulo referiu-se a esse evento espetacular do fim dos tempos:

"E a vós, que sois atribulados, descanso conosco, quando se manifestar o Senhor Jesus desde o céu com os anjos do seu poder, com labareda de fogo, tomando vingança dos que não conhecem a Deus e dos que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo; os quais, por castigo, padecerão eterna perdição, longe da face do Senhor e da glória do seu poder, quando vier para ser glorificado nos seus santos, e para se fazer admirável naquele dia em todos os que crêem (porquanto o nosso testemunho foi crido entre vós)." [2 Tessalonicenses 1:7-10].

Este é Cristo Jesus de Nazaré, o Leão de Judá, executando a missão recebida de Seu Pai.

A maioria dos evangélicos hoje se esqueceu disso! Eles foram atraídos à mesma complacência que Roma instilou nos corações da maioria dos católicos. Para eles, Cristo ainda é um bebê nos braços de sua mãe, ou uma vítima torturada e pregada em uma cruz. Eles omitem o triunfo Dele no Calvário, e tratam Sua gloriosa ressurreição como um tipo de sequência para o Calvário, uma mera continuação de uma jornada interrompida por três dias. Eles tentam ocultar o fato que Jesus morreu uma vez e ressuscitou, vitorioso, tendo destruído a própria morte e libertou toda a humanidade das garras gélidas de Satanás. Hoje, Ele vive fisicamente no céu, à mão direita do Pai Celestial, intercedendo pelos santos, e aguardando a palavra do Pai para ir buscar Sua noiva. Depois disso, Ele retornará à Terra e executará severo julgamento sobre todos aqueles que descaradamente desafiaram a vontade do Pai e rejeitaram o dom gratuito da salvação.

7. Outras Implicações do "Sionismo Cristão"

Como está associado a uma máquina política em constante evolução, o sionismo cristão está sendo constantemente "atualizado". Seus seguidores são similares aos cidadãos de Atenas, que "de nenhuma outra coisa se ocupavam, senão de dizer e ouvir alguma novidade" [Atos 17:21]. Em vez de enraizarem sua compreensão na Palavra de Deus — que nunca muda — eles permitem a si mesmos serem levados de um lado para outro pelas últimas notícias que vêm de Israel, ou da Casa Branca, ou do Oriente Médio, ou de algum outro lugar. O espírito de inconstância afeta a compreensão deles da Palavra de Deus. Grandes pilares da escatologia cristã são modificados para acomodar as areias sempre movediças da expectativa humana. O cenário deles do Terceiro Templo pode ser mantido vivo somente ignorando aspectos da profecia bíblica. É por isso que eles dificilmente mencionam as Duas Testemunhas, ou o Arrebatamento Pré-Tribulação, ou a Ira de Deus. O papel de Satanás também é ignorado, como se o homem pudesse embarcar nesse tipo de tarefa a partir de motivos puramente altruístas.

Israel na Profecia Bíblica: Uma Visão Geral

Antes de concluirmos, pode ser útil resumir os principais pontos na profecia bíblica referentes a Israel no fim dos tempos:

O Senhor Preservou um Remanescente

1. O Senhor Deus de Abraão, Isaque e Jacó preservou um remanescente, "o restante de Jacó" (Isaías 10:21), entre a comunidade judaica mundial. Não saberemos quem são eles até Jesus retornar. Não há indicação no tempo presente sobre quem podem ser eles.

"Certamente te ajuntarei todo, ó Jacó; certamente congregarei o restante de Israel; pô-los-ei todos juntos, como ovelhas de Bozra; como o rebanho no meio do seu pasto, farão estrondo por causa da multidão dos homens." [Miquéias 2:12].

"E da que coxeava farei um remanescente, e da que tinha sido arrojada para longe, uma nação poderosa; e o SENHOR reinará sobre eles no monte Sião, desde agora e para sempre." [Miquéias 4:7].

"Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Se isto for maravilhoso aos olhos do restante deste povo naqueles dias, será também maravilhoso aos meus olhos? diz o SENHOR dos Exércitos." [Zacarias 8:6].

O Remanescente Retém as Promessas

2. A igreja não substituiu Israel. A Teologia da Substituição (como a Teologia das Duas Alianças) é uma mentira. As promessas que se referem a Israel ainda são atuais e serão cumpridas no tempo devido, por meio da misericórdia e fidelidade de Deus.

Os Judeus São os Legítimos Proprietários de Israel

3. Os judeus são os legítimos proprietários da terra de Israel aos olhos de Deus. Eles também são os legítimos proprietários da terra segundo a Lei Internacional. Os mesmos procedimentos internacionais que estabeleceram o Estado de Israel ("a figueira"), após a divisão do Império Otomano, também estabeleceram "todas as árvores", isto é, os países que estão ao redor de Israel — Líbano, Jordânia, Síria, Iraque e Arábia Saudita (Lucas 21:29). Todos eles foram validamente constituídos.

Os Judeus Como uma Nação Ainda Estão em Inimizade com Deus

4. Os judeus hoje estão em guerra contra Deus. Todos eles (com algumas exceções) rejeitam Cristo Jesus, o Messias deles. Apesar do que alguns deles possam acreditar, eles também rejeitaram o Senhor Deus de Abraão, Isaque e Jacó. A Bíblia diz que qualquer um que rejeita ao Filho também rejeita o Pai que o enviou ("Aquele que me odeia, odeia também a meu Pai." — João 15:23). Assim, a nação judaica como um todo está em uma séria condição espirital.

A Sinagoga de Satanás

5. Para tornar as coisas piores, o Maligno já obteve um controle substancial sobre as estruturas religiosas, sociais, econômicas e políticas que fundamentam o Judaísmo e o Estado de Israel. Cristo referiu-se duas vezes à Sinagoga de Satanás, um grupo dentro do Judaísmo que serve a Satanás e que — por definição — está dedicado à destruição do povo judeu. Eles podem chamar a si mesmos de judeus, mas não são.

Sob o Julgamento e a Proteção de Deus

6. Os judeus estão sob o julgamento e sob a proteção de Deus. O fim dos tempos verá uma impressionante manifestação de ambos. Os judeus que pensam que a Nova Ordem Mundial funcionará a seu favor estão grandemente enganados. O "tempo da angústia de Jacó" (Jeremias 30:7) será um tempo de provação e tribulação, como nunca antes na história.

O Véu Estendido Sobre Todas as Nações

7. A Sinagoga de Satanás está dirigindo a Nova Ordem Mundial em direção ao seu objetivo final, a aniquilação de todos os cristãos e judeus. A maior parte do mundo empresarial e financeiro está sob seu controle. Isso inclui as indústrias da música e da televisão, a indústria do cinema em Hollywood, a pornografia, os narcóticos, a indústria farmacêutica, as indústrias bélicas internacionais, os cassinos, o tráfico de crianças e a prostituição e, virtualmente, qualquer atividade que combine geração de riqueza com corrupção moral. O Messias destruirá esse véu de trevas e de enganos quando Ele retornar:

"E destruirá neste monte a face da cobertura, com que todos os povos andam cobertos, e o véu com que todas as nações se cobrem." [Isaías 25:7].

A Separação Deliberada dos Judeus da Torá

8. A Sinagoga de Satanás trabalhou arduamente ao longo dos séculos para atrair os judeus para longe da Torá, e tem sido muito bem sucedida. O Talmude, um comentário sobre a Torá, adquiriu um status igual ao da Torá, o que é uma afirmação blasfema, e comenta a Palavra de Deus com absurda desconsideração pela justiça e soberania de Deus. A Sinagoga de Satanás também atraiu um número muito grande de judeus para a perversão mágica conhecida como Cabala e desenvolveu formas insípidas de Judaísmo — Judaísmo da Reforma e Conservador — que são pouco mais do que expressões litúrgicas da etnicidade judaica.

A Chegada das Duas Testemunhas

9. O Terceiro Templo, quando for construído, entrará no território da profecia bíblica com a chegada das Duas Testemunhas. Se nossa interpretação da Escritura estiver correta, as Duas Testemunhas literalmente tomarão o controle do Templo e o consagrarão para Deus. Elias e a outra testemunha restaurarão todas as coisas. Ao longo de um período de três anos e meio, eles negarão passagem à Nova Ordem Mundial, fazendo cair fogo do céu sobre todos os seus opositores. Eles serão atacados como desprezo pela mídia internacional e amaldiçoados por todos que apoiam a Nova Ordem Mundial.

O Falso Profeta

10. Para ajudar a enfrentar essa má publicidade e fortalecer a imagem pública do Anticristo, o Falso Profeta operará maravilhas, que serão transmitidas pela mídia, para todos os cantos do mundo. Algumas dessas maravilhas poderão envolver efeitos especiais e tecnologia avançada.

O Anticristo

11. Finalmente, o Anticristo chegará a Jerusalém e matará as duas testemunhas. Haverá júbilo em todo o mundo. A televisão mostrará as imagens dos corpos sem vida, caídos na rua. Três dias e meio se passarão. Em seguida, para horror de todos, elas voltarão à vida e subirão ao céu. O choque e consternação farão o Anticristo ir apressadamente ao Templo e declarar ao mundo que ele é deus. Em sua fúria, ele cometerá a abominação da desolação e ordenará que os soldados de suas tropas matem todos os judeus em Jerusalém.

A Fuga Milagrosa

12. Por intervenção milagrosa, um grande número de judeus fugirá e encontrará segurança em um local preparado para eles na Jordânia, pelo arcanjo Miguel. Eles serão protegidos ali durante três anos e meio do furor e fúria do Anticristo, que usará todas as armas à sua disposição para penetrar no "aprisco de ovelhas" deles.

Propaganda Antijudaica

13. O fim dos tempos testemunhará um aumento gigantesco na propaganda antijudaica. A Sinagoga de Satanás está planejando uma situação similar àquela que existiu na Alemanha nazista, em que os judeus serão acusados por todos os problemas da humanidade. Na realidade, esses problemas estão sendo gerados pelo próprio Satanás e seu bando tenebroso de seguidores aqui na Terra, alguns poucos dos quais são judeus. O papel de um número substancial de não-judeus na vindoura loucura e confusão será ignorado. Embora somente uma pequena proporção da população oficial total deles será cúmplice, os judeus como um todo receberão a culpa por tudo. É por isto que todas as nações da Terra enviarão seus exércitos a Israel, para ajudar em sua destruição.

Os 144.000 Evangelistas Judeus

14. Elias e a segunda testemunha provavelmente treinarão os 144.000 homens judeus que evangelização o mundo, como uma escola de profetas, durante a Tribulação. Essa é uma razão adicional por que acreditamos que Eliseu será a segunda testemunha, pois ele trabalhou ao lado de Elias na Escola de Profetas original.

O Remanescente Recebe Sua Visão

15. Apesar do modo miraculoso como foram preservados da destruição, os judeus que são protegidos pelo arcanjo Miguel serão lentos em aceitar que Jesus de Nazaré foi, e é, o Messias deles. A "visão" deles retornará de forma gradual. Jesus pode ter aludido alegoricamente a esse processo profético quando curou o cego em Betsaida:

"E chegou a Betsaida; e trouxeram-lhe um cego, e rogaram-lhe que o tocasse. E, tomando o cego pela mão, levou-o para fora da aldeia; e, cuspindo-lhe nos olhos, e impondo-lhe as mãos, perguntou-lhe se via alguma coisa. E, levantando ele os olhos, disse: Vejo os homens; pois os vejo como árvores que andam. Depois disto, tornou a pôr-lhe as mãos sobre os olhos, e o fez olhar para cima: e ele ficou restaurado, e viu a todos claramente. E mandou-o para sua casa, dizendo: Nem entres na aldeia, nem o digas a ninguém na aldeia." [Marcos 8:22-26].

Muitos eruditos bíblicos já comentaram a respeito da singularidade dessa cura milagrosa, pois ela ocorreu em duas fases, dessa forma sugerindo — pode parecer — que a primeira fase foi somente parcialmente bem-sucedida e que uma etapa adicional foi necessária para obter uma cura total. Nem um outro milagre de Jesus foi realizado dessa forma. (Para um exame mais detalhado desse milagre, veja a série de quatro ensaios "Israel e o Crescimento do Antisseminismo Cristão").

O profeta Zacarias referiu-se ao mesmo processo de "refino" pelo qual Israel passaria durante o fim dos tempos:

"E farei passar esta terceira parte pelo fogo, e a purificarei, como se purifica a prata, e a provarei, como se prova o ouro. Ela invocará o meu nome, e eu a ouvirei; direi: É meu povo; e ela dirá: O SENHOR é o meu Deus." [Zacarias 13:9].

Nosso Pai Celestial até "garantiu" a Cristo que Seu povo O aceitaria quando Ele retornasse uma segunda vez:

"O SENHOR enviará o cetro da tua fortaleza desde Sião, dizendo: Domina no meio dos teus inimigos. O teu povo será mui voluntário no dia do teu poder; nos ornamentos de santidade, desde a madre da alva, tu tens o orvalho da tua mocidade." [Salmos 110:2-3].

O Desafio para os Cristãos Bíblicos

É difícil para muitos cristãos aceitarem tudo isto. Embora eles não sejam antissemitas, estão convencidos que a igreja substituiu Israel. Eles deixam de avaliar a profecia bíblica em sua totalidade e discernem o propósito final de Deus para o remanescente de Israel. À medida que eles se preocupam em pensar sobre o plano que Satanás está seguindo, ou se ele realmente tem um plano, eles deixam de ver que Satanás está decidido a destruir os judeus. Jesus disse que Ele retornará somente quando eles o invocarem e proferirem aquelas preciosas palavras: "Porque eu vos digo que desde agora me não vereis mais, até que digais: Bendito o que vem em nome do Senhor." [Mateus 23:39].

Satanás quer garantir que isso nunca aconteça. Ele sabe que, se conseguir aniquilar os judeus, reterá o controle da Terra e livrará sua própria pele. Para este fim, ele está aproveitando ao máximo a obstinação e orgulho que caracterizou o relacionamento dos judeus com Deus desde o início.

Moisés resumiu isto pouco antes de sua morte:

"Porque conheço a tua rebelião e a tua dura cerviz; eis que, vivendo eu ainda hoje convosco, rebeldes fostes contra o SENHOR; e quanto mais depois da minha morte?" [Deuteronômio 31:27].

Isaías fez uma avaliação muito similar:

"Porque este é um povo rebelde, filhos mentirosos, filhos que não querem ouvir a lei do SENHOR. Que dizem aos videntes: Não vejais; e aos profetas: Não profetizeis para nós o que é reto; dizei-nos coisas aprazíveis, e vede para nós enganos." [Isaías 30:9-10].

Entretanto, apenas alguns versos adiante, o Senhor deu Sua resposta: Ele esperará e, quando eles finalmente clamarem, Ele responderá!

"Por isso, o SENHOR esperará, para ter misericórdia de vós; e por isso se levantará, para se compadecer de vós, porque o SENHOR é um Deus de equidade; bem-aventurados todos os que nele esperam. Porque o povo habitará em Sião, em Jerusalém; não chorarás mais; certamente se compadecerá de ti, à voz do teu clamor e, ouvindo-a, te responderá." [Isaías 30:18-19].

Esta promessa é repetida em Zacarias 13:9, citado anteriormente.

Embora eles sejam um povo rebelde — tão obstinado! tão orgulhoso! — o Senhor Deus fará exatamente como prometeu. O remanescente será salvo.

Por que Ele fará isso? Bem, o verso 18 acima dá a resposta: "Por isso, o SENHOR esperará, para ter misericórdia de vós; e por isso se levantará, para se compadecer de vós, porque o SENHOR é um Deus de equidade; bem-aventurados todos os que nele esperam." Em outras palavras, eles são salvos unicamente pela graça, por amor do Seu Santo Nome.

Isto é exatamente como o profeta Samuel disse:

"Pois o SENHOR, por causa do seu grande nome, não desamparará o seu povo; porque aprouve ao SENHOR fazer-vos o seu povo." [1 Samuel 12:22].

Esses judeus que vierem a Cristo durante o "tempo de angústias de Jacó" e O aceitarem como seu Messias, serão muito diferentes da nação apóstata e descrente de alguns anos antes. Eles chorarão amargamente quando perceberem que rejeitaram seu Messias em Sua primeira vinda. Além disso, reconhecerão que a punição que receberam por causa daquela rejeição foi totalmente justificada.

Eles serão profundamente transformados, como são transformados aqueles que nascem de novo:

"Naquele dia o SENHOR protegerá os habitantes de Jerusalém; e o mais fraco dentre eles naquele dia será como Davi, e a casa de Davi será como Deus, como o anjo do SENHOR diante deles... Mas sobre a casa de Davi, e sobre os habitantes de Jerusalém, derramarei o Espírito de graça e de súplicas; e olharão para mim, a quem traspassaram; e prantearão sobre ele, como quem pranteia pelo filho unigênito; e chorarão amargamente por ele, como se chora amargamente pelo primogênito." [Zacarias 12:8,10].

O Senhor Deus no céu fará isso para Sua própria glória, por causa do Seu grande nome e por Seu Filho. Ele não fará isso por que o homem, seja judeu ou gentio, "merece" ser salvo, pois ninguém é merecedor da salvação:

"E eu santificarei o meu grande nome, que foi profanado entre os gentios, o qual profanastes no meio deles; e os gentios saberão que eu sou o SENHOR, diz o Senhor DEUS, quando eu for santificado aos seus olhos. E vos tomarei dentre os gentios, e vos congregarei de todas as terras, e vos trarei para a vossa terra. Então aspergirei água pura sobre vós, e ficareis purificados; de todas as vossas imundícias e de todos os vossos ídolos vos purificarei. E dar-vos-ei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei da vossa carne o coração de pedra, e vos darei um coração de carne." [Ezequiel 36:23-26].

Porque a Sua benignidade dura para sempre!



Apêndice A

Outros Ensaios Relevantes Nesta Série, Escritos por Jeremy James e Disponíveis Aqui

O Propósito Sinistro das Assim Chamadas 'Leis de Noé'

A Missão das Duas Testemunhas no Livro do Apocalipse

Dominionismo: A Ideia Vã Que a Igreja Pode Implantar o Reino de Cristo

O Sinismo Bíblico e Seus Inimigos (Será incluído em breve)

A Cidade Santa: O Senhor Deus Escolheu Jerusalém para Seu Filho

Queimadura em Lugar de Formosura: Uma Visão Bíblica do Holocausto

A Resolução 2334 do Conselho de Segurança da ONU e a Traição a Israel

Israel e o Crescimento do Antissemismo Cristão (estudo em quatro partes)

A Teologia da Substituição Rejeita e Perverte o Propósito Profético de Deus para Israel

O Salmo 83 e a Futura Onda de Ataques Contra Israel

Prova do Direito Legal e Moral de Israel Existir como um Estado Soberano

Solicitação Especial

Incentivamos os leitores frequentes a baixarem os ensaios disponíveis neste website para cópia de segurança e consulta futura. Eles poderão não estar disponíveis para sempre. Estamos entrando rapidamente em um tempo em que materiais deste tipo somente poderão ser obtidos via correio eletrônico. Os leitores que desejarem ser incluídos em uma lista para correspondência futura são bem-vindos a me contactar em jeremypauljames@gmail.com. Não é necessário fornecer o nome, apenas um endereço eletrônico.



Autor: Jeremy James, artigo em http://www.zephaniah.eu
Data da publicação: 14/7/2019
Transferido para a área pública em 30/9/2020
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/sionismobiblico.asp